Liturgia Diária 23/MAI/13

LEITURA DIÁRIA DA PALAVRA — 23/MAI/2013 (quinta-feira)

LEITURAS:

Leitura retirada do Livro do Eclesiástico (Eclo 5,1-10).

Leitura do Livro do Eclesiástico.

1 Não confies nas tuas riquezas e não digas: “Basta-me viver!” 2 Não deixes que tua força te leve a seguir as paixões do coração. 3 Não digas: “Quem terá poder sobre mim?” ou: “Quem me fará prestar contas das minhas ações?”, pois o Senhor, com certeza, te castigará. 4 Não digas: “Pequei, e que de mal me aconteceu?”, pois o Altíssimo é paciente. 5 Não percas o temor por causa do perdão, cometendo pecado sobre pecado. 6 Não digas: “A misericórdia do Senhor é grande, ele me perdoará a multidão dos meus pecados!”, 7 pois dele procedem misericórdia e cólera, e sua ira se abate sobre os pecadores. 8 Não demores em voltar para o Senhor, e não adies de um dia para outro, 9 pois a sua cólera vem de repente e, no dia do castigo, serás aniquilado. 10 Não te apoies em riquezas injustas, pois elas de nada te valerão no dia da desgraça.

— Palavra do Senhor.

— Graças a Deus.

Salmo retirado do Livro dos Salmos (Sl 1,1-2. 3. 4.6 (R. Sl 39,5a)).

— 39,5a É feliz quem a Deus se confia!

39,5a É feliz quem a Deus se confia!

Feliz é todo aquele que não anda / conforme os conselhos dos perversos; / que não entra no caminho dos malvados, / nem junto aos zombadores vai sentar-se; / mas encontra seu prazer na lei de Deus / e a medita, dia e noite, sem cessar.

Eis que ele é semelhante a uma árvore / que à beira da torrente está plantada; / ela sempre dá seus frutos a seu tempo, e jamais as suas folhas vão murchar. / Eis que tudo o que ele faz vai prosperar.

4 Mas bem outra é a sorte dos perversos. / Ao contrário, são iguais à palha seca / espalhada e dispersada pelo vento. / Pois Deus vigia o caminho dos eleitos, / mas a estrada dos malvados leva à morte.

 

Leitura retirada do Livro do Evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos (Mc 9,41-50).

Mc 9,41-50 (Caridade e escândalo)

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo † segundo Marcos.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, 41 disse Jesus aos seus discípulos: “Quem vos der a beber um copo de água, porque sois de Cristo, não ficará sem receber a sua recompensa. 42 E se alguém escandalizar um desses pequeninos que creem, melhor seria que fosse jogado no mar com uma pedra de moinho amarrada ao pescoço. 43 Se tua mão te leva a pecar, corta-a! 44 É melhor entrar na Vida sem uma das mãos, do que, tendo as duas, ir para o inferno, para o fogo que nunca se apaga. 45 Se teu pé te leva a pecar, corta-o! 46 É melhor entrar na Vida sem um dos pés, do que, tendo os dois, ser jogado no inferno. 47 Se teu olho te leva a pecar, arranca-o! É melhor entrar no Reino de Deus com um olho só, do que, tendo os dois, ser jogado no inferno, 48 ‘onde o verme deles não morre, e o fogo não se apaga’. 49 Pois todos hão de ser salgados pelo fogo. 50 Coisa boa é o sal. Mas se o sal se tornar insosso, com que lhe restituireis o tempero? Tende, pois, sal em vós mesmos e vivei em paz uns com os outros.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

LEITURA ORANTE:

… Oração Inicial… (querer).

A nós, a paz de Deus, nosso Pai, a graça e a alegria de Nosso Senhor Jesus Cristo, no amor e na comunhão do Espírito Santo.

Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo!

Preparo-me para a Leitura, rezando:

Jesus Mestre, que dissestes: “Onde dois ou mais estiverem reunidos em meu nome, eu aí estarei no meio deles”, ficai conosco, aqui reunidos (pela grande rede da internet), para melhor meditar e comungar com a vossa Palavra.

Sois o Mestre e a Verdade: iluminai-nos, para que melhor compreendamos as Sagradas Escrituras.

Sois o Guia e o Caminho: fazei-nos dóceis ao vosso seguimento.

Sois a Vida: transformai nosso coração em terra boa, onde a Palavra de Deus produza frutos abundantes de santidade e missão. (Bv. Alberione).

… Eu sou o CAMINHO… (ler…).

O que diz o texto do dia?

Leio na Bíblia, atentamente, o texto: Mc 9,41-50, e observo as palavras de Jesus.

Jesus fala de escândalos contra os “pequeninos que creem”. Na Bíblia, quando se diz que alguém foi motivo de escândalo, significa que ele levou alguém a errar. Na etimologia da palavra, do grego skandalon, significa “obstáculo” ou “armadilha” para derrubar alguém. Jesus diz que este obstáculo podem ser as mãos ou os pés. Fala em arrancar os olhos, cortar as mãos ou os pés, significando a gravidade da perda da fé.

… a VERDADE… (refletir e meditar…).

O que o texto diz para mim, hoje?

Qual palavra mais me toca o coração?

