Liturgia Diária 29/MAI/13

 

LEITURA DIÁRIA DA PALAVRA — 29/MAI/2013 (quarta-feira)

LEITURAS:

Leitura retirada do Livro do Eclesiástico (Eclo 36,1-2a.5-6.13-19).

Leitura do Livro do Eclesiástico.

1 Tende piedade de nós, Senhor, Deus do mundo inteiro, e olhai! Mostrai-nos a luz do vosso amor. 2a Infundi o vosso temor em todos os povos que não vos procuram, para que saibam que não há outro Deus senão vós. 5 Que eles vos reconheçam, como nós reconhecemos, que não há Deus além de vós, Senhor. 6 Fazei novos milagres, renovai os prodígios. 13 Reuni as tribos todas de Jacó, e dai-lhes a herança como no tempo antigo. 14 Tende piedade do povo chamado pelo vosso nome, e de Israel, a quem tratastes como primogênito. 15 Compadecei-vos de vossa santa cidade de Jerusalém, lugar de vossa morada. 16 Enchei Sião de vossa majestade, e de vossa glória o templo. 17 Dai testemunho daqueles que, desde o início, são vossas criaturas, realizai o que os profetas em vosso nome disseram. 18 Dai a recompensa àqueles que esperam em vós, mostrai que os vossos profetas tinham razão. Escutai, Senhor, a oração dos vossos servos, 19 pela benevolência que tendes para com vosso povo, conduzi-nos no caminho da justiça, e que o mundo inteiro reconheça que vós sois o Senhor, o Deus de todos os tempos.

— Palavra do Senhor.

— Graças a Deus!

Salmo retirado do Livro dos Salmos (Sl 78,8. 9. 11. 13 (R. Eclo 36,1b)).

— Eclo 36,1b Tende compaixão e olhai por nós, Senhor!

Eclo 36,1b Tende compaixão e olhai por nós, Senhor!

— Não lembreis as nossas culpas do passado, mas venha logo sobre nós vossa bondade, pois estamos humilhados em extremo.

— Ajudai-nos, nosso Deus e Salvador! Por vosso nome e vossa glória, libertai-nos! / Por vosso nome, perdoai nossos pecados!

— 11 Até vós chegue o gemido dos cativos: libertai com vosso braço poderoso / os que foram condenados a morrer!

— 13 Quanto a nós, vosso rebanho e vosso povo, celebraremos vosso nome para sempre, de geração em geração vos louvaremos.

Leitura retirada do Livro do Evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos (Mc 10,32-45).

Lc 10,32-45 (Tiago e João, uma direita e o outro a esquerda)

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos.

— Glória a vós, Senhor!

Naquele tempo, 32 os discípulos estavam a caminho, subindo para Jerusalém. Jesus ia na frente. Os discípulos estavam espantados, e aqueles que iam atrás estavam com. medo. Jesus chamou de novo os Doze à parte e começou a dizer-lhes o que estava para acontecer com ele: 33 “Eis que estamos subindo para Jerusalém, e o Filho do Homem vai ser entregue aos sumos sacerdotes e aos doutores da Lei. Eles o condenarão à morte e o entregarão aos pagãos. 34 Vão zombar dele, cuspir nele, vão torturá-lo e matá-lo. E depois de três dias ele ressuscitará”. 35 Tiago e João, filhos de Zebedeu, foram a Jesus e lhe disseram: “Mestre, queremos que faças por nós o que vamos pedir”. 36 Ele perguntou: “Que quereis que eu vos faça?” 37 Eles responderam: “Deixa-nos sentar um à tua direita e outro à tua esquerda, quando estiveres na tua glória!” 38 Jesus então lhes disse: ‘Vos não sabeis o que pedis. Por acaso podeis beber o cálice que eu vou beber? Podeis ser batizados com o batismo com que vou ser batizado?” 39 Eles responderam: “Podemos”. E ele lhes disse: “Vós bebereis o cálice que eu devo beber e sereis batizados com o batismo com que eu devo ser batizado. 40 Mas não depende de mim conceder o lugar à minha direita ou à minha esquerda. E para aqueles a quem foi reservado”. 41 Quando os outros dez discípulos ouviram isso, indignaram-se com Tiago e João, 42 Jesus os chamou e disse: “Vós sabeis que os chefes das nações as oprimem e os grandes as tiranizam. 43 Mas, entre vós, não deve ser assim: quem quiser ser grande seja vosso servo: 44 e quem quiser ser o primeiro seja o escravo de todos. 45 Porque o Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida como resgate para muitos.”

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor!

LEITURA ORANTE:

… Oração Inicial… (querer).

A nós, a paz de Deus, nosso Pai, a graça e a alegria de Nosso Senhor Jesus Cristo, no amor e na comunhão do Espírito Santo.

– Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo!

Preparo-me para a Leitura, rezando:

Jesus, Sois o Mestre e a Verdade: iluminai-nos, para que melhor compreendamos as Sagradas Escrituras.

Sois o Guia e o Caminho: fazei-nos dóceis ao vosso seguimento.

Sois a Vida: transformai nosso coração em terra boa, onde a Palavra de Deus produza frutos abundantes de santidade e missão.

(Bv. Alberione).

… Eu sou o CAMINHO… (ler…).

O que diz o texto do dia?

Leio atentamente, na Bíblia, o texto: Mc 10,35-45, e observo pessoas, palavras, relações, lugares.

