Liturgia Diária 20/MAI/13

LEITURA DIÁRIA DA PALAVRA — 20/MAI/2013 (segunda-feira)

LEITURAS:

Leitura retirada do Livro do Eclesiástico (Eclo 1,1-10).

Leitura do Livro do Eclesiástico.

1 Toda a sabedoria vem do Senhor Deus. Ela esteve e está sempre com Ele. 2 Quem pode contar a areia do mar, as gotas de chuva, os dias do tempo? 3 Quem poderá medir a altura do céu, a extensão da terra, a profundeza do abismo? 4 Antes de todas as coisas foi criada a sabedoria, e a inteligência prudente vem da eternidade. Fonte da sabedoria é a palavra de Deus no mais alto dos céus e seus caminhos são os mandamentos eternos. A quem foi revelada a raiz da sabedoria? Quem conheceu as capacidades do seu engenho? A ciência da sabedoria, a quem foi revelada? E quem compreendeu sua grande experiência? 8 Só um é o altíssimo, criador onipotente, rei poderoso e a quem muito se deve temer, assentado em seu trono e dominando tudo, Deus. 9 Ele é quem a criou no espírito santo: Ele a viu, a enumerou e mediu; 10 ele a derramou sobre todas as suas obras e em cada ser humano, segundo a sua bondade. Ele a concede àqueles que o temem.

— Palavra do Senhor.

— Graças a Deus.

Salmo retirado do Livro dos Salmos (Sl 92(93), 1ab. 1c-2. 5 (R.1a)).

— 1a Reina o Senhor, revestiu-se de esplendor!

1a Reina o Senhor, revestiu-se de esplendor!

— 1c Deus é Rei e se vestiu de majestade, / revestiu-se de poder e de esplendor! / Vós firmastes o universo inabalável, 2 vós firmastes vosso trono desde a origem, desde sempre, ó Senhor, vós existis!

— Verdadeiros são os vossos testemunhos, refulge a santidade em vossa casa, / pelos séculos dos séculos, Senhor!

Leitura retirada do Livro do Evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos (Mc 9,14-29).

Jesus cura menino do espírito mudo (Mc 9,14-29)

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 14 descendo Jesus do monte com Pedro, Tiago e João e chegando perto dos outros discípulos, viram que estavam rodeados por uma grande multidão. Alguns mestres da Lei estavam discutindo com eles. 15 Logo que a multidão viu Jesus, ficou surpresa e correu para saudá-lo. 16 Jesus perguntou aos discípulos: “Que discutis com eles?” 17 Alguém na multidão respondeu: “Mestre, eu trouxe a ti meu filho que tem um espírito mudo. 18 Cada vez que o espírito o ataca, joga-o no chão e ele começa a espumar, range os dentes e fica completamente rijo. Eu pedi aos teus discípulos para expulsarem o espírito, mas eles não conseguiram”. 19 Jesus disse: Ó geração incrédula! Até quando estarei convosco? Até quando terei de suportar-vos? Trazei aqui o menino”. 20 E levaram-lhe o menino. Quando o espírito viu Jesus, sacudiu violentamente o menino, que caiu no chão e começou a rolar e a espumar pela boca. 21 Jesus perguntou ao pai: “Desde quando ele está assim?” O pai respondeu: “Desde criança. 22 E muitas vezes, o espírito já o lançou no fogo e na água para matá-lo. Se podes fazer alguma coisa, tem piedade de nós e ajuda-nos”. 23 Jesus disse: “Se podes! … Tudo é possível para quem tem fé”. 24 O pai do menino disse em alta voz: “Eu tenho fé, mas ajuda a minha falta de fé”. 25 Jesus viu que a multidão acorria para junto dele. Então ordenou ao espírito impuro: “Espírito mudo e surdo, eu te ordeno que saias do menino e nunca mais entres nele”. 26 O espírito sacudiu o menino com violência, deu um grito e saiu. O menino ficou como morto, e por isso todos diziam: “Ele morreu!” 27 Mas Jesus pegou a mão do menino, levantou-o e o menino ficou de pé. 28 Depois que Jesus entrou em casa, os discípulos lhe perguntaram a sós: “Por que nós não conseguimos expulsar o espírito?” 29 Jesus respondeu: “Essa espécie de demônios não pode ser expulsa de nenhum modo, a não ser pela oração”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

LEITURA ORANTE:

… Oração Inicial… (querer).

