Liturgia Diária 24/ABR/13

LEITURA DIÁRIA DA PALAVRA — 24/ABR/2013 (quarta-feira)

LEITURAS

Leitura dos Atos dos Apóstolos (At 12,24—13,5a)

Naqueles dias, 24 a palavra do Senhor crescia e se espalhava cada vez mais. 25 Barnabé e Saulo, tendo concluído seu ministério, voltaram de Jerusalém, trazendo consigo João, chamado Marcos. 13,1 Na Igreja de Antioquia, havia profetas e doutores. Eram eles: Barnabé, Simeão, chamado o Negro, Lúcio de Cirene, Manaém, que fora criado junto com Herodes, e Saulo. 2 Um dia, enquanto celebravam a liturgia, em honra do Senhor, e jejuavam, o Espírito Santo disse: “Separai para mim Barnabé e Saulo, a fim de fazerem o trabalho para o qual eu os chamei”. 3 Então eles jejuaram e rezaram, impuseram as mãos sobre Barnabé e Saulo, e deixaram-nos partir. 4 Enviados pelo Espírito Santo, Barnabé e Saulo desceram a Selêucia e daí navegaram para Chipre. 5a Quando chegaram a Salamina, começaram a anunciar a Palavra de Deus nas Sinagogas dos judeus. Eles tinham João como ajudante.

— Palavra do Senhor.

— Graças a Deus.

Proclamação do Salmo (Sl 66, 2-3. 5. 6.8 (R. 4)).

— Que as nações vos glorifiquem ó Senhor, que todas as nações vos glorifiquem.

— Que as nações vos glorifiquem ó Senhor, que todas as nações vos glorifiquem.

— 2 Que Deus nos dê a sua graça e sua bênção, e sua face resplandeça sobre nós! / 3 Que na terra se conheça o seu caminho / e a sua salvação por entre os povos.

— 5 Exulte de alegria a terra inteira, / pois julgais o universo com justiça; / os povos governais com retidão, / e guiais, em toda a terra, as nações.

— 6 Que as nações vos glorifiquem, ó Senhor, que todas as nações vos glorifiquem! / 8 Que o Senhor e nosso Deus nos abençoe, / e o respeitem os confins de toda a terra!

Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo João (Jo 12,44-50).

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo + segundo João.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 44 Jesus exclamou em alta voz: “Quem crê em mim não é em mim que crê, mas naquele que me enviou. 45 Quem me vê, vê aquele que me enviou. 46 Eu vim ao mundo como luz, para que todo aquele que crê em mim não permaneça nas trevas. 47 Se alguém ouvir as minhas palavras e não as observar, eu não o julgo, porque eu não vim para julgar o mundo, mas para salvá-lo. 48 Quem me rejeita e não aceita as minhas palavras já tem o seu juiz: a palavra que eu falei o julgará no último dia. 49 Porque eu não falei por mim mesmo, mas o Pai, que me enviou, ele é quem me ordenou o que eu devia dizer e falar. 50 Eu sei que o seu mandamento é vida eterna. Portanto, o que eu digo, eu o digo conforme o Pai me falou”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

LEITURA ORANTE:

… Oração Inicial … (querer)

Preparo-me, com todos os internautas que fazem a Leitura Orante, pedindo a graça de sermos iluminados pela Luz da verdade.

Espírito de verdade, a ti consagro a mente e meus pensamentos: ilumina-me.

Que eu conheça Jesus Mestre e compreenda o seu Evangelho.

… Eu sou o CAMINHO … (ler…)

O que diz o texto do dia?

Leio atentamente, na Bíblia, o texto: Jo 12,44-50 e observo as palavras de Jesus.

Mais uma vez ele faz um apelo à fé dos que o ouvem e define-se como Luz.

Para ser iluminado por esta luz que é Jesus são necessárias, basicamente, três coisas ou atitudes:

– 1ª: Crer em Jesus Cristo.

– 2ª: Ouvir a sua mensagem.

– 3ª: Praticar os ensinamentos de Jesus.

… a VERDADE … (refletir e meditar…)

O que o texto diz para mim, hoje?

Creio em Jesus Cristo?

Deixo-me iluminar pela sua mensagem?

Pratico seus ensinamentos?

Isto é vivido pelas outras pessoas no mundo de hoje?

Vale recordar o que disseram os bispos, em Aparecida: “Conhecer a Jesus Cristo pela fé é nossa alegria; segui-lo é uma graça, e transmitir este tesouro aos demais é uma tarefa que o Senhor nos confiou ao nos chamar e nos escolher. Com os olhos iluminados pela luz de Jesus Cristo ressuscitado, podemos e queremos contemplar o mundo, a história, os nossos povos da América Latina e do Caribe, e cada um de seus habitantes. Com os olhos iluminados pela luz de Jesus Cristo ressuscitado, podemos e queremos contemplar o mundo, a história, os nossos povos da América Latina e do Caribe, e cada um de seus habitantes.” (DAp 18).

… e a VIDA … (orar…)

O que o texto me leva a dizer a Deus?

Rezo, com todos, neste momento:

Senhor Jesus, Tu és o Caminho!

Em meio a sombras e luzes, alegrias e esperanças, tristezas e angústias, Tu nos levas ao Pai.

Não nos deixes caminhar sozinhos.

Fica conosco, Senhor!

Tu és a Verdade!

Desperta nossas mentes e faze arder nossos corações com a tua Palavra.

Que ela ilumine e aqueça os corações sedentos de justiça e santidade.

Ajuda-nos a sentir a beleza de crer em Ti!

Fica conosco, Senhor!

Tu és a Vida!

Abre nossos olhos para te reconhecermos no “partir o Pão”, sublime Sacramento da Eucaristia!

Alimenta-nos com o Pão da Unidade.

