Liturgia Diária 04/MAI/13

LEITURA DIÁRIA DA PALAVRA — 04/MAI/2013 (sábado)

LEITURAS

Leitura retirada do livro dos Atos dos Apóstolos (At 16,1-10)

Leitura dos Atos dos Apóstolos.

Naqueles dias, Paulo foi para Derbe e Listra. Havia em Listra um discípulo chamado Timóteo, filho de uma judia, crente, e de pai grego. 2 Os irmãos de Listra e Icônio davam bom testemunho de Timóteo. 3 Paulo quis então que Timóteo partisse com ele. Tomou-o consigo e circuncidou-o, por causa dos judeus que se encontravam nessas regiões, pois todos sabiam que o pai de Timóteo era grego. Percorrendo as cidades, Paulo e Timóteo transmitiam as decisões que os apóstolos e anciãos de Jerusalém haviam tomado. E recomendavam que fossem observadas. 5 As Igrejas fortaleciam-se na fé e, de dia para dia, cresciam em número. 6 Paulo e Timóteo atravessaram a Frígia e a região da Galácia, pois o Espírito Santo os proibira de pregar a Palavra de Deus na Ásia. 7 Chegando perto da Mísia, eles tentaram entrar na Bitínia, mas o Espírito de Jesus os impediu. 8 Então atravessaram a Mísia e desceram para Trôade. 9 Durante a noite, Paulo teve uma visão: na sua frente, estava de pé um macedônio que lhe suplicava: “Vem à Macedônia e ajuda-nos!” 10 Depois dessa visão, procuramos partir imediatamente para a Macedônia, pois estávamos convencidos de que Deus acabava de nos chamar para pregar-lhes o Evangelho.

— Palavra do Senhor.

— Graças a Deus.

Leitura retirada do livro dos Salmos (Sl 99(100), 2. 3. 5 (R. 2a)).

— Aclamai o Senhor, ó terra inteira.

— Aclamai o Senhor, ó terra inteira.

— Aclamai o Senhor, ó terra inteira, servi ao Senhor com alegria, / ide a ele cantando jubilosos!

— Sabei que o Senhor, só ele, é Deus, Ele mesmo nos fez, e somos seus, / nós somos seu povo e seu rebanho.

— Sim, é bom o Senhor e nosso Deus, sua bondade perdura para sempre, / seu amor é fiel eternamente!

Leitura retirada do Evangelho de Jesus Cristo segundo João (Jo 15,18-21).

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo João.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 18 “Se o mundo vos odeia, sabei que primeiro me odiou a mim. 19 Se fôsseis do mundo, o mundo gostaria daquilo que lhe pertence. Mas, porque não sois do mundo, porque eu vos escolhi e apartei do mundo, o mundo por isso vos odeia. 20 Lembrai-vos daquilo que eu vos disse: ‘O servo não é maior que seu senhor’. Se me perseguiram a mim, também perseguirão a vós. Se guardaram a minha palavra, também guardarão a vossa. 21 Tudo isto eles farão contra vós por causa do meu nome, porque não conhecem aquele que me enviou”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

LEITURA ORANTE:

… Oração Inicial… (querer).

“O Senhor nos disse: “não tenham medo” (Mt 28,5). Como às mulheres na manhã da Ressurreição nos é repetido: “Por que buscam entre os mortos aquele que está vivo”? (Lc 24,5). Os sinais da vitória de Cristo ressuscitado nos estimulam enquanto suplicamos a graça da conversão e mantemos viva a esperança que não defrauda”. (DAp 14).

Renovando estes sentimentos, preparo-me para a Leitura Orante.

Espírito de verdade, a ti consagro a mente e meus pensamentos: ilumina-me.

Que eu conheça Jesus Mestre e compreenda o seu Evangelho.

Ó Jesus Mestre, Verdade, Caminho e Vida, tem piedade de nós.

… Eu sou o CAMINHO… (ler…).

O que diz o texto do dia?

Leio atentamente o texto: Jo 15,18-21.

Observo as palavras de Jesus.

Quanto mais o discípulo ou seguidor se deixa levar pela “causa”, pela dinâmica de Jesus Cristo Mestre, mais percebe a sua inadequação aos critérios e propostas do mundo. Se ele é fiel ao Mestre, passa a ser ridicularizado, rejeitado, ignorado e, até, perseguido pelo mundo. A “causa” de Jesus tem um preço especial.

… a VERDADE… (refletir e meditar…).

O que o texto diz para mim, hoje?

Espelhando-me no Evangelho, sinto que, às vezes, me inquieto por andar de acordo com o mundo e me distancio da verdade e da liberdade que a Palavra de Deus me propõe. Vejo ainda que, na profundidade de meu ser, anseio por seguir as propostas libertadoras de Jesus, mas, às vezes, tenho medo das críticas por ser diferente. Peso que muitas pessoas sentem como eu.

Os bispos nos lembram a “causa” de Jesus:

“As condições de vida de muitos abandonados, excluídos e ignorados em sua miséria e sua dor, contradizem este projeto do Pai e desafiam os cristãos a um maior compromisso a favor da cultura da vida. O Reino de vida que Cristo veio trazer é incompatível com essas situações desumanas. Se pretendemos fechar os olhos diante destas realidades, não somos defensores da vida do Reino e nos situamos no caminho da morte: “Nós sabemos que passamos da morte para a vida porque amamos os irmãos. Aquele que não ama, permanece na morte”. (1Jo 3,14). É necessário sublinhar “a inseparável relação entre o amor a Deus e o amor ao próximo”, que “convida a todos a suprimir as graves dificuldades sociais e as enormes diferenças no acesso aos bens”. Tanto a preocupação por desenvolver estruturas mais justas como por transmitir os valores sociais do Evangelho situam-se neste contexto de serviço fraterno à vida digna.” (DAp 358).

… e a VIDA… (orar…).

O que o texto me leva a dizer a Deus?

