Liturgia Diária 11/ABR/13

LEITURA DIÁRIA DA PALAVRA — 11/ABR/2013 (quinta-feira)

LEITURAS

Leitura dos Atos dos Apóstolos (At 5,27-33)

Naqueles dias, 27 eles levaram os apóstolos e os apresentaram ao Sinédrio. O sumo sacerdote começou a interrogá-los, 28 dizendo: “Nós tínhamos proibido expressamente que vós ensinásseis em nome de Jesus. Apesar disso, enchestes a cidade de Jerusalém com a vossa doutrina. E ainda nos quereis tornar responsáveis pela morte desse homem!” 29 Então Pedro e os outros apóstolos responderam: “É preciso obedecer a Deus, antes que aos homens. 30 O Deus de nossos pais ressuscitou Jesus, a quem vós matastes, pregando-o numa cruz. 31 Deus, por seu poder, o exaltou, tornando-o Guia Supremo e Salvador, para dar ao povo de Israel a conversão e o perdão dos seus pecados. 32 E disso somos testemunhas, nós e o Espírito Santo, que Deus concedeu àqueles que a Ele obedecem”. 33 Quando ouviram isto, ficaram furiosos e queriam matá-los.
— Palavra do Senhor.
— Graças a Deus.

Proclamação do Salmo (Sl 33(34) 2.9. 17-18. 19-20 (R. 7a)

— Este infeliz gritou a Deus, e foi ouvido.
— Este infeliz gritou a Deus, e foi ouvido.
— 2 Bendirei o Senhor Deus em todo o tempo, / seu louvor estará sempre em minha boca. / 9 Provai e vede quão suave é o Senhor! / Feliz o homem que tem nele o seu refúgio!
— 17 Mas ele volta a sua face contra os maus, / para da terra apagar sua lembrança. / 18 Clamam os justos, e o Senhor bondoso escuta / e de todas as angústias os liberta.
— 19 Do coração atribulado ele está perto / e conforta os de espírito abatido. / 20 Muitos males se abatem sobre os justos, / mas o Senhor de todos eles os liberta.

Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo João (Jo 3,31-36)

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.
— Glória a vós, Senhor.
31 “Aquele que vem do alto está acima de todos. O que é da terra, pertence à terra e fala das coisas da terra. Aquele que vem do céu está acima de todos. 32 Dá testemunho daquilo que viu e ouviu, mas ninguém aceita o seu testemunho. 33 Quem aceita o seu testemunho atesta que Deus é verdadeiro. 34 De fato, aquele que Deus enviou fala as palavras de Deus, porque Deus lhe dá o espírito sem medida. 35 O Pai ama o Filho e entregou tudo em sua mão. 36 Aquele que acredita no Filho possui a vida eterna. Aquele, porém, que rejeita o Filho não verá a vida, pois a ira de Deus permanece sobre ele”.
— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

… Eu sou o CAMINHO … (ler…)

Leio atentamente o texto, na Bíblia: Jo 3,31-36, e observo palavras do Mestre.
Aquele que vem do alto está acima de todos. Quem é da terra, pertence à terra e fala coisas da terra. Aquele que vem do céu está acima de todos. Ele dá testemunho do que viu e ouviu, mas ninguém aceita o seu testemunho. Quem aceita o seu testemunho atesta que Deus é verdadeiro. De fato, aquele que Deus enviou fala as palavras de Deus, pois ele dá o espírito sem medida. O Pai ama o Filho e entregou tudo em suas mãos. Aquele que crê no Filho tem a vida eterna. Aquele, porém, que se recusa a crer no Filho não verá a vida, mas a ira de Deus permanece sobre ele.
Aquele que vem do céu fala das coisas que viu e ouviu. Dá testemunho, portanto. Diz as palavras de Deus. Não as próprias palavras. Porque, diz o Mestre, Deus dá do seu Espírito sem medida.

… a VERDADE … (refletir e meditar…)

Devo dizer as palavras de Deus. Para tanto, abro todo o meu ser – mente, vontade e coração – para que o Senhor o plenifique com seu Espírito sem medida. Disseram os bispos, em Aparecida: “O Senhor nos disse: “não tenham medo” (Mt 28,5). Como às mulheres na manhã da Ressurreição nos é repetido: “Por que buscam entre os mortos aquele que está vivo”? (Lc 24,5). Os sinais da vitória de Cristo ressuscitado nos estimulam enquanto suplicamos a graça da conversão e mantemos viva a esperança que não defrauda. O que nos define não são as circunstâncias dramáticas da vida, nem os desafios da sociedade ou as tarefas que devemos empreender, mas todo o amor recebido do Pai, graças a Jesus Cristo pela unção do Espírito Santo. Esta prioridade fundamental é a que tem presidido todos os nossos trabalhos que oferecemos a Deus, à nossa Igreja, a nosso povo, a cada um dos latino-americanos, enquanto elevamos ao Espírito Santo nossa súplica para que redescubramos a beleza e a alegria de ser cristãos. Aqui está o desafio fundamental que contrapomos: mostrar a capacidade da Igreja de promover e formar discípulos que respondam à vocação recebida e comuniquem em todas as partes, transbordando de gratidão e alegria, o dom do encontro com Jesus Cristo. Não temos outro tesouro a não ser este. Não temos outra felicidade nem outra prioridade que não seja sermos instrumentos do Espírito de Deus na Igreja, para que Jesus Cristo seja encontrado, seguido, amado, adorado, anunciado e comunicado a todos, não obstante todas as dificuldades e resistências. Este é o melhor serviço – seu serviço! – que a Igreja tem que oferecer às pessoas e nações” (DAp 14).

