Liturgia Diária 26/ABR/13

LEITURA DIÁRIA DA PALAVRA — 26/ABR/2013 (sexta-feira)

LEITURAS

Leitura dos Atos dos Apóstolos (At 13,26-33)

Naqueles dias, tendo chegado a Antioquia da Pisídia, Paulo disse na sinagoga: 26 “Irmãos, descendentes de Abraão, e todos vós que temeis a Deus, a nós foi enviada esta mensagem de salvação. 27 Os habitantes de Jerusalém e seus chefes não reconheceram a Jesus e, ao condená-lo, cumpriram as profecias que se leem todos os sábados. 28 Embora não encontrassem nenhum motivo para a sua condenação, pediram a Pilatos que fosse morto. 29 Depois de realizarem tudo o que a Escritura diz a respeito de Jesus, eles o tiraram da cruz e o puseram num túmulo. 30 Mas Deus o ressuscitou dos mortos 31 e, durante muitos dias, ele foi visto por aqueles que o acompanharam desde a Galileia até Jerusalém. Agora eles são testemunhas de Jesus diante do povo. 32 Por isso, nós vos anunciamos este Evangelho: a promessa que Deus fez aos antepassados, 33 ele a cumpriu para nós, seus filhos, quando ressuscitou Jesus, como está escrito no salmo segundo: “Tu és o meu filho, eu hoje te gerei”.

— Palavra do Senhor.

— Graças a Deus.

Proclamação do Salmo (Sl 2, 6-7. 8-9. 10-11 (R. 7)).

— Tu és meu Filho, eu hoje te gerei!

— Tu és meu Filho, eu hoje te gerei!

— 6 “Fui eu mesmo que escolhi este meu Rei /em Sião, meu monte santo, o consagrei!” / 7 O decreto do Senhor promulgarei, foi assim que me falou o Senhor Deus: / “Tu és meu Filho, e eu hoje te gerei!”

— 8 Podes pedir-me, e em resposta eu te darei † por tua herança os povos todos e as nações, e há de ser a terra inteira o teu domínio. /Com cetro férreo haverás de dominá-los, /quebrá-los como um vaso de argila!

— 10 E agora, poderosos, entendei; / soberanos, aprendei esta lição: / 11 Com temor servi a Deus, rendei-lhe glória / e prestai-lhe homenagem com respeito!

Proclamação do evangelho de Jesus Cristo segundo João (Jo 14,1-6).

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo João.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus a seus discípulos: 1 “Não se perturbe o vosso coração. Tendes fé em Deus, tende fé em mim também. 2 Na casa de meu Pai, há muitas moradas. Se assim não fosse, eu vos teria dito. Vou preparar um lugar para vós, 3 e quando eu tiver ido preparar-vos um lugar, voltarei e vos levarei comigo, a fim de que onde eu estiver estejais também vós. 4 E para onde eu vou, vós conheceis o caminho”. 5 Tomé disse a Jesus: “Senhor, nós não sabemos para onde vais. Como podemos conhecer o caminho?” 6 Jesus respondeu: “Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida. Ninguém vai ao Pai senão por mim”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

LEITURA ORANTE:

… Oração Inicial… (querer).

Preparo-me para este momento de oração, em rede com todos os internautas que chegam para este encontro com a Palavra, rezando:

Espírito de verdade, a ti consagro a mente e meus pensamentos: ilumina-me.

Que eu conheça Jesus Mestre e compreenda o seu Evangelho.

Ó Jesus Mestre, Verdade, Caminho e Vida, tem piedade de nós.

… Eu sou o CAMINHO… (ler…).

O que diz o texto do dia?

Leio atentamente, na Bíblia, o texto: Jo 14,1-6, e observo Jesus volta a exortar à fé. E responde a uma pergunta de Tomé.

Comentando este texto, o Bem-aventurado Tiago Alberione diz: “Estabelecer-se totalmente em Jesus Mestre Verdade (mente), Caminho (vontade) e Vida (sentimento); até chegar à suprema altura da nossa personalidade: eu que penso em Jesus Cristo, eu que amo em Jesus Cristo, eu que quero em Jesus Cristo; é o Cristo que pensa em mim, que ama em mim, que quer em mim”.

Alberione fundamenta a espiritualidade da Família Paulina em Jesus Mestre Verdade, Caminho e Vida.

… a VERDADE… (refletir e meditar…).

O que o texto diz para mim, hoje?

Onde fundamento a minha espiritualidade?

Há tantos métodos bons, baseados na Palavra de Deus. Importante é que tenha um que me leve a viver em Jesus Cristo, ou melhor, que eu deixe Jesus Cristo viver em mim. Os bispos, em Aparecida, disseram:

“Jesus Cristo é o Filho de Deus verdadeiro, o único Salvador da humanidade. A importância única e insubstituível de Cristo para nós, para a humanidade, consiste em que Cristo é o caminho, a Verdade e a Vida. “Se não conhecemos a Deus em Cristo e com Cristo, toda a realidade se torna um enigma indecifrável; não há caminho e, ao não haver caminho, não há vida nem verdade”. No clima cultural relativista que nos circunda, onde é aceita só uma religião natural, faz-se sempre mais importante e urgente estabelecer e fazer amadurecer em todo o corpo eclesial a certeza de que Cristo, o Deus de rosto humano, é nosso verdadeiro e único salvador.” (DAp 22).

… e a VIDA… (orar…).

O que o texto me leva a dizer a Deus?

Rezo a oração:

Senhor Jesus, Tu és o Caminho!

Em meio a sombras e luzes, alegrias e esperanças, tristezas e angústias, Tu nos levas ao Pai.

Não nos deixes caminhar sozinhos.

Fica conosco, Senhor!

Tu és a Verdade!

Desperta nossas mentes e faze arder nossos corações com a tua Palavra.

Que ela ilumine e aqueça os corações sedentos de justiça e santidade.

Ajuda-nos a sentir a beleza de crer em Ti!

Fica conosco, Senhor!

Tu és a Vida!

Abre nossos olhos para te reconhecermos no “partir o Pão”, sublime Sacramento da Eucaristia!

Alimenta-nos com o Pão da Unidade.

Sustenta-nos em nossa fragilidade.

Consola-nos em nossos sofrimentos, Faze-nos solidários com os pobres, os oprimidos e excluídos.

Fica conosco, Senhor!

Jesus Cristo: Caminho, Verdade e Vida, no vigor do Espírito Santo, Faze-nos teus discípulos missionários!

Com a humilde serva do Senhor, nossa Mãe Aparecida, queremos ser:

Alegres no Caminho para a Terra Prometida!

Corajosas testemunhas da Verdade libertadora!

Promotores da Vida em plenitude!

Fica conosco, Senhor! Amém!

Jesus Mestre, Verdade, Caminho e Vida, tende piedade de nós!

