LD – 28/05/11 (Sábado)

Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém!
28/Mai/2011 (Sábado) – V Semana da Páscoa
(branco – ofício do dia)
. . .

Vamos então nos preparar para a Leitura, orando juntos: Jesus Mestre, que dissestes: “onde dois ou mais estiverem reunidos em seu amor, eu aí estarei no meio deles”. Amém!

Os cristãos e, particularmente, os propagadores da palavra de Deus muitas vezes são incompreendidos e odiados pelo mundo. Cabe a cada um permanecer firme diante das dificuldades, para ser fiel ao Senhor e cumprir sua vontade.

LEITURAS

Vamos fazer a Leitura dos Atos dos Apóstolos 16,1-10
Deus acabava de nos chamar para pregar-lhes o Evangelho

Naqueles dias, 1Paulo foi para Derbe e Listra. Havia em Listra um discípulo chamado Timóteo, filho de uma judia, crente, e de pai grego. 2Os irmãos de Listra e Icônio davam bom testemunho de Timóteo. 3Paulo quis então que Timóteo partisse com ele. Tomou-o consigo e circuncidou-o, por causa dos judeus que se encontravam nessas regiões, pois todos sabiam que o pai de Timóteo era grego. 4Percorrendo as cidades, Paulo e Timóteo transmitiam as decisões que os apóstolos e anciãos de Jerusalém haviam tomado. E recomendavam que fossem observadas. 5As Igrejas fortaleciam-se na fé e, de dia para dia, cresciam em número. 6Paulo e Timóteo atravessaram a Frígia e a região da Galácia, pois o Espírito Santo os proibira de pregar a Palavra de Deus na Ásia. 7Chegando perto da Mísia, eles tentaram entrar na Bitínia, mas o Espírito de Jesus os impediu. 8Então atravessaram a Mísia e desceram para Trôade. 9Durante a noite, Paulo teve uma visão: na sua frente, estava de pé um macedônio que lhe suplicava: “Vem à Macedônia e ajuda-nos!” 10Depois dessa visão, procuramos partir imediatamente para a Macedônia, pois estávamos convencidos de que Deus acabava de nos chamar para pregar-lhes o Evangelho.

Vamos cantar o Salmo 99(100)
Aclamai o Senhor, ó terra inteira

— Aclamai o Senhor, ó terra inteira.
— Aclamai o Senhor, ó terra inteira, servi ao Senhor com alegria, ide a ele cantando jubilosos!      

— Sabei que o Senhor, só ele, é Deus, Ele mesmo nos fez, e somos seus, nós somos seu povo e seu rebanho.      
— Sim, é bom o Senhor e nosso Deus, sua bondade perdura para sempre, seu amor é fiel eternamente!

Vamos fazer a leitura . . .
. . .

. . . .

Vamos proclamar o evangelho de Jesus Cristo segundo João 15,18-21
“Eu vos escolhi” / Não sois do mundo, porque eu vos escolhi e apartei do mundo

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 18“Se o mundo vos odeia, sabei que primeiro me odiou a mim. 19Se fôsseis do mundo, o mundo gostaria daquilo que lhe pertence. Mas, porque não sois do mundo, porque eu vos escolhi e apartei do mundo, o mundo por isso vos odeia. 20Lembrai-vos daquilo que eu vos disse: ‘O servo não é maior que seu senhor’. Se me perseguiram a mim, também perseguirão a vós. Se guardaram a minha palavra, também guardarão a vossa. 21Tudo isto eles farão contra vós por causa do meu nome, porque não conhecem aquele que me enviou”.

