Liturgia Diária 18/ABR/13

LEITURA DIÁRIA DA PALAVRA — 18/ABR/2013 (quinta-feira)

LEITURAS

Leitura dos Atos dos Apóstolos (At 8,26-40)

Naqueles dias, 26 um anjo do Senhor falou a Filipe, dizendo: “Prepara-te e vai para o sul, no caminho que desce de Jerusalém a Gaza. O caminho é deserto”. Filipe levantou-se e foi. 27 Nisso apareceu um eunuco etíope, ministro de Candace, rainha da Etiópia, e administrador geral do seu tesouro, que tinha ido em peregrinação a Jerusalém. 28 Ele estava voltando para casa e vinha sentado no seu carro, lendo o profeta Isaías. 29 Então o Espírito disse a Filipe: “Aproxima-te desse carro e acompanha-o”. 30 Filipe correu, ouviu o eunuco ler o profeta Isaías e perguntou: “Tu compreendes o que estás lendo?” 31 O eunuco respondeu: “Como posso, se ninguém mo explica?” Então convidou Filipe a subir e a sentar-se junto a ele. 32 A passagem da Escritura que o eunuco estava lendo era esta: “Ele foi levado como ovelha ao matadouro; e qual um cordeiro diante do seu tosquiador, ele emudeceu e não abriu a boca. 33 Eles o humilharam e lhe negaram justiça; e seus descendentes, quem os poderá enumerar? Pois sua vida foi arrancada da terra”. 34 E o eunuco disse a Filipe: “Peço que me expliques de quem o profeta está dizendo isso. Ele fala de si mesmo ou se refere a algum outro?” 35 Então Filipe começou a falar e, partindo dessa passagem da Escritura, anunciou Jesus ao eunuco. 36 Eles prosseguiam o caminho e chegaram a um lugar onde havia água. 37 Então o eunuco disse a Filipe: “Aqui temos água. O que impede que eu seja batizado?” 38 O eunuco mandou parar o carro. Os dois desceram para a água e Filipe batizou o eunuco. 39 Quando saíram da água, o Espírito do Senhor arrebatou a Filipe. O eunuco não o viu mais e prosseguiu sua viagem, cheio de alegria. 40 Filipe foi parar em Azoto. E, passando adiante, evangelizava todas as cidades até chegar a Cesareia.
— Palavra do Senhor.
— Graças a Deus.

Proclamação do Salmo (65(66), 8-9. 16-17. 20 (R. 1)).

— Aclamai o Senhor Deus, ó terra inteira.
— Aclamai o Senhor Deus, ó terra inteira.
— 8 Nações, glorificai ao nosso Deus, / anunciai em alta voz o seu louvor! / 9 É ele quem dá vida à nossa vida, / e não permite que vacilem nossos pés.
— 16 Todos vós que a Deus temeis, vinde escutar: vou contar-vos todo bem que ele me fez! / 17 Quando a ele o meu grito se elevou, / já havia gratidão em minha boca!
— 20 Bendito seja o Senhor Deus que me escutou, não rejeitou minha oração e meu clamor, / nem afastou longe de mim o seu amor!

Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo João
(Jo 6,44-51).

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo João.
— Glória a vós, Senhor.
Naquele tempo, disse Jesus à multidão: 44 “Ninguém pode vir a mim, se o pai que me enviou não o atrai. E eu o ressuscitarei no último dia. 45 Está escrito nos Profetas: ‘Todos serão discípulos de Deus’. Ora, todo aquele que escutou o Pai e por ele foi instruído, vem a mim. 46 Não que alguém já tenha visto o Pai. Só aquele que vem de junto de Deus viu o Pai. 47 Em verdade, em verdade vos digo, quem crê possui a vida eterna. 48 Eu sou o pão da vida. 49 Os vossos pais comeram o maná no deserto e, no entanto, morreram. 50 Eis aqui o pão que desce do céu: quem dele comer, nunca morrerá. 51 Eu sou o pão vivo descido do céu. Quem comer deste pão viverá eternamente. E o pão que eu darei é a minha carne dada para a vida do mundo”.
— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

LEITURA ORANTE:

… Oração Inicial … (querer)

Preparo-me para a Leitura Orante, rezando: / Vinde, Espírito Santo, E dai-nos o dom da sabedoria, para que possamos avaliar todas as coisas à luz do Evangelho e ler nos acontecimento da vida os projetos de amor do Pai.

… Eu sou o CAMINHO … (ler…)

O que diz o texto do dia? / Leio atentamente, na Bíblia, o texto: Jo 6,44-51, e observo Jesus que fala do pão da vida. / Jesus afirma que quem crê, tem a vida eterna. Volta a dizer que é o pão da vida. Diz ainda que quem come deste pão tem a vida eterna. / Espírito de verdade, a ti consagro a mente e meus pensamentos: ilumina-me. Que eu conheça Jesus Mestre e compreenda o seu Evangelho. Ó Jesus Mestre, Verdade, Caminho e Vida, tem piedade de nós.