Qual deve ser a MISSÃO em minha VIDA hoje? (contemplar e agir…).

Qual meu novo olhar a partir da Palavra?

Meu novo olhar é em busca do seguimento de Jesus Cristo, com este esquema:

1) caminhando sobre as pegadas (adesão da vontade),

2) escutando a sua doutrina (adesão da inteligência),

3) vivendo no seu amor e na sua graça (adesão do coração e do espírito).

REFLEXÕES:

(4) – NÃO SE PERTURBE O VOSSO CORAÇÃO

O discurso do capítulo 14 de João é a sequência do relato da última ceia, em que Jesus lavou os pés dos discípulos e predisse a traição de Judas Iscariotes (13,1-30). Trata-se de um longo discurso de despedida que começa em 13,31 e vai até 14,31.

O discurso é interrompido pelas intervenções dos discípulos (vv. 5 [Tomé], 8 [Filipe] e 22 [Judas]), que fazem avançar o discurso. O discurso visa encorajar os discípulos para que não desanimem diante da paixão e morte de Jesus; os versículos 1 e 27 mostram isso: “Não se perturbe o vosso coração”. De fato, o medo, a perturbação, a frustração são ameaças à unidade. O medo dispersa, leva a abandonar os passos, projetos.

À exceção de Maria, mãe de Jesus, Maria Madalena, Maria de Cléofas e o discípulo que Jesus amava (19,25-27), os outros fugiram.

No entanto, só há um meio de vencer o medo, pela fé: “Credes em Deus, crede também em mim” (v. 1). É a fé que permite não esmorecer; é a fé que possibilita manter viva a palavra do Senhor em nós. Somente a fé pode fazer compreender que a partida de Jesus não é abandono. Os discípulos são convidados a fazer uma verdadeira Páscoa: do medo à fé; da perturbação à paz. O que é prometido (cf. v. 3) deve sustentar esse êxodo.

(Carlos Alberto Contieri, sj).

(6) – O NOSSO DEUS É PRESENTE.

Diante das tantas dificuldades pelas quais passamos – situações de traição, abandono, desconfiança, injustiça, calúnia, fofoca, doença, desemprego, complicada situação financeira -, Jesus confortou os Seus discípulos para que não se preocupassem. Assim também hoje e neste Evangelho acontece. Jesus nos dirige palavras de conforto. Ele mostra que jamais nos deixou abandonados.

nosso Deus é presente. É preciso vivermos a certeza de que Ele está no meio de nós dando-nos força e coragem para que, a cada dia, avancemos rumo à meta. Sabemos que o caminho é duro demais e, muitas vezes, parece sem fim. E o melhor, então, é sentar e desistir. Todavia, meu filho, o mérito, a vitória, o segredo, ou seja, o trunfo de tudo isto está em saber que, enquanto caminhamos, ouçamos – e sintamos! – ecoar dentro de nós as santas palavras de Jesus: “Não se perturbe o vosso coração. Tendes fé em Deus, tende fé em mim também”.

Com Jesus e por Jesus somos mais que vencedores. Ele é a única solução para nossas vidas. Ele é o caminho que nos conduz à casa do seu e nosso Pai. Quero relembrar a figura da porta: Jesus é a porta de entrada para a casa do Pai.

Se com fé, confiança e perseverança você clama por Jesus, Ele virá erguê-lo ainda que você esteja no fundo do poço. Com Jesus e pela força da oração tudo pode ser mudado!

Isto não são falácias, sofismas. Quem nos garante é o próprio Senhor: “quando eu tiver ido preparar-vos um lugar, voltarei e vos levarei comigo, a fim de que onde eu estiver estejais também vós”.

Na dúvida de Tomé, Jesus já respondeu a minha e a sua dúvida. Portanto, creia! Acredite, professe a sua fé em Jesus que é o Caminho, a Verdade e a Vida que nos conduz até Deus, nosso Pai.

(Padre Bantu Mendonça).

(7) – NÃO SE PERTURBE!

O discípulo do Ressuscitado vê-se confrontado com duas situações que, se mal compreendidas, poderão ser causa de perturbação.

Por um lado, tem diante de si um projeto, cujas exigências e consequências são preocupantes: pautar a própria vida pelo ideal do Reino, num mundo hostil e refratário ao amor, tem um preço a ser pago.

Por outro lado, o discípulo pergunta-se pelo fim de tudo isto, pela meta para onde caminha. O sentido da caminhada e o ânimo com que ela é feita, dependem de uma certa lucidez. Caso contrário, o discípulo deixar-se-á vencer pelo desânimo.

Jesus tomou a iniciativa de tranquilizar os discípulos, apelando para a fé: “Assim como vocês acreditam em Deus, acreditem também em mim”. Suas palavras elucidavam as dúvidas que povoavam o coração deles. Acolhidas na fé, essas palavras surtiriam o efeito tranquilizador desejado.

Para os discípulos, abriu-se uma perspectiva de comunhão escatológica com o Pai. Simbolicamente, Jesus referiu-se à casa com muitas moradas. O vocábulo casa evoca afeto, convivência, intimidade. As muitas moradas significam a disposição do Pai para acolher a todos, sem exceção. Quem chegar na casa do Pai, será recebido por ele.

Nesse lugar de acolhida será preparado por Jesus, o qual precederá os seus discípulos. Com uma tal certeza, pode-se deixar de lado todo receio. Basta seguir o caminho aberto por Jesus.

Oração: Espírito de tranquilidade, afasta para longe de mim toda perturbação, e faze-me confiar plenamente nas palavras de Jesus, que já nos preparou um lugar na casa do Pai.

(Pe. Jaldemir Vitório – Jesuíta, Doutor em Exegese Bíblica, Professor da FAJE).

(12) – EU SOU O CAMINHO, A VERDADE E A VIDA.

Cristo é ao mesmo tempo o caminho e o termo. É o caminho segundo a Sua humanidade; é o termo segundo a Sua divindade. Neste sentido, enquanto homem, diz: “Eu sou o caminho”; enquanto Deus, acrescenta: “a verdade e a vida”. Estas duas palavras indicam com toda a propriedade o termo deste caminho. Na verdade, o termo deste caminho é a aspiração do desejo humano. […] Ele é o caminho para chegar ao conhecimento da verdade, ou melhor, Ele próprio é a verdade: “Ensinai-me, Senhor, o Vosso caminho, para que eu siga a Vossa verdade” (Sl 85, 11). Ele é também o caminho para chegar à vida, ou melhor, Ele próprio é a vida: “Dar-me-eis a conhecer os caminhos da vida” (Sl 15, 11). […]

Se, portanto, procuras por onde passar, segue a Cristo, porque Ele é o caminho. “Este é o caminho; andai por ele” (Is 30, 21). E Santo Agostinho diz: “Caminha através do homem e chegarás a Deus. É melhor andar pelo caminho, mesmo a coxear, que andar rapidamente, mas fora do caminho. Porque aquele que vai coxeando pelo caminho, ainda que avance pouco, aproxima-se do termo; mas aquele que anda fora do caminho, quanto mais corre, tanto mais se afasta do termo.”

