Liturgia Diária 06/JUN/13

LEITURA DIÁRIA DA PALAVRA — 06/JUN/2013 (quinta-feira)

LEITURAS:

Leitura retirada do Livro de Tobias (Tb 6,10-11;7,1.9-17;8,4-9a).

Leitura do Livro de Tobias.
Naqueles dias, 6,10 depois de penetrarem na Média e aproximan­do-se de Ecbátana, 11 Rafael disse ao jovem: “Tobias, meu irmão!” “Pronto!”, respondeu-lhe Tobias. Rafael prosseguiu: “Esta noite devemos hospedar-nos em casa de Raguel”. Este homem é teu parente e tem uma filha que se chama Sara. 7,1 Quando entraram em Ecbátana, Tobias disse a Rafael: “Azarias, meu irmão, conduze-me diretamente à casa do nosso irmão Raguel”. O anjo assim o fez. Encontraram Raguel sentado junto à porta do pátio e foram os primeiros a saudá-lo. Raguel respondeu: “Muitas saudações, irmãos! Sejam bem-vindos e tenham saúde!” E os fez entrar em casa. Matou depois um carneiro do rebanho e fez-lhes calorosa recepção. Depois de tomarem banho e se terem purificado, puseram-se à mesa. Tobias disse então a Rafael: “Azarias, meu irmão, dize a Raguel que me dê Sara, minha irmã, como esposa. 10 Raguel ouviu aquelas palavras e disse ao jovem: “Come, bebe e passa tranquilamente esta noite. Não há ninguém com direito de receber Sara, minha filha, como esposa, senão tu, meu irmão. Do mesmo modo, também eu não tenho direito de dá-la a ninguém senão a ti, porque és o meu parente mais próximo. Vou, no entanto, dizer-te toda a verdade, meu filho. 11 Dei-a a sete homens dentre nossos irmãos, e todos morreram na noite em que iam aproximar-se dela. Agora, filho, come e bebe, e o Senhor providenciará por vós”. 12 Tobias respondeu: “Não comerei nem beberei, antes que decidas a minha situação”. Raguel respondeu: “Está bem. E a ti que ela é dada, de acordo com a prescrição do Livro de Moisés. Assim, se o céu decreta que ela te seja dada, leva contigo tua irmã. Desde agora, tu és seu irmão e ela tua irmã. Desde hoje, ela te é entregue para sempre. Que o Senhor do céu vos faça felizes esta noite, meu filho, e vos conceda misericórdia e paz!” 13 Raguel chamou Sara, sua filha, e ela se aproximou. Ele tomou-a pela mão e entregou-a a Tobias, dizendo: “Recebe-a de acordo com a Lei e de acordo com o preceito escrito no Livro de Moisés, pelo qual ela te deve ser dada como esposa. Toma-a e leva-a, feliz, à casa de teu pai. Que o Deus do céu vos conduza em paz!” 14 Chamou a mãe da moça e disse-lhe que trouxesse uma folha de papiro para escrever o contrato de casamento, declarando que a entregava a Tobias como esposa segundo a sentença da Lei de Moisés. E a mãe dela trouxe a folha de papiro e ele escreveu e assinou. Depois disso, começaram, então, a comer e a beber. 15 Raguel chamou Edna, sua mulher, e disse-lhe: “Irmã, prepara outro quarto e conduze Sara para lá”. 16 Ela foi preparar o leito no quarto, como o marido lhe dissera e para lá conduziu a filha. Chorou sobre ela, mas em, seguida, enxugou as lágrimas e disse-lhe: 17 “Coragem, minha filha! O Senhor do céu mude em alegria a tua tristeza. Coragem, filha!” E saiu. 8,4 Depois, os pais retiraram-se e fecharam a porta do quarto. Tobias levantou-se do leito e disse a Sara: “Levanta-te, irmã! Oremos e imploremos a nosso Senhor que nos conceda misericórdia e salvação”. 5 Ela levantou-se, e ambos se puseram a orar e a suplicar que lhes fosse concedida a salvação. Ele começou dizendo: “Tu és bendito, ó Deus de nossos pais, e bendito é o teu nome, por todos os séculos e gerações! Que os céus e todas as tuas criaturas te bendigam por todos os séculos! 6 Foste tu quem criou Adão, e para ele criaste Eva, sua mulher, para que lhe servisse de ajuda e apoio. De ambos teve início a geração dos homens Tu mesmo disseste: ‘Não é bom que o homem esteja só. Vamos fazer-lhe uma auxiliar semelhante a ele’. Agora, Senhor, não e por desejo impuro que eu recebo, como esposa, esta minha irmã, mas faço-o de coração sincero. Sê misericordioso comigo e com ela e concede-nos que cheguemos, juntos, a uma idade avançada”. Disseram, depois, a uma só voz: “Amém! Amém!” 9a E recolheram-se ao leito, aquela noite.
— Palavra do Senhor.
— Graças a Deus.

Salmo retirado do Livro dos Salmos (Sl 127, 1-2. 3. 4-5 (R. Cf. 1a)).

— 1a Felizes todos que respeitam o Senhor!
1a Felizes todos que respeitam o Senhor!
— Feliz és tu se temes o Senhor / e trilhas seus caminhos! / 2 Do trabalho de tuas mãos hás de viver, / serás feliz tudo irá bem!
— A tua esposa é uma videira bem fecunda / no coração da tua casa; / os teus filhos são rebentos de oliveira ao redor de tua mesa.
— Será assim abençoado todo homem / que teme o Senhor. / 5 O Senhor e abençoe de Sião, cada dia de tua vida.

Leitura retirada do Livro do Evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos (Mc 12,28b-34).