COMENTÁRIOS

Jesus Cristo nos disse: “Eu sou o CAMINHO…
Qual o CAMINHO que a Palavra diz para mim? Espelhando-me no Evangelho, sinto que, às vezes, me inquieto por andar de acordo com o mundo e me distancio da verdade e da liberdade que a Palavra de Deus me propõe. Vejo ainda que, na profundidade de meu ser, anseio por seguir as propostas libertadoras de Jesus, mas, às vezes, tenho medo das críticas por ser diferente. Peso que muitas pessoas sentem coo eu. Os bispos nos lembram a “causa” de Jesus: “As condições de vida de muitos abandonados, excluídos e ignorados em sua miséria e sua dor, contradizem este projeto do Pai e desafiam os cristãos a um maior compromisso a favor da cultura da vida. O Reino de vida que Cristo veio trazer é incompatível com essas situações desumanas. Se pretendemos fechar os olhos diante destas realidades, não somos defensores da vida do Reino e nos situamos no caminho da morte: “Nós sabemos que passamos da morte para a vida porque amamos os irmãos. Aquele que não ama, permanece na morte” (1 Jo 3,14). É necessário sublinhar “a inseparável relação entre o amor a Deus e o amor ao próximo”, que “convida a todos a suprimir as graves dificuldades sociais e as enormes diferenças no acesso aos bens”. Tanto a preocupação por desenvolver estruturas mais justas como por transmitir os valores sociais do Evangelho situam-se neste contexto de serviço fraterno à vida digna.” (DAp 358). (PAULINAS)

… a VERDADE…
Qual a VERDADE  que a Palavra me diz? Leio atentamente, na Bíblia, o texto: Jo 15,18-21. Observo as palavras de Jesus. Quanto mais o discípulo ou seguidor se deixa levar pela “causa”, pela dinâmica de Jesus Cristo Mestre, mais percebe a sua inadequação aos critérios e propostas do mundo. Se ele é fiel ao Mestre, passa a ser ridicularizado, rejeitado, ignorado e, até, perseguido pelo mundo. A “causa” de Jesus tem um preço especial. (PAULINAS)

… e a VIDA”.
Qual a VIDA que o texto me leva a dizer a Deus? Pai, faze-me forte para enfrentar o ódio e a perseguição do mundo, sem abrir mão de minha fidelidade a ti e a teu Reino, a exemplo de Jesus. (PAULINAS)

Qual deve ser a minha VIDA e MISSÃO hoje?
Qual o meu novo olhar a partir da Palavra? Sinto-me discípulo/a de Jesus. Meu novo olhar é iluminado pela “causa” de Cristo que assumi. Recordo as palavras de Bento XVI no início de seu Pontificado, fazendo eco a João Paulo II, e quero assim viver: “Não temam! Abram, abram de par em par as portas a Cristo!… quem deixa Cristo entrar a não perde nada, nada – absolutamente nada – do que faz a vida livre, bela e grande. Não! Só com esta amizade abrem-se as portas da vida”.(DAp 15). Assim quero viver hoje e sempre. (PAULINAS)

REFLEXÕES

AMOR LIBERTADOR  
Ser ou não ser do mundo. O mundo, onde vida e morte se confrontam, é o lugar da manifestação de Jesus. O evangelho de João dá acentuado relevo à revelação pelos fortes contrastes empregados. No Prólogo vemos a contraposição: “a luz brilha nas trevas e as trevas não a apreenderam”. Agora, ao amor contrapõe-se o ódio. Em seguida ao “amai-vos uns aos outros como eu vos amei”, Jesus refere-se ao ódio do mundo. O mundo está sob o domínio do “seu príncipe” (Jo 16,11). O “príncipe” do mundo é a expressão das estruturas injustas, montadas e mantidas pelos poderosos, que acumulam riquezas à custas da exploração dos pequeninos, humilhados, oprimidos e excluídos. Ser do mundo é inserir-se nestas estruturas que garantem os privilégios e as riquezas de uma minoria e o relativo bem estar dos que a ela se submetem. Estes julgam estar salvando suas vidas. Não ser do mundo é libertar-se deste sistema opressor e desumano que gera miséria e morte. É perder sua vida, para encontrá-la na adesão ao projeto de Jesus. As comunidades de discípulos de Jesus, presentes no mundo, testemunham o amor libertador e, esclarecidas pelo próprio Jesus, são conscientizadas sobre as adversidades a serem enfrentadas. (PAULINAS)

SEM MEDO DE SER ODIADO         
O Mestre Jesus procurou consolar e encorajar os seus discípulos diante da perspectiva do ódio e da perseguição. Sem criar neles o complexo de vítima, levou-os a encarar o futuro, com realismo: assim como o seu testemunho despertou a fúria de seus adversários, o mesmo aconteceria com os seus enviados.      