As mutilações de que fala Jesus são para mostrar a gravidade dos escândalos: o pé que anda no mau caminho, a mão que é utilizada para causar destruição e induzir outras pessoas a fazer o mesmo. Em Aparecida os bispos falaram de um escândalo causado pela exclusão e pela injustiça. Disseram: “Segue uma dinâmica de concentração de poder e de riqueza em mãos de poucos. Concentração não só dos recursos físicos e monetários, mas sobretudo de informação e dos recursos humanos, o que produz a exclusão de todos aqueles não suficientemente capacitados e informados, aumentando as desigualdades que marcam tristemente nosso continente e que mantêm na pobreza uma multidão de pessoas. O que existe hoje é a pobreza de conhecimento e do uso e acesso a novas tecnologias. Por isso é necessário que os empresários assumam sua responsabilidade de criar mais fontes de trabalho e de investir na superação desta nova pobreza.” (DAp 62).

… e a VIDA… (orar…).

O que o texto me leva a dizer a Deus?

Rezo com a canção: RELIGIÃO LIBERTADORA (Pe. Zezinho).

(clique aqui para ouvir a música)

*** *** ***

É por causa do meu povo machucado

Que acredito em religião libertadora

É por causa de Jesus ressuscitado

Que acredito em religião libertadora.

É por causa dos profetas que anunciam

Que batizam, que organizam, denunciam

É por causa de quem sofre a dor do povo

É por causa de quem morre sem matar.

É por causa do meu povo machucado

Que acredito em religião libertadora

É por causa de Jesus ressuscitado

Que acredito em religião libertadora.

É por causa do pequenos e oprimidos

Dos seus sonhos, dos seus ais, dos seus gemidos

É por causa do meu povo injustiçado

Das ovelhas sem rebanho e sem pastor.

É por causa do profeta que se cala

Mas até com seu silêncio grita e fala

É por causa de um Jesus que anunciava

Mas também gritava aos grandes: ai de vós.

É por causa do meu povo machucado

Que acredito em religião libertadora

É por causa de Jesus ressuscitado

Que acredito em religião libertadora.

É por causa do que fez João Batista

Que arriscou mas preparou a tua vinda

É por causa de milhões de testemunhas

Que apostaram suas vidas no amor.

É por causa do meu povo machucado

Que acredito em religião libertadora

É por causa de Jesus ressuscitado

Que acredito em religião libertadora.

Qual deve ser a MISSÃO em minha VIDA hoje? (contemplar e agir…).

Qual meu novo olhar a partir da Palavra?

Vou olhar o mundo e a vida com os olhos de Deus. Vou eliminar do meu modo de pensar e agir aquilo que não vem de Deus, que pode ser motivo de escândalo ao meu irmão.

REFLEXÕES:

 

(4) – O BEM TAMBÉM É FEITO FORA DA COMUNIDADE DOS DISCÍPULOS.

Jesus continua a instruir os seus discípulos a como se comportarem ante a diversidade. O bem também é feito fora da comunidade dos discípulos. A comunidade é chamada a se abrir ao bem que vem de outrem; pois ela também é beneficiária do bem que outros, “de fora”, lhe fazem: “Quem vos der um copo de água…” (v. 41).

Da comunidade é exigida coerência. O escândalo é uma pedra de tropeço que impede outros de progredirem na vida cristã. A comunidade precisa estar aberta para acolher e sustentar, com o seu testemunho, os que se aproximam dela para ajudá-los a uma verdadeira mistagogia. Por isso, o escândalo, ante a incoerência interna, da distância entre o crer e o agir, entre o falar e praticar, deve ser rechaçado veementemente. Segundo Mt 5,13, o discurso é “sal da terra”. Mc 9,50 diz que o “sal é bom”. É bom na justa medida: nem mais, nem menos.

presença do discípulo, portador do mistério pascal de Cristo, deve dar sentido à vida. No entanto, se ele desvirtua sua missão, é como o sal que perdeu suas propriedades, incapaz de dar sabor a todas as coisas.

(Carlos Alberto Contieri).

 

(6) – SANTIDADE É COISA DE QUEM LEVA DEUS A SÉRIO.

Precisamos ser sérios, enérgicos no combate ao mal, na luta pela nossa santidade. Santidade é coisa de gente séria. Santidade é coisa de quem leva Deus a sério.

É Jesus quem diz: “Se tua mão te leva a pecar, corta-a! É melhor entrar na Vida sem uma das mãos, do que, tendo as duas, ir para o inferno, para o fogo que nunca se apaga” (Mc 9,43-44).

Por que Jesus diz isso a respeito da mão, do pé, dos olhos…

assim diria de cada parte do nosso corpo?

verdade é que podemos levar esse Evangelho “ao pé da letra”, ou seja, vamos mutilar e, na verdade, pouca coisa irá restar. O que, de fato, Jesus está nos motivando – e nos chamando a dizer – é que nós não podemos entregar nosso corpo ao pecado. Nós não podemos entregar nenhuma parte do nosso corpo ao erro.

Muito pelo contrário, precisamos usar aquilo que os Santos Padres da Igreja faziam, aquilo que os Santos fizeram, ou seja, as pessoas que querem crescer em Deus na espiritualidade fazem a mortificação. Precisamos ser, realmente, sérios na nossa espiritualidade do combate ao mal, porque, senão, o vício e o mal crescerão em nós, e depois será difícil dominá-lo.

Às vezes, usamos mal as nossas mãos, usamos errado os nossos pés, o nosso corpo, errada a nossa língua. Jesus nos convida a santificar o nosso corpo. “Corta” o seu corpo, “corta” a sua mão, onde ela estiver sendo levada pelo pecado. Em outras palavras, precisamos ser sérios, enérgicos no combate ao mal, na luta pela nossa santidade. Santidade é coisa de gente séria. Santidade é coisa de quem leva Deus a sério!