Preparo-me para a Leitura Orante, rezando com Jacques Lebret:

Pai, fonte de luz e de calor, envia-nos hoje a tua Palavra viva, e faze que aceitemos sem medo o sermos por ela abrasados.

… Eu sou o CAMINHO… (ler…).

O que a Palavra diz?

Leio, na minha Bíblia, Marcos 9,14-29.

“Eu creio”, disse o homem, e confessou sua fé insuficiente. Jesus expulsou o demônio.

Em casa, os discípulos perguntaram por que eles não tinham conseguido expulsar o demônio. Jesus respondeu que aquele tipo de demônio só se expulsava com oração.

… a VERDADE… (refletir e meditar…).

O que a Palavra diz para mim?

Neste texto, a fé aparece como dom de Deus que se conquista pela oração. A oração do pai do menino pode ser modelo de nossa oração: “Eu creio, senhor, mas ajuda-me na minha falta de fé”. No final, Jesus explica aos discípulos que também nós cristãos só podemos agir com plena força se pedirmos esta força ao Pai, em oração.

Como é a minha oração?

Frequente?

Confiante?

Humilde?

Disseram os bispos, em Aparecida: “Cremos e anunciamos “a boa nova de Jesus, Messias, Filho de Deus” (Mc 1,1). Como filhos obedientes a voz do Pai queremos escutar a Jesus (cf. Lc 9,35) porque Ele é o único Mestre (cf. Mt 23,8). Como seus discípulos sabemos que suas palavras são Espírito e Vida (cf. Jo 6,63.68). Com a alegria da fé somos missionários para proclamar o Evangelho de Jesus Cristo e, n’Ele, a boa nova da dignidade humana, da vida, da família, do trabalho, da ciência e da solidariedade com a criação.” (DAp 103).

… e a VIDA… (orar…).

O que a Palavra me leva a dizer a Deus? Reze ainda com Jacques Lebret:

Venha a tua Palavra, Senhor, e, uma vez aceso em nossos corações o teu fogo inextinguível, nós mesmos seremos portadores deste fogo uns para os outros.

Torna-nos, Senhor, palavras quentes e luminosas, capazes de incendiar o mundo, a fim de que cada pessoa possa sentir-se cercada pelas chamas infinitas do teu amor.

Amém.

Qual deve ser a MISSÃO em minha VIDA hoje? (contemplar e agir…).

Qual o meu novo olhar a partir da Palavra?

Quero transformar minha vida em oração para comunicar a força, a bondade e a misericórdia de Deus.

REFLEXÕES:

(4) – JESUS É VITORIOSO SOBRE O MAL.

No tempo de Jesus, algumas enfermidades, sobretudo as psíquicas, em que não se sabia a origem, tampouco o tratamento adequado e eficaz, eram atribuídas a um espírito impuro. O mal é o que faz mal ao ser humano. O mal desfigura o ser humano, impede-o de falar, e de falar bem, confunde e distorce a palavra.

fé, a confiança e adesão à pessoa de Jesus Cristo possibilitam reconhecer sua presença como dom da salvação de Deus; somente recorrendo à ajuda de Deus é que mal não tem poder sobre nós. O homem entregue às próprias forças não pode vencer o mal. Por isso, Jesus responderá à pergunta dos discípulos desse modo: “Essa espécie só pode ser expulsa pela oração” (v. 29). O evangelho é uma proclamação da fé: Jesus é vitorioso sobre o mal.

(Carlos Alberto Contieri).

(6) – TUDO É POSSÍVEL ÀQUELE QUE TEM FÉ E CONFIA NO PODER DO SENHOR.

“Jesus disse: ‘Tudo é possível para quem tem fé’. O pai do menino disse em alta voz: ‘Eu tenho fé, mas ajuda a minha falta de fé.’ Jesus viu que a multidão acorria para junto dele. Então, ordenou ao espírito impuro: ‘Espírito mudo e surdo, eu te ordeno que saias do menino e nunca mais entres nele’” (Mc 9,23-25).

Veja, no Evangelho de hoje, o quanto este espírito impuro fez a criança sofrer; e fazendo-a sofrer, é claro que também fez sofrer os pais e todos aqueles que a conheciam.

Perceba que toda e qualquer espécie de espírito impuro nos leva ao sofrimento, à agitação, leva-nos, muitas vezes, a sairmos de nós, dizer coisas que não queremos, fazer coisas que não queremos fazer, e, às vezes, achamos que a libertação, a restauração de Deus é coisa complicada, de outro mundo, e somente pessoas possessas precisam disso.

