Liturgia Diária 10/MAI/13

LEITURA DIÁRIA DA PALAVRA — 10/MAI/2013 (sexta-feira)

LEITURAS

Leitura retirada do livro dos Atos dos Apóstolos (At 18,9-18).

Leitura dos Atos dos Apóstolos. Estando Paulo em Corinto, 9 uma noite, o Senhor disse-lhe em visão: “Não tenhas medo; continua a falar e não te cales, 10 porque eu estou contigo. Ninguém te porá a mão para fazer mal. Nesta cidade há um povo numeroso que me pertence”. 11 Assim Paulo ficou um ano e meio entre eles, ensinando-lhes a Palavra de Deus. 12 Na época em que Galião era procônsul na Acaia, os judeus insurgiram-se em massa contra Paulo e levaram-no diante do tribunal, 13 dizendo: “Este homem induz o povo a adorar a Deus de modo contrário à Lei”. 14 Paulo ia tomar a palavra, quando Galião falou aos judeus, dizendo: “Judeus, se fosse por causa de um delito ou de uma ação criminosa, seria justo que eu atendesse a vossa queixa. 15 Mas, como é questão de palavras, nomes e da vossa Lei, tratai disso vós mesmos. Eu não quero ser juiz nessas coisas”. 16 E Galião mandou-os sair do tribunal. 17 Então todos agarraram Sóstenes, o chefe da sinagoga, e espancaram-no diante do tribunal. E Galião nem se incomodou com isso. 18 Paulo permaneceu ainda vários dias em Corinto. Despedindo-se dos irmãos, embarcou para a Síria, em companhia de Priscila e Áquila. Em Cencreia, Paulo rapou a cabeça, pois tinha feito uma promessa.

— Palavra do Senhor.

— Graças a Deus.

Salmo retirado do livro dos Salmos (Sl 46, 2-3. 4-5. 6-7(R. 8a)).

— O Senhor é o grande Rei de toda a terra.

— O Senhor é o grande Rei de toda a terra.

— Povos todos do universo, batei palmas, / gritai a Deus aclamações de alegria! / Porque sublime é o Senhor, o Deus Altíssimo, o soberano que domina toda a terra.

— Os povos sujeitou ao nosso jugo / e colocou muitas nações aos nossos pés. / Foi ele que escolheu a nossa herança, /glória de Jacó, seu bem-amado.

— Por entre aclamações Deus se elevou, /Senhor subiu ao toque da trombeta. / Salmodiai ao nosso Deus ao som da harpa, / salmodiai ao som da harpa ao nosso Rei!

Leitura retirada do livro do Evangelho de Jesus Cristo segundo João (Jo 16,20-23a).

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo João.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 20 “Em verdade, em verdade vos digo: Vós chorareis e vos lamentareis, mas o mundo se alegrará; vós ficareis tristes, mas a vossa tristeza se transformará em alegria. 21 A mulher, quando deve dar à luz, fica angustiada porque chegou a sua hora; mas, depois que a criança nasceu, ela já não se lembra dos sofrimentos, por causa da alegria de um homem ter vindo ao mundo. 22 Também vós agora sentis tristeza, mas eu hei de ver-vos novamente e o vosso coração se alegrará, e ninguém vos poderá tirar a vossa alegria. 23a Naquele dia, não me perguntareis mais nada”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

LEITURA ORANTE:

… Oração Inicial… (querer).

Preparo-me para a Leitura Orante, renovando minha fé, com todas as pessoas que acessam este blog:

Creio, meu Deus, que estou diante de Ti.

Que me vês e escutas as minhas orações.

Tu és tão grande e tão santo: eu te adoro.

Tu me deste tudo: eu te agradeço.

Foste tão ofendido por mim: eu te peço perdão de todo o coração.

Tu és tão misericordioso: eu te peço todas as graças que sabes serem necessárias para mim.

… Eu sou o CAMINHO… (ler…).

O que diz o texto do dia?

Leio atentamente, na Bíblia, o texto: Jo 16,20-23a, e observo as palavras de Jesus, carregadas de amor.

Pois eu afirmo a vocês que isto é verdade: vocês vão chorar e ficar tristes, mas as pessoas do mundo ficarão alegres. Vocês ficarão tristes, mas essa tristeza virará alegria. Quando uma mulher está para dar à luz, ela fica triste porque chegou a sua hora de sofrer. Mas, depois que a criança nasce, a mulher fica tão alegre, que nem lembra mais do seu sofrimento. Assim acontece também com vocês: agora estão tristes, mas eu os verei novamente. Aí vocês ficarão cheios de alegria, e ninguém poderá tirar essa alegria de vocês. – Quando chegar aquele dia, vocês não me pedirão nada. Jesus usa uma imagem cheia de ternura, de sofrimento e alegria que é a de um parto. Diz que assim vai acontecer conosco. A partida de Jesus com sua morte vai entristecer aos apóstolos, mas a certeza da Ressurreição vai provocar uma imensa alegria.

… a VERDADE… (refletir e meditar…).

O que o texto diz para mim, hoje?

Nem sempre compreendo o sofrimento, a dor, os momentos difíceis. Mas, a minha fé me garante que depois de uma tempestade sempre vem o sol, a calmaria.

Os bispos, na Conferência de Aparecida, disseram: “O Espírito Santo fortalece a identidade do discípulo e desperta nele a decidida vontade de anunciar com audácia aos demais o que tem escutado e vivido”. (DAp 251).

… e a VIDA… (orar…).

O que o texto me leva a dizer a Deus?

Renovo a minha fé, com uma bonita canção:

É O ESPÍRITO SANTO DE DEUS (PE. ZEZINHO, SCJ).

(Quer ouvir a canção? Acesse: clique_aqui!)

x-x-x

Ele sopra na alma da gente / Ele é sopro divino / É do céu que ele vem.

Ele é forte, é suave, ele é quente / Ele sopra na mente / Ele faz tanto bem.