… a VERDADE … (refletir e meditar…)

O que o texto diz para mim, hoje? / Jesus me questiona de novo sobre meus alimentos. O que busco como alimento para meu espírito, para minha vida cristã? / Como pessoa batizada sou também convocada a uma missão. De que me nutro para esta missão? / Qual é a fonte que sacia minha sede de vida? / Os bispos em Aparecida, disseram que a Eucaristia deve ser o centro da nossa vida: “Todas as comunidades e grupos eclesiais darão fruto na medida em que a Eucaristia for o centro de sua vida e a Palavra de Deus for o farol de seu caminho e de sua atuação na única Igreja de Cristo.” / (DAp 180).

… e a VIDA … (orar…)

O que o texto me leva a dizer a Deus? / Rezo, espontaneamente, com salmos ou outras orações e concluo: / Espírito vivificador, a ti consagro o meu coração: aumenta em mim o amor a Jesus, Vida da minha vida. Faze-me sentir filho amado do Pai. Amém. / Ó Jesus Mestre, Verdade, Caminho e Vida, tem piedade de nós.

Qual deve ser a MISSÃO em minha VIDA hoje? (contemplar e agir…)

Qual meu novo olhar a partir da Palavra? / Buscarei alimentar minha vida com o pão do céu e ver o mundo na ótica de Jesus Mestre.

REFLEXÕES:

1 – ALIMENTAR-SE DE JESUS É TER VIDA.

O Mestre insiste: “Eu sou o Pão vivo descido do céu. Quem comer deste pão viverá eternamente. E o pão que eu darei é a minha carne dada para a vida do mundo”. / Estamos diante da continuação do longo discurso sobre o pão, pronunciado após a partilha dos pães com a multidão, na montanha. Um dos aspectos que Jesus vem salientando é que a iniciativa da salvação vem do Pai. Ninguém se faz discípulo de Jesus se não for designado por Deus, Seu Pai. Todo aquele escuta a Sua palavra e procura fazer a vontade do Pai que O enviou, é introduzido na vida que nunca mais terá fim. Visto que, aqui, está o Pão que desce do céu; e quem comer desse Pão nunca morrerá. / Nos nossos dias, alimentar-se de Jesus é ter vida, é contemplá-Lo e seguir Seus passos. No serviço, na fraternidade e na solidariedade social, na busca da justiça e da paz, entra-se em comunhão de vida eterna com Jesus. Deixemo-nos tocar pelo convite que Jesus: “Vinde convidados do meu Pai, a mesa está posta. Vinde!” Participemos plena, consciente e ativamente; comamos e bebamos o Corpo e o Sangue de Jesus. / (Padre Bantu Mendonça).

2 – O ENSINAMENTO DO PAI.

É o Pai quem tem a iniciativa na dinâmica da fé dos cristãos. No seu amor, elege o ser humano para ser objeto de sua revelação, e o convida a aderir ao Filho Jesus. Só vai a Jesus quem é escolhido e impelido pelo Pai. Só se entrega a Jesus quem se deixa guiar pelo Pai. E tudo quanto o Pai realiza está em função de guiar a humanidade para o Filho. O ato de fé no Senhor Jesus é, portanto, indício de obediência ao ensinamento do Pai e de submissão à sua vontade. / A incredulidade configura-se como rebeldia contra o Pai. Não se trata de mera oposição a Jesus, numa atitude sem maiores consequências. Nem, tampouco, pode ser considerada como uma fatalidade na vida das pessoas, numa espécie de anulação de sua liberdade. / No ato de fé, está implicada a liberdade humana. Instruído pelo Pai, cabe ao ser humano acolher ou não a instrução recebida. Se a acolhe, sem dúvida será capaz de reconhecer em Jesus o enviado do Pai. Se a rejeita, não somente se tornará um adversário do Filho, mas também do Pai. Não é possível acolher a moção do Pai, mas fechar-se para o Filho. Ou seja, não dá para ficar no meio do caminho. Quem recebeu o ensinamento do Pai, necessariamente, irá a Jesus. Oração: Espírito de docilidade ao Pai, reforça minha disposição para acolher os ensinamentos divinos e colocar-me, resolutamente, na busca do Ressuscitado. / (Pe. Jaldemir Vitório – Jesuíta, Doutor em Exegese Bíblica, Professor da FAJE).

3 – BOA NOVA PARA CADA DIA.