Rezo, com toda a Igreja:

Senhor Jesus, Tu és o Caminho!

Em meio a sombras e luzes, alegrias e esperanças, tristezas e angústias, Tu nos levas ao Pai.

Não nos deixes caminhar sozinhos.

Fica conosco, Senhor!

Tu és a Verdade!

Desperta nossas mentes e faze arder nossos corações com a tua Palavra.

Que ela ilumine e aqueça os corações sedentos de justiça e santidade.

Ajuda-nos a sentir a beleza de crer em Ti!

Fica conosco, Senhor!

Tu és a Vida!

Abre nossos olhos para te reconhecermos no “partir o Pão”, sublime Sacramento da Eucaristia!

Alimenta-nos com o Pão da Unidade.

Sustenta-nos em nossa fragilidade.

Consola-nos em nossos sofrimentos, faze-nos solidários com os pobres, os oprimidos e excluídos.

Fica conosco, Senhor!

Jesus Cristo: Caminho, Verdade e Vida, no vigor do Espírito Santo, faze-nos teus discípulos missionários!

Com a humilde serva do Senhor, nossa Mãe Aparecida, queremos ser:

Alegres no Caminho para a Terra Prometida!

Corajosas testemunhas da Verdade libertadora!

Promotores da Vida em plenitude!

Fica conosco, Senhor!

Amém!

Qual deve ser a MISSÃO em minha VIDA hoje? (contemplar e agir…).

Qual meu novo olhar a partir da Palavra?

Meu novo olhar é iluminado pela “causa” de Cristo que assumi. Recordo as palavras de Bento XVI no início de seu Pontificado, fazendo eco a João Paulo II, e quero assim viver: “Não temam! Abram, abram de par em par as portas a Cristo!… quem deixa Cristo entrar a não perde nada, nada – absolutamente nada – do que faz a vida livre, bela e grande. Não! Só com esta amizade abrem-se as portas da vida”. (DAp 15).

Assim quero viver hoje e sempre.

REFLEXÕES:

(4) – A PALAVRA ENCORAJADORA DE JESUS.

O tema principal é a perseguição que os discípulos sofrem e, aqui, muito provavelmente da parte da sinagoga. No relato do envio dos setenta e dois discípulos, Jesus alerta: “Eis que eu vos envio como cordeiro entre lobos” (Lc 10,3).

prólogo do evangelho de João já antecipa o tema da perseguição e da rejeição: “… a luz brilha nas trevas, mas as trevas não a apreenderam” (1,5); “ele estava no mundo e o mundo foi feito por meio dele, mas o mundo não o reconheceu” (v. 10). No diálogo catequético-batismal com Nicodemos, o tema da rejeição também aparece: “… a luz veio ao mundo, mas os homens preferiram as trevas à luz, porque as suas obras eram más” (3,19). Neste pano de fundo, a palavra de encorajamento de Jesus ganha ainda mais força: “Se o mundo vos odeia, sabei que primeiro odiou a mim” (v. 18). O discípulo é chamado a configurar a sua vida à vida do seu Senhor e encontrar nele e por ele a força para enfrentar e não sucumbir diante da perseguição. As razões da perseguição são a ignorância e a falta de fé: não conhecem Aquele que enviou Jesus (cf. v. 21).

(Carlos Alberto Contieri, sj).

(6) – SE PERSEGUIRAM NOSSO MESTRE, A NÓS TAMBÉM IRÃO PERSEGUIR.

Disse Jesus: “Se o mundo vos odeia, sabei que, primeiro, odiou a mim, porque o servo não é maior que o seu Senhor”.

Muitas vezes, ficamos tristes, deprimidos, para baixo, porque as pessoas não gostam de nós, nos menosprezam por aquilo que vivemos e acreditamos. Até mesmo em nossas casas, nossa própria família, nos chamam de beatos, bitolados… Mas aprenda uma coisa: o mundo odiou Jesus, odiou nosso Mestre.

Quando olhamos para o crucifixo e contemplamos Jesus crucificado, temos convicção disso. Ele morreu primeiro, porque o mundo o odiou, porque não aceitaram Sua palavra, não aceitaram a vida que Ele nos deu. Se nós nos tornamos discípulos d’Ele, nós não somos maiores do que Ele; pelo contrário, tornamo-nos servos. E se assim O perseguiram, se assim não O amaram nem O aceitaram, é normal também que o mundo não nos aceite. É por isso que ser Igreja é viver o martírio, é ser, muitas vezes, rejeitado, discriminado.

Primeiro, precisamos ser coerentes e não é só falar, mas viver tudo aquilo que acreditamos, ou seja, que o Evangelho é vida.

Precisamos encarnar este modo de vida, e, uma vez feito isso, temos de deixar nosso “couro da pele” preparado, porque o mundo não vai nos aceitar.

Mas entendam que, se perseguiram nosso Mestre, a nós também irão perseguir. Nós estamos no caminho! Que Deus nos dê forças para suportarmos as adversidades que o mundo nos faz passar.

(Padre Roger Araújo).

(7) – SEM MEDO DE SER ODIADO.

O Mestre Jesus procurou consolar e encorajar os seus discípulos diante da perspectiva do ódio e da perseguição. Sem criar neles o complexo de vítima, levou-os a encarar o futuro, com realismo: assim como o seu testemunho despertou a fúria de seus adversários, o mesmo aconteceria com os seus enviados.

Que tipo de personalidade pressupõe-se que o discípulo deva ter, se considerarmos as palavras de Jesus?

Antes de tudo, o discípulo deve ser alguém inabalavelmente comprometido com o Mestre, colocando-o como centro de sua vida, e com o Reino. Supõe-se que deva possuir uma personalidade destemida, se não audaciosa, alheia às influências negativas e pessimistas, perspicaz para detectar e denunciar as artimanhas do maligno, precavendo-se delas, predisposta a testemunhar a sua fé até o martírio, se for o caso.

