LDP: 05/SET/12

LEITURA DIÁRIA DA PALAVRA

05/SET/2012 (quarta-feira)

LEITURAS

Leitura da primeira carta de são Paulo aos Coríntios 3,1-9 (Livro do novo ou 2º testamento / Livros Didáticos)

1 Irmãos, não pude falar-vos como a pessoas espirituais. Tive de vos falar como a pessoas carnais, como a crianças na vida em Cristo. 2 Pude oferecer-vos somente leite, não alimento sólido, pois ainda não éreis capazes de tomá-lo. E nem atualmente sois capazes de receber alimento sólido, 3 visto que ainda sois carnais. As rivalidades e rixas que existem aí, no meio de vós, acaso não mostram que sois carnais e que procedeis de acordo com os impulsos naturais? 4 Quando um declara: “Eu sou de Paulo”, e outro: “Eu sou de Apolo”, não estais procedendo como pessoas simplesmente naturais? 5 Pois, que é Apolo? O que é Paulo? Não passam de servidores, pelos quais chegastes à fé. E cada um deles exerce seu serviço segundo o dom recebido de Deus. 6 Eu plantei, Apolo regou, mas Deus é que fazia crescer. 7 De modo que nem o que planta, nem o que rega são, propriamente, importantes. Quem é importante é aquele que faz crescer: Deus. 8 Aquele que planta e aquele que rega formam uma unidade, mas cada um receberá o seu próprio salário, proporcional ao seu trabalho. 9 Com efeito, nós somos cooperadores de Deus, e vós sois lavoura de Deus, construção de Deus.

Proclamação do Salmo 32(33),12-13.14-15.20-21 (R. 12b) (Livro do velho ou 1º testamento / Livros Poéticos e de Sabedoria ou Sapienciais)

— 12b Feliz o povo que o Senhor escolheu por sua herança!
— 12 Feliz o povo cujo Deus é o Senhor, e a nação que escolheu por sua herança! 13 Dos altos céus o Senhor olha e observa; ele se inclina para olhar todos os homens.
— 14 Ele contempla do lugar onde reside e vê a todos os que habitam sobre a terra. 15 Ele formou o coração de cada um e por todos os seus atos se interessa.
— 20 No Senhor nós esperamos confiantes, porque ele é nosso auxílio e proteção! 21 Por isso o nosso coração se alegra nele, seu santo nome é nossa única esperança.

Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas 4,38-44 (Livro do novo ou 2º Testamento / Livros Históricos)

Naquele tempo, 38 Jesus saiu da sinagoga e entrou na casa de Simão. A sogra de Simão estava sofrendo com febre alta, e pediram a Jesus em favor dela. 39 Inclinando-se sobre ela, Jesus ameaçou a febre, e a febre a deixou. Imediatamente, ela se levantou e começou a servi-los. 40 Ao pôr do sol, todos os que tinham doentes atingidos por diversos males, os levaram a Jesus. Jesus punha as mãos em cada um deles e os curava. 41 De muitas pessoas também saíam demônios, gritando: “Tu és o Filho de Deus”. Jesus os ameaçava, e não os deixava falar, porque sabiam que ele era o Messias. 42 Ao raiar do dia, Jesus saiu e foi para um lugar deserto. As multidões o procuravam e, indo até ele, tentavam impedi-lo de as deixar. 43 Mas Jesus disse: “Eu devo anunciar a Boa Nova do Reino de Deus também a outras cidades, porque para isso é que eu fui enviado”. 44 E pregava nas sinagogas da Judeia.