… e a VIDA … (orar…)

Rezo, espontaneamente, com salmos ou outras orações e concluo:
Espírito vivificador, a ti consagro o meu coração: aumenta em mim o amor a Jesus, Vida da minha vida.
Faze-me sentir filho amado do Pai. Amém.
Ó Jesus Mestre, Verdade, Caminho e Vida, tem piedade de nós.

Qual deve ser a MISSÃO em minha VIDA hoje? (contemplar e agir…)

Meu novo olhar é de alguém que se sente enviado por Deus. Olho, vejo, analiso tudo, tomo decisões com o jeito de ser de Deus, pois sou seu filho.

REFLEXÕES:

1 – É NECESSÁRIO ACOLHER E ACREDITAR NAS PALAVRAS DE JESUS CRISTO.

Mais uma vez estamos diante dos opostos, característicos de São João: céu/terra. Enquanto o homem Adão foi tirado da terra e por isso à terra pertence, o Homem Jesus vem do céu e por isso ao céu pertence. Suas palavras e ações são de onde Ele veio.
Neste texto de hoje, Jesus continua se dando a conhecer como sendo o único que veio do céu, que possui a vida e que Sua Palavra supera todas as outras. Pois Ele somente fala do que viu e ouviu do Seu Pai que está no céu. Quem aceita o Seu testemunho e crê n’Ele recebe o Espírito e tem a vida eterna, que é o extraordinário e maravilhoso dom de Deus.
O evangelista nos convida, no dia de hoje, a olhar para Jesus acolhendo as Suas palavras e transformá-las em um Evangelho vivo na nossa vida. Visto que são “palavras de vida eterna”. E se é verdade que fomos regenerados e renascidos na água e no fogo do Espírito, como diz São Pedro, devemos aspirar ao leite puro e espiritual, a fim de que por ele possamos crescer para a salvação.
Portanto, por Ele e n’Ele, toda a humanidade recebe não por direito, por mérito, mas por mera benevolência de Deus a vida eterna, ontem, hoje e sempre!
Oxalá, meu irmão e minha irmã, se hoje ouvíssemos a sua voz e não fechássemos os nossos corações! Mas que os abríssemos profundamente para acolher a Sua Palavra e transformá-la no Evangelho vivo em nossas vidas.
Acolhamos e acreditemos nas palavras d’Aquele que veio do Céu. Pois em nenhum outro nome podemos ser salvos, senão no nome de Jesus, Aquele que veio do céu.
(Padre Bantu Mendonça – Canção Nova).

2 – JESUS E SUA MISSÃO.

O diálogo com Nicodemos constituiu uma oportunidade para Jesus explicitar sua origem e missão. Ele veio do alto, do Pai. Portanto, seu horizonte existencial superava os limites da história humana e lançava raízes no próprio Deus. Foi assim que Jesus declarou sua divindade. Sua origem celeste e sua superioridade em relação a todos fazia-o tão próximo de Deus a ponto de revesti-lo dos atributos próprios da divindade.
Sua missão consistiu em dar testemunho do que aprendeu junto do Pai. Neste, suas palavras tinham sua origem. E seu testemunho era rigorosamente verdadeiro. Não aceitá-lo corresponderia a rebelar-se contra o próprio Deus. Afinal, Jesus recebera do Pai um mandato específico. Rejeitá-lo significaria rejeitar quem o enviou.
Toda a vida de Jesus teve como pano de fundo o amor que o Pai lhe dedicou. E este amor foi tão intenso que o Pai não hesitou em colocar nas mãos do Filho, inclusive o poder de julgar a vida de quem se negar a crer nele.
A contemplação do Ressuscitado coloca-nos diante de uma opção intransferível: aceitar, como veraz, o testemunho de Jesus e, com isso, obter a salvação; ou rejeitá-lo, e ser fadado à condenação eterna. Quem é prudente, opta pela salvação.
(Padre Jaldemir Vitório – Dom Total).

3 – BOA NOVA PARA CADA DIA.