Se perguntas para onde hás-de ir, procura a Cristo, porque Ele é a verdade, à qual desejamos chegar. “A minha boca proclama a verdade” (Pr 8, 7). Se procuras onde permanecer, une-te a Cristo, porque Ele é a vida: “Quem me encontrar, encontrará a vida” (Pr 8, 35).

(São Tomás de Aquino (1225-1274), teólogo dominicano, doutor da Igreja – Comentário ao evangelho de João, 14,2 (trad. Breviário 9ª sem.)).

(14) – QUE É FELICIDADE?

Bom dia!

Sempre que esse evangelho aparece trago à tona a reflexão do que é para nós ter felicidade.

Será que conseguimos enxergar, em meio às dificuldades do dia-a-dia, a felicidade?

Certa vez divagando sobre a teologia da graça, comparei o nosso dia-a-dia a um trapézio voador. Sim, Já acordamos no trapézio e desde cedo já temos o objetivo de cumprir com êxito a acrobacia e acalcar com segurança o bastão. Então vem a reflexão do que seria sucesso.

Veja e reflita: “Sucesso é a conquista de algo muito especial que se iniciou com um sonho, virou uma proposta e um objetivo e por fim se concretizou; felicidade é conseguir viver bem com que se tem, naquele momento ou instante e não esta condicionada ao sucesso”.

Ao se levantar e novamente encarar o trapézio temos consciência que talvez não conseguiremos cumprir com êxito aquele objetivo; sabemos que por vezes cairemos e que também por muitas vezes voltaremos para casa, no fim do dia, vitoriosos sabendo e louvando pelo ótimo dia que tivemos, ou seja, acrobacia cumprida e salvos novamente no bastão.

Os que vivem o medo e em especial os que estão em processo de depressão nem sobem no trapézio; os descrentes vão para o trapézio acreditando apenas na sua perícia; já os fieis acreditam e sabem que Deus é a rede de segurança. Tendo sucesso ou não na acrobacia e no retorno ao bastão sabem que Ele sempre estará lá.

“(…) Os fariseus perguntaram a Jesus sobre o momento em que chegaria o Reino de Deus. Ele respondeu: “O Reino de Deus não vem ostensivamente. Nem se poderá dizer: ‘Está aqui’, ou: ‘Está ali’, pois o REINO DE DEUS ESTÁ NO MEIO DE VÓS”. (Lucas 17, 20-21).

Vida e trapézio interagem entre si. Sucesso e insucesso são variáveis. Felicidade e Deus pertencem ao processo, só não os vê quem não quer.

Levantar pela manhã é um simples gesto rotineiro; sabemos ao levantar que a felicidade e Deus estarão à espera no trapézio. Tal entender requer maturidade para aceitar que as situações de fracasso, descrença e medo fazem parte desse processo. Enfrentar é uma condição de vida e não pode ser feita com desgosto, pois quem assim o vê já levanta mal humorado e possivelmente tentará tornar tudo ao seu redor também sombrio e chato. Quem não conhece pessoas assim, que já levantam de “cueca virada”?

Dizem “você não sabe o que eu estou passando”! Ou tornam suas dores, dívidas e sofrimentos sempre maiores que a dos outros…

busca da felicidade perdida inicia dentro de nós mesmos. Se acordo parecendo que chupei tamarindo ninguém tem culpa disso. O sucesso após cada acrobacia é uma consequência natural das tentativas e não é algo obrigatório na vida.

Se condicionarmos nossa felicidade diária ao sucesso, a um novo carro, a casa nova, a promoção no serviço, ao novo salário, deixaremos aos poucos de ver o sucesso e a felicidade dos outros. Não mais perceberemos o dez na prova de matemática que o filho com dificuldade tirou, não nos comemorará o novo emprego da filha, não veremos o cabelo cortado da esposa, não será visto ou notada a felicidade do marido que mesmo sem dinheiro feliz volta pra casa…

Pessoas infelizes dificilmente elogiam o sucesso dos outros, Caminham a passos largos para um processo duro chamado INVEJA. A inveja é ir todos os dias para o trapézio não mais pra saltar e sim para derrubar os que tentam se agarrar a cada nova manobra.

Engraçado que foi para esse irmão e para os descrentes, que parecem que vivem fora mundo, que Jesus veio, morreu e nos envia.

“(…) Mas ele disse-lhes: “Eu devo anunciar a Boa Nova do Reino de Deus também a outras cidades, pois é para isso que fui enviado“ (Lucas 4, 43).

Olhando bem a situação do trapézio que explanamos, deve ser então por isso que seja mais fácil de encontrá-lo na dor ou no erro ao depararmos com a rede de proteção, pois poucas pessoas após uma acrobacia perfeita se lançam na rede para agradecer ou demonstrar sua felicidade.

Por fim, “(…) Jesus respondeu: – Eu sou o caminho, a verdade e a vida; ninguém pode chegar até o Pai a não ser por mim”.

Quer sucesso?

Jesus é o caminho. Caminhe com Ele.

Quer ser feliz?

Jesus é a verdade! Ele esta no trapézio!

Esta desanimado, triste, abatido?

Ele é a vida! Portanto aceite a vida que vem Dele e enfrente o trapézio!

Minha prece por todos aqueles que estão deprimidos, agoniados e abatidos… Que Deus os dê forças a medida que cada um esboçar, mesmo que timidamente, uma reação.

Um imenso abraço fraterno.

(Alexandre Soledade).

(14) – A CASA DE MEU PAI TEM MUITAS MORADAS.

Neste trecho do evangelho escrito por João, Jesus está nos falando do céu, ou da morada eterna.

“Na casa de meu Pai há muitas moradas.”

Será que depois das palavras de Deus na pessoa de seu Filho amado ainda temos dúvidas da existência da vida eterna?

“O inferno é aqui mesmo”, “não existe nada além desta vida”, são afirmações daqueles que igualmente dizem: “quando quero rezar, eu rezo em casa”. Tais pessoas são perigosas para os nossos jovens que não possuem uma boa formação catequética, porque eles, além de não acreditarem em nada, procuram seguir a cabeça daquelas pessoas de sua convivência acerca de suas descrenças.

vida eterna existe, e quem falou foi o próprio Jesus. “Ainda hoje estarás comigo no paraíso.” Quando estava na cruz, disse a um dos crucificados, de nome Dimas.

“Ninguém jamais imaginou o quão maravilhoso o Pai preparou para aqueles que acreditam…”

“Quem come a minha carne e bebe o meu sangue terá a vida eterna.”

