LD-27/11/10 (Sábado)

Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém!
27/Nov/2010 (Sábado) – XXXIV Semana do Tempo Comum
(verde – ofício do dia)
. . .
 
Vamos então nos preparar para a Leitura, orando juntos: Jesus Mestre, que dissestes: “onde dois ou mais estiverem reunidos em seu amor, eu aí estarei no meio deles”. Amém!
 
A aproximação do reino de Deus e a incerteza do último dia exigem vigilância. O reino e a vinda do filho do homem estão presentes nos acontecimentos da história da salvação. Encerramos hoje o ano litúrgico.

LEITURAS

Todos ansiamos pelo fim da maldade e da violência e sonhamos com um mundo onde já não haja dor nem sofrimento. Para tanto, precisamos ter forças para resistir à tentação de nos acomodar.

Vamos ler o livro do Apocalipse 22,1-7
Na cidade celeste estaremos reunidos com Deus

A mim, João, 1o anjo do Senhor mostrou-me um rio de água viva, o qual brilhava como cristal. O rio brotava do trono de Deus e do Cordeiro. 2No meio da praça, de cada lado do rio, estão plantadas árvores da vida; elas dão frutos doze vezes por ano; em cada mês elas dão fruto; suas folhas servem para curar as nações. 3Já não haverá maldição alguma. Na cidade estará o trono de Deus e do Cordeiro e seus servos poderão prestar-lhe culto. 4Verão a sua face e o seu nome estará sobre suas frontes. 5Não haverá mais noite: não se precisará mais da luz da lâmpada, nem da luz do sol, porque o Senhor Deus vai brilhar sobre eles e eles reinarão por toda a eternidade. 6Então o anjo disse-me: “Estas palavras são dignas de fé e verdadeiras, pois o Senhor, o Deus que inspira os profetas, enviou o seu Anjo, para mostrar aos seus servos o que deve acontecer muito em breve. 7Eis que eu venho em breve. Feliz aquele que observa as palavras da profecia deste livro”.

Vamos cantar o Salmo 94(95)
Amém! Vem, ó Senhor Jesus! amém!

— Amém! Vem, ó Senhor Jesus! Amém!
— Vinde, exultemos de alegria no Senhor, aclamemos o Rochedo que nos salva! Ao seu encontro caminhemos com louvores, e com cantos de alegria o celebremos!
— Na verdade, o Senhor é o grande Deus, o grande rei, muito maior que os deuses todos. Tem nas mãos as profundezas dos abismos, e as alturas das montanhas lhe pertencem; o mar é dele, pois foi ele quem o fez, e a terra firme suas mãos a modelaram.
— Vinde adoremos e prostremo-nos por terra, e ajoelhemos ante o Deus que nos criou! Porque ele é o nosso Deus, nosso Pastor, e nós somos o seu povo e o seu rebanho, as ovelhas que conduz com sua mão.

Vamos ler . . .
. . .

. . .

Vamos proclamar o evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas 21,34-36
A necessidade de vigiar / Vigiar e Orar

Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: 34“Tomai cuidado para que vossos corações não fiquem insensíveis por causa da gula, da embriaguez e das preocupações da vida, e esse dia não caia de repente sobre vós; 35pois esse dia cairá como uma armadilha sobre todos os habitantes de toda a terra. 36Portanto, ficai atentos e orai a todo momento, a fim de terdes força para escapar a tudo o que deve acontecer e para ficardes de pé diante do Filho do Homem”.

COMENTÁRIOS

Jesus Cristo nos disse: “Eu sou o CAMINHO…
Qual o CAMINHO que a Palavra diz para mim? Os bispos na Conferência de Aparecida lembraram: “O encontro com Cristo, graças à ação invisível do Espírito Santo, realiza-se na fé recebida e vivida na Igreja. Recordamos o que disseram os Bispos em Aparecida: “Faz-se, pois, necessário propor aos fiéis a Palavra de Deus como dom do Pai para o encontro com Jesus Cristo vivo, caminho de “autêntica conversão e de renovada comunhão e solidariedade”. Esta proposta será mediação de encontro com o Senhor se for apresentada a Palavra revelada, contida na Escritura, como fonte de evangelização. Os discípulos de Jesus desejam se alimentar com o Pão da Palavra: querem chegar à interpretação adequada dos textos bíblicos, empregá-los como mediação de diálogo com Jesus Cristo e a que sejam alma da própria evangelização e do anúncio de Jesus a todos. Por isto, a importância de uma “pastoral bíblica”, entendida como animação bíblica da pastoral, que seja escola de interpretação ou conhecimento da Palavra, de comunhão com Jesus ou oração com a Palavra, e de evangelização inculturada ou de proclamação da Palavra. Isto exige por parte dos bispos, presbíteros, diáconos e ministros leigos da Palavra uma aproximação à Sagrada Escritura que não seja só intelectual e instrumental, mas com um coração “faminto de ouvir a Palavra do Senhor” (Am 8,11). (DAp 248). E eu me interrogo: Como me sinto neste caminho de conversão? Tenho garantida a minha paz pela vigilância e pela oração? (Paulinas Online)
 
