Liturgia Diária 15/MAI/13

LEITURA DIÁRIA DA PALAVRA — 15/MAI/2013 (quarta-feira)

LEITURAS:

Leitura retirada do Livro dos Atos dos Apóstolos (At 20,28-38).

Leitura dos Atos dos Apóstolos.

Naqueles dias, Paulo disse aos anciãos da Igreja de Éfeso: 28 “Cuidai de vós mesmos e de todo o rebanho, sobre o qual o Espírito Santo vos colocou como guardas, para pastorear a Igreja de Deus, que ele adquiriu com o sangue do seu próprio Filho. 29 Eu sei, depois que eu for embora, aparecerão entre vós lobos ferozes, que não pouparão rebanho. 30 Além disso, do vosso próprio meio aparecerão homens com doutrinas perversas que arrastarão discípulos atrás de si. 31 Por isso, estai sempre atentos: lembrai-vos de que, durante três anos, dia e noite, com lágrimas, não parei de exortar a cada um em particular. 32 Agora entrego-vos a Deus e à mensagem de sua graça, que tem poder para edificar e dar a herança a todos os que foram santificados. 33 Não cobicei prata, ouro ou vestes de ninguém. 34 Vós bem sabeis que estas minhas mãos providenciaram o que era necessário para mim e para os que estavam comigo. 35 Em tudo vos mostrei que, trabalhando deste modo, se deve ajudar os fracos, recordando as palavras do Senhor Jesus, que disse: ‘Há mais alegria em dar do que em receber’”. 36 Tendo dito isto, Paulo ajoelhou-se e rezou com todos eles. 37 Todos, depois, prorromperam em grande pranto, e lançando-se ao pescoço de Paulo, o beijavam, 38 aflitos, sobretudo por lhes haver ele dito que não tornariam a ver-lhe o rosto. E o acompanharam até o navio.

— Palavra do Senhor.

— Graças a Deus.

Salmo retirado do Livro dos Salmos (Sl 67, 29-30. 33-34. 35-36 (R. 33a)).

— 33a Reinos da terra cantai ao Senhor.

33a Reinos da terra cantai ao Senhor.

— 29 Suscitai, ó Senhor Deus, suscitai vosso poder, / confirmai este poder que por nós ma­nifestastes, / 30 a partir de vosso templo, que está em Jerusalém, para vós venham os reis e vos ofertem seus presentes!

— 33 Reinos da terra, celebrai o nosso Deus, cantai-lhe salmos! 34 Ele viaja no seu carro sobre os céus dos céus eternos. / Eis que eleva e faz ouvir a sua voz, voz poderosa.

— 35 Dai glória a Deus e exaltai o seu poder por sobre as nuvens. / Sobre Israel, eis sua glória e sua grande majestade! / 36 Em seu templo ele é admirável e a seu povo dá poder. / Bendito seja o Senhor Deus, agora e sempre. Amém, amém!

Leitura retirada do Livro do Evangelho de Jesus Cristo segundo João (Jo 17,11b-19).

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo João.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, Jesus ergueu os olhos para o céu e rezou, dizendo: 11b “Pai santo, guarda-os em teu nome, o nome que me deste, para que eles sejam um assim como nós somos um. 12 Quando eu estava com eles, guardava-os em teu nome, o nome que me deste. Eu os guardei e nenhum deles se perdeu, a não ser o filho da perdição, para se cumprir a Escritura. 13 Agora, eu vou para junto de ti, e digo estas coisas, estando ainda no mundo, para que eles tenham em si a minha alegria plenamente realizada. 14 Eu lhes dei a tua palavra, mas o mundo os rejeitou, porque não são do mundo, como eu não sou do mundo. 15 Não te peço que os tires do mundo, mas que os guardes do Maligno. 16 Eles não são do mundo, como eu não sou do mundo. 17 Consagra-os na verdade; a tua palavra é verdade. 18 Como tu me enviaste ao mundo, assim também eu os enviei ao mundo. 19 Eu me consagro por eles, a fim de que eles também sejam consagrados na verdade”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

LEITURA ORANTE:

… Oração Inicial… (querer).

Começamos nossa oração rezando pela unidade:

Oramos por todos aqueles que têm coração frio.

Oramos por aqueles que pensam que já viram tudo.