Tiago e João pedem a Jesus um favor. Um favor pretensioso: queriam sentar-se à direita e à esquerda do Mestre no Reino glorioso. Os filhos de Zebedeu sonham com honrarias, poder, destaque. Querem estar acima dos demais apóstolos. E Jesus lhes diz mais uma vez que seu Reino não é este que eles sonham. É um Reino onde quem quer ser mais importante serve os demais e quem quer ser o primeiro deve se tornar escravo dos outros. A comunidade do Mestre rege-se por critérios e atitudes opostas aos critérios do mundo. A ambição e o desejo de ser o melhor e o maior são substituídos pelo espírito de serviço. Não no sentido de que o serviço é exercido para obter o primeiro lugar, mas no sentido de que no serviço reside a dignidade. A referência ao cálice e ao batismo pode ser interpretada como a Eucaristia e o batismo como participação no mistério pascal de Cristo. O Mestre convida Tiago e João a reverem seu pedido a partir de uma revisão da mentalidade. E a assumirem os critérios do Reino.

… a VERDADE… (refletir e meditar…).

O que o texto diz para mim, hoje?

Minha vida reflete as atitudes de Tiago e João?

meu Projeto de vida traz os critérios do Mestre Jesus Cristo?

Os bispos da América Latina me animam: “Conhecer a Jesus Cristo pela fé é nossa alegria; segui-lo é uma graça, e transmitir este tesouro aos demais é uma tarefa que o Senhor, ao nos chamar e nos eleger, nos confiou” (DAp 18).

… e a VIDA… (orar…).

O que o texto me leva a dizer a Deus?

Rezo com o bem-aventurado Alberione:

Jesus Mestre, disseste que a vida eterna consiste em conhecer a ti e ao Pai. Derrama sobre nós, a abundância do Espírito Santo!

Que ele nos ilumine, guie e fortaleça no teu seguimento, porque és o único caminho para o Pai.

Faze-nos crescer no teu amor, para que sejamos, como o apóstolo Paulo testemunhas vivas do teu Evangelho.

Com Maria, Mãe Mestra e Rainha dos Apóstolos, guardaremos tua Palavra, meditando-a no coração.

Jesus Mestre, Caminho, Verdade e Vida, tem piedade de nós.

Qual deve ser a MISSÃO em minha VIDA hoje? (contemplar e agir…).

Qual meu novo olhar a partir da Palavra?

Vou olhar o mundo e a vida com os olhos do Mestre. Vou eliminar do meu modo de pensar e agir aquilo que não vem de Deus, que não é conforme os critérios de Jesus Mestre.

REFLEXÕES:

(4) – O MEDO É FALTA DE FÉ.

Jesus caminha subindo pra Jerusalém, para a sua morte, sua entrega definitiva; caminha decididamente. Os discípulos, por sua vez, iam com medo (v. 32). O medo é falta de fé.

Trata-se do terceiro anuncio da paixão, morte e ressurreição. Cada um dos anúncios provoca uma reação dos discípulos, fruto de sua incompreensão. Aqui são os filhos de Zebedeu, Tiago e João. Querem garantir seu lugar, não qualquer lugar, mas posto de privilégio “na glória”.

Pelos lugares postulados, à direita e à esquerda, querem ainda participar do julgamento de todo o mundo. Ora, o caminho do discípulo é o caminho do Mestre – pois o “discípulo não é maior que o Mestre, basta ser como o Mestre” (Mt 10,24-25). É preciso participação efetiva e afetiva na paixão-morte de Jesus: “Podeis beber o cálice que eu vou beber? Ou ser batizado com o batismo com o qual eu serei batizado?” (v. 38). Essa é a decisão que importa: “Podemos” (v. 39).

É Deus quem dá a recompensa. Aos discípulos compete a tarefa de construírem uma comunidade de serviço gratuito e generoso, à imitação de Jesus, que “não veio para ser servido, mas para servir e dar a vida em resgate de muitos” (v. 45).

(Carlos Alberto Contieri).

(6) – BUSQUE TÃO SOMENTE O RECONHECIMENTO DO SENHOR.

O discípulo de Deus é aquele que não busca reconhecimentos, aplausos nem a valorização dos homens; muito pelo contrário, ele busca o reconhecimento do Senhor, de fazer a vontade d’Ele na sua vida.

Jesus os chamou e lhes disse: “Mas, entre vós, não deve ser assim: quem quiser ser grande, seja vosso servo; e quem quiser ser o primeiro, seja o escravo de todos” (Mc 10,43-44).

Na escola de Jesus, as pessoas buscam os primeiros lugares, buscam o favorecimento, o reconhecimento, a valorização, buscam aparecer mais do que as outras.

No Reino de Deus, muitas vezes, existem competições. Os discípulos estão pedindo a Jesus para se sentarem à Sua direita e outros à Sua esquerda. Pedindo ao Senhor um lugar mais privilegiado ao Seu lado, percebemos que todos nós gostamos de reconhecimento, de sermos favorecidos em detrimento de outros. A mensagem do Evangelho é a mensagem da humildade.

Muitas vezes, somos desprezados, deixados de lado por causa do nome do Senhor, e é por isso que temos de continuar firmes, porque o Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir.

Todas as vezes que nos desprezarem, saibamos que estamos no lugar certo. O discípulo de Deus é aquele que não busca reconhecimentos, aplausos nem a valorização dos homens; muito pelo contrário, ele busca o reconhecimento do Senhor, de fazer a vontade d’Ele na sua vida, nem que para isso precise ser desprezado, não amado, não reconhecido.

Permaneça firme, meu filho, no serviço a Deus e no amor a Nosso Senhor Jesus Cristo.

Deus abençoe você!

(Pe. Roger Araújo).

(7) – O PEDIDO INCONSIDERADO.

Quanto mais os discípulos se aproximavam de Jerusalém, onde Jesus haveria de morrer e ressuscitar, tanto mais nutriam esperanças equivocadas a seu respeito. Uma falsa expectativa consistia em identificar Jesus com o Messias davídico, que estava para realizar a esperança popular de restauração do reino de Israel. Não lhes parecia haver mal algum em garantir logo os primeiros lugares na corte do futuro rei.

