Liturgia Diária 31/MAI/13

LEITURA DIÁRIA DA PALAVRA — 31/MAI/2013 (sexta-feira)

LEITURAS:

Leitura retirada do Livro da Profecia de Sofonias (Sf 3,14-18).
Ou
Leitura retirada do Livro da Carta se São Paulo aos Romanos (Rm 12,9-16b).

Leitura da Profecia de Sofonias.
14 Canta de alegria, cidade de Sião; rejubila, povo de Israel! Alegra-te e exulta de todo o coração, cidade de Jerusalém! 15 O Senhor revogou a sentença contra ti, afastou teus inimigos; o rei de Israel é o Senhor, ele está no meio de ti, nunca mais temerás o mal. 16 Naquele dia, se dirá a Jerusalém: “Não temas, Sião, não te deixes levar pelo desânimo! 17 O Senhor, teu Deus, está no meio de ti, o valente guerreiro que te salva; ele exultará de alegria por ti, movido pelo amor; exultará por ti, entre louvores, 18 como nos dias de festa. Afastarei de ti a desgraça, para que nunca mais te cause humilhação”.
— Palavra do Senhor.
— Graças a Deus.

Ou

Leitura da Carta de São Paulo aos Romanos.
Irmãos, 9 o amor seja sincero. 
Detestai o mal, apegai-vos ao bem. 10 Que o amor fraterno vos una uns aos outros com terna afeição, prevenindo-vos com atenções recíprocas. 11 Sede zelosos e diligentes, fervorosos de espírito, servindo sempre ao Senhor, 12 alegres por causa da esperança, fortes nas tribulações, perseverantes na oração. 13 Socorrei os santos em suas necessidades, persisti na prática da hospitalidade. 14 Abençoai os que vos perseguem, abençoai e não amaldiçoeis. 15 Alegrai-vos com os que se alegram, chorai com os que choram. 16b Mantende um bom entendimento uns com os outros; não vos deixeis levar pelo gosto de grandeza, mas acomodai-vos às coisas humildes.
— Palavra do Senhor.
— Graças a Deus.

Salmo retirado do Livro da Profecia de Isaías (Is 12,2-3.4bcd.5-6 (R.6b)).

— 6b O Santo de Israel é grande entre vós.
6bSanto de Israel é grande entre vós.
— Eis o Deus, meu Salvador, eu confio e nada temo; o Senhor é minha força, meu louvor e salvação. / 3 Com alegria bebereis do manancial da salvação.
— 4b E direis naquele dia: “Dai louvores ao Senhor, 4c invocai seu Santo nome, anunciai suas maravilhas, / 4d entre os povos proclamai que seu nome é o mais sublime.
— Louvai cantando ao nosso Deus, que fez prodígios e portentos, / publicai em toda a terra suas grandes maravilhas! / 6 Exultai cantando alegres, habitantes de Sião, porque é grande em vosso meio o Deus Santo de Israel!”

Leitura retirada do Livro do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas (Lc 1,39-56).

Lc 1,39-56 (visita de Maria a Isabel)— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas.
— Glória a vós, Senhor.
39
Naqueles dias, Maria partiu para a região montanhosa, dirigindo-se, apressadamente, a uma cidade da Judeia. 40 Entrou na casa de Zacarias e cumprimentou Isabel. 41 Quando Isabel ouviu a saudação de Maria, a criança pulou no seu ventre e Isabel ficou cheia do Espírito Santo. 42 Com um grande grito exclamou: “Bendita és tu entre as mulheres e bendito é o fruto de teu ventre!” 43 Como posso merecer que a mãe do meu Senhor me venha visitar? 44 Logo que a tua saudação chegou aos meus ouvidos, a criança pulou de alegria no meu ventre. 45 Bem-aventurada aquela que acreditou, porque será cumprido o que o Senhor lhe prometeu”. 46 Maria disse: “A minha alma engrandece o Senhor, 47 e o meu espírito se alegra em Deus, meu Salvador, 48 porque olhou para a humildade de sua serva. Doravante todas as gerações me chamarão bem-aventurada, 49 porque o Todo-poderoso fez grandes coisas em meu favor. O seu nome é santo, 50 e sua misericórdia se estende, de geração em geração, a todos os que o temem. 51 Ele mostrou a força de seu braço: dispersou os soberbos de coração. 52 Derrubou do trono os poderosos e elevou os humildes. 53 Encheu de bens os famintos, e despediu os ricos de mãos vazias. 54 Socorreu Israel, seu servo, lembrando-se de sua misericórdia, 55 conforme prometera aos nossos pais, em favor de Abraão e de sua descendência, para sempre”. 56 Maria ficou três meses com Isabel; depois voltou para casa.
— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

LEITURA ORANTE:

… Oração Inicial… (querer).

A todos nós que nos encontramos neste ambiente virtual, paz de Deus, nosso Pai, a graça e a alegria de Nosso Senhor Jesus Cristo, no amor e na comunhão do Espírito Santo.
– Bendito seja Deus que nos reuniu no amor de Cristo!
Preparo-me para a Leitura, rezando:
Jesus Mestre, que dissestes: “Onde dois ou mais estiverem reunidos em meu nome, eu aí estarei no meio deles”, ficai conosco, aqui reunidos, pela grande rede da internet, para melhor meditar e comungar com a vossa Palavra.
Sois o Mestre e a Verdade: iluminai-nos, para que melhor compreendamos as Sagradas Escrituras.
Sois o Guia e o Caminho: fazei-nos dóceis ao vosso seguimento.
Sois a Vida: transformai nosso coração em terra boa, onde a Palavra de Deus produza frutos abundantes de santidade e missão.
(Bv. Alberione)

… Eu sou o CAMINHO… (ler…).

O que diz o texto do dia?
Leio atentamente, na Bíblia, o texto: Lc 1,39-56, e observo pessoas, palavras, relações, lugares.
No episódio da Visitação, Maria e Isabel viveram uma experiência inédita de si mesmas, quando uma se abriu para a experiência da outra, para a habitação de Deus na outra.
No momento, elas conseguiram assumir em si a outra pessoa, ou outro projeto de Deus. O sentido último, o sentido teologal da solidariedade, é esta capacidade de hospedar dentro de si uma outra pessoa – qualquer que ela seja –, e no episódio da Visitação tivemos a dilatação máxima do significado da solidariedade, porque as duas mulheres que foram protagonistas da cena: estavam grávidas de filhos que, do ponto de vista das possibilidades humanas, eram filhos do impossível. Elas se visitaram enquanto mães. Elas se reconheceram enquanto pessoas amadas e chamadas por Deus. Elas vibraram de alegria e se abençoaram enquanto foram capazes de escutar uma outra voz, capazes de agradecer, e de rezar.
Os bispos do Brasil, nas Novas Diretrizes da Igreja (2011-2015) apontam para a gratuidade e missionariedade, sempre a “partir de Cristo”. É que vivem Maria e Isabel.
Solidariedade não significa apenas experimentar em si sentimentos positivos genéricos, ou um bem intencionado fazer algo por alguém. Não podemos reduzir o conceito a fatos exteriores, operativos, pois a solidariedade é algo que nasce da escuta interior, e cuja finalidade última é o descobrir-se em Deus, sentir-se na sua presença, sentir-se inserido no seu projeto. Não seria impossível nem impróprio dizer que o último degrau da solidariedade é a oração: não tanto enquanto um ato específico, mas como um estado habitual.
solidariedade é uma resposta ao chamado de Deus e, de qualquer maneira que ela seja vivida, constitui sempre uma forma ativa de compromisso, é um serviço recíproco. No episódio da Visitação é difícil dizer qual das duas mulheres precisava da outra, qual delas auxiliava e servia a outra. Nós estamos acostumados a dizer que Maria foi ao encontro de Isabel para servi-la: isso por força do hábito, e que empreendeu uma viagem para ver a outra. Mas as dinâmicas desse episódio não são assim tão simples. A obrigação que motivou a visita de Maria a Isabel, segundo nos informou Lucas, não era uma obrigação de caráter material, de serviços práticos, desses auxílios caseiros que Isabel poderia receber sem problema algum por outras vias. Era uma necessidade que elas tinham de se confrontar na fé.