Você precisa assumir para si mesmo que seu corpo, sua alma, todo o seu ser quer viver a vontade de Deus. Você não quer usar nenhum dos instrumentos que Deus lhe deu – para sua santificação – para cometer o erro, o pecado. É preciso um pouco mais de seriedade. É preciso usar da mortificação, do combate espiritual. Usar das armas espirituais para combater o mal que há no mundo, o mal que, muitas vezes, quer nos dominar.

Que Deus dê essa graça a todos nós: sermos firmes na nossa luta pela santidade! Que nosso corpo seja para o bem e não para estar a serviço do pecado.

Deus abençoe você.

(Pe. Roger Araújo).

(7) – NÃO SER OCASIÃO DE PECADO.

O discípulo do Reino, no exercício de sua missão, deve ser muito cauteloso para não se tornar ocasião de pecado para quem está dando os primeiros passos na fé. O pecado, neste caso, consistiria em refutar Jesus e se recusar a aderir ao Reino anunciado por ele. E os próprios discípulos, agindo de forma inconsiderada, corriam o risco de se tornarem culpados deste fracasso e serem julgados por isso.

As atitudes inconsideradas do discípulo em missão podiam ser muitas. Eles corriam o risco de serem intransigentes e impacientes, não respeitando o ritmo próprio de cada pessoa no seu processo de adesão a Jesus. Não estavam livres do espírito farisaico, que os levava a ser extremamente severos e exigentes com os recém convertidos, esvaziando as exigências quando se tratava de si mesmos. Com a liberdade adquirida junto a Jesus, podiam ter atitudes chocantes para os pequeninos, ainda atrelados a antigos esquemas, que só com dificuldade deixavam-se permear pela novidade do Reino. Levados por um espírito corporativista, podiam ceder à tentação de selecionar, com critérios humanos, os novos discípulos, excluindo pessoas predispostas para o Reino, mas que não satisfaziam suas exigências.

denúncia de Jesus contra esta mentalidade foi violenta. Se o discípulo não se desfizesse desta visão deturpada, corria o risco de ver-se lançado no inferno.

Oração: Senhor Jesus, não permita que eu seja ocasião de pecado para os pequeninos que se aproximam de ti e querem se fazer discípulos do teu Reino.

(Pe. Jaldemir Vitório).

 

(10) – BOA NOVA PARA CADA DIA.

É melhor entrar na Vida sem uma das mãos do que com duas ir para o Inferno, para o fogo que nunca se apaga (Mc 9,43).

Marcos 9,38-40 traz várias lições dadas por Jesus aos seus discípulos. Vamos nos concentrar na lição sobre o escândalo e sua punição. Por escândalo, Jesus entende primeiro a decepção moral que um adulto provoca em uma criança. Por punição, ao escândalo Jesus entende o Inferno.

Tudo isso é muito grave. Jesus diz que o escândalo moral deve ser evitado a todo custo, mesmo que seu preço seja uma mão, um pé, um olho.

punição seria a perda da Vida.

Qual?

Vida Eterna, que Jesus veio trazer perdoando os pecados e os escândalos dos arrependidos.

perda da Vida Eterna corresponde à Morte Eterna, em outra palavra, Inferno, onde há um fogo que nunca se apaga.

Para Jesus é certo que existe o Inferno.

Em que consiste?

É um estado de existência espiritual depois da morte em que o acesso a Deus é totalmente negado. Este é o pior sofrimento que uma criatura de Deus pode ter.

Entretanto, entendamos bem: Jesus exagera quando diz que é preciso cortar uma mão, um pé, arrancar um olho, para se fazer entender bem por pessoas rudes que o rodeavam.

Um milagre de Santo Antônio nos ajuda a entender melhor este Evangelho: ver http://www.infopedia.pt/$milagres-de-santo-antonio

(Pe. Valdir Marques).

(14) – IMPUNIDADE.

Bom dia!

Certa vez conversando com uma amiga sobre os motivos que levam alguém a cometer algo errado chegamos à conclusão que dentre as várias razões estão A PRÓPRIA VONTADE DE FAZÊ-LO E A CERTEZA DA IMPUNIDADE.

Caminhamos para viver os quarenta dias da quaresma e nela, um novo debate social proposto pela CNBB, este ano, a Fraternidade e a Vida no Planeta.

Nesse contexto tão amplo chamado meio ambiente, o que me vem ao pensamento?

Árvores, animais, florestas, mares?

seu meu pensamento for mais apocalíptico, o que pensaria?

Tufões, maremotos, tsunamis, furações, vulcões, efeito estufa?

Uma coisa é certa: nosso meio ambiente está aos poucos respondendo a ganância do homem.

Uma ganância que se apega a impunidade, às consequências a longo prazo, a corrupção e ao modelo de economia baseado no uso irracional dos meios naturais.

Nosso país não sofre com os grandes flagelos como tremores, tsunamis e furacões, mas vemos o aumento das áreas desérticas, as chuvas torrenciais levando cidades e sonhos embora e a floresta aos poucos acabar. Vemos cidades grandes sem rios de água potável, acúmulo de lixo e contaminação do solo…

o que será que o agressor pensa disso?

Está impune?

Não estará mais vivo quando tudo ficar ao avesso?