Sustenta-nos em nossa fragilidade.

Consola-nos em nossos sofrimentos, faze-nos solidários com os pobres, os oprimidos e excluídos.

Fica conosco, Senhor!

Jesus Cristo: Caminho, Verdade e Vida.

No vigor do Espírito Santo, faze-nos teus discípulos missionários!

Com a humilde serva do Senhor, nossa Mãe Aparecida, queremos ser:

Alegres no Caminho para a Terra Prometida!

Corajosas testemunhas da Verdade libertadora!

Promotores da Vida em plenitude!

Fica conosco, Senhor! Amém!

Qual deve ser a MISSÃO em minha VIDA hoje? (contemplar e agir…)

Qual meu novo olhar a partir da Palavra?

Quero manter meu olhar iluminado pela luz de Jesus hoje e todos os dias. Thomas Merton diz: “Somos como pilotos de navios imersos no nevoeiro, escrutando a escuridão diante de nós, tentando ouvir o ruído de outros navios, e só poderemos atingir o porto se nos mantivermos alertas. A vida espiritual é, portanto, em primeiro lugar uma questão de estar desperto”.

REFLEXÕES:

1 – CRER EM JESUS E NO PAI.

A fé em Jesus está estreitamente ligada com a fé no Pai, e a fé no Pai conduz à fé em Jesus. Ambos os níveis da fé estão em mútua dependência. Considerados isoladamente, perdem toda a sua consistência.

fé em Jesus tem fundamento na sua condição de enviado do Pai. Enquanto enviado, é portador de uma missão específica. As palavras a serem proclamadas não são suas. Compete-lhe somente anunciar o que lhe foi comunicado. Por outro lado, o poder de realizar obras prodigiosas também lhe foi conferido. Portanto, os milagres realizados por ele apontam para o Pai, fonte de todo poder.

Todavia, a ação de Jesus não foi puramente mecânica, como se ele fosse um instrumento passivo nas mãos do Pai. Pelo contrário, lançou-se, de corpo e alma, na missão recebida, assumindo como obra própria tudo quanto realizava. Havia uma profunda sintonia entre a pessoa de Jesus e sua ação. Ele não agia por mera formalidade.

Embora querida pelo Pai, a ação de Jesus revelava sua identidade com ele. Por isso, a profissão de fé no Pai leva, necessariamente, à profissão de fé no Filho Jesus. Por outro lado, sendo Jesus manifestação do Pai, na história humana, quem nele crê, está no caminho seguro para chegar ao Pai.

Oração: Espírito do Pai e do Filho, conduze-me a uma fé sincera em ambos, de modo que eu saiba contemplar, no rosto de Jesus, o rosto Pai.

(Pe. Jaldemir Vitório – Jesuíta, Doutor em Exegese Bíblica, Professor da FAJE).

2 – TEMOS ACOLHIDO OU REJEITADO AS PALAVRAS DE JESUS?

Estamos diante de uma verdade inegável. Pela última vez, Jesus visita Jerusalém e fala publicamente por ocasião da festa da Páscoa dos judeus. Clamado rei pelo povo quando entra na cidade, em alto e bom som, Jesus começa o seu discurso de identificação com o Pai do Céu, exortando a todos para que permaneçam unidos a Ele escutando e acolhendo Sua palavra, assim como Ele e o Pai são um: “Eu e o Pai somos um”.

partir desta expressão, concluímos que entre Jesus e o Pai que O enviou há tal comunhão de vida, palavra e juízo, que ouvir e ser julgado por um é ouvir e ser julgado pelo outro.

Retomando o que João disse no prólogo, acolhê-Lo é acolher a Luz que vem de Deus. Pois Ele é a Luz do mundo, e quem crê n’Ele não permanece nas trevas, mas terá a luz da vida. É ter a vida que vem do próprio Deus. Crer em Jesus é crer em Deus Pai. Ele só fala o que o Pai mandou e ordenou que dissesse ou fizesse: “Eu não tenho falado em meu próprio nome, mas o Pai, que me enviou, é quem me ordena o que devo dizer e anunciar”.

Quero chamar a sua atenção, meu irmão, nas palavras de Jesus: “A palavra que eu falei o julgará no último dia”, ou seja, as palavras de Cristo nos haverão de julgar. O julgamento não será feito por Jesus, mas sim pela própria acolhida ou rejeição da Sua palavra.

Aproximemo-nos, acolhamos e sejamos dóceis a elas [palavras de Jesus]. Saiba que a participação – ou não – na vida eterna é opção minha e sua. Deus conta com a minha e a sua adesão na fé e com o nosso dom de amor a serviço da vida, a qual, assumida em Deus, é eterna. Quanto mais entramos em comunhão de vida, palavra e critérios com Jesus e o Seu Reino, mais compreenderemos a expressão: “Ver Jesus é ver o Pai”, e preparados estaremos para a nossa união indivisível com Cristo, no Pai e no Espírito Santo.

(Padre Bantu Mendonça).

3 – EU VIM AO MUNDO COMO LUZ, PARA QUE TODO O QUE CRÊ EM MIM NÃO FIQUE NAS TREVAS.

“Deus é luz” (1Jo 1,5), uma luz infinita e incompreensível. O Pai é luz, o Filho é luz, o Espírito Santo é luz; os Três são luz única, simples, incompósita, intemporal, em eterna identidade de dignidade e glória. Desse modo, tudo o que vem de Deus é luz e nos é dado como provindo da luz: luz a vida, luz a imortalidade, luz a fonte da vida, luz a água viva, a caridade, a paz, a verdade, a porta do Reino dos Céus. Luz o próprio Reino, luz a câmara nupcial, o leito nupcial, o Paraíso de delícias, a terra dos mansos, a coroa da vida, as próprias vestes dos santos. Luz Jesus Cristo, Salvador e Rei do universo, luz o pão da Sua carne imaculada, luz o cálice do Seu sangue precioso, luz a Ressurreição; luz o Seu rosto, a Sua mão, o Seu dedo, a Sua boca, luz os Seus olhos; luz o Senhor e a Sua voz, luz da luz. Luz o Consolador, a pérola, o grão de mostarda, a verdadeira vide, o fermento, a esperança, a fé: luz!

