Liturgia Diária 12/JUL/13

LEITURA DIÁRIA DA PALAVRA — 12/JUL/2013 (sexta-feira)

OS MISSIONÁRIOS SERÃO PERSEGUIDOS

Mt 10,16-23 (Os missionários serão perseguidos)

LEITURAS:

Leitura retirada do Livro do Gênesis (Gn 46,1-7.28-30)

(Saída de Jacó para o Egito / A acolhida de José)

Leitura do Livro do Gênesis.

Naqueles dias, Israel partiu com tudo o que tinha. Ao chegar a Bersabeia, ofereceu sacrifícios ao Deus de seu pai, Isaac. 2 Deus falou a Israel em visão noturna, dizendo-lhe: “Jacó! Jacó!” Ele respondeu: “Aqui estou!” 3 E Deus lhe falou: “Eu sou Deus, o Deus de teu pai: não tenhas medo de descer ao Egito, pois lá farei de ti uma grande nação. Eu mesmo descerei contigo ao Egito e te reconduzirei de lá quando voltares; e é José que te fechará os olhos”. 5 Jacó levantou-se e deixou Bersabeia, e seus filhos o puseram, com as crianças e as mulheres, sobre os carros que o Faraó enviara para os transportar. 6 Levaram, também, tudo o que possuíam na terra de Canaã; e foram para o Egito, Jacó com toda a sua família, 7 com seus filhos e netos, suas filhas e toda a sua descendência. 28 Jacó enviou Judá na frente para avisar José e fazê-lo vir ao seu encontro em Gessen. E chegaram à terra de Gessen. 29 José mandou atrelar seu carro e subiu a Gessen ao encontro do pai. Logo que o viu, lançou-se ao seu pescoço e, abraçado a ele, chorou longamente. 30 Israel disse a José: “Agora, morrerei contente, porque vi a tua face e te deixo com vida”.

— Palavra do Senhor.

— Graças a Deus.

Salmo retirado do Livro dos Salmos (Sl 37(36),3-4. 18-19. 27-28. 39-40 (R. 39a))

(A sorte do justo é do ímpio)

— 39a A salvação vem de Deus!

39a A salvação vem de Deus!

— 3 Confia no Senhor e faze o bem, / e sobre a terra habitarás em segurança. 4 Coloca no Senhor tua alegria, / e ele dará o que pedir teu coração.

— 18 O Senhor cuida da vida dos honestos, / e sua herança permanece eternamente. 19 Não serão envergonhados nos maus dias, / mas nos tempos de penúria, saciados.

— 27 Afasta-te do mal e faze o bem, / e terás tua morada para sempre. 28 Porque o Senhor Deus ama a justiça, / e jamais ele abandona os seus amigos. / Os malfeitores hão de ser exterminados, / e a descendência dos malvados destruída.

— 39 A salvação dos piedosos vem de Deus; / ele os protege nos momentos de aflição. 40 O Senhor lhes dá ajuda e os liberta, / defende-os e protege-os contra os ímpios, / e os guarda porque nele confiaram.

Leitura retirada do Livro do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus (Mt 10,16-23)

(Os missionários serão perseguidos)

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus.

— Glória a vós, Senhor.

Naquele tempo, disse Jesus aos seus discípulos: 16 “Eis que eu vos envio como ovelhas no meio de lobos. Sede, portanto, prudentes como as serpentes e simples como as pombas. 17 Cuidado com os homens, porque eles vos entregarão aos tribunais e vos açoitarão nas suas sinagogas. 18 Vós sereis levados diante de governadores e reis, por minha causa, para dar testemunho diante deles e das nações. 19 Quando vos entregarem, não fiqueis preocupados como falar ou o que dizer. Então naquele momento vos será indicado o que deveis dizer. 20 Com efeito, não sereis vós que havereis de falar, mas sim o Espírito do vosso Pai é que falará através de vós. 21 O irmão entregará à morte o próprio irmão; o pai entregará o filho; os filhos se levantarão contra seus pais, e os matarão. 22 Vós sereis odiados por todos, por causa de meu nome. Mas quem perseverar até o fim, esse será salvo. 23 Quando vos perseguirem numa cidade, fugi para outra. Em verdade vos digo, vós não acabareis de percorrer as cidades de Israel, antes que venha o Filho do Homem.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

LEITURA ORANTE:

… Oração Inicial… (querer)

Preparo-me, com todos os internautas, para a Leitura Orante rezando:

Em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo. Amém.