Jesus questionou esta mentalidade mundana descrevendo o Messias como servo e não como senhor, deslocando o eixo de sua ação da autoridade para o serviço. Os grandes do mundo fazem questão de impor-se sobre os demais e serem tratados como senhores. Eles se comportam como se fossem proprietários das pessoas, exigindo-lhes submissão. No contexto do Reino, as coisas se passam de forma muito diversa, revertendo os esquemas do mundo. Nele, a grandeza consiste em fazer-se servidor de todos e o ocupante do primeiro lugar será quem se predispuser a ser submisso a todos. Por conseguinte, quem é grande no Reino não coisifica seu semelhante. Ele vê no outro um irmão a quem é chamado a servir, com disponibilidade e generosidade.

vida de Jesus, o Filho do Homem, ilustra seu ensinamento. Toda ela se definiu como serviço à humanidade, para resgatá-la do pecado. Ele não veio para ser servido.

Oração: Senhor Jesus, livra-me da ambição humana de grandezas e faz de mim um servidor de todos.

(Pe. Jaldemir Vitório).

(10) – BOA NOVA PARA CADA DIA.

O Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir e dar sua vida como resgate para muitos (Mc 10,45).

Neste Evangelho, Jesus começara advertindo os discípulos para o que enfrentariam com sua prisão, julgamento e morte por decisão dos sumos sacerdotes. Para Jesus era uma questão muito dolorosa e séria. Ele esperava que os discípulos se dessem conta da gravidade do momento.

No entanto, Tiago e João lhe pedem o privilégio de se sentarem ao lado do trono de Jesus mais tarde. Jesus com muita paciência os corrige e aproveita a ocasião para dar a lição: Ele mesmo não veio para ser servido, mas para servir.

Por que os discípulos desejariam glória e poder?

Mais uma vez vemos como os discípulos pareciam ser pessoas rudes e ambiciosas, mas se transformarão depois que Jesus morrer, ressuscitar e enviar Seu Espírito. No dia de Pentecostes, eles serão transformados pelos dons do Espírito Santo. Então, passarão a dar a própria vida pelo Evangelho. Assim, Tiago será São Tiago e João, São João, filhos de Zebedeu. Os dois deram a vida por Jesus.

(Pe. Valdir Marques).

(12) – O FILHO DO HOMEM VEIO PARA DAR A SUA VIDA.

O Senhor eterno dignou-Se apresentar-Se a nós primeiro como um menino pequeno num estábulo, depois como simples operário numa carpintaria, mais tarde como um criminoso que expirou num patíbulo e, por fim, como pão num altar.

Numerosos aspectos, aspectos intencionais de Jesus, aspectos que só tiveram um efeito: o de mostrar o amor que Ele nos tem.

Ah, Senhor, poderás ainda inventar mais alguma coisa para fazer com que Te amemos?

profeta Isaías clamava: “Anunciai as suas obras entre os povos; proclamai que o seu nome é excelso” (Is 12,4). Almas resgatadas dai a conhecer em todo o lado as obras de amor desse Deus cheio de amor. Ele concebeu-as e realizou-as para ser amado por todos os homens, Ele que, depois de os ter cumulado de benfeitorias, Se deu a Si próprio, e de tantos modos!

“Doente ou ferido, queres curar-te? Jesus é o médico”: Ele cura-te com o seu sangue. Ardes em febre? Ele é a fonte refrescante. Estás atormentado pelas paixões e tribulações do mundo? Ele é a fonte das consolações espirituais e do verdadeiro alento. “Tens medo da morte? Ele é a vida. Aspiras ao céu? Ele é o caminho” (cf. Jo 14,6): assim falava santo Ambrósio. Jesus Cristo não apenas Se deu a todos os homens em geral; Ele quer dar-Se a cada um em particular. É por isso que São Paulo diz: “Ele me amou e a Si mesmo Se entregou por mim” (Ga 2,20). E São João Crisóstomo afirma: “Deus ama cada um de nós tanto como toda a humanidade.” Assim sendo, meu querido irmão, se não houvesse mais ninguém no mundo, o divino Redentor teria vindo e dado o seu sangue e a sua vida só por ti.

(Santo Afonso-Maria de Ligório (1696-1787), bispo, doutor da Igreja – 6º Discurso para a novena de Natal).

(14) – PODEIS BEBER O CÁLICE QUE EU VOU BEBER?

Na visão do mundo, ser grande, é possuir bens, é ter poder, fama, enquanto que para Deus, ser grande é tornar-se pequeno, é ser um servidor do Reino!

Jesus quer salvar a humanidade por inteira, por isto Ele conta com a nossa disposição, com o nosso serviço na construção de um mundo melhor! Ser indiferente a este anseio de Jesus, é rejeitar o projeto de Deus!

Com a sua vida, Jesus nos ensina que a vida de um seu seguidor, deve ser marcada pela vida de comunhão, de humildade e de serviço, Ele mesmo nos deu este exemplo, ao se inclinar para lavar os pés dos apóstolos.

Como seguidores de Jesus, não podemos nos contentar com o que já estamos fazendo, pois se estamos com Ele, podemos fazer muito mais ainda!

Descobrimos o verdadeiro sentido do nosso existir, quando tomamos gosto de nos entregar ao amor serviço, sem espera de recompensa, pois não se busca recompensa, daquilo que se faz por amor!

grande recompensa que teremos de fato, pelos serviços prestados na construção do Reino de Deus aqui na terra, é a alegria de sermos acolhidos pelo Pai.

evangelho que a liturgia de hoje nos apresenta, nos convida a pautar a nossa vida no exemplo de Jesus, o grande missionário do Pai, que mesmo sendo Deus, se pôs a serviço de todos!