… a VERDADE… (refletir e meditar…).

O que o texto diz para mim, hoje?
Convida-me a ser uma pessoa solidária. Recordamos as palavras dos bispos na Conferência de Aparecida: “Agora, desde Aparecida, Maria convida-os a lançar as redes ao mundo, para tirar do anonimato aqueles que estão submersos no esquecimento e aproximá-los da luz da fé. Ela, reunindo os filhos, integra nossos povos ao redor de Jesus Cristo.” (DAp 265).

… e a VIDA… (orar…).

O que o texto me leva a dizer a Deus?
Faço minha oração pessoal e rezo a Maria:
Odogitria Pan-Haghia (Pe. Zezinho, scj)
Odogitria
Mostra-nos, Maria, os caminhos de Jesus
Odogitria
Mostra-nos, Maria, o caminho pra Jesus
Pan haghia, toda santa és Maria
Pan haghia, toda santa és Maria
Sabes conduzir
Sabes conduzir ao teu Jesus
Quem procura uma luz

Qual deve ser a MISSÃO em minha VIDA hoje? (contemplar e agir…).

Qual meu novo olhar a partir da Palavra?
Vou olhar o mundo e a vida com os olhos de Deus e o coração de Maria, reconhecendo as graças que Ele nos concede a cada instante.

REFLEXÕES:

(4) – MARIA MOSTRA-SE PRONTA PARA SERVIR.

O relato da visita de Maria à prima Isabel é a conclusão dos relatos das duas anunciações (Lc 1,5-25.26-38). Assim como a gravidez de Isabel é objeto de revelação a Maria, do mesmo modo a de Maria é objeto de revelação a Isabel. A revelação de Isabel vem do fato de a criança pular em seu ventre: “Quando Isabel ouviu a saudação de Maria, a criança pulou de alegria em seu ventre, e ela ficou repleta do Espírito Santo” (v. 41). A Isabel, pela graça do Espírito Santo, é dado conhecer não somente que Maria está grávida, mas que o menino é o Messias: “Como mereço que a mãe do meu Senhor venha me visitar?” (v. 43). Pulando de alegria no ventre de Isabel, João começa a realizar sua missão de precursor.
cada uma das mães Lucas atribui um cântico. A Isabel, o do v. 42: “Bendita és tu entre as mulheres e bendito o fruto do teu ventre”. A Maria, o Magnificat (vv. 46-55), um hino de louvor a Deus, composto com um mosaico de referências bíblicas.
(Carlos Alberto Contieri).

(6) – QUE MARIA NOS VISITE NO DIA DE HOJE.

Essa presença viva, real do Senhor, vem a nós quando a Mãe vem nos visitar. Que Maria nos visite no dia de hoje.
Hoje, celebramos a visita de Maria à sua prima Isabel.
Você se recorda bem desse fato?
É um dos fatos mais lindos narrados para nós.
Logo no início do Evangelho de Lucas, logo após Maria receber do anjo o anúncio de que estava grávida, havia nela uma expectativa de conceber Jesus, o Filho de Deus encarnado no seu ventre.
Maria foi ao encontro de Isabel. Ela subiu uma região montanhosa da Judeia e caminhou apressadamente ao encontro de sua prima.
Nossa Senhora foi aquela que colocou o próximo à sua frente, colocou-o como meta de serviço, como meta de vida. Seguir Jesus Cristo, estar no Seu caminho significa seguir o próximo, servir o irmão, o necessitado, servir aquele que precisa de nós. Assim o fez Maria, ela optou por servir sua prima, pois esta precisava dela.
fato de estar grávida, sobretudo do Senhor da vida, não deixou a Mãe de Jesus paralisada; muito pelo contrário, ela, mesmo sabendo que estava grávida, saiu ao encontro da prima para servi-la.
Hoje, nós queremos olhar para Maria, exemplo de humildade, e queremos nos colocar à disposição para servir, ajudando as pessoas que precisam de um encontro pessoal com Deus. Há várias pessoas que estão precisando de alguém que venha as consolar, pois estão na solidão, na doença, na enfermidade, na tristeza e no abandono. Nós podemos ser portadores da presença de Deus para essas pessoas.
Maria foi para Isabel a presença amorosa do Senhor na vida dela. Nós precisamos ser um para com os outros, sobretudo para com os mais necessitados. Essa presença viva, real do Senhor, vem a nós quando a Mãe vem nos visitar.
Que Maria nos visite no dia de hoje, que ela se faça presente em nossa vida, em nossa casa, em nossa família, que ela nos dê o consolo, a bênção e a proteção.
Deus abençoe você!
(Pe. Roger Araújo).

(7) – O SENHOR FEZ GRANDES COISAS.

A fé eclesial, contemplando Maria a partir do Mistério Pascal de Jesus, professa que ela, no término de sua caminha terrestre, foi elevada ao céu. A Igreja fala em assunção, ou seja, Maria foi assumida por Deus e colocada na glória celeste. Trata-se da ação de Deus fazendo grandes coisas na vida da mãe do Salvador. Não uma ação isolada, e sim, o ápice de uma sucessão de graças na vida de quem foi cheia de graça.
assunção de Maria brotou da Ressurreição de Jesus. É como se Maria tivesse seguido o caminho novo de acesso ao Pai, aberto pelo Filho Jesus. Deus, de certo modo, antecipou em Maria o que haveria de ser o destino de toda a humanidade. A Ressurreição de Jesus foi penhor de ressurreição para todo ser humano. Em Maria, isto já se fez realidade.
assunção situa-se no contexto da fé de Maria. Ela havia proclamado que Deus exalta os humildes e destrói a segurança dos soberbos. Sua vida caracterizou-se pela humildade e pelo espírito de serviço. Ela se sabia serva humilde do Senhor, transcorrendo sua vida no escondimento. A condição de mãe do Messias não a tornou orgulhosa e cheia de si. A Maria exaltada na assunção foi a mulher humilde e servidora. Deus levou para junto de si a mulher cuja vida transcorrera em total comunhão com ele. A assunção, por conseguinte, consistiu na radicalização de uma experiência constante na vida de Maria.
Oração: Senhor Jesus, que a contemplação da assunção de tua mãe santíssima me inspire a viver em comunhão com Deus, servindo-o como servo humilde.
(Pe. Jaldemir Vitório).

(10) – BOA NOVA PARA CADA DIA.