Sem isto, o discípulo não terá a mínima condição de defrontar-se com o mundo, e sair vitorioso. Sua vida será sempre uma batalha, pois foi arrancado do mundo. Por isso, o mundo não o perdoa. Sua missão consistirá em desmontar as estruturas contrárias ao projeto de Deus, saneando-as com o amor e a justiça. Seu destino será, como Jesus: levar adiante esta luta sem tréguas, da qual deverá sair vencedor.

Basta ao discípulo contemplar a vida do Mestre, e, por ela, pautar a sua.

Oração: Espírito de encorajamento, diante da perspectiva de ser odiado e perseguido, reveste-me de coragem, para eu não permitir que as forças do mal tenham poder sobre mim.

(Pe. Jaldemir Vitório – Jesuíta, Doutor em Exegese Bíblica, Professor da FAJE).

(10) – BOA NOVA PARA CADA DIA.

Se fôsseis do mundo, o mundo gostaria do que lhe pertence (Jo 14,19).

João 15,18-21 é um texto direto sobre os conflitos que a mensagem de Jesus provoca nos que contrariam os planos de Deus que Ele pregou. O mesmo acontece conosco. Não pensemos que sendo “bonzinhos” com todas as formas de religiosidade deste mundo podemos ficar em paz e deixar tudo correr livremente. Há momentos em que nossa fé exige de nós atitudes fortes como foram as de Jesus, contra os hipócritas fariseus, anciãos do povo e sacerdotes de Israel.

simples fato de seguirmos Jesus já nos põe em desacordo com muita gente que é contrária a Deus. Jesus se refere aos que se opõem a Deus como o “mundo”. É claro que para Ele o “mundo” são seus inimigos, não o “mundo- natureza”, a criação.

Desde seu nascimento Jesus foi fonte de controvérsia. Herodes quis matá-lo. E em Lucas 2,34 Simeão diz a Maria: este menino está destinado tanto para ruína como para levantamento de muitos em Israel e para ser sinal que provocará contradições.

Assim como Jesus foi rejeitado e maltratado por muitos, a Igreja hoje é combatida até ferozmente por seus inimigos. Basta abrir imagens e textos na Internet para ver como são tantas as pessoas que odeiam Jesus Cristo e sua Igreja.

Portanto, não nos assustemos se há pessoas que nos combatem por sermos católicos. Pelo contrário, seremos bem-aventurados se sofrermos em nome de Jesus. Ele mesmo disse em Mateus 5,11: Bem-aventurados sois quando, por minha causa, vos injuriarem, e vos perseguirem, e, mentindo, disserem todo mal contra vós.

Jesus Cristo nos faz ver o lado positivo até da perseguição, pois assim permanecemos com Ele, a videira à qual estamos ligados. E sem Ele nada faz sentido, nada podemos (Jo 15,5).

(Pe. Valdir Marques, SJ).

(12) – O SERVO NÃO É MAIS QUE O SEU SENHOR.

“Despiram-No e envolveram-No num manto escarlate. Tecendo uma coroa de espinhos, puseram-Lha na cabeça” (Mt 27,28-29). Foi como rei que Cristo foi revestido duma túnica vermelha, e como príncipe dos mártires, […] porque resplandece com o Seu sangue sagrado de precioso escarlate. Foi como vencedor que Ele recebeu a coroa, pois é normalmente ao vencedor que se entrega uma coroa. […] Mas podemos notar que a túnica vermelha é também símbolo da Igreja que, permanecendo com Cristo rei, brilha com uma glória régia. Daí o título de “reino” que lhe dá João no Apocalipse (1,6). […] Com efeito, o tecido púrpura é uma coisa preciosa e própria da realeza. Embora seja um produto natural, muda de qualidade quando se mergulha no banho de tingimento, e muda de aspecto. […] Sem ter valor por si mesmo, a transformação torna-o precioso. Passa-se o mesmo conosco: sendo destituídos de valor por nós próprios, a graça transforma-nos e dá-nos valor, quando [no baptismo] somos mergulhados por três vezes, como o tecido púrpura, no escarlate espiritual que é o mistério da Trindade. […]

Podemos ainda notar que o manto vermelho é também símbolo da glória dos mártires, uma vez que, tingidos com o seu próprio sangue derramado, ornamentados com o sangue do martírio, brilham em Cristo como preciosa túnica escarlate. Outrora a Lei prescrevia que se oferecessem tecidos escarlate para ornamentar o tabernáculo de Deus (Ex 25,4); os mártires, com efeito, são ornamentos da Igreja de Cristo. […]

coroa de espinhos que colocaram na cabeça do Senhor é o símbolo da nossa união, nós que, vindos das diferentes nações, chegámos à fé. Não éramos senão espinhos, isto é, pecadores; mas, acreditando em Cristo, tornámo-nos coroa de justiça, porque deixámos de ferir e picar o Salvador e coroámos a Sua cabeça com a confissão da nossa fé. […] Sim, antes éramos espinhos, mas […] tornámo-nos pedras preciosas.

(São Cromácio de Aquileia (?-407), bispo – Sermão 19, 1-3; SC 164).

(14) – NÓS ESTAMOS NO MUNDO, PORÉM NÃO PERTENCEMOS A ELE, ASSIM SENDO, NUNCA PODEREMOS NOS AMOLDAR A ELE.

Jesus abre os nossos olhos a fim de que tenhamos consciência dos vexames pelos quais podemos passar no mundo, por causa da nossa opção por Ele. Ele nos adverte de que o servo não é maior do que o seu Senhor, porquanto, se o mundo odeia Jesus e a Sua doutrina, com certeza nos odiará também e tentará nos dar o troco. O mundo significa tudo que segue os ditames da nossa carne corrompida, isto é, da nossa humanidade decaída que “ouve” os conselhos do demônio quando nos oferece “ouro”, no entanto, nos leva ao pecado e à morte eterna. Lógico que o mundo odeia a Jesus, pois Ele nos oferece sacrifício, renúncia, perseverança e não nos engana quanto ao que nós temos que passar para ter uma vida terrena na paz e a vida eterna depois da morte física.