“Sendo Ele de condição divina, não se prevaleceu de sua igualdade com Deus, mas aniquilou-se a si mesmo, assumindo a condição de escravo” (Fl 2, 6-7).

“O Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida como resgate para muitos” (Mc 10,45).

texto nos adverte, sobre o risco que corremos quando estamos voltados somente para os nossos interesses, como os dois irmãos citados no evangelho. Quando deixamos nos levar pelos interesses pessoais, cresce em nós a vaidade, o egoísmo a ganância, grandes inimigos que nos distanciam de Deus. Fechados no nosso “eu”, não enxergamos as necessidades do outro, não abrirmos à partilha, portanto, não vivemos o mandamento Maior: o mandamento do amor!

Ao contrário dos filhos de Zebedeu, devemos assumir a nossa missão sem esperar algo em troca. Nossa missão, deve se desenvolver em clima de gratuidade, humildade e desprendimento.

“Vocês podem beber o cálice que eu vou beber?”

Beber o cálice que Jesus bebeu, é não temer a cruz, é passar pelo sofrimento sem perder a fé. Podemos dizer que este é o grande desafio de um seguidor de Jesus!

Será que nós, comunidade de fé, bebemos o mesmo cálice, ou será que bebemos o cálice individual?

Será que somos tão individualistas a ponto de não querer beber o cálice do outro?

Ser batizado no sangue de Jesus, é passar pelo sofrimento na certeza da vitória, é sair das trevas para viver na luz!

Quem vive na simplicidade e na humildade, tem uma vida fecunda e plenamente realizada!

FIQUE NA PAZ DE JESUS!

(Olívia Coutinho).

(14) – O LUGAR QUE O PAI RESERVOU A CADA UM.

Os discípulos de Jesus não eram muito diferentes de nós que nos propomos também a segui-Lo por onde Ele for. Também nós, hoje, almejamos os lugares de honra, queremos ser reconhecidos, desejamos as benesses, no entanto, também não queremos beber o cálice que Ele bebeu. Enquanto tudo está bem somos os mais fiéis seguidores, mas falou em dificuldade, perseguição, sofrimentos, nós logo refugamos e queremos deixar o nosso corpo de fora. Os discípulos de Jesus também não entendiam o que Ele lhes falava, porque viam em Nele alguém que poderia facilitar as suas vidas e nem atentavam no fato de que pudesse passar por dificuldades. Nós também agimos assim, não nos importamos com os meios, queremos apenas receber de Deus a solução para os problemas os quais precisamos encarar. Jesus, então, nos dá consciência de como devemos assumir o papel de cristãos autênticos. Primeiramente, nos mostra que Ele, o Enviado de Deus, o Messias, o Mestre, também teve que enfrentar os desafios para cumprir a Sua missão. Depois, ele nos adverte e diz a cada um de nós que pretendemos galgar posição perto de Deus: “vós bebereis o cálice que eu devo beber e sereis batizados com o batismo com que eu devo ser batizado.” Mas o lugar que o Pai reservou a cada um cabe somente a Ele nos indicar. E o que mais vai chamar a atenção do Pai em nós é que sejamos parecidos com o Seu Filho Jesus o qual veio ao mundo não para ser servido, mas para servir e dar a sua vida por nós Jesus então nos diz: “Mas, entre vós não deve ser assim: quem quiser ser grande seja vosso servo e quem quiser ser o primeiro seja o escravo de todos”. O seguimento de Cristo implica em assumir a regra do amor ao próximo. Tudo por amor. O amar nos traz consequências que muitas vezes não desejamos, mas só assim, nós poderemos dizer que somos cristãos autênticos.

– Você quer ser grande?

– O que você entende por ser grande, segundo as palavras de Jesus?

– Você também ousa pedir a Jesus um lugar privilegiado?

– Você aceita pagar o ônus de ser o primeiro?

– Você acha que seguir a Jesus é fácil ou difícil?

– Você tem sido servido pelos outros ou tem servido aos outros?

(Helena Colares Serpa).

(14) – JESUS ANUNCIA A SUA MORTE.

Jesus anuncia a sua morte, e tudo o que lhe acontecerá.

porque Ele sabe o seu futuro?

Primeiro porque tudo faz parte do projeto do Pai que foi anunciado pelo Espírito Santo através das bocas dos profetas.

Segundo, Jesus sendo Deus, sabia tudo o que iria acontecer, até os pensamentos das pessoas em sua volta. Enxergava quilômetros na sua frente.

Em seguida, Jesus disse: “Se alguém quer vir após mim, renegue-se a si mesmo, tome cada dia a sua cruz e siga-me.”

Talvez seja esta afirmação de Jesus, o segundo motivo pelo qual os sacerdotes são celibatários. Negar a si mesmo. O primeiro motivo talvez seja porque Jesus disse. “Quem deixar mulheres e filhos para me seguir terá cem vezes mais nesta vida e mais a vida eterna, com direito a perseguições”; e o terceiro motivo dos padres não se casarem talvez seja pelo fato de Jesus não ter se casado. O sacerdote imitando a Cristo, não se casa.

Por favor, se estou errado, se não é exatamente isso, alguém que me corrija, mas me dê a resposta certa. Não faça somente critica. Apresente a solução.

“Tome cada dia a sua cruz …” Que dureza! Cada um de nós tem a sua cruz para carregar. É o cheiro da fumaça do cigarro do marido, é a sogra monopolizando a família, é a esposa reclamando de tudo e de todos que desarrumam a casa (mas ela está certa), é o cachorro do vizinho que não para de latir nos nossos ouvidos quando precisamos estudar, etc.

