Liturgia Diária 11/JUN/13

LEITURA DIÁRIA DA PALAVRA — 11/JUN/2013 (terça-feira)

LEITURAS:

Leitura retirada do Livro dos Atos dos Apóstolos (At 11,21b-26; 13,1-3).

Leitura dos Atos dos Apóstolos.

Naqueles dias, 11,21b muitas pessoas acreditaram no Evangelho e se converteram ao Senhor. 22 A notícia chegou aos ouvidos da Igreja que estava em Jerusalém. Então enviaram Barnabé até Antioquia. 23 Quando Barnabé chegou e viu a graça que Deus havia concedido, ficou muito alegre e exortou a todos para que permanecessem fiéis ao Senhor, com firmeza de coração. 24 É que ele era um homem bom, cheio do Espírito Santo e de fé. E uma grande multidão aderiu ao Senhor. 25 Então Barnabé partiu para Tarso, à procura de Saulo. 26 Tendo encontrado Saulo, levou-o a Antioquia. Passaram um ano inteiro trabalhando juntos naquela Igreja, e instruíram uma numerosa multidão. Em Antioquia os discípulos foram, pela primeira vez, chamados com o nome de cristãos. 13,1 Na Igreja de Antioquia, havia profetas e doutores. Eram eles: Barnabé, Simeão, chamado o Negro, Lúcio de Cirene, Manaém, que fora criado junto com Herodes, e Saulo. 2 Um dia, enquanto celebravam a liturgia, em honra do Senhor, e jejuavam, o Espírito Santo disse: “Separai para mim Barnabé e Saulo, a fim de fazerem o trabalho para o qual eu os chamei”. Então eles jejuaram e rezaram, impuseram as mãos sobre Barnabé e Saulo, e deixaram-nos partir.

— Palavra do Senhor.

— Graças a Deus.

Salmo retirado do Livro dos Salmos (Sl 97 (98),1. 2-3ab. 3cd-4. 5-6 (R. 2a)).

— 2a O Senhor fez conhecer seu poder salvador, / às nações sua justiça.

2a O Senhor fez conhecer seu poder salvador, / e às nações sua justiça.

— Cantai ao Senhor Deus um canto novo, / porque ele fez prodígios! / Sua mão e o seu braço forte e santo alcançaram-lhe a vitória.

— O Senhor fez conhecer a salvação, / e às nações, sua justiça; / 3a recordou o seu amor sempre fiel 3b pela casa de Israel.

— 3c Os confins do universo contemplaram / 3d a salvação do nosso Deus. / Aclamai o Senhor Deus, ó terra inteira, / alegrai-vos e exultai!

— Cantai Salmos ao Senhor ao som da harpa / e da cítara suave! / 6 Aclamai, com os clarins e as trombetas, / ao Senhor, o nosso Rei!

Leitura retirada do Livro do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus (Mt 10,7-13).

Mt 10,7-13 (anunciai O Reino dos Céus está próximo)

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 7 “Em vosso caminho, anunciai: ‘O Reino dos Céus está próximo’. 8 Curai os doentes, ressuscitai os mortos, purificai os leprosos, expulsai os demônios. De graça recebestes, de graça deveis dar! 9 Não leveis ouro nem prata nem dinheiro nos vossos cintos; 10 nem sacola para o caminho, nem duas túnicas nem sandálias nem bastão, porque o operário tem direito ao seu sustento. 11 Em qualquer cidade ou povoado onde entrardes, informai-vos para saber quem ali seja digno. Hospedai-vos com ele até a vossa partida. 12 Ao entrardes numa casa, saudai-a. 13 Se a casa for digna, desça sobre ela a vossa paz; se ela não for digna, volte para vós a vossa paz”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

LEITURA ORANTE:

… Oração Inicial… (querer).

Começamos, rezando:

Deus Pai, Santo e eterno, nós te agradecemos por chamar cada um de nós pelo nome.

Em ti vivemos, agimos e crescemos.

Rezamos pelos cristãos do mundo inteiro.

Faze que vivamos sempre mais na fé e no amor que tu desejas.

… Eu sou o CAMINHO… (ler…).

O que diz o texto do dia?

Leio atentamente, na Bíblia, o texto: Mt 10,7-15.

Vão e anunciem isto: “O Reino do Céu está perto”. Curem os leprosos e outros doentes, ressuscitem os mortos e expulsem os demônios. Vocês receberam sem pagar; portanto, deem sem cobrar. Não levem guardados no cinto nem ouro, nem prata, nem moedas de cobre. Nesta viagem não levem sacola, nem uma túnica a mais, nem sandálias, nem bengala para se apoiar, pois o trabalhador tem o direito de receber o que precisa para viver.

– Quando entrarem numa cidade ou povoado, procurem alguém que queira recebê-los e fiquem hospedados na casa dessa pessoa até irem embora daquele lugar. Quando entrarem numa casa, digam: “Que a paz esteja nesta casa!” Se as pessoas daquela casa receberem vocês bem, que a saudação de paz fique com elas. Mas, se não os receberem bem, retirem a saudação.