Então, irmãos quando forem interrogados sobre a existência da vida eterna, estas são as principais afirmações de Jesus. E não se esqueçam de reforçar que Jesus tinha autoridade para afirmar que a vida eterna existe porque ele era o Próprio Deus. Ele provou que era Deus pelos seus milagres.

“Depois de ir e vos preparar um lugar, voltarei e tomar-vos-ei comigo, para que, onde eu estou, também vós estejais.”

Jesus promete preparar um lugar no céu para seus discípulos.

Jesus: ajude-nos a viver de acordo com os teus ensinamentos, para que um dia mereçamos também um lugar na morada eterna.

“E vós conheceis o caminho para ir aonde vou.” Ele é o caminho. Não existe outro caminho para se ir à casa do Pai: Pelos ensinamentos, pelo perdão que nos deixou através da confissão efetuadas pelos sacerdotes, e pela eucaristia. Realmente, Ele é o único caminho para a vida eterna. “Eu sou o caminho, a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai senão por mim.”

(José Salviano).

(14) – NÃO SE PERTURBE O VOSSO CORAÇÃO. TENDES FÉ EM DEUS, TENDE FÉ EM MIM TAMBÉM.

Sabendo que pouco tempo lhe restaria no meio dos Seus discípulos, Jesus pôs-se a mostrar-lhes muitas dificuldades que eles teriam de enfrentar quando Ele fosse embora para perto do Pai. Ao mesmo tempo Ele os animava a não perturbar-se e confiar em Deus. Jesus, humildemente, pedia-lhes sua compreensão para os fatos que iriam acontecer quando lhes falava: “Não se perturbe o vosso coração. Tendes fé em Deus, tende fé em mim também.” Dessa forma, Jesus procurava imprimir confiança e esperança no coração dos Seus discípulos quando se referia à casa do Pai e suas moradas e prometia-lhes preparar um lugar na Casa de Deus.

Os discípulos tinham dúvidas e não entendiam muito bem o que Jesus queria lhes mostrar, apesar Dele lhes garantir que eles já conheciam o caminho. Assim acontece também conosco, apesar de conhecer toda a história, de ter acesso à Palavra que nos esclarece os mal entendidos, de termos tido uma experiência com Jesus ressuscitado, às vezes, nós ficamos confusos e nos perguntamos:

– Como podemos conhecer o Caminho para Deus?

– Para onde estamos indo?

– O que virá depois?

Desconhecemos as lições de Jesus e ficamos procurando o Caminho nos caminhos do mundo. Assim como falou aos discípulos Jesus hoje nos fala também: “Eu sou o Caminho a Verdade e a Vida”! Jesus já veio até nós e opera milagres na nossa vida.

Ele realiza as obras do Pai e nos revela a Sua Face nos momentos de oração, de adoração, quando meditamos com a Sua Palavra. A fé em Jesus é o Caminho que nos leva ao Pai. Somente dessa maneira é que nós chegaremos à morada que nos foi preparada. Ninguém chegará ao Pai por si mesmo, Jesus é a Estrada pela qual nós caminhamos até a morada de Deus.

Reflita:

– Por que buscamos outros caminhos?

– Por que acreditamos nos contos que o mundo nos prega?

– Por que não assumimos a vida nova de Cristo pra valer?

– O que está nos faltando: fé, disposição, coragem, humildade, oração, conhecimento da Palavra?

– Responda por você e para você!

Amém!

Abraço carinhoso.

(Maria Regina).

(14) – EU SOU O CAMINHO, A VERDADE E A VIDA.

Eu sou o caminho, a verdade e a vida.

Este Evangelho é de fundamental importância para nós, porque nele Jesus nos fala do céu. E, diante da pergunta do Apóstolo Tomé sobre qual é o caminho para chegar, Jesus fala: “Eu sou o caminho, a verdade e a vida”.

Não é possível nós conhecermos a vida futura, pois é outra realidade diferente da nossa, e os dois “mundos” – este nosso mundo material e o mundo futuro – são incomunicáveis. Mas não precisamos nos preocupar com isso, porque Jesus, que pertenceu a este mundo material, é o caminho para chegarmos ao outro.

Essas três qualidades de Jesus – caminho, verdade e vida – estão interligadas. Quem segue a Jesus (caminho), é porque acredita nele (verdade); por isso recebe a vida em plenitude, a vida plenamente feliz e que nunca termina.

importante não é estar com Jesus, mas caminhar com ele. Também não basta conhecê-lo, saber quem ele é, e acreditar nele; isso a maioria das pessoas fazem: conhecem a Jesus e acreditam nele. O importante é segui-lo como o nosso caminho.

Nesta caminhada com Jesus, se alguém pensar que já chegou é sinal que não está no caminho dele, pois só chegaremos na hora da nossa morte. Nesta vida, somos sempre “caminheiros que marcham para o céu”.

Na parábola do fariseu e do publicano, o fariseu dizia: eu faço isso e mais aquilo, foi reprovado porque pensava que era perfeito. Já o publicano que batia no peito e dizia: “Meu Deus, tem compaixão de mim, que sou pecador!” mostrou que estava com Deus e foi aprovado, porque se julgava “caminheiro”.

caminho, que é Jesus, é vasto e abrangente. Passa pela vida de oração, de Comunidade, pela vida em família, passa pela obediência aos mandamentos e até pela participação política. É um caminho às vezes íngreme, mas possível e doce como o mel.

“Aquele que ama conhece a Deus” (1Jo 4,7. Quem obedece aos mandamentos – aqui resumidos na palavra amor – e segue Jesus como o seu caminho, vai acabar conhecendo a Deus (verdade) e aurindo a sua vida, que é inesgotável.

Tudo o que se diz no mundo, só é verdade se estiver de acordo com o que Jesus viveu e ensinou. O resto é tudo mentira, falsidade e engano. Ele é a verdade, não uma das verdades.

Jesus e o Pai são um só. Quem segue a Jesus recebe nasce de novo, recebendo uma vida nova. É uma vida que vai crescendo sempre e não é interrompida por nada, nem pela morte. Só o pecado pode interrompê-la.

Jesus falou várias vezes que a mentira leva à morte e a verdade leva à vida. Portanto, é fácil saber onde está a verdade: é onde se promove protege a vida, em seus vários níveis: vegetal, animal, humana e divina. E é fácil também saber onde está a mentira: é onde se destrói a vida.

Quem tem Jesus como o seu caminho, verdade e vida, torna-se fonte de vida para os outros. “Aproximemo-nos do Senhor, pedra viva… Do mesmo modo também vós, como pedras vivas…” (1Pd 2,4). Jesus é a pedra viva da casa de Deus, e quer que sejamos também.

“Quem acredita em mim, fará as obras que eu faço, e fará ainda maiores, porque eu vou para o Pai” (Jo 14,12). No entanto, sabemos que o caminho de Jesus é um caminho de cruz. Ninguém consegue segui-lo, vivendo em sombra e água fresca. Quanta gente busca Jesus fora da sua Igreja, porque quer entrar no céu pela “porta larga”!