No entanto, por natureza somos questionadores e pretensiosos no que concerne ao nosso bem estar, à nossa integridade física assim como também a tudo que possa nos desestabilizar. O mundo tem uma mentalidade contrária a tudo quanto Jesus no ensina e nunca seremos bem acolhidos no mundo se não agirmos como ele prega. Por isso, quando procuramos viver uma vida honesta e fiel a Deus, vivenciando o Evangelho não devíamos estranhar as dificuldades que temos de enfrentar. O Senhor mesmo nos explica: “Se fôsseis do mundo, o mundo gostaria daquilo que lhe pertence… Eu vos escolhi e apartei do mundo, o mundo por isso vos odeia!” Quem não aceita a Jesus vive na ignorância e não conhece o amor perfeito do Pai. Se, queremos seguir a Jesus, se, somos seus servos, então também seremos perseguidos.

No entanto, acontece conosco que nos equivocamos e esperamos ser amados pelo mundo e desejamos a sua paz. Queremos ser servidos e nos contentamos apenas com migalhas que conseguimos quando somos bem sucedidos nas coisas daqui que logo passam. Nunca queremos admitir a existência da luta, da conquista, da perseguição. Achamos que, se somos de Deus Ele tem a obrigação de tirar todos os obstáculos da nossa frente. Precisamos ter em mente que Deus nunca irá nos mostrar o caminho completo, pois Ele guia os nossos passos na medida em que enfrentamos os obstáculos. Por isso, Jesus mesmo nos avisou: “Se me perseguiram a mim, também perseguirão a vós”. Nós estamos no mundo, porém não pertencemos a ele, assim sendo, nunca poderemos nos amoldar a ele.

Reflita:

– Você entende o que é não ter parte com o mundo?

– Você realmente pensa diferentemente do mundo?

– O que você tem esperado da sua vida: acomodação, sucesso, vida mansa, tudo dentro dos conformes?

– Você quer ser discípulo (a) de Jesus?

– O que você tem sofrido em Nome de Jesus?

Amém!

Abraço carinhoso.

(Maria Regina).

(14) – NÃO SOIS DO MUNDO, PORQUE EU VOS ESCOLHI E APARTEI DO MUNDO.

Neste Evangelho, Jesus nos previne que todos nós, seus discípulos, seremos perseguidos. E, para nos dar calma no meio da perseguição, ele faz a comparação do servo. Se perseguiram até o senhor do servo, que é ele, quanto mais o próprio servo, que somos nós!

“Se fôsseis do mundo, o mundo gostaria daquilo que lhe pertence.” Através dessa atitude do mundo contra nós, ficamos sabendo que não pertencemos ao mundo pecador, mas a Cristo. Portanto, ser odiado e perseguido é até uma honra para nós, pois nos assemelhamos a Jesus.

Deus está conosco sempre, e especialmente nos momentos de perseguição e ódio das pessoas a nós. Por isso, “não perdereis um só fio de cabelo”.

“Se guardaram a minha palavra, também guardarão a vossa”. Se uma parte das pessoas nos odeia, isso tem outra vantagem: mostra que outra parte das pessoas vai ouvir a nossa palavra. É como uma medalha: a perseguição de um lado indica que há acolhimento da palavra, do outro lado.

“Tudo isso eles farão contra vós…, porque não conhecem aquele que me enviou.” Quando formos perseguidos, é sinal de que estamos no caminho certo e falando para pessoas certas, isto é, para pessoas que não conhecem a Deus. Que o nosso testemunho, o nosso comportamento pacífico nos ataques, seja para essas pessoas um convite à conversão.

Muitos se enganam pensando que a religião de Jesus é um meio de se livrar da perseguição e do sofrimento. Esses acabam abandonando a religião que Jesus fundou, e entrando numa seita, criada para trazer a felicidade aqui na terra.

Havia, certa vez, um peixe que nadava sossegado no fundo de um rio. Qual não foi a sua surpresa quando uma minhoca muito atraente apareceu diante dele. Mais que depressa abocanhou a minhoca. Foi um pulo só e a minhoca estava engolida. “Ui! O que é isso?” – gritou o peixe – “Como que pode, uma minhoca tão gostosa vir acompanhada de um anzol!”

mundo pecador é mau e pode nos enganar! Peixe morre pela boca, e nós também podemos cair em armadilhas, prejudicando a nós e ao Reino de Deus. “Vede, eu vos envio como ovelhas para o meio de lobos. Sede, portanto, prudentes como as serpentes e simples como as pombas” (Mt 10,16).

Maria Santíssima sofreu duras perseguições. Que ela nos ajude a seguir o seu Filho, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, na perseguição e nos aplausos, na vida e na morte.

Não sois do mundo, porque eu vos escolhi e apartei do mundo.

(Pe. Antônio Queiroz, CSsR).

(14) – O MUNDO VOS ODEIA…

“O mundo vos odeia, sabei que primeiro me odiou a mim.”

Quando Jesus falou para os apóstolos que eles não são do mundo, estava querendo dizer que os escolhidos, para evangelizar não precisam se preocupar com as coisas desse mundo, mais sim com as coisas do alto, as coisas do plano do Pai. Não devem se agarrar às coisas materiais. Usem-nas como se não estivessem usando.

Jesus avisa que o mundo vai odiar os escolhidos e enviados, pelo fato deles denunciar as coisas erradas, as injustiças, pois os injustos não gostam de quem aponta os seus erros. Foi o que aconteceu a Ele. Jesus denunciou o comportamento errado dos fariseus, doutores da Lei, sacerdotes, etc. Por isso o condenaram a humilhante morte de cruz.