… Eu sou o CAMINHO …

O que o texto diz para mim, hoje? Qual palavra mais me toca o coração? O que o texto me diz no momento? Minha vida reflete o que o texto diz ou há contradições? Meus esforços para viver bem, estar bem, são orientados pelo encontro com Cristo vivo? Ou, considero-me capaz e suficiente para enfrentar os desafios, dispensando a ação de Deus na minha vida? Recordo o que dizem os bispos para a Igreja na América Latina: “A Igreja é chamada a repensar profundamente e a relançar com fidelidade e audácia sua missão nas novas circunstâncias latino-americanas e mundiais. Ela não pode fechar-se àqueles que trazem confusão, perigos e ameaças ou àqueles que pretendem cobrir a variedade e complexidade das situações com uma capa de ideologias gastas ou de agressões irresponsáveis. Trata-se de confirmar, renovar e revitalizar a novidade do Evangelho arraigada em nossa história, a partir de um encontro pessoal e comunitário com Jesus Cristo, que desperte discípulos e missionários. Isso não depende de grandes programas e estruturas, mas de homens e mulheres novos que encarnem essa tradição e novidade, como discípulos de Jesus Cristo e missionários de seu reino, protagonistas de uma vida nova para uma América Latina que deseja se reconhecer com a luz e a força do Espírito.” (DAp 11).

… a VERDADE …

O que diz o texto do dia? Leio atentamente, na Bíblia, o texto: Lc 4,38-44, e observo pessoas, palavras, relações, lugares. Bonito o encontro de Jesus com a sogra de Pedro que estava com febre alta. Observe a atitude: “ele parou ao lado da cama dela e deu uma ordem à febre. A febre saiu da mulher no mesmo instante”. Interessante é que Jesus não fala com a sogra, mas fala com autoridade à febre. A mulher imediatamente fica curada, e tão bem, que se põe a servir os hóspedes. Os doentes e a multidão procuravam encontrar Jesus e Ele anunciava a boa notícia do Reino a todos e por toda parte. O próprio Jesus diz noutra passagem: “Peçam e vocês acharão. Procurem e vocês acharão. Batam, e a porta será aberta para vocês” (Mt 7,7). Falando da Igreja neste momento histórico de grandes desafios, os bispos em Aparecida, disseram: “Os esforços pastorais orientados para o encontro com Jesus Cristo vivo deram e continuam dando frutos” (DAp 99).

… e a VIDA …

Pai, que a presença de Jesus em minha vida seja motivo de libertação, de modo que eu possa servir com alegria o meu próximo, especialmente, os mais necessitados.

Qual deve ser a MISSÃO em minha VIDA hoje?

Vou olhar o mundo e a vida com os olhos de Deus. Vou eliminar do meu modo de pensar e agir aquilo que não vem de Deus, que não é conforme o Projeto de Jesus Mestre. Farei atos de fé, na certeza de que o Senhor pode me libertar de meus males, mesmo aqueles que tenho dificuldade para vencer.

REFLEXÕES:

1 – O SERVIÇO À VIDA

Lucas segue a mesma sequência de Marcos, articulando a saída de Jesus da sinagoga com a entrada na casa de Simão (Pedro), indicando a nova prática de Jesus. Era um dia de sábado (Lc 4,31; Mc 1,21). A sogra de Simão sofrendo com febre é a expressão do abatimento sob a carga das restrições legais da sinagoga. Ela, libertada por Jesus da febre que a prostrava, põe-se a servir (diakoneô). É o mesmo verbo que indica os muitos serviços de Marta em Lc 10,40 (cf. 10 out.). Libertada da opressão da lei, ela serve, exercendo trabalhos e infringindo o sábado. O serviço à vida, característico da novidade de Jesus, abole o legalismo que mata. A seguir, Jesus curava doentes e expulsava demônios. Doenças e maus espíritos eram resultados das precárias condições de vida das multidões excluídas. Jesus, acolhendo, valorizando e promovendo as pessoas, libertava-as de seus males.

2 – A NOVIDADE DO REINO

Por que as pessoas procuram a religião? A maioria das pessoas que procuram a religião o faz por motivos egoístas, procuram a Deus para fazer dele seu servidor, querem proteção, saúde, sucesso econômico, profissional, social ou afetivo, ou fogem do medo do desconhecido, do sobrenatural ou da própria morte. Devemos procurar na religião um relacionamento pessoal e amoroso com o próprio Deus, para que possamos servi-lo amando os nossos irmãos e irmãs. Para isso, precisamos conhecer o Evangelho, no qual Jesus anuncia a boa nova do Reino de Deus. A partir do conhecimento do Evangelho, vamos nos sentir apelados por Deus para a vivência concreta do amor e, a partir de uma resposta positiva a esse apelo, teremos um relacionamento maduro e amoroso com Deus.