(Simeão o Novo Teólogo (c. 949-1022), monge grego – III Discurso Teológico).

4 – BOA NOVA PARA CADA DIA.

Eu vim ao mundo como luz, para que todo aquele que crê em mim não permaneça nas trevas (Jo 12,46).

Neste versículo, Jesus se declara luz para a humanidade. No entanto, é preciso crer em Jesus para permanecer nesta luz. Crer em Jesus é uma afirmação constante que Ele faz, porque está dialogando com judeus que se recusam a aceitá-Lo como enviado de Deus.

Por qual motivo Jesus se afirma como luz aos judeus naquele momento?

Jesus lhes traz à mente Isaías 42,7: … para abrires os olhos aos cegos, para tirares da cadeia o prisioneiro, e do cárcere tirares os que jazem em trevas. E, ainda Isaías 9,2: O povo que andava em trevas viu grande luz, e aos que viviam na região da sombra da morte resplandeceu lhes a luz. Para aqueles judeus essas profecias de Isaías eram muito conhecidas. O mais importante é que Jesus as aplica a Si mesmo, e afirma que os judeus devem aceitá-Lo como esta luz.

Jesus não diz isso porque quer, mas porque o Pai Lhe ordenou (Jo 12,49). Agora sua argumentação adquire muito mais força: o Deus de Israel é quem Lhe dá ordens. E ainda: o mandamento de Deus é Vida Eterna. A Vida Eterna, portanto, coincide com a vontade de Deus manifestada aos homens. Deus que dá ordens e tudo se cumpre é o mesmo que decide que os homens tenham a Vida que é própria Dele e dada por meio de Jesus.

Aos judeus bastava aceitar Jesus para receberem, assim, a Vida Eterna. Sabemos como eles a perderam. Nós a recebemos e devemos permanecer na vontade de Deus para não a perdermos.

(Pe. Valdir Marques, SJ).

5 – REFLEXÃO.

Jesus é o grande comunicador do Pai. Ele veio ao mundo não para fazer a própria vontade, mas veio como enviado do Pai para realizar as obras de Deus, e ele foi fiel à sua missão. E a missão que o Pai atribuiu a Jesus é uma missão salvífica: a missão de retirar a humanidade do reino das trevas e introduzi-la no reino da luz. Ser cristão significa ouvir as palavras de Jesus, reconhecer o caráter divino que está presente nela, sentir-se apelado por ela para não mais viver nas trevas do erro, do pecado e da morte, mas sim na luz da verdade, da vida e do amor e responder de forma positiva a este apelo para que, crendo nas palavras de Jesus, creiamos firmemente naquele que o enviou para a nossa salvação.

(CNBB).

6 – QUEM ME VÊ, VÊ AQUELE QUE ME ENVIOU.

A perícope de hoje contrasta com a precedente (12,37-43), em que o tema é a incredulidade.

Apesar de ter realizado muitos sinais, muitos judeus não creram nele (cf. v. 34). A razão da incredulidade: cegueira e dureza de coração (cf. v. 40; ver também Jo 9,41).

Aqui, Jesus toma a palavra. Ele é o enviado do Pai e, como tal, é portador da palavra do Pai: “… aquele que Deus enviou fala as palavras de Deus” (Jo 3,34).

Pelo paralelismo apresentado nos versículos 44 e 45, “crer” e “ver” são, no quarto evangelho, sinônimos. Trata-se da visão própria da fé, que ultrapassa o aparente e penetra a realidade em sua profundidade. A fé possibilita a experiência de que estar diante de Jesus é estar na presença de Deus: “Quem me vê, vê aquele que me enviou” (v. 45). Esse paralelismo permite ainda compreender a profunda unidade que une o enviado àquele que o enviou. Por isso, Jesus poderá dizer: “O Pai e eu somos um” (10,30).

Ouvir Jesus é ouvir, como dissemos, o Pai: “… o que eu falo, eu o falo de acordo com o que o Pai me disse” (v. 50).

(Carlos Alberto Contieri, sj).

7 – EU VIM COMO LUZ…

O grande drama da humanidade transparece no Prólogo do Evangelho de S. João: “O Verbo era a luz verdadeira… Veio para o que era Seu, e os Seus não o acolheram”. É a história de uma terrível recusa, de uma fatal opção pelas trevas e pela morte definitiva.

seria muito cômodo para nós aplicar esta recusa apenas ao povo que viveu no tempo de Jesus, como se nós não estivéssemos sujeitos ao mesmo risco. Pelo contrário, depois de vinte séculos de cristianismo, nós conhecemos melhor do que eles o Caminho a ser trilhado. Por isso mesmo, nossa eventual rejeição da luz que o Pai nos oferece em Jesus seria muito mais grave. Nossa responsabilidade, muito mais séria.

Um pregador famoso lembrava que as casas noturnas usam “luz negra” em seus ambientes exatamente para que o mal ali praticado e o clima de licenciosidade não venham à luz. Nota-se a opção pelas trevas. Pelo mesmo motivo, os malfeitores quebram as lâmpadas das ruas: querem liberdade para praticar o mal sem serem identificados e penalizados.