As leituras dos Evangelhos do Tempo Comum são substituídas pelo Evangelho próprio desta Festa da Visitação da Mãe de Jesus à Mãe de João Batista, grávida de seis meses.
Consideremos a dedicação de Maria neste fato.
Ela viajou mais de 100 quilômetros para chegar a Ein Karim, onde Isabel morava. Se pensarmos nos perigos de uma viagem desse tipo, que durava mais de dez dias, concluímos que Maria não foi sozinha, nem a pé. Ela deve ter tido alguma companhia e, possivelmente, um burrinho como cavalgadura. Ela também estava no início da gravidez, da qual nasceria Jesus.
mais importante desse relato evangélico é que a identidade de Jesus, como Filho de Deus, é apresentada pela primeira vez no Evangelho, nas palavras de uma mulher, Isabel. Ela discerne na Mãe do Meu Senhor (Lc 1,43) o próprio Filho do Senhor, de Deus.
Como Isabel soube disso?
Evangelho é claro: o Espírito Santo a inspirou e a iluminou, deu-lhe este conhecimento. Devemos concluir que Isabel era uma mulher de constante união com Deus para saber o que vinha da parte Dele e não de sua imaginação de simples mulher.
Em constante união com Deus estava Maria, que em seu seio trazia o próprio Deus Filho. Entendemos como ela se alegra, serena e santamente, cantando seu Magnificat. Rezemos agora, com Maria, o Magnificat, para entendermos sua elevação espiritual e santificadora.
(Pe. Valdir Marques).

(12) – DONDE ME É DADO QUE VENHA TER COMIGO A MÃE DO MEU SENHOR?

Cristo urge-nos. Cada um de vós há-de ser, não só apóstolo, mas apóstolo de apóstolos, arrastando outros convosco, movendo os demais para que também eles deem a conhecer Jesus Cristo. Talvez algum de vós me pergunte como pode dar esse conhecimento às pessoas. E eu respondo-vos: com naturalidade, com simplicidade, vivendo como viveis, no meio do mundo, entregues ao vosso trabalho profissional e aos cuidados da vossa família. […] A vida corrente pode ser santa e cheia de Deus; o Senhor chama-nos a santificar o trabalho quotidiano, porque aí está também a perfeição do cristão. Consideramo-lo […] contemplando a vida de Maria.
Não nos esqueçamos de que a quase totalidade dos dias que Nossa Senhora passou na Terra decorreram de forma muito semelhante à vida diária de muitos milhões de mulheres, ocupadas em cuidar da sua família, em educar os seus filhos, em levar a cabo as tarefas do lar. Maria santifica as mais pequenas coisas, aquilo que muitos consideram erradamente como não transcendente e sem valor: o trabalho de cada dia, os pormenores de atenção com as pessoas queridas, as conversas e as visitas por motivo de parentesco ou de amizade… Bendita normalidade, que pode estar cheia de tanto amor de Deus!
Na verdade, é isso o que explica a vida de Maria: o amor. Um amor levado até ao extremo, até ao esquecimento completo de si mesma, contente por estar onde Deus quer que esteja e cumprindo com esmero a vontade divina. Isso é o que faz com que o mais pequeno dos seus gestos nunca seja banal, mas cheio de significado. Maria, nossa Mãe, é para nós exemplo e caminho. Havemos de procurar ser como Ela nas circunstâncias concretas em que Deus quis que vivêssemos.
(São Josemaría Escrivá de Balaguer (1902-1975), presbítero, fundador – Homilia de 04/05/1957 in “Cristo que passa”, §§ 147-148).

(14) – APRENDAMOS COM MARIA.

É um grande momento para nós, devotos marianos, onde fazemos uma memória mais profunda da mãe de Deus e nossa.
Maria mostrou-se totalmente solicita ao querer visitar a sua prima Isabel. Ao se dispor para tal ato Maria se pré-dispõe internamente, pelo espírito, e externamente pela sua dedicação ao sair da sua casa rumo à casa de Isabel. Ao visitar sua prima Isabel, Maria se assemelha ao Cristo, quando visita João Batista. O gesto de humildade de Maria e Cristo mostram uma simplicidade especial. A gravidez dessas mulheres é um exemplo real da atuação de Deus. Maria ficou grávida por meio do Espírito Santo e Isabel no auge de sua velhice também engravidou.
Maria era uma jovem desconhecida, uma jovem simples de seu povoado. Mas Deus na sua infinita sabedoria a elevou como “serva”.
cântico entoado por Maria torna-se uma resposta à felicitação de Isabel. Por meio do cântico Magnificat, Maria agradece a Deus o grande favor que esse lhe concedeu.
Podemos entender que o objetivo do evangelista é ressaltar a Mãe de Deus, fazendo assim com o seu exemplo de simplicidade e dedicação seja seguido por todos.
As vezes parece tão complicado falar sobre Maria. Mas pelo contrário, Maria é pura simplicidade. Seu jeito meigo e doce de ser, encanta o coração daqueles que visualizam a sua doce imagem. Maria quer falar ao coração de cada um de seus filhos. Ela deseja que a paz reine entre nós. Encante-se com Maria, encante-se com a Mãe.
Que possamos em nossas orações diárias pedir a intercessão de Maria. Devemos ter muita confiança, muito amor e sempre acreditar neste fiel amor de mãe.
(Professor Isaías da Costa).

(14) – COMO POSSO MERECER QUE A MÃE DO MEU SENHOR ME VENHA VISITAR.

Depois do episódio da Anunciação, Maria decide visitar sua prima Isabel. Ela, uma jovem grávida, enfrenta o caminho perigoso da montanha para encontrar apoio e consolo em uma mulher grávida de idade avançada e, por sua vez, para ajudar e servir. É no abraço afetuoso, corpo a corpo, que Isabel pronuncia as primeiras bênçãos a Maria: “Bendita és tu…”.
Nesse contexto, Maria inicia sua profecia ao pronunciar as palavras magníficas. No Magnificat demonstra que sua história toma forma parte da história do povo de Deus, e que a intervenção de Deus na história repercute na vida de cada pessoa. Deus olha para baixo, inclina-se para ver a realidade histórica de marginalização social de Maria, sua serva.
Ela, e o povo que representa, passam por humilhações devido à pobreza, discriminação e marginalização. Deus olha para baixo e Maria é escolhida para atuar junto com Ele na nova criação. Há uma inversão da situação: quem era humilhada passará a ser bem aventurada para todas as gerações.
toda as gerações continuarão experimentando essa misericórdia de Deus, que põe seu coração junto às pessoas marginalizadas. Por tudo isso, Deus é o salvador do povo.
(Claretianos).

(14) – MARIA VISITA IZABEL.

