Liturgia Diária 18/MAI/13

LEITURA DIÁRIA DA PALAVRA — 18/MAI/2013 (sábado)

LEITURAS:

Leitura retirada do Livro dos Atos dos Apóstolos (At 28,16-20.30-31).

Leitura dos Atos dos Apóstolos.

16 Quando entramos em Roma, Paulo recebeu permissão para morar em casa particular, com um soldado que o vigiava. 17 Três dias depois, Paulo convocou os líderes dos judeus. Quando estavam reunidos, falou-lhes: “Irmãos, eu não fiz nada contra o nosso povo, nem contra as tradições de nossos antepassados. No entanto, vim de Jerusalém como prisioneiro e assim fui entregue às mãos dos romanos. 18 Interrogado por eles no tribunal e não havendo nada em mim que merecesse a morte, eles queriam me soltar. 19 Mas os judeus se opuseram e eu fui obrigado a apelar para César, sem nenhuma intenção de acusar minha nação. 20 É por isso que eu pedi para ver-vos e falar-vos, pois estou carregando estas algemas exatamente por causa da esperança de Israel”. 30 Paulo morou dois anos numa casa alugada. Ele recebia todos os que o procuravam, 31 pregando o Reino de Deus. Com toda a coragem e sem obstáculos, ele ensinava as coisas que se referiam ao Senhor Jesus Cristo.

— Palavra do Senhor.

— Graças a Deus.

Salmo retirado do Livro dos Salmos (Sl 10, 4. 5.7 (R. Cf. 7b)).

— 7b Ó Senhor, quem tem reto coração / há de ver a vossa face.

7b Ó Senhor, quem tem reto coração há de ver a vossa face.

— Deus está no templo santo, / e no céu tem o seu trono; / volta os olhos para o mundo, / seu olhar penetra os homens.

— Examina o justo e o ímpio, / e detesta o que ama o mal. / Porque justo é nosso Deus, / o Senhor ama a justiça. / Quem tem reto coração / há de ver a sua face.

Leitura retirada do Livro do Evangelho de Jesus Cristo segundo João (Jo 21,20-25).

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo João.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 20 Pedro virou-se e viu atrás de si aquele outro discípulo que Jesus amava, o mesmo que se reclinara sobre o peito de Jesus durante a ceia e lhe perguntara: “Senhor, quem é que te vai entregar?” 21 Quando Pedro viu aquele discípulo, perguntou a Jesus: “Senhor, o que vai ser deste?” 22 Jesus respondeu: “Se eu quero que ele permaneça até que eu venha, que te importa isso? Tu, segue-me!” 23 Então, correu entre os discípulos a notícia de que aquele discípulo não morreria. Jesus não disse que ele não morreria, mas apenas: “Se eu quero que ele permaneça até que eu venha, que te importa?” 24 Este é o discípulo que dá testemunho dessas coisas e que as escreveu; e sabemos que o seu testemunho é verdadeiro. 25 Jesus fez ainda muitas outras coisas, mas, se fossem escritas todas, penso que não caberiam no mundo os livros que deveriam ser escritos.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

LEITURA ORANTE:

… Oração Inicial… (querer).

Preparo-me, com todos os internautas, para a Leitura Orante, recordando o que disse Bento XVI: “A oração é o caminho silencioso que nos conduz diretamente ao coração de Deus; é o respiro da alma que nos doa paz nas tempestades da vida”. Assim invoco o Espírito: Espírito de verdade, a ti consagro a mente e meus pensamentos: ilumina-me. Que eu conheça Jesus Mestre e compreenda o seu Evangelho.

… Eu sou o CAMINHO… (ler…).

O que diz o texto do dia?

Leio atentamente o texto: Jo 21,20-25, e observo pessoas, palavras, relações.

Neste texto que é o final do Evangelho de João, é recordado o discípulo amado – João – como modelo dos seguidores de Jesus. O discípulo amado é aquele que também ama e, por amar, conduz as pessoas a Jesus.

… a VERDADE… (refletir e meditar…).

O que o texto diz para mim, hoje?

Posso me comparar a João?

Amo a Jesus e levo outras pessoas por este mesmo caminho?

Disseram os bispos em Aparecida: “O Espírito Santo, que o Pai nos presenteia, identificamos com Jesus-Caminho, abrindo-nos a seu mistério de salvação para que sejamos filhos seus e irmãos uns dos outros; identifica-nos com Jesus-Verdade, ensinando-nos a renunciar a nossas mentiras e ambições pessoais; e nos identifica com Jesus-Vida, permitindo-nos abraçar seu plano de amor e nos entregar para que outros “tenham vida n’Ele”. (DAp 137).