Mc 12,28b-34 (jesus e o escriba_o maior mandamento)

— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Marcos.
— Glória a vós, Senhor.
Naquele tempo, 28b um mestre da Lei aproximou-se de Jesus e perguntou-lhe: “Qual é o primeiro de todos os mandamentos?” 29 Jesus respondeu: “O primeiro é este: Ouve, ó Israel! O Senhor nosso Deus é o único Senhor. 30 Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, de todo o teu entendimento e com toda a tua força! 31 O segundo mandamento é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo! Não existe outro mandamento maior do que estes”. 32 O mestre da Lei disse a Jesus: “Muito bem, Mestre! Na verdade, é como disseste: Ele é o único Deus e não existe outro além dele. 33 Amá-lo de todo o coração, de toda a mente, e com toda a força, e amar o próximo como a si mesmo é melhor do que todos os holocaustos e sacrifícios”. 34 Jesus viu que ele tinha respondido com inteligência, e disse: “Tu não estás longe do Reino de Deus”. E ninguém mais tinha coragem de fazer perguntas a Jesus.
— Palavra da Salvação.
— Glória a vós, Senhor.

LEITURA ORANTE:

… Oração Inicial… (querer).

Preparo-me para a Leitura Orante, rezando com todos os que, nesta rede da internet, se reúnem em torno da Palavra:
Oração para antes de ler a Bíblia:
Jesus Mestre, que dissestes: “Onde dois ou mais estiverem reunidos em meu nome, eu aí estarei no meio deles”, ficai conosco, aqui reunidos para melhor meditar e comungar com vossa Palavra.
Sois o Mestre e a Verdade: iluminai-nos, para que melhor compreendamos as Sagradas Escrituras.
Sois o Guia e o Caminho: fazei-nos dóceis ao vosso seguimento.
Sois a Vida: transformai nosso coração em terra boa, onde a Palavra de Deus produza frutos abundantes de santidade e de apostolado.

… Eu sou o CAMINHO… (ler…).

O que diz o texto do dia?
Leio atentamente o texto, na Bíblia: Mc 12,28b-34 e observo a síntese que Jesus faz dos mandamentos.
mestre da Lei que por Jesus à prova. No Antigo Testamento há decálogos e leis que regulavam a conduta do israelita. A tradição rabínica possuía até 613 preceitos, 248 mandatos e 365 proibições. O mestre pergunta a Jesus qual é o mandamento mais importante. Jesus resume todos os mandamentos em dois, igualmente importantes e inseparáveis: o amor a Deus e ao próximo. Quem ama a Deus deve amar o filho de Deus, ou seja, o próximo. Tudo o mais é consequência. E diz mais: o amor ao próximo deve ser igual ao amor a si mesmo.

… a VERDADE… (refletir e meditar…).

O que o texto diz para mim, hoje?
Como vivo estes dois mandamentos?
Começo ao contrário, pelo segundo mandamento.
Amo as outras pessoas como a mim mesmo?
papa emérito Bento XVI, em 2006, a sua primeira encíclica intitulada “Deus caritas est”, Deus é amor. No parágrafo 16, diz que há um “nexo indivisível entre o amor a Deus e o amor ao próximo: um exige tão estreitamente o outro que a afirmação do amor a Deus se torna uma mentira, se o homem se fechar ao próximo ou, inclusive, o odiar.”
papa diz mais: “Só a minha disponibilidade para ir ao encontro do próximo e demonstrar-lhe amor é que me torna sensível também diante de Deus. Só o serviço ao próximo é que abre os meus olhos para aquilo que Deus faz por mim e para o modo como Ele me ama. Os Santos — pensemos, por exemplo, na Beata Teresa de Calcutá — hauriram a sua capacidade de amar o próximo, de modo sempre renovado, do seu encontro com o Senhor eucarístico e, vice-versa, este encontro ganhou o seu realismo e profundidade precisamente no serviço deles aos outros. Amor a Deus e amor ao próximo são inseparáveis, constituem um único mandamento” (Deus caritas est, 18).
É assim que amo meu irmão?
É assim que amo a Deus?

… e a VIDA… (orar…).

O que o texto me leva a dizer a Deus?
Rezo, espontaneamente, com salmos ou outras orações e concluo, com a Oração para depois de ler a Bíblia:
Jesus Mestre, vós dissestes que a vida eterna consiste em conhecer a vós e ao Pai.
Derramai sobre nós, a abundância do Espírito Santo!
Que ele nos ilumine, guie e fortaleça no vosso seguimento, porque sois o caminho para o Pai.
Fazei-nos crescer no vosso amor, para que sejamos, como o apóstolo Paulo testemunhas vivas do vosso Evangelho.
Com Maria, Mãe, Mestra e Rainha dos Apóstolos, guardaremos a vossa Palavra, meditando-a em nosso coração.
Jesus Mestre, Caminho, Verdade e Vida, tem piedade de nós.

Qual deve ser a MISSÃO em minha VIDA hoje? (contemplar e agir…).

Qual meu novo olhar a partir da Palavra?
Meu novo olhar é de renovada relação de amor com Deus e, em consequência, com o próximo.
Ó Jesus Mestre, Verdade, Caminho e Vida, tem piedade de nós.

REFLEXÕES:

(4) – A RAZÃO E A PLENITUDE DA LEI DE DEUS É O AMOR.