“alegria no Espírito Santo”
Deus Pai entregou a Maria a sublime tarefa de ser mãe de Jesus, Seu Filho, porém, ela não ficou somente na glória de ser mãe de Deus, mas se fez serva, intercessora e auxiliadora dos filhos de Deus. Maria começou a sua missão de mãe da humanidade, quando foi visitar Santa Isabel e lhe ofereceu seus préstimos e seus cuidados. Cheia do Espírito Santo, plena da força e do poder de Deus Maria foi à busca de sua prima Izabel aquela de quem o anjo também lhe havia falado. Ao encontra-la Maria fez fluir o júbilo do Espírito Santo e Isabel, a mãe de João Batista, cheia de contentamento abriu os lábios para saudar a Mãe de Jesus.
Portanto, podemos perceber que a mensagem principal deste Evangelho é a alegria no Espírito. O Espírito Santo é Aquele que nos leva a louvar a Deus e a manifestar gratidão pelos Seus grandes feitos na nossa vida. Maria foi chamada a Bem-aventurada, feliz, porque o Espírito Santo a plenificou com a Sua graça. Quando estamos cheios do Espírito Santo nós também ficamos como Maria, plenos da graça de Deus e somos bem aventurados.
Assim como foi a portadora do Espírito Santo para sua prima Isabel e o seu filho João Batista, Maria hoje, também nos visita e traz para nós o Seu Menino Jesus, cheio do Espírito Santo que nos ensina a abrir os lábios para cantar, louvar e bendizer a Deus com alegria.
– Reze com Maria, hoje:
“Minha alma glorifica ao Senhor, meu espírito exulta de alegria em Deus meu Salvador, porque olhou para a sua pobre serva. Por isto, desde agora, me proclamarão bem-aventurada todas as gerações, porque realizou em mim maravilhas aquele que é poderoso e cujo nome é Santo!”
– Você também se considera bem aventurado (a)?
– Você se sente comprometido (a) com Deus?
– Você tem usado o Espírito Santo que mora no seu coração para ir à busca daqueles que precisam ser amados e ajudados?
– Imagine-se como Maria visitando hoje alguém que você sabe que está precisando de amor!
(Helena Colares Serpa).

(14) – MARIA VISITA IZABEL.

Ora, apenas Isabel ouviu a saudação de Maria, a criança estremeceu no seu seio; e Isabel ficou cheia do Espírito Santo.
Para um incrédulo, a criança se mexeu dentro de Isabel, por estrita coincidência apenas. Deixe-o continuar a pensar assim. Porque para nós cristãos, Deus é verdadeiro também quando se revela: o ensinamento que vem de Deus é “uma doutrina de verdade”. Quando enviou seu Filho ao mundo “para dar testemunho da Verdade”: “Nós sabemos que veio o Filho de Deus e nos deu a inteligência para conhecermos o Verdadeiro” Deus.
mensagem do Evangelho de hoje nos aponta para a vinda do Filho de Deus ao mundo para nos salvar. É O Verbo que se fez carne para salvar-nos, reconciliando-nos com Deus: “Foi Ele que nos amou e enviou-nos seu Filho como vítima de expiação por nossos pecados”. “O Pai enviou seu Filho como o Salvador do mundo”. E “Este apareceu para tirar os pecados”, ou seja, é o Cordeiro de Deus que veio a nós para tirar os pecados do mundo como o disse João Batista.
Deus Pai “bolou” este Plano de salvação, porque a natureza humana estava falida por causa do egoísmo. A natureza humana estava doente, e por isso precisava ser curada; estava decaída e precisava ser reerguida; estava morta, e precisava ser ressuscitada. A humanidade havia perdido a posse do bem, e era preciso restituí-la. Estavam enclausurados nas trevas, por isso era preciso alguém que trouxesse a luz; estavam cativos das tentações de satanás, e então esperavam um salvador; estando prisioneiros, gritavam por socorro; estando escravos, choravam por um libertador.
Portanto, irmãos, essas razões eram de tal importância que comoveram a Deus a ponto de fazê-lo descer até nossa natureza humana não só para visitá-la, mas para assumi-la para então sentir o que nós sentimos, uma vez que a humanidade se encontrava em um estado tão miserável e tão infeliz.
Hoje também a natureza humana está decaída pelo pecado, pelas ondas do mal que sacodem a sociedade como uma grande enxurrada que nos arrasta para longe do caminho da casa do Pai. Por isso, nós, cristãos conscientes e atuantes precisamos conscientizar os nossos irmãos, Ele vem nos dar a mão para que nos levantemos dessa natureza decaída e nos engajemos no grupo dos escolhidos para fortificar o trabalho missionário da Igreja.
Por isso vamos relembrar, comemorar o fato de, O Verbo ter-se feito carne para que, assim, conhecêssemos o amor de Deus: E nisto manifestou-se o amor de Deus por nós. Caríssimos. Deus enviou seu Filho Único ao mundo para que vivamos por Ele, para Ele, e com o próximo. Pois Deus amou tanto o mundo, que deu seu Filho Único, a fim de que todo o que crer nele não pereça, mas sim, tenha um dia a Vida Eterna.
Que nossa vida não seja apenas uma festa de comilanças e de bebedeiras, mais de reflexão sobre o mistério da Fé que não pode ser compreendido pela nossa inteligência, mas sim pelos olhos da própria fé, o mistério que se realizou pela bondade e vontade de Deus Pai, o qual assumiu a natureza humana, nos entregando Seu próprio Filho, que nos deixou tudo o que precisamos para nos salvar. (Sua palavra, o sacerdote com a absolvição, a hóstia como alimento da alma, Igreja, etc.). Resta de nós uma atitude de resposta condizente com este ato de amor do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém.
(José Salviano).

(14) – MARIA E A RESPONSABILIDADE DE SER A MÃE DE JESUS.

Bom dia!
Maria recebe de Deus um grande presente e uma grande responsabilidade – Ser a mãe de Jesus.
que se passou na cabeça daquela jovem, na fração de segundos entre a mensagem do anjo Gabriel e a resposta da mãe escolhida por Deus?
Que reação temos ao sermos pegos de surpresa?
Sim! Tremem-se as pernas, pupilas se dilatam, o corpo se arrepia, nosso tempo de reação fica comprometido pela descarga de adrenalina na corrente sanguínea, a frequência cardíaca dispara, ficamos pálidos e geralmente não conseguimos nem nos mover, outros apenas fogem. Numa situação fisiológica tão desconfortável e peculiar (ainda parece que é a noite) é que Maria recebe o anúncio.
anjo a acalma, diz que nada há por temer, recebe o SIM da jovem e parte!
“(…) Respondeu-lhe o anjo: O Espírito Santo descerá sobre ti, e a força do Altíssimo te envolverá com a sua sombra. Por isso o ente santo que nascer de ti será chamado Filho de Deus. Também Isabel, tua parenta, até ela concebeu um filho na sua velhice; e já está no sexto mês aquela que é tida por estéril, porque a Deus nenhuma coisa é impossível. Então disse Maria: Eis aqui a serva do Senhor. Faça-se em mim segundo a tua palavra. E o anjo afastou-se dela”. (Lucas 1,35-38).
Imagino agora a inquietação dessa serva ao saber o que lhe aconteceu por meio do Espírito Santo. Imagine alguém que passou numa prova, num concurso, no vestibular, […] e que naturalmente quer que apareça, o mais rápido que possível, alguém para que possa contar a novidade e com ela celebrar. Lembrei dos meus familiares quando passei no vestibular…
Estavam mais felizes do que eu, mas por que?
Porque olhavam para meu sucesso como se fosse deles. O que eu havia conseguido era uma vitória, mas para eles era o gol do time favorito numa final de campeonato. “(…) Ele cumpriu as promessas que fez aos nossos antepassados e ajudou o povo de Israel, seu servo. Lembrou de mostrar a sua bondade a Abraão e a todos os seus descendentes, para sempre”.
foi assim que Isabel recebeu Maria. Isabel talvez se lembrasse das promessas de Deus para seu povo, lembrava das vezes em que foram infiéis; olhava para Maria, sua prima, e talvez pensasse: Ele nos perdoou! “(…) Você é a mais abençoada de todas as mulheres, e a criança que você vai ter é abençoada também! Quem sou eu para que a mãe do meu Senhor venha me visitar?! Quando ouvi você me cumprimentar, a criança ficou alegre e se mexeu dentro da minha barriga. Você é abençoada, pois acredita que vai acontecer o que o Senhor lhe disse”.
Isabel via naquele ventre a prova real que Deus não havia abandonado seu povo (para o Judeu, o maior bem que podemos querer, é sentir a presença de Deus). A alegria de sua prima se firmava, pois em meio ao domínio romano, da opressão, dos tantos deuses, da falta de fé, alguém conseguiu tocar a Deus, gesto este que outras santas mulheres, santas, pois tinham fé, conseguiram durante a missão de Jesus.
Sim! Do anúncio ao MAGNIFICAT foram poucos dias. Da possível dúvida que brotava de um coração humano, da angústia de ser mãe numa terra onde apedrejavam as adúlteras, de estar noiva de José e de portar em seu ventre a maior declaração de amor de Deus, foram poucos dias. Isso nos chama atenção ao fato de não podermos perder tempo. João Evangelista, mesmo tão querido e próximo a Jesus, levou quase sessenta pra entender do fundo de sua alma que Deus é amor!
Maria com seu “SIM” ensinou ao mundo a perdoar e esquecer o erro de EVA e a fraqueza de ADÃO. Fez acreditarmos novamente que nunca estamos sozinhos.
Maria foi visionária num tempo onde homens eram pequenos; foi destemida, pois não sabia as linhas escritas no seu destino. Amou uma criança, a fez homem, o viu pregar, anunciar, salvar, […]. Jesus não passou num vestibular, mas creio que Maria, como mãe, ao vê-lo se tornar grande, se realizou em seu filho.
Santa Maria, mãe de Deus, Rogai por nós!
Um imenso abraço fraterno.
(Alexandre Soledade).