O anúncio proposto por Jesus é simples: “O reino do céu está perto”. As ações são claras: curar, ressuscitar, expulsar o mal. As atitudes são de gratuidade e pobreza. A saudação é de paz. Um detalhe: não se preocupar se alguma cidade ou algumas pessoas não os acolherem.

… a VERDADE… (refletir e meditar…).

O que o texto diz para mim, hoje?

Para compreender a identidade de Jesus Cristo, tenho que ter o coração humilde.

Os Bispos em Aparecida nos ajudaram a compreender melhor o chamado de Jesus: “O chamado que Jesus, o Mestre faz, implica numa grande novidade. Na antiguidade, os mestres convidavam seus discípulos a se vincular com algo transcendente e os mestres da Lei propunham a adesão à Lei de Moisés. Jesus convida a nos encontrar com Ele e a que nos vinculemos estreitamente a Ele porque é a fonte da vida (cf. Jo 15,1-5) e só Ele tem palavra de vida eterna (cf. Jo 6,68). Na convivência cotidiana com Jesus e na confrontação com os seguidores de outros mestres, os discípulos logo descobrem duas coisas originais no relacionamento com Jesus. Por um lado, não foram eles que escolheram seu mestre foi Cristo quem os escolheu. E por outro lado, eles não foram convocados para algo (purificar-se, aprender a Lei…), mas para Alguém, escolhidos para se vincular intimamente a sua pessoa (cf. Mc 1,17; 2,14). Jesus os escolheu para “que estivessem com Ele e para enviá-los a pregar” (Mc 3,14), para que o seguissem com a finalidade de “ser d’Ele” e fazer parte “dos seus” e participar de sua missão. O discípulo experimenta que a vinculação íntima com Jesus no grupo dos seus é participação da Vida saída das entranhas do Pai, é se formar para assumir seu estilo de vida e suas motivações (cf. Lc 6,40b), viver seu destino e assumir sua missão de fazer novas todas as coisas.” (DAp 131).

… e a VIDA… (orar…).

O que o texto me leva a dizer a Deus?

Rezo, espontaneamente, com salmos ou outras orações e concluo com a oração:

Senhor, difunde sobre nós o teu Espírito para que sigamos sempre mais de perto Jesus Cristo e possamos dar testemunho da nossa vida cristã.

Que possamos reconhecer e servir Cristo naqueles que sofrem e passam necessidade.

Faze de nós tua morada.

Ó Deus, com a fecundidade do teu Espírito animaste a vida e a missão dos primeiros discípulos e discípulas de Jesus.

Ilumina com o mesmo Espírito os nossos corações, e acende neles o fogo do teu amor, para que sejamos testemunhas da tua Ressurreição.

Amém!

Qual deve ser a MISSÃO em minha VIDA hoje? (contemplar e agir…).

Qual meu novo olhar a partir da Palavra?

Procurarei descobrir o meu chamado para “ser d’Ele” – de Jesus – e fazer parte “dos seus”, para que todos sejam um.

REFLEXÕES:

(4) – PELA SUA PALAVRA E GESTOS, DEUS GUIA A VIDA DA HUMANIDADE.

Como parte do discurso missionário, nosso texto é a sequência do chamado dos doze discípulos, entre os quais Barnabé, cuja festa celebramos (Mt 10,1-4). Mais especificamente, nossa perícope é parte das recomendações dadas por Jesus aos discípulos acerca da missão dos Doze (cf. v. 5).

O anúncio (v. 7) deve ser acompanhado de gestos que libertam as pessoas das amarras do mal (vv. 8-16), mal que impede o Reino de Deus de ser reconhecido como próximo, e impede o ser humano de ceder à atração do Senhor. O conteúdo do anúncio é a proximidade do Reino de Deus; cercanias, em primeiro lugar, da pessoa de Jesus Cristo. Pela sua palavra e gestos, Deus guia a vida da humanidade. O despojamento deve marcar a vida daquele que é enviado. Sua confiança não deve estar nos meios pelos quais a missão é realizada, nem sua segurança nos bens. Sua confiança e segurança devem estar naquele que os enviou e na sua palavra. A paz a ser oferecida é a paz do Messias, de Jesus Cristo Ressuscitado, paz que deve ser oferecida, mas não imposta (cf. v. 12).

(Carlos Alberto Contieri).

(6) – REFLEXÃO.

.

(7) – IDE E PROCLAMAI.

Uma das tarefas dos apóstolos consistia em proclamar, aos quatro ventos, o anúncio da chegada do Reino. Finalmente realizavam-se as esperanças do povo.