Temos vários tipos de cruzes. Algumas cruzes são produzidas ou feitas por nós mesmo. Aquele jovem cheio de vida, apostando corrida na madrugada com seus amigos, bateu com o carro e hoje tem de carregar uma merecida cruz! Uma perna mecânica.

Ele é jovem, cheio de saúde, de boa aparência e por isso vive rodeado de muitas garotas, bom emprego, arrasa nas madrugadas, e na praia só dá ele, não tem pra ninguém… “peraí”. Adianta a fita, digo o DVD. Vamos ver como é o final desse filme, o final da vida deste campeão.

…Hoje, aposentado, ele tem de pagar 3 pensões alimentícias para suas ex-esposas. Não é que ele fosse um mau marido, um traidor, mas acontece que as garotas não o deixava respirar, dando em cima dele, e exigindo que deixasse a sua esposa e se casasse com elas. E isso aconteceu por três vezes.

Hoje esse ex-campeão mora sozinho na casa de sua falecida mãe, e está carregando várias cruzes, pois o que ganha, já descontado na fonte as pensões, mal dá para se alimentar. Como se não bastasse, agora surgiu mais uma dolorosa cruz, uma DST (Doença Sexualmente Transmissível), deixando-o magro, desanimado e sem os amigos das horas boas.

Depois de comentar algumas cruzes adquiridas, vamos tentar examinar algumas cruzes acidentais. Aquelas em que dizemos que não tivemos culpa de nada.

Ela ia passando pela praça, surge de repente um tiroteio, uma bala atinge sua coluna, e hoje sua cruz é uma cadeira de rodas.

Porque aconteceu aquilo?

Uma fatalidade?

É muito complicado, e apesar de que Jesus disse que não cai uma folha da árvore sem a vontade de Deus, neste caso é bom a gente não emitir nenhuma opinião. Até que ponto ela mereceu aquilo? Não nos cabe julgar. Simplesmente dizemos que aconteceu, sem mais comentários.

As cruzes são importantes, pois elas nos purificam e nos santificam, desde que não reclamamos do seu peso, e o pior, desde que não nos revoltemos com elas, ou contra Deus, carregando-as com paciência como o fez o Filho de Deus, e oferecendo diariamente aquele sofrimento a Deus.

Cruzes injustas. É importante não generalizar, atribuindo a todo tipo de sofrimento, a denominação de cruz. Não confundir cruz com injustiça. O seu vizinho abusado e injusto, para não dizer louco, começa a dar tiros da sua janela aterrorizando os vizinhos. Alguém muito beata diz. Não chame a polícia. É a nossa cruz …

Aí, realmente é um caso de injustiça que produz conflito, e, portanto é um caso de polícia imediatamente.

Outro exemplo. Sua vizinha liga seu possante aparelho de som na maior altura por volta de meia noite, e você precisa dormir.

Isso é uma cruz que você vai ter de engolir, digo, carregar?

Acho que não! Vai ter de tomar providências, reclamando os seus direitos. Por ser cristão, não é ser bobinho.

Prezados irmão. Cruz é um assunto complicado e longo, mas o espaço acabou. Vamos rezar para Deus perdoa os nossos pecados, nos tornando assim, merecedores da redução do peso das nossas cruzes. Vamos pedir também para Ele nos livre das cruzes acidentais e das cruzes injustas. Amém.

(José Salviano).

(14) – O FILHO DO HOMEM SERÁ ENTREGUE…

O Filho do homem será entregue aos príncipes dos sacerdotes.

Do caminho a Jerusalém, Jesus adentrou ao grupo de discípulos para fazer o terceiro anúncio de sua Paixão. Jesus alerta seus discípulos sobre a tortura e a morte que enfrentará em Jerusalém. Sua morte é consequência do compromisso assumido junto aos excluídos de seu tempo; esta foi a missão que recebeu do Pai.

Os discípulos estão assustados e o acompanham com medo. Todavia, não entendem, por isso continuam com suas ambições pessoais. Joao e Tiago pedem um lugar na glória do reino, um a direita e outro a esquerda de Jesus. Jesus rechaça com firmeza. “Não sabem o que estão pedindo” – e pergunta se são capazes de beber o cálice que beberá e de receber o batismo que receberá.

Jesus se refere ao cálice do sofrimento e do batismo de sangue. Pergunta se, no lugar de honra, são capazes de entregar sua vida até a morte. A resposta deles é superficial, já que em poucos dias o abandonariam e o deixariam na hora do sofrimento. A chave do serviço é a melhor maneira de ganharmos um lugar junto a Jesus.

(Claretianos).

(14) – QUEM QUISER SER GRANDE, SEJA O VOSSO SERVO.

Quem quiser ser grande, seja o vosso servo. E quem quiser ser o primeiro, seja o escravo de todos.

Neste Evangelho, Jesus apresenta o seu sentido de dignidade e de honra, que é contrário ao do mundo.

Para o mundo, a honra está em ser servido; para Jesus está em servir. E se alguém quer ser o primeiro na sociedade, deve tornar-se o escravo de todos, isto é, entregar-se completamente a serviço.

Essa mensagem foi uma resposta ao pedido dos Apóstolos Tiago e João, de se sentarem ao lado de Jesus, quando ele estiver na sua glória. Eles pediram isso, pensando nas honras conforme o mundo pecador, que é estar por cima, mandar nas pessoas e ser servido por elas.

indignação dos outros dez Apóstolos mostra que todos buscavam honras, não segundo o Evangelho, mas segundo o mundo. Seguiam Jesus com o corpo, mas a cabeça e o coração ainda estavam longe dele.

Eles caminhavam para Jerusalém “e aqueles que iam atrás estavam com medo”. É sempre assim, os medrosos e de fé mais fraca vão atrás, na Comunidade. O medo é sinal de falta de fé e de confiança em Deus.