(14) – BENDITA ÉS TU ENTRE AS MULHERES.

– Sofonias 3, 14-18 – “como nos dias de festa!”
Esta mensagem é para nós, hoje, um alento no meio das dificuldades que enfrentamos na vida quando cremos que nunca sairemos delas e não temos saída para as nossas aflições. É como uma injeção de ânimo para nos reabilitar e nos fazer ter esperança nas realidades que ainda não vemos, mas que esperamos. Há momentos na nossa vida em que ficamos presos no pecado, na culpa e não percebemos que para nós, também, a sentença foi revogada pelo Senhor que nos deu um Rei Poderoso que veio nos libertar. Portanto, ele também diz para nós: “Não temas, não te deixes levar pelo desânimo”; “o Senhor está contigo! É este o motivo pelo qual nós precisamos ter um coração sempre alegre e agradecido como num dia de festa. O Senhor é o nosso valente guerreiro e conquistou para nós a vitória. Ele está no meio de nós! Somos hoje a Cidade de Sião, Jerusalém, povo de Israel a quem Deus revogou a sentença que pesava contra ele. Apesar dos transtornos que o pecado nos acarreta, temos consciência de que somos mais que vencedores em Jesus Cristo. Ele veio para nos libertar por isso, não precisamos mais temer o mal. O Senhor nos livrará afastando de nós a desgraça para que ela nunca mais nos cause humilhação. Por isso, somos chamados a cantar de alegria e exultar de todo o coração. Jesus já veio, e já nos libertou dos nossos inimigos e, por isso, não precisamos temer nem desanimar. Este é, portanto, o motivo da nossa alegria.
– Você se considera hoje essa pessoa, alegre e liberta do mal?
– O que essa Palavra fala no seu coração?
– Você se considera como a cidade de Sião, eleita pelo Senhor para ser feliz?
– Em que consiste a sua felicidade?

Salmo Isaias 12 – “O Santo de Israel é grande entre vós”
Se nós somos como a cidade de Sião, todo o nosso ser deve se rejubilar pelas maravilhas que acontecem dentro de nós. No nosso interior há um universo de sentimentos, de pensamentos, de desejos, de motivações, de interesses que às vezes se confundem. Porém, quando o nosso ser como um todo elege a Deus Criador como o seu Senhor, aí então nós podemos ter harmonia interior e manifestar entre os povos a Sua glória. Então podemos exercitar a prática do louvor e do reconhecimento à grandeza de Deus, e assim, automaticamente nos apoderamos do Seu poder e da Sua grandeza. Desse modo nós nos tornamos homens e mulheres cheios de coragem e destemor, pois o Senhor é força, é poder e salvação.

Evangelho – Lucas 1, 39-56 – “O Espírito Santo é a alegria de Jesus”
Espírito Santo é quem realiza a obra do Senhor no nosso coração e é Ele quem nos faz sair de nós mesmos (as) para ir em busca daqueles que estão necessitados. Por isso Maria serve de exemplo para nós quando, apressadamente, se dirigiu à casa da sua prima Isabel levando no ventre o Filho de Deus sendo portadora da graça e da alegria do Espírito Santo. Plena do Espírito Santo Maria saudou Isabel e esta soltou um grande grito de alegria reconhecendo nela a Mãe do seu Senhor, portanto, bendita entre todas as mulheres. Assim sendo, o relato da visita de Maria a Santa Isabel nos faz reconhecer que ela é a portadora da alegria do Espírito Santo para nós e para a nossa casa. Cheios do Espírito Santo nós também podemos ser instrumentos de Deus na vida dos nossos irmãos e fazer com que se cumpram na vida deles os desígnios e os planos de Deus. Basta que nos ponhamos atentos e disponíveis, o Senhor nos usa para levarmos consolo, abrigo, alegria e solidariedade. Maria soube distinguir isto e não perdeu tempo, pôs-se a caminho das montanhas e esquecendo a glória de ser mãe de Deus se fez serva, auxiliadora, anunciadora e canal da alegria e da graça do Espírito Santo. Por este motivo nós reconhecemos Maria como a primeira discípula e missionária de Cristo e a primeira serva a levar a alegria de Jesus ao mundo! Por isso, Ela mesma se auto afirmou bem-aventurada, feliz, cheia de graças! Somos também bem aventurados (as) se acreditamos nas promessas do Senhor. O Espírito Santo é quem nos ensina a louvar a Deus e a manifestar gratidão pelos Seus grandes feitos na nossa vida, por esta razão também somos felizes. Assim como visitou Isabel, transmitindo a ela e a João Batista, o poder do Espírito, Maria hoje, também nos visita e traz para nós o Seu Menino Jesus, cheio da alegria do Espírito Santo que nos ensina a cantar, a louvar, a bendizer a Deus com os nossos lábios.
– Reze com Maria, hoje: “Minha alma glorifica ao Senhor, meu espírito exulta de alegria em Deus meu Salvador, porque olhou para a sua pobre serva. Por isto, desde agora, me proclamarão bem-aventurada todas as gerações, porque realizou em mim maravilhas aquele que é poderoso e cujo nome é Santo!”
– Você também se considera bem aventurado (a)?
– Você se sente comprometido (a) com Deus?
– Você tem usado o Espírito Santo que mora em você para ir em busca daqueles que precisam ser amados e ajudados?
– Imagine-se como Maria visitando hoje alguém que você sabe que está precisando de amor!
(Helena Colares Serpa).