E essa proclamação deveria ser feita com palavras, quanto com ações. Aliás, as ações próprias do Reino seriam a melhor prova da presença desta novidade, na história de Israel. Os gestos de curar doentes, ressuscitar os mortos, purificar os leprosos e expulsar os demônios provavam cabalmente a irrupção do Reino na história. Significavam que a vida humana fora recuperada no seu frescor original; fora libertada de todo tipo de escravidão; que o ser humano fora salvo da marginalização, tendo adquirido plenos direitos sociais e religiosos. Sobretudo, indicavam que finalmente Deus tinha a primazia sobre vida humana, livrando-a do poder da morte.

A gratuidade no ministério também seria um excelente testemunho de serviço ao Reino. Quem recebeu de graça, deve dar de graça, para fazer frente à tentação de acumular e querer impor-se pela riqueza. A falta de gratuidade pode levar o discípulo a tornar-se escravo do dinheiro, a ponto de esquecer-se da primazia de Deus e de seu Reino. Isto seria um contratestemunho.

Oração: Espírito que restaura a vida, faze de mim um arauto do Reino, colocando-me todo a serviço da libertação do meu próximo.

(Pe. Jaldemir Vitório).

(10) – REFLEXÃO.

.

(12) – PROCLAMAI QUE ESTÁ PRÓXIMO O REINO DOS CÉUS.

Cristo, o grande profeta, que pelo testemunho da vida e a força da palavra proclamou o reino do Pai, realiza a sua missão profética até à total revelação da glória, não só por meio da hierarquia, que em seu nome e com a sua autoridade ensina, mas também por meio dos leigos; para isso os constituiu testemunhas, e lhes concedeu o sentido da fé e o dom da palavra (cf. At 2,17-18; Ap 19,10), a fim de que a força do Evangelho resplandeça na vida quotidiana, familiar e social. Os leigos mostrar-se-ão filhos da promessa se, firmes na fé e na esperança, aproveitarem bem o tempo presente (cf. Ef 5,16; Col 4,5) e com paciência esperarem a glória futura (cf. Rm 8,25). […] Este modo de evangelizar, proclamando a mensagem de Cristo com o testemunho da vida e com a palavra, adquire um certo carácter específico e uma particular eficácia por se realizar nas condições ordinárias da vida no mundo.

Nesta obra, desempenha grande papel aquele estado de vida que é santificado por um sacramento próprio: a vida matrimonial e familiar. Aí se encontra um exercício e uma admirável escola de apostolado dos leigos, se a religião penetrar toda a vida e a transformar cada vez mais. Aí encontram os esposos a sua vocação própria, de serem um para o outro e para os filhos as testemunhas da fé e do amor de Cristo. A família cristã proclama em alta voz as virtudes presentes do Reino de Deus e a esperança na vida bem-aventurada. E deste modo, pelo exemplo e pelo testemunho, argui o mundo do pecado e ilumina aqueles que buscam a verdade. Por isso, ainda mesmo quando ocupados com os cuidados temporais, podem e devem os leigos exercer valiosa ação para a evangelização do mundo.

(Concílio Vaticano II – Constituição sobre a Igreja, “Lumen gentium”, § 35).

(14) – NADA TROUXEMOS AO MUNDO, COMO TAMPOUCO NADA PODEREMOS LEVAR.

Bom dia!

Aonde está o reino de Deus?

Aonde e por onde já o procuramos?

Ouvi um dia que “dinheiro não é tudo, é 100%”. Vai saber se é mesmo?

“(…) Porque nada trouxemos ao mundo, como tampouco nada poderemos levar. Tendo alimento e vestuário, contentemo-nos com isto. Aqueles que ambicionam tornar-se ricos caem nas armadilhas do demônio e em muitos desejos insensatos e nocivos, que precipitam os homens no abismo da ruína e da perdição. Porque a raiz de todos os males é o amor ao dinheiro. Acossados pela cobiça, alguns se desviaram da fé e se enredaram em muitas aflições”. (I Timóteo 6, 7-10).

O que é o dinheiro se não temos a paz para gastá-lo?

Precisamos muito do dinheiro para pagar nossas contar e manter nossa qualidade de vida, mas ele não nos visita, nos consola, nos alegra. Vi recentemente na internet um homem que ganhou milhões de dólares na loteria, no entanto hoje tenta recuperar o velho emprego de gari.

Assistindo um documentário do History Channel sobre o paradeiro da arca da aliança os pesquisadores e arqueólogos não descartam a possibilidade que ela, por ser feita de madeira e revestida de ouro possa ter se desmanchado com o tempo, sobrando apenas o ouro, que se fora encontrado, possivelmente nunca será encontrado.

A arca carregava as tábuas da Lei onde Moisés apresentou ao povo os dez mandamentos. Poderia então tamanho tesouro virado pó pelo tempo? De forma sim e também não! As tábuas sim, mas a mensagem não!

Do êxodo até os dias atuais em que momento de nossas vidas não usamos os dez mandamentos?

Na criação dos nossos filhos eles estão, nos direitos e deveres públicos também, no entanto o ouro não está.