Que tipo de personalidade pressupõe-se que o discípulo deva ter, se considerarmos as palavras de Jesus?           
Antes de tudo, o discípulo deve ser alguém inabalavelmente comprometido com o Mestre, colocando-o como centro de sua vida, e com o Reino. Supõe-se que deva possuir uma personalidade destemida, se não audaciosa, alheia às influências negativas e pessimistas, perspicaz para detectar e denunciar as artimanhas do maligno, precavendo-se delas, predisposta a testemunhar a sua fé até o martírio, se for o caso.  
Sem isto, o discípulo não terá a mínima condição de defrontar-se com o mundo, e sair vitorioso. Sua vida será sempre uma batalha, pois foi arrancado do mundo. Por isso, o mundo não o perdoa. Sua missão consistirá em desmontar as estruturas contrárias ao projeto de Deus, saneando-as com o amor e a justiça. Seu destino será como Jesus: levar adiante esta luta sem tréguas, da qual deverá sair vencedor.     
Basta ao discípulo contemplar a vida do Mestre, e, por ela, pautar a sua. (DOM TOTAL)

O CRISTÃO DEVE MANTER-SE FIRME NAS PERSEGUIÇÕES
O Evangelho de São João realça a importância fundamental da união a Cristo, a fim da missão ser fecunda.
O segredo da coragem e eficácia na missão do apóstolo está em sua confiança inabalável no Espírito Santo que o anima e capacita. O evangelizador não pode ignorar que terá de enfrentar muitas dificuldades e oposições.
São Paulo fala-nos dos muitos sofrimentos que teve de passar para anunciar o Evangelho: “Trazemos, porém, este tesouro em vasos de barro, a fim de que se veja que o nosso poder extraordinário é de Deus e não nosso. Em tudo somos atribulados, mas não esmagados. Somos confundidos, mas não desesperados. Somos perseguidos, mas não abandonados. Somos abatidos, mas não aniquilados” (2 Cor 4, 8-9; cf. 11, 22-29).
O discípulo de Cristo sabe que, ao realizar a sua missão, encontra a resistência do mundo. O evangelizador sabe que, – apesar de estar no mundo – ele não é do mundo, pois os seus critérios não são os do mundo, mas sim os do Evangelho.
“Se o mundo vos odeia, reparai que, antes que a vós, me odiou a mim. Se viésseis do mundo, o mundo amaria o que é seu. Mas, vós não vindes do mundo, pois fui eu que vos escolhi do meio do mundo…” Como vemos, Jesus, ao mesmo tempo em que prepara os discípulos para enfrentarem perseguições, dá-lhes a garantia de que sua missão será eficaz.
As perseguições dos discípulos são as confirmações de que fazem parte dos discípulos de Jesus: “Felizes sereis quando vos insultarem e perseguirem e, mentindo, disserem todo o gênero de calúnias contra vós, por minha causa”.
O cristão deve manter-se firme, tendo os rins cingidos com a verdade e a couraça da justiça vestida.
É interessante ver como Paulo faz do apóstolo um guerreiro. Sua espada é a Palavra de Deus, a qual é eficaz e penetrante, pois chega ao mais fundo do espírito humano. A Palavra de Deus e o Espírito Santo são as forças que nos capacitam para desfazer as distorções dos corações retorcidos pelas mentiras do mundo velho que ainda não foi recriado por Jesus Cristo.
Não podemos esquecer que a oração é uma fonte fundamental para nos sintonizarmos com a Palavra, que é a espada do Espírito Santo. (HOMILIA DIÁRIA)

ESCOLHIDOS DO MEIO DO MUNDO
O evangelho refere-se ao “mundo” como se fosse uma pessoa. Neste sentido, pode-se falar em ódio e perseguição, bem como amor por parte do mundo. Ou então, que os discípulos foram escolhidos do meio do mundo. Pode ainda referir-se à possibilidade de o mundo guardar a palavras de Jesus e as dos discípulos.
O vocábulo “mundo”, neste caso, engloba o conjunto das pessoas incrédulas que foram incapazes de reconhecer Jesus como Filho de Deus, enviado pelo Pai com a missão de salvar a humanidade. Mas estas pessoas odiaram-no ferozmente, a ponto de decidirem eliminá-lo sem piedade. Optaram pelas trevas e rejeitaram a luz oferecida por Deus, persistindo no pecado, mesmo diante da abundância das graças divinas.
Os discípulos foram arrancados deste mundo. Por causa do nome de Jesus, caminham na contramão do mundo. Esse confronto resulta sempre em ódio e perseguição. O destino do servo não difere daquele do seu Senhor. É por isso que os discípulos deverão contar com toda sorte de adversidade, sem excluir a possibilidade de morrer, como aconteceu com seu Mestre.
A palavra “mundo”, na linguagem figurada, tem referenciais bem concretos. No tempo de Jesus, podia significar certas alas do farisaísmo e outros grupos de judeus. Contudo, em cada época e em cada circunstância, é preciso reconhecer com que roupagem o “mundo” se apresenta. (MUNDO CATÓLICO)