… a VERDADE…
Qual a VERDADE que a Palavra me diz? Leio atentamente o texto na Bíblia: Lc 21,34-36. E Jesus terminou, dizendo: Jesus recomenda nestes dois versículos, atenção, vigilância e oração para que estejamos “de pé” na presença do Filho de Deus quando ele vier. Alberione recomendava, e está escrito nas capelas paulinas, “vivam em contínua conversão”. (Paulinas Online)
 
… e a VIDA”.
Qual a VIDA que o texto me leva a dizer a Deus? Pai, ajuda-me a estar em permanente vigilância e oração, preparando-me para o encontro com teu Filho Jesus e ser acolhido por ele. (Paulinas Online)
 
Qual deve ser a minha VIDA e MISSÃO hoje?
Qual o meu novo olhar a partir da Palavra? Sinto-me discípulo/a de Jesus. Meu olhar deste dia será iluminado pela presença de Jesus Cristo, acolhido no meu coração e no coração das demais pessoas. (Paulinas Online)

REFLEXÕES

COMUNICAR A LIBERDADE E A VIDA
O ano litúrgico encerra-se hoje com o incitamento à vigilância e à oração, no fim do “discurso escatológico”, conforme o Evangelho de Lucas. Vivemos o dia da presença do Reino de Deus no mundo, que vem sobre nós como uma armadilha. Mas no mundo também estão presentes os seus poderosos “donos” que combatem o Reino, bem como combatem entre si mesmos, em um processo autodestrutivo. Eles procuram apanhar a todos com outras armadilhas, que não vêm de Deus. Têm como meta suprema a acumulação de riqueza, que é feita a partir da exploração dos empobrecidos. Sua principal armadilha é a ideologia que infundem, incutindo nos empobrecidos a esperança de que um dia alguns deles poderão tornar-se ricos também. Os iludidos, mesmo vivendo em condições de carência e exclusão, são tomados pela ansiedade do enriquecimento, tornando-se indiferentes à solidariedade fraterna que leva à comunhão de vida. A atenção à Palavra de Deus e a oração libertam os discípulos destas armadilhas. De pé, unidos em comunidades, libertam-se da apatia e se dedicam, com entusiasmo, à construção de um mundo novo possível. Hoje é o tempo de amar, é o dia de comunicar a liberdade e a vida, semeando a paz, na alegria da fraternidade dos filhos de Deus. (Paulinas Online)
 
VIGIAI E ORAI
O grande perigo das pessoas em relação à escatologia é a dissipação do coração. Os atrativos e prazeres da vida, o acúmulo exagerado de bens materiais, a liberação dos instintos egoístas são todos elementos que corrompem o coração humano, impedindo-o de se preparar para o encontro com o Senhor. Jesus recomenda vigilância e oração como as formas melhores de nos colocarmos em clima de espera. Vigiar é ser capaz de detectar tudo quanto possa desviar nossa atenção do fim almejado, acabando por nos afastar dos caminhos de Deus. São muitas as formas como que o mau espírito procura atuar, para alcançar o seu fim. Quem cochila, acaba caindo na armadilha para pegar os incautos. Só os vigilantes conseguem safar-se das investidas do maligno. A oração, por sua vez, coloca-nos em contínua ligação com Deus, de quem recebemos luz e força para permanecer em pé, vigilante à espera do Senhor. Ela predispõe-nos para escutar os apelos divinos e deixar-nos guiar por eles. Sensibiliza-nos para realizar o projeto de Deus. Mantém-nos sempre atentos à prática do bem, como faz o Pai em benefício da humanidade. Portanto, perseverar na espera requer uma atitude de atenção à história e de comunhão profunda com Deus. (Dom Total)
 