Quem não sente este vento soprando / Este vento passando / Não sabe o que é.

É o Espírito Santo de Deus / É o Espírito Santo de Deus. (2x).

Foi Jesus que soprou sobre os onze / No dia feliz em que foi para o céu.

seu sopro divino foi tanto / Que pôs… nos onze o Espírito Santo.

É o Espírito Santo de Deus / É o Espírito Santo de Deus. (2x).

Ele faz a cabeça da gente / Ele toca na mente / Se a gente deixar.

Ele vem, ele sopra insistente / Ele é tão convincente / Ele sabe tocar.

Quem não sente esta delicadeza / Não sabe a leveza / De ser e de crer.

É o Espírito Santo de Deus / É o Espírito Santo de Deus. (2x).

Lá na Bíblia se lê todo dia / Que Deus não iria deixar de falar.

amor de Jesus ainda é tanto / Que põe… na gente o Espírito Santo.

Qual deve ser a MISSÃO em minha VIDA hoje? (contemplar e agir…).

Qual meu novo olhar a partir da Palavra?

“Como discípulos e missionários, somos chamados a intensificar nossa resposta de fé e a anunciar que Cristo redimiu todos os pecados e males da humanidade” (DAp 134). Assim, passarei o dia de hoje.

REFLEXÕES:

(4) – A IRRUPÇÃO DA VIDA TRANSFIGURA O SOFRIMENTO E DÁ A ALEGRIA, QUE NINGUÉM PODE TIRAR.

A tristeza do discípulo ocupa um bom espaço no longo discurso de despedida de Jesus. Tristeza causada pela paixão e morte de Jesus, mas também pela perseguição da qual a Igreja de fiéis do primeiro século é vítima. A tristeza que abate e imobiliza não é de Deus. A tristeza que provém de indignação, ao contrário, vem de Deus, pois ela move o coração do ser humano a ser solidário com os que sofrem. A alegria, dom do Ressuscitado, é a que deve fortalecer os discípulos em meio às perseguições e ameaças.

sofrimento dos discípulos é comparado à mulher que dá à luz (cf. v. 21). A vida para vir à luz passa pelo sofrimento. A irrupção da vida transfigura o sofrimento, enxuga as lágrimas e dá a alegria, que ninguém, nem mesmo o sofrimento causado pela fidelidade a Deus, pode tirar (cf. v. 22).

Para quem vive segundo o Espírito de Deus, é possível manter a alegria e a paz no sofrimento e na perseguição. Isto é um dos efeitos da Ressurreição de Cristo em nossa vida.

(Carlos Alberto Contieri, sj).

(6) – DEUS TEM COMPAIXÃO DOS NOSSOS SOFRIMENTOS.

“Em verdade em verdade, vos digo: Vós chorareis e vos lamentareis, mas o mundo se alegrará; vós ficareis tristes, mas a vossa tristeza se transformará em alegria” (Jo 16,20).

Veja que Jesus está insistindo conosco, naquela mesma coisa que falou ontem aos nossos corações, insistindo que nós vamos chorar, vamos nos lamentar.

Talvez, Ele esteja referindo-se à mãe que chora pelo filho ausente, pelo filho que dá trabalho; ou seja a esposa que chora pela dificuldade com o marido, com seu casamento; a você que lamenta alguma perda em sua vida. Pode ser que o Senhor se refira à situação no seu trabalho, a qual não está fácil, ou por alguma situação na sua paróquia, na sua comunidade. Enfim, meus irmãos, nós passamos por muitas situações na vida pelas quais precisamos chorar e lamentar-se.

Quero dizer a você que chorar e lamentar-se não é nenhum problema, é até uma graça, pois é um momento de conclusão interior que nós vivemos. O que precisamos, na verdade, é chorar e lamentar-se em Deus. Aquele que chora e se lamenta em Deus, transforma seus lamentos e tristezas em alegria. Porém, aquele que não chora e manifesta seus sentimentos vive uma profunda angústia, um choro que se transforma até em desespero. A vida perde o sentido, o sabor.

Não dá para ser cristão sem viver situações de sofrimento ou de choro, pois o que nos faz sofrer e chorar é a oposição que o mundo faz à vontade de Deus.

Você se lembra de Jesus no Horto nas Oliveiras?

Lembra-se do quanto suou lágrimas, sangue, e o quanto suas lágrimas se transformaram em sangue?

Deus tem compaixão dos nossos sofrimentos. Se soubermos sofrer em Deus, nossa dor há de transformar-se em alegria.

Deus o abençoe!

(Padre Roger Araújo).

(7) – UMA FELIZ COMPARAÇÃO.

A situação de uma mulher em trabalho de parto serviu para ilustrar a situação dos discípulos às voltas com o mistério pascal. Esta imagem, simples de ser entendida, devia levá-los a intuir o sentido das palavras enigmáticas de Jesus. Era mister compreender devidamente as exortações do Mestre, para evitar futuras decepções.

Todo o processo do parto transcorre em meio a dores e sofrimentos. Hoje, a medicina procura aliviar, ao máximo, esses sofrimentos, realizando partos indolores. Isto não significa negar que o parto seja, por si, doloroso. O grau de suportação da mãe torna-se quase infinito, quando ela pensa no desfecho do seu sofrimento: a vinda de um ser humano ao mundo. A expectativa do filho, que está para nascer, leva-a a relativizar sua dor.

Os discípulos passariam por uma experiência parecida com essa. O mistério pascal teria seu componente necessário de sofrimento e de tristeza. Não seria possível prescindir deles, nem abrandá-los. Uma dor cruel esperava-os, ao contemplar o próprio Mestre pendendo de uma cruz. Entretanto, algo de sumamente importante aconteceria no final de tudo isto: o Pai haveria de restituir-lhe a vida. Para os discípulos, a esperança da ressurreição não lhes suavizou a dor de ver o amigo crucificado, mas devolveu-lhes a alegria, e uma alegria tal, que dela ninguém jamais poderá privá-los.