(14) MARIA MODELO DE VIDA CRISTÃ QUE DEVE SER SEGUIDO POR NÓS!

Com a festa da visitação de Nossa Senhora a Santa Isabel, encerra-se o mês de maio, mês dedicado a Maria!
festa de hoje, nos apresenta um modelo de vida cristã que deve ser seguido por todos nós!
Nossa vida deve ser pautada no exemplo desta grande mulher, que abriu mão de todos os seus projetos pessoais, para viver o projeto de Deus!
Maria é a mulher mãe, toda cheia de graça, nela Deus fez maravilhas!
Ao receber o anuncio, de que ela seria a mãe de Jesus, Maria ficou sabendo da gravidez de Isabel, sua prima, que morava num lugarejo bem distante.
Colocando como serva do Senhor, ela, impulsionada pelo amor ao próximo, sem hesitar, dirige-se apressadamente, para a casa de Isabel, que por ser de idade avançada, certamente necessitaria de maiores cuidados durante a gravidez.
Com este gesto de amor e doação, Maria nos deixa um grande exemplo de solidariedade, nos ensinando que o amor, é mais do que sentimento, o amor é gesto concreto, é decisão de ir ao encontro do outro, de inteirar-se de suas necessidades.
evangelho de hoje, narra um dos mais belos encontros de amor: o encontro de duas mães; uma se alegrando com a alegria da outra e juntas agradecendo a Deus pelo dom da fecundidade!
narração nos mostra claramente o poder infinito de Deus: para Deus, nada é impossível!
Ao se colocar à caminho, subindo montanhas, levando Jesus em seu ventre, Maria torna-se a primeira pessoa a levar Jesus ao outro, ou seja, a primeira discípula de Jesus!
relato nos fala também, do encontro de duas crianças, que estavam sendo gestadas no ventre de duas mulheres distintas, no ventre da jovenzinha Maria, crescia Jesus, aquele que viria a ser o Salvador do mundo, que daria a sua vida pelo nosso resgate! E no ventre, antes estéril de Isabel, crescia o menino que pulou de alegria, ao sentir a presença de Jesus: João Batista, que seria o grande profeta, o precursor, aquele que iria preparar o caminho para a entrada de Jesus na história humana.
Com o Sim, de Maria, abrem-se as cortinas de uma nova Era! O sonho de Deus, ameaçado pelo pecado, torna-se possível! Inicia-se a construção de um novo Reino, onde reina o amor, a justiça e a paz.
Ao se entregar totalmente à serviço de Deus, Maria participou da história da libertação da humanidade, enfrentando todos os desafios, desde a concepção de Jesus, até a sua morte de cruz! E mesmo com o coração transpassado de dor, Maria se manteve-se de pé, aos pés da cruz.
papel desempenhado por Maria na encarnação, na morte e na Ressurreição de Jesus, nos deixa um grande exemplo de mulher forte, que ama, que não se deixa abater com o sofrimento, porque confia no poder grandioso de Deus!
Maria é a voz que grita na defesa dos pobres, dos que buscam nela, a força para lutar e vencer os poderosos!
Deus escolheu Maria, mulher simples, no meio dos pobres para reacender a chama do amor no coração da humanidade!
Com Maria, aprendemos a dar passos ao encontro do outro, a buscar o seu filho Jesus!
FIQUE NA PAZ DE JESUS!
(Olívia Coutinho).

(14) – VISITAÇÃO DE NOSSA SENHORA Á SANTA IZABEL.

Muitas vezes me perguntei, o que teria Maria ido fazer na casa de sua parenta Isabel, cujo caminho montanhoso era íngreme e distanciava mais ou menos 40 km de sua casa. Ela não foi sozinha, provavelmente acompanhou alguma caravana que seguia para aqueles lados, pois sozinha seria muito arriscado. A catequese Lucana nos dá a entender que Maria foi para servi-la, preocupada com a situação delicada da sua parenta, avançada em anos. Mas prestemos muita atenção na conversa dessas suas mulheres, nesse roteiro catequético muito bem preparado e magistralmente produzido por Lucas.
que teria a ver essa visita com a História da Salvação, e por que Lucas registrou em seu evangelho essa conversa entre Maria e Isabel?
Isabel, estéril e avançada em anos, como nos relata o texto, é o resumo da História do Povo de Israel, que havia feito uma grande caminhada na História, animados pelas promessas de Deus, mas até aquele momento nada de especial tinham visto e mesmo os profetas, que eram os porta-vozes de Deus, há 300 anos Deus não suscitava profetas no meio do povo. Os mais céticos achavam que Deus havia se esquecido do seu Povo e não faltava os mais incrédulos que diziam ser tudo aquilo das Promessas Divinas uma grande Lorota. Podemos dizer que nesse encontro de Maria e Isabel, Deus tomou a pena de novo para começar a reescrever a História, com o final do tempo das promessas e a chegada dos templos da Plenitude.
Maria é uma menina, que vai ser a primeira Discípula de Jesus, a primeira Cristã, a primeira Mulher do Povo da Nova Aliança. É a portadora do Germe Divino que Deus havia prometido. Podemos dizer que essa passagem é o epílogo de todo Antigo Testamento, e ao mesmo tempo o início do Novo. De um ventre seco e do seio de uma Virgem, de maneira prodigiosa Deus interfere com o seu Espírito e a Fertilidade supera a esterilidade, o Possível Divino suplanta o impossível Humano.
Na resposta de Isabel ao Shalon desejado por Maria, quando chegou à sua casa, encontramos o Antigo Testamento, que exulta com o Novo. No vente de Isabel, João Batista, o último dos profetas do Antigo Testamento, manifesta alegria pela presença do Salvador. Aquela que acreditou nas promessas é Bendita, porque agora, não só vai vê-las ser realizadas, mas terá o privilégio de participar delas. Quase nada poderia a pobre serva fazer, para que se cumprissem as Promessas Messiânicas feitas a seu Povo.
Quem era ela afinal?
Apenas uma adolescente, moradora de um Vilarejo montanhoso chamado Nazaré. Dela nada poderia se esperar.
Também de nossas comunidades, principalmente as mais simples e pequenas, não se pode exigir nenhum grande empreendimento que mude os destinos da Humanidade. Mas é precisamente aí que Deus mora, plantando o Germe Divino, fazendo a Encarnação acontecer de Novo, trazendo uma grande e inexplicável alegria à nossa alma. Nos pequenos e nos simples, que confiam e esperam, tudo se renova e recomeça, a cada momento, a cada dia.
(Diác. José da Cruz).

(15) – REFLEXÃO.

O encontro de Maria com Isabel nos mostra um pouco do que deve ser um encontro de verdadeiro amor entre duas pessoas.
Por um lado, vemos Maria, que vai ao encontro de Isabel assim que sabe da sua situação, vai para servir, fazer com que seu amor se transforme em gesto concreto. Quando encontra Isabel, a saúda, pois valoriza aquele momento de encontro e também a pessoa com quem se encontra.
Por outro lado, vemos Isabel que, ao ver sua prima, exalta imediatamente todos os seus valores como mãe do seu Senhor, assim como as suas virtudes. E este encontro termina com um cântico de exaltação ao amor de Deus.
(CNBB).

(20) – BENDITA ÉS TU ENTRE AS MULHERES!