Agradecemos pelos profetas do passado e de hoje que partilharam o que Deus lhes revelou.

Agradecemos por aqueles que, por amor a Cristo, trouxeram justiça e libertação aos oprimidos.

Louvamos a Deus por todas as pessoas que estão vivendo revelações de sua Palavra.

Amém.

… Eu sou o CAMINHO… (ler…).

O que diz o texto do dia?

Leio atentamente, na Bíblia, o texto: Jo 17,11b-19, e observo as palavras de Jesus na sua oração ao Pai.

Pai santo, pelo poder do teu nome, o nome que me deste, guarda-os para que sejam um, assim como tu e eu somos um. Quando estava com eles no mundo, eu os guardava pelo poder do teu nome, o mesmo nome que me deste. Tomei conta deles; e nenhum se perdeu, a não ser aquele que já ia se perder para que se cumprisse o que as Escrituras Sagradas dizem. E agora estou indo para perto de ti. Mas digo isso enquanto estou no mundo para que o coração deles fique cheio da minha alegria. Eu lhes dei a tua mensagem, mas o mundo ficou com ódio deles porque eles não são do mundo, como eu também não sou. Não peço que os tires do mundo, mas que os guardes do Maligno. Assim como eu não sou do mundo, eles também não são. Que eles sejam teus por meio da verdade; a tua mensagem é a verdade. Assim como tu me enviaste ao mundo, eu também os enviei. Em favor deles eu me entrego completamente a ti. Faço isso para que, de fato, eles também sejam completamente teus.

Jesus fala ao Pai, na sua oração, por aqueles que ele chamou e com eles formou seu grupo de apóstolos. Aqueles que Ele enviou em missão. Ele deseja que o coração dos seus seguidores sejam cheios da sua alegria. Pede ao Pai que os guarde do Maligno. Mais ainda: entrega-se em favor dos seus seguidores.

… a VERDADE… (refletir e meditar…).

O que o texto diz para mim, hoje?

Aprendo de Jesus Mestre a orar ao Pai e faço minhas as suas intenções: rezo em favor dos que seguem Jesus. Estando na Semana de Oração pela Unidade dos cristãos, recordamos as palavras dos bispos, Na Conferência de Aparecida: “A compreensão e a prática da eclesiologia de comunhão nos conduz ao diálogo ecumênico. A relação com os irmãos e irmãs batizados de outras Igrejas e comunidades eclesiais é um caminho irrenunciável para o discípulo e missionário, pois a falta de unidade representa um escândalo, um pecado e um atraso do cumprimento do desejo de Cristo: “para que todos sejam um, como tu, Pai, estás em mim e eu em ti. E para que também eles estejam em nós, a fim de que o mundo acredite que tu me enviaste” (Jo 17,21). (DAp 227).

… e a VIDA… (orar…).

O que o texto me leva a dizer a Deus?

Rezo, com todos, e, se possível, com o grupo com o qual trabalho, na comunidade ou minha família, a Oração da Unidade:

Senhor, hoje temos conhecimento de desastres naturais que ocorrem do outro lado do mundo.

Mas ainda assim deixamos de notar quando nosso vizinho sofre perdas e não sabemos o que eles festejam na casa ao lado.

Sentimo-nos como estrangeiros em minha própria terra.

Às vezes somos chamados a ficar quietos.

Se olharmos e escutarmos, encontraremos Cristo no outro.

Se olharmos para dentro, encontraremos Cristo em nós mesmos.

E, se estivermos abertos ao desafio e à vulnerabilidade, então o Espírito Santo nos mostrará onde Deus nos quer.

Deus está em todas as situações. Ninguém é um estranho para Deus.

Temos visto Deus em ação no que é grande e no que é pequeno.

Oramos por todos que se encontram em circunstâncias trágicas.

Agradecemos pelas agências internacionais de assistência, por serviços de emergência e por indivíduos que fazem sacrifícios pessoais para ajudar seu próximo.

Louvamos a Deus, pelo dom e pelo poder da oração – porque sempre há algo que podemos fazer – podemos orar.

Qual deve ser a MISSÃO em minha VIDA hoje? (contemplar e agir…).

Qual meu novo olhar a partir da Palavra?