Dessa vez, um escriba, um intérprete da Lei, entra em cena para perguntar acerca do primeiro entre todos os mandamentos. Ele estava presente à discussão de Jesus com os saduceus. O tom, aqui, não é de controvérsia, pois ele viu que Jesus respondera muito bem à objeção dos saduceus. Há um mútuo apreço entre Jesus e ele. No tempo de Jesus, a Torá oral circulava como norma e reivindicava o status de inspirada, como a Torá escrita. A exigência de cumprir de modo irrepreensível os 613 preceitos poderia levar a não mais se saber qual mandamento é o fundamento da Lei, ou qual mandamento tem precedência em relação a todos os outros. A resposta de Jesus faz com que o reconhecimento da unicidade de Deus preceda tudo (v. 29; cf. Dt 6,4-5). O fundamento de toda a Lei é o amor a Deus e ao próximo (ver: Lv 19,18). A resposta de Jesus é apreciada e repetida pelo escriba anônimo. A razão e a plenitude da Lei de Deus é o amor. No amor a Lei é levada à sua plenitude.
(Carlos Alberto Contieri).

(6) – É PRECISO OUVIR A DEUS EM PRIMEIRO LUGAR.

Precisamos fazer o mais difícil: ouvir a Deus em primeiro lugar.
Você ama o Senhor, mas você O escuta?
Você conhece a vontade d’Ele?
“Ouve, ó Israel! O Senhor nosso Deus é o único Senhor. Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, de todo o teu entendimento e com toda a tua força! O segundo mandamento é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo!” (Mc 12,29-31).
Parece tão simples, mas aí está a essência da vida cristã, do relacionamento do homem com Deus, e está a nossa missão aqui na Terra. A primeira delas nos impulsiona a viver tudo: “Ouve, ó Israel! O Senhor nosso Deus é o único Senhor.”
Para podermos amar o Senhor, servi-Lo e sermos inteiros d’Ele sobre todas as coisas, nós precisamos fazer o mais difícil: ouvi-Lo em primeiro lugar.
Você ama o Senhor, mas você O escuta?
Você conhece a vontade d’Ele?
Você transforma as coisas que “acha” em vontade de Deus?
vontade do Senhor está em saber escutá-Lo, colocar-se em Sua presença, deixar que Ele seja luz, seja guia, referência e direção para a sua vida. Coloque-se na presença do Senhor, escute a Sua Palavra, escute aqueles que falam em nome d’Ele e faça o discernimento da direção que o Pai quer dar à sua vida, porque, quando você O escuta, obedece a quem ama, daí o amor que você tem a Deus será mais completo, mais real, mais sincero.
Quando você coloca o Senhor em primeiro lugar em sua vida, o restante vem em consequência. Faça d’Ele seu amor primeiro. Quando você assim o faz, amar o próximo será uma condição essencial. Você o respeitará, não o prejudicará nem o quererá mal algum, porque o amor puro de Deus, em seu coração, impulsiona-o a amar o próximo.
Quando o amor do Pai não é profundo em nós, temos muita dificuldade para amar o nosso irmão, para respeitar o nosso próximo, para conviver até com as pessoas mais difíceis e complicadas ao nosso lado. Só o amor de Deus pode nos ensinar a amar o próximo. Quando eu inverto a ordem e me coloco em primeiro lugar, as coisas estão invertidas. Coloque Deus em primeiro lugar e o resto virá em consequência.
Deus abençoe você!
(Pe. Roger Araújo).

(7) – AS EXIGÊNCIAS DE DEUS.

A religião tem suas exigências. É preciso, porém, ter bom senso para não atribuir a Deus exigências humanas muitas vezes sem relevância. Assim como existem pessoas cuja tendência é minimizar as exigências religiosas, existem outras que tendem para o exagero. Ambas as posturas são incorretas, e não colaboram para um experiência religiosa sadia.
No tempo de Jesus, havia uma ala do judaísmo tendente ao exagero, a ponto de reduzir a fé a um complexo de leis e mandamentos, de difícil execução.
Será que Deus quer transformar nossa vida num infindável pode/não pode, deve/não deve, é permitido/é proibido?
Uma religião assim vivida torna-se empobrecedora, porque torna o indivíduo escravo da Lei, sem tempo para relacionar-se com Deus de maneira prazerosa e alegre.
fé pregada por Jesus apoia-se em dois pilares: o amor a Deus e o amor ao próximo. Isto é o essencial. Tudo o mais é complemento, e pode ser relativizado. Quem ama a Deus, recusa toda forma de idolatria, não aceitando ser subjugado por nenhum outro Absoluto fora dele. Quem ama o próximo, põe freios ao seu egoísmo, de modo a jamais desejar-lhe o mal, ou a fazer algo que possa prejudicá-lo.
Portanto, a única exigência da religião de Jesus é que a pessoa não coloque a si mesma como centro, e sim, Deus e o amor ao próximo.
Oração: Espírito de equilíbrio, que eu encontre, no amor a Deus e ao próximo, o eixo de minha prática religiosa, sem desviar-me para o exagero nem para a lassidão.
(Pe. Jaldemir Vitório).

(10) – BOA NOVA PARA CADA DIA.