… O Pão que eu darei é Minha Carne para a Vida do mundo (Jo 6,51). / Jesus tirou várias lições do mal-entendido da multidão quanto à multiplicação dos pães e dos peixes narrada em João 6,1-15. / Em João 6,35.48 Jesus dissera que era o Pão da Vida. Mas não dera maiores esclarecimentos. Agora, em Jo 6,51, diz que este Pão é Sua Carne para a Vida do mundo todo. E diz mais: quem comer deste Pão nunca morrerá (Jo 6,50). / Como entender esta afirmação de Jesus? / Aos judeus de seu tempo esta afirmação podia provocar confusão. Pode ser que Jesus não tenha dito isto tal como João escreveu em seu Evangelho, mas de maneira mais clara, porque os discípulos parecem terem entendido bem. Jesus não se refere a uma vida eterna terrena, e isto sabemos muito bem. Ele não disse que comendo de sua Carne as pessoas viveriam por tempos infinitos neste mundo. Nós sabemos, no entanto, que Ele tinha em mente uma Vida Eterna que se segue à Ressurreição, como a Dele. / Ora, se há uma Vida Eterna, quem não a receber terá uma Morte Eterna. E é isto que acontece com quem não comer do Pão que é a Carne de Jesus para a Vida do mundo. O Evangelho de João não fala da existência do inferno; João não usa esta palavra. Entretanto, em outros Evangelhos Jesus afirma a existência de um lugar onde haverá choro e ranger de dentes (Mt 13,42.50; 22,13; Lc 13,28), e em muitos outros é claro em afirmar o “inferno de fogo/local de tormentos”. Dizendo isso Jesus somente repete o que era já conhecido no mundo judaico sobre a vida no além-túmulo, o sheol, o mundo subterrâneo, a mansão dos mortos. Mas ressuscitado, Jesus desceu ao sheol para resgatar os justos e levá-los consigo para a Vida Eterna, como confessamos no Credo. / (Pe. Valdir Marques, SJ).

4 – ESTE É O PÃO QUE DESCE DO CÉU; SE ALGUÉM COMER DELE, NÃO MORRERÁ.

“Tive fome, estava nu, não tinha casa. Foi a Mim que o fizestes” (Mt 25, 40). O Pão de vida e o faminto, mas um único amor: Jesus somente. A Sua humildade é tão maravilhosa. Compreendo a Sua majestade, a Sua grandeza, porque Ele é Deus – mas a Sua humildade ultrapassa a minha compreensão, porque Ele faz-Se Pão da Vida a fim de que até uma criança pequena como eu possa comê-Lo e viver. / Há uns dias, quando dava a sagrada comunhão às nossas irmãs na casa mãe, apercebi-me de repente de que tinha Deus entre os dedos. A grandeza da humildade de Deus. É bem verdade que “não há maior amor”, não há amor maior que o amor de Cristo (Jo 15,13). Calculo que tenha muitas vezes esta impressão de que, à sua palavra, entre as suas mãos, o pão se transforma no corpo de Jesus e o vinho se transforma no sangue de Jesus. Que grande deve ser o seu amor a Cristo! Não há amor maior que o amor do sacerdote a Cristo, “seu Senhor e seu Deus” (Jo 20,28). / (Beata Teresa de Calcutá (1910-1997), fundadora das Irmãs Missionárias da Caridade – Carta a um sacerdote, 17/02/1978, in “Vem, sê a minha luz”).

5 – REFLEXÃO.

Um dos elementos fundamentais na fé católica é o primado da graça. Se Deus não age, nós não podemos agir, nos tornamos incapazes de fazer o bem. Para nós, o bem maior é conhecer Jesus, sermos capazes de ir até ele, mas isso só é possível pela atuação da graça. Mas, se por um lado, a graça é necessária para chegarmos até Jesus, por outro lado, Deus respeita a nossa liberdade, de modo que associada à graça divina, deve estar a nossa procura de Cristo. De nada adianta a graça nos mostrar que Jesus é o Pão da vida descido do céu para ser alimento de vida eterna a todos nós, se nós não queremos vê-lo. / (CNBB).

6 – VIVERÁ ETERNAMENTE!