Nem sempre nós entendemos tudo, mas a fé deve falar mais alto e nos levar a dar o passo, mesmo que seja rumo ao invisível, como fez Abraão, quando partiu de Ur, na Caldéia, sem nem saber para onde ia: “Abraão, sai de tua terra, do meio de teus parentes, da casa de teu pai, e vai para a terra que eu te vou mostrar… Abraão partiu, como o Senhor lhe havia dito” (Gn 12,1.4).

Quem quiser ser grande, seja o vosso servo. E quem quiser ser o primeiro, seja o escravo de todos.

Jesus dá como exemplo a si mesmo, ao qual Deus Pai entregou todo o universo, e no entanto não buscava “ser servido, mas servir e deu a sua vida como resgate para muitos”.

“Irmãos, carregai os fardos uns dos outros e assim cumprireis a Lei de Cristo” (Cl 6,2).

“Filhinhos, não amemos só com palavras e de boca, mas com ações e de verdade! Aí está o critério para saber que somos da verdade; e com isto tranquilizaremos na presença de Deus o nosso coração. Se o nosso coração, Deus é maior que o nosso coração e conhece todas as coisas” (1Jo 3,18-20).

Se amamos o próximo com ações e de verdade, podemos até tranquilizar a nossa consciência, se ela nos acusa de pecado. Isso porque o amor cobre os pecados.

Havia, certa vez, um casal já bastante idoso. Um dia, ela falou para ele: “Olhe, bem, você já não é mais criança e está com problemas cardíacos. Vou fazer-lhe um pedido: Não andar muito longe. Fique só aqui entre os nossos vizinhos”.

Ele respondeu: “Ótimo, querida. Mas eu peço a mesma coisa para você”. Ela concordou.

Num Domingo, na hora da Missa houve uma prece por uma pessoa que estava doente. Ele pensou: Amanhã cedo eu vou visitá-la. É longe, mas não conto para minha esposa. Ela pensou o mesmo, e não contou para ele.

Na segunda-feira de manhã, ele foi. Pensando que o marido estivesse ali pelos vizinhos, ela também foi.

Chegando à casa do doente, deram de cara um com o outro. Foi uma emoção, tanto para eles como para a família que os recebia. Afinal, não estavam cuidando bem da própria saúde física, mas a saúde espiritual ia muito bem, pois era concretizada no amor ao próximo.

Maria Santíssima gostava de servir. Foi ajudar a prima; ajudou na festa de casamento… Na anunciação preferiu chamar-se de escrava do Senhor. Que ela nos ajude a vencer a indiferença e a descobrir a felicidade de servir.

Quem quiser ser grande, seja o vosso servo. E quem quiser ser o primeiro, seja o escravo de todos.

(Pe. Antônio Queiroz).

(15) – REFLEXÃO.

Todas as pessoas querem, e muito, participar da glória de Deus, mas poucas pessoas querem assumir um compromisso maior com o reino de Deus. O evangelho de hoje nos mostra um pouco isso quando Jesus anuncia o mistério da cruz, mas os discípulos estão mais interessados na sua participação na sua glória. Assim, nos dias de hoje nós vemos muitas pessoas exaltando o amor de Deus, cantando os seus louvores, mas sem o menor compromisso com o serviço ao Reino de Deus, principalmente no que se refere à questão dos pobres, dos sofredores, dos marginalizados e dos excluídos. Todos querem ser os maiores, mas poucos estão dispostos a servir.

(CNBB).

(20) – QUEM QUISER SER O PRIMEIRO…

Às vezes, envelhecemos e permanecemos infantis. É natural que as crianças contem vantagens e pretendam impor-se aos companheiros nos jogos e competições. Mas os adultos?!

Pois lá estão os discípulos de Jesus com as mesmas criancices! Tiago e João vão até Jesus para solicitar um “tratamento especial”: quando o Mestre estivesse estabelecido em seu Reino glorioso (saberiam eles, de fato, o que estavam pedindo?), que fosse dado aos dois ocupar os lugares mais próximos (e mais honrosos!) do Rei, “um à direita e outro à esquerda”.

Nos banquetes daquele tempo, com as mesas do convívio em formato de “U”, o anfitrião sentava-se à cabeceira, na curva do “U”, e os convidados de honra ficavam ao seu lado. Por ali (entrando pelo espaço interior dos divãs que serviam de mesa) os garçons começavam a servir. Nas extremidades, ficavam os convidados menos importantes, que seriam os últimos a serem servidos.

Glórias deste mundo! Honrarias que passam com o tempo e com as reviravoltas da sorte! E Jesus cuida de corrigi-los: desvia sua atenção do trono para o cálice… A glória, que eles vislumbram antecipadamente para o Senhor, não virá antes do sofrimento, da cruz, isto é, do “cálice”.

Boa ocasião para um exame de consciência.

Que estamos esperando de Jesus Cristo?

Com que intenção nós nos aproximamos dele?

Para pegar uns respingos de sua glória? Para ter paz interior?

Para resolver nossos problemas existenciais?

Ou para ser um Cireneu e, nestes nossos tempos difíceis, ajudá-lo a carregar essa cruz que atravessa os séculos?

Notaram a reação dos outros Dez apóstolos? Ficaram indignados com o pedido dos Dois! O ciúme tomou conta deles… E foi preciso que o Senhor reunisse todos eles para dar a lição definitiva: “Não seja assim entre vós! Não façam como os grandes deste mundo! Quem quiser ser grande, faça o papel de servidor!”

nós, que pensávamos crescer espiritualmente! Queríamos aprofundar-nos nos mistérios de Deus! Galgar as alturas da santidade! Aí, vem Jesus e diz como a Zaqueu: “Desce depressa!” Deus está lá embaixo. Desceu. Fez-se pequeno. Homem. Servo. Escravo. Crucificado…

Estou disposto a descer para me encontrar com o Cristo que desceu?