Portanto, nós que evangelizamos, devemos tomar cuidado com as palavras que usamos. Não devemos cutucar nenhum leão com varas curtas, por causa de possíveis retaliações. Por outro lado, não vamos nos acovardar fazendo um trabalho incompleto. Podemos denunciar falando de forma abrangente, sem dar nomes aos bois. E contar com a proteção de Jesus.

Jesus explica que “Se me perseguiram a mim, também perseguirão a vós.” Mais isso não é uma constante, não é uma realidade fatal que acontece sempre. Poderá acontecer. Não vamos nos prender somente a essas palavras de alerta de Jesus, senão o nosso trabalho será prejudicado pelo medo. Vamos pensar em coisas boas, positivas, como as outras frases que Jesus disse, por exemplo: “Se guardaram a minha palavra, também guardarão a vossa.” “Estarei convosco até o fim dos tempos”. “As portas dos infernos não se prevalecerão contra ela (aIgreja)” “Quando forem levados ao tribunal, não vos preocupeis com o que vão dizer, pois o Espírito Santo falará por vocês”. “Vocês que largaram mulher e filhos para evangelizar, terão cem vezes mais nesta vida, e ainda a vida eterna”. Isto é muito animador. Saber que não estamos sozinhos nem desprotegidos nesta caminhada de levar a mensagem de Jesus ao irmão. De saber que as nossas palavras não irão ao vento, passando por cima das cabeças de quem nos ouve semelhante àqueles sermões eruditos com palavras que o povo não entende e que não produzem nenhum fruto.

Prezados irmãos e irmãs. O que Jesus está nos dizendo hoje é que somos especiais. Que contamos com a força do alto para a execução do nosso trabalho. Que podemos contar com o auxílio infalível e imediato de Deus nas horas difíceis e mesmo perigosas. Tudo isso porque estamos agindo e falando em nome de Deus Pai Todo Poderoso! Por isso, catequistas vão em frente. Não tenham medo. Jesus ama vocês e está sempre do vosso lado!

(José Salviano).

(14) – SE O MUNDO VOS ODEIA…

A Palavra “mundo” é largamente empregada pelo evangelista João, mas as vezes com sentido diferente, neste evangelho por exemplo, mundo não é o planeta ou a Obra da Criação, mas sim o mundo do mal, dos que deliberadamente se opõe a Verdade que Deus revelou em Jesus. Odiar é o contrário do Amar, o amor quer a Vida do outro e a sua alegria, o Ódio quer a morte e a destruição daquele que é odiado.

homem quer um Deus forte e poderoso, um ser de moral irrepreensível, seguidor da lei de Moisés, um Deus que privilegie os justos e santos, e que castigue implacavelmente os injustos e pecadores. Um Deus que continue a ter uma raça escolhida, exemplo de pessoas boas, sinceras, e que por isso mesmo são sempre abençoadas com longa vida, e bens materiais. Um Deus que se valorize e que não se misture com os míseros mortais.

primeiro problema na relação da comunidade judaica tradicional com Jesus, Ele não atende essa expectativa e ainda por cima, se relaciona com pessoas que nem de longe fazem parte da “raça escolhida e Nação Santa”. Mas o que provocou o ódio e a rejeição a Jesus por parte dos Judeus tradicionais, foi ele ter se apresentado como Filho de Deus, o grande esperado e não havia outro.

Os seguidores autênticos de Jesus o imitam em tudo, ensinam suas palavras, realizam as mesmas obras, ou seja, dão continuidade á Missão de Jesus tornando-se assim a prova inequívoca de que Jesus ressuscitou, está vivo e caminha com eles. Quem odeia a alguém, quer ver esse alguém morto, esmagado e destruído para sempre, e alguém que lembre essa presença, só fará aumentar o ódio dos seus opositores.

Na pós-modernidade essa rejeição e esse ódio por Jesus, seu evangelho e seu reino, continua. Muda-se a referência, os Judeus conservadores o odiavam porque ele não correspondia ao modelo de Messias que eles acreditavam, a partir de suas tradições e da escritura, já o homem da pós-modernidade quer um Jesus que seja á sua imagem e semelhança, adequado a um estilo de vida que privilegie a busca de prazer, de realização pessoal, em um egocentrismo exacerbado onde o homem é o deus de si mesmo.

Qualquer postura, pensamento ou atitude que contrarie tudo isso, irá atrair ódio e rejeição. O discípulo de Jesus sempre navega contra a correnteza!

(Diác. José da Cruz).

(14) – SE O MUNDO VOS ODEIA, SABEI QUE PRIMEIRO ODIOU A MIM.

Evangelho de Jesus Cristo segundo João 15,15-21. Assim como Jesus foi rejeitado, nós também somos e seremos rejeitados incompreendidos e até odiados. O mundo ou seja as estruturas da sociedade injusta, rejeita a verdade que é Jesus. Com tristeza temos visto como a igreja de Deus tem sido perseguida e injustiçada. Querem silenciar a voz da igreja, através de calunia e difamação. Querem desmoralizá-la porque ela é a única que não tem medo de falar a verdade de ir contra um sistema opressor que oprime manipula e mata os mais pobres. O mundo rejeita Jesus e seu Evangelho. Pois muitos querem que o evangelho se adapte a sua vida, não querem renunciar a nada. Querem um evangelho que sirva ao seu modo de vida mundana.

É preciso permanecer firme na fé, anunciando a palavra de Deus que liberta e salva. Deus nos dará a força para sermos fieis mesmo em meio ás perseguições. Testemunhar com nosso jeito de viver que estamos no mundo, mas não somos do mundo. O próprio Jesus pede ao Pai por nós: Não te peço que os tire do mundo, mas que os guarde do maligno. Jo 17,15.