… e a VIDA… (orar…).

O que o texto me leva a dizer a Deus?

Rezo, espontaneamente, e concluo com a Oração da Unidade: Pai Nosso que estais nos céus…

ao Espírito Santo: Ao Espírito Santo (pedindo-lhe os dons).

Ó Espírito Santo, por intercessão da Rainha de Pentecostes, cura a minha mente da irreflexão, ignorância, carências, dureza, prejuízos, erros, perversões, e concebe em mim a Sabedoria de Jesus-Verdade em tudo.

Cura a minha sensibilidade da indiferença, desconfiança e más inclinações, paixões, sentimentos, afetos, e concebe os gostos, sentimentos, inclinações de Jesus-Vida, em tudo.

Cura a minha vontade da inércia, superficialidade, inconstância, inveja, obstinação, maus costumes, e concebe Jesus Cristo-Caminho em mim.

Eleva divinamente em mim: a inteligência com o dom do Intelecto, a sabedoria com o dom da Sabedoria, a ciência com o a Ciência, a prudência com o Conselho, a justiça com a Piedade, e Fortaleza com o dom da Força Espiritual, a temperança com Temor de Deus.

Qual deve ser a MISSÃO em minha VIDA hoje? (contemplar e agir…).

Qual meu novo olhar a partir da Palavra?

Meu novo olhar é aquele sugerido pelos Bispos da América Latina: “O compromisso missionário de toda a comunidade. Ela sai ao encontro dos afastados, interessa-se por sua situação, a fim de reencantá-los com a Igreja e convidá-los a novamente se envolverem com ela.” (DAp 226,d).

REFLEXÕES:

(4) – O SENHOR TRATA CADA UM DE MODO MUITO PARTICULAR.

A característica do “discípulo que Jesus amava” é que ele “permanece”, isto é, a sua vida está profundamente unida à vida do seu Senhor. O Senhor trata cada um de modo muito particular: “Se eu quero que ele permaneça, o que te importa?” (v. 22). Não pode haver comparação. O importante é seguir Jesus: “Tu, segue-me!” (v. 22).

testemunho do discípulo amado é verdadeiro (cf. v. 24). Verdadeiro porque, nós ouvintes e leitores do evangelho, podemos experimentar, por seu testemunho, os efeitos do que ele nos transmitiu com o seu livro. As muitas coisas que Jesus realizou, e nós sabemos – e tantas outras que não sabemos (cf. vv. 24.25) –, nos fazem viver para a fé.

riqueza insondável do que Jesus realizou e a meditação sobre elas não poderiam nunca ser encerradas nos limites de um livro: “Se todas elas (as muitas outras coisas) fossem escritas uma por uma, creio que nem o mundo inteiro poderia conter os livros que seria preciso escrever” (v. 25).

(Carlos Alberto Contieri).

(7) – UMA MUDANÇA DE MENTALIDADE.

O Reino anunciado por Jesus visava restabelecer entre os seres humanos as relações primitivamente queridas por Deus. O pecado havia contaminado a humanidade, pervertendo-lhe as relações. Era preciso reverter este quadro em todos os níveis.

No âmbito familiar, era preciso superar a mentalidade divorcista, onde o marido se sobrepunha à esposa, podendo despedi-la quando lhe conviesse. A situação da esposa, nestas circunstâncias, era de grande instabilidade. Ela jamais podia estar certa da profundidade dos laços matrimoniais. Por qualquer motivo, o marido tinha o direito de despedi-la.

Jesus foi buscar nas primeiras páginas das Escrituras o pensamento de Deus a respeito do matrimônio, anterior à Lei mosaica divorcista. O homem e a mulher foram criados em vista do matrimônio que os uniria de modo tão profundo, a ponto de fazer dos dois uma só carne. Trata-se de uma união espiritual onde os esposos se mútuo assumem, fazendo suas existências se interpenetrarem inseparavelmente. Só Deus pode ser o autor da união conjugal, assim entendida. E, quando Deus une, nenhum ser humano pode se arvorar o direito de desfazer sua obra. Deus une para sempre.

Quem adere ao Reino é chamado a refazer seus esquemas mentais. E não se deixar levar pela dureza de coração, mas sim pelos desígnios de Deus.

Oração: Senhor Jesus, leva-me a ter o mesmo pensar do Pai e a refazer meus esquemas mentais contaminados pelo pecado.

(Pe. Jaldemir Vitório).

(10) – BOA NOVA PARA CADA DIA.