3 – IMPONDO A MÃO SOBRE CADA UM

No trato com as pessoas doentes, Jesus se comportava como um médico delicado. Deparando-se com a sogra de Simão Pedro, vitimada por uma febre muito forte, inclinou-se sobre ela e deu ordem para que a febre desaparecesse. Mostrou igual bondade quando lhe trouxeram pessoas acometidas de várias doenças. Com muita mansidão e paciência, aproximava-se de cada uma, impunha-lhe a mão na cabeça e a curava. A imposição das mãos revelava não só o cuidado de Jesus pelos enfermos, mas também sua solidariedade com eles. A comunhão com o Filho de Deus desmascarava a submissão as forças demoníacas que os mantinha escravos. Enquanto a presença solidária de Jesus era portadora de vida e saúde, a presença das forças malignas causava sofrimento e morte. Daí a necessidade de libertar as pessoas desta situação humilhante. Na cultura da época, as doenças revelavam o poder do demônio sobre o ser humano. De qualquer forma, eram consideradas como consequência do pecado. A cura física e espiritual transformava-se, pois, numa evidente manifestação de que o Reino de Deus havia chegado pela presença e pelo ministério de Jesus, irrompendo na história humana. Assim, a atitude misericordiosa de Jesus em relação aos doentes expressava a solidariedade de Deus com toda a humanidade, com o desejo de salvá-la.

4 – JESUS FAZ DO AMBIENTE FAMILIAR UM LUGAR DE SAÚDE E VIDA

Jesus decide abandonar a sinagoga; a razão não é dita, mas, pelo que se pode entender, Ele quer transformar e fazer do ambiente familiar – simbolizado pela casa da sogra de Simão -, um lugar de oração, de cura e libertação, de paz e justiça, de amor e partilha, de alegria e sucesso, de misericórdia e perdão. Jesus faz do ambiente familiar um lugar de saúde e vida. Portanto, a casa, o lar, a família são lugares privilegiados para construirmos as nossas sociedades. Assim, numa sociedade como a nossa, na qual o conceito de família anda tão deturpado, Cristo chama o casal cristão a ser estrutura sustentadora de uma família capaz de encontrar relações novas, não ditadas pela carne e o sangue, mas pela vida nova que Cristo confere pelo batismo. Isto reduz o egoísmo e faz com que cresça a caridade, dom do Espírito Santo, e se realize a “Igreja doméstica”. Jesus toma conhecimento da doença que afeta os casais e vai para ao lado da cama deles, dando uma ordem à febre. Este gesto apela, primeiro, ao zelo apostólico do Senhor. Por outro lado, chama-nos a visitar, entrar e abeirar-nos dos leitos de muitos homens e mulheres que estão doentes e deitados, sem forças para levantar a cabeça, o corpo e servir os seus como deveriam fazer, a exemplo da sogra de Pedro. Veja que, na casa, a mulher, personificada na sogra de Simão, é valorizada na sua prática do serviço, que é a característica fundamental do Reino. Um outro pormenor a considerar é que a cena narrada se passa num sábado, dia do culto na sinagoga. Neste dia, todo trabalho cessava e só era permitido caminhar até uma curta distância. Ao pôr-do-sol, termina o dia do sábado e começa o primeiro dia da semana. É a introdução do domingo, o dia por excelência para nós cristãos. O povo, liberado das restrições legais do sábado – que ao invés de salvar, condenava; de dar vida, matava -, corre a Jesus, quem os cura, liberta e salva. Ele, na Sua prática, vai revelando que os males da humanidade resultam, principalmente, da falta de carinho, amor, ternura, paz, justiça, reconciliação, diálogo, atenção e falta de Deus na comunidade-família que deveria ser construtora de vidas novas. Neste trabalho, é preciso que a comunidade e os evangelizadores saibam que estão a serviço de Deus e não em busca de privilégios ou de poder. É preciso que ela tenha as portas abertas para todos. O meu e o seu serviço é o de levar todos os enfermos, quer os da família de sangue quer não: “todos os que tinham amigos enfermos, com várias doenças, os levaram a Jesus. Ele pôs as suas mãos sobre cada um deles e os curou”. A você me dirijo recordando que, como apóstolo, você é enviado e ordenado para anunciar a Palavra. De modo que, trazendo todos os enfermos – quer corporais quer espirituais – possam ser curados e entendam Deus na Pessoa do Seu Filho, Jesus Cristo. Ele que acolhe, liberta, perdoa e anuncia a verdade do Reino: a Vida Eterna. Esta missão do Filho de Deus nos compromete e interpela a que – acolhendo maus e bons – possamos ser a mão, a braço, a boca, o coração e a mente de Cristo, convertendo-nos em discípulos e missionários do Mestre para que o mundo conheça a Verdade e, conhecendo a Verdade, possa salvar-se. Peçamos hoje a Deus um novo ardor missionário.