Aquele que acredita no Filho possui a Vida Eterna. Aquele, porém, que rejeita o Filho, não terá a Vida, pois a ira de Deus permanece sobre ele (Jo 3,36).
Este Evangelho nos convida a continuar a reflexão iniciada ontem.
Em sua conversa com Nicodemos, Jesus volta a insistir na necessidade de acreditar Nele para ter a Vida que Ele, ressuscitado, terá depois de sua Paixão e Morte.
Um elemento que Jesus não mencionou antes surge: a ira de Deus Pai recai sobre os que rejeitam o Seu Filho. De fato, Jesus disse no Evangelho lido ontem (Jo 3,16-21), que Ele, a luz que veio a este mundo (Jo 3,19), foi rejeitado por muitos. Para o Evangelho de João, estes muitos são claramente os chefes religiosos de Israel que não acreditaram em Jesus como Filho de Deus. Logicamente, concluímos que os chefes religiosos de Israel ficaram sob a ira de Deus e não terão a Vida Eterna. Ora, isto é a condenação eterna (Jo 3,18).
Portanto, mais uma reflexão decorre da Ressurreição de Jesus: a Ressurreição de Jesus não traz somente salvação com o perdão dos pecados, mas traz também a condenação para quem não a aceita. Crer e não crer em Jesus ressuscitado divide a humanidade em dois grupos opostos.
Demos graças a Deus se perseveramos entre os que Jesus não condena, mas salva.
(Padre Valdir Marques – Edições Loyola).

4 – AQUELE QUE VEM DO CÉU […] DÁ TESTEMUNHO DAQUILO QUE VIU E OUVIU.

Suponhamos uma alma onde se calaram as agitações da carne, onde se calaram todas as ilusões da terra, do mar, do ar e até do céu. Suponhamos que essa alma faz silêncio – silêncio dos sonhos e dos devaneios da imaginação – e se suplanta a si mesma, não pensando mais em si. Suponhamos que nela se cala igualmente qualquer língua, qualquer signo passageiro, em suma, que tudo nela é silêncio, uma vez que, ouvindo, todas as coisas lhe dizem: “Não fomos nós que nos fizemos a nós mesmos, mas fez-nos Aquele que permanece para sempre” (cf. Sl 99,3.5) e, tendo dito isto, se calam de imediato porque despertam os nossos ouvidos para Aquele que as fez. Suponhamos que Deus Se põe a falar só Ele, já não através dessas criaturas, mas através de Si mesmo, de modo a ouvirmos o Seu Verbo não por meio da língua da carne, nem da voz de um anjo, nem do estrondo de uma nuvem (Ex 19,16), nem dos enigmas das parábolas, mas para O ouvirmos a Ele próprio, que amamos em todas estas coisas […], e assim o nosso pensamento atinge […] a eterna Sabedoria que permanece acima de todas as coisas: […] porventura não será isto que significa “Entra na alegria do teu Senhor”? (Mt 25,21).
(Santo Agostinho (354-430), bispo de Hipona (Norte de África), doutor da Igreja – Evangelho Quotidiano).

5 – REFLEXÃO.

Devemos procurar Jesus para que, a partir do encontro pessoal com ele, possamos conhecer o próprio Pai. Quando isso acontece, deixamos de pertencer às coisas da terra, porque assumimos novos valores e encontramos em Deus uma nova motivação para viver: a motivação das coisas do alto. A fonte dessa motivação é o dom do Espírito Santo que é derramado sem medida sobre nós e faz com que reconheçamos nas palavras de Jesus as palavras do próprio Deus, que são fonte de verdadeira alegria e de felicidade eterna para todos os que creem nelas e as colocam em prática no dia a dia.
(CNBB).

6 – O SOPRO DE DEUS.

O discurso precedente é interrompido pela notícia do batismo de João e o de Jesus (vv. 22-30). Os versículos 31 a 36 são a retomada do discurso motivado pela visita, à noite, de Nicodemos, um notável entre os judeus. Aquele que vem do Alto tem não somente sua origem em Deus, mas é movido pelo “sopro” de Deus (cf. v. 6). O Espírito Santo, o sopro de Deus, é que faz contemplar e escutar o que é celeste. Como todo enviado, ele traz a marca, o selo, de quem o enviou. Sua mensagem é uma palavra apropriada, uma vez que ele fala do que viu e ouviu (cf. v. 32). É Deus que fala por meio dele; sua palavra é de Deus. O testemunho do Filho único de Deus está enraizado nesse dinamismo. Acolher o seu testemunho é fazer a experiência de que Deus é verdadeiro. Jesus é quem, pelo seu testemunho, pela sua vida, revela o Pai. A fé no Filho, que vive em comunhão com o Pai, dá a vida eterna. Não é mais a Lei que dá a vida (cf. Dt 30,15-18), mas a fé no Filho.
(Catequisar).

7 – O PAI AMA O FILHO…

Deus é amor, define São João. Este amor é um amor eterno, vivido no seio da Trindade antes que nada existisse. No Deus uno e trino, realiza-se a comunhão amorosa de três Pessoas: o Pai amante, o Filho amado e o Espírito que é amor partilhado e comunicado entre o Pai e o Filho.