Orai sem cessar: “Meu Deus, quero fazer o que te agrada!” (Sl 40 [39],9).

(Antônio Carlos Santini).

(24) – POIS O FILHO DO HOMEM NÃO VEIO PARA SER SERVIDO, MAS PARA SERVIR E DAR A VIDA EM RESGATE POR MUITOS.

Hoje, o Senhor nos ensina qual deve ser nossa atitude ante a Cruz. O amor ardente à vontade de seu Pai, para consumar a salvação do gênero humano – de cada homem e mulher – lhe move ir depressa a Jerusalém, onde “Aquele, porém, que me renegar diante dos homens, também eu o renegarei diante de meu Pai que está nos céus. “Não penseis que vim trazer paz à terra! Não vim trazer paz, mas sim, a espada” (cf. Mt 10,33-34)”. Mesmo que às vezes não entendamos ou, inclusive, tenhamos medo ante a dor, o sofrimento ou as contradições de cada jornada, procuremos unir-nos – por amor à vontade salvadora de Deus – com o oferecimento da cruz de cada dia.

prática constante da oração e os sacramentos, especialmente o da Confissão pessoal dos pecados e o da Eucaristia, acrescentarão em nós o amor a Deus e aos demais por Deus de modo que seremos capazes de dizer “Podemos!” (Mc 10,39), a pesar de nossas misérias, medos e pecados. Sim, poderemos abraçar a cruz de cada dia (cf. Lc 9,23) por amor, com um sorriso; essa cruz que se manifesta no ordinário e cotidiano: a fatiga no trabalho, as dificuldades normais na vida, família e nas relações sociais, etc.

Só se abraçamos a cruz de cada dia, negando nossos gostos para servir aos demais, assim conseguiremos identificar-nos com Cristo, que “Pois o Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a vida em resgate por muitos” (Mc 10,45). João Paulo II explicava que “o serviço de Jesus chega a sua plenitude com a morte na Cruz, ou seja, com o dom total de si mesmo”. Imitemos, pois, a Jesus Cristo, transformando constantemente nosso amor a Ele em atos de serviço a todas as pessoas: ricos ou pobres, com muita ou pouca cultura, jovens o anciãos, sem distinção. Atos de serviço para aproximá-los a Deus e liberá-los do pecado.

(Rev. D. René PARADA Menéndez (San Salvador, Salvador)).

CELEBRAÇÃO DE HOJE:

8ª SEMANA COMUM (VERDE – OFÍCIO DO DIA).

MONIÇÕES:

MONIÇÃO AMBIENTAL OU COMENTÁRIO INICIAL:

– 1ª: Periódico Deus Conosco; – 2ª: Periódico Liturgia Diária.

– 1ª:

É interessante como o ser humano ambiciona o poder, com maior ou menor intensidade, de modo mais explícito ou escondido, disfarçado. Os discípulos Tiago e João, filhos de Zebedeu, cederam a este desejo, e ouvem de Jesus: “Quem quiser ser o primeiro, seja o escravo de todos”. O amor é entrega da própria vida, como fez Jesus, e não privilégio ou poder humano.

– 2ª:

Senhor anuncia sua morte como consequência de seu compromisso com a vida e nos deixa exemplo a seguir: servir e não buscar ser servido. O seguimento de Jesus e o compartilhamento do seu cálice já são um privilégio e uma recompensa.

MONIÇÃO PARA A(S) LEITURA(S) E O SALMO:

– 1ª: Periódico Deus Conosco; – 2ª: Periódico Liturgia Diária.

– 1ª:

Saibam todos os povos que não há outro Deus senão vós, nos diz o Livro do Eclesiástico. E Jesus fala aos discípulos sobre o coroamento de sua missão: sua paixão e morte. E ensina-lhes que o fundamental é servir e dar a vida em favor de muitos. Escutemos a Palavra do Senhor.

– 2ª:

liturgia da Palavra motiva-nos a rezar a Deus pela salvação de todos os povos e convida-nos à disponibilidade para o serviço fraterno, livres de todo anseio de poder e honrarias.

MONIÇÃO PARA O EVANGELHO.

— Aleluia, aleluia, aleluia.

— Aleluia, aleluia, aleluia.

— Veio o Filho do Homem, a fim de servir e dar sua vida em resgate por muitos. (Mc 10,45).

ANTÍFONAS:

Antífona da entrada.

O Senhor se tornou o meu apoio, libertou-me da angústia e me salvou porque me ama (Sl 17,19s).

Antífona da comunhão.

Eis que estou convosco todos os dias, até o fim dos tempos, diz o Senhor (Mt 28,20).

ORAÇÕES DO DIA:

Oração do dia ou Oração da coleta.

Fazei, ó Deus, que os acontecimentos deste mundo decorram na paz que desejais e vossa Igreja voz possa servir alegre e tranquila. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Preces da Assembleia ou Oração da Assembleia:

– 1ª: Periódico Deus Conosco; – 2ª: Periódico Liturgia Diária.

– 1ª:

Roguemos ao Deus de bondade, que nos socorra em seu amor, ouvindo e acolhendo nossas súplicas. Rezemos confiantes.

— Atendei-nos, ó Senhor, Deus de amor!

1. PARA que a Igreja não se intimide diante das dificuldades, mas seja um sinal transparente da verdade de Cristo e de seu Reino, roguemos ao Senhor.

2. POR todas as pessoas que procuram servir com generosidade os outros, sem esperar recompensa ou privilégios, roguemos ao Senhor.