Senhor, que a messe não se perca por falta de operários.

Desperta as nossas comunidades para a missão.

Ensina a nossa vida a ser serviço.

Fortalece os que querem dedicar-se ao Reino, na vida consagrada e religiosa.

Senhor da messe e pastor do rebanho, chama-nos para o serviço do teu povo.

Maria, Mãe da Igreja, modelo dos servidores do Evangelho, ajuda-nos a responder “sim”.

Amém.

… Eu sou o CAMINHO… (ler…)

O que diz o texto do dia?

Leio atentamente, na Bíblia, o texto: Mt 10,16-23, e observo as recomendações de Jesus.

Cada cristão, por ser seguidor de Jesus Cristo, é enviado para ser discípulo e missionário de Jesus Cristo. Pois:

Foi criado para ser discípulo e missionário (Ef 2,10).

Foi salvo para ser discípulo e missionário (2Tm 1,9).

Foi chamado para ser discípulo e missionário (1Pd 2,10).

Foi autorizado para ser discípulo e missionário (Mt 20,26-28).

Foi preparado para ser discípulo e missionário (Ef 4,11-12).

É necessário para ser discípulo e missionário (1Cor 12,27).

É responsável pelo ministério, e será recompensado por ser discípulo e missionário (Cl 3,23,24).

Enfrentarão desafios e para isto Jesus os exorta à perseverança. E garante-lhes que não serão deixados sem apoio, mas o próprio Espírito de Deus estará com eles.

… a VERDADE… (refletir e meditar…)

O que o texto diz para mim, hoje?

Também eu sou uma pessoa chamada ser discípula e missionária. Ao me examinar, verifico se assumo, como afirmam os bispos latino-americanos, “evangelicamente e a partir da perspectiva do Reino as tarefas prioritárias que contribuem para a dignificação do ser humano e a trabalhar junto com os demais cidadãos e instituições para o bem do ser humano. O amor de misericórdia para com todos os que veem vulnerada sua vida em qualquer de suas dimensões, como bem nos mostra o Senhor em todos seus gestos de misericórdia, requer que socorramos as necessidades urgentes, ao mesmo tempo que colaboremos com outros organismos ou instituições para organizar estruturas mais justas nos âmbitos nacionais e internacionais.” (DAp 384).

… e a VIDA… (orar…)

O que o texto me leva a dizer a Deus?

Rezo, com o bem-aventurado Alberione:

Jesus Mestre, que eu pense com a tua inteligência e com a tua sabedoria.

Que eu ame com o teu Coração…

Que eu veja sempre com os teus olhos.

Que eu fale com a tua língua.

Que eu ouça somente com teus ouvidos.

Que eu saboreie aquilo que tu gostas.

Que as minhas mãos sejam as tuas.

Que os meus pés sigam os teus passos.

Qual deve ser a MISSÃO em minha VIDA hoje? (contemplar e agir…)

Qual meu novo olhar a partir da Palavra?

Meu novo olhar de discípulo e missionário de Jesus Cristo é revelado em atitudes concretas. Como dizia Santo Alberto Hurtado: “Em nossas obras, nosso povo sabe que compreendemos sua dor”.

BÊNÇÃO:

Bênção do apóstolo Paulo para você!

– O Deus da paz vos santifique completamente.

– Vos conserve íntegros em espírito, alma e corpo, e irrepreensíveis para quando vier o Senhor Jesus Cristo.

– A graça do Senhor Jesus Cristo esteja convosco. (1Ts 5,23ss).

Em nome do Pai, e do Filho e do Espírito Santo. Amém.

REFLEXÕES:

(4) – É POR CAUSA DE JESUS QUE OS DISCÍPULOS SÃO PERSEGUIDOS

Trata-se da continuação da missão dada aos Doze, enviados por Jesus para pregar a proximidade do Reino dos Céus. “Vede, eu vos envio como ovelhas para o meio de lobos” (v. 16). Os discípulos devem ter presente, olhando para o próprio Senhor, a possibilidade de ser ameaçados, hostilizados e perseguidos. O mais doloroso é que a perseguição, a hostilidade, não vêm somente de fora, mas também de dentro da comunidade, da própria família.