Precisamos nos empenhar ainda mais a levar a mensagem de um reino de Deus que “paira” sobre nós, mas que insistimos em não ver. Que o dinheiro, as posses, os bens devem ser os adornos e não a vestimenta. Que a busca da felicidade não pode estar condicionada a se acertar na loteria, em ser milionário, (…).

Quem nunca sonhou estar de férias no caribe, na Europa, em Nova York com toda a família, num hotel de luxo digno de um filme de Hollywood?

Como sonhar é bom!

Por que então não acrescentamos nesses sonhos a paz, o sorriso de nossos filhos, a presença dos nossos amigos, mesmo que na realidade tudo isso esteja acontecendo num fundo de um quintal ou numa laje sem cobertura?

Se recebermos a paz ela será convidada a ficar, com dinheiro ou sem dinheiro! “(…) Que a paz esteja nesta casa! Se as pessoas daquela casa receberem vocês bem, que a saudação de paz fique com elas”.

O que me impressiona é nossa vontade de construir patrimônio e se esquecer dos alicerces que de fato nos sustentam para poder usufruir da conquista. E quanto aonde está o reino de Deus… Se de fato as tábuas viraram pó é bem provável que elas até hoje estão no ar, ao nosso redor, sobre nós…

Encontrou?

Um imenso abraço fraterno.

(Alexandre Soledade).

(14) – O REINO DOS CÉUS É JESUS.

Cheios do Espírito Santo nós também poderemos sair pelo mundo a fora anunciando que “o reino dos céus está próximo”. As graças que nós recebemos por meio Dele nos levam a um estado de espírito em que a paz que usufruímos são os sinais da justiça que praticamos. “Curai os doentes, ressuscitai os mortos, purificai os leprosos e expulsai os demônios”. É esta a nossa incumbência, é esta a nossa missão! Mas para que possamos exercê-la, precisamos também nos sentir curados (as), ressuscitados (as), purificados (as) e livres de todas as artimanhas do inimigo. Deus quer dar a todos os Seus filhos uma qualidade de vida digna à nossa eleição, pois fomos criados à Sua Imagem e semelhança e chamados a sair da nossa redoma para anunciar ao mundo que o reino dos céus é Jesus e que Ele está no meio de nós. A alegria, a felicidade e o perdão, são atributos do reino dos céus que estão dentro do nosso coração e, que, por isso, devemos levar ao mundo. Recebemos de graça, de graça devemos dar, é nosso dever, é nosso chamado e nossa missão. Porém, para que sejamos fiéis no nosso ministério Jesus recomenda a que não levemos para a nossa caminhada nada do que o mundo considerar importante, mas tão somente os dons que Dele recebemos, de graça. Assim fazendo estaremos livres dos nossos achismos, dos nossos apegos, das nossas ideias desvirtuadas pelo pecado e poderemos anunciar o reino dos céus que é a Palavra de Deus agindo em nós.

– O que você tem anunciado no caminho da sua vida?

– Você conversa com seus amigos e amigos sobre o que vê e ouve na TV, na Internet?

– Por que você não anuncia também o Evangelho?

– Você tem acolhido no coração as delicadezas de Deus para a sua vida ou tem deixado passar pensando que é mérito seu?

(Helena Colares Serpa).

(14) – E GRAÇA RECEBESTES, DE GRAÇA DEVEIS DAR!

A missão para os discípulos de ontem e de hoje é clara: proclamar o Reino de Deus. Um Reino que estava próximo e que agora, por Jesus, está no meio de nós. Jesus chama os Doze e os envia com instruções precisas. O verdadeiro discípulo é quem se sente enviado por Jesus e segue suas instruções. Com esse envio missionário, começa uma nova etapa na aprendizagem da escola discipular que está sempre aberta. Agora não é somente Jesus, mas todo o grupo parte para anunciar a Boa Nova do Reino de Deus. Se a pregação de Jesus já causa confrontos, isso se ampliará com a pregação de todo grupo.

A novidade introduzida por Jesus em relação a outros grupos de seu tempo, que também pregavam suas doutrinas, é que, enquanto os demais levavam dinheiro para comprar seus alimentos, por desconfiar da comida impura do povo, os discípulos de Jesus são chamados a viver da simplicidade, da humildade e da confiança, bem como a solucionar problemas concretos da comunidade. Uma boa leitura da realidade, com respostas simples, trará rios de paz às nossas comunidades.

(Claretianos).

(14) – DE GRAÇA RECEBESTES, DE GRAÇA DEVEIS DAR!

Jesus envia os discípulos para anunciar que o Reino dos Céus está próximo, e revestindo-os de poderes para curar os doentes, ressuscitar os mortos, purificar os leprosos, expulsar os demônios, etc. E também recomenda para que eles não cobrem nenhum dinheiro por estas curas, e afirma que: “De graça recebestes, de graça deveis dar”! Portanto, prezados irmãos, nós que somos enviados para evangelizar, não devemos exigir absolutamente nada pelo nosso trabalho, principalmente dinheiro. Os fiéis, por sua parte, é que devem saber, ou estar conscientes de sua obrigação de colaborar conosco com relação às nossas necessidades vitais, atendendo a recomendação do próprio Jesus Cristo.