Oração: Espírito de felicidade, que a certeza da ressurreição me ajude a suportar as dores e os sofrimentos, sem desfalecer.

(Pe. Jaldemir Vitório).

(10) – BOA NOVA PARA CADA DIA.

…vosso coração se alegrará e ninguém vos poderá tirar a vossa alegria (Jo 16,22).

Em João 16, 20-23a, lido hoje, repetimos o versículo 20, em que Jesus diz que os discípulos chorarão enquanto que seus inimigos se alegrarão.

Entretanto, isso é apenas introdução ao que se segue. Isto é, a mudança da tristeza pela morte de Jesus será tão rápida com sua Ressurreição três dias depois, que se pode comparar com a da mulher que está para dar a luz e tem medo das dores e do risco de vida. Trata-se de um temor passageiro, porque nascida a criança a mãe já se esquece das dores do parto, para se alegrar vendo que gerou uma nova vida.

Os profetas se serviam da imagem da mulher prestes a dar a luz e em dores de parto para predizer os tempos que precedem a vinda definitiva do Reino de Deus nos tempos messiânicos: Isaías 13,8; 26,17; 66,7; Jeremias 6,24; 13,21; Oseias 13,13; Miqueias 4,9-10.

vinda de Jesus no fim dos tempos, em sua Parusia, será motivo de alegria sem fim para todos os batizados, como lembra São Paulo em 1 Tessalonicenses 5,3: antes da vinda do Senhor, a humanidade sofrerá como a mulher em dores de parto. Vindo, porém, o Senhor sobre as nuvens do céu, todos se alegrarão. E esta alegria será sem fim, a que ninguém poderá tirar dos discípulos, porque é só Deus quem a pode dar, não os homens.

(Pe. Valdir Marques, SJ).

(12) – TODA A CRIAÇÃO GEME E SOFRE AS DORES DE PARTO.

São Paulo escreveu: “Se alguém está em Cristo, é uma nova criação” (2Cor 5,17). […].

Mas dizei-me qual destas duas coisas é mais espantosa: ver o céu ou qualquer outro elemento renovar-se, ou ver um homem passar da malícia à virtude e renunciar ao erro para se ligar à verdade?

Pois foi a isto mesmo que São Paulo chamou “nova criação”. […]

Com efeito, os que aderiram a Cristo pela fé depuseram o fardo dos seus pecados como se põe de lado uma roupa velha. Ao abandonar o erro, foram iluminados pelo sol da justiça (cf. Ml 3,20) como se veste uma roupa nova e brilhante, uma veste real […]: “As coisas antigas passaram, eis que todas as coisas se tornaram novas” (ibid.). […] A graça de Deus irrompeu, e remodelou e converteu as almas, transformando-as. […]

Já observaste como todos os dias o Mestre realiza esta nova criação?

É que muitas vezes os homens passaram a vida inteira apegados aos prazeres deste mundo, adorando as criaturas e tomando-as por deuses. Quem, portanto, senão o Senhor, poderia persuadi-los a elevarem-se de repente a um tão alto grau de virtude, passando a desprezar todos esses ídolos, adorando o Criador do universo e depositando Nele a sua fé, muito acima de todas as coisas desta vida? […]

Convido-vos, portanto, a todos — aos que foram batizados anteriormente, tal como aos que acabam de receber essa graça do Mestre — a escutar esta exortação do Apóstolo: “As coisas antigas passaram, eis que todas essas coisas se tornaram novas.” Esqueçamos todo o nosso passado; reformulemos a vida como cidadãos chamados a uma vida nova. Em tudo o que dizemos, em tudo o que fazemos, consideremos a dignidade Daquele que habita em nós.

(14) – A FIDELIDADE AO AMOR DO PAI NOS FARÁ A NOSSA HERANÇA. A TRISTEZA DE HOJE TRANSFORMAR-SE-Á EM ALEGRIA, AMANHÃ E ISTO É MOTIVO DE ESPERANÇA PARA NÓS.

Há coisas que afligem o nosso coração e que nós nunca conseguimos entender, por mais que supliquemos a Deus. São realidades que extrapolam a nossa limitação física e até mesmo a nossa percepção do sobrenatural. Na Sua Palavra, porém, Jesus nos dá a garantia de que O haveremos de ver outra vez e que um dia nós não precisaremos perguntar nem questionar mais nada, pois tudo nos será muito claro e transparente. Este é mais um motivo para que tenhamos esperança na nossa ressurreição e na nossa participação da vida dos santos e dos anjos que já contemplam a Deus.

Muitas coisas agora nos parecem sem propósito, sem sentido e ambíguas, no entanto, a fé em Jesus nos leva a crer que chegará para nós o dia da vida plena. Estamos todos sujeitos às instabilidades da nossa existência humana e ficamos tristes quando alguém parte, ficamos confusos e perdidos quando não acontece o que prevíamos, gememos sob o peso dos nossos fardos e Jesus vem nos dizer que é preciso que tudo isto aconteça para que um dia nós entendamos tudo. Formamos um único Corpo, por isso, uns membros sofrem pelos outros membros, pois estamos ligados ao mesmo organismo e sofremos as consequências boas e más daquilo que nos atinge.

Mas a fidelidade ao Amor do Pai nos fará receber o galardão e a nossa herança. A tristeza de hoje transformar-se-á em alegria, amanhã e isto é motivo de esperança para nós.

Reflita:

– Você já experimentou a alegria depois da tristeza? Recorde este dia e louve o Senhor por isso!

– As promessas do Senhor têm se realizado na sua vida?

– O que você ainda espera e que ainda não aconteceu?

– Você acredita que o amanhã será melhor do que hoje?

– Qual a sua perspectiva para a sua qualidade de vida em Deus?

Amém!

Abraço carinhoso.

(Maria Regina).

(14) – JESUS AVISA SUA VOLTA AO PAI.

Jesus sabia que ao partir de volta ao Pai, os seus amigos ficariam muito tristes. Porém, logo teriam uma alegria imensa ao perceber que Jesus não nos abandonaria, Ele iria ressuscitar e estaria para sempre no meio de nós.