Em momentos especiais dos Evangelhos, como as teofanias do Batismo e da Transfiguração, a voz do Pai declara o seu amor: “Tu és o meu Filho muito amado; ponho em ti minha afeição”. (Lc 3,22.) Gerado eternamente pelo Pai (genitum, non factum, isto é, “gerado mas não criado”, afirma o Credo de Nicéia e Constantinopla), o Filho é o modelo de acolhida do divino Amor. Há mistérios que nossa razão humana não consegue atingir: como é que um Pai amoroso permite – e chega mesmo a propor! – que seu Filho se encarne e dê a vida por nossa salvação?
Em nossa mentalidade humana, amar alguém inclui a atitude de envolvê-lo em uma redoma que o impeça de sofrer. Nós mesmos, em nossa vida pessoal e familiar, muitas vezes falhamos em nossa missão pela recusa dos sofrimentos inerentes a ela.
A resposta a esse mistério está no amor… O Pai tem outros filhos. Eles estão afastados, rompido que foi o canal da comunicação amorosa entre coração e coração. A Paixão e Morte do Verbo encarnado, isto é, do Filho, condição por ele assumida em plena liberdade, participando do mesmo amor do Pai, viria reatar a amizade rompida entre o Pai Criador e todos os filhos dispersos. Impelido pelo Espírito, o Filho abraça o desígnio do Pai e nos resgata da morte do pecado, ao preço de seu sangue.
Também não estamos muito aptos a compreender como se sentia Jesus, Deus e homem verdadeiro, em sua experiência terrena. Mas podemos levantar ao menos uma ponta do véu e imaginar que ele se sentia de tal modo amado pelo Pai, que os extremos sofrimentos da carne eram acima de tudo uma resposta de amor. Padecimentos físicos, dores morais, sofrimentos do espírito, tudo adquire nova dimensão sob o signo do amor, tal como as dores do parto são compensadas pela alegria do filho que nasceu como novo atrativo para o amor materno.
Você se sente amado pelo Pai?
Esta experiência amorosa o conforta nas horas difíceis?
Não seria o caso de pedir a Jesus a graça de partilhar do seu sentimento de ser amado como filho?
Orai sem cessar: “Pai de amor, eu quero ser teu filho amado!”
(Antônio Carlos Santini – Comunidade Católica Nova Aliança). 

8 – AQUELE QUE VEM DO ALTO ESTÁ ACIMA DE TUDO!

Passamos grande parte da nossa vida correndo atrás de uma felicidade que parece estar tão distante, com isto, vamos passando por cima de valores bem próximos de nós!
Deus nos oferece a cada dia, tudo que precisamos para sermos felizes, mas quase nunca percebemos estas maravilhas que nos vem do alto, por estarmos focados somente nas coisas matérias. É a nossa ingratidão com o nosso Criador!
Quantos de nós possui um belo jardim em casa, mas nunca percebeu a beleza de uma flor!
O Evangelho de hoje, de um jeito admirável, nos faz meditar sobre o quanto estamos apegados às coisas terrenas! O olhar prazeroso para as coisas do mundo, ofuscam os nossos olhos diante as inúmeras graças que nos vem de Deus!
Deus não nos condena por possuirmos bens materiais, eles nos são necessários enquanto estamos aqui na terra, o que não devemos nunca, é colocarmos o TER, acima do SER!
“Busquemos em primeiro lugar o Reino de Deus, e tudo mais nos será acrescentado”!
O texto que nos é apresentado, é um convite a acolhermos a palavra de Jesus e a transformá-las num evangelho vivo, visto que são palavras que nos conduz a eternidade, e se já fomos regenerados e renascidos na água e no fogo do Espírito, devemos aspirar ao que vem do alto: O Espírito Santo!
É por meio do Espírito Santo, que discernimos o que é de Deus e o que não é de Deus!
Jesus foi enviado ao mundo para nos falar das coisas do céu, Ele nos dá o Espírito sem medida, Espírito, que inspira a fé e a compreensão das coisas do alto. O auge da revelação do Pai, é o dom da vida eterna a todo aquele que crê no Cristo ressuscitado.
Medo, angustia, estão fora de questão, quando se confia Naquele que vem do alto!
Quem crê verdadeiramente no Cristo Ressuscitado, não é vencido pelo medo, não teme a morte, porque sabe que a morte não é o fim!
O mundo tenta nos enganar, nos distanciar das coisas do alto, lançando sobre nós uma avalanche de ofertas sedutoras e este mesmo mundo que nos suga, nos despreza, quando não temos mais o que oferecer, quando deixamos de produzir! Enquanto que Deus, sem levar em conta as nossas ingratidões, não nos abandona quando as nossas forças se esgotam, é Ele que nos carrega no colo, quando caminhar nos parece impossível!
A distancia entre o céu e a terra, pode tornar-se pequena, quando construímos os degraus desta nossa escada, com um material consistente, material, que nenhum “vendaval”, consegue destruí-lo: o amor, a solidariedade, a justiça e a fraternidade…
Recebemos nas mãos, uma página em branco, cabe a cada um de nós, escrever a sua história! Quem colocar Jesus como referencial na sua vida, com certeza, escreverá a história mais bela!
Quem vive na terra, com o olhar nas coisas do alto, vive no mundo, mas não pertence ao mundo!
FIQUE NA PAZ DE JESUS!
(Olivia Coutinho – Liturgia Diária Comentada).