ORAI A TODO MOMENTO
Somos templos vivos do Espírito Santo. Ora, se somos templo vivos – e somos -, isso significa que esta casa – que é de Deus – precisa ser uma casa de oração. O que rezar? Como rezar? O que é oração, na verdade? Jesus, no Evangelho de hoje é taxativo: Ficai atentos e orai a todo momento.
Mas precisamos confessar uma coisa: não é fácil rezar! Aliás, rezar é uma das coisas mais difíceis para o cristão, simplesmente pelo fato de trazermos, dentro de nós, fruto do pecado original, uma indisposição para rezar. Todavia, é fundamental que venhamos, num primeiro momento, entender o que, verdadeiramente, significa oração.
Para responder a essa pergunta, somos convidados para recorrer à definição de Santa Tereza D’Avila acerca da oração: oração é um diálogo entre duas pessoas que se amam. Ana, a mãe de Samuel (1Sm 1,1ss) também traz uma definição espetacular do que é oração, quando interpelada pelo sacerdote Heli, quando a questiona sobre sua atitude – aparentemente – estranha no templo: meu senhor, eu simplesmente derramo a minha alma na presença do Senhor. A atitude dos maiores homens e mulheres da Sagrada Escritura também nos mostram o que é oração, pois sempre tiveram a coragem de rasgar as vestes na presença de Deus, ou seja, tinham a coragem de rasgar o coração, arrancar as máscaras e desnudarem-se diante de Deus, numa profunda transparência e verdade diante do Pai. Isso é oração!
Ora, se oração é intimidade diante de Deus, é rasgar o coração e derramar a alma diante d’Ele, aqui está o grande motivo pelo qual não conseguimos rezar. Por quê? Porque somos acostumados a ir para a oração e querer colocar máscaras diante de Deus Pai, pois achamos que Ele vai nos atender se formos bonzinhos, pois o mundo só nos aceita os bonzinhos, aqueles que não possuem dificuldades; então para ser aceito pelas pessoas, eu preciso disfarçar minhas misérias e pecados; o mesmo comportamento temos diante de Deus. Aqui está o ponto pelo qual não somos atendidos por Deus: queremos usar máscaras diante do Senhor.
Os Padres do Deserto vão dizer que a alma da oração não é a piedade – estar inteiro na oração; isso é consequência da oração. A alma da oração não é a fidelidade – todos os instantes, momentos e dias, estamos em oração; isso é consequência. Para os Padres de Deserto, a alma da oração é a verdade, ou seja, tudo aquilo que está dentro de nós, que não temos a coragem de partilhar com ninguém. Aliás, o Senhor quer conversar neste diálogo de amor – a oração – acerca de tudo aquilo que não veio D’Ele, ou seja, nossa miséria, nosso pecado.
Tudo aquilo que temos de bom, de virtudes e talentos em nós, na oração o Senhor quer que, no máximo, venhamos a agradecer e colocar tudo isso a serviço dos irmãos. O que Ele quer conversar conosco é sobre aquilo que não veio d’Ele: nossas misérias, nossos pecados, nossas feridas, pois Ele quer transformar, tudo isso, em carisma, em dom, em vida para a vida dos outros. Para isso, é preciso rasgar o coração e suplicar com confiança, pois a confiança é a mãe da oração; a confiança é este vaso que colhe a misericórdia de Deus que se derrama do Coração Misericordioso de Jesus, do Seu lado aberto da cruz redentora. (Homilia Diária)
 
. . .
. . .(Paróquia Nossa Senhora das Dores)
 
VIGIAI E ORAI
É um fato de que a comunidade de Lucas já experimentava o desânimo e o descuido em relação às tarefas de evangelização e de práticas evangélicas porque o tempo passava e a perúsia não chegava. Este convite posto nos lábios de Jesus previne-a para não cair na apatia e na desesperança. A mesma situação se percebe nas comunidades de todos os evangelistas (cf. Mt 24,43-51; Mc 13,22-26). (Mundo Católico)
 
ONDE NOS PREOCUPAMOS MAIS, COM O MUNDO OU COM DEUS
A nossa vida é marcada por preocupações constantes que são exigências da agitada vida moderna. Essas preocupações muitas vezes acabam por fazer de si mesmas o centro da nossa vida. Na verdade, a gente deixa de viver a vida que a gente quer para viver a vida que é exigida de nós. Assim, não temos tempo para a oração, para a contemplação, para o encontro com Deus e o estabelecimento de comunhão com ele. O resultado de tudo isso é que deixamos de viver na sua presença e nos fechamos num mundo que cada vez mais nos escraviza e nos impede de viver a verdadeira vida, a vida dos filhos e filhas de Deus em perfeita comunhão e relação com o Pai. (A Palavra de Deus na Vida)
 
. . .
. . . (ABC da Catequese)
 