E ninguém tinha mais coragem de fazer perguntas a Jesus (Mc 12,34).
Esta frase dá a entender o fim das discussões de Jesus com os judeus. Aqui não se trata de discussão, mas de uma conversa sobre religião.
Um mestre da Lei que pergunta a Jesus qual é o primeiro de todos os mandamentos (Mc 12,28).
Jesus diz qual é o primeiro, dado em Deuteronômio 6,4-5: “amar a Deus sobre todas as coisas”.
diz também qual é o segundo, sem que ele, mestre da Lei, perguntasse: “amar o próximo como a si mesmo” (Lv 19,18).
foi assim que terminou a conversa de Jesus com o mestre da Lei: serenamente.
Em certas passagens do Evangelho, Jesus parece “sentir ira”, isto é, ficar “com raiva”, como dizemos.
Como ele pode sentir isso, se Ele mesmo mandou amar os inimigos? Mateus 5,43-48 é claríssimo neste ponto.
problema fica mais intrincado quando ouvimos na Sagrada Escritura que Deus “tem ira”.
Ira divina se abateria sobre o povo que adorou o bezerro de ouro (Ex 32,10).
Ira divina se abaterá sobre os maus no juízo final (1Ts 1,10).
Como entender a Ira de Deus se Deus é amor (1Jo 4,16)?
Sim, Deus é amor e porque ama a todos e é justo para com todos.
porque ama e é justo, é santo em sua perfeição divina.
Precisamos ter presente, no entanto, que a Ira Divina somente age quando todos os recursos de Deus para a conversão dos pecadores foram esgotados.
No passado de Israel, a Ira Divina recaiu sobre o Povo de Israel quando Jeremias pregou a conversão e não foi ouvido.
– Jeremias tinha sido o último recurso de Deus para a conversão do Povo Eleito.
– Como o povo não saiu da idolatria, a ira divina se abateu sobre ele.
Deus os mandou para o Exílio na Babilônia.
Antes de Jesus, Deus enviou João Batista para a conversão do Povo e das elites.
Jesus pregou também o Reino de Deus e desejou a conversão dos líderes de Israel.
João Batista e Jesus foram o último recurso de Deus para a conversão dos líderes de Israel.
Como os líderes religiosos de Israel não se converteram, Deus os destituiu do governo espiritual do Povo. A ira divina se abateu sobre eles. Os sumos sacerdotes e os saduceus foram mortos pelos romanos quando Jerusalém foi destruída no ano de 70.
Povo de Deus ficou sem orientação religiosa e espiritual? Não.
Entendamos por “Israel de Deus” todos os que se converteram a Jesus Cristo, como São Paulo diz (ver Gl 6,19). São os cristãos, os batizados. Jesus Cristo é nosso Caminho, Verdade e Vida, Nosso Senhor.
Para São Paulo, os israelitas não convertidos a Jesus “são o Israel segundo a carne” (1Cor 10,18), isto é, descendentes biológicos de Abraão que ainda não aceitaram o Messias Jesus.
(Pe. Valdir Marques).

(12) – O AMOR DE DEUS E DOS HOMENS.

Sou consumido por uma dupla chama: o amor de Deus e o amor dos homens. É como se tivesse dentro de mim um vulcão sempre em erupção, que Jesus pôs no meu coração, embora ele seja muito pequenino. […]
Meu Deus, continua sempre e cada vez mais presente no meu pobre coração e termina em mim a obra que começaste. Ouço no mais íntimo de mim essa voz que me repete: “Santifica-te e santifica os outros!”
Efetivamente é o que desejo, querido filho a quem escrevo tudo isto, mas não sei por onde começar. Ajuda-me. Sei que Jesus te ama muito e que o mereces. Fala-Lhe, pois, por mim: peço-Lhe a graça de ser um filho menos indigno de São Francisco, que possa servir de exemplo aos meus irmãos de modo que mantenham o seu fervor e que ele aumente em mim, até fazer de mim um capuchinho perfeito.
(São (Padre) Pio de Pietrelcina (1887-1968), capuchinho – Ep 3, 1246,1010).

(14) – O SENHOR NOSSO DEUS É O ÚNICO SENHOR. AMA-O.