Não, meus irmãos! Nós precisamos dessa libertação a cada dia da nossa vida, porque, no bom sentido da palavra ou na forma genérica de a entendermos, muitas vezes ficamos possessos. Isso quer dizer que ficamos com raiva, irados, nervosos. E ai de quem se aproxima de uma pessoa altamente irada, chateada!

que fazer nessa hora?

Pedir para que a graça de Deus nos liberte. Estou dizendo que todos nós precisamos da libertação do Senhor, precisamos da graça divina para nos libertar das contrariedades da vida diária.

que precisamos fazer?

Precisamos deixar que o Espírito Santo aja em nós e nos liberte da revolta, do ressentimento, da mágoa, porque, senão, também ficamos muito revoltados, agitados e vamos dizer aquilo que não queremos dizer.

Há situações que parecem impossíveis; há pessoas das quais nós dizemos assim: “Não tem mais jeito! Meu filho não tem mais jeito, minha esposa não tem mais jeito, a minha vida não tem mais jeito…”. Mas não é verdade, porque tudo é possível àquele que tem fé e confia no poder do Senhor.

Se sua fé é pouca, clame: “Senhor, eu tenho fé, mas, por favor, ajude a minha pouca fé”. O Senhor nosso Deus vem em nosso socorro, vem em auxílio à nossa falta de fé.

Que nós experimentemos, a cada dia da nossa vida, o poder libertador do Senhor Nosso Deus.

Deus o abençoe!

(Pe. Roger Araújo).

(10) – BOA NOVA PARA CADA DIA.

Espírito mudo e surdo, ordeno que saias do menino e nunca mais entres nele (Mc 14,25).

Evangelho de Marcos 9,14-29 reabre o ciclo litúrgico do Tempo Comum, em sua sétima semana. Essa passagem se segue ao relato da Transfiguração de Jesus (Mc 9,2-8). É como se na Liturgia atual saíssemos da contemplação do Cristo transfigurado pela Ressurreição que meditamos no Tempo Pascal para este Tempo Comum. Assim, voltamos a meditar sobre Jesus em sua vida pública.

Marcos 9,14-29 narra um exorcismo que Jesus faz, semelhante ao que fizera no início do Evangelho de Marcos (1,21-28).

intenção de São Marcos nesses dois relatos de exorcismo é evidenciar o poder de Jesus contra os demônios e dizer que o reino de Satanás foi derrotado e começou o Reino de Deus anunciado pelos profetas.

poder de Jesus devia se manifestar de maneira clara e atrativa, para que se difundisse que Ele era o Messias. E para isso, grande efeito tinham os exorcismos. Jesus faz o primeiro em Cafarnaum e o segundo aos pés do Monte Tabor, todos na Galileia, onde Jesus estava começando sua vida pública.

poder de Jesus se revela impressionante e inesperadamente.

Para dizer isso São Marcos usa o verbo “Aoristo” (inexistente em português), que em grego é conjugado em um tempo imperativo, e que afirma uma ordem cumprida imediatamente assim que pronunciada.

Jesus diz: “saia do menino”, e depois, “nunca mais entres nele”. Isso quer dizer, “Sê saído!” e “Sê retirado definitivamente, agora!”. Ao mesmo tempo em que Jesus ordenou, o demônio saiu do menino, como se apagasse com um sopro repentino a chama de uma vela (ver 2Ts 2,8). Foi uma ordem dada e imediatamente realizada pelo demônio, completamente impotente contra Jesus. Tratava-se de um poder extraordinário, não só por Jesus comandar, mas por expelir o demônio que ninguém, nem os discípulos conseguiam expulsar.

Jesus mostrou como podia expelir o demônio; portanto, o Reino de Deus tinha chegado ao mundo. E foi assim que Jesus começou seu ministério na Galileia, cheio de poder, maravilhando as pessoas.

(Pe. Valdir Marques).

(14) – OS DISCÍPULOS NÃO CONSEGUIRAM EXPULSAR OS ESPÍRITOS MAUS.

“Quanto a esta espécie de demônio, só se pode expulsar à força de oração e de jejum.”