9 – O PAI AMA O FILHO E ENTREGOU TUDO EM SUA MÃO.

O Pai ama o Filho e entregou tudo em sua mão.
Este Evangelho nos apresenta a centralidade da fé em Jesus: “Aquele que acredita no Filho possui a vida eterna. Aquele, porém, que rejeita o Filho não verá a vida, pois a ira de Deus permanece sobre ele”. É o que aprendemos no catecismo: Jesus veio para nos libertar do pecado original, pelo qual todos estávamos sob a ira de Deus. Libertando-nos do pecado, Jesus nos libertou também dessa ira. Aquele que rejeita a Jesus, a ira de Deus permanece sobre ele.
“Quem é da terra, pertence à terra e fala das coisas da terra. Aquele que vem do céu está acima de todos.” Nós, seres humanos, somos todos da terra e não conhecemos nada além da terra. Portanto não temos condição nenhuma de conhecer as coisas espirituais ou da vida após a morte. Jesus, que veio do céu, é que nos revelou. Religião é uma instituição que trata do nosso relacionamento com Deus e da nossa salvação eterna. Imagine o absurdo de alguém que é da terra fundar uma religião!
“Aquele que Deus enviou fala as palavras de Deus.” E mais: “O Pai ama o Filho e entregou tudo em sua mão”. Se ouvirmos as palavras de Jesus e estivermos na Igreja que ele fundou, podemos ficar tranquilos, porque Deus Pai colocou tudo nas mãos de Jesus. Ele tem poder sobre a terra e sobre o céu, sobre o mundo visível e o invisível, material e espiritual. Quanta gente tem medo de “trabalhos”, isto é, feitiços que os outros fazem, mau olhado, dia treze, sexta-feira, praga etc. Nada disso pega em quem é batizado, pois é um só corpo com Cristo.
Na Páscoa, a luz venceu as trevas, a paz venceu a violência, o bem venceu o mal, a verdade venceu a mentira, o amor venceu o ódio e a vida venceu a morte. E nós somos, principalmente pelo nosso testemunho de vida, testemunhas de tudo isso. Somos chamados a acolher a luz em nossa vida e sermos luz para os outros, mesmo sabendo que as trevas perseguem a luz.
Certa vez, uma professora pediu aos alunos que no dia seguinte levassem uma sacola com batatas para a sala de aula. No dia seguinte, ela solicitou que separassem uma batata para cada pessoa que os magoara ou de alguma forma os fizera sofrer. Então escrevessem o nome da pessoa na batata e a colocassem dentro da sacola.
Eles começaram a pensar, e foram lembrando uma a uma… Algumas sacolas ficaram muito pesadas! A tarefa seguinte consistia em, durante uma semana, no período escolar, carregar consigo a sacola com as batatas para onde quer que fossem.
Com o tempo, as batatas foram se deteriorando. Era um incômodo carregar a sacola o tempo todo e ainda sentir seu mau cheiro. Além disso, a preocupação em não esquecê-la em algum lugar fazia com que deixassem de prestar atenção em outras coisas que eram importantes para eles.
E foi assim que os alunos entenderam a lição de que carregar mágoas é tão ruim quanto carregar batatas. Perdoar e deixar a mágoa ir embora é a única forma de ter calma, alegria e paz.
E mais: Deus colocou tudo na mão de Jesus e ele nos manda perdoar e não guardar mágoa de ninguém. Sendo ele o Senhor todo poderoso, podemos confiar e nos jogar totalmente na obediência à sua palavra.
Maria Santíssima foi só luz, sem mistura de trevas. Ela construiu tão bem a sua história terrena, que foi eleita Rainha do céu e da terra. Que ela nos ajude a imitá-la. O Pai ama o Filho e entregou tudo em sua mão.
(Padre Queiroz – Liturgia Diária Comentada).

10 – AQUELE QUE É DO ALTO PENSA NAS COISAS DO ALTO.