A chegada da velhice e a aproximação da morte costumam despertar para a eternidade mesmo aqueles que viveram “distraídos” das realidades espirituais. Um poeta modernista brasileiro escreveu: “Como ficou chato ser moderno! / Eu queria ser eterno!” Também o povo, em sua “sabença”, costuma afirmar que “caixão não tem bolso”; com isto, expõe a inutilidade de acumular bens materiais que não poderemos levar deste mundo, mas por aqui mesmo ficarão. Oprimido pela sensação de que tudo passa rápido, como grãos da areia que escorre na ampulheta, o homem tenta eternizar-se através de suas obras, monumentos, realizações, saber acumulado. Tudo vaidade, diz a Escritura. (Cf. Ecl 1,2). / No Evangelho de hoje, Jesus continua seu “discurso eucarístico”. Confirma ser o “pão que desceu do Céu”, o enviado do Pai, que atrai para Jesus aqueles que dele se aproximam. É uma forma de dizer que o próprio Pai previu que o Filho seria alimento de salvação, enviando-o para ser “carne pela vida do mundo”. / Novamente – notar a insistência de Jesus, mesmo diante da oposição escandalizada dos judeus! – ele dá uma garantia formal: “Se alguém comer este pão, viverá eternamente”. / S. Tomás de Aquino comenta a passagem: “O Verbo dá a vida às almas, mas o Verbo feito carne vivifica os corpos. Neste Sacramento (a Eucaristia) não se contém só o Verbo com a sua divindade, mas também com a sua humanidade; portanto, não é só causa da glorificação das almas, mas também dos corpos”. (Com. sobre S. João). / A força da Eucaristia como alimento transparece também na vida de fiéis que passaram longos períodos alimentados exclusivamente da comunhão eucarística. É o caso da francesa Marthe Robin (fundadora dos Foyers de Charité), ora em processo de beatificação, que viveu nada menos de 50 anos sem deglutição, impossibilitada de ingerir qualquer alimento sólido ou líquido, sustentada apenas pela comunhão semanal das quartas-feiras. / Marthe testemunha: “Tão logo ela (a hóstia) é depositada em meus lábios sedentos, o Céu inteiro desce imediatamente em mim, exalando logo uma felicidade que ultrapassa minha capacidade de fruí-la”. / Que espaço eu reservo para a comunhão eucarística em minha vida? Orai sem cessar: “Minha alma está sedenta de vós!” (Sl 63[62],2b). / (Antônio Carlos Santini).

7 – CRER NAQUELE QUE O PAI ENVIOU É COMPROMETER-SE COM A VIDA!

Somos felizes, porque somos necessitados de Deus! / A partir da nossa fé, num Deus que é Pai e que se revelou plenamente em Jesus, podemos firmar nossos passos nos alicerces dos valores irrenunciáveis do amor, da justiça e da solidariedade. / Deus se manifesta a todos os seus filhos, mas só se revela através de Jesus, mas nem todos se deixam tocar pela manifestação de Deus, por isto rejeitam a Luz! / É Jesus que apresenta a salvação a todos aqueles que se deixaram tocar pelo Pai, não é Seu desejo que alguém se abstenha desta graça aberta a todos! / Jesus fora enviado a toda humanidade, entretanto, assim como a opção pelo pecado depende da liberdade humana, o mesmo se dá com a acolhida à graça. / Crer Naquele que o Pai enviou, é comprometer-se com a vida, é tornar-se servidor do Reino! / O crer, que implica a adesão concreta ao projeto de Deus, insere o discípulo na vida eterna. / Todo aquele que se abre para Deus, aceita Jesus e a sua proposta! / No evangelho de hoje, Jesus atinge o ponto mais profundo do mistério do amor de Deus pela humanidade ao se dar como nosso alimento! Este mistério de amor nos transforma, mina as forças do egoísmo, nos tornando livres para esta comunhão de amor com Cristo e com os irmãos! / Jesus se faz nosso alimento, o Pão que Ele nos dá, é o Pão da vida, sua própria carne, pão que nos transforma em templo sagrado onde Ele faz sua morada. / A vida iniciada aqui na terra, quando alimentada pelo Pão da vida, não será interrompida com a morte física. É o próprio Jesus que nos faz esta promessa, ao nos indicar o caminho da eternidade: “Eu sou o pão vivo, descido do céu. Quem comer deste pão viverá eternamente”! Quem se alimenta do Pão da vida que é Jesus, tem a sua vida transformada, pois vive em Deus e Deus vive Nele! / Enquanto peregrinamos por este mundo, somos necessitados deste alimento, o alimento que nos dá vigor, energia, gosto pela vida! / Quando Jesus diz: “Quem come da minha carne e bebe do meu sangue permanece em mim e eu nele”, amplia-se o nosso horizonte, aumentando em nós a responsabilidade de sermos continuadores do seu amor aqui na terra! / “Eu sou o Pão que desceu do céu”… Acolher esta verdade, é viver o mistério da fé, é estar em comunhão com o Cristo nesta vida e permanecer em comunhão com Ele na eternidade. / FIQUE NA PAZ DE JESUS! / (Olívia Coutinho).

8 – O PÃO VIVO DESCIDO DO CÉU!