Prezados irmãos: Nossa vida também é pontilhada de festa e velórios, alegrias e dores, choros e risos.

Quando somos jovens, predomina em nossa mente as imagens positivas ou alegres da vida. Temos pouca experiência negativa, e além isso não estamos preocupados com o preço do combustível, com a inflação ou com o preço da carne. O que queremos é nos auto afirmar, causar a melhor impressão e viver o presente. Ao atingir a maturidade na fase adulta, nosso semblante já está mais sério porque a realidade já bateu a nossa porta e estamos com os dois pés no chão. Quando envelhecemos e estamos perto do anoitecer da nossa existência, não temos muitos motivos para sorrir, a não ser quando vemos os nossos netinhos. As lembranças de todas as experiências amargas estão no nosso subconsciente e também no nosso pensamento dominante.

Na verdade, uns sofrem mais do que outros. Aquele que vive ruminando os acontecimentos ruins, que não perdoa as ofensas que alguém um dia lhe fez, e assim vive chocando ovos de serpentes com diz o padre Fernando, são os que sofrem mais. Porque toda lembrança dessas mágoas faz grande mal ao corpo e a mente.

Porém aquele que perdoa as ofensas, que esquece as dores e momentos infelizes, vive melhor e com mais saúde física e mental. E chega até mesmo a ser feliz quando entrega todo sofrimento para Deus, e procura viver os ensinamentos e Cristo. Todos nós enfrentamos problemas. A diferença entre este indivíduo e o outro, é que este, quando tem problema, ele reza. Ele se apega mais com Deus. Ele entrega as injustiças para Deus, e assim, a solução vem sem demora. E só Jesus nos dá a força que precisamos para enfrentar as dificuldades e sofrimentos esta vida.

(José Salviano).

(14) – MORTAL E O ETERNO.

Neste evangelho, com palavras consoladoras Jesus fala com seus discípulos sobre o “Provisório” e o “Permanente”, sobre o “Mortal” e o “Eterno”, sobre o “Passageiro” e o “Para sempre”. Realidades distintas mas que estão presentes na Vida do Cristão que professa sua Fé em Jesus Cristo. Vivemos em uma só dessas realidades, que é a terrena, com suas limitações e fragilidades, mas temos a outra em nós, a partir da Encarnação de Jesus e do derramamento do Espírito em Pentecostes, e que de certa forma o conteúdo dos evangelhos desse tempo pascal, nos prepara para essa grande celebração.

nossa realidade terrena não é descartável, como muitos cristãos imaginam, parece que a Vida de um Cristão consiste em ignorar e desprezar a natureza humana, aspirando somente as coisas da Vida Eterna que virá depois. Mas é ilusão pensarmos desta maneira, também na Vida de Fé não se pode “queimar etapas”, antes de nascermos, habitamos no Útero Materno o qual pensávamos que era permanente, mas um dia o deixamos para sermos inseridos em uma realidade e um mundo mais amplo. Mas o processo de gestação foi necessário e importante ao longo dos nove meses.

nossa Vida terrena nos prepara para a Vida Eterna, para essa Vida do Espírito que de certa forma já temos. No aprendizado de voo dos pássaros, primeiro os filhotes pulam para alcançar o alto, arriscam-se em pequenos voos próximos ao chão, até que um dia se projetam em um espaço maior, e ao perceber que o aprendizado chegou ao seu final, então mergulham no infinito em alturas inimagináveis, tarefa que conseguiram porque tiveram a paciência de exercitar-se em um aprendizado que custou alguns tombos com certeza.

Os discípulos iniciaram assim o longo aprendizado, logo de início julgaram que tudo havia desmoronado pois ficaram privados da presença física de Jesus que havia morrido na cruz do calvário, entretanto toda aquela dor e tristeza haveria de se transformar em alegria, quando sentem que aquele Jesus morto na cruz estava ali entre eles, caminhando e ensinando-os como antes. A semente colocada nas profundezas da terra havia brotado e agora era deles a missão de cuidar dela com carinho e fazê-la transformar-se em uma grande árvore.

Algo de novo e belo renasce das cinzas, uma Vida Nova e toda a amplidão de um Reino que supera qualquer Reino da Terra. A esperança e a alegria dos discípulos, não vinha de suas convicções ou ideais de Vida, mas do próprio Cristo Ressuscitado e caminhante que os acompanha. Valera a pena esperar, o sonho do Reino anunciado por Jesus se tornara uma realidade nas primeiras comunidades. É dessa Esperança Certeza que nossas comunidades cristãs do Segundo Milênio se alimenta…

(Diác. José da Cruz).

(14) – A VOSSA TRISTEZA SE TRANSFORMARÁ EM ALEGRIA.

“Pouco tempo ainda, e já não me vereis. E outra vez pouco tempo, e me vereis de novo”.

Jesus diz a seus discípulos que eles ficarão tristes, mas por pouco tempo e depois esta tristeza se transformará em alegria. Jesus sabia que a sua morte deixaria seus discípulos tristes desanimados e a morte na cruz encheria seus corações de dor e solidão. Diante de tudo isso Jesus os instrui que a tristeza que vão sentir será uma tristeza passageira que logo compreenderão que a tristeza de sua ausência brotaria uma alegria eterna ao vê-lo ressuscitado. Por isso na passagem anterior a esta Jesus fala sobre a vinda do Espírito consolador que os ajudaria a entender tudo a respeito da sua paixão morte e ressurreição.

cuidado de Jesus pelos seus discípulos dizendo a eles que aquela tristeza e a dor que eles sentiriam seriam por pouco tempo é a mesma promessa que ele faz a nós para que não fiquemos desanimados quando chegam momentos de tristezas em nossas vidas, pois não durará para sempre, ele nos consolará e curará nossas feridas e nos dará alegria plena.