Quando Adão e Eva pecaram e foram expulsos do paraíso, a porta do paraíso foi fechada, e ninguém mais conseguiu entrar. Jesus veio, tornou-se um de nós, pagou por nós o pecado e entrou no paraíso. Por isso ele é o nosso único caminho.

“Vou preparar um lugar para vós.” O céu é o nosso destino natural. Foi para lá que Deus nos criou, e todos já temos lá o nosso lugar preparado por Cristo. “Deus quer que todos se salvem e cheguem ao conhecimento da verdade” (S. Paulo). Deus é nosso Pai amoroso, e nos quer todos eternamente junto dele no céu.

“Eu vi um novo céu e uma nova terra… Então ouvi uma voz forte que dizia: Esta é a morada de Deus com os homens. Ele enxugará toda lágrima dos seus olhos. A morte não existirá e não haverá mais luto nem dor. E Deus disse: Eis que faço novas todas as coisas. A quem tiver sede eu darei da fonte da água viva. Esta será a herança do vencedor. Eu serei o seu Deus e ele será meu filho. Em seguida eu vi a cidade santa, a Jerusalém celeste. Ela não precisa de sol nem de lua que a iluminem, pois a glória de Deus é a sua luz e a sua lâmpada é o Cordeiro. A sua porta não precisa ser fechada e nunca entrará nela o que é impuro nem alguém que pratique a abominação e a mentira. Entrarão nela somente os que estão inscritos no livro da vida do Cordeiro” (cf. Ap 21,1-27). E o próprio Jesus falou: “Os justos brilharão como o sol no Reino de seu Pai” (Mt 13,43).

“Os sofrimentos do tempo presente não tem proporção com a glória que há de ser revelada em nós. Toda a criação espera ansiosamente a revelação dos filhos de Deus. Pois a criação foi sujeita ao que é vão e ilusório, não por seu querer, mas por dependência daquele que a sujeitou. Também a própria criação espera ser libertada da escravidão da corrupção, em vista da libertação que é a glória dos filhos de Deus. Com efeito, sabemos que toda a criação, até o presente, está gemendo como que em dores de parto, e não somente ela, mas também nós, que temos as primícias do Espírito, gememos em nosso íntimo, esperando a condição filial, a redenção de nosso corpo. Aquilo que se tem diante dos olhos não é objeto de esperança.

Como se pode esperar o que está vendo?

Mas se esperamos o que não vemos, é porque aguardamos na perseverança” (Rm 8,18ss). S. Paulo fala isso para nos animar na fidelidade a Deus em meio às lutas desta vida.

“Tomé disse a Jesus: Senhor, nós não sabemos para onde vais.” Não sabemos como é o céu, pois ele pertence ao mundo espiritual e nós estamos no mundo material, e esses dois mundos são incomunicáveis. Mas não precisamos saber como é o mundo futuro. Basta seguirmos a Jesus, que é o caminho para lá. “Para onde eu vou, vós conheceis o caminho… Eu sou o caminho, a verdade e a vida”.

céu, numa explicação simples, é a vida após a morte junto com Deus e com a sua e nossa família que são os anjos e os santos. “Olhos humanos jamais viram, nem ouvidos ouviram, nem coração algum jamais pressentiu o que Deus preparou para os que o amam” (1Cor 2,9).

Refletindo sobre as maravilhas que Deus preparou para nós no céu, S. Paulo fala aos filipenses: “Para mim, o viver é Cristo e o morrer é lucro. Se, continuando na vida corporal, eu posso produzir um trabalho fecundo, então já não sei o que escolher. Estou num grande dilema: Por um lado, desejo ardentemente partir para estar com Cristo, o que para mim é muito melhor. Por outro lado, parece mais necessário para o vosso bem que eu continue a viver neste mundo. Certo disso, sei que vou permanecer e continuar convosco, para o vosso progresso e alegria da fé” (Fl 1,21-25). Nessa passagem, S. Paulo resume o nosso sentimento diante da vida futura: Olhando para nós, seria melhor morrer logo e ir para o céu. Mas, olhando para a nossa família e a nossa Comunidade, é melhor permanecermos ainda um tempo na terra, para ajudá-los e para fazer o bem. Mas isso são apenas sentimentos, porque a escolha não é nossa, e sim de Deus. “A mim pertence a vida”, disse ele. Não escolhemos o dia de nascer, não vamos escolher também o dia de morrer. Cabe a nós, cada dia que amanhece, agradecer a Deus a graça de vermos novamente a luz do dia, e procurar viver bem aquele dia.

“O Senhor dará nesta montanha um banquete de carnes gordas e vinhos finos. Nesta montanha ele vai destruir o véu que envolvia os povos. Vai acabar com a morte para sempre. O Senhor Deus enxugará as lágrimas de todas as faces” (Is 25,6-8). Essa referência ao banquete é uma comparação, pois no céu o nosso corpo será glorificado e não precisaremos comer. O que o texto quer mostrar é que o céu é um lugar muito gostoso. É como um banquete. Tudo o que é bom, feliz e gostoso aqui na terra, existe lá no céu, e lá é muito melhor.

Se as coisas feitas por Deus neste mundo material, que é passageiro, são tão sábias, belas e carregadas de amor, quanto mais o céu! “São vãs por natureza todas essas pessoas nas quais não há o conhecimento de Deus. Porquanto, partindo dos bens visíveis, não foram capazes de conhecer aquele que é, nem tampouco, pela consideração das obras, chegar a conhecer o artífice” (Sb 13,1).

Certa vez, um homem perdeu um saco de moedas. Ele ficou desesperado e percorreu a vizinhança toda dizendo: “Se alguém achar um saco de moedas, é meu”.

Horas depois, um rapaz o procurou com o saco de moedas nas mãos. O homem olhou e viu logo: é esse mesmo. E ele sabia quantas moedas havia dentro do saco: quatrocentas moedas. Mas o homem pensou consigo: vou dizer que havia quinhentas, assim fico livre de dar uma gorjeta para este moço.

Pegou o saco e disse: “Muito obrigado! Você encontrou o meu saco de moedas! Vou contar para ver se estão todas aqui. Havia quinhentas moedas neste saco”.

Contou e só encontrou quatrocentas. Então disse ao rapaz: “Não há problema. O importante é que você achou. Muito obrigado!” O rapaz saiu dali, mas logo pensou: Passei por ladrão! O meu nome é limpo aqui no bairro, e logo todo mundo vai ficar sabendo disso e pensar que fiquei com cem moedas!