Suportar a rejeição por causa do nome de Jesus e lutar para que a vontade de Deus prevaleça. Ser sal e luz no mundo, testemunhando que cremos no projeto de vida que Deus Pai tem para cada um de nós. Ser discípulo de Jesus e estar preparado para dar razão de nossa fé a quem nos pedir. Que o medo da perseguição e da rejeição não nos paralisem diante dos desafios do mundo paganizado. Se formos perseguidos e odiados devemos antes é ficar alegres, pois será grande nossa recompensa no céu. Agora se estamos sendo aplaudidos pelo mundo devemos rever nossos conceitos, pois algo deve estar errado. Tenhamos os pés bem ficados no mundo, mas nosso coração esteja em Deus. O reino de Deus já começa aqui, não sejamos alienados querendo viver fora do mundo, mas ser sinal do amor de Deus no mundo.

Deixemos nos guiar pelo espírito santo e não tenhamos medo se o mundo nos rejeita, se isso acontece é porque somos de Deus e não do mundo, pode existir alegria maior que essa? Jesus nos escolheu e nos apartou do mundo. A Ele todo louvor e toda gloria, amém.

Em Cristo.

(Rita Leite).

(15) – REFLEXÃO.

Todas as pessoas vivem segundo uma hierarquia de valores que norteiam a sua existência. Esta hierarquia de valores é determinada pelas experiências da vida, pela educação recebida, pela cultura em geral e pelos conhecimentos adquiridos. Quando uma pessoa é de fato alguém de fé, a fé passa a ser o elemento fundamental da sua hierarquia de valores, toda a sua vida é direcionada para ela e todos os esforços são no sentido de defender e assumir esses valores. Mas quem vive segundo a hierarquia de valores proposta pelo mundo, defende com todas as suas forças os valores do mundo e combate os valores da fé, odiando quem é de Jesus.

(CNBB).

(20) – O MUNDO VOS ODEIA…

Aqui e ali, encontro cristãos que se lamentam porque seu testemunho cristão prejudicou sua carreira profissional. Como não eram da “panelinha” que se reunia para farras e bebedeiras, não topavam negociatas, insistiam em valorizar a ética, acabaram “na geladeira”. Conheço um engenheiro que foi demitido por ter pregado um crucifixo na parede de sua sala.

Aqui e ali, encontro jovens simpáticas que se lamentam porque suas colegas mais espevitadas logo arranjaram um namorado, enquanto sua atitude recatada e a recusa a certo tipo de relacionamento afastou eventuais candidatos. E suspiram: “Está difícil arranjar um namorado que não aponte para o motel logo no primeiro encontro…”

Aqui e ali, encontro jovens universitários ressentidos com seus professores, que se aproveitam de toda oportunidade para zombar de sua fé, denegrir a história da Igreja e abrir um “zoom” sobre os deslizes dos sacerdotes. Não poucos desses jovens acabam por se afastar da Igreja.

Ora, meus queridos amigos, que é que vocês esperavam da parte de um mundo neo-pagão, que lucra com a miséria alheia e incensa nulidades, desde que sejam do seu grupo ideológico?!

Que esperavam de um mundo anti-crístico, que manifesta o mais deslavado ódio por Deus e por seus servos?

Aplauso?

Condecorações?

Diplomas de honra ao mérito?

Grande infantilidade ficar surpreso ou chateado com tais manifestações! Jesus alertara os membros do seu primeiro grupo: “Se o mundo vos odeia, ficai sabendo que, primeiro do que a vós, me odiou a mim. Se fôsseis do mundo, o mundo amaria o que era seu. Mas porque não sois do mundo e porque eu, ao contrário, do mundo vos escolhi, é que o mundo vos odeia.” (Jo 15,18-19).

É a mesma infantilidade dos cristãos que reclamam da TV: “É um absurdo! Só violência! Só pornografia!” E eu pergunto: “Por que você não desliga a TV? Afinal, quem programa a TV? Pagãos. Quem patrocina? Pagãos. Quem desempenha os papéis? Pagãos. Ora, vamos esperar decência, respeito e amor à vida da parte daqueles que não conhecem a Deus?”

Aliás, o cristão que já ouviu o chamado de Deus para cuidar dos irmãos, provavelmente não terá tempo a perder diante da telinha corruptora. Estará tão ocupado em cuidar do próximo, que a TV seria imperdoável perda de tempo…

Quando veremos na rejeição do mundo um sinal da escolha de Deus?

Orai sem cessar: “O Senhor está a meu favor, nada temo!” (Sl 118,6).

(Antônio Carlos Santini).

(24) – TUDO ISSO POR CAUSA DO MEU NOME, PORQUE NÃO CONHECEM AQUELE QUE ME ENVIOU.

Hoje, o Evangelho contrapõe o mundo com os seguidores de Cristo. O mundo representa todo aquele pecado que encontramos em nossa vida. Uma das características do seguidor de Jesus é, pois, a luta contra o mal e o pecado que está no interior de cada homem e no mundo. Por isso, Jesus ressuscitado é luz, luz que ilumina a escuridão do mundo. Karol Wojtyla nos exortava a “que esta luz nos faça fortes e capazes de aceitar e amar a completa Verdade de Cristo, de amá-la mais quanto mais a contradiz o mundo”.

Nem o cristão, nem a Igreja podem seguir as modas ou os critérios do mundo. O critério único, definitivo e iniludível é Cristo. Não é Jesus quem se deve de adaptar ao mundo em que vivemos; somos nós quem devemos transformar nossas vidas em Jesus. “Cristo é o mesmo ontem, hoje e sempre”. Isso nos faz pensar. Quando nossa sociedade secularizada pede certas mudanças ou licenças aos cristãos e à Igreja, simplesmente nos está pedindo que nos afastemos de Deus. O Cristão deve manter-se fiel a Cristo e à sua mensagem. Diz São Irineu: “Deus não tem necessidade de nada; mas o homem tem necessidade de estar em comunhão com Deus. E a gloria do homem está em perseverar e manter-se no serviço de Deus”.