Na perseguição é preciso prudência e simplicidade; é preciso discernir para não se deixar enredar por quem quer que seja. É por causa de Jesus que os discípulos são perseguidos (v. 18a). Esse sofrimento é o preço do testemunho: “… dareis testemunho diante deles e diante dos pagãos” (v. 18b). Em tudo isso é preciso confiança, pois o “Espírito do vosso Pai falará em vós” (v. 20). O Espírito Santo, que é dom gratuito do Pai, é que inspira os discípulos.

Essa confiança é que deve sustentar a vida dos discípulos enviados em missão. As traições, o ódio, a rejeição por causa de Jesus e do seu evangelho não têm por que nos assustar. Todos nós somos às vezes cordeiro e lobo, até que se realize a identificação do discípulo com o Mestre.

A missão é universal porque os doze discípulos escolhidos por Jesus não acabarão “de percorrer as cidades de Israel, antes que venha o Filho do Homem” (v. 23).

Haverá sempre necessidade de conduzir as pessoas ao único e verdadeiro pastor (cf. Ex 34,23-34), enquanto houver ódio entre os irmãos, enquanto houver perseguições em nome de Jesus.

(Carlos Alberto Contieri).

(6) – A PRUDÊNCIA É PRÓPRIA DOS QUE ESTÃO A SERVIÇO DE DEUS

Ser prudente é saber que para tudo existe um momento.

“Eis que vos envio como ovelhas no meio de lobos. Sejam prudentes como as serpentes e simples como as pombas” (Mt 10,16).

Jesus está nos mandando para o mundo, pois, no meio dele, seremos testemunhas do Evangelho, desse amor misericordioso de Deus que, um dia, nos conquistou e mudou nossa vida.

Como devo me comportar no meio do mundo uma vez que sou portador do Evangelho?

A primeira coisa é ser muito prudente, assim como as cobras o são, sabendo o momento de recolher e o momento de dar o bote.

Não precisamos ter uma rapidez exagerada ao querer pregar o Evangelho de uma só vez, ao converter toda nossa família no primeiro momento nem querer converter o mundo todo de uma só vez. É necessário ter a sede de que isso aconteça, mas sabendo também esperar o tempo de cada um.

Ser prudente é saber que para tudo existe um momento, é não se deixar abater pela frustração diante das dificuldades que nos serão impostas.

Uma vez que somos prudentes, também somos mansos, capazes de saber esperar o momento e a graça de Deus. Sabendo se conformar até mesmo quando as coisas não vão bem.

Que Deus nos dê a prudência e a mansidão para que, no meio do mundo, sejamos testemunhas do Evangelho de Jesus Cristo.

Deus abençoe você!

(Pe. Roger Araújo).

(7) – PERSEVERAR ATÉ O FIM

O quadro da missão descrito por Jesus ao enviar seus apóstolos ajuda-nos a compreender por que ele insistiu no tema da perseverança até o fim, como penhor de salvação. De fato, as palavras do Mestre não deixavam margem para ilusões: o cumprimento do mandato missionário aconteceria em meio a dificuldades e reveses, exigindo muita fibra e muita garra para serem enfrentados. Personalidades dúbias, inseguras e medrosas estavam, de antemão, excluídas deste projeto missionário.

A realidade descrita por ele tem um quê de aterrador. Os missionários serão entregues aos tribunais, flagelados nas sinagogas, arrastados diante de reis e governadores, vitimados por seus próprios familiares, odiados por todos. Bastava que as primeiras comunidades cristãs considerassem a experiência de Jesus para se darem conta do significado da exortação do Mestre. Ele falava da própria experiência.