5 – ORA A SOGRA DE SIMÃO ESTAVA COM MUITA FEBRE

Se Deus Todo-Poderoso, criador do mundo ordenado e bom, cuida de todas as Suas criaturas, por que existe o mal? Não existe nenhuma resposta rápida para esta pergunta tão urgente quanto inevitável, tão dolorosa quanto misteriosa. É o conjunto da fé cristã que constitui a resposta a esta pergunta: a bondade da criação, o drama do pecado, o amor paciente de Deus que vem ao encontro do homem pelas Suas alianças, pela Encarnação redentora do Seu Filho, pela dádiva do Espírito, pela reunião da Igreja, pela força dos sacramentos, pelo apelo a uma vida bem-aventurada à qual as criaturas livres são antecipadamente convidadas a consentir, mas à qual também antecipadamente podem escusar-se. Não há uma linha da mensagem cristã que não seja em parte uma resposta à questão do mal. Porque não terá Deus criado um mundo tão perfeito que nenhum mal aí conseguisse existir? Segundo o Seu poder infinito, Deus poderia sempre criar qualquer coisa melhor (São Tomás de Aquino). Porém, na Sua sabedoria e bondade infinitas, Deus quis livremente criar um mundo «a caminho» da sua perfeição. No desígnio de Deus, este devir comporta o aparecimento de certos seres e o desaparecimento de outros, com o mais perfeito mas também o menos perfeito, com as construções da natureza mas também as destruições. Com o bem físico existe também o mal físico enquanto a criação não atingir a sua perfeição.

6 – ELE IMPUNHA AS MÃOS SOBRE CADA UM DELES E OS CURAVA. DE MUITAS PESSOAS SAÍAM DEMÔNIOS, GRITANDO

Hoje, nos encontramos ante um claro contraste: as pessoas que procuram Jesus e Ele que cura toda “doença” (começando pela sogra de Simão Pedro); à vez, «de muitas pessoas saíam demônios, gritando» (Lc 4,41). Quer dizer: bem e paz, por um lado; mal e desespero, pelo outro. Não é a primeira ocasião que aparece o demônio “saindo”, isto é, fugindo da presença de Deus entre gritos e exclamações. Lembremos também o endemoninhado de Gerasa (cf. Lc 8,26-39). Surpreende que o próprio demônio “reconheça” a Jesus e que, como no caso daquele de Gerasa, é ele mesmo quem sai ao encontro de Jesus (isso sim, muito raivoso e incomodado porque a presença de Deus incomodava a sua vergonhosa tranquilidade). Tantas vezes nós também pensamos que encontrar-nos com Jesus nos atrapalha! Atrapalha-nos ter que ir à Missa no domingo; perturba-nos pensar que faz muito que não dedicamos um tempo à oração; sentimos vergonha dos nossos erros, em lugar de ir ao Médico da nossa alma para pedir-lhe simplesmente perdão… Pensemos se não é o Senhor quem tem que vir a nos encontrar, pois nós mesmos nos fazemos rogar para deixar a nossa pequena “caverna” e sair ao encontro de quem é o Pastor das nossas vidas! Isto se chama, simplesmente, tibieza. Tem um diagnóstico para isto: atonia, falta de tensão na alma, angustia, curiosidade desordenada, hiperatividade, preguiça intelectual com as coisas da fé, pusilanimidade, vontade de estar só consigo mesmo… E existe também um antídoto: deixar de se olhar a sim mesmo e se por mãos à obra. Fazer o pequeno compromisso de dedicar um momento cada dia a olhar e escutar a Jesus (o que se entende por oração): Jesus o fazia, pois «de manhã, bem cedo, Jesus saiu e foi para um lugar deserto» (Lc 4,42). Fazer o pequeno compromisso de vencer o egoísmo numa pequena coisa cada dia pelo bem dos outros (isto se chama amar). Fazer o pequeno-grande compromisso de viver cada dia em coerência com nossa vida Cristã.