O Senhor nosso Deus é o único Senhor. Ama-o.
Neste Evangelho, Jesus, respondendo à pergunta de um escriba bem intencionado, explica que o “maior mandamento” na verdade são dois: O amor a Deus e ao próximo. Eles se entrelaçam de tal modo que ninguém consegue praticar um sem praticar o outro.
“Jesus respondeu: O primeiro é este: Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração… E o segundo mandamento é: Amarás o teu próximo como a ti mesmo!” A palavra “próximo” significa, evidentemente, aquele ou aquela que está perto, sem nenhum preferência de parentesco, raça, condição social etc.
Na verdade, trata-se de uma coisa só, pois o amor é uma realidade única, mas bi direcionada: para Deus e para o próximo. “Deus é amor: quem permanece no amor, permanece em Deus e Deus permanece nele” (1Jo 4,16).
Amar é uma experiência em que a alegria e o sofrimento andam de braços dados, a dor e o prazer se unem, a entrega e a renúncia se encontram, o dom e o compromisso se abraçam. Na experiência do amor, a vida e a morte se tocam e encontram seu verdadeiro sentido.
“Jesus, tendo amado os seus que estavam no mundo, amou-os até o fim” (Jo 13,1). É assim que o evangelista João começa a narrar a paixão e morte de Jesus. S. João quis dizer que aqueles gestos de Jesus, todos os seus sofrimentos, foram decorrências do seu amor.
Todos queremos ser amados. Quando não o somos, ficamos doentes. O amor é tão necessário a nós quanto a água para o peixe. Mas o amor é livre, e escapa a qualquer lei.
Como é mesquinho querer reduzir a vida à busca de bens materiais, de prazeres ou de poder! Tudo isso fenece como a flor do campo.
É o amor que traz alegria e gosto de viver. Para quem ama, não existe monotonia. Pode viver cem anos, que cada dia é novo. Pode ficar cem anos ao lado da mesma pessoa, que não se cansa. Cada dia, o relacionamento é novo, é diferente, como um filme. Isso porque o amor é infinito.
Devido ao pecado, a nossa vida é conflitiva. É uma luta entre o amor e o egoísmo, a ganância e a partilha, o perdão e a vingança, a violência e a paz.
foi justamente nesse contexto que uma das Pessoas divinas se encarnou, para ser o caminho, a verdade e a vida. Em síntese, o que Jesus nos ensinou foi que devemos ser imagens de Deus que é amor.
É no seio familiar que o ser humano aprende a ser verdadeiramente humano. A experiência do perdão, da partilha, da correção, das alegrias e tristezas vividas em família forma o ambiente privilegiado e insubstituível para desenvolver a cultura da vida. Assim, a vinda de um novo ser, embora muitas vezes não sem dificuldades, encontra na família a acolhida esperada para seu bom desenvolvimento.
Certa vez, o encarregado de compras de uma rede de supermercados ficou sabendo que no dia seguinte o preço do feijão ia subir 20%. Imediatamente ele telefonou para um fazendeiro, que tinha muito feijão em estoque, e perguntou se ele lhe vendia um caminhão de feijão naquele mesmo dia. O fazendeiro concordou, mas o negócio ficou para ser fechado pessoalmente, quando o caminhão do supermercado chegasse à fazenda.
fazendeiro contou para o seu filho, que estava no primeiro ano de administração. O rapaz disse: “Pai, eu vou à cidade e vou perguntar na cooperativa como que está a cotação do feijão. Não feche o negócio antes de eu lhe telefonar, certo?” O pai concordou.
Foi só o rapaz chegar à cooperativa, avisaram-lhe que no dia seguinte o preço do feijão ia subir 20%. Ele telefonou imediatamente ao pai e este telefonou ao encarregado de compras da rede de supermercados, cancelando o negócio.
mundo capitalista não segue o Evangelho de Jesus. Se seguisse, a primeira coisa que o encarregado de compras da rede de supermercados faria era avisar o fazendeiro do aumento no dia seguinte, pois devemos amar o próximo como a nós mesmos e, se ele estivesse no lugar do fazendeiro, gostaria de saber da subida de preço na cotação do feijão, antes de fazer o negócio.
Por isso, nós cristãos, que vivemos no meio deste mundo pecador e explorador, precisamos estar de olhos abertos. “Sede prudentes como a serpente.”
Campanha da fraternidade. A Igreja está intimamente ligada às pessoas, à sua história e aos acontecimentos que marcam a vida de todos. Fiel ao seu Fundador, ela luta por um Reino “da verdade, da vida, da graça da justiça, do amor e da paz”.
Conforme a Bíblia, a única fonte da nossa segurança é o próprio Deus. Todos que colocam sua segurança em outras fontes não podem conhecer a segurança verdadeira.
Entretanto, Deus protege os seus através de mediações humanas, como os profetas e demais líderes das Comunidades cristãs.
Maria Santíssima cumpriu com generosidade esse mandamento bi direcionado do amor. Que ela nos ajude a fazê-lo também.
Senhor nosso Deus é o único Senhor. Ama-o.
(Padre Queiroz).

(14) – O PRIMEIRO DE TODOS OS MANDAMENTOS.

Jesus foi bem claro quando respondeu à pergunta daquele escriba sobre o primeiro de todos os mandamentos: “O primeiro é este: Ouve, ó Israel!” Depois, Ele acrescentou: “O Senhor nosso Deus é o único Senhor. Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, de toda a tua alma, de todo o teu entendimento e com toda a tua força!” Como poderemos praticar tudo isto, se primeiramente, não ouvirmos a Deus que se expressa na Sua Palavra e nos ensina a fazer todas as coisas? Como poderemos amar a Deus e aos irmãos se não soubermos como agir para entrar em comunhão com eles? Ouvir o Senhor, escutá-Lo e atendê-Lo de todo o coração, alma e entendimento, é o mesmo que amá-Lo com toda a nossa força. O fundamento da Lei de Deus é o AMOR, portanto, Amar a Deus, a si mesmo e ao próximo é o resumo de todo o ensinamento divino. Todo aquele (a) que entende de coração essa verdade não está longe do Reino de Deus, foi isto que Jesus disse àquele escriba. Portanto, poderemos ter a certeza de que estamos vivendo o reino dos céus aqui na terra, se estivermos ouvindo a Deus e acolhendo o mandamento do Seu amor, tendo-O como único Deus e Senhor dos nossos relacionamentos. É com o Amor de Deus que conseguiremos amar ao próximo, como a nós mesmos (as). A Palavra nos garante que Deus nos amou primeiro, e é por meio dela que o Amor de Deus penetra no nosso coração e nos toca dando-nos o entendimento do amor que devemos ter para com os nossos irmãos e irmãs. Quando nos amamos, nos aceitamos e praticamos o amor ao próximo por amor a Deus, podemos ter a plena consciência de que estamos realizando a vontade do Pai. Maior que todos os holocaustos e sacrifícios, são o zelo, o cuidado e o carinho que dedicamos às pessoas em Nome de Deus. Não precisaremos mais fazer perguntas quando assim estivermos agindo porque o próprio amor que vivermos será a resposta certa para as nossas dúvidas e inquietações. “Ouve, ó Israel”, este é o apelo que o Senhor nos faz, hoje, quando tantas vozes se confundem ao nosso redor. Se entendermos isso, se escutarmos e colocarmos em prática os ensinamentos do Senhor vivenciaremos desde já o reino dos céus aqui na terra.
– Você tem ouvido o Senhor lhe falar?
– O que Ele tem lhe dito?
– Você sabe qual é a diferença entre gostar e amar?
– Você ama a você mesmo (a)?
– O que você deseja ao seu vizinho (a) é o mesmo que você deseja para si?
– Você tem dificuldade em aceitar-se a si mesmo (a)?
– E aos outros?
– Para você o que é amar a Deus?
(Helena Colares Serpa)

(14) – PROCURAVAM UM MOTIVO PARA DENUNCIÁ-LO.