Meu olhar quer hoje traduzir o desejo de diálogo com o diferente e descobrir a presença de deus nas mais diversas situações e pessoas. Com os bispos reconheço: “Faz mais de quarenta anos que o Concílio Vaticano II reconheceu a ação do Espírito Santo no movimento pela unidade dos cristãos. Desde então, temos colhido muitos frutos. Neste campo, necessitamos de mais agentes de diálogo e melhor qualificados.” (DAp 231).

REFLEXÕES:

(4) – ORAÇÃO SACERDOTAL DE JESUS.

Trata-se, ainda, do discurso de despedida de Jesus. É, por assim dizer, o seu testamento.

capítulo 17 é denominado oração sacerdotal de Jesus. Próprio do sacerdote é oferecer pelo povo súplicas e orações e o sacrifício de louvor. A oração sacerdotal de Jesus é súplica pelos discípulos.

comunhão do Filho com o Pai sustentou a missão de Jesus. A comunhão dos discípulos é o apoio fundamental para que ela não esmoreça. A missão de Jesus foi manter unida a comunidade (cf. v. 12). A plenitude da alegria dos discípulos é a alegria de Cristo que, ressuscitado, entra definitivamente na glória de Deus.

Nesta oração sacerdotal, o Senhor confia os discípulos aos cuidados de Deus, para que, estando no mundo, não sejam mundanos; para que, na peregrinação terrestre, mantenham o olhar nas coisas celestes (cf. vv. 15-16).

(Carlos Alberto Contieri).

(6) – O MAIOR ESCÂNDALO QUE OS CRISTÃOS VIVEM É A DIVISÃO, É A SEPARAÇÃO DO CORPO DO SENHOR.

“Jesus, então, ergueu os olhos para o céu, dizendo: ‘Pai Santo, guarda-os em teu nome, o nome que me destes, para que eles sejam um, assim como nós somos um’” (Jo 17,11b).

Jesus, hoje, está orando pela união, pela unidade, pela comunhão profunda daqueles que são Seus seguidores, Seus discípulos, daqueles que pregam, anunciam o Seu Santo Nome.

maior escândalo que os cristãos vivem é a divisão, é a separação do corpo do Senhor. Quando os cristãos não se entendem, não são mais capazes de se sentar na mesma mesa, não são capazes mais de ler o mesmo Evangelho e partilhar a vida, isso demonstra a ponto de um escândalo, ao qual chegou a Palavra de Deus.

Jesus, conhecendo nossa humanidade tão tendenciosa ao orgulho, ao egoísmo, à autossuficiência, ao partidarismo, está nos convocando à unidade no Seu nome, à unidade no Espírito, na Palavra, na comunhão.

É verdade que nós não somos iguais nem precisamos sê-lo. É verdade que nós não precisamos pensar igual, fazer tudo igual, pregar tudo igual. Não! O mundo, graças a Deus, vive uma diversidade que traz riqueza ao mundo, mas os filhos de Deus e aqueles que seguem Jesus como Senhor e Salvador, precisam n’Ele encontrar o seu ponto de unidade.

Hoje, quero abraçar, no meu coração, toda a Igreja que vive a semana de oração pela unidade dos cristãos, o meu empenho de lutar pela unidade daqueles que creem em Cristo. Suplicando ao Pai a força do Espírito, suplicando o poderoso nome de Jesus e desejoso de que essa unidade, de fato, aconteça no meio de nós, na unidade no Corpo Místico de Cristo.

Que Deus nos faça um. Assim seja!

(Pe. Roger Araújo).

(7) – REZANDO PELOS DISCÍPULOS.

Os discípulos foram motivo de preocupação para Jesus, no final de seu ministério. Sua oração insistente ao Pai, implorando em favor deles, revela o amor que lhes devotava, e o anseio de que permanecessem fiéis. Jesus pede ao Pai:

“Guardá-los em teu nome”ou seja, não permitas que sejam contaminados pela idolatria do mundo, com seu germe de ódio e divisão, e seu egoísmo preconceituoso e excludente. Deixando-se guiar pelo Pai, os discípulos estariam no caminho da salvação.

“Livra-os da ação do Maligno”Este não retrocederá nem deixará de investir contra os discípulos de Jesus, só porque estavam sob a proteção do Pai. A audácia deste espírito do Mal seria tamanha a ponto de querer competir com o Criador. Era preciso que o Pai tomasse as dores dos discípulos, para não se tornarem vítimas do Maligno.