Apóstolos não conseguiram expulsar o demônio que atormentava aquele menino, e foram fortemente repreendidos por Jesus, que os chamou de “Raça incrédula e perversa, até quando estarei convosco?” Mais uma vez jogou pesado no seu palavreado. Depois que os discípulos perguntam por que não conseguiram expulsar aquele demônio, Ele responde: “Por causa de vossa falta de fé”.

Se os apóstolos escolhidos a dedo não tinham fé suficiente, que dirá de nós?

Que dirá do mundo de hoje com sua fé abalada pelos meios de comunicações, que a cada dia induz as pessoas a pecar e a abandonar a fé?

Não tem mais graça assistir um filme. Ou é tiroteio ou é pornografia. Ou os dois juntos. Acabou aqueles clássicos da sétima arte que as mulheres choravam no final. Toda essa avalanche de violência e libertinagem distorce a cabeça dos nossos jovens, pois é a eles que tudo isso é direcionado. É por isso que muitos jovens já não respeitam mais, não tem mais limites, e por motivos vários abrem mão da violência como meio de sobrevivência, o que os levam fatalmente mais sedo ou mais tarde, a própria morte. Não estou criticando esses jovens, pois eles são vítimas de um mundo que inverteu a escala de valores. (O QUE ERA CORRETO, HOJE É COISA ERRADA). Prezados irmãos: Vamos libertar esses jovens dos novos demônios. Mais precisamos de muita oração e de muito jejum. Vamos rezar em grupo pelos nossos jovens para que Deus os protejam de todo este estado de coisa que os tem levado: a descrença, a libertinagem sexual, ao sofrimento e à morte.

(José Salviano).

(14) – OS DISCÍPULOS NÃO CONSEGUIRAM EXPULSAR OS ESPÍRITOS IMUNDOS.

“tudo é possível para quem tem fé”!

Ao descer da montanha com Pedro, Tiago e João, surgiu a oportunidade para que Jesus revelasse aos demais o poder que recebera do alto. Ao chegar Jesus se deparou com os outros discípulos que discutiam sobre o fato de terem tentado expulsar um espírito mudo de um menino e não conseguirem. O próprio pai da criança se aproximou de Jesus e argumentou: “eu pedi aos teus discípulos para expulsarem o espírito, mas eles não conseguiram”. Jesus então esclareceu a chave para que os milagres aconteçam quando lhe disse: “Tudo é possível para quem tem fé”! A esta afirmação o homem lhe respondeu: “Eu tenho fé, mas ajuda a minha falta de fé!” A nós, portanto, parece até incoerente o pedido daquele pai, pois, ao mesmo tempo em que ele afirmava ter fé também pedia ajuda a Jesus pela sua falta de fé. O mesmo poderá estar acontecendo conosco quando dizemos que temos fé, mas não assumimos a nossa fé. Quando nos dirigimos a Jesus com os nossos pedidos nós também ousamos dizer: “Se podes!” Será que duvidamos do poder de Deus? A nossa fé no poder curador de Jesus é o princípio para que a Sua obra aconteça em nós. É na planície da vida, isto é, no nosso dia a dia que somos chamados (as) a colocar em prática o que Jesus nos ensina na montanha que é o nosso momento de oração. E somente tendo esse entendimento com Ele nós podemos também expulsar os espíritos maus que afugentam as pessoas as quais encontramos no caminho. “Desde quando ele está assim”, Jesus perguntou ao pai que respondeu:” desde criança!” Há dentro de cada um de nós também, desde criança, algo que está mudo, fechado, lacrado, do qual nós não temos consciência. Desde cedo na nossa vida nós vamos acumulando os espíritos do mundo que nos afastam de Deus e quando percebemos estamos “possuídos” pelo espírito que rege o mundo e somente uma fé vigorosa oriunda de uma grande intimidade com Deus podem nos ajudar a sair da escravidão e assim, também, auxiliar a quem precisa de libertação. Somente Jesus conhece o profundo do nosso ser e apenas Ele pode nos pegar pela mão e nos ajudar a ficar de pé. Deus depende da nossa fé, e precisamos também pedir como aquele pai: “eu tenho fé, mas ajuda a minha falta de fé”.

– Qual o espírito ruim que você cultiva desde criança?

– A sua fé tem o poder de afastar os espíritos maus que perturbam a sua família?

– Você tem tido oportunidade de colocar em prática os ensinamentos que Jesus dá em oração?

(Helena Colares Serpa).

(14) – EU TENHO FÉ, MAS AJUDA A MINHA FALTA DE FÉ.

Eu tenho fé, mas ajuda a minha falta de fé.