7 – JESUS ESTAVA A SERVIÇO

Jesus insiste em afirmar que a comunidade deve estar sempre a serviço. Não deve parar de trabalhar enquanto alguém estiver precisando de uma força. Quanto mais a comunidade trabalha em prol do crescimento mútuo, mais solidifica e ser preparar os desafios. A sogra de Simão Pedro estava doente. Muita febre. Nada que fazia dava certo para a febre desaparecer. Mas Jesus ameaçou a febre da mulher e a mesma desapareceu. De repente uma multidão aglomerou perto de Jesus e também pediu a cura. Ele fez muitas curas na intenção de libertar as pessoas do mal. O evangelista escreveu que muitos demônios apossados nas pessoas boas gritavam: “Tu és o Filho de Deus”. Ou seja, conhecia bem Jesus e não tinha coragem em desafiá-lo. Porém com a força poderosa do Mestre os demônios desapareciam. No final do Santo Evangelho, Jesus parte da cidade e vai pregar nas sinagogas mesmo com o clamor do povo em pedir socorro. Jesus vai continuar sua missão de anunciar a boa nova do reino de Deus para o mundo. Aqui está a palavra chave: serviço. Todo cristão ao ser batizado torna-se um missionário preparado para anunciar o reino de Deus. O missionário não se pode fechar num grupinho acreditando que já cumpriu sua missão. O serviço não tem fronteira. O atendimento à comunidade não pode ser para vida toda, pois muitas outras comunidades precisam do serviço libertador. Veja bem, Jesus curou muitos enfermos, mas não tinha o tempo todo para ficar somente curando naquela comunidade. Ele partiu bem cedinho para outro lugar, pois lá muita gente o esperava para a libertação. Assim deve ser o homem cristão de hoje. Deve anunciar o reino de Deus para todas as pessoas que necessitam. São muitas comunidades ainda que não conhecem a palavra de Deus. Ainda existe gente que não abriu o coração para Deus e não conhece a beleza do reino. Estas pessoas ainda carregam o espírito do mal em seu ser. Suas obras do cotidiano são extremamentes nefastas, não reconhecem o bem comum, a solidariedade, a ajuda, ou seja, falta o diálogo verdadeiro que enriquece a vida do homem. Para que a comunidade viva bem em harmonia é preciso fazer com que o demônio saia o mais rápido possível. Contudo, o mal pode reinar a discórdia, a avareza e a cobiça. A vida em comunidade não pode haver ambição. O que pode haver numa comunidade é a justiça fraternal serenamente. Portanto, o serviço voltado para expurgar o mal deve ser feito a partir da comunidade para o mundo, sem medo de embrenhar-se no desejo do demônio. Não esquece que o mais importante é estar a serviço do reino, pois Jesus ensinou como trabalhar nesta messe. Amém!