“Consagra-os na verdade”Por que seriam tentados a seguir insinuações espúrias, Jesus implora ao Pai que lhes aponte sempre as sendas da verdade, que conduzem à comunhão com ele. Sem esta ajuda, os discípulos não poderiam discernir o erro e a mentira, fatais para quem se encaminha para o Pai.

súplica de Jesus resume as necessidades dos discípulos, em vista das pelejas que travariam com o mundo. Para não serem vencidos, careciam da proteção constante de Deus, e deveriam permanecer unidos, a exemplo do Pai e de seu Filho Jesus.

Oração: Espírito de proteção, nas batalhas contra o mundo, coloca-te ao meu lado, cobrindo-me com a bênção protetora do Pai.

(Pe. Jaldemir Vitório).

(10) – BOA NOVA PARA CADA DIA.

Pai santo, guarda-os em Teu Nome … para que sejam um como Nós (Jo 17,11).

João 17,11b-19 são palavras de Jesus que São João Evangelista guardou na memória desde a Última Ceia até o fim de sua vida, quando escreveu seu Evangelho, mais de setenta anos depois. Ele deve tê-las meditado quase todos os dias.

São João acentuou o pedido de Jesus ao Pai pelos apóstolos. Depois de sua morte eles poderiam se dispersar. E Jesus pede ao Pai que os guarde. Mais importante do que isso é que Jesus pede ao Pai que guarde para que com o Pai e com Ele, os apóstolos formem uma só unidade consolidada pelo amor mútuo.

Como entender este “um”?

Como Jesus se revelou Filho de Deus e Deus como Deus Pai, a unidade entre Eles é exclusiva, divina. Jesus é “um” com o Pai enquanto Deus Filho.

Então, como entender a unidade entre o Pai, o Filho e os apóstolos?

Somente mantendo a distância entre Criador e suas criaturas. Deus permanece o Criador e Pai e Jesus o Filho, enquanto os apóstolos participam da unidade de amor que une o Pai ao Filho indissoluvelmente. Este é o tipo de união por amor que consolida a unidade dos apóstolos entre eles e com Deus Pai e Deus Filho.

Os apóstolos representam a Igreja toda que se iniciava. E como eles, a Igreja está unida a Deus Pai e a Deus Filho pelo vínculo do amor divino que é o Espírito Santo.

Pensemos nisto: nós somos Igreja porque o Espírito Santo nos une ao Pai e ao Filho. Este é o nosso modo de ser cristãos, batizados, Igreja.

(Pe. Valdir Marques).

(12) – NÃO TE PEÇO QUE OS RETIRES DO MUNDO, MAS QUE OS LIVRES DO MALIGNO.

Os cristãos não se distinguem dos outros homens, nem pela sua terra, nem pela sua língua, nem pelos seus costumes. Com efeito, não moram em cidades próprias, nem falam uma língua estranha, nem têm um modo especial de viver. A sua doutrina não foi inventada por eles graças ao talento e à especulação de homens curiosos, nem professam, como outros, ensinamentos humanos. Pelo contrário, vivendo em cidades gregas ou bárbaras, conforme a sorte de cada um, e adaptando-se aos costumes dos lugares quanto ao vestuário, à alimentação e aos costumes, testemunham um modo de vida admirável e, sem dúvida, paradoxal.

Vivem na sua pátria, mas como forasteiros; participam de tudo como cidadãos, mas tudo suportam como estrangeiros. Qualquer terra estrangeira é para eles uma pátria, e qualquer pátria uma terra estrangeira. […] Vivem na carne, mas não segundo a carne (cf. 2Cor 10,3; Rm 8,12-13); moram na terra, mas têm a sua cidadania no céu (cf. Fil 3,20; Hb 11,16); obedecem às leis estabelecidas, mas a sua vida está muito para além das leis. Amam a todos, e são por todos perseguidos; são mal conhecidos e, apesar disso, condenados; são mortos, e desse modo recebem a vida; são pobres, mas enriquecem a muitos; carecem de tudo, mas de tudo têm abundância; são desprezados, e neste desprezo são glorificados; são amaldiçoados, e nessa maldição são justificados; quando são injuriados, abençoam; quando são maltratados, respeitam os outros. […] Em suma, assim como a alma está no corpo, assim estão os cristãos no mundo.