Aquele que é do Alto pensa nas coisas do Alto. E Aquele que é da Terra pensa nas coisas da Terra.
Quem tem fé e está consciente da sua missão neste mundo, pensa nas coisas do Plano de Deus, vive o Evangelho de Jesus Cristo, lendo, escutando, praticando e ensinando.
Porém, aqueles que não acreditam ou que sucumbiram a sua fé na imensidão dos bens materiais, são aqueles que vivem e pensam somente nas coisas desta vida, colecionando bens materiais, e levando uma existência essencialmente do ponto de vista totalmente materialista, pensando que só esta vida existe.
Jesus hoje está nos convidando a nos desligar das coisas materiais e segui-lo. A largar, principalmente esta vida de pecado, a renunciar tudo que até hoje nos iludiu com uma falsa aparência de felicidade, mas que na realidade não passou de ilusão que nos conduz a infelicidade ao longo do tempo.
E depois desta mudança de vida, desta conversão de direção para a direita, Jesus nos escolhe para seguir os seus passos, para imitá-lo e fazer o que ele fez: Mostrar para as pessoas que Deus existe e quer que construamos um mundo melhor, através da evangelização. Na verdade não seria bem imitar Jesus. Seria adaptar o seu projeto, seu método nos dias de hoje, de acordo com a nossa realidade.
Mas como faremos isso? (Maria fez a mesma pergunta ao ser anunciada pelo anjo).
Jesus vai cuidar de tudo, viu o que ele disse? Eu os farei pescadores de homens. E fará isso através de outras pessoas que aparecerão em seu caminho, na estrada da vida.
Após nos converter, nos embeber de Jesus como uma esponja se embebe na água, vamos mostrá-lo aos nossos irmãos pela palavra e pelo exemplo. Quando você se põe em postura de oração perto dos seus filhos, perto dos seus irmãos menores, você está evangelizando pelo exemplo, porque os pequeninos vão imitar você. Eles repetem nas suas brincadeiras, as coisas que os adultos fazem ao seu redor. Se assistirem brigas e desamor, eles também vão imitar isso. Cuidado!
Jesus evangelizou pela palavra e pelo exemplo. Ele fez discursos, e fez coisas que escandalizou aqueles que haviam deturpado a vontade do Pai, os líderes religiosos. Ao comer com os pecadores, Jesus ensinou em atitudes, que na casa do Pai havia muitas moradas. Ao perdoar Madalena, Ele mostra em ato que o pecador arrependido merece o perdão, e que a mulher não é uma escrava, e sim uma filha de Deus.
A evangelização começa em casa. Mas Jesus hoje está convidando especialmente você que ainda não está engajado na vida da Igreja. Você que abriu este Blog e está lendo esta mensagem.
É! Você mesmo!
Que tal largar tudo de errado que você vem fazendo e seguir Jesus?
E depois de estar firme com Ele em sua vida, que tal apresentar-se na sua paróquia, ao seu padre, e dizer que quer fazer parte da comunidade, dando de si aquilo que você sabe fazer?
Pastoral dos pobres, Pastoral da saúde, Pastoral da catequese etc.
Esteja no mundo, cuidando da sua sobrevivência, consiga o necessário para viver. Mas viva a sua vida se preparando para a vida do alto, a qual é eterna.
(José Salviano – Liturgia Diária Comentada).

11 – CIÚMES ENTRE AS PRIMEIRAS COMUNIDADES.

Nos versículos finais do capítulo 3 de São João, está o relato de uma polêmica envolvendo as comunidades Joaninas. É quase que a única passagem no Novo Testamento, onde é mencionado que Jesus Batizava na Judeia enquanto que João Batista batizava em Enon.
Como acontece ainda hoje, a Comunidade Joanina sentiu ciúmes e inveja porque alguém estava fazendo o mesmo que o seu mestre João, e logo começaram as discussões sobre a questão da purificação, a ponto dos discípulos de João irem “denunciar” o outro “Batista” que já estava ficando mais famoso que o próprio João.
Essa “rixa” entre as comunidades cristãs tradicionais, e as Joaninas, sempre houve e parece que o autor do quarto evangelho, pretendeu, com essa passagem encerrar essa discussão inútil e descabida, sobre quem era superior: Jesus de Nazaré ou João Batista.
E a conclusão final está no evangelho de hoje 3,31-46 onde somente o primeiro versículo já pôs fim ao debate “Aquele que vem de cima, aquele que vem do Céu é superior a todos. E aqui voltamos lá no início da aula de caquetese que Jesus deu a Nicodemos: “Se tenho vos falado de coisas terrenas e não acreditais, como podereis acreditar se eu vos falar de coisas Celestiais”?
O fato é que, essa polêmica das comunidades Joaninas, conclui de maneira esplendorosa a aula de catequese de Jesus, que saindo da sala de catequese, foi para a prática. Céu, palavra largamente empregada por João, designa lugar de Deus, ora, se Jesus veio do Céu, e dá testemunho das realidades celestes, então ele é Deus!
Não há portanto, ao homem, nenhuma outra alternativa para desfrutar da amizade e do Amor que Deus oferece, que não seja a Fé em Jesus Cristo, Ele e comente Ele, nos dá a Vida Eterna, que no mesmo evangelho de João, é chamada de Vida Plena, porque supõe o homem na sua totalidade e não apenas o Espírito como imaginavam os gregos influenciados pelo Agnosticismo, para os quais, o corpo é a prisão da Alma. A graça é Vivificante, inclusive para o corpo, por isso é Eterna e não sucumbe na morte biológica.
(Diácono José da Cruz – Liturgia Diária Comentada).

12 – JESUS É A LUZ DO MUNDO QUE VEIO DO ALTO PARA NOS SALVAR.