Jesus neste Evangelho está se apresentando. Está dizendo quem realmente Ele é. De onde vem todo o seu poder e força. “O Pai ama o Filho e entregou tudo em sua mão”. / Em suas mãos foram depositados todos os poderes conforme ele o demonstrou nas operações dos muitos milagres. Dos quais, somente 51 nós podemos ler nos evangelhos. Jesus é Aquele que vem do alto e está acima de todos nós viventes terráqueos, limitados e sem poderes especiais. Jesus explica que somos da terra, e por isso pertencemos à terra e falamos das coisas aqui da terra, nos apegamos a esta vida sem nos preocupar com as coisas do alto. Porém, Aquele que vem do céu está acima de todos, embora não subjugou ninguém. Preferiu uma vida humilde desde o seu nascimento até os últimos minutos de sua curta existência entre nós. Não acumulou nenhum tesouro material, nem se candidatou a nenhum poder político muito embora o povo quisesse fazer dele um rei. Isto porque o seu reino não era deste mundo conforme Ele disse. / Quando falava, era o Pai que falava através de sua pessoa. Jesus dava testemunho daquilo que viu e ouviu do Pai. Mas infelizmente uma parte da humanidade não aceitou a sua pessoa, o seu mistério, a sua mensagem e o seu testemunho. / Quem viu Jesus, viu o Pai. Quem aceita o seu testemunho atesta que Deus é verdadeiro. E aquele que acredita no Filho possui a vida eterna. Aquele, porém, que rejeita o Filho não verá a vida, pois a ira de Deus permanece sobre ele. / Acho que não é preciso dizer mais nada sobre as consequências da falta de fé. Da indiferença, ou da atitude irônica diante das coisas de Deus. Ou o pior, da audácia daqueles que sendo descrentes, buscam enfraquecer ou mesmo tirar a fé dos cristãos fiéis a Deus, com invenções maldosas como por exemplo aquelas já citadas aqui, a respeito do relacionamento de Jesus e Madalena. / Prezado irmão, prezada irmã. Agora vou falar com você que tem fé, que pratica sua crença assistindo mais de uma missa por semana acompanhada de comunhão, e se compadece dos necessitados. Tudo isso é muito bom, principalmente porque você acredita e pratica a caridade que, segundo Jesus, são as coisas indispensáveis para a nossa salvação. Porém, está faltando uma coisa muito importante. Está faltando obras. E, como você sabe, a fé sem obras é uma fé morta. Por obras entendemos aqui, além da caridade, o trabalho de levar Deus, e os ensinamentos de Jesus ao irmão. Se você não tem o dom da palavra, faça isso pelo seu testemunho e exemplo. / (José Salviano).

9 – EU SOU O PÃO VIVO DESCIDO DO CÉU. QUEM COMER DESTE PÃO VIVERÁ ETERNAMENTE.

O próprio Jesus nos afirma: “Todos serão discípulos de Deus, por isso, aquele que foi instruído pelo Pai vem a mim”. Dessa forma Ele nos garante que todo aquele que escutou o Pai e por Ele foi instruído, se aproxima dele. Portanto, se você escuta a Palavra de Deus, se você procura aprofundar-se nos mistérios sagrados, você encontrará, com certeza, a Jesus Cristo pão da vida, pois a Palavra é o pão que alimenta a nossa alma e nos ensina o caminho para a vida eterna. / A fé em Jesus Cristo é quem nos garante a vida eterna. E a vida eterna nós começamos a vivê-la aqui, agora, porque cremos que Jesus está em nós e manifesta em nós este clima de eternidade. Eternidade é a vivência do Amor de Deus que opera em nós através de Jesus, pão vivo que vem do céu pelo poder do Espírito Santo. / “Eu sou o pão da vida”! O pão que nós tocamos, vemos e vivemos é a Palavra, é a Eucaristia. Não esperemos por um tempo que virá, a vida eterna começa aqui, agora, pois o reino de Deus é Jesus e Ele já está no meio de nós. Jesus se oferece como alimento, hoje, por isso, não podemos permanecer na inanição, aproveitemos, pois este é o momento mais importante da nossa vida. / Reflita: / – Medite nas afirmações de Jesus nesse trecho do Evangelho e pense na sua vida, o que você tem experimentado e o que você tem sentido em relação a Jesus e mais uma vez esteja consciente de que Cristo está vivo para dar a você a nova vida, hoje. Amém! / Abraço carinhoso. / (Maria Regina).

10 – EU SOU O PÃO VIVO DESCIDO DO CÉU.