Então foi ao juiz e expôs o caso. O juiz mandou chamar o homem que ficou com o saco de moedas, e mandou que as trouxesse. O homem veio e o juiz lhe perguntou: “Quantas moedas havia no saco que o senhor perdeu? Ela respondeu: “Quinhentas”. “E quantas estavam neste saco que o rapaz lhe entregou?” perguntou o juiz. Ele respondeu: “Quatrocentas”. “Então não é o seu” – disse o juiz – “pode devolver ao moço o saco de moedas; quando aparecer o dono, ele o entregará”.

Jesus é a verdade, e quem quer segui-lo deve também dizer sempre a verdade.

mentiroso acaba se dando mal. O melhor é administrar bem as nossas moedas aqui da terra para, com elas, ganhar a grande moeda que é o céu.

Que Maria Santíssima nos ajude a assumir o seu Filho como o nosso caminho, verdade e vida. E, já que ela é a Rainha do céu, que nos ajude a chegar lá também.

Eu sou o caminho, a verdade e a vida.

(Padre Antônio Queiroz, CSsR).

(14) – CORAÇÕES PERTURBADOS.

No evangelho de João estamos diante de um Jesus que fala muito, os discursos ocupam a maior parte, é sempre bom lembrar que os escritos Joaninos situam-se mais ou menos nos anos 90, quase final do primeiro século, marcado por intensa perseguição aos cristãos.

quadro que se apresenta é de insegurança e perturbação, certamente o grupo dos discípulos também viveu essa mesma experiência nos dias que antecederam a paixão e morte do Senhor, no coração dos pobres e simples, os ensinamentos de Jesus eram bem acolhidos, mas nas Lideranças Religiosas, ao contrário, a rejeição e a incredulidade eram evidentes.

As comunidades do final do primeiro século também estão inseguras, todos se perguntam que destino terá o Cristianismo iniciado pelos discípulos de Jesus, como sobreviver em um ambiente tão hostil ao evangelho, onde os cristãos são considerados membros de uma seita perigosa ao sistema.

Os cristãos têm consciência da missão que fora confiada á igreja, pelo próprio Senhor, mas por outro lado sentem-se impotentes e nada podem fazer para reverter o quadro.

Nossas comunidades cristãs neste terceiro milênio, embora em outro contexto vivem o mesmo drama, o que fazer diante de um mundo cada vez mais hostil ás coisas de Deus Pai?

Como agir em uma sociedade que ainda não conhece de fato a Jesus Cristo, seu Reino e seu evangelho. Filipe não conhecia o Pai, e hoje em nossas comunidades, muitos também não conhecem a Deus, fazendo dele uma imagem distorcida.

Muitos vivem em comunidade, recebem um Batismo, tem contato com Deus nos Sacramentos, ouvem a Deus na Palavra, comungam Deus na Eucaristia, mas não sabem ao certo quem é Deus, e essa fé em Jesus nem sempre os faz ser, pensar e agir diferente. Creem em Jesus mas não o aceitam como Senhor de suas Vidas, aliás, nem admitem que ele interfira em suas vidas, é a chamada Religião onde as pessoas se “sentem bem”, sem qualquer compromisso com a moral ou ética, Tomé não conseguia ligar Fé e Vida, sua relação com Deus se fundamentava em revelações e manifestações grandiosas através do messianismo de Jesus.

Ele não consegue pensar em um Reino que irá acontecer em definitivo, algo que só Jesus sabe o caminho, e que vai muito além de qualquer Reino terreno, por isso irá dizer a Jesus “Senhor, mostra-nos o caminho”. “Eu sou o caminho, a Verdade e a Vida”.

caminho é bem conhecido, não podemos dar a mesma desculpa de Tomé: “Senhor, não sabemos para onde vais”! Não sabemos o que fazer, ou que estilo de vida adotar enquanto cristãos. Essa é uma desculpa esfarrapada demais, o nosso caminho é o mesmo de Jesus, é o caminho do serviço, percorrido sempre com amor e entusiasmo, ainda que diante de nós, tenhamos muitas vezes as cruzes dos fracassos, o tormento das nossas limitações. A Fé no Pai que se revelou em Jesus, aquele a quem seguimos, sempre nos reanima as forças, nos faz olhar á frente e seguirmos adiante, para uma Vida além de tudo o que hoje vemos, sentimos e somos. Esse lugar que já está reservado ao homem de Fé, é ao lado de Deus, para isso Ele nos fez e nisso consiste a Salvação… Ele já está a disposição, ainda nesta vida, para quem se dispuser a Ser Discípulo Fiel de Jesus.

(Diácono José da Cruz).

(15) – REFLEXÃO.

Jesus está prestes a concluir a missão para a qual foi enviado pelo Pai e sabe que a sua presença histórica no meio dos homens está perto do fim. Por isso, ele inicia a preparação dos apóstolos para que reconheçam a sua nova forma de ser presença na vida das pessoas, assim como para receberem o Espírito Santo e serem conduzidos por ele na sua missão evangelizadora. Jesus inicia esta preparação mostrando aos discípulos que ele jamais os abandonará, mas irá preparar um lugar para onde ele mesmo conduzirá todas as pessoas que ele ama a fim de conviverem eternamente com ele.

(CNBB).

(20) – VÓS SABEIS O CAMINHO!

Hoje, temos mapas e roteiros turísticos. Antes de sair de casa, examinamos o caminho a seguir. E não adianta muita pressa – como na sociedade atual – se não sabemos para onde estamos indo… Do contrário, corremos o risco de sair para as Índias e descobrir o Brasil. Um português já cometeu este engano…

Jesus diz aos discípulos: “Vós sabeis o caminho”. Tomé se fez de desentendido: “Senhor, nós não sabemos para onde vais…” Ora, Jesus, já em fase de despedida, ia de viagem para o Pai. E aproveita para recordar a lição mal aprendida pelos discípulos: “EU SOU o Caminho… Ninguém VEM (no latim, venit) ao Pai, a não ser por mim”.

Muitas traduções dizem: “Ninguém vai ao Pai”, como se o Pai estivesse bem longe, lá no extremo do céu, e – o que é pior – afastado de Jesus. E Jesus acrescentaria a seguir: “Quem me vê, vê o Pai!” Encontrar-se com Jesus é encontrar-se com o Pai. Aliás, Jesus não é UM caminho entre outros possíveis, à nossa escolha: Ele é O Caminho. Esta exclusividade cristã incomoda, eu sei, parece pretensiosa. Mas é a Verdade.

a frase completa de Jesus inclui também isto: “EU SOU o Caminho, a Verdade e a Vida”. Os especialistas nos textos joaninos já chamaram a atenção para o fato de que esta é uma das frases de Jesus nas quais surge o Nome de Deus: EU SOU. A mesma frase que, pronunciada diante dos esbirros do Templo que prendiam Jesus, no Monte das Oliveiras, lançou-os todos por terra (cf. Jo 18,6).

Tristes tempos os nossos! Teólogos voláteis reduzindo Jesus Cristo a um caminho entre outros, opcional… Filósofos afirmando que há muitas “verdades”: cada um tem a sua, uma verdade “de algibeira”, que se acomoda à moda dominante. E, natural, acabam por perder a Vida que lhes é oferecida no Filho de Deus.