8 – FELIZ A NAÇÃO QUE TEM O SENHOR POR DEUS

Toda enfermidade é uma desordem presente no organismo, os sintomas de uma doença significa que algo está errado com o nosso corpo. A Febre, que alguns confundem com enfermidade, é na verdade um eficiente sinalizador, a temperatura sobe e o organismo parece gritar “Tem algo errado aqui, é melhor verificar”. O Deus que se revela em Jesus é aquele que tem poder sobre o caos, as forças da natureza, e também sobre a existência humana, a missão de Jesus não é o de tomar o lugar da Medicina, mas ele é o Médico da Alma, curou muitos enfermos no seu tempo, justamente para manifestar isso. Acontece que as pessoas o viam assim, como alguém que curava as enfermidades e por isso o seguiam. Nesse evangelho, depois de curar a sogra de Simão Pedro, e de estender as mãos sobre mais enfermos que lhe foram apresentados, curando a todos, bem cedinho Jesus retirou-se para um lugar afastado. As pessoas foram até lá e queriam detê-lo de partir, desejosas que permanecessem com elas. Então Jesus mostra-lhes que a sua missão é evangelizar, ele não é um Milagreiro que quer acomodar-se em uma “Tenda dos Milagres” para que as multidões o procurem, ao contrário, é um missionário peregrino que percorre todas as cidades da Galileia, para anunciar a Palavra que liberta, cura e revivifica. Temos uma tentação muito grande de ficarmos na comunidade, quem sabe fazendo algum trabalho pastoral que atraia as pessoas para a igreja, Jesus lembra-nos que a Igreja é antes de tudo missionária, para sair de si mesma e ir ao encontro das pessoas lá onde elas moram, estudam ou trabalham…

9 – A BOA NOVA DO REINO QUE JESUS ANUNCIOU AQUI NA TERRA E DEVEMOS TRANSMITIR A TODOS É: “JESUS, O FILHO DE DEUS, ESTÁ MUITO PERTO DE NÓS”

Embora já tivesse idade bem avançada a sogra de Pedro foi curada da sua enfermidade e, na mesma hora se pôs à disposição para servir a Jesus e aos seus discípulos. Isso prova de que a qualquer momento e em qualquer circunstância da nossa vida Jesus tem poder para nos curar e nos tirar da impotência. A cura que Jesus quer fazer em nós, nos desinstala e nos tira da acomodação. Se tivéssemos consciência de que Ele é o Enviado do Pai para nos dar vida plena, nunca duvidaríamos da Sua capacidade para nos tirar das diversas situações que nos paralisam, mesmo que estejamos à beira da morte. As doenças e os males que nos atingem, na maioria das vezes, provêm da nossa alma necessitada do toque de Jesus, da ação e orientação da sua Palavra. Por isso, as multidões O procuravam e não queriam largá-Lo. Jesus se enchia de compaixão por aquele povo necessitado, no entanto, Ele não parava no mesmo lugar, pois, sabia que a cada passo encontraria alguém necessitado de cura e salvação. Hoje também, Jesus continua nos curando e nos libertando, mas deseja que tenhamos atitudes de pessoas livres, que não ambicionem possuir tudo para si, mas se proponham a ajudar seus irmãos e irmãs a viverem a vida nova em Cristo. Somos curados, para amar e servir a Deus aqui na terra em favor de todos que são necessitados de libertação. A Boa Nova do Reino que Jesus anunciou aqui na terra é a Boa Notícia que nós devemos transmitir a todos: “Jesus, o filho de Deus, está muito perto de nós. Mora no nosso coração e nos quer curar de todos os males, hoje, como antes”. Reflita – Você já teve alguma experiência de cura ou de libertação pelo toque o Amor de Deus? – Você tem saído do seu lugar em busca de alguém que precisa sentir também esse Amor? – Existe alguém que você conhece e está muito doente? Você achaque Jesus também pode curá-lo? Amém!

10 – EU DEVO ANUNCIAR A BOA-NOVA DO REINO DE DEUS TAMBÉM A OUTRAS CIDADES, PORQUE PARA ISSO É QUE EU FUI ENVIADO

Eu devo anunciar a Boa-nova do Reino de Deus também a outras cidades, porque para isso é que eu fui enviado. Jesus rompe as limitações impostas por sua cultura, sua família e até mesmo por seus seguidores. Depois do êxito alcançado pelo ensinamento e, sobretudo, pela purificação da pessoa impura na sinagoga de Cafarnaum, a atividade de Jesus se multiplica e começa a atender a todos os enfermos da cidade. No meio da atividade, Jesus tem tempo para a oração e nela descobre que sua missão deve ser ampliada a toda a comarca da Galileia. A missão de Jesus conservará essa dinâmica e alcançará as fronteiras do país e, pelas mãos dos discípulos, chegará até o centro do Império Romano. As comunidades cristãs enfrentam hoje desafios semelhantes. Com frequência os cristãos se sentem tentados a se reduzirem às atividades devocionais e religiosas, porém, como Jesus, sentem o desafio de ampliar o horizonte da missão. Não somente pelo ponto de vista geográfico, mas fundamentalmente pelo tipo de atividades podem abarcar legitimamente muitos campos nos quais é necessário defender a vida. Por isso, vemos hoje comunidades cristãs que lideram a defesa da integridade da criação e a promoção dos direitos humanos. O risco hoje é impor limites arbitrários à missão que Jesus nos encomendou.