Evidentemente, nenhum apóstolo estaria em condições de suportar tudo isto, e perseverar até o fim, sem contar com o auxílio divino. Daí o alerta de Jesus a respeito da ação do Espírito do Pai, em favor dos apóstolos, de modo especial nos momentos difíceis da missão. Nos tribunais, o Espírito colocaria em suas bocas as palavras adequadas. Ao serem flagelados, dar-lhes-ia forças para suportar. Ao serem objeto do ódio dos familiares, dar-lhes-ia a capacidade de não fraquejar.

O Espírito é quem torna possível a perseverança.

Oração: Pai, reveste-me com a força do teu Espírito a fim de que eu tenha força suficiente para perseverar, até o fim, no cumprimento da missão recebida de Jesus.

(Pe. Jaldemir Vitório).

(10) – BOA NOVA PARA CADA DIA

… não sereis vós que havereis de falar, mas sim o Espírito de vosso Pai é que falará por meio de vós (Mt 10,20).

As orientações de Jesus sobre o Reino dos Céus continuam neste Evangelho.

Desta vez, Jesus os adverte sobre o risco que o anúncio do Reino dos Céus implica.

Haverá gente que se oporá de tal maneira tão radical a Deus que porão os discípulos nas prisões, inventarão falsos testemunhos contra eles nos tribunais, nas sinagogas baterão neles com varas. Serão até mesmo levados como criminosos diante de governadores e reis.

Quando estas coisas acontecerem, não somente o Reino dos Céus será rejeitado como o próprio Jesus Messias e seus enviados.

Jesus, no entanto, mantém o domínio sobre tudo.

Com esta firmeza avisa os discípulos que não precisam ter medo de nada. Se forem julgados nos tribunais, por meio deles falará o Espírito de Deus Pai. Se, portanto, Deus estará com eles, por que terão medo dos homens? [Sl 26(27),1].

Devemos notar como neste Evangelho Jesus começou falando sobre o Reino dos Céus e termina falando de Si mesmo e da acolhida ou da rejeição por parte das pessoas que recebem os apóstolos e demais discípulos. Isto nos mostra como o Reino dos Céus, em primeiro lugar, está na pessoa de Jesus. Jesus é o Reino dos Céus presente no mundo.

Jesus continua advertindo aos discípulos que o Reino dos Céus e a própria pessoa de Jesus provocarão divisão entre as pessoas neste mundo. Esta divisão será de tal forma radical que causará a morte de muitos pelo nome de Jesus. Vós sereis odiados por todos por causa do Meu Nome (Mt 10,22a).

Se Jesus fala de “todos”, quer dizer que em um momento na história haverá uma maioria que será opositora a Ele e a Sua Igreja disposta a provar a fé dos discípulos. Muitos cristãos são mortos a cada ano no mundo.

Ver (http://www.estadao.com.br/noticias/impresso,vaticano-diz-que-100-mil-cristaos-sao-mortos-a-cada-ano-,1037045,0.htm).

Contudo, Jesus conclui: quem perseverar até o fim será salvo (Mt 10,22b).

Se perseverar até o fim no meio de grandes perseguições parece difícil, lembremos sempre: se Deus e o próprio Jesus estarão conosco até o fim (Mt 28,20), de quem teremos medo? [Sl 26(27),1]. Lembremo-nos novamente o que diz São Paulo em Romanos 8,31: “… se Deus está a nosso favor, quem estará contra nós?”.

(Pe. Valdir Marques).

(12) – COMO OVELHAS PARA O MEIO DOS LOBOS

Exorto-te, pela graça de que estás revestido, a que redobres de ardor e a que exortes todos os irmãos, para que sejam salvos. Justifica a tua dignidade episcopal por meio de uma vigilância incessante da carne e do espírito; tem o cuidado da unidade, que nada ponha em causa. Suporta todos os teus irmãos com paciência, como o Senhor te suporta a ti; suporta-os a todos com amor, como aliás fazes. Ora sem descanso; suplica uma sabedoria ainda maior; vela e mantém o teu espírito em alerta; fala a cada um em particular, a exemplo de Deus. “Suporta as enfermidades” (cf. Mt 8,17) de todos como verdadeiro atleta; onde houver mais esforço, aí haverá mais ganho.