Muitas vezes nos evangelhos, algumas pessoas importantes que se aproximam de Jesus para o interrogá-lo, entre elas Escribas e Doutores da Lei, já o rejeitaram e só estão à procura de um argumento para denunciá-lo ao Conselho visando a sua condenação e morte.
Mas no evangelho de hoje esse Escriba procurou Jesus com sinceridade para lhe perguntar qual era o Mandamento mais importante de toda a Lei de Moisés.
Jesus mostra com absoluta clareza aquilo que está no centro da Lei “O amor sem medidas para com Deus, em primeiro lugar, e o amor ao próximo” que é tão importante quanto o primeiro, e que, no dizer de Jesus, não há nenhum outro que supere esses dois.
É fácil percebermos quando a pessoa que se aproxima de Jesus para conhecê-lo e experimentá-lo, está à procura de algo novo. Basta ver o entusiasmo na concordância com a Palavra “Perfeitamente Mestre, dissestes bem…”. E o Escriba repetiu exatamente, palavra por palavra, o ensinamento que Jesus acabara de fazer, respondendo a sua pergunta e ainda fez uma bela interpretação “Esse amor a Deus e ao próximo supera todos os holocaustos e sacrifícios”. O Escriba captou que algo bem maior e mais profundo do que as Verdades do Judaísmo estava ali diante dele, trazido por Jesus, o grande Mestre.
Vivemos em uma sociedade que até conhece e crê em Jesus, mas que dificilmente concorda com a sua Palavra e o seu ensinamento, centralizado na preservação da Vida e da Dignidade humana, em um Reino pautado pela Justiça e Igualdade. Basta ver o que a nefasta cultura da pós Modernidade apregoa sobre aborto, divórcio, eutanásia e outros pontos que contrariam totalmente esse Amor a Deus e ao próximo.
Jesus ao final da conversa encheu o coração daquele Escriba de alegria e esperança quando lhe disse “Na verdade não estás longe do Reino de Deus”. Certamente não dirá o mesmo do Homem ateu da pós-modernidade, perdido na sua arrogância, prepotência e Egocentrismo, sempre pensando que o Homem é o Centro do Mundo. Quanta ilusão…
(Diác. José da Cruz).

(15) – REFLEXÃO.

O apóstolo São João nos diz que quem afirma que ama a Deus a quem não vê e não ama o seu irmão a quem vê é um mentiroso. O evangelho do hoje nos mostra que o amor a Deus está intimamente atrelado ao amor aos irmãos, de modo que só ama verdadeiramente a Deus quem vive concretamente o amor ao próximo, pois Deus é amor e quem ama permanece em Deus, o que faz com que o amor ao próximo se torne a grande forma de culto a Deus. Quando não vivemos o amor, não cultuamos verdadeiramente a Deus, e assim nos submetemos às mais variadas formas de idolatria que nos são propostas pelo mundo moderno.
(CNBB).

(20) – DE TODO O TEU CORAÇÃO…

Até os anos 60, Belo Horizonte era uma cidade tranquila. Seus moradores ocupavam lotes amplos, à sombra de frondosas mangueiras. Quando o êxodo rural inchou a capital mineira, a ânsia de lucro levou muitos proprietários a construir numerosos barracos no fundo quintal, retalhando seu lote em pequenos compartimentos. Assim, perdeu-se a intimidade e a liberdade.
É comum que também o coração humano acabe dividido em vários compartimentos. Em vários cômodos. Mas Deus ali se sente incômodo, pois teria de dividir o mesmo espaço com muitos competidores: ídolos do dinheiro e do sexo, do poder e do sucesso, do trabalho e do lazer…
Evangelho de hoje aponta em outra direção: Deus somente aceita morar ali onde ele é o único. O Absoluto. Por isso mesmo, a lei de Deus – uma lei que só fala em amar! – recusa todo tipo de competidor. O Senhor não aceita uma esposa infiel, amante de vários baalim (cf. Os 2,18-19), que reparta com eles a cama do Esposo!
De todo o coração, de toda a alma, de todo o entendimento, de todas as tuas forças: é assim a exigência do Deus-Amor! Nada de manter “áreas de reserva pessoal”, onde nós ainda nos permitimos pecadilhos de estimação, vícios caseiros, compensações de toda espécie. Aquilo que os terapeutas chamam de neurose. E o povo simples chama de “acender uma vela para Deus e outra para o diabo”…
“Holocaustos e sacrifícios” – isto é, atos e gestos rituais – só podem ter sentido se forem a expressão de um coração indiviso, onde Deus é tudo. Por isso, cresce aos nossos olhos a exigência de uma fé coerente, quando aquilo que vivemos corresponde de fato àquilo que dizemos crer.
não se trata de “moralismo”, mas de viver no amor, centrando a própria vida em Deus e nele encontrando toda a razão de nossa existência. Nasce daí a possibilidade de uma hierarquia de valores, onde o amor eterno reduz à sua posição relativa todos os valores passageiros deste mundo.
Por outro lado, o próprio coração humano não é feliz quando se encontra dividido. As neuroses e os comportamentos reativos denunciam este mal-estar.
Só um coração inteiramente mergulhado em Deus terá o dinamismo necessário para cumprir o 2º mandamento: amar o próximo como a si mesmo.
Meu coração está dividido?
Sou inquilino de ídolos que estão competindo com o Deus-Amor?
Orai sem cessar: “Só em Deus repousa a minha alma.” (Sl 62,2).
(Antônio Carlos Santini).

(24) – NÃO EXISTE OUTRO MANDAMENTO MAIOR DO QUE ESTES.