Tem dinheiro para comprar água mineral?

primeira leitura vem nos dar uma dica:

“(…) Não confies nas tuas riquezas e não digas: ‘Basta-me viver!’ Não deixes que tua força te leve a seguir as paixões do coração. Não digas: ‘Quem terá poder sobre mim?’ ou: ‘Quem me fará prestar contas das minhas ações?’, pois o Senhor, com certeza, te castigará. Não digas: ‘Pequei, e que de mal me aconteceu?’, pois o Altíssimo é paciente. Não percas o temor por causa do perdão, cometendo pecado sobre pecado. Não digas: ‘A misericórdia do Senhor é grande, ele me perdoará a multidão dos meus pecados!’, pois dele procedem misericórdia e cólera, e sua ira se abate sobre os pecadores”. (Eclesiástico 5, 1-7)

Sim! É preciso mudar ou cortar essa mão que está matando nosso planeta. Uma mão perversa que usa pretextos e justificativas que convencem para continuar a degradar o que levou anos para se criar. Não falo do agricultor que nos alimenta ou do fazendeiro, seu gado, seu povo… Falo do homem que destrói pensando apenas no dinheiro que irá ganhar!

campanha da fraternidade vem apontar para um fato que ainda temos tempo de corrigi-lo, que é obrigação de todos zelarmos e denunciarmos, pois o animal que mais sofrerá com nossa omissão é o próprio homem.

Agarremos ao que o salmo de hoje nos apresenta e estripemos esse mal que nos assola e nos dará dor de cabeça no futuro, caso não mudemos nosso pensamento.

“(…) Feliz é todo aquele que não anda conforme os conselhos dos perversos; que não entra no caminho dos malvados, nem junto aos zombadores vai sentar-se; mas encontra seu prazer na lei de Deus e a medita, dia e noite, sem cessar”.

(Salmo 1, 1-2).

Um imenso abraço fraterno!

(Alexandre Soledade).

(14) – É MELHOR ENTRAR NA VIDA SEM UMA DAS MÃOS, DO QUE, TENDO AS DUAS, IR PARA O INFERNO.

Hoje celebramos a festa de Jesus Cristo, Sumo e Eterno Sacerdote, em outras palavras, a festa do serviço. Participamos do sacerdócio de Cristo, mas também de seu chamado a servir aos mais necessitados. O episódio da multiplicação dos pães é um símbolo de sua graça. A multidão congregada escutava durante vários dias os ensinamentos de Jesus sobre o Reino de Deus, esquecendo até de comer.

Ante o problema de falta de alimento, os discípulos queriam buscar a solução fora, pois Jesus solucionou o problema de dentro: “Dê vós mesmos de comer”; mas só tinha cinco pães e dois peixes para cinco mil pessoas. Jesus manda dividir as pessoas em grupos e pede aos discípulos que distribuam os alimentos. Todos comeram até ficar satisfeitos.

Lucas ressalta que “Jesus olhou os céus, os abençoou e repartiu”. Essa maneira de falar nas primeiras comunidades remete à Eucaristia, pois essas mesmas palavras são usadas até hoje na celebração da ceia do Senhor. Lucas sugere que a Eucaristia deve levar ao compartilhamento. Deve ser pão da vida para enfrentar os problemas de maneira diferente, não desde fora, mas desde dentro.

(Claretianos).

(14) – NOSSOS PEQUENINOS…

A gente lê esse evangelho e imediatamente pensamos nos “escândalos” que vez ou outra abalam nossas comunidades e a própria Igreja, principalmente os que ocorrem no campo da sexualidade e assim, parece que o resto dos nossos pecados não é escândalo. Este evangelho não é um apelo a moral e aos bons costumes, como alguém possa pensar, mesmo porque, a m oral cristã e os bons costumes deve sim fazer parte da nossa vida de cristãos.

escândalo tem uma vítima certa nesse evangelho: são os pequeninos! Se for compreendido como crianças, vamos voltar a pensar no escândalo da Pedofilia, cometido contra crianças sim, em casas religiosas e comunidades cristãs, por pessoas que em seu sacerdócio têm a missão de acolher e proteger os pequenos e não aproveitar-se deles, para saciar um instinto bestial e incontrolável. Mas também não é isso. Os pequeninos mencionados no evangelho não são as crianças.

Então mudamos o foco e olhamos no contexto social, pronto! Pequeninos são os pobres e necessitados que frequentam à comunidade, e que precisam ser acolhidos e assistidos em suas necessidades. Sem dúvida que essa é uma verdade evangélica, que deve e precisa ser praticada nas comunidades, se elas quiserem ser realmente cristãs. Mas o foco não é esse…

Só lembrando que Jesus é extremamente rigoroso quando fala daquele que provocou o escândalo contra os pequeninos: deveria amarrar uma pedra de moenda no pescoço e atirar-se ao mar!

Vamos então desvendar esse mistério. Em nossas comunidades há pessoas que testemunham uma Fé descomunal, são realmente fervorosos no testemunho que dão em suas vidas. Levam uma vida de oração, pautada pela Santa Palavra, recebem a Eucaristia com frequência, enfrentam provações e tribulações e não se deixam abalar. Não estou inventando. Na nossa comunidade existe pessoas assim, cujo exemplo nos estimula a buscar também a santidade.

Mas… há outras que não são nada disso, rezam de vez em quando, vão a missa de vez em quando, só entram na igreja em dias de Batismo de algum parente ou casamento de alguém, mas se dizem cristãos e há até quem frequente a comunidade. Quando estamos diante dessas pessoas sentimos uma grande vontade de “Rasgar o verbo” e dar nelas uma boa sacudida para que acordem e comecem a viver o verdadeiro cristianismo. Eis aí os “pequeninos” que Jesus fala nesse evangelho, e que ás vezes, por causa de uma palavra mais “dura” de nossa parte ou das nossas lideranças, ficam aborrecidas e se afastam da comunidade, perdendo o pouquinho de Fé que tinham.