Isto porque Jesus recomendou que os primeiros padres não levassem consigo nenhum mantimento, nem mesmo dinheiro. Nem sacola para o caminho, nem duas túnicas nem sandálias nem bastão.

E porque isso?

Porque o operário do Reino, o sacerdote, tem direito ao seu sustento. Sustento esse que deve ser fornecido por nós. Essa foi a orientação do próprio Filho de Deus, para calar a boca daqueles incrédulos ou não cristãos, que vivem dizendo que a Igreja é rica, que eles não dão dinheiro para os padres, ou que a Igreja cobrou para fazer um batizado ou um casamento… E para aqueles ou aquelas que jogam umas moedinhas que lhes estão incomodando, na hora da coleta.

Cada paróquia tem sua manutenção. Não só o alimento e vestimenta dos sacerdotes, pois é necessário pagar a eletricidade, a água que consome, fazer reformas periódicas seja de ampliação ou de conservação do prédio, efetuar a limpeza ou faxina das dependências, pagar à secretária, entre outras despesas ordinárias…

E é bom que esclarecer que a nossa contribuição para a Igreja, não é uma despesa, um peso em nosso bolso, ou coisa parecida. Muito pelo contrário, trata-se de um dos melhores investimentos! O cristão possui três tipos de investimentos, a saber:

1 – A esmola. (Tive fome e me deste de comer…) da qual dependerá a nossa salvação. “Quem der um na Terra receberá cem no Céu…”;

2 – A oferta. É aquela contribuição que fazemos na hora da coleta, ou mensalmente na secretaria da paróquia, para o Seminário, ou para a Diocese.

3 – A nossa dedicação-doação em prol da evangelização. É o caso dos padres, freiras e ou catequistas…

Com certeza, estes investimentos são melhores que qualquer outro investimento, seja em imóveis, propriedades, em títulos e bolsas de valores, fundo de renda fixa, etc. que podemos aplicar em um banco. Porque são investimentos que os ladrões não roubam, nem estão sujeitos a nenhum tipo de catástrofe, como no caso de uma guerra por exemplo.

São investimentos para O Reino de Deus, para a glória de Deus, e para nossa salvação, com retorno garantido, que foi prometido Jesus.

(José Salviano).

====================================================================

O DÍZIMO

O dízimo é uma pequena parte do muito que Deus nos deu e continua nos dando gratuitamente, sem nada cobrar. Porque Deus é amor, é aquele que criou tudo o que existe e nos deu de presente. Portanto, antes de começar a gastar o nosso salário, comprando e comprando coisas que nem precisamos e que nunca vamos usar, devemos honrar a Deus dando-Lhe o que Lhe pertence primeiro. A bem da verdade, uma parte do nosso salário ou da nossa renda pertence a Deus.

Ofertar o dízimo é uma forma de aprender que Deus ocupa o primeiro lugar na nossa vida. A Bíblia diz em Deuteronômio 14:22-23 “Certamente darás os dízimos de todo o produto da tua semente que cada ano se recolher do campo. E, perante o Senhor teu Deus, no lugar que escolher para ali fazer habitar o seu nome, comerás os dízimos do teu grão, do teu mosto e do teu azeite, e os primogênitos das tuas vacas e das tuas ovelhas; para que aprendas a temer ao Senhor teu Deus por todos os dias”.

Como era o dízimo usado em Israel?

A Bíblia diz em Números 18:21 “Eis que aos filhos de Levi tenho dado todos os dízimos em Israel por herança, pelo serviço que prestam, o serviço da tenda da revelação”.

No Evangelho de hoje Jesus Cristo aprova o dízimo. “Aí de vós, fariseus, porque pagais o dízimo da hortelã, da arruda e de todas as outras ervas, mas deixais de lado a justiça e o amor de Deus. Vós deveríeis praticar isso, sem deixar de lado aquilo”. No Evangelho de Mateus 23:23 “Ai de vós, escribas e fariseus, hipócritas! porque dais o dízimo da hortelã, do endro e do cominho, e tendes omitido o que há de mais importante na lei, a saber, a justiça, a misericórdia e a fé; estas coisas, porém, devíeis fazer, sem omitir aquelas”.

Viu?

Não podemos deixar de lado o dízimo. O que Jesus adverte ou nos recomenda, é que o dízimo deve ser um bom complemento da caridade, e esta sublime oferta que na verdade é uma pequena devolução de um pouquinho do muito que recebemos diariamente do Pai eterno, deve ser feite não apenas com a mão, mas com todo o nosso ser, com muita consciência e muito amor.

Paulo também nos recomenda sobre a importância da nossa oferta a Deus Pai. 1 Coríntios 9:13-14 “Não sabeis vós que os que administram o que é sagrado comem do que é do templo? E que os que servem ao altar, participam do altar? Assim ordenou também o Senhor aos que anunciam o evangelho, que vivam do evangelho”.