Tu, segue-me (Jo 21,22).

João 21,20-25 é o trecho em que mais se fala de São João Evangelista do que de São Pedro.

No entanto, esta passagem tem por finalidade mostrar como São Pedro devia seguir Jesus no mesmo tipo de morte de cruz. Ora, isto já fora afirmado antes, em João 21,19: Disse isto para indicar com que tipo de morte Pedro daria glória a Deus. E tendo falado assim, disse-lhe: “segue-me”.

em João 20,22 este “segue-me” é dito pela segunda vez. Portanto, esta passagem do Evangelho de São João se refere a São Pedro.

Por outro lado, se fosse uma passagem sobre São João, Jesus explicaria melhor se São João viveria até sua Parusia, sua volta gloriosa no fim dos tempos. Jesus, porém, não estava preocupado com isso. Jesus profetizara que São Pedro morreria na cruz como Ele. E assim aconteceu. Jesus não profetiza o tipo de morte que cada um de nós terá, mas faz alguma diferença?

Morrendo na cruz São Pedro se identificou com Jesus. Perseverando até o fim (Mt 10,22; 24,13; Mc 13,13), morreremos igualmente unidos a Jesus.

(Pe. Valdir Marques).

(15) – REFLEXÃO.

O testemunho dos discípulos de Jesus é sempre verdadeiro, uma vez que, assistidos pelo Espírito Santo, que nos revela a plenitude da verdade, realizam a sua missão. E esse testemunho deve ser de tal modo que convença todas as pessoas a respeito de Jesus, caminho, verdade e vida, e as leve a dar a ele uma resposta positiva de adesão ao seu projeto de amor para se tornarem, conosco, verdadeiras testemunhas dele e operários do seu projeto. Assim, cada vez mais o Reino cresce no meio de nós, o mundo é transformado de acordo com os valores pregados por Jesus, e as obras dele continuam acontecendo.

(CNBB).

(20) – … O DISCÍPULO QUE JESUS AMAVA…

Deus tem preferências afetivas?

Senhor faz acepção de pessoas?

Claro que não! Seu amor por todos aparece em várias passagens da Escritura (cf. Dt 10,17; Jó 34,19; At 10,34 et passim). Em sua passagem pela terra, o amor de Jesus por seus discípulos cobria todo o leque heterogêneo que vai de Pedro a Judas Iscariotes, que o traiu.

Como entender, então, que um dos Doze seja assim identificado no Novo Testamento: “aquele que Jesus amava”?

Bem, é preciso levar em conta que, segundo a Tradição, João era o mais jovem dos Doze. Sua sensibilidade transparece por todo o 4º Evangelho. Havia uma intimidade especial entre ele e o Mestre, tanto que, na Ceia derradeira, vamos encontrá-lo debruçado ao peito de Jesus (Jo 13,23).

ninguém pense que se trate de mero idílio romântico. Estamos diante de um amor fiel! Enquanto os marmanjos traíram Jesus (como Judas), negaram-no (como Pedro) ou simplesmente fugiram apavorados da cena do Calvário (como todos os demais), o jovem João estava ao lado de Maria, aos pés da Cruz. Não admira que tenha sido exatamente João o premiado com a “herança” amorosa de Jesus: sua Mãe! E, como registra o Evangelho, “daquela hora em diante, o discípulo a levou entre as coisas de sua propriedade” … (Jo 19,25-27).

Sim, Deus não faz acepção de pessoas. Deus ama a todos. Mas o Senhor sabe muito bem de que forma e em que grau nós correspondemos ao seu amor. Se Francisco percorria as ruas de Assis a clamar: “O Amor não é amado!”, o Apóstolo João encarna a Igreja fiel que segue os passos de seu Mestre até o fim, sem dar as costas à cruz.

Amor é ágil, antecipa-se à Lei. Supera a letra fria de suas exigências. Por isso mesmo, na manhã da Ressurreição, João corre mais que Pedro e é o primeiro a chegar ao túmulo vazio. E ainda que esperasse respeitosamente e desse a Pedro a primazia para entrar na caverna, é ele – João – quem vê e crê (cf. Jo 20,8). Como se lê em nota da Bíblia TEB – Tradução Ecumênica da Bíblia, “João penetra mais profundamente nas intenções de Jesus”, oferecendo-nos um modelo acabado do fiel que adere à missão de Cristo.

Eu também sou um discípulo amado?

Orai sem cessar: “Eu sou para o meu Amado, e meu Amado é para mim!” (Ct 6,7).

(Antônio Carlos Santini).