Se apenas amares os bons discípulos, não tens qualquer mérito; os que tens de submeter pelo amor são principalmente os mais afetados. Não se aplica o mesmo bálsamo a todos os ferimentos; apazigua as crises agudas com compressas humedecidas. Sê em todas as coisas “prudente como as serpentes” e sempre “simples como as pombas”. Tu, que és carne e espírito, trata com bondade aquilo que atinges pelos sentidos, mas reza também para que o mundo invisível te seja revelado. Deste modo, não te faltará coisa alguma, e serás rico com os dons do Espírito.

Assim como o navegador invoca os ventos e o marinheiro assaltado pela tempestade clama pelo porto, assim este nosso tempo te convida a juntares-te a Deus. Pratica a sobriedade, como atleta de Deus que és, e terás como prémio a vida eterna e imperecível. […] Um grande atleta triunfa a despeito dos golpes. É principalmente por Deus que temos de aceitar todas as provas, a fim de que também Ele nos aceite. Redobra o teu zelo; examina atentamente esta época. Espera Aquele que está para além do tempo, que é eterno e invisível, mas que Se deixou ver por nós, Aquele que, sendo intangível e incapaz de sofrer, conheceu a Paixão e consentiu em todos os sofrimentos.

(Santo Inácio de Antioquia (?-c. 110), bispo, mártir – Carta a Policarpo (69-155, santo, bispo e mártir), 1-3; SC 10).

(14) – SEDE PRUDENTES COMO AS SERPENTES

Gênesis 46,1-7.28-30 – “Deus está atento às nossas necessidades”

Deus tinha um plano para o povo de Israel e, por isso, chamava Jacó e sua família ao Egito. Pouco a pouco Ele revelava para Jacó ou Israel o que projetara para eles. De tal modo foi que Jacó reuniu todo o seu povo e levou-o para o Egito onde estava o seu filho, José. Antes que saíssem, porém, o Senhor lhe assegurou: ” não tenhas medo de descer ao Egito, pois lá farei de ti uma grande nação. Eu mesmo descerei contigo…” Sempre que o Senhor nos convoca para realizar uma grande obra nós precisamos ter a certeza de que Ele estará à frente abrindo caminhos para a nossa travessia. Os que se deixam escolher por Deus têm assegurados a Sua proteção e o Seu amparo, mesmo passando por muitas tribulações. Jacó ainda sofria a dor da separação de José, porém o Senhor é fiel e lhe concedeu a alegria de reencontrar o seu filho antes de morrer. Isso também pode acontecer conosco, quando às vezes, perdemos a esperança diante das nossas frustrações, dos nossos fracassos ou dos acontecimentos que nos fazem perder alguém, ou algo de muito precioso. Jamais devemos perder a esperança de que Deus está atento a todos os nossos movimentos e às nossas necessidades. Assim sendo, de alguma forma, Ele nos fará reencontrar o que para nós parecia perdido.

– Você tem confiança nos planos de Deus para a sua vida mesmo que você possa passar pelo sofrimento?

– Você se sente chamado (a) para realizar alguma grande obra de salvação para os filhos de Deus?

– Existe alguma coisa muito importante para você que você considera perdida?

– Você sabe que Deus está atento às suas necessidades e quer de alguma forma lhe resgatar as coisas preciosas que você perdeu?

Salmo 36 – “A salvação vem de Deus!”

Deus jamais abandona os seus amigos, diz o salmista. Os amigos de Deus são justamente aqueles que confiam no Senhor e fazem o bem; os que colocam a sua alegria no Senhor. A salvação vem do Senhor e é Ele quem nos protege nos momentos de aflição. Nunca poderemos duvidar da proteção de Deus porque Ele cuida da nossa vida e nos concede a herança da vida eterna. O Senhor é a nossa salvação e o nosso amparo, não nos esqueçamos disso.