Em que princípio se baseia a devolução do dízimo?

A Bíblia diz em Salmos 24:1 “Do Senhor é a terra e a sua plenitude; o mundo e aqueles que nele habitam”.

De donde vêm as riquezas?

A Bíblia diz em Deuteronômio 8:18 “Antes te lembrarás do Senhor teu Deus, porque ele é o que te dá força para adquirires riquezas; a fim de confirmar o seu pacto, que jurou a teus pais, como hoje se vê”.

Além do dízimo que mais devemos trazer ao Seu santuário?

A Bíblia diz em Salmos 96:8 “Tributai ao Senhor a glória devida ao seu nome; trazei oferendas, e entrai nos seus átrios”.

Deus diz que quando não damos dízimos e ofertas, estamos roubando-Lhe. A Bíblia diz em Malaquias 3:8 “Roubará o homem a Deus? Todavia vós me roubais, e dizeis: Em que te roubamos? Nos dízimos e nas ofertas alçadas”.

Como sugere Deus que provemos as bênçãos que Ele prometeu?

A Bíblia diz em Malaquias 3:10 “Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa, e depois fazei prova de mim, diz o Senhor dos exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céu, e não derramar sobre vós tal bênção, que dela vos advenha a maior abastança”.

Dá com alegria como quem quer agradar a Deus. A Bíblia diz em 2 Coríntios 9:7 “Cada um contribua segundo propôs no seu coração; não com tristeza, nem por constrangimento; porque Deus ama ao que dá com alegria”.

Deus diz que o que damos deve refletir com honestidade o que recebemos. A Bíblia diz em Deuteronômio 16:17 “Cada qual oferecerá conforme puder, conforme a bênção que o Senhor teu Deus lhe houver dado”.

(José Salviano baseado em texto de autor desconhecido).

(14) – O REINO DOS CÉUS ESTÁ PRÓXIMO!

A todo instante, somos chamados a ser discípulo de Jesus!

Todos são chamados, Jesus não faz restrições de pessoas, Ele nos provou isso, quando chamou os doze primeiros discípulos, pessoas simples, sem nenhuma formação.

Não precisamos ter diploma acadêmico para anunciar Jesus, podemos anunciá-Lo até mesmo no nosso silencio, com a o nosso testemunho de vida!

Para assumirmos esta missão tão necessária no mundo, é preciso apenas ter o coração aberto e estar matriculado na escola de Jesus!

Mais importante do que ser Cristão, é ser discípulo, pois o discípulo não somente crê em Jesus, ele torna íntimo Dele, conhece-O!

A convivência com Jesus, inquieta o discípulo, tudo que ele aprende do Mestre, é tão bom, que ele passa a ter um anseio de levá-Lo ao outro. É a partir daí, que ele se torna missionário, um anunciador da boa Nova do Reino!

Sabemos que nesta nossa caminhada de discípulo missionário, seremos desafiados a todo instante, mas as forças contrárias ao evangelho, não conseguem deter, quem procura se espelhar no testemunho de Jesus.

O verdadeiro missionário não tem como pretensão, anunciar a si mesmo, e sim, àquele que ele anuncia: Jesus!

Quando Jesus nos diz: “O reino de Deus está próximo” Ele fala de si mesmo, pois a sua pessoa é a própria presença do Reino de Deus, tão próximo de nós, tão ao nosso alcance!

São muitas as pessoas necessitadas das nossas mãos, dos nossos ouvidos, das nossas palavras, e Jesus nos convoca a ser presença na vida destes irmãos, como representantes Dele! É Ele, através de nós, quem vai levantar os que estão caídos, que vai renovar a esperança dos abatidos e libertar os cativos!

Para desempenarmos bem a nossa missão de Anunciadores do Reino, precisamos primeiramente estar disponível, despidos da vaidade, do egoísmo, só assim estaremos livres para servir!

Livres, disponíveis, tornamos instrumentos de trabalho a serviço de Deus! Quanto ao que fazer, e como fazer, não precisamos nos preocupar, pois o Espírito Santo nos orientará.

Nossa missão deve se desenvolver em clima de gratuidade, humildade e desprendimento.

A certeza da presença de Jesus junto de nós, nos encoraja, nos motiva a assumir com mais empenho e alegria, a nossa cumplicidade no anuncio de todas as propostas de felicidade plena!

A vida de união e comunhão com Deus vai impregnando na vida do seguidor de Jesus, de tal modo que ele vai aos poucos, aprendendo a interpretar os acontecimentos políticos, sociais e religiosos sempre à luz de Deus.

Jesus nos convida a segui-Lo, Ele não nos ilude com facilidades, mas nos garante uma grande recompensa: viver já aqui na terra, as alegrias do céu!

FIQUE NA PAZ DE JESUS!

(Olívia Coutinho).

(20) – REFLEXÃO.

.

(24) – REFLEXÃO.

.