Hoje, um mestre da Lei pergunta a Jesus: “Qual é o primeiro de todos os mandamentos?” (Mc 12,28). A pergunta é capciosa. Em primeiro lugar, porque tenta estabelecer um ranking entre os diversos mandamentos; e, em segundo lugar, porque a pergunta se centra na Lei. É claro, trata-se da pergunta de um mestre da Lei.
resposta do Senhor desmonta a espiritualidade daquele «mestre da Lei». Toda a atitude do discípulo de Jesus Cristo relativa a Deus fica resumida a um ponto duplo: “Amarás o Senhor, teu Deus, de todo o teu coração” e “e amarás teu próximo como a ti mesmo” (Mc 12,31). O comportamento religioso fica definido na sua relação com Deus e com o próximo; e o comportamento humano, na sua relação com os outros e com Deus. Diz com outras palavras Santo Agostinho: “Ama e faz o que queiras”. Ama a Deus e ama os outros, e o resto das coisas será conseqüência desse amor em plenitude.
mestre da Lei entende-o perfeitamente. E indica que amar a Deus com todo o coração e aos outros como a si próprio “supera todos os holocaustos e sacrifícios” (Mc 12,33). Deus está esperando a resposta de cada pessoa, a entrega plena “de todo o teu coração, com toda a tua alma, com todo o teu entendimento e com toda a tua força” (Mc 12,30) a Ele, que é a Verdade e a Bondade, e a entrega generosa aos outros. Os “sacrifícios e oferendas” apenas fazem sentido na medida em que sejam expressão verdadeira deste duplo amor. E pensar que por vezes utilizamos os “pequenos mandamentos” e “os sacrifícios e oferendas” com uma pedra para criticar ou ferir o outro!
Jesus comenta a resposta do maestro da Lei com um “não estás longe do Reino de Deus” (Mc 12,34). Para Jesus Cristo ninguém que ame os outros acima de tudo está longe do reino de Deus.
(P. Rodolf PUIGDOLLERS i Noblom SchP (La Roca del Vallès, Barcelona, Espanha)).

CELEBRAÇÃO DE HOJE:

9ª SEMANA COMUM (VERDE – OFÍCIO DO DIA).

MONIÇÕES:

MONIÇÃO AMBIENTAL OU COMENTÁRIO INICIAL:
– 1ª: Periódico Deus Conosco; – 2ª: Periódico Liturgia Diária.

– 1ª:
Nossa vocação em Cristo é para o amor. O amor para com Deus deve ser tão profundo, a ponto de entregar-nos a nós mesmos de forma absoluta. E, em nossa vida cotidiana, esse mesmo amor deve estar presente em nossas relações humanas; deve manifestar a vida de fraternidade e não o poder ou a submissão. O que dinamiza nossa vida e nos realiza é o amor. Esse é o ensinamento e o caminho percorrido por Jesus, e é o nosso também.
– 2ª:
Dentre a abundância de leis religiosas e de observâncias rituais, Jesus soube destacar o amor absoluto a Deus e o amor ao próximo. São dois amores diferentes, mas inseparáveis, pois um não pode existir sem o outro.

MONIÇÃO PARA A(S) LEITURA(S) E O SALMO:
– 1ª: Periódico Deus Conosco; – 2ª: Periódico Liturgia Diária.

– 1ª:
Seria tão bom e importante que, em qualquer circunstância da vida, colocássemos Deus em primeiro lugar, como Tobias e Sara na noite de núpcias. Assim o amor a Deus, ao próximo e a nós mesmos realizaria em nós todos os benefícios e bênçãos do céu. Escutemos o Senhor em sua Palavra.
– 2ª:
leitura de Tobias dá um autêntico testemunho do amor ao próximo proposto por Jesus no evangelho. Sem a compreensão e a vivência do amor verdadeiro, não há como ser discípulo de Jesus.

MONIÇÃO PARA O EVANGELHO.

— Aleluia, aleluia, aleluia.
— Aleluia, aleluia, aleluia.
— Jesus Cristo Salvador destruiu o mal e a morte; fez brilhar pelo Evangelho a luz e a vida imperecíveis.

ANTÍFONAS:

Antífona da entrada.

Olhai para mim, Senhor, e tende piedade, pois vivo sozinho e infeliz. Vede minha miséria e minha dor e perdoai todos os meus pecados! (Sl 24,16.18).

Antífona da comunhão.

Eu vos chamo, ó meu Deus, porque me ouvis, inclinai o vosso ouvido e escutai-me! (Sl 16,6).

ORAÇÕES DO DIA:

Oração do dia ou Oração da coleta.

Ó Deus, cuja providência jamais falha, nós vos suplicamos humildemente: afastai de nós o que é nocivo e concedei-nos tudo o que for útil. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Preces da Assembleia ou Oração da Assembleia:
– 1ª: Periódico Deus Conosco; – 2ª: Periódico Liturgia Diária.

– 1ª:
Senhor Deus, com muita fé e confiança, vos apresentamos agora nossas súplicas. Socorrei vosso povo que agora vos clama:
— Dai-nos, Senhor, vossa misericórdia!
1. ROGUEMOS ao Senhor, para que superando nossas limitações, caminhemos com firmeza ao encontro dele, dizendo:
2. ROGUEMOS ao Senhor, para que nos ajude a viver de tal modo neste mundo, que sejamos capazes de mostrar em nossas atitudes seu amor sem fim, dizendo:
3. ROGUEMOS ao Senhor, para que nossa vida seja oferta de vida aos pobres, aos marginalizados e sofredores, dizendo:
4. ROGUEMOS por todas as pessoas que praticam o bem e a justiça e suas vidas são ofertas de amor aos irmãos e irmãs, dizendo:
(Intenções próprias da Comunidade)
Pai Santo, inspirai-nos, nas circunstâncias de nossa história, a seguir fielmente vosso Filho Jesus Cristo, que convosco vive e reina para sempre.
– 2ª:
— Nós vos pedimos, Senhor.
1. Iluminai, Senhor, a Igreja com vosso Espírito.
2. Concedei vossa graça ao papa e ao nosso bispo.
3. Abençoai os que amam com gestos concretos.
4. Conservai-nos sempre fiéis ao evangelho.
5. Fortalecei a união e o amor dos casais.
(Intenções próprias da Comunidade)

Oração sobre as oferendas.