(Carta a Diogneto (c. 200) – §§ 5-6).

(15) – REFLEXÃO.

Jesus, antes de partir, ora ao Pai por todos nós. Ele sabe que todos nós precisamos da graça divina para permanecer fiéis a Deus. Os valores que nós acreditamos não são os valores do mundo, e o mundo nos odeia porque não acreditamos nos seus valores. Os nossos valores atrapalham os interesses de quem é deste mundo, pois este mundo é marcado pelo egoísmo, pelo ódio, pela mentira e pela morte, enquanto que nós pregamos o amor, a solidariedade, a verdade e a vida em abundância. Nós não devemos fugir dos desafios do mundo, mas sim transformar o mundo através dos valores que acreditamos.

(CNBB).

(20) – PARA QUE SEJAM UM…

Em Deus, não há divisão. As três Pessoas trinitárias – Pai, Filho e Espírito Santo – vivem na mais perfeita comunhão, de tal modo que o Deus revelado pelas Escrituras é ao mesmo tempo Uno e Trino. A Igreja deve ser o reflexo dessa unidade divina, vivendo o mesmo mistério da comunhão: a missão que o Pai entregou ao Filho, no Espírito, é a mesma missão que a Igreja recebe de Jesus. E não poderá cumpri-la sem viver na unidade.

Nesta Oração Sacerdotal, Jesus manifesta ao Pai o seu mais profundo anseio pela unidade “dos seus”. De algum modo, ele se antecipa à realidade histórica que todos nós conhecemos, marcada pela fratura da unidade, por cismas e divisões internas. E devia saber que o mundo pagão se escandalizaria com a disputa entre diferentes grupos que seduzem seguidores do mesmo Mestre e Pastor… Escândalo que acaba por neutralizar o esforço missionário.

Concílio Vaticano II referiu-se a tal situação: “Todos, na verdade, se professam discípulos do Senhor, mas têm pareceres diversos e andam por caminhos diferentes, como se o próprio Cristo estivesse dividido. Esta divisão, sem dúvida, contradiz abertamente a vontade de Cristo, e se constitui em escândalo para o mundo, como também prejudica a santíssima causa da pregação do Evangelho a toda criatura”. (Unitatis Redintegratio, 1).

Desde o Vaticano II, verificou-se um notável empenho ecumênico, com jornadas mundiais de oração, visitas do Papa a lideranças de outras religiões e Igrejas. Mas este esforço ainda não encontrou muitas ressonâncias em nível comunitário, onde persiste um clima de competição e antipatia. Pecados nossos, que exigem penitência e conversão.

Ainda que determinadas denominações sejam agressivas e proselitistas, o fiel que tem uma fé madura e bem fundamentada não deve temer a convivência ou o confronto com seus membros. Há um vasto campo de cooperação e de boa vontade no qual o anseio de Jesus pode lançar sementes de paz e fraternidade.

Passados mais de 40 anos do Concílio, todos já perceberam que a aproximação ecumênica é antes de tudo uma questão de conversão interior. Quando todos os corações estiverem de fato unidos a Jesus Cristo, já não haverá diferenças entre nós.

Faço parte daquele grupo que atiça a inimizade entre cristãos?

Ou ajudo a lançar pontes e aparar diferenças?

Orai sem cessar: “Pai, que todos sejam um!”

(Antônio Carlos Santini).

(24) – QUE TENHAM EM SI A MINHA ALEGRIA EM PLENITUDE.

Hoje, vivemos em um mundo que não sabe como ser verdadeiramente feliz com a felicidade que vem de Jesus, um mundo que procura a alegria de Jesus nos lugares errados e da maneira errada. Procurar a felicidade sem Jesus leva somente à infelicidade ainda mais profunda. É só ver as novelas na TV, há sempre alguém em apuros. As novelas na TV nos mostram a miséria de uma vida sem Deus.