Neste Evangelho Jesus nos ensina duas importantes verdades: / 1) A origem da fé nele, que brota de uma graça de Deus Pai. / 2) Jesus é o pão vivo que dá vida ao que dele come. / “Quem crê possui a vida eterna.” Cristo fala no presente: o que responde à atração do Pai, o que crê, já tem a vida eterna. Esta começa aqui e agora: o eterno entrou no tempo. É a escatologia realizada. Mas esse dom da fé está condicionado a uma atitude responsável: escutar Deus. “Todo aquele que escuta o Pai e por ele foi instruído, vem a mim”. E a nossa salvação é completada no futuro: “Eu o ressuscitarei no último dia”. / “Eu sou o pão vivo descido do céu.” Com a expressão “eu sou” (Javé em hebraico), Jesus se auto define como o pão que dá a vida eterna ao que dele se alimentar. Essa é a diferença do maná do deserto, que além de ser perecível, quem dele comia depois morria. / Há uma íntima relação entre a Eucaristia e a Morte e Ressurreição de Jesus. São os seus dois grandes gestos de amor a nós. Por isso que ele instituiu a Eucaristia um dia antes de sua morte, e ao instituí-la disse: “Isto é o meu corpo que será entregue por vós”, e também: “Isto é o meu sangue que será derramado por vós e por todos”. / A Eucaristia atualiza para nós a redenção. Cada vez que a celebramos, nós nos envolvemos mais no mistério pascal, participando da ressurreição de Jesus, que passou pela cruz. / A celebração eucarística, além de banquete, isto é, de alimento dos cristãos, e de encontro semanal da Comunidade, tem também esta dimensão: Ela torna presente, em termos de tempo e de lugar, o gesto redentor de Jesus, com todos os seus efeitos. Por isso que a chamamos memorial da redenção. Memorial é mais que memória ou recordação. É vivência hoje, revitalização daquilo que aconteceu no passado. Quando celebramos a Eucaristia, a Morte e Ressurreição de Jesus acontece misteriosamente ali, com todos os seus efeitos salvadores. A Assembleia eucarística torna-se ao mesmo tempo beneficiária e agente da redenção. A Igreja bebe toda a sua força de amar, e todo o seu dinamismo nesta fonte inesgotável q é a Eucaristia. / Trazendo para o aqui e agora o mistério redentor, a Eucaristia envolve a Assembleia participante, tornando-a Corpo Místico de Cristo e torna cada cristão “outro Cristo” no mundo. É assim que o sacrifício de Cristo se torna sempre vivo e atuante em todos os cantos da terra. Ao recebermos a Eucaristia, nós nos tornamos eucaristia para o mundo. / Certa vez, uma jovem mãe estava com o seu bebê no portão da sua casa. Passou uma senhora, parou e disse: “Como é bonita esta criança!” A mãe falou: “Espere um pouquinho, eu vou lá dentro buscar a fotografia dela para a senhora ver que é mais bonita ainda!” / Na verdade, o que aquela jovem mãe fez foi uma coisa ridícula, porque hoje em dia os fotógrafos podem falsificar fotografias, “melhorando” as pessoas. Mas há algo parecido com a nossa redenção. Ela foi além e tornou o original, isto é, o homem criado por Deus, melhor e mais bonito ainda. Foi por isso que cantamos no sábado santo, referindo-nos ao pecado original: “Ó culpa tão feliz que há merecido a graça de um tão grande Redentor”. / Quando Maria Santíssima ouvia, ao participar da santa Missa, estas palavras do seu Filho: “Tomai todos e comei: Isto é o meu corpo que será entregue por vós. Tomai todos e bebei…” certamente ela pensava: Este corpo foi gerado no meu útero. E quando ela comungava, era quase que uma nova encarnação. Aquele coração que batia em seu ventre, volta agora ao seu ventre, para sustentá-la na caminhada. Claro que Maria se lembrava também dos maus tratos que Jesus recebeu e continuava a receber dos homens, e voltava a sentir a espada que, no Calvário, transpassou o seu coração. Por isso lhe pedimos: “Ouvi nossos rogos, Mãe dos pecadores!” / Eu sou o pão vivo descido do céu. / (Padre Queiroz).

11 – QUAL É O MELHOR CAMINHO.