Precisamos recuperar a noção de “caminho”: um trilho ou estrada que leva a algum lugar determinado. Não é a mesma coisa que acontece em uma pista de Fórmula Um; ali, o piloto corre a 300km/h, arrisca a própria vida e, ao final, depois de percorrer centenas de quilômetros, encontra-se exatamente no mesmo lugar de onde saiu!

Jesus é o Caminho. Por ele, chegamos ao Pai…

Orai sem cessar: “Tua Palavra é luz para o meu caminho.” (Sl 119, 105).

(Antônio Carlos Santini).

(24) – EU SOU O CAMINHO, A VERDADE E A VIDA. NINGUÉM VAI AO PAI SENÃO POR MIM.

Hoje, nesta sexta-feira da IV semana da Páscoa, Jesus nos convida à calma.

A serenidade e a alegria fluem como um rio de paz, desde o seu Coração ressuscitado até o nosso, agitado e inquieto, muitas vezes sacudido por um ativismo tão febril como estéril.

São os nossos tempos de agitação, nervosismo e estresse. Tempos nos quais o pai da mentira infectou as inteligências dos homens, fazendo-os chamar bem ao mal e mal ao bem, tomando luz por obscuridade e obscuridade por luz, semeando em suas almas a dúvida e o ceticismo que nelas queimam todo broto de esperança em um horizonte de plenitude que o mundo, com suas adulações, não sabe nem pode dar.

Os frutos de tão diabólica empresa ou atividade são evidentes: a falta de sentido e a perda de transcendência que se apoderaram de tantos homens e mulheres que não apenas se esqueceram, mas também se extraviaram do Caminho, porque o desprezaram antes. Guerras, violências de todo gênero, intransigência e egoísmo diante da vida (anticoncepção, aborto, eutanásia…), famílias destruídas, juventude “desnorteada”, e um grande etecetera, constituem a grande mentira sobre a qual se sustenta boa parte do triste andaime da sociedade de tão alardeado “progresso”.

No meio de tudo, Jesus, o Príncipe da Paz, repete aos homens de boa vontade, com sua mansidão infinita: “Não se perturbe o vosso coração! Credes em Deus, crede também em mim” (Jo 14, 1). À direita do Pai, ele acalenta, como um benévolo sonho de sua misericórdia, o momento de ter-nos junto a ele, “a fim de que, onde eu estiver, estejais vós também” (Jo 14, 3). Não podemos nos escusar como Tomé. Nós sabemos o caminho. Nós, por pura graça, conhecemos, sim, a senda que conduz ao Pai, em cuja casa há muitas moradas. No céu nos espera um lugar que ficará para sempre vazio se não o ocuparmos. Aproximemo-nos, pois, sem temor, com ilimitada confiança de Aquele que é o único Caminho, a irrenunciável Verdade e a Vida em plenitude.

(Rev. D. Josep Mª MANRESA Lamarca (Les Fonts del Vallès, Barcelona, Espanha)).

(25) – NÃO SE PERTURBE O VOSSO CORAÇÃO.

“Não se perturbe o vosso coração”, diz Jesus em tom de apaziguamento. Ele deseja tranquilizar a consciência dos Apóstolos ainda perturbada pela questão: “Seria eu o traidor?” Ou pelo anúncio da negação de Pedro. Muito mais pelo fato da perspectiva de sua futura partida. Jesus transmite serenidade. Querendo consolidar neles a fé e a esperança, exorta: “Crede em Deus… e também em mim”. Equivalência, que não se justificaria caso Jesus não fosse Deus. Só em Deus se pode e se deve crer de modo absoluto. Finalmente, ele lhes indica o
objetivo visado: preparar “na casa de meu Pai” um lugar para todos os que, crendo em mim, tornaram-se ”filhos de Deus”.

No Antigo Testamento, a Casa de Deus era o Templo, no qual Deus fizera sua “morada”. O mediador escolhido por Ele, Moisés ou o Sumo Sacerdote, tinha acesso, uma vez por ano, ao Santo dos Santos. Esta “tenda do encontro” era modelo da realidade celeste e divina, penetrada por Jesus em seu sacrifício na cruz.

As palavras “na casa do Pai” sugerem interiorização e intimidade com Deus. Remetem-nos ao castelo interior de S. Teresa de Jesus, em seu desejo de paz e de serenidade. Pois somos introduzidos na feliz e misericordiosa eternidade do Pai celestial. Ao dizer “muitas” moradas, ele designa um número ilimitado, ou seja, “um lugar” para cada um. Todos participarão da família de Deus, vivendo verdadeira e profunda comunhão com ele, segundo os diferentes graus de vida espiritual. Não se pode, no entanto, esquecer o que é dito pelo próprio Senhor: “Eu sou o Caminho” e “ninguém vem ao Pai a não ser por mim”. Por sua mediação. Escreve S. Teresa: “É por meio deste Senhor nosso que nos vem todos os bens. Ele ensinará o caminho: contemplemos sua vida, porque não há modelo melhor”.

Estranho palpitar de profundo anseio invade, então, aquele que aspira, segundo S. Agostinho, “duas coisas: de início, o conhecimento da verdade, o que lhe é próprio; em seguida a continuação de sua existência, o que é comum a todas as pessoas. Cristo é o Caminho para se chegar ao conhecimento da verdade, pois ele mesmo é a Verdade. Cristo é o Caminho para se chegar à vida, pois ele é a Vida”. Por ser a Verdade e a Vida, Jesus é o caminho para o Pai. Trilhando a senda divina, suas palavras a percutir na alma humana traz-lhe profunda serenidade. Pois com carinho e ternura fraterna, ele completa: “Não se perturbe o vosso coração”!

(Dom Fernando).

CELEBRAÇÃO DE HOJE

4ª SEMANA DA PÁSCOA (COR BRANCA – PREFÁCIO PASCAL).

MONIÇÕES

MONIÇÃO AMBIENTAL OU COMENTÁRIO INICIAL: – 1ª: Deus Conosco; – 2ª: Liturgia Diária.

– 1ª: Desde a encarnação de Cristo entre nós, Ele é verdadeiramente o caminho que nos conduz à eternidade. Ele é a revelação perfeita do Pai, que está presente em sua pessoa, em sua ação e em suas palavras. Por isso, “não se perturbe o vosso coração. Tende fé em Deus, tende fé em mim também”. Quem caminha com Ele não fracassará, pois Ele é o Caminho, a Verdade e a Vida.

– 2ª: Morto pela maldade dos poderosos ressuscitado pelo poder de Deus, Cristo se apresenta a nós como o caminho, a verdade e a vida. Seguindo-o no caminho, vivemos a verdade e defendemos a vida.