Mas há formas ainda mais “refinadas” de optar pelas trevas. Contestar o ensino do Magistério eclesial e deliciar-se com a leitura de livros que caluniam a Igreja de Jesus, aí está a recusa da luz. Assistir a programas de TV que zombam dos bons costumes e fazem propaganda da libertinagem, dando audiência à catequese dos pagãos, eis a opção pelas trevas. Explorar a mão-de-obra dos empregados, desviar as verbas do Governo, corromper seus funcionários – aí está o dedo do príncipe das trevas.

cristão opta pela luz. E não se limita a estacionar em uma linha limítrofe, próxima ao país das sombras. Antes, se esforça por mergulhar na luz, mais e mais, identificando-se pouco a pouco com o modelo luminoso de seu Mestre, que veio “como luz ao mundo”.

Estar na luz é amar. S. João alerta: “Aquele que diz estar na luz, e odeia a seu irmão, jaz ainda nas trevas”. (1Jo 2, 9).

Que passos eu devo dar, em meu dia-a-dia, para me afastar em definitivo de um mundo de trevas?

Orai sem cessar: “O Senhor é minha luz e minha salvação.” (Sl 27 [26], 1).

(Antônio Carlos Santini).

8 – POR QUE PERDEMOS A FÉ?

Bom dia!

Em que momentos somos sequestrados pela escuridão?

Quais são as situações que enfrentamos que nos levam a perder por completo a esperança?

que faz alguém se negar a acreditar?

Na traição, na falta de compreensão, na angústia, na perca, no isolamento, na indiferença, nas grandes batalhas, em meio a dívidas, […], mas noto que mesmo nessa hora somos convidados ou imbuídos a não esmorecer. Em meio a uma tempestade de problemas, tendo às vezes nenhum horizonte visível, somos DESAFIADOS a continuar lutando.

“(…) Ser cristão significa ouvir as palavras de Jesus, reconhecer o caráter divino que está presente nela, sentir-se apelado por ela para não mais viver nas trevas do erro, do pecado e da morte, mas sim na luz da verdade, da vida e do amor e responder de forma positiva a este apelo para que, CRENDO NAS PALAVRAS DE JESUS, CREIAMOS FIRMEMENTE NAQUELE QUE O ENVIOU PARA A NOSSA SALVAÇÃO”. (Reflexão da CNBB).

Num embate sempre existirá um perdedor e um vencedor, por mais equilibrada que sejam os oponentes, alguém vai ceder a vitória. (…)

Um perdedor

É aquele que não crê, que desiste, que não enfrenta, que recusa a ouvir conselhos, o que persiste por orgulho, o teimoso, aquele que entrega os pontos. Aquele que confia somente em si, não partilha, não colabora, que aponta, (…). Aquele que pensa ser forte, mas é o fraco! “(…) Se alguém ouvir a minha mensagem e não a praticar, eu não o julgo. Pois eu vim para salvar o mundo e não para julgá-lo. Quem me rejeita e não aceita a minha mensagem já tem quem vai julgá-lo”. (…)

Um vencedor

Aquele que levanta, que insiste, não desiste e persiste. É aquele que tem um motivo nobre, uma benção na fronte, um olhar para o horizonte e um sentimento forte. É aquele que põe sua confiança no céu sem tirar os olhos dos que estão no chão; é o que junta e não espalha, é o que agrega e não o que segrega; é o que consegue ver o projeto ainda na planta; é aquele que a luz sempre o acompanha… Esse, por mais que pareça fraco, é o forte! “(…) Quem crê em mim crê não somente em mim, mas também naquele que me enviou. Quem me vê, vê também aquele que me enviou. Eu vim ao mundo como luz para que quem crê em mim não fique na escuridão”.

É gratificante olhar nos olhos dos que escolheram a simplicidade e poder ver Deus neles. Chego a conclusão que o reino de Deus para eles foi sussurrado e não insistido aos berros. Nossa religiosidade cristã é complicada para esse mundo tão materialista, ou melhor, é um grande paradoxo: O maior de todos os servos virou senhor pela simplicidade e não pela força.

fé faz-nos entender que a grande força que brota dos filhos de Deus é da própria luz que emana do Espírito Santo que habita em cada um de nós.

“(…) Felizes as pessoas que sofrem perseguições por fazerem a vontade de Deus, pois o Reino do Céu é delas. Felizes são vocês quando os insultam, perseguem e dizem todo tipo de calúnia contra vocês por serem meus seguidores FIQUEM ALEGRES E FELIZES, POIS UMA GRANDE RECOMPENSA ESTÁ GUARDADA NO CÉU PARA VOCÊS. Porque foi assim mesmo que perseguiram os profetas que viveram antes de vocês“ (Mateus 5, 10-12).

questão agora não é mais se acredito ou não, mas se rejeito que a mensagem da Boa Nova seja de vida e que liberte, como aqueles que se dizem alheios a ela. O que parece é que essas pessoas não renegam a Jesus e sim as regras e dogmas que temos como igreja. É comum vê-las citar frases e expressões ensinadas por Jesus como referencia e também participando de debates “calorosos” quando o assunto é religião…

Aquele que vive no sítio, onde não há luz elétrica, se encanta o ver a luz do luar, das estrelas, dos faróis dos carros que passam na estrada. O lavrador dá bom dia ao sol e começa o seu trabalho. Quem tem a graça de enxergar só não vê a luz se por vontade própria fechar os olhos, mas mesmo assim a luz aos poucos surge e a total escuridão passa, ficando a penumbra. Só vive por completo na escuridão aquele que por orgulho mente pra si próprio ou desistiu.

Portanto, não desista de ver a luz!

Levanta!

É mais fácil olhar pela janela ficando de pé!

Seja luz! Pode me chamar de sonhador, mas Deus me chama de forte!

Um imenso abraço fraterno.

(Alexandre Soledade).

9 – QUEM CRER EM MIM E OUVE AS MINHAS PALAVRAS, CRÊ NAQUELE QUE ME ENVIOU.