(25) – REFLEXÃO.

.

CELEBRAÇÃO DE HOJE:

SÃO BARNABÉ, APÓSTOLO (VERMELHO, PREFÁCIO DOS APÓSTOLOS – OFÍCIO DA MEMÓRIA).

MONIÇÕES:

MONIÇÃO AMBIENTAL OU COMENTÁRIO INICIAL:

– 1ª: Periódico Deus Conosco; – 2ª: Periódico Liturgia Diária.

– 1ª:

José, a quem os Apóstolos chamavam ‘Barnabé’ (nome que quer dizer ‘filho da consolação’), era natural de Chipre. Era um homem bom, cheio do Espírito Santo e de fé. Procurou sempre conciliar as duas culturas, grega e judaica. Era muito estimado pelos apóstolos, que o designaram para a evangelização de Antioquia. Acompanhou Paulo na primeira viagem missionária e no primeiro Concílio de Jerusalém. Glorifiquemos, pois, o Senhor, por seus apóstolos.

– 2ª:

Barnabé (Chipre, séc. I), “filho da consolação”, era, segundo o livro dos Atos, “homem virtuoso e cheio do Espírito Santo e de fé” que “exortava todos a perseverar de coração firme no Senhor”. Foi companheiro de Paulo na atividade missionária e grande conciliador entre os expoentes das culturas judaicas e helênica.

MONIÇÃO PARA A(S) LEITURA(S) E O SALMO:

– 1ª: Periódico Deus Conosco; – 2ª: Periódico Liturgia Diária.

– 1ª:

Barnabé era um homem bom, cheio do Espírito Santo e de fé. Por isso, muito se alegrou em ver a fidelidade da Comunidade. E Jesus nos chama para que sejamos anunciadores da verdade do Reino, que nos traz paz, muita paz. Escutemos.

– 2ª:

O Espírito Santo age sobre Barnabé e sobre todos os que se deixam conduzir por ele, os quais, assim, podem reconhecer a presença do reino no mundo e dar a conhecer essa boa-nova.

MONIÇÃO PARA O EVANGELHO.

— Aleluia, aleluia, aleluia.

— Aleluia, aleluia, aleluia.

— Ide ao mundo e ensinai a todas as nações! Eis que eu estou convosco, até o fim do mundo! (Mt 28,19).

ANTÍFONAS:

Antífona da entrada.

Feliz foi Barnabé, santo de Deus, que mereceu ser contado entre os apóstolos. Era na verdade um homem bom, cheio do Espírito Santo e de fé (At 11,24).

Antífona da comunhão.

Já não vos chamo servos, diz o Senhor, porque o servo não sabe o que faz o seu Senhor. Chamei-vos amigos, porque vos dei a conhecer tudo o que ouvi de meu Pai (Jô 15,15).

ORAÇÕES DO DIA:

Oração do dia ou Oração da coleta.

Ó Deus, que designastes são Barnabé, cheio de fé e do Espírito Santo, para converter as nações, fazei que a vossa Igreja anuncie por palavras e atos o evangelho de Cristo que ele proclamou intrepidamente. Por nosso Senhor Jesus Cristo, vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

Preces da Assembleia ou Oração da Assembleia:

– 1ª: Periódico Deus Conosco; – 2ª: Periódico Liturgia Diária.

– 1ª:

Guardemos fielmente os ensinamentos de Cristo e, por meio dele, supliquemos ao Pai pelas necessidades de seu povo.

— Ó Pai, atendei o seu povo.

1. POR todos os que anunciam com alegria o Evangelho de Jesus, roguemos.

2. PELAS pessoas que aliviam as dores e as angústias dos irmãos e irmãs, roguemos.

3. PARA que Deus seja amado e respeitado no mundo, roguemos.

4. POR aqueles que trabalham com os Menores e Jovens abandonados, roguemos.

5. POR todos que testemunham sua fé, com atos, palavras e obras, roguemos.

6. PARA que a Televisão ajude a formar a consciência do povo na ética e na justiça, roguemos.

(Intenções próprias da Comunidade)

Favorecei-nos, Senhor Deus, com os efeitos contínuos de vossa graça, e dai a nosso tempo a vossa paz. Vós que viveis e reinais para sempre.

– 2ª:

— Ouvi-nos e atendei-nos, Senhor.

1. A fim de que a Igreja, edificada sobre o testemunho dos apóstolos, seja sempre fiel ao seu compromisso evangelizador, rezemos.

2. A fim de que os presbíteros, os missionários e os catequistas saibam consolar e animar os irmãos e irmãs, rezemos.

3. A fim de aumente a sensibilidade dos governantes por aqueles que mais sofrem, rezemos.

4. A fim de que as comunidades que passam por dificuldades encontrem forças no trabalho solidário, rezemos.

5. A fim de que, a exemplo de são Barnabé, sejamos instrumentos de conciliação entre as diferentes culturas e grupos religiosos, rezemos.

(Intenções próprias da Comunidade)

Oração sobre as oferendas.