Mas queremos viver o dia de hoje com a alegria de Jesus. Jesus orou ao Pai em nosso Evangelho de Hoje, “digo estas coisas estando ainda no mundo, para que tenham em si a minha alegria em plenitude” (Jo 17,13). Percebamos que Jesus quer que sua alegria seja completa em nós. Ele quer que sejamos plenos de alegria. Isto não quer dizer que não teremos cruzes, porque “o mundo os odiou, porque eles não são do mundo” (Jo 17,14), mas Jesus espera que vivamos com sua alegria independentemente do que o mundo pensa de nós. A alegria de Jesus deve nos permear até o mais íntimo de nosso ser, enquanto os rugidos superficiais de um mundo sem Deus não devem nos penetrar.

Hoje então vivamos a alegria de Jesus.

Como podemos adquirir mais e mais dessa alegria de Jesus?

Obviamente dele mesmo. Jesus é o único que nos dá a verdadeira alegria que está ausente no mundo, como podemos ver nas novelas de TV. Jesus disse, “Se permanecerdes em mim, e minhas palavras permanecerem em vós, pedi o que quiserdes, e vos será dado” (Jo 15,7). Então passemos tempo a cada dia em oração com as palavras de Jesus nas Escrituras, comamos e consumamos as palavras de Jesus nas Escrituras, deixemos que elas sejam nosso alimento, para que sejamos saciados com a alegria que vem de Jesus: “Ao início do ser cristão, não há uma decisão ética ou uma grande ideia, mas o encontro com um acontecimento, com uma Pessoa que dá à vida um novo horizonte” (Bento XVI).

(Fr. Thomas LANE (Emmitsburg, Maryland, Estados Unidos)).

CELEBRAÇÃO DE HOJE:

7ª SEMANA DA PÁSCOA (BRANCO, PREFÁCIO DA ASCENSÃO – OFÍCIO DO DIA).

MONIÇÕES:

MONIÇÃO AMBIENTAL OU COMENTÁRIO INICIAL:

– 1ª: Periódico Deus Conosco; – 2ª: Periódico Liturgia Diária.

– 1ª:

Os discípulos acolheram o ensinamento de Cristo e agora estão prontos para continuar a mesma missão dele. Eles estão no mundo, mas não são do mundo, e Jesus reza para que eles permaneçam unidos, e dele deem testemunho. Os cristãos devem estar no mundo, mas fundados no Evangelho, para dele viverem e testemunharem. Somos hoje os apóstolos de Cristo.

MONIÇÃO PARA A(S) LEITURA(S) E O SALMO:

– 1ª: Periódico Deus Conosco; – 2ª: Periódico Liturgia Diária.

– 1ª:

vigilância nos faz sempre estar dispostos a servir e a proclamar a gratuidade de Deus, como fez o apóstolo Paulo. Por isso, também, Jesus reza para que os discípulos se mantenham unidos e na graça de Deus, para não sucumbirem em sua missão. Escutemos.

MONIÇÃO PARA O EVANGELHO.

— Aleluia, aleluia, aleluia.

— Aleluia, aleluia, aleluia.

— Vossa palavra é a verdade, santificai-nos na verdade! (Jo 17,17ba).

ANTÍFONAS:

Antífona da entrada.

Povos todos, aplaudi e aclamai a Deus com brados de alegria, aleluia! (Sl 46,2).

Antífona da comunhão.

Quando vier o paráclito que vos enviarei, o Espírito de verdade que procede do Pai, ele dará testemunho de mim e vós também o dareis, diz o Senhor, aleluia! (Jo 15,26).

ORAÇÕES DO DIA:

Oração do dia ou Oração da coleta.

Ó Deus misericordioso, concedei que a vossa Igreja, reunida no Espírito Santo, se consagre ao vosso serviço num só coração e numa só alma. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Oração sobre as oferendas.

Senhor nosso Deus, acolhei as oferendas do sacrifício que instituístes e, pela celebração desta eucaristia, em que vos rendemos a devida glória, completai em nós a vossa redenção. Por Cristo, nosso Senhor.

Oração depois da comunhão.

Ó Deus, que a participação neste sacramento aumente em nós a vossa graça e, purificando-nos pela sua força, nos prepare sempre mais para receber tão grande dom. Por Cristo, nosso Senhor.

FONTES DE CONSULTAS E PESQUISAS:

Vamos expor a seguir de onde pertencem os textos que nos preenchem todos os dias, nos dando um caminho com mais sabedoria, simplicidade e amor.