TENDE CUIDADO CONVOSCO
O tempo presente é, segundo o Senhor, o tempo do Espírito e do testemunho mas é também um tempo ainda marcado pela «angústia» (1Cor 7,26) e pela provação do mal, que não poupa a Igreja e inaugura os combates dos últimos dias. É um tempo de espera e de vigília.
A partir da ascensão, a vinda de Cristo na glória está iminente, mesmo que não nos «pertença saber os tempos ou os momentos que o Pai determinou com a Sua autoridade» (At 1,7). Este advento escatológico pode realizar-se a qualquer momento. […]
Antes da vinda de Cristo, a Igreja deverá passar por uma prova final, que abalará a fé de numerosos crentes. A perseguição que acompanha a sua peregrinação na Terra porá a descoberto o «mistério da iniquidade», sob a forma duma impostura religiosa, que trará aos homens uma solução aparente para os seus problemas, à custa da apostasia da verdade. A suprema impostura religiosa é a do Anticristo, isto é, dum pseudo-messianismo em que o homem se glorifica a si mesmo, substituindo-se a Deus e ao Messias Encarnado. […]
A Igreja não entrará na glória do Reino senão através dessa última Páscoa, em que seguirá o Senhor na Sua morte e ressurreição. O Reino não se consumará, pois, por um triunfo histórico da Igreja segundo um progresso ascendente, mas por uma vitória de Deus sobre o último desencadear do mal, que fará descer do céu o Seu Esposo (Ap 21,25). O triunfo de Deus sobre a revolta do mal tomará a forma de juízo final, após o último abalo cósmico deste mundo passageiro.
(Evangelho Quotidiano)

ESTUDO E CONHECIMENTO

DICIONÁRIO BÍBLICO
(Explicações rápidas sobre certo assunto, lugar, objetos e ou pessoas descritas dentro da Sagrada Escritura)
 
AMÉM
Palavra hebraica utilizada para se confirmar uma declaração. Expressa uma confirmação definitiva, isto é, “que assim seja!”, entendendo que o que foi dito é digno de fé. Veja em: Números 25,22; Deuteronômio 27,15-26; Neemias 5,13; 8,6; Jeremias 28,6; Romanos 1,25; Gálatas 1,5; Efésios 3,21; Hebreus 13,21; Apocalipse 3,14. Palavra quase sempre utilizada no final de bênçãos, orações e declarações. Mantém um sentido de alta reverência, de aprovação e, de certa forma, de humildade para com o que se está considerando como divino, Jesus é considerado, em Apocalipse, o amém de Deus.
 
QUEM É QUEM?
(Explicações mais detalhas e completas sobre as pessoas descritas dentro da Sagrada Escritura)
 
. . .
. . .
 
CATEQUESE
(Perguntas para se pesquisar na Sagrada Escritura)
 
Jeremias 39,16-17 – Qual o fim de Ebede-Meleque?
a) Foi preso
b) Foi morto
c) Foi levado cativo
d) Foi recompensado com vida

COMEMORAÇÕES

ANIVERSÁRIOS (Natalícios, Matrimoniais, …)
– Natalício de Diácono Egmar Rodrigues
 
DIAS COMEMORATIVOS (Nacionais e Internacionais)
– Dia do Técnico da Segurança do Trabalho
 
SANTO DO DIA
– Santa Catarina Labouré (Canção Nova)
– Nossa Senhora das Graças (Evangelho Quotidiano)

PEDIDOS E AGRADECIMENTOS DE ORAÇÕES, GRAÇAS E MILAGRES

Independentemente de sua religião ou credo, todos nós precisamos de orações, e é com as orações onde podemos demonstrar a nossa preocupação com o próximo, onde podemos ser mais humanos e realmente fazermos um mundo melhor, começando por nós mesmos. A nossa oração deve ser a elevação da alma a Deus ou o pedido a Deus de bens conformes à sua vontade. A oração é sempre dom de Deus, que vem ao nosso encontro. A oração cristã é relação pessoal e viva dos filhos de Deus que é infinitamente bom, que habita no nosso coração.
 
PELA CURA DO CÂNCER
– Pedido por Marcelo e Corina por todos acometidos por esta doença
 
PELA PROTEÇÃO DAS FAMÍLIAS DE:
– Carlos e Vandir
– Celso Batista dos Santos
– Delmo Gonçalves da Silva
– Flávio e Ana Paula
– Jairo Felipe
– Messias e Helen
– Paola
 
PELA RECUPERAÇÃO DA SAÚDE
– Antônia Gomes Vieira
– Carlos Alberto Nunes
– Delmo Gonçalves da Silva
– Dr Paulo Leite
– Fabrício Nunes
– Helen Cristina de Melo Silva
– José Eustáquio dos Santos
– José Júlio
– Juvenal Leonel Filho
– Maria Alves
– Nilza Gomes Terra
– Pai de Aparecida Damião
– Pai de Maria Marlene
– Selmo
– Sílvia Galante Santos
– Tereza Maria de Melo
– Tia Lúcia dos Santos (Uberlândia)

– Waldir da Marlene
 
PELO PROFISSIONAL ABENÇOADO DA ÁREA DE SAÚDE
– Dr. Paulo Leite
Anúncios
Esse post foi publicado em Religião. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s