Nos evangelhos desta semana, é uma sequência de diálogos entre Jesus e os fariseus, e os judeus. Segunda-feira (João 8,12), Jesus diz aos fariseus: “Eu sou a luz do mundo. Quem me segue não andará nas trevas, mas terá a luz da vida”.
Ontem Jesus diz a eles: “Vós sois daqui de baixo, eu sou do alto. Vós sois deste mundo, eu não sou deste mundo.” (João 8, 23). E hoje diz também: “Se permanecerdes na minha palavra, sereis verdadeiramente meus discípulos e conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará.” E mais uma vez Jesus não é compreendido e diz: “… todo aquele que comete pecado é escravo do pecado.” Sermos livres do pecado, era a essa liberdade a que se referia Jesus.
Jesus é a verdade que nos libertará, a verdade enviada pelo Pai, para todos os homens e mulheres. Jesus, é o Messias que veio para revelar o Pai, com os seus ensinamentos e suas mensagens. Ensinamentos que nos libertam do pecado, da opressão, da exclusão. E Mensagens de amor, de misericórdia, de vida. E quando aceitamos sua mensagem, quando decidimos realmente segui-Lo e imitá-Lo, deixaremos de ser escravos do pecado, permanecendo na casa do Pai.
Será que sou verdadeiramente livre?
Tenho algum sentimento, fraqueza que me escraviza?
Permito que a mentira, a maldade, a injustiça, o egoísmo, a ganância, o poder, a falta de união, me escravizem?
Quando eu vou me deixar, e me permitir ser transformado pela verdade do Pai?
Jesus veio para fiquemos unidos a Ele, para que acreditemos em Deus, para que ouçamos e pratiquemos sua Palavra, para fazermos a vontade do Pai, e não nos deixar enganar pelas facilidades e prazeres que o mundo hoje nos oferece e proporciona. Quando mudarmos de atitude, acolhermos e praticarmos a mensagem de Jesus, aí sim poderemos dizer que estamos livres, que nada nos aprisiona ou escraviza. Seremos verdadeiros missionários e colaboradores do projeto de Deus. Jesus é luz que nos livra das trevas do pecado, se não abandonarmos “as coisas” aqui de baixo, morreremos no pecado, mas se permanecermos em Sua palavra, ela nos libertará. Com atitudes amorosas e de solidariedade com o próximo, estaremos nos libertando de nós mesmos e de nossos interesses, e nos aproximando definitivamente da morada do Pai.
Oração:
Pai, liberta-me por tua palavra de verdade que afasta o egoísmo do coração, e capacita-me a amar meu semelhante, como amor total, a exemplo de Jesus. Não permitas que eu me deixe enganar pela liberdade aparente, e sim, que eu conheça a verdade que me torna livre.
(Maria Elian – Liturgia Diária Comentada).

13 – AQUELE QUE CRÊ NO FILHO TEM A VIDA ETERNA.

Hoje, o Evangelho nos convida a deixar de ser “terrenais”, a deixar de ser homens que só falam de coisas mundanas, para falar e mover-nos como “Aquele que vem do alto” (Jo 3,31), que é Jesus. Neste texto vemos – mais uma vez – que na radicalidade evangélica não há meio termo. É necessário que em todo momento e circunstância nos esforcemos por ter o pensamento de Deus, ambicionemos ter os mesmos sentimentos de Cristo e aspiremos a olhar os homens e às circunstancias da mesma forma que vemos o Verbo feito homem. Se atuarmos como “aquele que vem do alto” descobriremos uma quantidade de coisas positivas que acontecem continuamente ao nosso entorno, porque o amor de Deus é ação contínua em favor do homem. Se viermos do alto amaremos a todo o mundo sem exceção, sendo nossa vida um convite para fazer o mesmo.
“Aquele que vem do alto está acima de todos” (Jo 3,31), por isso pode servir a cada homem e a cada mulher justamente naquilo que necessita; além disso, “Ele dá testemunho do que viu e ouviu, mas ninguém aceita o seu testemunho” (Jo 3,32). E seu serviço tem a marca da gratuidade. Esta atitude de servir sem esperar nada em troco, sem necessitar a resposta do outro, cria um ambiente profundamente humano e de respeito ao livre alvedrio da pessoa; esta atitude se contagia e os outros se sentem livremente movidos a responder e atuar da mesma maneira.
Serviço e testemunho sempre vão juntos, um e outro se identificam.
Nosso mundo tem necessidade daquilo que é autêntico: e o que é mais autêntico que as palavras de Deus?
Que mais autêntico do que quem dá o Espírito sem medida?
“Ele dá o espírito sem medida” (Jo 3,34).
“Acreditar no Filho” quer dizer ter vida eterna, significa que o dia do Juízo não pesa em cima do crente porque já foi julgado e com um juízo favorável; no entanto, “Aquele, porém, que se recusa a crer no Filho não verá a vida, mas a ira de Deus permanece sobre ele” (Jo 3,36)…, enquanto não acredite.
(Rev. D. Melcior QUEROL i Solà (Ribes de Freser, Girona, Espanha) – Evangeli.net).

14 – .

.

15 – .

.

CELEBRAÇÃO DE HOJE

— II Semana da Páscoa (branco – ofício do dia); ou — Santo Estanislau (vermelho – ofício da memória).

MONIÇÕES

MONIÇÃO AMBIENTAL OU COMENTÁRIO INICIAL:
– 1ª: Deus Conosco; – 2ª: Liturgia Diária.