(24) – AS PÔS POR ESCRITO. NÓS SABEMOS QUE SEU TESTEMUNHO É VERDADEIRO.

Hoje lemos o fim do Evangelho de São João. Trata-se propriamente do final do apêndice que a comunidade joanina adicionou ao texto original. Neste caso é um fragmento intencionalmente significativo. O Senhor Ressuscitado se aparece aos seus discípulos e os renova em seu prosseguir, particularmente a Pedro. Após este ato situa-se o texto que hoje proclamamos na liturgia.

figura do discípulo amado é central nesse fragmento e até mesmo em todo o Evangelho de São João. Pode referir-se a uma pessoa concreta – o discípulo João – ou também pode ser a figura, atrás da qual, pode situar-se todo discípulo amado pelo Mestre. Seja qual for seu significado, o texto ajuda a dar um elemento de continuidade à experiência dos Apóstolos. O Senhor Ressuscitado assegura a sua presença naqueles que queiram serem seguidores.

“Se eu quero que ele permaneça até que eu venha” (Jo 21,22) pode indicar mais esta continuidade que um elemento cronológico no espaço e no tempo. O discípulo amado se converte em testemunha de tudo isso, na medida em que é consciente de que o Senhor permanece com ele em toda ocasião. Esta é a razão pela qual pode escrever e sua palavra é verdadeira, porque glosa com a sua pena a experiência continua daqueles que vivem sua missão no meio do mundo, experimentando a presença de Jesus Cristo. Cada um de nós pode ser o discípulo amado, na medida em que deixemo-nos guiar pelo Espírito Santo, que nos ajuda a descobrir esta presença.

Este texto nos prepara para celebrar amanhã, domingo, a Solenidade de Pentecostes, o Dom do Espírito: “E o Paracleto veio do céu: o custódio e santificador da Igreja, o administrador das almas, o piloto dos náufragos, o faro dos errantes, o árbitro dos que lutam e quem coroa aos vencedores” (São Cirilo de Jerusalém).

(Rev. D. Fidel CATALAN i Catalan (Terrassa, Barcelona, Espanha)).

CELEBRAÇÃO DE HOJE:

7ª SEMANA DA PÁSCOA (BRANCO, PREFÁCIO DA PÁSCOA OU ASCENSÃO – OFÍCIO DO DIA).

MONIÇÕES:

MONIÇÃO AMBIENTAL OU COMENTÁRIO INICIAL:

– 1ª: Periódico Deus Conosco; – 2ª: Periódico Liturgia Diária.

– 1ª:

O Evangelho é a Palavra viva de Jesus. Evangelho e a pessoa de Jesus são a mesma verdade, não há separação ou divisão. Ele é também a vida de cada cristão e de cada Comunidade que o testemunha e se deixa transformar por seu amor. Assim, como os apóstolos foram testemunhas de Cristo, de seu Evangelho, de sua doutrina, o mesmo devemos ser todos nós, cristãos.

MONIÇÃO PARA A(S) LEITURA(S) E O SALMO:

– 1ª: Periódico Deus Conosco; – 2ª: Periódico Liturgia Diária.

– 1ª:

Como Paulo não perdeu a oportunidade de anunciar o Evangelho em Roma, também devemos anunciar o Evangelho na circunstância em que nos encontrarmos. E a missão de testemunhar o Cristo não é coisa do passado, mas vocação de cada cristão.

MONIÇÃO PARA O EVANGELHO.

— Aleluia, aleluia, aleluia.

— Aleluia, aleluia, aleluia.

— Eu hei de enviar-vos o Espírito da verdade; ele vos conduzirá a toda a verdade. (Jo 16,7.13).

ANTÍFONAS:

Antífona da entrada.

Os discípulos unidos perseveravam em oração, com algumas mulheres, entre as quais Maria, a mãe de Jesus, e os irmãos dele, aleluia! (At 1,14).

Antífona da comunhão.

Senhor, de coração vos darei graças, as vossas maravilhas narrarei! Em vós exultarei de alegria, cantarei ao vosso nome, Deus altíssimo! (Sl 9,2s).

ORAÇÕES DO DIA:

Oração do dia ou Oração da coleta.

Concedei, ó Deus todo-poderoso, que, procurando conhecer sempre o que é reto, realizemos vossa vontade em nossas palavras e ações. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Oração sobre as oferendas.

Ao celebrar com reverência vossos mistérios, nós vos suplicamos, ó Deus, que os dons oferecidos em vossa honra sejam úteis à nossa salvação. Por Cristo, nosso Senhor.

Oração depois da comunhão.