Esta fidelidade pode trazer muitas vezes a persecução: “Se me perseguiram, perseguirão a vós também” (Jo 15,20). Não devemos ter medo da persecução; devemos temer não buscar com suficiente desejo cumprir a vontade do Senhor. Sejamos valentes proclamemos sem medo a Cristo ressuscitado, luz e alegria dos cristãos! Deixemos que o Espírito Santo nos transforme para sermos capazes de comunicar isto ao mundo!

(Rev. D. Ferran JARABO i Carbonell (Agullana, Girona, Espanha)).

(25) – OS DISCÍPULOS E O MUNDO.

No diálogo com seus discípulos, Jesus demonstra seu interesse pelo que lhes sucederá, após a sua partida. Palavras que refletem carinho e afeto. A resposta dos discípulos é imediata. Atitude generosa e fecunda, que engendra, como fruto, a fecundidade apostólica da vida fraterna. No entanto, não se exclui a perseguição, pois eles estão bem conscientes do antagonismo existente entre Jesus e o “mundo”. Nada os surpreende. A alternativa é clara e se lhes impõe: pertencer a Cristo ou ao “mundo”. Optar por Cristo significa ser odiado pelo “mundo”. Por ser equívoco, o termo “mundo” exige que se fale de dois “mundos” diversos, um criado por Deus e outro contrário às realidades divinas. Nesse sentido, S. Basílio Magno exorta os cristãos a evitarem o mundo “dos homens vãos e frívolos para estarem unidos a Deus e à sua vontade”. O objetivo visado é a “euthymia”, que significa tranquilidade, paz e felicidade.

No Evangelho de hoje, o termo mundo é empregado em seu sentido negativo. Refere-se à sociedade das pessoas que são hostis a Deus e se opõem à sua vontade, característica do ambiente incrédulo que rodeia a primitiva comunidade cristã.

Sem titubear, os seguidores do Senhor permanecem fiéis ao mandamento do amor fraterno, sinal indicativo do caminho a ser trilhado por todos os que desejam cumprir a vontade do Pai. Aliás, em suas palavras, Jesus não permite uma atitude dúbia. É necessário decidir-se, estar com ele ou contra ele, pertencer ao reino da luz ou das trevas. Anteriormente, ele já os alertara: “O servo não é maior que seu Mestre”. Se ele foi perseguido, também os que lhe são fiéis serão perseguidos, por força de os adversários não admitirem Aquele que os enviou. Mas o Senhor não os abandona. Seu olhar compassivo penetra seus corações e é com amor que Ele lhes promete enviar, “de junto do Pai”, o Espírito Santo, “o Paráclito, o Espírito da Verdade”. Este os manterá firmes até o fim no testemunho do Evangelho e então, escreve S. Cirilo de Alexandria, “eles chegarão a participar da própria natureza de Cristo e alcançarão a dignidade de filhos adotivos”.

(Dom Fernando).

CELEBRAÇÃO DE HOJE

5ª SEMANA DA PÁSCOA (COR BRANCA, PREFÁCIO PASCAL).

MONIÇÕES

MONIÇÃO AMBIENTAL OU COMENTÁRIO INICIAL:

– 1ª: Periódico Deus Conosco; – 2ª: Periódico Liturgia Diária.

– 1ª:

A Comunidade de Jesus vive do amor. O fruto que ela deve produzir é o amor. Os egoístas e detentores do poder reagem com força contra a força do Evangelho e da verdade de Cristo. O Deus de Jesus não aprova o que vem trair seu amor transformador. Por isso, é mais fácil perseguir do que amar. Porém, é o amor que traz vida e ressurreição.

– 2ª:

Para ser apóstolos de Cristo, é necessário ter os pés no chão, isto é, discernir os movimentos e mudanças do mundo e saber lidar com cada situação. Ao defender e anunciar o evangelho, o cristão encontrará tanto acolhida quanto rejeição.

MONIÇÃO PARA A(S) LEITURA(S) E O SALMO:

– 1ª: Periódico Deus Conosco; – 2ª: Periódico Liturgia Diária.

– 1ª:

Viver no mundo, mas sem buscar nele prestigio ou falsos valores, pois a Palavra transformadora de Jesus desagrada a quem rejeita seu projeto. Ela incomoda, e, por isso, quem a anuncia não pode se esquecer que o “servo não é maior que seu senhor”. Acolhamos a Palavra do Senhor, com fé e respeito.

– 2ª:

A ação missionária dos seguidores de Jesus, dirigida pelo Espírito Santo, sempre vai deparar com obstáculos criados pelo “mundo”, ou seja, pelo sistema de poder que rejeita e combate o projeto de Deus.

MONIÇÃO PARA O EVANGELHO.

— Aleluia, aleluia, aleluia.

— Aleluia, aleluia, aleluia.

— Se com Cristo ressurgistes, procurai o que é do alto, onde Cristo está sentado à direita de Deus Pai. (Sl 117).

ANTÍFONAS

Antífona da entrada.

Sepultados com Cristo no batismo, fostes também ressuscitados com ele, porque crestes no poder de Deus, que o ressuscitou dos mortos, aleluia! (Cl 2,12).

Antífona da comunhão.

Pai, eu te rogo por eles, para que sejam um em nós, a fim de que o mundo creia que tu me enviaste, diz o Senhor, aleluia! (Jo 17,20s).

ORAÇÕES DO DIA

Oração do dia ou Oração da coleta.

Deus eterno e todo-poderoso, vós nos fizestes participar de vossa própria vida pelo novo nascimento do batismo; conduzi à plenitude da glória aqueles a quem concedestes, pela justificação, o dom da imortalidade. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Preces da Assembleia ou Oração da Assembleia:

– 1ª: Periódico Deus Conosco; – 2ª: Periódico Liturgia Diária.

– 1ª:

Bendito sejais, Senhor nosso Deus e, em vossa misericórdia, acolhei nossas preces e a nós que vos clamamos:

— Deus de vida, socorrei-nos!