– 1ª: O Evangelho não pode ser domesticado nem aprisionado. Por isso, a Igreja é chamada a proclamá-lo em qualquer tempo e lugar. Foi o que fez Santo Estanislau, sendo o heroico bispo de Cracóvia, Polônia. Teve a mesma sorte de João Batista, pois não aprovara a atitude do rei Boleslau II, que tomou a esposa de outro, e, por isso, o mesmo Boleslau o degolou com sua espada, na igreja de São Miguel. Ele viveu em meados do século XI.
– 2ª: O compromisso cristão consiste em seguir a Cristo em todas as situações, vivendo e anunciando os seus ensinamentos e trabalhando, a exemplo dele, para que toda a humanidade também o siga e tenha vida plena.

MONIÇÃO PARA A(S) LEITURA(S) E O SALMO:
– 1ª: Deus Conosco; – 2ª: Liturgia Diária.

– 1ª: Os apóstolos, mesmo com a dureza da perseguição, não deixavam de testemunhar e de anunciar Jesus Cristo ressuscitado. E já sabemos que o encontro com Cristo é sempre decisivo, pois nos encontramos com o Salvador de nossa humanidade. Escutemos a Palavra do Senhor.
– 2ª: As leituras nos revelam que é preciso obedecer antes a Deus que as pessoas. Assim daremos testemunho daquele que foi enviado pelo Pai celeste para nos traz daquele que foi enviado pelo Pai celeste para nos traz a salvação.

MONIÇÃO PARA O EVANGELHO

— Aleluia, aleluia, aleluia.
— Aleluia, aleluia, aleluia.
— Acreditaste, Tomé, porque me viste. Felizes os que creem, sem ter visto. (Jo 20,29).

ANTÍFONAS

Antífona da entrada:
– 1ª: Deus Conosco; – 2ª: Liturgia Diária.

– 1ª: A luz eterna brilhará para os vossos santos, Senhor, e eles viverão eternamente, aleluia. (4Esd 2,35).
– 2ª: Ó Deus, quando saístes à frente do vosso povo, abrindo-lhe o caminho e habitando entre eles, a terra estremeceu, fundiram-se os céus, aleluia! (Sl 67,8s.20).

Antífona da comunhão

Eis que estou convosco todos os dias, até o fim dos tempos, aleluia! (Mt 28,20).

ORAÇÕES DO DIA

Oração do dia ou Oração da coleta

Concedei, ó Deus, que vejamos frutificar em toda a nossa vida as graças do mistério pascal, que instituístes na vossa misericórdia. Por nosso Senhor Jesus Cristo vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Preces da Assembleia ou Oração da Assembleia:
– 1ª: Liturgia Diária.

— Ouvi, Senhor, a súplica do vosso povo.

— Senhor, conduzi a Igreja pelos caminhos da salvação.
— Concedei alegria e vigor aos sacerdotes, diáconos e religiosos.
— Dai força e sabedoria a todos os que têm a missão de ensinar.
— Iluminai as pessoas que se dedicam ao serviço da evangelização.
— Cumulai de ânimo e saúde os doentes e dai-lhes encontrar consolo em vós.

Oração sobre as oferendas

Subam até vós, ó Deus, as nossas preces com estas oferendas para o sacrifício, a fim de que, purificados por vossa bondade, correspondamos cada vez melhor aos sacramentos do vosso amor. Por Cristo, nosso Senhor.

Oração depois da comunhão

Deus eterno e todo-poderoso, que, pela ressurreição de Cristo, nos renovais para a vida eterna, fazei frutificar em nós o sacramento pascal e infundi em nossos corações a fortaleza desse alimento salutar. Por Cristo, nosso Senhor.

Fontes de Consultas e Pesquisas

Vamos expor a seguir, os nomes dos sites e blogs a que pertencem os textos que nos preenchem todos os dias com palavras inspiradas pelo Espírito Santo, nos dando um caminho com mais sabedoria, simplicidade e amor.

FONTE PRINCIPAL DE PESQUISA E INSPIRAÇÃO — “BÍBLIA SAGRADA”.

O importante não é a pessoa que escreve, mas quem inspira essa pessoa a escrever.

O importante não é como se lê o que está escrito, mas como se age.

O importante não é sentar-se à direita ou a esquerda do Pai, mas sim, realizar o trabalho que ele nos pede.

Ter conhecimento não é ter sabedoria, sabedoria é saber compartilhar o conhecimento.

Editora Santuário;
Canção Nova (Padre Bantu Mendonça);
Dom Total (Padre Jaldemir Vitório);
Edições Loyola (Padre Valdir Marques);
Evangelho Quotidiano (Santo Agostinho (354-430), bispo de Hipona (Norte de África), doutor da Igreja);
CNBB;
Catequisar;
Nova Aliança (Antônio Carlos Santini);
Liturgia Diária Comentada (Olívia Coutinho; Padre Queiroz; José Salviano; Diácono José da Cruz; Maria Elian);
Evangeli.net (Rev. D. Melcior QUEROL i Solà (Ribes de Freser, Girona, Espanha));
Portal Paulinas.

Anúncios
Esse post foi publicado em Religião. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s