Depois de descer do monte da transfiguração, Jesus se encontra com um filho do povo possuído por um demônio. Este episódio é parte de uma série de instruções sobre o seguimento de Jesus, onde o evangelista acentua a necessidade da fé dos discípulos. A fé é fundamental na época de Marcos, anos 70, dado que as comunidades eram perseguidas constantemente.

Deve-se vencer o medo, só assim é possível resistir ante o poder do Império. Jesus encontrou muita gente junto aos discípulos: um pai desesperado havia pedido as discípulos que expulsassem um espírito que se apoderou de seu filho, mas eles não foram capazes. Jesus, impaciente, replica: “Que geração incrédula! Tragam-no”.

Jesus se dá conta de que o menino tem desde pequeno uma grave enfermidade. A frase do pai pedindo ajuda e piedade expressa a situação do povo. As pessoas têm dúvidas da fé, não sabem como resolver o problema e querem a cura. A resposta de Jesus, “tudo é possível para quem crer”, nos mostra como deve ser a atitude do discípulo. Apesar das dúvidas, não se pode perder a fé.

(Claretianos).

(14) – EU TENHO FÉ, MAS AJUDA A MINHA FALTA DE FÉ.

Este Evangelho narra que, quando Jesus, junto com Pedro, Tiago e João, desceram da montanha onde acontecera a transfiguração, encontraram os outros discípulos em dificuldade, porque não haviam conseguido expulsar o demônio de um menino. Jesus logo descobriu o que estava impedindo a cura: a falta de fé. Então dialogou com o pai do garoto, e o levou a uma profissão de fé, fraca mas suficiente: “Eu tenho fé, mas ajuda a minha falta de fé”.

pai do menino pediu a ajuda para a sua falta de fé, e logo recebeu, não só uma fé mais firme, mas a cura do filho, que é o que ele queria.

Em todas as curas, Jesus primeiro pedia a profissão de fé da pessoa. A fé é a condição indispensável para se receber uma graça de Deus.

Em casa, Jesus explicou aos discípulos: “Essa espécie de demônios não pode ser expulsa de nenhum modo, a não ser pela oração”. A oração nos leva à fé, e nos leva a discernir, tomando as atitudes adequadas a cada problema.

Os discípulos não descobriram a causa do fracasso porque não rezaram antes de tentar expulsar o demônio. E não rezaram porque não tinham espírito de oração. Quem tem espírito de oração não se esquece de pedir a ajuda de Deus nas horas de dificuldade.

Espírito de oração é um hábito que o cristão adquire, de viver sempre em sintonia com Deus. Mesmo que esteja trabalhando, ou estudando, ou se divertindo, está ligado com Deus. Usando um termo musical, está “em back” junto com Deus.

Quem vive assim, de vez em quando fala com Deus quase que sem perceber. E é só surgir uma ameaça de tentação, ou uma dificuldade, o pedido de ajuda está na ponta da língua. Não é que a pessoa e Deus se encontram ali; os dois nunca se separam, vivem juntos o tempo todo.

Quando Jesus disse: “Orai sempre e nunca cesseis de o fazer” (Lc 18,1), foi isso que ele quis dizer.

Agora, para que a nossa natureza pecadora chegue a isso, precisamos de muito treino e exercício. São os atos de oração: oração da manhã, da noite, oração antes das refeições, ou quando passamos na frente de uma igreja… A reza do terço é a melhor escola de oração, e a santa Missa é a melhor oração que existe, pois nela é Cristo que reza e se oferece por nós. Temos ainda a leitura dos Salmos da Bíblia, que é a oração do Povo de Deus, de ontem e de hoje. A leitura orante da Bíblia é uma forma excelente de oração. É só abrirmos a Bíblia e ler um pedacinho, pronto, já nos inspirados para conversar com Deus.

Portanto, rezar é fácil, basta querer. E quanto mais se reza, mais fácil e gostosa a oração se torna.

Havia, certa vez, um rapaz que tinha o mau costuma de falar palavrão. Falava a todo momento e em qualquer ambiente, sem nem ligar se havia criança perto. Quando advertido, ele dizia que não conseguia controlar-se, quando percebia já tinha falado.

Um dia o pai dele resolver fazer um teste, e lhe disse: “Se até hoje à noite você não falar nem um palavrão, eu lhe dou Cem Reais”.

moço estava precisando de uma grana e topou. Até à noite não disse nem um palavrão, só saía de sua boca palavras santas e edificantes. E à noite ganhou os Cem Reais.