EU ESCOLHI VOCÊ
Todas as pessoas vivem segundo uma hierarquia de valores que norteiam a sua existência. Esta hierarquia de valores é determinada pelas experiências da vida, pela educação recebida, pela cultura em geral e pelos conhecimentos adquiridos. Quando uma pessoa é de fato alguém de fé, a fé passa a ser o elemento fundamental da sua hierarquia de valores, toda a sua vida é direcionada para ela e todos os esforços são no sentido de defender e assumir esses valores. Mas quem vive segundo a hierarquia de valores proposta pelo mundo, defende com todas as suas forças os valores do mundo e combate os valores da fé, odiando quem é de Jesus. (A PALAVRA DE DEUS NA VIDA)

O SERVO NÃO É MAIS QUE O SEU SENHOR
O que Cristo fez e ensinou foi a vontade de Deus: a humildade na conduta, a firmeza na fé, a contenção nas palavras, a justiça nas ações, a misericórdia nas obras, a retidão nos costumes; ser incapaz de fazer o mal, mas poder tolerá-lo quando se é vítima dele; manter a paz com os irmãos; querer ao Senhor de todo o coração; amar n’Ele o Pai e temer a Deus; não pôr nada à frente de Cristo, pois Ele próprio nada pôs à nossa frente; ligarmo-nos inabalavelmente ao Seu amor; agarrar com força e confiança a Sua cruz; quando for preciso, lutar pelo Seu nome e pela Sua honra, mostrar constância na nossa profissão de fé; sob tortura, mostrar essa confiança que sustenta o nosso combate e, na morte, essa perseverança que nos faz alcançar a coroa. Querer ser herdeiro com Cristo, é nisso que consiste obedecer aos preceitos de Deus. É nisso que consiste cumprir a vontade do Pai. (EVANGELHO QUOTIDIANO)

NÃO SOIS DO MUNDO, PORQUE EU VOS ESCOLHI E APARTEI DO MUNDO        
Neste Evangelho, Jesus nos previne que todos nós, seus discípulos, seremos perseguidos. E, para nos dar calma no meio da perseguição, ele faz a comparação do servo. Se perseguiram até o senhor do servo, que é ele, quanto mais o próprio servo, que somos nós!      

“Se fôsseis do mundo, o mundo gostaria daquilo que lhe pertence.” Através dessa atitude do mundo contra nós, ficamos sabendo que não pertencemos ao mundo pecador, mas a Cristo. Portanto, ser odiado e perseguido é até uma honra para nós, pois nos assemelhamos a Jesus.         
Deus está conosco sempre, e especialmente nos momentos de perseguição e ódio das pessoas a nós. Por isso, “não perdereis um só fio de cabelo”.        
“Se guardaram a minha palavra, também guardarão a vossa”. Se uma parte das pessoas nos odeia, isso tem outra vantagem: mostra que outra parte das pessoas vai ouvir a nossa palavra. É como uma medalha: a perseguição de um lado indica que há acolhimento da palavra, do outro lado.    
“Tudo isso eles farão contra vós…, porque não conhecem aquele que me enviou.” Quando formos perseguidos, é sinal de que estamos no caminho certo e falando para pessoas certas, isto é, para pessoas que não conhecem a Deus. Que o nosso testemunho, o nosso comportamento pacífico nos ataques, seja para essas pessoas um convite à conversão.    
Muitos se enganam pensando que a religião de Jesus é um meio de se livrar da perseguição e do sofrimento. Esses acabam abandonando a religião que Jesus fundou, e entrando numa seita, criada para trazer a felicidade aqui na terra.   
Havia, certa vez, um peixe que nadava sossegado no fundo de um rio. Qual não foi a sua surpresa quando uma minhoca muito atraente apareceu diante dele. Mais que depressa abocanhou a minhoca. Foi um pulo só e a minhoca estava engolida. “Ui! O que é isso?” – gritou o peixe – “Como que pode, uma minhoca tão gostosa vir acompanhada de um anzol!”
O mundo pecador é mau e pode nos enganar! Peixe morre pela boca, e nós também podemos cair em armadilhas, prejudicando a nós e ao Reino de Deus. “Vede, eu vos envio como ovelhas para o meio de lobos. Sede, portanto, prudentes como as serpentes e simples como as pombas” (Mt 10,16). 
Maria Santíssima sofreu duras perseguições. Que ela nos ajude a seguir o seu Filho, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, na perseguição e nos aplausos, na vida e na morte.      
Não sois do mundo, porque eu vos escolhi e apartei do mundo. (LITURGIA DIÁRIA COMENTADA)