Contra eles temos muitas vezes gestos bruscos com nossos membros, olhares maliciosos e irônicos, e assim os conduzimos ao pecado da “ruptura”, perdendo a oportunidade de amá-los, acolhê-los e os aproximarem-se mais de Cristo Jesus, incentivando-os a permanecerem na comunidade e a crescerem cada vez mais na Fé. Agora já sabemos quem são os “pequeninos” da comunidade e como o Senhor quer que os tratemos. Eles estão lá nas assembleias de Casamentos e Batizados, ou mesmo em nossas pastorais e movimentos. São pequenos na Fé, talvez, mas nutrem amor pelo Cristo e cabe a nós fazer com que cresçam e se tornem maduros na Fé. É o desafio que Jesus hoje nos lança…

(Diác. José da Cruz).

(14) – “NÃO DESISTA”, “ESTOU AQUI”.

Jesus quer salvar o povo que a Ele pertence porque o Pai o deu a Ele e conta com todos nós que nos propomos a segui-Lo. O exemplo dos apóstolos nos dá direção para que a nossa fé na intervenção de Deus nunca esmoreça, quando nos dispusermos a cumprir com a nossa missão. A certeza de que Ele está conosco, e que, ninguém poderá nos fazer mal algum, é o que nos motiva a ir à procura do povo numeroso que ainda não O conhece e a quem Ele quer tocar por meio de nós. Todavia, as nossas conveniências, os nossos melindres, os nossos medos nos empurram para longe da vontade do Senhor, mas a Sua voz clama no nosso pensamento: “não desista”, “estou aqui”, “continua, eu te fortaleço, eu te sustento”. “Porque eu estou contigo”! É esta a garantia que o Senhor nos dá para enfrentarmos as dificuldades da nossa vida e da nossa caminhada espiritual. Muitas vezes queremos parar de falar, não queremos mais nos importar com as coisas, queremos desistir, mas o Senhor não nos deixa desanimar: “Ninguém te porá a mão para fazer mal”! E o socorro do Senhor, muitas vezes, vem na hora em que nós nem estamos mais esperando e já nos sentimos derrotados.

– Você também já pensou em desistir diante das dificuldades da missão?

– Você permanece calado (a), quando as pessoas a sua volta zombam das coisas de Deus?

– Os comentários o (a) faz ficar mais fraco (a) ou mais firme na fé.

(Helena Serpa).

(14) – SE A TUA MÃO TE LEVA A PECAR, CORTA-A.

Mais uma vez Jesus jogou pesado. Foi claro, curto e grosso. Sem meias palavras Ele nos diz que temos de ser violentos conosco, para merecer a graça da salvação. Que temos de sermos puros para poder anunciar santamente a sua mensagem aos demais.

“Se tua mão te leva a pecar, corta-a! É melhor entrar na Vida sem uma das mãos, do que, tendo as duas, ir para o inferno…”.

Ao ler estas palavras de Jesus, a primeira coisa que pensamos é nos pecados sexuais. Porém, além deles, podemos pecar de várias maneiras com as mãos. Um gesto ao irmão, um tapa, um soco, pegar ou tirar as coisas dos outros com as mãos, muitas coisas podemos fazer contra o irmão e contra Deus com as nossas mãos, o que pode nos conduzir para o fogo que nunca se apaga.

“Se teu pé te leva a pecar, corta-o! É melhor entrar na Vida sem um dos pés, do que, tendo os dois, ser jogado no inferno.”

Também aqui podemos pensar no como podemos pecar com os pés, e logo imaginamos um chute no irmão. Mas os nossos pés podem nos levar por caminhos ou a lugares onde pecamos e nos afastamos do verdadeiro caminho anunciado por Jesus, nos tornando merecedores do inferno.

“Se teu olho te leva a pecar, arranca-o! É melhor entrar no Reino de Deus com um olho só, do que, tendo os dois, ser jogado no inferno…”

Pecar com os olhos?

Como?

próprio Jesus o disse: “Toda vez em que olhares uma mulher desejando-a, já cometestes adultério com ela em tua mente”.

Mas na verdade, existem muitas outras maneiras de se pecar com os olhos, O amor entra pelos olhos, amor que pode não ser amor mais sim pura atração proibida, portanto, pecado. Por outro lado, o ódio também entra pelos olhos. Existem situações no relacionamento humano nas quais falamos muito mais com o olhar do que com os lábios. Por isso os nossos olhos podem ser causa de muitos pecados que nos condenará ao fogo eterno!

Finalmente Jesus nos compara com o sal dizendo: Coisa boa é o sal. Mas se o sal se tornar insosso, com que lhe restituireis o tempero?

nossa tarefa é de salgar o mundo. O sal não somente tempera os alimentos, mas tem o poder de afastar os germes fungos e bactérias que destruirão a carne. Exemplo disso é o bacalhau, a carne de sol, ou carne seca que mesmo sem estar na geladeira não estraga por causa da presença do sal. Se você se cortar quando estiver tomando banho de mar, o sal da água não permite a infecção. Se um pedaço de madeira ou um espinho penetrar no seu pé, coloque sal que ele além de impedir a infecção, irá puxar o elemento estranho par fora facilitando a sua retirada com uma pinça horas depois.

É por isso que Jesus disse que somos o sal da terra e que por isso devemos estar puros senão não poderemos cumprir a nossa missão.