Nossa fé em Jesus ressuscitado e nossa confiança na força que vem do Espírito Santo nos garantem que depois das tempestades vem um dia de sol. Nenhuma situação terrena dura para sempre. Só Deus é eterno e eterna é sua misericórdia e compaixão por nós seus filhos amados. Tenhamos sempre em nosso coração a certeza que se estamos passando por um momento de dor e incertezas, Deus está conosco ele não nos abandona não nos deixará só, Ele prometeu que estaria conosco. Não permitamos que nenhuma tristeza ou dificuldades afaste de nosso coração a certeza do amor de Deus por nós, sejamos firmes na fé, pois são nos momentos mais difíceis que Deus nos carrega em seus braços. Sigamos fiéis e felizes.

Em Cristo.

(Rita Leite).

(14) – VÓS FICAREIS TRISTES, MAS A VOSSA TRISTEZA SE TRANSFORMARÁ EM ALEGRIA.

Vós ficareis tristes, mas a vossa tristeza se transformará em alegria.

Neste Evangelho, Jesus anuncia aos discípulos a sua iminente partida e o seu breve regresso, que mudará a tristeza dos seus em alegria. Cristo não lhes diz adeus, mas até breve.

“Pouco tempo ainda, e já não me vereis. E outra vez pouco tempo, e me vereis de novo.” O primeiro “pouco tempo” é a sua morte, que estava próxima. O segundo “pouco tempo” e a sua ressurreição, pela qual ele reapareceu vivo no meio dos discípulos.

Jesus reapareceu vivo, primeiro em seu corpo glorificado, e, após a ascensão, em seu corpo místico, a Igreja una, santa, católica e apostólica. Jesus dá a entender que o Espírito Santo é o Espírito da Alegria, aquele que traz alegria para os cristãos.

Espírito do Senhor ressuscitado vive em nós, animando a esperança e a alegria, ajudando-nos a entender de forma cristã todas as realidades, inclusive a cruz e a morte. “Cristo vive, Cristo reina, Cristo impera”. “Se fomos, de certo modo, identificados com Cristo por uma morte semelhante à sua, seremos semelhantes a ele também pela ressurreição. Sabemos que o nosso homem velho foi crucificado com Cristo, para que seja destruído o corpo sujeito ao pecado” (Rm 6,5-6). “Estai sempre prontos a dar a razão da vossa esperança a todo aquele que a pedir” (1Pd 3,15).

Um cristão triste é um triste cristão. Nós precisamos testemunhar alegria, uma alegria permanente, fruto da fé na ressurreição de Cristo, e unida à paz e ao amor fraterno. O próprio Jesus nos fala: “Não tenhais medo, pequeno rebanho, pois foi do agrado do vosso Pai dar a vós o Reino”. (Lc 12,32).

Espírito Santo nos assiste, no nosso dia a dia, especialmente através dos seus sete dons:

SABEDORIA. Esse dom nos dá uma visão clara e correta de Deus e das coisas. A Bíblia está cheia de referências ao dom da sabedoria. Existe até um livro dela com este nome. Nós vivemos numa sociedade pluralista, em que o bem e o mal aparecem misturados e até trocados: o bem nos é apresentado como mal e o mal como bem. É o pecado que habita no mundo que faz isso. Vamos fazer nossa a oração de Salomão: “Senhor… dá ao teu servo um coração obediente…, capaz de discernir entre o bem e o mal!” (1Rs 4,7-9).

ENTENDIMENTO. profeta Isaías chama esse dom de inteligência. Ele nos permite compreender os acontecimentos que vão se sucedendo conosco ou ao redor de nós. Como a própria palavra diz, é o dom de entender e aprender com facilidade as coisas. “Para o bom entendedor, meia palavra basta.” Quem, tem esse dom lê até nas entrelinhas, lê no coração aquilo que às vezes ele não consegue expressar em palavras.

CONSELHO. uma luz que nos mostra a decisão que devemos tomar em cada situação concreta da nossa vida. No mundo existe uma grande confusão de valores e, o que é pior, existe em muitos casos uma inversão de valores. Coisas certas e coisas erradas são misturadas e até invertidas. A falta do dom do conselho leva muita gente a agir como Pilatos: lavar as mãos e se posicionar em cima do muro. Agora, o cristão que vive o dom do conselho é como as placas das estradas, que mostra onde vai dar aquele caminho. Como é bom dizer a palavra certa, na hora certa e do jeito certo!

FORTALEZA. É a força de Deus para vencermos, nas situações difíceis. Quem tem esse dom nunca perde o rumo, a esperança, a calma, a alegria, a paciência e age sempre na paz. Nós não podemos ser maria-vai-com-as-outras. Não sejamos vagões, mas locomotivas. Jesus disse: “O meu jugo é suave e o meu fardo é leve”. Com Deus tudo se torna fácil, e o cristão vive na alegria, mesmo no meio das maiores provações.

CIÊNCIA. Esse dom é chamado também de conhecimento. E o dom de conhecer, tanto as coisas de D como as coisas do mundo, de maneira correta, aproximando-nos da onisciência divina. Por esse dom nós conhecemos a Deus, conhecemos a Sagrada Escritura e conhecemos a Igreja que Jesus fundou. Há muito cientista que é cego nesse dom, e há muito analfabeto que é doutor na ciência como dom do Espírito Santo.

PIEDADE. É o dom que nos leva a ter Deus como o centro da nossa vida e a andar sempre na sua presença. Leva-nos a não apenas conhecer o caminho de Deus, mas a segui-lo levando uma vida voltada para a observância dos mandamentos. De fato, não basta apenas acreditar com a cabeça, ou apenas dizer “Senhor! Senhor!” Na Bíblia, a piedade anda junto com a justiça e a fidelidade. O contrário é o ímpio, aquele que tem o pescoço duro e não segue a Deus. “Todos os que quiserem viver piedosamente no Cristo Jesus serão perseguidos” (2Tm 3,12).