Conclusão: para esse jovem, o dinheiro tem muito mais valor do que a Lei de Deus. O que lhe falta é a fé.

Peçamos a Maria Santíssima que nos ensine a rezar, para que tenhamos mais fé: “Ensina teu povo a rezar, Maria Mãe de Jesus, que um dia teu povo desperta e na certa vai ver a luz”.

Eu tenho fé, mas ajuda a minha falta de fé.

(Pe. Queiroz).

(15) – REFLEXÃO.

Todos nós queremos dar soluções rápidas para todos os problemas e, por isso, podemos ser surpreendidos porque não conseguimos revolvê-los de forma satisfatória ou eles voltam a acontecer. Isso acontece principalmente porque não paramos para refletir sobre o problema e não buscamos todos os meios necessários para a sua superação. Jesus, antes de realizar o exorcismo, conversou com o pai da criança e exigiu dele uma postura de fé. Depois, chamou a atenção dos discípulos sobre a necessidade da oração. Devemos conhecer profundamente os desafios que nos são colocados no trabalho evangelizador e nos preparar em todos os sentidos para a sua superação.

(CNBB).

(20) – TUDO É POSSÍVEL A QUEM CRÊ!

O Evangelho de hoje registra que o poder espiritual de Jesus domina também os maus espíritos. Um jovem possesso e sem paz é atormentado pelo demônio. Jesus interpela diretamente o “espírito mudo” e o expulsa.

Na descrição do próprio pai, o filho vivia em extremos de conduta, “do fogo para a água”. Curiosamente, a palavra SHALOM (a paz) escreve-se em hebraico com três consoantes: SHIN (as línguas de fogo), LAMED (a balança manual) e MEN (o odre de água). Isto é, o equilíbrio (o fiel da balança) entre os dois extremos (fogo e água). A paz como homeostasia, estabilidade. Perdida a paz, o jovem espuma, cai por terra, range os dentes, agita-se. Jesus, “nossa Paz” (cf. Ef 2,14), devolve-lhe o equilíbrio.

Desde o Séc. XIX, uma leitura racionalista (e em total ruptura com a sã tradição apostólica!) nega a existência de demônios e “explica” passagens como esta, afirmando que os possessos eram, na verdade, casos de epilepsia e doenças mentais. Ora, Jesus não manteria seus contemporâneos em tão grave engano. Nem teria sentido sua afirmação, em resposta à pergunta dos discípulos (v. 29), de que “tal gênero de demônio só pode ser expulso pela jejum e pela oração”. (Cf. Mt 17,21.) O Mestre aponta o remédio espiritual para uma “doença espiritual”.

Historicamente, a Igreja sempre exerceu um ministério de libertação de pessoas possessas pelo demônio, ao praticar o exorcismo. O novo Código de Direito Canônico [de 1983] reserva a prática do exorcismo a presbíteros (padres) expressamente autorizados pelo Bispo diocesano.

Naturalmente, esta é uma questão de fé. A mesma fé que faltou aos discípulos quando tentaram, em vão, expulsar o mau espírito daquele jovem. A mesma fé em falta nos racionalistas que negam os milagres de Jesus e seus “sinais” de poder, preferindo reduzi-los a fenômenos parapsicológicos ou atribuir sua interpretação a ignorância do povo. Enquanto isto, o demônio ateava fogo ao colchão do Santo Cura d’Ars e quebrava os dentes de Marthe Robin. Os sacerdotes que possuem experiência pastoral não adotariam a mesma cartilha racionalista…

Minha fé corresponde à fé da Igreja?

Ou estou fabricando minha fé particular, mais cômoda e mais prática?

Orai sem cessar: “Senhor, aumentai a nossa fé!”

(Antônio Carlos Santini).

(24) – AJUDA-ME NA MINHA FALTA DE FÉ.

Hoje contemplamos — mais uma vez! — o Senhor solicitado pela gente (“correu para saudá-lo”) e, por sua vez, Ele solícito da gente, sensível as suas necessidades. Em primeiro lugar quando suspeita que alguma coisa está acontecendo, se interessa pelo problema. Intervém um dos protagonistas, isto é, o pai de um jovem que está possuído por um espírito maligno: “Mestre, eu trouxe a ti o meu filho que tem um espírito mudo. Cada vez que o espírito o agride, joga-o no chão, e ele começa a espumar, range os dentes e fica completamente duro” (Mc 9,17-18).