O Evangelho de hoje é um daqueles textos da sagrada escritura, igual ao texto de Paulo sobre a caridade, que devemos ter na nossa mesa de trabalho, na nossa frente, para que possamos diariamente ler e meditar. Por que Jesus explica que Ele não é uma pessoa qualquer, como pensavam os fariseus e doutores da Lei.

Neste evangelho Jesus está se apresentando com justificativas verdadeiras para aqueles que os aceitam. E o faz por causa de tanta incompreensão dos judeus, principalmente os fariseus, que tramara a sua morte por Ele ter desrespeitado certos aspectos ridículos da Lei, escritos pelos doutores, como caso do descanso do sábado, que no início foi instituído para um descanso pessoal, mais depois se transformou em instrumento de opressão e injustiça, para aqueles que viessem a desobedecê-lo.

Jesus explica que o seu poder lhe vem do Pai que o ama. Assim como o Pai tem poderes de realizar obras poderosas, o Filho também é capaz de tudo.

Jesus nos tranquiliza afirmando que o Pai não julga ninguém, e que o Filho recebeu do Pai o poder de nos julgar. Isto é muito bom, porque Jesus, uma vez assumindo a natureza humana, terá e tem condições de se colocar no nosso lugar e entender por que às vezes fazemos certas coisas erradas. O Pai, não obstante sua onisciência, sua sapiência, e onipresença, não esteve incorporado na nossa pele, como Jesus sentiu a dor das chicotadas, dos cravos que lhes pregaram nos punhos, o desconforto da sede, da fome e do sono. Por isso Deus Pai achou por bem, entregar a Jesus a tarefa de nos julgar. Não que Ele não fosse capaz de se por no nosso lugar, mais porque se o Filho esteve na nossa pele, Deus concluiu que Jesus era a pessoa da Santíssima Trindade, mais indicada para nos avaliar. E o seu julgamento será justo. Aqueles que fizeram o mal irão para o fogo eterno. E aqueles que viverem segundo as palavras do Filho terão a glória eterna.

Jesus garante que quem honra o Filho, honra o Pai. Da mesma forma, quem acreditar nas palavras do Filho está acreditando no Pai que o enviou.

(José Salviano).

10 – JESUS SE REVELA COMO DEUS.

Jesus se revela como Deus, Ele é o próprio Deus encarnado na figura humana, que veio para cumprir a promessa de salvação para toda a humanidade pecadora. Ele veio para ser luz no meio das trevas, e todo aquele que nele crer não permanecerá nas trevas mesmo diante das barreiras que o mundo nos impõe.

Precisamos estar atentos à palavra de Jesus, e observá-la diariamente, pois é o alimento que nos fortalece e dá vida. Por meio desta palavra como está escrito:

“Conhecereis a verdade e a verdade vos libertará!”. Mas quem rejeita a palavra, rejeita o próprio Cristo e se faz juiz de si próprio, portanto, somos nós que nos tornamos réus pelas nossas ações, e não Deus quem nos condena.

Toda palavra da boca de Jesus é autoridade de Deus que nos dá a conhecer como deve ser nossa maneira de agir. A maior força da palavra de Deus está na prática do amor Ágape, originado do grego que significa amor incondicional, um amor que não espera retribuição, é o amor descrito na carta aos coríntios.

Jesus nos deu prova deste amor, ao assumir nossa humanidade, e se deixar pregar na cruz, derramando o seu sangue em sacrifício para a remissão dos pecados de toda a humanidade. É nele que devemos nos espelhar. Fica aqui a pergunta: Queremos seguir Jesus de fato?

Coloquemo-nos no seu lugar ao nos encontrar numa situação de dúvida em relação ao nosso modo de pensar e agir, e a pergunta que faremos a nós mesmos, como Jesus agiria no meu lugar?

mundo nos oferece inúmeras vantagens passageiras, somos muitas vezes ofuscados pelas coisas “maravilhosas” que vemos, mas, o que os olhos humanos veem, nem sempre são a expressão da verdade. A verdade que o mundo tenta nos impor é enganadora, é artimanha do inimigo, que quer nos escravizar e destruir. A Verdade que Jesus nos oferece é a que nos liberta, e nos leva à felicidade eterna.

Caros irmãos e irmãs, busquemos nos apegar às coisas do alto, à palavra que cura, salva e liberta. Sabemos que não é fácil, porque o inimigo sabendo da nossa fraqueza humana tenta a todo o custo nos desviar do verdadeiro caminho que é Jesus. Quando nós nos encontrarmos em situação de perigo, desanimados, sem forças devemos gritar em nosso socorro pelo nome de Jesus, pois este nome tem poder. E nesta hora com certeza com seu amor misericordioso, Ele estará do nosso lado a nos socorrer.

Amém!

(Newton Hermógenes).

11 – EU VIM AO MUNDO COMO LUZ.

Neste Evangelho, Jesus nos fala que veio como luz, luz enviada por Deus Pai para que tenhamos a vida eterna. Em outra ocasião ele falou: “Eu sou a luz do mundo. Quem me segue, não andará nas trevas, mas terá a luz da vida” (Jo 8,12).

Jesus continua: “Eu não falei por mim mesmo, mas o Pai é quem me ordenou o que eu devia falar.” O evangelista João vai mais longe e fala que Jesus, não só fala o que Deus Pai lhe mandou, mas é a própria Palavra de Deus Pai que se fez carne (cf. Jo 1,14).

Mas Jesus lamenta: “A luz veio ao mundo, mas as pessoas amaram mais as trevas do que a luz, porque as suas obras eram más. Pois quem pratica o mal não se aproxima da luz, para que suas obras não sejam denunciadas” (Jo 3,19-20). Esta é uma verdade que vemos todos os dias: quem faz o mal age às escondidas.