TEMOR DE DEUS. É um dom que nos leva a ter certo medo de Deus e consequentemente a respeitá-lo e obedecer-lhe. É um medo filial, de quem sabe que Deus é um pai amoroso e compreensivo, mas é também justo. Por isso, a possibilidade do inferno para nós é real. A Bíblia fala isso de ponta a ponta. Esse dom nos leva a procurar conhecer sempre mais a vontade de Deus, para segui-la. O temor de Deus é fruto do amor a ele. Nós o tememos porque o amamos. Um sinal de falta de temos de Deus é chamar o seu nome em vão. O papa Pio XII dizia que o homem moderno perdeu o sentido do pecado. Isso é falta de temor de Deus. Quem tem esse dom, quando percebe que ofendeu o próximo, não fica em paz até que se reconcilie. Por exemplo, se morre uma pessoa, muitos logo dizem: “Foi para o céu”. Isso é falta de temor de Deus. Deus é que sabe quem vai e quem não vai para a sua casa. Nós temos esperança de que a pessoa, se andou no caminho certo, foi para o céu. Mas esperança não é certeza.

Havia, certa vez, um rei muito rico e muito generoso. Ele resolveu dar a um súdito um presente: todos os dias ele ia colocar na conta desse súdito mil quatrocentos e quarenta pesos, que era a moeda do reino. A doação era por tempo indeterminado. A única condição é que o súdito devia gastar todo o dinheiro naquele dia. Se n gastasse tudo, a sobra voltaria para a conta do rei.

assim aconteceu durante muito tempo. O súdito, feliz, deitava e rolava com aquele dinheiro todo. Num belo dia, sem aviso prévio, o rei interrompeu a doação.

rei é Deus, o súdito somos nós e o dinheiro é o tempo. A nossa vida é um tesouro valioso. Cada dia Deus nos dá mil quatrocentos e quarenta minutos. Isto é uma graça incalculável. Ele nos entrega esse tesouro, acrescentando ainda a ajuda e acompanhamento do Espírito Santo com seus dons. O que ele pede é que aproveitemos o nosso tempo, seja para construir a nossa felicidade, seja para o bem do nosso próximo. Não vamos enterrar os talentos que Deus nos dá diariamente! Assim, quando Deus bloquear a conta e nos chamar, ele sorrirá para nós e dirá: “Servo bom e fiel, entra na alegria do teu Senhor!”

Nós pedimos a Maria Santíssima, a esposa do Espírito Santo e quem melhor acolheu os seus dons, que interceda por nós.

Vós ficareis tristes, mas a vossa tristeza se transformará em alegria.

(Padre Queiroz).

(14) – A PASSAGEM DESTA VIDA PARA A VIDA ETERNA.

Realmente deve ser uma aflição muito grande, o sofrimento de uma mãe no trabalho de parto e durante o parto. Uma parteira me contou que uma jovem mãe chorava de medo de tanta dor antes e durante o parto. E, logo em seguida, sorria ainda com lágrimas nos olhos ao se deliciar olhando seu lindo filho que acabara de sair de dentro dela. Alegria, e poder. O poder de gerar uma vida. Deve ser muito forte!

Neste evangelho, parece que Jesus está se referindo a passagem desta vida para a vida eterna. Sofremos, choramos, temos medo da morte, mas em seguida nos alegramos lá no céu que nos foi prometido por Jesus, o filho de Deus.

aí? Será que acreditamos mesmo nesta outra vida, ou fazemos tudo o que cremos nesta vida, só por via das dúvidas?

Na verdade, é uma coisa que a gente foge de pensar nela. “Sartemos de banda” quando o assunto é morrer, ou morte. Nem pensar. Principalmente quem é jovem. Agora eu quero mais é viver, curtir a vida, porque esse “barato” de morrer ainda tem muito chão. Assim pensam muitos daqueles que, como nós, um dia, estão na flor da idade, com todo o vigor físico e mental, tentações por todos os lados, e, afinal “a vida é só alegria, meu irmão! Qual é?” “Eles não sabem o que os espera!” Disse, um dia, um senhor cheio de dores nos ossos.

Repare nas missas semanais. A maioria absoluta não é de adultos nem tampouco de jovens.

Quem está lá?

Os da terceira idade e idosos.

Vamos ser sensatos. Ser cristão, para mim, que já passei da idade adulta, até que não é muito difícil. Agora, difícil foi ser cristão quando eu tinha dezenove anos e mais. Que dureza!

Aí vem Jesus e declara que “há mais alegria no céu quando um pecador volta para Deus do que quando os justos estão rezando…”

Geralmente, muitos de nós nos debandamos na juventude e voltamos a Deus na velhice, semelhante ao filho pródigo… Depois que aproveitamos bem a vida, voltamos depois dos quarenta para a igreja com aquela cara de santo… Jesus poderia aparecer na nossa frente e dizer: “Agora? Demorou, brother! Já era!”

(José Salviano Silva).

(15) – REFLEXÃO.

Nós hoje sentimos uma série de tristezas, que são causadas por causa dos acontecimentos do nosso tempo que se constituem em negação dos valores do Reino de Deus e que, além de trazer muito sofrimento para a humanidade, principalmente para os mais pobres e desvalidos, exigem de nós um testemunho corajoso de Jesus e do seu Evangelho, o que nem sempre é fácil porque na verdade somos fracos na fé. Mas devemos nos consolar e encontrar forças para esse testemunho a partir da promessa que nos é feita por Jesus no Evangelho de hoje, pois veremos Jesus e isso nos encherá de uma alegria que não nos pode ser tirada e nos levará ao pleno conhecimento da verdade.

(CNBB).

(20) – ESSA ALEGRIA, NINGUÉM VOS TIRARÁ!

Nós já experimentamos, em nossa vida, muitas alegrias passageiras. Em um Domingo de Páscoa, celebramos em Rio Pomba, MG, o batizado de nossa quinta netinha, Gabriela Maria. No final da cerimônia, seu irmão mais velho, Gabriel, do alto de seus 3 aninhos, apareceu chorando copiosamente porque alguém havia acabado de quebrar o seu brinquedo de plástico. Ganhara o brinquedo na véspera. E tinha durado apenas um dia…

É por uma alegria dessas que vivemos?