Rezemos pedindo a Jesus que nos dê forças para não pecar com os nossos membros. Pois o nosso corpo é o templo do Espírito Santo. Amém.

(José Salviano).

(14) – A RECOMPENSA DE DEUS.

A liturgia de hoje nos fala de misericórdia e cólera, de paciência e de justiça. Não podemos nos valer da misericórdia do Senhor para nos instalarmos no pecado. A misericórdia do Senhor se propõe a nos tirar da miséria a que o pecado nos submete para assumirmos uma nova postura diante da vida. Por isso, não podemos querer nos atolar na lama, uma vez que tenhamos o coração purificado pela misericórdia de Deus. Quando o Senhor nos perdoa, também nos dá a chance de subirmos mais para o alto e para que isso aconteça, Ele cura as nossas feridas. As marcas que ficam em nós são como exemplos para que não queiramos mais cair e nos ferir. Com efeito, o Senhor sempre quer nos reconstruir, todavia, mesmo sendo indulgente conosco, Ele saberá nos castigar com a vara da justiça, com o intuito de nos conscientizar da nossa rebeldia. Portanto, aproveitemos o tempo de hoje, para pedir perdão ao Senhor por toda ingratidão, hipocrisia, falsidade, infidelidade, injustiça e omissão e nos entreguemos a Ele a fim de que faça em nós uma restauração completa do nosso ser por inteiro.

– Você se apoia na misericórdia de Deus para continuar pecando?

– Você faz propósitos de não mais pecar?

– Você reconhece que precisa sempre de restauração?

– Você aceita a correção do Senhor?

Salmo 1 – “É feliz quem a Deus confia”

Aquele que confia a sua vida a Deus e tem prazer em viver conforme a Sua vontade, será feliz e terá sucesso na sua missão aqui na terra. O salmista compara os que assim procedem, com uma árvore que foi plantada às margens do rio, por isso, terá água em abundância, para dar frutos no tempo certo. Toda vegetação que é plantada perto de um rio é sempre verde, viçosa e bela. Ao contrário, aquele que está longe de Deus tem a sua vida empobrecida, por isso, não dá frutos que possam alimentar o mundo.

Evangelho – Marcos 9, 41-50 – “a recompensa de Deus”

Seremos recompensados por tudo o que fizermos em função de Jesus, mesmo que seja o menor gesto ou a ação mais simples, como dar um copo d’água. Da mesma forma, se formos pedra de tropeço na caminhada de alguém que procura Deus, seremos condenados, mesmo estejamos a serviço do reino. Consequentemente é pelo nosso testemunho de vida que nós receberemos a recompensa ou a condenação de Deus. Neste Evangelho Jesus nos exorta a cortarmos radicalmente toda e qualquer motivação que nos direcione ao pecado. Assim, Ele nos fala de cortar a mão, o pé, o olho, como figuras que simbolizam o que fazemos, aonde vamos e a nossa maneira de ver as realidades do mundo. Será muito melhor cortarmos, os agentes que nos levam ao pecado, do que perdermos definitivamente o nosso lugar no reino dos céus. As nossas ações, vão nortear o nosso destino final, por isso, a mão, o pé, o olho, significam aqui as nossas atitudes de agir, de ir, de olhar = concupiscências que nos arrastam para o pecado que é o mal que nos leva à morte eterna, isto é, ao inferno. O reino dos céus já começa aqui e para que o experimentemos e vivamos em sintonia com Deus, nós temos que cortar tudo o que nos separa do Seu amor divino e paternal. Por último Jesus fala para que nós tenhamos sal em nós mesmos: que tenhamos amor, zelo, gosto, fervor, piedade, ação, porque assim damos vida nova ao mundo.

– A sua maneira de olhar as coisas, de falar, de agir o têm levado para uma vida boa ou má?

– Você tem aproveitado as pequenas oportunidades para expressar no mundo o amor que recebe de Deus?

– Você ainda está esperando por grandes acontecimentos para sentir-se convocado a pregar as coisas simples da vida?

(Helena Colares Serpa).

(15) – REFLEXÃO.

É muito comum ouvirmos que isso ou aquilo é escandaloso e, normalmente, quando isso acontece, o fato está relacionado com questões de sexualidade. O escândalo é muito mais do que isso. Dar escândalo significa ser ocasião de pecado para as outras pessoas, independentemente da natureza ou da forma do pecado. Jesus nos mostra no Evangelho de hoje a importância que devemos dar para os nossos atos, para que eles sejam testemunho da nossa adesão ao Reino de Deus e não uma negação da nossa adesão que tenha como consequência o afastamento das pessoas. Não podemos nos esquecer de que a nossa fidelidade a Jesus no nosso dia a dia é a nossa grande arma no trabalho evangelizador.

(CNBB).

 

(20) – SE O SAL PERDE A FORÇA…

Belo símbolo é o sal! De começo, trata-se de um dom de Deus. Encontra-se livre na natureza ou diluído nas águas do mar. Não é algo que o homem “produza”, mas apenas recolhe (como o maná, pois não?).

sal é poderoso conservante. Já no livro do Levítico, ordena-se que as vítimas consagradas a Deus devam ser salgadas, para que não se corrompam (Lv 2,13). Nos tempos antigos, todo o trabalho dos pescadores de alto mar seria inútil, se o pescado não fosse salgado antes de voltarem ao porto.

sal acentua o sabor dos alimentos, evita que a comida fique “desenxabida”, insossa. No entanto, ele é usado na cozinha em pequenas porções e permanece oculto nos alimentos. Mas, se faltar, logo se percebe.