FONTE PRINCIPAL DE PESQUISA E INSPIRAÇÃO

bc3adblia1

REFLITA:

O importante não é a pessoa que escreve, mas quem foi que inspirou essa pessoa a escrever.

O importante não é como se lê o que está escrito, mas como se age.

O importante não é sentar-se à direita ou a esquerda do Pai, mas sim, realizar o trabalho que Ele nos pede.

Ter conhecimento não é ter sabedoria, sabedoria é saber compartilhar o conhecimento.

(0) – Blog Liturgia Diária da Palavra de Deus (Reflexões e Comentários);

(1) – Periódico Mensal: Liturgia Diária (Editoras Paulinas e Paulus);

(2) – Periódico Mensal: Deus Conosco (Editora Santuário);

(3) – Portal Editora Santuário;

(4) – Portal Editora Paulinas;

(5) – Portal Editora Paulus;

(6) – Portal e Blog Canção Nova;

(7) – Portal Dom Total;

(8) – Portal Católica Net;

(9) – Portal Católico Orante;

(10) – Portal Edições Loyola Jesuítas;

(11) – Portal de Catequese Católica;

(12) – Portal Evangelho Quotidiano;

(13) – Blog Homilia Dominical;

(14) – Blog Liturgia Diária Comentada;

(15) – Portal CNBB (A Palavra de Deus na Vida);

(16) – Portal Catequisar: Catequese Católica;

(17) – Portal Universo Católico;

(18) – Portal Paróquia São Jorge Mártir;

(19) – Portal Catedral FM 106,7;

(20) – Portal Comunidade Católica Nova Aliança;

(21) – Portal Comunidade Resgate;

(22) – Portal Fraternidade O Caminho;

(23) – Portal Católico na Net;

(24) – Portal Evangeli.net;

(25) – Portal Padre Marcelo Rossi;

(26) – Portal Grupo de Oração Sopro de Vida;

(27) – Portal NPD Brasil.

MINHA MENSAGEM PESSOAL PARA MIM MESMO.

Mais vale o desconforto da VERDADE, do que a comodidade da MENTIRA.

E usando a essência da Oração da Serenidade, devo orar:

Ó meu Deus e Senhor, Pai de misericórdia e Salvação,

que em seu Filho Jesus perdoou os nossos pecados,

e com o seu Santo Espírito, paráclito nesse nosso mundo que caminha conosco,

apenas em Ti posso almejar a vida eterna, socorre-me e ouvi-me:

Se o ERRO está em mim, que DEUS possa me dar a HUMILDADE de aceitar que estou errado.

Que Jesus me dê a SERENIDADE, para aceitar que tem coisas que não posso mudar.

E que o Espírito Santo me dê a CORAGEM, suficiente para mudar aquelas coisas que dependem de mim, mesmo que sejam difíceis.

E para complementar os alicerces de orações da minha vida, faço como o santo Tomás de Aquino:

“Concede-me, Deus misericordioso, que deseje com ardor o que tu aprovas, que o procure com prudência, que o reconheça em verdade, que o cumpra na perfeição, para louvor e glória do teu nome.

Põe ordem na minha vida, ó meu Deus, e permite-me que conheça o que tu queres que eu faça, concede-me que o cumpra como é necessário e como é útil para a minha alma.

Concede-me, Senhor meu Deus, que não me perca no meio da prosperidade nem da adversidade; não deixes que a adversidade me deprima, nem que a prosperidade me exalte.

Que nada me alegre ou me entristeça para além do que conduz a ti.”

Viver CORRETO e falar a VERDADE hoje são tão difíceis quanto na época de Jesus, pois é muito mais fácil aceitar a MENTIRA e fazer o ERRADO.

Viver no CAMINHO, VERDADE E VIDA, que é o próprio Cristo Jesus, tem que ser uma caminhada diária.

O futuro é desejo e pensamento.

O passado é aprendizado e lembrança.

O hoje é realidade, isso quer dizer: CRISTO.

Meus amigos(as) de coração, meus irmãos(ãs) em Cristo Jesus, lembrem-se:

“Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas.”

“Não julgues para não seres julgados.”

“A quem é muito dado, muito será cobrado.”

–>

Anúncios
Esse post foi publicado em Religião. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s