MONIÇÃO PARA A(S) LEITURA(S) E O SALMO: – 1ª: Deus Conosco; – 2ª: Liturgia Diária.

– 1ª: Deus prometeu e cumpriu sua promessa ressuscitando Jesus, seu Filho, que é o Caminho, a Verdade e a Vida. Ele nos faz participar da comunhão com o Pai, que é vida e vida eterna. Escutemos sua Palavra bendita.

– 2ª: Acolhamos a palavra da vida, a qual nos mostra quem rejeita Jesus e o leva à condenação e quem está do seu lado, ressuscitando-o dos mortos.

MONIÇÃO PARA O EVANGELHO.

— Aleluia, aleluia, aleluia.

— Aleluia, aleluia, aleluia.

— Sou o caminho, a verdade e a vida; ninguém vem ao Pai, senão por mim. (Jo 14,6).

ANTÍFONAS

Antífona da entrada.

Vós nos resgatastes, Senhor, pelo vosso sangue, de todas as raças, línguas, povos e nações e fizestes de nós um reino e sacerdotes para o nosso Deus, aleluia! (Ap 5,9s).

Antífona da comunhão

O Cristo Senhor foi entregue por nossos pecados e ressuscitou para nossa justificação, aleluia! (Rm 4,25).

ORAÇÕES DO DIA

Oração do dia ou Oração da coleta

Deus, a quem devemos a liberdade e a salvação, fazei que possamos viver por vossa graça e encontrar em vós a felicidade eterna, pois nos remistes com o sangue do vosso Filho. Que convosco vive e reina, na unidade do Espírito Santo.

Preces da Assembleia ou Oração da Assembleia: – 1ª: Deus Conosco; – 2ª: Liturgia Diária.

– 2ª: — Venha vosso reino, Senhor.

1. Orientai, Senhor, a Igreja, para que seja sempre firme na missão de guiar o povo no caminho da salvação.

2. Iluminai as autoridades religiosas e civis, para que se deixem guiar pela justiça e pelo bem comum.

3. Aumentai nossa caridade para com os necessitados e tornai-nos atentos aos apelos dos sofredores.

4. Encorajai os movimentos sociais, para que sejam fortalecidos na luta pela dignidade humana.

5. Animai continuamente os jovens, para que perseverem em seus propósitos de um mundo melhor.

Oração sobre as oferendas

Acolhei, ó Deus, com bondade, as oferendas da vossa família e concedei-nos, com o auxílio da vossa proteção, sem perder o que nos destes, alcançarmos os bens eternos. Por Cristo, nosso Senhor.

Oração depois da comunhão

Guardai, ó Deus, no vosso constante amor, aqueles que salvastes, para que, redimidos pela paixão do vosso Filho, nos alegremos por sua ressurreição. Por Cristo, nosso Senhor.

Fontes de Consultas e Pesquisas

Vamos expor a seguir de onde pertencem os textos que nos preenchem todos os dias, nos dando um caminho com mais sabedoria, simplicidade e amor.

FONTE PRINCIPAL DE PESQUISA E INSPIRAÇÃO

BÍBLIA SAGRADA

REFLITA:

O importante não é a pessoa que escreve, mas quem foi que inspirou essa pessoa a escrever.

O importante não é como se lê o que está escrito, mas como se age.

O importante não é sentar-se à direita ou a esquerda do Pai, mas sim, realizar o trabalho que Ele nos pede.

Ter conhecimento não é ter sabedoria, sabedoria é saber compartilhar o conhecimento.

(1) – Periódico Mensal: Liturgia Diária (Editoras Paulinas e Paulus);

(2) – Periódico Mensal: Deus Conosco (Editora Santuário);

(3) – Portal Editora Santuário;

(4) – Portal Editora Paulinas;

(5) – Portal Editora Paulus;

(6) – Portal e Blog Canção Nova;

(7) – Portal Dom Total;

(8) – Portal Católica Net;

(9) – Portal Católico Orante;

(10) – Portal Edições Loyola Jesuítas;

(11) – Portal de Catequese Católica;

(12) – Portal Evangelho Quotidiano;

(13) – Blog Homilia Dominical;

(14) – Blog Liturgia Diária Comentada;

(15) – Portal CNBB (A Palavra de Deus na Vida);

(16) – Portal Catequisar: Catequese Católica;

(17) – Portal Universo Católico;

(18) – Portal Paróquia São Jorge Mártir;

(19) – Portal Catedral FM 106,7;

(20) – Portal Comunidade Católica Nova Aliança;

(21) – Portal Comunidade Resgate;

(22) – Portal Fraternidade O Caminho;

(23) – Portal Católico na Net;

(24) – Portal Evangeli.net;

(25) – Portal Padre Marcelo Rossi;

(26) – Portal Grupo de Oração Sopro de Vida;

(27) – Portal NPD Brasil.

MINHA MENSAGEM PESSOAL PARA MIM MESMO E
PARA QUEM QUISER OUVIR.

Mais vale o desconforto da VERDADE, do que a comodidade da MENTIRA.

Se não quer ouvir a VERDADE, não me pergunte sobre a MENTIRA.

Eu acredito e vivo assim, pois Jesus me ensinou, usando os meus pais.

Agora, se o ERRO está em mim, que DEUS possa me dar a HUMILDADE de aceitar que estou errado.

Que Jesus me dê a SERENIDADE, para aceitar que tem coisas que não posso mudar.

E que o Espírito Santo me dê a CORAGEM, suficiente para mudar aquelas coisas que dependem de mim, mesmo que sejam difíceis.

Viver e falar a VERDADE hoje são tão difíceis quanto na época de Jesus, pois é muito mais fácil aceitar a MENTIRA.

POR ISSO, MATAMOS JESUS TODOS OS DIAS, CRUCIFICANDO-O NOVAMENTE, PORQUE NÃO SABEMOS DIZER A VERDADE.

Seguir a Cristo é:

– TER CONHECIMENTO: para ser usado hoje;

– CORRIGIR OS ERROS: para ser usado hoje;

– AMAR AO PRÓXIMO: para ser usado hoje;

– PEDIR PERDÃO: para ser usado hoje;

– SABER PERDOAR: para ser usado hoje;

– VIVER A VERDADE: para ser usado hoje;

– TER SABEDORIA: para ser usado hoje;

– ORAR: para ser usado hoje;

– ACEITAR A OPINIÃO DOS OUTROS: para ser usado hoje;

– SABER OUVIR: para ser usado hoje…

Viver no CAMINHO, VERDADE E VIDA, que é o próprio Cristo Jesus, tem que ser uma caminhada diária.

Não interessa o que você imagina para o futuro;

não importa o que você fez no passado;

o que realmente interessa, é o que você faz no presente, para viver em Cristo.

Isso quer dizer: HOJE, DIA APÓS DIA.

–>

Anúncios
Esse post foi publicado em Religião. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s