3. POR todos nós, para que sejamos coerentes em nossa fé, servindo com amor os outros, fazendo da vida uma oferta agradável, roguemos ao Senhor.

(intenções próprias da Comunidade)

Senhor nosso Deus, dai-nos vossa misericórdia e concedei-nos paz, segurança e muita disposição para vos servir nos irmãos. Vós que viveis e reinais para sempre.

– 2ª:

1. Fazei, Senhor, que o papa, os bispos, padres e diáconos sintam a alegria da doação.

— Ouvi-nos e atendei-nos, Senhor.

2. Iluminai os povos em conflito, para que vivam em paz e harmonia.

3. Vós enviastes vosso Filho para servir; dai-nos a alegria de servir.

4. Dai perseverança aos jovens vocacionados à vida religiosa e sacerdotal.

5. Protegei as famílias contra a tentação da separação e da discórdia.

Oração sobre as oferendas.

Ó Deus, que nos dais o que oferecemos e aceitais nossa oferta como um gesto de amor, fazei que os vossos dons, nossa única riqueza, frutifiquem para nós em prêmio eterno. Por Cristo, nosso Senhor.

Oração depois da comunhão.

Tendo recebido o pão que nos salva, nós vos pedimos, Ó Deus, que este sacramento, alimentando-nos na terra, nos faça participar da vida eterna. Por Cristo, nosso Senhor.

FONTES DE CONSULTAS E PESQUISAS:

Vamos expor a seguir de onde pertencem os textos que nos preenchem todos os dias, nos dando um caminho com mais sabedoria, simplicidade e amor.

FONTE PRINCIPAL DE PESQUISA E INSPIRAÇÃO

bc3adblia1

REFLITA:

O importante não é a pessoa que escreve, mas quem foi que inspirou essa pessoa a escrever.

O importante não é como se lê o que está escrito, mas como se age.

O importante não é sentar-se à direita ou a esquerda do Pai, mas sim, realizar o trabalho que Ele nos pede.

Ter conhecimento não é ter sabedoria, sabedoria é saber compartilhar o conhecimento.

(0) – Blog Liturgia Diária da Palavra de Deus (Reflexões e Comentários);

(1) – Periódico Mensal: Liturgia Diária (Editoras Paulinas e Paulus);

(2) – Periódico Mensal: Deus Conosco (Editora Santuário);

(3) – Portal Editora Santuário;

(4) – Portal Editora Paulinas;

(5) – Portal Editora Paulus;

(6) – Portal e Blog Canção Nova;

(7) – Portal Dom Total;

(8) – Portal Católica Net;

(9) – Portal Católico Orante;

(10) – Portal Edições Loyola Jesuítas;

(11) – Portal de Catequese Católica;

(12) – Portal Evangelho Quotidiano;

(13) – Blog Homilia Dominical;

(14) – Blog Liturgia Diária Comentada;

(15) – Portal CNBB (A Palavra de Deus na Vida);

(16) – Portal Catequisar: Catequese Católica;

(17) – Portal Universo Católico;

(18) – Portal Paróquia São Jorge Mártir;

(19) – Portal Catedral FM 106,7;

(20) – Portal Comunidade Católica Nova Aliança;

(21) – Portal Comunidade Resgate;

(22) – Portal Fraternidade O Caminho;

(23) – Portal Católico na Net;

(24) – Portal Evangeli.net;

(25) – Portal Padre Marcelo Rossi;

(26) – Portal Grupo de Oração Sopro de Vida;

(27) – Portal NPD Brasil.

MINHA MENSAGEM PESSOAL PARA MIM MESMO.

Mais vale o desconforto da VERDADE, do que a comodidade da MENTIRA.

E usando a essência da Oração da Serenidade, devo orar:

Ó meu Deus e Senhor, Pai de misericórdia e Salvação,

que em seu Filho Jesus perdoou os nossos pecados,

e com o seu Santo Espírito, paráclito nesse nosso mundo que caminha conosco,

apenas em Ti posso almejar a vida eterna, socorre-me e ouvi-me:

Se o ERRO está em mim, que DEUS possa me dar a HUMILDADE de aceitar que estou errado.

Que Jesus me dê a SERENIDADE, para aceitar que tem coisas que não posso mudar.

E que o Espírito Santo me dê a CORAGEM, suficiente para mudar aquelas coisas que dependem de mim, mesmo que sejam difíceis.

E para complementar os alicerces de orações da minha vida, faço como o santo Tomás de Aquino:

“Concede-me, Deus misericordioso, que deseje com ardor o que tu aprovas, que o procure com prudência, que o reconheça em verdade, que o cumpra na perfeição, para louvor e glória do teu nome.

Põe ordem na minha vida, ó meu Deus, e permite-me que conheça o que tu queres que eu faça, concede-me que o cumpra como é necessário e como é útil para a minha alma.

Concede-me, Senhor meu Deus, que não me perca no meio da prosperidade nem da adversidade; não deixes que a adversidade me deprima, nem que a prosperidade me exalte.

Que nada me alegre ou me entristeça para além do que conduz a ti.”

Viver CORRETO e falar a VERDADE hoje são tão difíceis quanto na época de Jesus, pois é muito mais fácil aceitar a MENTIRA e fazer o ERRADO.

Viver no CAMINHO, VERDADE E VIDA, que é o próprio Cristo Jesus, tem que ser uma caminhada diária.

O futuro é desejo e pensamento.

O passado é aprendizado e lembrança.

O hoje é realidade, isso quer dizer: CRISTO.

Meus amigos(as) de coração, meus irmãos(ãs) em Cristo Jesus, lembrem-se:

“Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas.”

“Não julgues para não seres julgados.”

“A quem é muito dado, muito será cobrado.”

Anúncios
Esse post foi publicado em Religião. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s