No fundo, somos nós que nos julgamos a nós mesmos diante de Deus, porque o nosso julgamento está na própria palavra de Jesus que ouvimos e não praticamos. “Se alguém ouvir as minhas palavras e não as observar… já tem o seu juiz: a palavra que eu falei o julgará no último dia”. Isto nos cutuca fortemente, e nos faz pensar duas vezes antes de abrir os Evangelhos e ler as palavras de Jesus, pois a partir do momento em que as lemos, temos obrigação de praticá-las. Claro que o Espírito Santo nos ajuda, mas que é sério, é. No fundo, quem rejeita as palavras de Jesus está rejeitando a Deus Pai, do qual Jesus é o porta-voz.

Por outro lado, quem ouve as palavras de Jesus não será frustrado, pois constrói sobre a rocha (Mt 7,24). Praticar a palavra de Jesus, no fundo, é aderir à sua pessoa e entregar-se a ele, num encontro de absoluta confiança. Pela fé fazemos nossa a sua pessoa, de maneira que ele chega a ser o nosso ideal de vida, numa comunhão total de amor e de vida.

Evangelho de hoje nos leva a fazer um paralelo: Assim como Jesus foi um fiel mensageiro de Deus Pai, nós devemos ser fiéis mensageiros de Jesus, falando só e tudo o que ele disse, isto é, reproduzindo hoje, na linguagem de hoje, o que ele falou, sem mudar nem um pouquinho. Se não conseguimos praticar, vamos ser humildes e pedir perdão, em vez de querer mudar ou torcer as palavras de Jesus. A santa Igreja é a fiel intérprete das palavras de Jesus. Qualquer dúvida, é só consultar a Igreja una, santa, católica e apostólica.

Certa vez, numa sala de catequese, a catequista perguntou para as crianças: “Qual é a parte mais importante da Missa?” Um menino, que era bastante levado, respondeu: “É quando termina a Missa”. Os colegas deram uma pequena vaia nele, como quem diz: “Você assiste à Missa doido para que ela termine logo, hein?” A catequista interveio e lhe perguntou por quê. Ele se levantou e explicou com firmeza: “A parte mais importante da Missa é quando ela termina, porque aí começa a nossa Missa!” Esta foi a maior lição que os alunos receberam naquela aula de catecismo.

De nada adianta ouvir a Palavra de Deus e depois não praticar. Jesus só será a nossa luz, se acolhermos e praticarmos a sua palavra. “Nem todo aquele que me diz: Senhor! Senhor! Entrará no Reino dos Céus, mas só aquele que põe em prática a vontade de meu Pai que está nos céus” (Mt 7,21).

Maria Santíssima foi a primeira a ser iluminada por esta maravilhosa Luz que Deus Pai nos mandou. Que ela nos ajude a acolhê-la também.

Eu vim ao mundo como luz.

(Padre Queiroz).

12 – A PALAVRA QUE NOS JULGA…

Estou revendo uma novela dos anos 90 chamada “Roque Santeiro”, nela, o maldoso e cruel Sinhozinho Malta, a cada maldade arquitetada perguntava aos seus cupinchas, “Estou certo ou errado?” balançando a pulseira do relógio, em um gesto que demonstrava um excessivo autoritarismo, e ninguém ousava dizer que ele estava errado…

Quando ouvimos falar de um Deus diante do qual chegaremos para ser julgados, dá um “friozinho” na barriga, principalmente sabendo que não haverá recurso e nem apelação, o julgamento será definitivo e irá selar toda a eternidade. Entretanto, diferente dos tribunais da terra, onde muitas vezes prevalece a mentira por causa de um ardil muito bem planejado da Defesa ou da Acusação, e que consiste em ter na manga da camisa ou no bolso do colete um elemento surpresa para ser utilizado na audiência, nenhum homem ou mulher da humanidade inteira poderá alegar falta de conhecimento, ou medo de que Deus use de um elemento surpresa, de algo que não sabemos, para nos condenar…

Ele falou as claras, manifestou-se nitidamente no seu Filho Jesus Cristo, sabiamente chamado pelo evangelista João de “Verbo Divino”, e aqui, também para que ninguém alegue que se esqueceu dessa Palavra de Deus e do seu ensinamento, Jesus nos deu o seu Espírito Santo, para sempre “refrescar a nossa memória e o nosso coração”, isso é, poderá passar milênios de história da nossa Humanidade, a Palavra permanecerá sempre intacta e atualizada, nenhum ser humano terá diante de Deus qualquer desculpa, para Abrandar o julgamento.

Ouvir a Palavra de Jesus é ouvir a Palavra do Pai, ver a Jesus e fazer com ele experiência mais sensacional e espetacular de nossa Vida, é ver e experimentar o próprio Pai.

Quem viver de maneira permanente essa experiência, tornar-se-á conhecido do Pai e não precisará temer o julgamento. Entretanto, ouvir e ver, conhecê-lo e experimentá-lo, é decisão que compete a cada homem tomar, mediante a fé e o bom uso do seu Livre arbítrio.

Desprezar e rejeitar a Jesus, menosprezar o seu evangelho, sua Palavra libertadora, sua Luz maravilhosa, e viver de qualquer jeito, empurrando a existência com a “barriga”, ignorando o seu sentido, a origem da Vida e o seu ocaso, é condenar-se já nesta vida, é tomar a decisão errada, criando uma situação que depois não poderá ser revertida…

Uma coisa é certa e comprovada, sem acolher esta Palavra, nem vale a pena viver…

(Diácono José da Cruz).

13 – QUEM ME REJEITA E NÃO ACEITA AS MINHAS PALAVRAS JÁ TEM O SEU JUIZ: A PALAVRA QUE EU FALEI O JULGARÁ NO ÚLTIMO DIA.