Jesus Cristo deve ter pensado nesta espécie de “presença”, ao comparar seus discípulos com o sal: “Vós sois o sal da terra”. Aquele que acolhe a Boa Nova do Evangelho e passa a irradiar o amor à volta, age como as virtudes do sal: preserva, dá gosto à vida. Mas sempre há um risco: perder a força, perder a capacidade de agir na massa e dar-lhe sabor e sobrevida. É quando o sal se torna inútil, ineficaz, e acaba lançado fora…

Os ativistas que, muitas vezes, consideram a oração, o silêncio e a adoração como “perda de tempo”, devem recordar que é exatamente esse “tempo perdido” que nos permite continuar ativos como o sal; sem ele, nos desvirtuamos e já não temos a capacidade de agir na massa. Madre Teresa de Calcutá não permitia que suas filhas fossem aos pobres antes de passar uma boa hora diante do Santíssimo Sacramento, sorvendo diretamente do Senhor aquele amor que, por si mesmas, não teriam para distribuir. O próprio Papa João Paulo II, envolvido em frenética atividade em todos os quadrantes do planeta, passava suas madrugadas em oração, diante do sacrário.

Nós, leigos, temos no mundo o nosso campo de ação: “Os fiéis leigos vivem no século, isto é, empenhados em toda e qualquer ocupação e atividade terrena e nas condições ordinárias da vida familiar e social, com as quais é como que tecida a sua existência. Os fiéis leigos são pessoas que vivem a vida normal no mundo, estudam, trabalham, estabelecem relações amigáveis, sociais, profissionais, culturais etc.” (Christifideles Laici, 15.) Este é o nosso campo de ação.

Sou sal?

Minha presença faz o mundo melhor?

Orai sem cessar: “Eu te amo, Senhor, minha força!” (Sl 17, 2).

(Antônio Carlos Santini).

 

(24) – QUEM VOS DER UM COPO DE ÁGUA PARA BEBER PORQUE SOIS DE CRISTO, NÃO FICARÁ SEM RECEBER A SUA RECOMPENSA.

Hoje, o Evangelho proclamado é difícil de ser compreendido pela dureza das palavras de Jesus: “Se tua Mão te leva à queda, corta-a! (…). Se teu olho te leva à queda, arranca-o!” (Mc 9,43.47). É que Jesus é muito exigente com aqueles que somos seus seguidores. Simplesmente, Jesus nos diz que temos de saber renunciar às coisas que nos fazem mal, ainda que sejam coisas que gostamos muito, mas que podem ser motivo de pecado e de vicio. São Gregório deixou escrito “que não temos de desejar as coisas que só nos satisfazem as necessidades materiais e pecaminosas”. Jesus exige que sejamos radicais. Em outro trecho do Evangelho também diz: “Quem buscar sua vida a perderá, e quem perder sua vida por causa de mim a encontrará” (Mt 10,39).

Por outro lado, esta exigência de Jesus quer ser uma exigência de amor e crescimento. Não quedaremos sem a sua recompensa. O que dará sentido às nossas coisas tem de ser sempre o amor: temos de aprender a dar um copo de água a quem o necessita, e não por interesse pessoal, senão por amor. Temos que descobrir Jesus Cristo nos mais necessitados e pobres. Jesus só denuncia severamente e condena aos que fazem mal e escandalizam e aos que afastam os pequenos do bem e da graça de Deus.

Finalmente, todos temos de passar a prova do fogo. É o fogo da caridade e do amor que purifica os nossos pecados, para poder ser o sal que dá bom gosto ao amor, ao serviço e à caridade. Na oração e na Eucaristia é onde os cristãos encontramos a força da fé e o bom gosto do sal de Cristo. Não ficaremos sem recompensa!

(Rev. D. Xavier PARÉS i Saltor (La Seu d’Urgell, Lleida, Espanha)).

 

CELEBRAÇÃO DE HOJE:

7ª SEMANA COMUM (VERDE – OFÍCIO DO DIA).

MONIÇÕES:

MONIÇÃO AMBIENTAL OU COMENTÁRIO INICIAL:

– 1ª: Periódico Deus Conosco; – 2ª: Periódico Liturgia Diária.

– 1ª:

Há um mal que precisa ser cortado pela raiz: o desejo e a busca de poder e de privilégios. Para o cristão verdadeiro a vida tem sentido na fraternidade e na comunhão entre os irmãos. Os pequeninos do Reino são os excluídos que esperam uma sociedade fundada nos princípios do Evangelho. Por isso, Jesus nos lembra que é melhor não possuir nada e ir para o céu, em vez de ter tudo e perder-se: “É melhor entra na Vida sem uma das mãos, do que, tendo as duas, ir para o inferno”.

MONIÇÃO PARA A(S) LEITURA(S) E O SALMO:

– 1ª: Periódico Deus Conosco; – 2ª: Periódico Liturgia Diária.

– 1ª:

A simplicidade, a pobreza, o desprendimento e o espírito de serviço são próprios de quem ama verdadeiramente e busca sua conversão. Deste modo, a pessoa se deixa conduzir pelo ensinamento do Evangelho, e não por seus desejos e ideias que não a levam à paz e à salvação. Escutemos.

MONIÇÃO PARA O EVANGELHO.

— Aleluia, aleluia, aleluia.

— Aleluia, aleluia, aleluia.

— Acolhei a palavra de Deus, não como palavra humana, mas como mensagem de Deus, o que ela é, em verdade. (1Ts 3,13).