Nós vos pedimos, ó Deus, que santifiqueis a vossa bênção as nossas oferendas; acendam elas em nós a caridade que impeliu São Barnabé a levar aos gentios a luz do evangelho. Por Cristo, nosso Senhor.

Oração depois da comunhão.

Ao recebemos, ó Deus, o penhor da vida eterna, dai-nos gozar, na vossa luz, o que celebramos, sob o véu do sacramento, em honra do apóstolo São Barnabé. Por Cristo, nosso Senhor.

FONTES DE CONSULTAS E PESQUISAS:

Vamos expor a seguir de onde pertencem os textos que nos preenchem todos os dias, nos dando um caminho com mais sabedoria, simplicidade e amor.

FONTE PRINCIPAL DE PESQUISA E INSPIRAÇÃO

bc3adblia1

REFLITA:

O importante não é a pessoa que escreve, mas quem foi que inspirou essa pessoa a escrever.

O importante não é como se lê o que está escrito, mas como se age.

O importante não é sentar-se à direita ou a esquerda do Pai, mas sim, realizar o trabalho que Ele nos pede.

Ter conhecimento não é ter sabedoria, sabedoria é saber compartilhar o conhecimento.

(0) – Blog Liturgia Diária da Palavra de Deus (Reflexões e Comentários);

(1) – Periódico Mensal: Liturgia Diária (Editoras Paulinas e Paulus);

(2) – Periódico Mensal: Deus Conosco (Editora Santuário);

(3) – Portal Editora Santuário;

(4) – Portal Editora Paulinas;

(5) – Portal Editora Paulus;

(6) – Portal e Blog Canção Nova;

(7) – Portal Dom Total;

(8) – Portal Católica Net;

(9) – Portal Católico Orante;

(10) – Portal Edições Loyola Jesuítas;

(11) – Portal de Catequese Católica;

(12) – Portal Evangelho Quotidiano;

(13) – Blog Homilia Dominical;

(14) – Blog Liturgia Diária Comentada;

(15) – Portal CNBB (A Palavra de Deus na Vida);

(16) – Portal Catequisar: Catequese Católica;

(17) – Portal Universo Católico;

(18) – Portal Paróquia São Jorge Mártir;

(19) – Portal Catedral FM 106,7;

(20) – Portal Comunidade Católica Nova Aliança;

(21) – Portal Comunidade Resgate;

(22) – Portal Fraternidade O Caminho;

(23) – Portal Católico na Net;

(24) – Portal Evangeli.net;

(25) – Portal Padre Marcelo Rossi;

(26) – Portal Grupo de Oração Sopro de Vida;

(27) – Portal NPD Brasil.

MINHA MENSAGEM PESSOAL PARA MIM MESMO.

Mais vale o desconforto da VERDADE, do que a comodidade da MENTIRA.

E usando a essência da Oração da Serenidade, devo orar:

Ó meu Deus e Senhor, Pai de misericórdia e Salvação,

que em seu Filho Jesus perdoou os nossos pecados,

e com o seu Santo Espírito, paráclito nesse nosso mundo que caminha conosco,

apenas em Ti posso almejar a vida eterna, socorre-me e ouvi-me:

Se o ERRO está em mim, que DEUS possa me dar a HUMILDADE de aceitar que estou errado.

Que Jesus me dê a SERENIDADE, para aceitar que tem coisas que não posso mudar.

E que o Espírito Santo me dê a CORAGEM, suficiente para mudar aquelas coisas que dependem de mim, mesmo que sejam difíceis.

E para complementar os alicerces de orações da minha vida, faço como o santo Tomás de Aquino:

“Concede-me, Deus misericordioso, que deseje com ardor o que tu aprovas, que o procure com prudência, que o reconheça em verdade, que o cumpra na perfeição, para louvor e glória do teu nome.

Põe ordem na minha vida, ó meu Deus, e permite-me que conheça o que tu queres que eu faça, concede-me que o cumpra como é necessário e como é útil para a minha alma.

Concede-me, Senhor meu Deus, que não me perca no meio da prosperidade nem da adversidade; não deixes que a adversidade me deprima, nem que a prosperidade me exalte.

Que nada me alegre ou me entristeça para além do que conduz a ti.”

Viver CORRETO e falar a VERDADE hoje são tão difíceis quanto na época de Jesus, pois é muito mais fácil aceitar a MENTIRA e fazer o ERRADO.

Viver no CAMINHO, VERDADE E VIDA, que é o próprio Cristo Jesus, tem que ser uma caminhada diária.

O futuro é desejo e pensamento.

O passado é aprendizado e lembrança.

O hoje é realidade, isso quer dizer: CRISTO.

Meus amigos(as) de coração, meus irmãos(ãs) em Cristo Jesus, lembrem-se:

“Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas.”

“Não julgues para não seres julgados.”

“A quem é muito dado, muito será cobrado.”

Anúncios
Esse post foi publicado em Religião. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s