Confesso que quando vou a algum lugar desconhecido, mesmo com GPS acabo me perdendo, normalmente porque há outros caminhos e modos de se chegar a este lugar, e o que temos de fazer é ver qual é o melhor caminho, o mais curto e fácil… Mas já conheci lugares que só há um caminho de acesso, os demais caminhos passam por perto mas não dão acesso ao lugar. / O acesso do homem a Deus tem um único e Verdadeiro caminho: Jesus Cristo! É único e verdadeiro por uma razão muito simples: Só Ele veio de Deus, Só Ele viu o Pai, todas as demais definições sobre Deus – Pai, não merecem confiança e crédito, e usando uma linguagem bem de hoje, apenas a Revelação de Jesus sobre o Pai têm o certificado de garantia e autenticidade, o resto é imitação grotesca, se a Revelação não for cristã, não merece nenhum crédito. / É o próprio Pai que atrai a todos os homens, e esta atração é Jesus Cristo. Muitos existem que querem inventar um Deus diferente do Deus Cristão, principalmente na pós-modernidade, tentando adequar Deus ao consumismo, um Deus que satisfaz plenamente o Cliente, em certas igrejas que asseguram ter entre seus ministros os Porta-Vozes Oficiais da Vontade Divina, e ainda usam Jesus Cristo, que nas mãos desses gananciosos torna-se apenas um garoto propaganda da Fé. / E o que faz Jesus Cristo, único caminho, único acesso para se chegar ao Pai? / Fecha-se em uma comunhão egoísta na Vida de Deus, deixando os homens a incumbência de descobrirem por si só esse caminho? / Não, de modo algum! E aqui está o Amor Divino em toda sua magnificência… Jesus não é só o caminho, ele nos ajuda a caminhar, Jesus não é só a Verdade, ele nos ajuda a encontrá-la, Jesus não é só a Vida, ele nos possibilita termos essa Vida, por isso se faz Pão, se dá e se entrega a cada Homem que Nele professa a sua Fé. / E o Pão enquanto alimento, se transforma em parte do nosso ser, e daí podemos experimentá-lo e senti-lo em nós, e cada vez mais por ele próprio, alimentados e maduros em nossa Fé, vamo-nos configurando a Ele, vivendo assim mergulhados na Vida de Deus e ao mesmo tempo permitindo que Deus mergulhe em nós… E assim, aquele que é eterno penetra no mortal, e aquele que é mortal, penetra no que é Eterno e ganha a Vida Eterna para sempre. / (Diácono José da Cruz).

12 – EU SOU O PÃO VIVO QUE DESCEU DO CÉU.

Hoje cantamos ao Senhor de quem recebemos a glória e o triunfo. O Ressuscitado se apresenta perante sua Igreja com aquele “Sou o que sou” que o identifica como fonte de salvação: “Eu sou o pão da vida” (Jo 6,48). Em ação de graça, a comunidade reunida em torno ao Vivente o conhece amorosamente e aceita a instrução de Deus, reconhecida agora como o ensino do Pai. Cristo, imortal e glorioso, nos faz lembrar de novo que o Pai é o autêntico protagonista de tudo. Os que o escutam e nele acreditam, vivem em comunhão com o que vem de Deus, com o único que o tem visto e, assim, a fé é o começo da vida eterna. / O pão vivo é Jesus. Não é um alimento que assimilemos, senão que pelo contrário nos assimila. Ele nos faz ter fome de Deus, sede de escutar sua Palavra que é gozo e alegria do coração. A Eucaristia é antecipação da glória celestial: “Partimos um mesmo pão, que é remédio de imortalidade, antídoto para não morrer, para viver por sempre em Jesus Cristo” (Santo Inácio de Antioquia). A comunhão com a carne de Cristo ressuscitado nos faz acostumar com tudo aquilo que desce do céu, quer dizer, receber e assumir nossa verdadeira condição: Estamos feitos para Deus e somente Ele sacia plenamente nosso espírito. Mas esse pão vivo não nos fará viver um dia mais além da morte física, senão que nos foi dado agora “pela vida do mundo” (Jo 6,51). O desígnio do Pai, que não nos criou para morrer, está ligado à fé e ao amor. Quer uma resposta atual, livre e pessoal, a sua iniciativa. Cada vez que comemos esse pão, adentremo-nos no Amor mesmo! Já não vivemos para nós mesmos, já não vivemos no erro. O mundo ainda é precioso porque há quem continua amando-o até o extremo, porque há um Sacrifício do qual se beneficiam até os que o ignoram. / (Rev. D. Pere MONTAGUT i Piquet (Barcelona, Espanha)).

13 – A MINHA HUMILDE VISÃO E O MEU SIMPLES ENTENDIMENTO.

1ª Leitura / Salmo . / Evangelho . (FEGS).

CELEBRAÇÃO DE HOJE

— 3ª Semana da Páscoa (Cor Branca – Prefácio Pascal).

MONIÇÕES

MONIÇÃO AMBIENTAL OU COMENTÁRIO INICIAL:
– 1ª: Deus Conosco; – 2ª: Liturgia Diária.

– 1ª: Jesus é o Pão vivo descido do céu. Isto significa que Jesus põe-nos em comunhão com a eternidade, porque o pão é nossa comunhão com o Senhor. Foi Ele que nos trouxe a vida divina. E é a Eucaristia que nos faz estar em plena relação de amor com Jesus e com o Pai. Há uma só unidade. É vida eterna presente entre nós.
– 2ª: Em Jesus, ovelha levada ao matadouro, Deus assume a natureza humana e se mostra solidário às pessoas, que podem conhecê-lo e amá-lo. Pão descido do céu, Cristo põe-nos em comunhão com o Pai celeste e nos concede vida e ressurreição.