No último dia do mês de maio, a Igreja celebra a festa da Visitação da Bem-Aventurada Virgem Maria. A fonte bíblica é o texto de S. Lucas, que narra a caminhada da Virgem Maria até Ain Karim, nas encostas de Judá, onde morava Isabel, mãe de João Batista, que estava no final de sua gravidez.
As duas mulheres representam com vivacidade as duas Alianças: Isabel, estéril, grávida pela intervenção divina (cf. Lc 1,7.13), é imagem da Primeira Aliança; Maria, virgem, grávida por ação direta do Espírito Santo (cf. Lc 1,35) é a mulher “cheia de graça”, escolhida como Mãe do Messias prometido.
Quando as duas se encontram e Maria saúda Isabel, seu shalom foi o sinal para que Isabel e João Batista, ainda no ventre materno, ficassem também eles cheios do Espírito Santo. É movida pelo mesmo Espírito que Isabel chama sua jovem parenta de “bendita entre as mulheres”. Trata-se de um superlativo: no meio de um povo abençoado, onde brilharam mulheres admiráveis como Rute, Judite e Ester, o Senhor estabelecera Maria acima de todas as demais.
Visitação é, pois, uma ponte entre as duas Alianças. Um passo de transição. É como se o passado se encontrasse com o futuro (feito presente), para que Isabel fosse a primeira a reconhecer Maria como Mãe de Deus: “De onde me vem a honra de vir até mim a Mãe do meu ADONAI?” Adonai, o Senhor, é o Deus de Israel. Ele acaba de se encarnar e nascerá de mulher… Assim cumprirá a promessa de ser Emanuel, o Deus-conosco, o Deus-em-nós!
Natural do que Maria irrompa em louvor, com o “Magnificat”, que repassa e atualiza a história da salvação, de geração em geração, enquanto o povo de Israel esperava pela chegada do “Descendente” prometido a Davi. É a reação de profunda gratidão ao Deus fiel, que cumpre, a seu tempo, cada uma de suas promessas. A forma como Deus age na história sempre causa assombro e incita ao louvor, à admiração e à ação de graças. Só uma sociedade enfastiada pelo luxo e pela gula sem medidas pode permanecer indiferente às obras do Senhor. Já os pobres de Deus, os “curvados”, os anawim, estes erguem os olhos ao céu, estendem as mãos vazias e tudo esperam do Senhor.
Mais do que para lavar fraldas, Maria vai até Isabel para confirmar o sinal que lhe fora dado pelo Anjo (cf. Lc 1,36) e passar para ela a nova vibração do Espírito Santo. No encontro das duas mulheres, a presença de Deus no meio de seu povo…
Orai sem cessar: “Bendito é o fruto do teu ventre, Jesus!” (Lc 1, 42).
(Antônio Carlos Santini).

(24) – O MENINO PULOU DE ALEGRIA NO MEU VENTRE.

Hoje contemplamos o fato da Visitação da Virgem Maria a sua prima Isabel. Tão rapidamente como lhe foi comunicado que tinha sido escolhida por Deus Pai para ser Mãe do Filho de Deus e que sua prima Isabel tinha recebido também o dom da maternidade, caminha decididamente até a montanha para cumprimentar sua prima, para compartilhar com ela o gozo de terem sido agraciadas com o dom da maternidade e para servi-la.
saudação da Mãe de Deus provoca que o menino, que Isabel leva no seu ventre, pule de entusiasmo dentro das entranhas de sua mãe. A Mãe de Deus, que leva Jesus no seu ventre é causa de alegria. A maternidade é um dom que gera alegria. As famílias alegram-se quando há um anúncio de uma nova vida. O nascimento de Cristo produz certamente “uma grande alegria” (Lc 2,10).
Apesar de tudo, hoje em dia, a maternidade não é devidamente valorizada. Frequentemente colocam-se em primeiro lugar outros interesses superficiais, que são manifestação de comodidade e de egoísmo. As possíveis renúncias que comporta o amor paternal e maternal, assustam a muitos matrimônios que, talvez pelos meios que receberam de Deus, devessem ser mais generosos e dizer “sim” mais responsavelmente a novas vidas. Muitas famílias deixam de ser “santuários da vida”. O Papa João Paulo II constatou que “a contracepção e o aborto “têm as suas raízes numa mentalidade hedonista e irresponsável a respeito da sexualidade e pressupõem uma concepção egoísta da liberdade, que vê na procriação um obstáculo ao desenvolvimento da própria personalidade”.
Isabel, durante cinco meses, não saía de casa, e pensava: “Isto é o que o Senhor fez por mim” (Lc 1,25). E Maria dizia: “A minha alma glorifica o Senhor (…) porque pôs os olhos na humildade da sua serva” (Lc 1,46.48). A Virgem Maria e Isabel valorizam e agradecem a obra de Deus nelas: a maternidade! É necessário que os católicos reencontrem o significado da vida como um dom sagrado de Deus aos seres humanos.
(Mons. F. Xavier CIURANETA i Aymí Bispo Emérito de Lleida (Lleida, Espanha)).

CELEBRAÇÃO DE HOJE:

VISITAÇÃO DE NOSSA SENHORA (BRANCO, GLÓRIA, PREFÁCIO DE MARIA [E NA VISITAÇÃO] – OFÍCIO DA FESTA).

MONIÇÕES:

MONIÇÃO AMBIENTAL OU COMENTÁRIO INICIAL:
– 1ª: Periódico Deus Conosco; – 2ª: Periódico Liturgia Diária.

– 1ª:
É bela a celebração da Visitação de Maria, pois vemos que o amor tem pressa em amar servindo: “Maria partiu para a região montanhosa, dirigindo-se, apressadamente, a uma cidade da Judeia”. Na casa de Isabel canta o cântico dos desfavorecidos no mundo, mas que são lembrados por Deus. Quem não se alegra no amor também não reconhece em Cristo a presença do Deus misericordioso.

– 2ª:
Igreja encerra o mês dedicado à mão de Deus, com a festa da visitação de Nossa Senhora a Isabel. Mostrando confiança nos desígnios do Senhor, Maria quer partilhar com a prima sua ajuda e sua alegria por ter sido escolhida para mãe de Jesus.

MONIÇÃO PARA A(S) LEITURA(S) E O SALMO:
– 1ª: Periódico Deus Conosco; – 2ª: Periódico Liturgia Diária.

– 1ª:
encontro de Maria com Isabel é o encontro de Deus com seu povo, com os pobres e rejeitados. É a eternidade presente em nossa temporalidade. De Maria, aprendemos que o amor tem pressa em servir e em oferecer a vida aos que estão colocados à margem do mundo. Escutemos o Senhor que agora nos fala.

– 2ª:
Senhor está em nosso meio, pronto para livrar-nos das tribulações e conduzir-nos à salvação. O canto de Maria retrata sua gratidão a Deus e o reconhecimento de ter sido escolhida para se tornar a mãe do Salvador.

MONIÇÃO PARA O EVANGELHO.

— Aleluia, aleluia, aleluia.
— Aleluia, aleluia, aleluia.
— És feliz, porque creste, Maria, pois, em ti, a Palavra de Deus vai cumprir-se, conforme ele disse. (Lc 1,45).

ANTÍFONAS:

Antífona da entrada.