ANTÍFONAS:

Antífona da entrada.

Confiei, Senhor, na vossa misericórdia; meu coração exulta porque me salvais. Cantarei ao Senhor pelo bem que me fez (Sl 12,6).

Antífona da comunhão.

Senhor, de coração vos darei graças, as vossas maravilhas narrarei! Em vós exultarei de alegria, cantarei ao vosso nome, Deus altíssimo! (Sl 9,2s).

ORAÇÕES DO DIA:

Oração do dia ou Oração da coleta.

Concedei, ó Deus todo-poderoso, que, procurando conhecer sempre o que é reto, realizemos vossa vontade em nossas palavras e ações. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

 

Oração sobre as oferendas.

Ao celebrar com reverência vossos mistérios, nós vos suplicamos, ó Deus, que os dons oferecidos em vossa honra sejam úteis à nossa salvação. Por Cristo, nosso Senhor.

Oração depois da comunhão.

Ó Deus todo-poderoso, concedei-nos alcançar a salvação eterna, cujo penhor recebemos neste sacramento. Por Cristo, nosso Senhor.

FONTES DE CONSULTAS E PESQUISAS:

Vamos expor a seguir de onde pertencem os textos que nos preenchem todos os dias, nos dando um caminho com mais sabedoria, simplicidade e amor.

FONTE PRINCIPAL DE PESQUISA E INSPIRAÇÃO

bc3adblia1

REFLITA:

O importante não é a pessoa que escreve, mas quem foi que inspirou essa pessoa a escrever.

O importante não é como se lê o que está escrito, mas como se age.

O importante não é sentar-se à direita ou a esquerda do Pai, mas sim, realizar o trabalho que Ele nos pede.

Ter conhecimento não é ter sabedoria, sabedoria é saber compartilhar o conhecimento.

(0) – Blog Liturgia Diária da Palavra de Deus (Reflexões e Comentários);

(1) – Periódico Mensal: Liturgia Diária (Editoras Paulinas e Paulus);

(2) – Periódico Mensal: Deus Conosco (Editora Santuário);

(3) – Portal Editora Santuário;

(4) – Portal Editora Paulinas;

(5) – Portal Editora Paulus;

(6) – Portal e Blog Canção Nova;

(7) – Portal Dom Total;

(8) – Portal Católica Net;

(9) – Portal Católico Orante;

(10) – Portal Edições Loyola Jesuítas;

(11) – Portal de Catequese Católica;

(12) – Portal Evangelho Quotidiano;

(13) – Blog Homilia Dominical;

(14) – Blog Liturgia Diária Comentada;

(15) – Portal CNBB (A Palavra de Deus na Vida);

(16) – Portal Catequisar: Catequese Católica;

(17) – Portal Universo Católico;

(18) – Portal Paróquia São Jorge Mártir;

(19) – Portal Catedral FM 106,7;

(20) – Portal Comunidade Católica Nova Aliança;

(21) – Portal Comunidade Resgate;

(22) – Portal Fraternidade O Caminho;

(23) – Portal Católico na Net;

(24) – Portal Evangeli.net;

(25) – Portal Padre Marcelo Rossi;

(26) – Portal Grupo de Oração Sopro de Vida;

(27) – Portal NPD Brasil.

MINHA MENSAGEM PESSOAL PARA MIM MESMO.

Mais vale o desconforto da VERDADE, do que a comodidade da MENTIRA.

E usando a essência da Oração da Serenidade, devo orar:

Ó meu Deus e Senhor, Pai de misericórdia e Salvação,

que em seu Filho Jesus perdoou os nossos pecados,

e com o seu Santo Espírito, paráclito nesse nosso mundo que caminha conosco,

apenas em Ti posso almejar a vida eterna, socorre-me e ouvi-me:

Se o ERRO está em mim, que DEUS possa me dar a HUMILDADE de aceitar que estou errado.

Que Jesus me dê a SERENIDADE, para aceitar que tem coisas que não posso mudar.

E que o Espírito Santo me dê a CORAGEM, suficiente para mudar aquelas coisas que dependem de mim, mesmo que sejam difíceis.

E para complementar os alicerces de orações da minha vida, faço como o santo Tomás de Aquino:

“Concede-me, Deus misericordioso, que deseje com ardor o que tu aprovas, que o procure com prudência, que o reconheça em verdade, que o cumpra na perfeição, para louvor e glória do teu nome.

Põe ordem na minha vida, ó meu Deus, e permite-me que conheça o que tu queres que eu faça, concede-me que o cumpra como é necessário e como é útil para a minha alma.

Concede-me, Senhor meu Deus, que não me perca no meio da prosperidade nem da adversidade; não deixes que a adversidade me deprima, nem que a prosperidade me exalte.

Que nada me alegre ou me entristeça para além do que conduz a ti.”

Viver CORRETO e falar a VERDADE hoje são tão difíceis quanto na época de Jesus, pois é muito mais fácil aceitar a MENTIRA e fazer o ERRADO.

Viver no CAMINHO, VERDADE E VIDA, que é o próprio Cristo Jesus, tem que ser uma caminhada diária.

O futuro é desejo e pensamento.

O passado é aprendizado e lembrança.

O hoje é realidade, isso quer dizer: CRISTO.

Meus amigos(as) de coração, meus irmãos(ãs) em Cristo Jesus, lembrem-se:

“Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas.”

“Não julgues para não seres julgados.”

“A quem é muito dado, muito será cobrado.”

–>

Anúncios
Esse post foi publicado em Religião. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s