1. PARA que o Evangelho seja vida na vida da humanidade, rezemos com fervor.

2. POR todos os que lutam nesta vida, mas procuram amar e servir com ardor, rezemos com fervor.

3. PELOS dirigentes de nossas Comunidades, para que sejam misericordiosos e pacientes, rezemos com fervor.

4. PARA que formemos nossa consciência conforme o amor de Cristo para com os pobres, sofredores e marginalizados, rezemos com fervor.

Senhor Deus, não nos abandoneis, para que, vivendo em vós, colaboremos para a realização de vossa obra redentora em Jesus, vosso Filho, que convosco vive e reina para sempre.

– 2ª:

— Lembrai-vos, Senhor.

1. Da Igreja e seus ministros.

2. Dos missionários e evangelizadores.

3. Dos que deixam tudo para seguir os passos de Jesus.

4. Dos encarcerados e sofredores.

5. Dos perseguidos por causa do evangelho.

Oração sobre as oferendas

Acolhei, ó Deus, com bondade, as oferendas da vossa família e concedei-nos, com o auxílio da vossa proteção, sem perder o que nos destes, alcançar os bens eternos. Por Cristo, nosso Senhor.

Oração depois da comunhão

Guardai, ó Deus, no vosso constante amor aqueles que salvastes, para que, redimidos pela paixão do vosso filho, nos alegremos por sua ressurreição. Por Cristo, nosso Senhor.

Fontes de Consultas e Pesquisas

Vamos expor a seguir de onde pertencem os textos que nos preenchem todos os dias, nos dando um caminho com mais sabedoria, simplicidade e amor.

FONTE PRINCIPAL DE PESQUISA E INSPIRAÇÃO

bc3adblia1

REFLITA:

O importante não é a pessoa que escreve, mas quem foi que inspirou essa pessoa a escrever.

O importante não é como se lê o que está escrito, mas como se age.

O importante não é sentar-se à direita ou a esquerda do Pai, mas sim, realizar o trabalho que Ele nos pede.

Ter conhecimento não é ter sabedoria, sabedoria é saber compartilhar o conhecimento.

(0) – Blog Liturgia Diária da Palavra de Deus (Reflexões e Comentários);

(1) – Periódico Mensal: Liturgia Diária (Editoras Paulinas e Paulus);

(2) – Periódico Mensal: Deus Conosco (Editora Santuário);

(3) – Portal Editora Santuário;

(4) – Portal Editora Paulinas;

(5) – Portal Editora Paulus;

(6) – Portal e Blog Canção Nova;

(7) – Portal Dom Total;

(8) – Portal Católica Net;

(9) – Portal Católico Orante;

(10) – Portal Edições Loyola Jesuítas;

(11) – Portal de Catequese Católica;

(12) – Portal Evangelho Quotidiano;

(13) – Blog Homilia Dominical;

(14) – Blog Liturgia Diária Comentada;

(15) – Portal CNBB (A Palavra de Deus na Vida);

(16) – Portal Catequisar: Catequese Católica;

(17) – Portal Universo Católico;

(18) – Portal Paróquia São Jorge Mártir;

(19) – Portal Catedral FM 106,7;

(20) – Portal Comunidade Católica Nova Aliança;

(21) – Portal Comunidade Resgate;

(22) – Portal Fraternidade O Caminho;

(23) – Portal Católico na Net;

(24) – Portal Evangeli.net;

(25) – Portal Padre Marcelo Rossi;

(26) – Portal Grupo de Oração Sopro de Vida;

(27) – Portal NPD Brasil.

MINHA MENSAGEM PESSOAL PARA MIM MESMO.

Mais vale o desconforto da VERDADE, do que a comodidade da MENTIRA.

E usando a essência da Oração da Serenidade, devo orar:

Ó meu Deus e Senhor, Pai de misericórdia e Salvação, que em seu Filho Jesus perdoou os nossos pecados, e com o seu Santo Espírito, paráclito nesse nosso mundo que caminha conosco, apenas em Ti posso almejar a vida eterna, socorre-me e ouvi-me:

Se o ERRO está em mim, que DEUS possa me dar a HUMILDADE de aceitar que estou errado.

Que Jesus me dê a SERENIDADE, para aceitar que tem coisas que não posso mudar.

E que o Espírito Santo me dê a CORAGEM, suficiente para mudar aquelas coisas que dependem de mim, mesmo que sejam difíceis.

E para complementar os alicerces de orações da minha vida, faço como o santo Tomás de Aquino:

“Concede-me, Deus misericordioso, que deseje com ardor o que tu aprovas, que o procure com prudência, que o reconheça em verdade, que o cumpra na perfeição, para louvor e glória do teu nome.

Põe ordem na minha vida, ó meu Deus, e permite-me que conheça o que tu queres que eu faça, concede-me que o cumpra como é necessário e como é útil para a minha alma.

Concede-me, Senhor meu Deus, que não me perca no meio da prosperidade nem da adversidade; não deixes que a adversidade me deprima, nem que a prosperidade me exalte.

Que nada me alegre ou me entristeça para além do que conduz a ti.”

Viver CORRETO e falar a VERDADE hoje são tão difíceis quanto na época de Jesus, pois é muito mais fácil aceitar a MENTIRA e fazer o ERRADO.

Viver no CAMINHO, VERDADE E VIDA, que é o próprio Cristo Jesus, tem que ser uma caminhada diária.

O futuro é desejo e pensamento.

O passado é aprendizado e lembrança.

O hoje é realidade, isso quer dizer: CRISTO.

Meus amigos(as) de coração, meus irmãos(ãs) em Cristo Jesus, lembrem-se:

“Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas.”

“Não julgues para não seres julgados.”

“A quem é muito dado, muito será cobrado.”

–>

Anúncios
Esse post foi publicado em Religião. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s