Vinde e escutai, todos os que temeis a Deus, e eu vos direi tudo o que o Senhor fez por mim (Sl 65,16).

Antífona da comunhão.

Todas as gerações me chamarão bem-aventurada porque o Poderoso fez em mim grandes coisas e santo é o seu nome (Lc 1,48s).

ORAÇÕES DO DIA:

Oração do dia ou Oração da coleta.

Ó Deus, todo-poderoso, que inspirastes à virgem Maria sua visita a Isabel, levando no seio o vosso Filho, fazei-nos dóceis ao Espírito Santo, para cantar com ela o vosso louvor. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Preces da Assembleia ou Oração da Assembleia:
– 1ª: Periódico Deus Conosco; – 2ª: Periódico Liturgia Diária.

– 1ª:
Proclamemos a grandeza de Deus Pai que escolheu Maria para Mãe de seu Filho Jesus. E, humildemente, supliquemos sua graça, rezando:
— Por Maria, ouvi-nos, Senhor!
1. A MÃE de Jesus é nossa Mãe também! Para que reconheçamos que em Maria o Pai realiza sua promessa, enviando-nos seu Filho amado, roguemos.
2. É NOSSA missão praticar o bem, a caridade e a justiça! Para que sejamos apressados em servir os irmãos e irmãs em suas necessidades e na defesa dos pobres, roguemos.
3. A FÉ nos traz alegria e consolo. Para que sejamos perseverantes na oração com Maria e dela aprendamos a servir em primeiro lugar, roguemos.
4. MARIA é a primeira discípula do Reino! Para que sejamos missionários ardorosos da copiosa redenção de Cristo, roguemos.
(Intenções própria da Comunidade)
Ó Deus todo-poderoso, que inspirastes Maria em sua visita a Isabel, fazei-nos dóceis ao Espírito Santo para cantar sem cessar vosso louvor. Por Cristo, nosso Senhor.

– 2ª:
— Por intercessão de Maria, nós vos agradecemos, Senhor.
1. Pelo papa e pelos bispos, que orientam a Igreja nos caminhos de Jesus.
2. Pelas famílias que vivem alicerçadas na alegria oriunda do diálogo e da harmonia.
3. Pelos trabalhadores que colaboram para o progresso do país e o bem-estar das famílias.
4. Pelas mães que procuram seguir os passos da mãe de Jesus e nossa.
5. Pelo mês que se encerra hoje e pelo bem que realizamos ao longo destes dias.
(Preces espontâneas)

Oração sobre as oferendas.

Ó Deus, que vos seja agradável este nosso sacrifício de salvação, assim como foi aceito por vós o serviço de caridade da santa mãe do vosso filho. Que vive e reina para sempre!

Oração depois da comunhão.

Ó Deus, que a vossa Igreja vos glorifique pelas maravilhas que fizestes em vossos fiéis e possa acolher com alegria, neste sacramento, o Cristo sempre vivo, que João Batista pressentiu com exultação, oculto no seio materno. Por Cristo, nosso Senhor.

FONTES DE CONSULTAS E PESQUISAS:

Vamos expor a seguir de onde pertencem os textos que nos preenchem todos os dias, nos dando um caminho com mais sabedoria, simplicidade e amor.
FONTE PRINCIPAL DE PESQUISA E INSPIRAÇÃO
bc3adblia1
REFLITA:
O importante não é a pessoa que escreve, mas quem foi que inspirou essa pessoa a escrever.
O importante não é como se lê o que está escrito, mas como se age.
O importante não é sentar-se à direita ou a esquerda do Pai, mas sim, realizar o trabalho que Ele nos pede.
Ter conhecimento não é ter sabedoria, sabedoria é saber compartilhar o conhecimento.
(0) – Blog Liturgia Diária da Palavra de Deus (Reflexões e Comentários);
(1) – Periódico Mensal: Liturgia Diária (Editoras Paulinas e Paulus);
(2) – Periódico Mensal: Deus Conosco (Editora Santuário);
(3) – Portal Editora Santuário;
(4) – Portal Editora Paulinas;
(5) – Portal Editora Paulus;
(6) – Portal e Blog Canção Nova;
(7) – Portal Dom Total;
(8) – Portal Católica Net;
(9) – Portal Católico Orante;
(10) – Portal Edições Loyola Jesuítas;
(11) – Portal de Catequese Católica;
(12) – Portal Evangelho Quotidiano;
(13) – Blog Homilia Dominical;
(14) – Blog Liturgia Diária Comentada;
(15) – Portal CNBB (A Palavra de Deus na Vida);
(16) – Portal Catequisar: Catequese Católica;
(17) – Portal Universo Católico;
(18) – Portal Paróquia São Jorge Mártir;
(19) – Portal Catedral FM 106,7;
(20) – Portal Comunidade Católica Nova Aliança;
(21) – Portal Comunidade Resgate;
(22) – Portal Fraternidade O Caminho;
(23) – Portal Católico na Net;
(24) – Portal Evangeli.net;
(25) – Portal Padre Marcelo Rossi;
(26) – Portal Grupo de Oração Sopro de Vida;
(27) – Portal NPD Brasil.

MINHA MENSAGEM PESSOAL PARA MIM MESMO.
Mais vale o desconforto da VERDADE, do que a comodidade da MENTIRA.
E usando a essência da Oração da Serenidade, devo orar:
Ó meu Deus e Senhor, Pai de misericórdia e Salvação,
que em seu Filho Jesus perdoou os nossos pecados,
e com o seu Santo Espírito, paráclito nesse nosso mundo que caminha conosco,
apenas em Ti posso almejar a vida eterna, socorre-me e ouvi-me:
Se o ERRO está em mim, que DEUS possa me dar a HUMILDADE de aceitar que estou errado.
Que Jesus me dê a SERENIDADE, para aceitar que tem coisas que não posso mudar.
E que o Espírito Santo me dê a CORAGEM, suficiente para mudar aquelas coisas que dependem de mim, mesmo que sejam difíceis.
E para complementar os alicerces de orações da minha vida, faço como o santo Tomás de Aquino:
“Concede-me, Deus misericordioso, que deseje com ardor o que tu aprovas, que o procure com prudência, que o reconheça em verdade, que o cumpra na perfeição, para louvor e glória do teu nome.
Põe ordem na minha vida, ó meu Deus, e permite-me que conheça o que tu queres que eu faça, concede-me que o cumpra como é necessário e como é útil para a minha alma.
Concede-me, Senhor meu Deus, que não me perca no meio da prosperidade nem da adversidade; não deixes que a adversidade me deprima, nem que a prosperidade me exalte.
Que nada me alegre ou me entristeça para além do que conduz a ti.”
Viver CORRETO e falar a VERDADE hoje são tão difíceis quanto na época de Jesus, pois é muito mais fácil aceitar a MENTIRA e fazer o ERRADO.
Viver no CAMINHO, VERDADE E VIDA, que é o próprio Cristo Jesus, tem que ser uma caminhada diária.
O futuro é desejo e pensamento.
O passado é aprendizado e lembrança.
O hoje é realidade, isso quer dizer: CRISTO.

Meus amigos(as) de coração, meus irmãos(ãs) em Cristo Jesus, lembrem-se:
“Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas.”
“Não julgues para não seres julgados.”
“A quem é muito dado, muito será cobrado.”

Anúncios
Esse post foi publicado em Religião. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s