Jesus veio ao mundo como Luz para nos revelar o conhecimento do Pai e nos tirar das trevas da ignorância. Ele é a Palavra do Pai, quem não crê em Jesus rejeita a Sua Palavra. No entanto, temos liberdade de acolhê-la ou simplesmente rejeitá-la. A opção, é nossa, entretanto, nós teremos também que arcar com as consequências da nossa escolha. O mandamento de Deus é a Palavra pronunciada por Jesus. Ela não é um simples relato histórico, nem um conto de fadas, ela é real e é vida na nossa vida. Por conseguinte, o conhecimento da Palavra de Deus nos abre o entendimento para que possamos trilhar o caminho da salvação. Por isso, Jesus falou: “Quem me rejeita e não aceita as minhas palavras já tem o seu juiz: a palavra que eu falei o julgará no último dia”.

Como será isso, e, por quê? Bem, se o conhecimento da Palavra de Deus nos abre o caminho da salvação e, se não a ouvimos, não a praticamos e a ela não damos fé, estamos ignorando a Jesus, Aquele que veio nos salvar do pecado e da morte. Por isso, a Palavra nos julgará no último dia. A felicidade do homem total é o objetivo da salvação de Jesus. Às vezes nós persistimos no erro e não nos atentamos de que o tempo está passando e nós estamos na marcha ré voltando aos mesmos questionamentos. Não progredimos, não prosperamos e corremos o risco de minguar e fenecer nos nossos achismos.

Se, pelo contrário, acolhêssemos a Palavra de Jesus como bússola, nós estaríamos a mil anos luz do que somos agora.

Reflita:

– Você tem levado a sério o Evangelho?

– Ele tem sido bússola para o seu caminhar?

– As suas ações, os seus gestos, os seus pensamentos têm demonstrado isso?

– Você ainda tem muitos questionamentos?

Amém!

Abraço carinhoso.

(Maria Regina).

14 – QUEM CRÊ EM MIM, NÃO É EM MIM QUE CRÊ, MAS NAQUELE QUE ME ENVIOU.

Hoje, Jesus grita; grita como alguém que precisa que suas palavras sejam ouvidas por todos. Seu grito sintetiza sua missão salvadora, pois tem vindo «não para julgar o mundo, mas para salvá-lo» (Jo 12,47), não por si mesmo, mas em nome do «Pai que me enviou, ele é quem me ordenou o que devo dizer e falar» (Jo 12,49).

Ainda não faz um mês que celebramos o Tríduo Pascal: o Pai estava tão presente na hora extrema, na hora da Cruz! Como escreveu João Paulo II, «Jesus, aflito pela previsão da prova que o esperava, ante Deus, o invoca com sua habitual e carinhosa expressão de confiança: ‘Abba, Pai’». Nas horas seguintes, se faz evidente o diálogo estreito do Filho com o Pai: «Pai, perdoa-lhes; porque não sabem o que fazem» (Lc 23,34); «Pai, nas tuas mãos entrego o meu espírito» (Lc 23, 46).

importância da obra do Pai, e do seu enviado, merece a resposta de quem o escuta. Essa resposta é o crer, ou seja, a fé (cf. Jo 12,44); fé que nos dá — por Jesus mesmo — a luz para não continuar na escuridão. Ao contrário, quem rejeita esses dons e manifestações e não acolhe essas palavras «já tem quem o julgue: a Palavra» (Jo 12,48).

Aceitar Jesus, então, é crer, ver, ouvir ao Pai, significa não estar na escuridão, obedecer o mandato da vida eterna. Bem vinda seja a repreensão de São João da Cruz: «[O Pai] tudo nos falou por esta palavra só (…). Por isso, quem quiser perguntar alguma coisa a Deus ou ter uma visão ou revelação, seria não só uma necedade, também estaria ofendendo a Deus, já que não estaria colocando seu olhar em Cristo, evitando querer alguma outra coisa ou novidade».

(P. Julio César RAMOS González SDB (Mendoza, Argentina)).

CELEBRAÇÃO DE HOJE

— 4ª Semana da Páscoa (Cor Branca – Prefácio Pascal).

MONIÇÕES

MONIÇÃO AMBIENTAL OU COMENTÁRIO INICIAL: – 1ª: Deus Conosco; – 2ª: Liturgia Diária.

– 1ª: A missão de Jesus estende-se a toda a humanidade. Mas, o que Ele nos oferece, cada pessoa é livre ou não para aceitar. Porém, a recusa da vida só pode trazer a morte. Toda escolha que faço traz suas consequências. Por isso, o cristão deve formar sua consciência com os princípios do Evangelho, pois Jesus é a plena revelação do Pai. Somente nele encontramos a vida e a salvação.

– 2ª: A palavra de Jesus é a luz capaz de expulsar as trevas dos corações e da sociedade e gerar um dinamismo de libertação. Ela é salvação para os que aceitam e julgamento para os que a rejeitam.

MONIÇÃO PARA A(S) LEITURA(S) E O SALMO: – 1ª: Deus Conosco; – 2ª: Liturgia Diária.

– 1ª: Em oração e em jejum, inspirada por Deus, a Comunidade envia Barnabé e Saulo em missão, obediente ao Espírito de Deus. Assim, diante da Palavra anunciada, ninguém pode manter-se indiferente, pois ela nos conduz sempre a uma escolha.

– 2ª: A palavra de Deus continua crescendo e se espalhando graças a pessoas generosas e corajosas que se deixam iluminar por Jesus, que veio ao mundo para salvá-lo.

MONIÇÃO PARA O EVANGELHO.

— Aleluia, aleluia, aleluia.

— Aleluia, aleluia, aleluia.

— Eu sou a luz do mundo; aquele que me segue, não caminha entre as trevas, mas terá a luz da vida. (Jo 8,12).