Nosso suor e nosso trabalho visam a uma recompensa que dura um dia?

Ou temos sede de eternidade?

Apóstolo Paulo fala de prêmios mais substanciais: “Nas corridas de um estádio, todos correm, mas bem sabeis que um só recebe o prêmio. Correi, pois, de tal maneira que o consigais. Todos os atletas se impõem muitas privações; e o fazem para alcançar uma coroa corruptível. Nós o fazemos por uma coroa incorruptível”. (1Cor 9,24-25).

Uma vida pode ser desperdiçada em ninharias. Pequenos projetos de glória pessoal, de sucesso humano. Uma corrida louca para acumular posses e dinheiro. Dias passados em leves distrações, noites perdidas em joguinhos eletrônicos ou diante da tela da TV, com as emoções e os sentimentos agitados por novelas e filmes de ficção. Sem tempo de amar, de conviver com os filhos, de servir aos necessitados…

fim de nossa vida pode ser muito triste, quando se percebe que o tempo foi gasto de modo insano, entre trabalhos cansativos que só buscavam recompensas materiais e prazeres que se desfaziam como a névoa ao vento. Ao contrário, a proximidade da morte pode ser fonte de uma profunda paz, quando se percebe que a vida foi consumida a amar e a servir, a promover os irmãos, a educar os filhos, a edificar um Reino para Deus.

Só então, à luz da eternidade que se aproxima, temos uma noção clara do valor do nosso tempo. E as sementes que semeamos entre lágrimas desabrocham, agora, em consoladora colheita de frutos celestes. É dessa alegria que Jesus nos fala, quando afirma que “ninguém nos arrebatará essa alegria”. Uma alegria que é fruto de uma vida vivida no Espírito Santo (cf. Gl 5,22), e que vem de mãos dadas com a paz e a bondade.

Como tenho empregado o tempo que Deus me deu?

Estou semeando a eternidade?

Orai sem cessar: “Ensinai-nos, Senhor, a bem contar os nossos dias!” (Sl 90,12).

(Antônio Carlos Santini).

(24) – MAS A VOSSA TRISTEZA SE TRANSFORMARÁ EM ALEGRIA.

Hoje nós começamos a Novena do Espírito Santo. Revivendo o Cenáculo, vemos a Mãe de Jesus, Mãe do Bom Conselho, conversando com os Apóstolos. Que diálogo tão cordial e tão pleno! A recordação de todas as alegrias que tiveram ao lado do Mestre, os dias pascoais, a Ascenção e as promessas de Jesus. Os sofrimentos dos dias da Paixão se converteram em alegrias. Que belíssimo ambiente no Cenáculo! E quanta beleza está sendo preparada, como Jesus lhes prometeu.

Nós sabemos que Maria, Rainha dos Apóstolos, Esposa do Espírito Santo, Mãe da Igreja nascente, nos guia para receber os dons e os frutos do Espírito Santo. Os dons são como a vela desdobrada de uma embarcação e o vento — que representa a graça — está a seu favor: que rapidez e facilidade no caminho!

Senhor nos promete também, em nossa rota, converter as fadigas em alegria: “ninguém poderá tirar a vossa alegria” (Jo 16, 22). E no Salmo 126,6: “Quando vai, vai chorando, levando a semente para plantar; mas quando volta, volta alegre, trazendo seus feixes”.

Durante toda esta semana, a liturgia nos fala de rejuvenescer, de exultar (pular de alegria), da felicidade segura e eterna. Tudo nos leva a viver de oração. Como nos diz São Josemaria: “Quero que estejas sempre contente, porque a alegria é parte integrante de teu caminho. — Pede essa mesma alegria sobrenatural para todos”.

ser humano necessita sorrir para ter boa saúde física e espiritual. O humor sadio ensina a viver. São Paulo nos dirá: “Sabemos que tudo contribui para o bem daqueles que amam a Deus” (Rm 8, 28). Eis aqui uma boa jaculatória: “Tudo é para o bem!”; “Omnia in bonum!”

(Rev. D. Joaquim FONT i Gassol (Igualada, Barcelona, Espanha)).

CELEBRAÇÃO DE HOJE

6ª SEMANA DA PÁSCOA (BRANCO, PREFÁCIO PASCAL).

MONIÇÕES

MONIÇÃO AMBIENTAL OU COMENTÁRIO INICIAL:

– 1ª: Periódico Deus Conosco; – 2ª: Periódico Liturgia Diária.

– 1ª:

paixão e morte de Cristo são fecundas e gerará a vida nova em sua ressurreição. O momento é de tristeza, mas tudo se transformará em alegria, pois nascerá uma vida nova. Deste modo, o Cristo vai firmando os apóstolos em sua fé e em sua missão. Assim eles partirão, alegres, para anunciar a copiosa redenção que nasceu de Cristo para toda a humanidade.

– 2ª:

alegria é parte importante da vida cristã. No entanto, muitas vezes é preciso passar por momentos de dor e dificuldades para alcançá-la. Jesus passou pela morte e venceu-a; nós também temos a possibilidade de nascer para uma vida feliz e plena.

MONIÇÃO PARA A(S) LEITURA(S) E O SALMO:

– 1ª: Periódico Deus Conosco; – 2ª: Periódico Liturgia Diária.

– 1ª:

Espírito de Deus sempre acompanha aquele que anuncia com ardor o Evangelho. Por isso, as dificuldades fazem parte da missão e não lhe tiram o brilho, a alegria, a certeza de que se cumpre o mandato do Senhor. Como os apóstolos, devem ser todos os cristãos.

– 2ª:

palavra de Deus anima os missionários em sua árdua tarefa e traz profunda alegria a todos os que contribuem para a geração de uma nova realidade.

MONIÇÃO PARA O EVANGELHO.