Confiados, ó Deus, no vosso amor de Pai, acorremos ao altar com nossas oferendas; dai-nos, por vossa graça, ser purificados pela eucaristia que celebramos. Por Cristo, nosso Senhor.

Oração depois da comunhão.

Ó Deus, governai pelo vosso Espírito aos que nutris com o Corpo e o Sangue do vosso filho. Dai-nos proclamar nossa fé não somente em palavras, mas também na verdade de nossas ações, para que mereçamos entrar no reino dos céus. Por Cristo, nosso Senhor.

FONTES DE CONSULTAS E PESQUISAS:

Vamos expor a seguir de onde pertencem os textos que nos preenchem todos os dias, nos dando um caminho com mais sabedoria, simplicidade e amor.
FONTE PRINCIPAL DE PESQUISA E INSPIRAÇÃO
bc3adblia1
REFLITA:
O importante não é a pessoa que escreve, mas quem foi que inspirou essa pessoa a escrever.
O importante não é como se lê o que está escrito, mas como se age.
O importante não é sentar-se à direita ou a esquerda do Pai, mas sim, realizar o trabalho que Ele nos pede.
Ter conhecimento não é ter sabedoria, sabedoria é saber compartilhar o conhecimento.
(0) – Blog Liturgia Diária da Palavra de Deus (Reflexões e Comentários);
(1) – Periódico Mensal: Liturgia Diária (Editoras Paulinas e Paulus);
(2) – Periódico Mensal: Deus Conosco (Editora Santuário);
(3) – Portal Editora Santuário;
(4) – Portal Editora Paulinas;
(5) – Portal Editora Paulus;
(6) – Portal e Blog Canção Nova;
(7) – Portal Dom Total;
(8) – Portal Católica Net;
(9) – Portal Católico Orante;
(10) – Portal Edições Loyola Jesuítas;
(11) – Portal de Catequese Católica;
(12) – Portal Evangelho Quotidiano;
(13) – Blog Homilia Dominical;
(14) – Blog Liturgia Diária Comentada;
(15) – Portal CNBB (A Palavra de Deus na Vida);
(16) – Portal Catequisar: Catequese Católica;
(17) – Portal Universo Católico;
(18) – Portal Paróquia São Jorge Mártir;
(19) – Portal Catedral FM 106,7;
(20) – Portal Comunidade Católica Nova Aliança;
(21) – Portal Comunidade Resgate;
(22) – Portal Fraternidade O Caminho;
(23) – Portal Católico na Net;
(24) – Portal Evangeli.net;
(25) – Portal Padre Marcelo Rossi;
(26) – Portal Grupo de Oração Sopro de Vida;
(27) – Portal NPD Brasil.

MINHA MENSAGEM PESSOAL PARA MIM MESMO.
Mais vale o desconforto da VERDADE, do que a comodidade da MENTIRA.
E usando a essência da Oração da Serenidade, devo orar:
Ó meu Deus e Senhor, Pai de misericórdia e Salvação,
que em seu Filho Jesus perdoou os nossos pecados,
e com o seu Santo Espírito, paráclito nesse nosso mundo que caminha conosco,
apenas em Ti posso almejar a vida eterna, socorre-me e ouvi-me:
Se o ERRO está em mim, que DEUS possa me dar a HUMILDADE de aceitar que estou errado.
Que Jesus me dê a SERENIDADE, para aceitar que tem coisas que não posso mudar.
E que o Espírito Santo me dê a CORAGEM, suficiente para mudar aquelas coisas que dependem de mim, mesmo que sejam difíceis.
E para complementar os alicerces de orações da minha vida, faço como o santo Tomás de Aquino:
“Concede-me, Deus misericordioso, que deseje com ardor o que tu aprovas, que o procure com prudência, que o reconheça em verdade, que o cumpra na perfeição, para louvor e glória do teu nome.
Põe ordem na minha vida, ó meu Deus, e permite-me que conheça o que tu queres que eu faça, concede-me que o cumpra como é necessário e como é útil para a minha alma.
Concede-me, Senhor meu Deus, que não me perca no meio da prosperidade nem da adversidade; não deixes que a adversidade me deprima, nem que a prosperidade me exalte.
Que nada me alegre ou me entristeça para além do que conduz a ti.”
Viver CORRETO e falar a VERDADE hoje são tão difíceis quanto na época de Jesus, pois é muito mais fácil aceitar a MENTIRA e fazer o ERRADO.
Viver no CAMINHO, VERDADE E VIDA, que é o próprio Cristo Jesus, tem que ser uma caminhada diária.
O futuro é desejo e pensamento.
O passado é aprendizado e lembrança.
O hoje é realidade, isso quer dizer: CRISTO.

Meus amigos(as) de coração, meus irmãos(ãs) em Cristo Jesus, lembrem-se:
“Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas.”
“Não julgues para não seres julgados.”
“A quem é muito dado, muito será cobrado.”

Anúncios
Esse post foi publicado em Religião. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s