É terrível o mal que o Diabo pode chegar a fazer! Uma criatura sem caridade. — Senhor, temos que rezar: “Livra-nos do mal” Não se entende, como hoje em dia, pode haver vozes que dizem que o Diabo não existe, ou outros que lhe rendem algum tipo de culto… É absurdo! Nós temos que tirar uma lição de tudo isto: não se pode brincar com fogo!

“Eu pedi aos teus discípulos que o expulsassem, mas eles não conseguiram”. (Mc 9,18). Quando Jesus ouve essas palavras, sente grande desgosto. Desgosta-se, sobretudo, pela falta de fé… E lhes falta fé porque tem que rezar mais: “Essa espécie só pode ser expulsa pela oração” (Mc 9,29).

oração é um diálogo “íntimo” com Deus. João Paulo II tem afirmado que “a oração supõe sempre uma espécie de encobrimento com Cristo em Deus. Só nesse “encobrimento” atua o Espírito Santo” Em um ambiente íntimo de encobrimento se pratica a assiduidade amistosa com Jesus, a partir da qual se gera o incremento de confiança Nele, quer dizer, o aumento da fé.

Mas esta fé, que move montanhas e expulsa espíritos maliciosos (“Tudo é possível para quem crê”) é, sobretudo, um dom de Deus. Nossa oração, em todo caso, nos coloca em disposição para receber o dom. Mas a esse dom temos que implorá-lo: “Eu creio! Ajuda-me na minha falta de fé” (Mc 9,24). A resposta de Cristo não se fará “rogar”!

CELEBRAÇÃO DE HOJE:

7ª SEMANA COMUM (VERDE – OFÍCIO DO DIA – III SEMANA DO SALTÉRIO).

MONIÇÕES:

MONIÇÃO AMBIENTAL OU COMENTÁRIO INICIAL:

– 1ª: Periódico Deus Conosco; – 2ª: Periódico Liturgia Diária.

– 1ª:

Com a solenidade de Pentecostes, termina o Tempo Pascal e a Liturgia volta-se para o Tempo Comum. Nele, celebramos o mistério de Cristo em sua plenitude, principalmente aos domingos, e nos dispomos a realizar, na vida comum, o que Cristo nos disse: “Vós sois o sal da terra, vós sois a luz do mundo” (Mt 5,13-14). A graça divina nos conduz e nos desperta para o mistério de Cristo que podemos celebrar e viver todos os dias.

MONIÇÃO PARA A(S) LEITURA(S) E O SALMO:

– 1ª: Periódico Deus Conosco; – 2ª: Periódico Liturgia Diária.

– 1ª:

Onde está a verdadeira sabedoria? Qual é o sentido de Deus para nossa humanidade hoje? A tecnologia responde a uma necessidade humana, mas é Deus quem nos realiza plenamente. Sem Ele a vida não tem sentido. Alimentemo-nos da Palavra do Senhor, que nos orienta e nos ilumina.

MONIÇÃO PARA O EVANGELHO.

— Aleluia, aleluia, aleluia.

— Aleluia, aleluia, aleluia.

— Jesus Cristo Salvador destruiu o mal e a morte; fez brilhar pelo Evangelho a luz e a vida imperecíveis. (2Tm 1,10).

ANTÍFONAS:

Antífona da entrada.

Vi uma grande multidão que ninguém podia contar, de todas as nações, tribos, povos e línguas, aleluia. (Ap 7,9).

Antífona da comunhão.

Senhor, de coração vos darei graças, as vossas maravilhas narrarei! Em vós exultarei de alegria, cantarei ao vosso nome, Deus altíssimo! (Sl 9,2s).

ORAÇÕES DO DIA:

Oração do dia ou Oração da coleta.

Concedei, ó Deus todo poderoso, que, procurando conhecer sempre o que é reto, realizemos vossa vontade em nossas palavras e ações. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Oração sobre as oferendas.

Ao celebrar com reverência vossos mistérios, nós vos suplicamos, ó Deus, que os dons oferecidos em vossa honra sejam úteis à nossa salvação. Por Cristo, nosso Senhor.

Oração depois da comunhão.

Ó Deus todo-poderoso, concedei-nos alcançar a salvação eterna, cujo penhor recebemos neste sacramento. Por Cristo, nosso Senhor.