Aleluia, aleluia, aleluia.

Era preciso que Cristo sofresse e ressuscitasse dos mortos, para entrar em sua glória. (Lc 24,46.26).

ANTÍFONAS

Antífona da entrada.

Vós nos resgatastes, Senhor, pelo vosso sangue, de todas as raças, línguas, povos e nações e fizestes de nós um reino de sacerdotes para o nosso Deus, aleluia! (Ap 5,9-10).

Antífona da comunhão.

O Cristo Senhor foi entregue por nossos pecados e ressuscitou para nossa justificação, aleluia! (Rm 4,25).

ORAÇÕES DO DIA

Oração do dia ou Oração da coleta.

Ó Deus, fazei que a pregação do Evangelho por toda a terra realize o que prometestes ao glorificar o vosso Verbo, para que possamos alcançar, vivendo plenamente como filhos e filhas, o que foi anunciado pela vossa palavra. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Preces da Assembleia ou Oração da Assembleia:

– 1ª: Periódico Deus Conosco; – 2ª: Periódico Liturgia Diária.

.

Oração sobre as oferendas.

Acolhei, ó Deus, com bondade, as oferendas da vossa família e concedei-nos, com o auxílio da vossa proteção, sem perder o que nos destes, alcançarmos os bens eternos. Por Cristo, nosso Senhor.

Oração depois da comunhão.

Guardai, ó Deus, no vosso constante amor, aqueles que salvastes, para que, redimidos pela paixão do vosso Filho, nos alegremos por sua ressurreição. Por Cristo, nosso Senhor.

Fontes de Consultas e Pesquisas

Vamos expor a seguir de onde pertencem os textos que nos preenchem
todos os dias, nos dando um caminho com mais sabedoria, simplicidade e amor.

FONTE PRINCIPAL DE PESQUISA E INSPIRAÇÃO

bc3adblia1

REFLITA:

O importante não é a pessoa que escreve, mas quem foi que inspirou essa pessoa a escrever.

O importante não é como se lê o que está escrito, mas como se age.

O importante não é sentar-se à direita ou a esquerda do Pai, mas sim, realizar o trabalho que Ele nos pede.

Ter conhecimento não é ter sabedoria, sabedoria é saber compartilhar o conhecimento.

(0) – Blog Liturgia Diária da Palavra de Deus (Reflexões e Comentários);

(1) – Periódico Mensal: Liturgia Diária (Editoras Paulinas e Paulus);

(2) – Periódico Mensal: Deus Conosco (Editora Santuário);

(3) – Portal Editora Santuário;

(4) – Portal Editora Paulinas;

(5) – Portal Editora Paulus;

(6) – Portal e Blog Canção Nova;

(7) – Portal Dom Total;

(8) – Portal Católica Net;

(9) – Portal Católico Orante;

(10) – Portal Edições Loyola Jesuítas;

(11) – Portal de Catequese Católica;

(12) – Portal Evangelho Quotidiano;

(13) – Blog Homilia Dominical;

(14) – Blog Liturgia Diária Comentada;

(15) – Portal CNBB (A Palavra de Deus na Vida);

(16) – Portal Catequisar: Catequese Católica;

(17) – Portal Universo Católico;

(18) – Portal Paróquia São Jorge Mártir;

(19) – Portal Catedral FM 106,7;

(20) – Portal Comunidade Católica Nova Aliança;

(21) – Portal Comunidade Resgate;

(22) – Portal Fraternidade O Caminho;

(23) – Portal Católico na Net;

(24) – Portal Evangeli.net;

(25) – Portal Padre Marcelo Rossi;

(26) – Portal Grupo de Oração Sopro de Vida;

(27) – Portal NPD Brasil.

MINHA MENSAGEM PESSOAL PARA MIM MESMO.

Mais vale o desconforto da VERDADE, do que a comodidade da MENTIRA.

E usando a essência da Oração da Serenidade, devo orar:

Ó meu Deus e Senhor, Pai de misericórdia e Salvação, que em seu Filho Jesus perdoou os nossos pecados, e com o seu Santo Espírito, paráclito nesse nosso mundo que caminha conosco, apenas em

Ti posso almejar a vida eterna, socorre-me e ouvi-me:

Se o ERRO está em mim, que DEUS possa me dar a HUMILDADE de aceitar que estou errado.

Que Jesus me dê a SERENIDADE, para aceitar que tem coisas que não posso mudar.

E que o Espírito Santo me dê a CORAGEM, suficiente para mudar aquelas coisas que dependem de mim, mesmo que sejam difíceis.

E para complementar os alicerces de orações da minha vida, faço como o santo Tomás de Aquino:

“Concede-me, Deus misericordioso, que deseje com ardor o que tu aprovas, que o procure com prudência, que o reconheça em verdade, que o cumpra na perfeição, para louvor e glória do teu nome.

Põe ordem na minha vida, ó meu Deus, e permite-me que conheça o que tu queres que eu faça, concede-me que o cumpra como é necessário e como é útil para a minha alma.

Concede-me, Senhor meu Deus, que não me perca no meio da prosperidade nem da adversidade; não deixes que a adversidade me deprima, nem que a prosperidade me exalte.

Que nada me alegre ou me entristeça para além do que conduz a ti.”

Viver CORRETO e falar a VERDADE hoje são tão difíceis quanto na época de Jesus, pois é muito mais fácil aceitar a MENTIRA e fazer o ERRADO.

Viver no CAMINHO, VERDADE E VIDA, que é o próprio Cristo Jesus, tem que ser uma caminhada diária.

O futuro é desejo e pensamento.

O passado é aprendizado e lembrança.

O hoje é realidade, isso quer dizer: CRISTO.

Meus amigos(as) de coração, meus irmãos(ãs) em Cristo Jesus, lembrem-se:

“Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas.”

“Não julgues para não seres julgados.”

“A quem é muito dado, muito será cobrado.”

–>

Anúncios
Esse post foi publicado em Religião. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s