Ó Deus todo-poderoso, concedei-nos alcançar a salvação eterna, cujo penhor recebemos neste sacramento. Por Cristo, nosso Senhor.

FONTES DE CONSULTAS E PESQUISAS:

Vamos expor a seguir de onde pertencem os textos que nos preenchem todos os dias, nos dando um caminho com mais sabedoria, simplicidade e amor.

FONTE PRINCIPAL DE PESQUISA E INSPIRAÇÃO

bc3adblia1

REFLITA:

O importante não é a pessoa que escreve, mas quem foi que inspirou essa pessoa a escrever.

O importante não é como se lê o que está escrito, mas como se age.

O importante não é sentar-se à direita ou a esquerda do Pai, mas sim, realizar o trabalho que Ele nos pede.

Ter conhecimento não é ter sabedoria, sabedoria é saber compartilhar o conhecimento.

(0) – Blog Liturgia Diária da Palavra de Deus (Reflexões e Comentários);

(1) – Periódico Mensal: Liturgia Diária (Editoras Paulinas e Paulus);

(2) – Periódico Mensal: Deus Conosco (Editora Santuário);

(3) – Portal Editora Santuário;

(4) – Portal Editora Paulinas;

(5) – Portal Editora Paulus;

(6) – Portal e Blog Canção Nova;

(7) – Portal Dom Total;

(8) – Portal Católica Net;

(9) – Portal Católico Orante;

(10) – Portal Edições Loyola Jesuítas;

(11) – Portal de Catequese Católica;

(12) – Portal Evangelho Quotidiano;

(13) – Blog Homilia Dominical;

(14) – Blog Liturgia Diária Comentada;

(15) – Portal CNBB (A Palavra de Deus na Vida);

(16) – Portal Catequisar: Catequese Católica;

(17) – Portal Universo Católico;

(18) – Portal Paróquia São Jorge Mártir;

(19) – Portal Catedral FM 106,7;

(20) – Portal Comunidade Católica Nova Aliança;

(21) – Portal Comunidade Resgate;

(22) – Portal Fraternidade O Caminho;

(23) – Portal Católico na Net;

(24) – Portal Evangeli.net;

(25) – Portal Padre Marcelo Rossi;

(26) – Portal Grupo de Oração Sopro de Vida;

(27) – Portal NPD Brasil.

MINHA MENSAGEM PESSOAL PARA MIM MESMO.

Mais vale o desconforto da VERDADE, do que a comodidade da MENTIRA.

E usando a essência da Oração da Serenidade, devo orar:

Ó meu Deus e Senhor, Pai de misericórdia e Salvação,

que em seu Filho Jesus perdoou os nossos pecados,

e com o seu Santo Espírito, paráclito nesse nosso mundo que caminha conosco,

apenas em Ti posso almejar a vida eterna, socorre-me e ouvi-me:

Se o ERRO está em mim, que DEUS possa me dar a HUMILDADE de aceitar que estou errado.

Que Jesus me dê a SERENIDADE, para aceitar que tem coisas que não posso mudar.

E que o Espírito Santo me dê a CORAGEM, suficiente para mudar aquelas coisas que dependem de mim, mesmo que sejam difíceis.

E para complementar os alicerces de orações da minha vida, faço como o santo Tomás de Aquino:

“Concede-me, Deus misericordioso, que deseje com ardor o que tu aprovas, que o procure com prudência, que o reconheça em verdade, que o cumpra na perfeição, para louvor e glória do teu nome.

Põe ordem na minha vida, ó meu Deus, e permite-me que conheça o que tu queres que eu faça, concede-me que o cumpra como é necessário e como é útil para a minha alma.

Concede-me, Senhor meu Deus, que não me perca no meio da prosperidade nem da adversidade; não deixes que a adversidade me deprima, nem que a prosperidade me exalte.

Que nada me alegre ou me entristeça para além do que conduz a ti.”

Viver CORRETO e falar a VERDADE hoje são tão difíceis quanto na época de Jesus, pois é muito mais fácil aceitar a MENTIRA e fazer o ERRADO.

Viver no CAMINHO, VERDADE E VIDA, que é o próprio Cristo Jesus, tem que ser uma caminhada diária.

O futuro é desejo e pensamento.

O passado é aprendizado e lembrança.

O hoje é realidade, isso quer dizer: CRISTO.

Meus amigos(as) de coração, meus irmãos(ãs) em Cristo Jesus, lembrem-se:

“Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas.”

“Não julgues para não seres julgados.”

“A quem é muito dado, muito será cobrado.”

–>

Anúncios
Esse post foi publicado em Religião. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s