ANTÍFONAS

Antífona da entrada.

Senhor, eu vos louvarei entre os povos, anunciarei vosso nome aos meus irmãos, aleluia! (Sl 17,50; 21,23).

Antífona da comunhão

Diz o Senhor: Fui eu que vos escolhi do mundo e enviei para produzirdes fruto, e o vosso fruto permaneça, aleluia! (Jo 15,16.19).

ORAÇÕES DO DIA

Oração do dia ou Oração da coleta

Ó Deus, vida dos que creem em vós, glória dos humildes e felicidade dos justos, atendei com bondade às nossas preces e saciai sempre com vossa plenitude os que anseiam pelas riquezas que prometestes. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Preces da Assembleia ou Oração da Assembleia: – 1ª: Deus Conosco; – 2ª: Liturgia Diária.

– 2ª: — Ouvi, Senhor, a prece do vosso povo.

1. Fortalecei, Senhor, a Igreja na escuta e na prática da vossa palavra.

2. Abençoai os pais e os educadores, para que sejam fiéis a própria vocação.

3. Socorrei as pessoas que passam por dificuldades espirituais e materiais.

4. Separai jovens generosos que sigam e anunciem vosso Filho.

5. Ajudai as comunidades a discernir seus caminhos e se deixar conduzir pelo vosso Espírito.

Oração sobre as oferendas

Ó Deus, que, pelo sublime diálogo deste sacrifício, nos fazeis participar de vossa única e suprema divindade, concedei que, conhecendo a vossa verdade, lhe sejamos fiéis por toda a vida. Por Cristo, nosso Senhor.

Oração depois da comunhão

Ó Deus de bondade, permanecei junto ao vosso povo e fazei passar da antiga à nova vida aqueles a quem concedestes a comunhão nos vossos mistérios. Por Cristo, nosso Senhor.

Fontes de Consultas e Pesquisas

Vamos expor a seguir, os nomes dos sites e blogs a que pertencem os textos que nos preenchem todos os dias com palavras inspiradas pelo Espírito Santo, nos dando um caminho com mais sabedoria, simplicidade e amor.

FONTE PRINCIPAL DE PESQUISA E INSPIRAÇÃO — “BÍBLIA SAGRADA”.

O importante não é a pessoa que escreve, mas quem inspira essa pessoa a escrever.

O importante não é como se lê o que está escrito, mas como se age.

O importante não é sentar-se à direita ou a esquerda do Pai, mas sim, realizar o trabalho que ele nos pede.

Ter conhecimento não é ter sabedoria, sabedoria é saber compartilhar o conhecimento.

— Periódico Mensal: Liturgia Diária (Editoras Paulinas e Paulus);

— Periódico Mensal: Deus Conosco (Editora Santuário);

— Portal Editora Santuário;

— Portal Editora Paulinas;

— Portal Editora Paulus;

— Portal e Blog Canção Nova;

— Portal Dom Total;

— Portal Católica Net;

— Portal Católico Orante;

— Portal Edições Loyola Jesuítas;

— Portal de Catequese Católica;

— Portal Evangelho Quotidiano;

— Blog Homilia Dominical;

— Blog Liturgia Diária Comentada;

— Portal CNBB (A Palavra de Deus na Vida);

— Portal Catequisar: Catequese Católica;

— Portal Universo Católico;

— Portal Paróquia São Jorge Mártir;

— Portal Catedral FM 106,7;

— Portal Comunidade Católica Nova Aliança;

— Portal Comunidade Resgate;

— Portal Fraternidade O Caminho;

— Portal Católico na Net;

— Portal Evangeli.net;

— Portal Padre Marcelo Rossi;

— Portal Grupo de Oração Sopro de Vida;

— Portal NPD Brasil.

MINHA MENSAGEM PESSOAL PARA MIM MESMO E
PARA QUEM QUISER OUVIR.

Mais vale o desconforto da VERDADE, do que a comodidade da MENTIRA.

Se não quer ouvir a VERDADE, não me pergunte sobre a MENTIRA.

Eu acredito e vivo assim, pois Jesus me ensinou, usando os meus pais.

Agora, se o ERRO está em mim, que DEUS possa me dar a HUMILDADE de aceitar
que estou errado.

Que Jesus me dê a SERENIDADE, para aceitar que tem coisas que não posso
mudar.

E que o Espírito Santo me dê a CORAGEM, suficiente para mudar aquelas coisas
que dependem de mim, mesmo que sejam difíceis.

Viver e falar a VERDADE hoje são tão difíceis quanto na época de Jesus,
pois é muito mais fácil aceitar a MENTIRA.

POR ISSO, MATAMOS JESUS TODOS OS DIAS, CRUCIFICANDO-O NOVAMENTE,

PORQUE NÃO SABEMOS DIZER A VERDADE.

Seguir a Cristo é:

– TER CONHECIMENTO: para ser usado hoje;

– CORRIGIR OS ERROS: para ser usado hoje;

– AMAR AO PRÓXIMO: para ser usado hoje;

– PEDIR PERDÃO: para ser usado hoje;

– SABER PERDOAR: para ser usado hoje;

– VIVER A VERDADE: para ser usado hoje;

– TER SABEDORIA: para ser usado hoje;

– ORAR: para ser usado hoje;

– ACEITAR A OPINIÃO DOS OUTROS: para ser usado hoje;

– SABER OUVIR: para ser usado hoje…

Viver no CAMINHO, VERDADE E VIDA, que é o próprio Cristo Jesus, tem que
ser uma caminhada diária.

Não interessa o que você imagina para o futuro;

não importa o que você fez no passado;

o que realmente interessa, é o que você faz no presente, para viver em
Cristo.

Isso quer dizer: HOJE, DIA APÓS DIA.

–>

Anúncios
Esse post foi publicado em Religião. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s