FONTES DE CONSULTAS E PESQUISAS:

Vamos expor a seguir de onde pertencem os textos que nos preenchem todos os dias, nos dando um caminho com mais sabedoria, simplicidade e amor.

FONTE PRINCIPAL DE PESQUISA E INSPIRAÇÃO

bc3adblia1

REFLITA:

O importante não é a pessoa que escreve, mas quem foi que inspirou essa pessoa a escrever.

O importante não é como se lê o que está escrito, mas como se age.

O importante não é sentar-se à direita ou a esquerda do Pai, mas sim, realizar o trabalho que Ele nos pede.

Ter conhecimento não é ter sabedoria, sabedoria é saber compartilhar o conhecimento.

(0) – Blog Liturgia Diária da Palavra de Deus (Reflexões e Comentários);

(1) – Periódico Mensal: Liturgia Diária (Editoras Paulinas e Paulus);

(2) – Periódico Mensal: Deus Conosco (Editora Santuário);

(3) – Portal Editora Santuário;

(4) – Portal Editora Paulinas;

(5) – Portal Editora Paulus;

(6) – Portal e Blog Canção Nova;

(7) – Portal Dom Total;

(8) – Portal Católica Net;

(9) – Portal Católico Orante;

(10) – Portal Edições Loyola Jesuítas;

(11) – Portal de Catequese Católica;

(12) – Portal Evangelho Quotidiano;

(13) – Blog Homilia Dominical;

(14) – Blog Liturgia Diária Comentada;

(15) – Portal CNBB (A Palavra de Deus na Vida);

(16) – Portal Catequisar: Catequese Católica;

(17) – Portal Universo Católico;

(18) – Portal Paróquia São Jorge Mártir;

(19) – Portal Catedral FM 106,7;

(20) – Portal Comunidade Católica Nova Aliança;

(21) – Portal Comunidade Resgate;

(22) – Portal Fraternidade O Caminho;

(23) – Portal Católico na Net;

(24) – Portal Evangeli.net;

(25) – Portal Padre Marcelo Rossi;

(26) – Portal Grupo de Oração Sopro de Vida;

(27) – Portal NPD Brasil.

MINHA MENSAGEM PESSOAL PARA MIM MESMO.

Mais vale o desconforto da VERDADE, do que a comodidade da MENTIRA.

E usando a essência da Oração da Serenidade, devo orar:

Ó meu Deus e Senhor, Pai de misericórdia e Salvação,

que em seu Filho Jesus perdoou os nossos pecados,

e com o seu Santo Espírito, paráclito nesse nosso mundo que caminha conosco,

apenas em Ti posso almejar a vida eterna, socorre-me e ouvi-me:

Se o ERRO está em mim, que DEUS possa me dar a HUMILDADE de aceitar que estou errado.

Que Jesus me dê a SERENIDADE, para aceitar que tem coisas que não posso mudar.

E que o Espírito Santo me dê a CORAGEM, suficiente para mudar aquelas coisas que dependem de mim, mesmo que sejam difíceis.

E para complementar os alicerces de orações da minha vida, faço como o santo Tomás de Aquino:

“Concede-me, Deus misericordioso, que deseje com ardor o que tu aprovas, que o procure com prudência, que o reconheça em verdade, que o cumpra na perfeição, para louvor e glória do teu nome.

Põe ordem na minha vida, ó meu Deus, e permite-me que conheça o que tu queres que eu faça, concede-me que o cumpra como é necessário e como é útil para a minha alma.

Concede-me, Senhor meu Deus, que não me perca no meio da prosperidade nem da adversidade; não deixes que a adversidade me deprima, nem que a prosperidade me exalte.

Que nada me alegre ou me entristeça para além do que conduz a ti.”

Viver CORRETO e falar a VERDADE hoje são tão difíceis quanto na época de Jesus, pois é muito mais fácil aceitar a MENTIRA e fazer o ERRADO.

Viver no CAMINHO, VERDADE E VIDA, que é o próprio Cristo Jesus, tem que ser uma caminhada diária.

O futuro é desejo e pensamento.

O passado é aprendizado e lembrança.

O hoje é realidade, isso quer dizer: CRISTO.

Meus amigos(as) de coração, meus irmãos(ãs) em Cristo Jesus, lembrem-se:

“Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas.”

“Não julgues para não seres julgados.”

“A quem é muito dado, muito será cobrado.”

–>

Anúncios
Esse post foi publicado em Religião. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s