TUDO ISSO POR CAUSA DO MEU NOME, PORQUE NÃO CONHECEM AQUELE QUE ME ENVIOU     
Hoje, o Evangelho contrapõe o mundo com os seguidores de Cristo. O mundo representa todo aquele pecado que encontramos em nossa vida. Uma das características do seguidor de Jesus é, pois, a luta contra o mal e o pecado que está no interior de cada homem e no mundo. Por isso, Jesus ressuscitado é luz, luz que ilumina a escuridão do mundo. Karol Wojtyla nos exortava a «que esta luz nos faça fortes e capazes de aceitar e amar a completa Verdade de Cristo, de amá-la mais quanto mais a contradiz o mundo».      

Nem o cristão, nem a Igreja podem seguir as modas ou os critérios do mundo. O critério único, definitivo e iniludível é Cristo. Não é Jesus quem se deve de adaptar ao mundo em que vivemos; somos nós quem devemos transformar nossas vidas em Jesus. «Cristo é o mesmo ontem, hoje e sempre». Isso nos faz pensar. Quando nossa sociedade secularizada pede certas mudanças ou licenças aos cristãos e à Igreja, simplesmente nos está pedindo que nos afastemos de Deus. O Cristão deve manter-se fiel a Cristo e à sua mensagem. Diz São Irineu: «Deus não tem necessidade de nada; mas o homem tem necessidade de estar em comunhão com Deus. E a gloria do homem está em perseverar e manter-se no serviço de Deus».   
Esta fidelidade pode trazer muitas vezes a persecução: «Se me perseguiram, perseguirão a vós também» (Jo 15,20). Não devemos ter medo da persecução; devemos temer não buscar com suficiente desejo cumprir a vontade do Senhor. Sejamos valentes proclamemos sem medo a Cristo ressuscitado, luz e alegria dos cristãos! Deixemos que o Espírito Santo nos transforme para sermos capazes de comunicar isto ao mundo!. (EVANGELI)

. . .
. . . . (ABC DA CATEQUESE)

. . .
. . . . (CATEQUISTA)

ORAÇÕES DO DIA

1ª ORAÇÃO DO DIA: COLETA         
Deus eterno e todo-poderoso, vós nos fizestes participar de vossa própria vida pelo novo nascimento do batismo; conduzi à plenitude da glória aqueles a quem concedestes, pela justificação, o dom da imortalidade. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

2ª ORAÇÃO DO DIA: PRECE DA ASSEMBLEIA          
— Senhor, ouvi nossa oração!         
— Para que a Igreja progrida sempre no anúncio da palavra de Deus, rezemos.
— Para que as dificuldades no exercício da evangelização sejam superadas, rezemos. 
— Para que saibamos ser no mundo sinais autênticos de Cristo, rezemos.        
— Para que as ações em favor de uma sociedade fraterna superem todo ódio, rezemos.         
— Para que os jovens sejam educados com base em valores humanos e cristãos, rezemos.

3ª ORAÇÃO DO DIA: SOBRE AS OFERENDAS
Acolhei, ó Deus, com bondade, as oferendas da vossa família e concedei-nos, com o auxílio da vossa proteção, sem perder o que nos destes, alcançar os bens eternos. Por Cristo, nosso Senhor.

4ª ORAÇÃO DO DIA: DEPOIS DA COMUNHÃO
Guardai, ó Deus, no vosso constante amor aqueles que salvastes, para que, redimidos pela paixão do vosso filho, nos alegremos por sua ressurreição. Por Cristo, nosso Senhor.

Anúncios
Esse post foi publicado em Religião. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s