MONIÇÃO PARA A(S) LEITURA(S) E O SALMO:
– 1ª: Deus Conosco; – 2ª: Liturgia Diária.

– 1ª: Aquele homem etíope ouviu e acolheu a Palavra do Senhor e fez-se batizar. É preciso ler, meditar e trazer para a vida o que a Palavra ensina. Assim, a vida se renova e podemos viver em comunhão com o Pão vivo descido do céu. Abramos nosso coração e acolhamos a Palavra do Senhor.
– 2ª: A leitura da palavra de Deus nem sempre é suficiente para suscitar a fé no Senhor; às vezes há necessidade de alguém que a explique. Alimentados por Cristo, verdadeiro mestre da Palavra e pão da vida, teremos condições de entender suas propostas.

MONIÇÃO PARA O EVANGELHO.

— Aleluia, aleluia, aleluia.
— Aleluia, aleluia, aleluia.
— Eu sou o pão vivo, descido do céu, quem deste pão come, sempre há de viver. (Jo 6,51).

ANTÍFONAS

Antífona da entrada.

Cantemos ao Senhor, ele se cobriu de glória. O Senhor é a minha força e o meu cântico: foi para mim a salvação, aleluia! (Ex 15,1s).

Antífona da comunhão

O Cristo morreu por todos, para que os que vivem já não vivam para si mesmos, mas para aquele que por eles morreu e ressuscitou, aleluia! (2Cor 5,15).

ORAÇÕES DO DIA

Oração do dia ou Oração da coleta

Ó Deus eterno e onipotente, que nestes dias vos mostrais tão generoso, dai-nos sentir mais de perto o vosso amor paterno para que, libertados das trevas do erro, sigamos com firmeza a luz da verdade. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Preces da Assembleia ou Oração da Assembleia:
– 1ª: Deus Conosco; – 2ª: Liturgia Diária.

– 2ª: — Lembrai-vos, Senhor.
1. Da vossa Igreja e seus ministros.
2. Dos profetas e evangelizadores.
3. Dos estudiosos da palavra de Deus.
4. Dos famintos e necessitados.
5. Dos que partilham o pão.

Oração sobre as oferendas

Ó Deus que, pelo sublime diálogo deste sacrifício, nos fazeis participar de vossa única e suprema divindade, concedei que, conhecendo vossa verdade, lhe sejamos fiéis por toda a vida. Por Cristo, nosso Senhor.

Oração depois da comunhão

Ó Deus de bondade, permanecei junto ao vosso povo e fazei passar da antiga à nova vida aqueles a quem concedestes a comunhão nos vossos mistérios. Por Cristo, nosso Senhor.

Fontes de Consultas e Pesquisas

Vamos expor a seguir, os nomes dos sites e blogs a que pertencem os textos que nos preenchem todos os dias com palavras inspiradas pelo Espírito Santo, nos dando um caminho com mais sabedoria, simplicidade e amor.
FONTE PRINCIPAL DE PESQUISA E INSPIRAÇÃO — “BÍBLIA SAGRADA”.
O importante não é a pessoa que escreve, mas quem inspira essa pessoa a escrever.
O importante não é como se lê o que está escrito, mas como se age.
O importante não é sentar-se à direita ou a esquerda do Pai, mas sim, realizar o trabalho que ele nos pede.
Ter conhecimento não é ter sabedoria, sabedoria é saber compartilhar o conhecimento.
— Periódico Mensal: Liturgia Diária (Editoras Paulinas e Paulus);
— Periódico Mensal: Deus Conosco (Editora Santuário);

— Portal Editora Santuário;

— Portal Editora Paulinas;

— Portal Editora Paulus;

— Portal e Blog Canção Nova;

— Portal Dom Total;

— Portal Católica Net;

— Portal Católico Orante;

— Portal Edições Loyola Jesuítas;

— Portal de Catequese Católica;

— Portal Evangelho Quotidiano;

— Blog Homilia Dominical;

— Blog Liturgia Diária Comentada;

— Portal CNBB (A Palavra de Deus na Vida);

— Portal Catequisar: Catequese Católica;

— Portal Universo Católico;

— Portal Paróquia São Jorge Mártir;

— Portal Catedral FM 106,7;

— Portal Comunidade Católica Nova Aliança;

— Portal Comunidade Resgate;

— Portal Fraternidade O Caminho;

— Portal Católico na Net;

— Portal Evangeli.net;

— Portal Padre Marcelo Rossi;

— Portal Grupo de Oração Sopro de Vida;

— Portal NPD Brasil.

–>

Anúncios
Esse post foi publicado em Religião. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s