11 – …

12 – …

13 – …

14 – …

15 – …

MONIÇÕES

MONIÇÃO AMBIENTAL OU COMENTÁRIO INICIAL

A comunidade cristã solidamente edificada supera seus conflitos internos e amadurece cada vez mais na fé, contribuindo para a eliminação dos males que perturbam as pessoas e construindo assim o reino de Deus.

MONIÇÃO PARA A(S) LEITURA(S) E O SALMO

A palavra de Deus toca as feridas da comunidade: rivalidades, divisões e discórdias. A exemplo de Jesus, a Igreja é missionária e não deve ter fronteiras em sua ação evangelizadora.

MONIÇÃO PARA O EVANGELHO

O Espírito do Senhor repousa sobre mim e enviou-me a anunciar aos pobres o evangelho.

ANTÍFONAS

Antífona da entrada

Tende compaixão de mim, Senhor, clamo por vós o dia inteiro; Senhor, sois bom e clemente, cheio de misericórdia para aqueles que vos invocam (Sl 85,3.5).

Antífona da comunhão

Como é grande, ó Senhor, vossa bondade, que reservastes para aqueles que vos temem! (Sl 30,20)

ORAÇÕES DO DIA

Oração do dia ou Oração da coleta

Deus do universo, fonte de todo bem, derramai em nossos corações o vosso amor e estreitai os laços que nos unem convosco para alimentar em nós o que é bom e guardar com solicitude o que nos destes. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Preces da Assembleia ou Oração da Assembleia

— Senhor, escutai a nossa prece.

— Abençoai, Senhor, as comunidades que procuram crescer na fé, no amor e na esperança.
— Ajudai-nos a superar as mesquinharias que transtornam a comunidade.
— Concedei saúde e esperança às pessoas doentes.
— Dai coragem aos sem-terra e aos sem-teto em suas lutas por dignidade.
— Amparai os missionários que levam a boa-nova do reino aos poucos que a desconhecem.

Oração sobre as oferendas

Ó Deus, o sacrifício que vamos oferecer nos traga sempre a graça da salvação, e vosso poder leve à plenitude o que realizamos nesta liturgia. Por Cristo, nosso Senhor.

Oração depois da comunhão

Restaurados à vossa mesa pelo pão da vida, nós vos pedimos, ó Deus, que este alimento da caridade fortifique os nossos corações e nos leve a vos servir em nossos irmãos e irmãs. Por Cristo, nosso Senhor.

Fontes de Consultas e Pesquisas

Vamos expor a seguir, os nomes dos sites e blogs a que pertencem os textos que nos preenchem todos os dias com palavras inspiradas pelo Espírito Santo, nos dando um caminho com mais sabedoria, simplicidade e amor.

– – – – – – –

FONTE PRINCIPAL DE PESQUISA E INSPIRAÇÃO — “BÍBLIA SAGRADA”

– – – – – – –

O importante não é a pessoa que escreve, mas quem inspira essa pessoa a escrever.

O importante não é como se lê o que está escrito, mas como se age.

O importante não é sentar-se à direita ou a esquerda do Pai, mas sim, realizar o trabalho que ele nos pede.

Ter conhecimento não é ter sabedoria, sabedoria é saber compartilhar o conhecimento.

– – – – – – –

Encontro de amigos com Cristo

Liturgia Diária

A Palavra de Deus na vida

DomTotal.com

Paulinas

Homilia Diária

Evangelho Quotidiano

Evangeli.net

Liturgia Diária Comentada

RCC São Rafael

NPD Brasil

Anúncios
Esse post foi publicado em Religião. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s