Evangelho – Mateus 10, 16-23 – “enfrentando os lobos”

A salvação do Senhor deve ser assumida a cada dia, quando nós temos que enfrentar os lobos, isto é, os desafios da nossa vida. Sabemos que Jesus veio salvar o homem total, corpo, alma e espírito, desde já, nesta vida e na vida futura. Somos portadores da graça de Deus e Jesus nos ensina a como perseverar até o fim com esta graça na nossa caminhada aqui na terra assumindo a salvação que Ele veio nos dar e, ao mesmo tempo, buscando a santidade. Enquanto caminhamos em busca da justiça de Deus nós também somos chamados (as) a ir à procura daqueles (as) que ainda não se apoderaram da grande graça que o Senhor reservou para todos nós. No percurso do nosso caminho de missão, porém, nós enfrentamos as mais diversas dificuldades. Para que saiamos vitoriosos (as) Jesus nos recomenda: “Sede prudentes como as serpentes e simples como as pombas. Isto significa que não devemos ser alienados (as), passivos (as), confiantes demais nem tampouco arrogantes, cheios de soberba e de sabedoria humana. Ao longo da nossa vida humana e espiritual nós encontramos pessoas que tentam de todas as formas nos fazer desistir de lutar e querem nos intimidar. E nós, na maioria das vezes temos a tendência de desanimar diante das situações adversas, principalmente, quando se tratam das “coisas de Deus”. Tudo nos desestimula e ficamos parados sem saber o que fazer ou o que dizer. O Senhor, porém, nos adverte e nos exorta: “mas quem perseverar até o fim esse será salvo” e nos assegura “mas o Espírito do vosso Pai é que falará através de vós”. O Senhor já nos deu a maior arma para que possamos enfrentar “os lobos” no caminho da santidade. O Espírito Santo é quem nos educa quem nos ensina, nos prepara e nos conduz para que possamos perseverar até o fim. Vinde, pois, Espírito Santo de Deus!

– Como você tem enfrentado os “lobos” na caminhada da sua vida?

– Você se acovarda diante das dificuldades e pensa em desistir de lutar?

– Você tem sido prudente e simples nas suas ações como Jesus manda?

– Você confia no poder do Espírito para superar a sua fragilidade diante dos tribunais humanos?

(Helena Serpa).

(14) – SEDE PRUDENTES COMO AS SERPENTES E SIMPLES COMO AS POMBAS

“Disse Jesus aos seus discípulos: Eu vos envio como ovelhas no meio de lobos. Sede, pois, prudentes como as serpentes, mas simples como as pombas.” Esta é uma da mais importantes recomendações de Jesus aos seus discípulos. Sejamos prudentes, pois a qualquer momento aqueles que são movidos por satanás, podem preparar uma armadilha perfeita para nós. Vejam isto:

Jovem catequista de uma comunidade carente da periferia. Lá ele comparecia toda terça-feira, e no Centro Comunitário fazia um trabalho bonito com aparelho de som, falava e explicava o evangelho de Cristo, incentivando as pessoas de boa vontade do bairro a promover campanha de ajuda aos necessitados, tais como campanha do agasalho, e outros. Mas ele era uma ovelha no meio de lobos ferozes. Uma bela noite apareceu-lhe uma bela garota de pele morena que se identificou como filha da Dona Rosa que cuidava da Casa Paroquial, e que estava ali para ajudá-lo no que ele estivesse precisando, para realizar o seu trabalho missionário. Os dois conversaram, tomaram um suculento lanche, e então foram planejar o que deveria ser feito em prol daquela comunidade carente. Conversa vai, conversa vem, o tempo passa … Os dois se olham e sem menos esperar, ele e ela estavam na tela. Na tela? Como? Nem te conto. Tudo preparado. Armação perfeita, daquelas que só Satanás sabe fazer. Assim. Ela o seduziu. O amigo dela filmou tudo, e o escândalo estava montado e o belo e santo trabalho daquele jovem bem intencionado, havia terminado de forma lamentável, principalmente para a imagem da Igreja.

Por isso é bom lembrar que nós devemos ser prudentes como a serpente, e simples como uma pomba. Se não, tudo pode ser destruído pelas forças do mal!

ORAÇÃO: Deus Pai livrai-nos de todo o mal, de toda tentação não permita que jamais nos afastemos de vós. Por Jesus Cristo que convosco vive e reina na unidade do Espírito Santo. Amém.

(José Salviano).

(14) – NÃO SEREIS VÓS QUE HAVEREIS DE FALAR, MAS SIM O ESPÍRITO DO VOSSO PAI

Não sereis vós que havereis de falar, mas sim o Espírito do vosso Pai.

O envio em meio aos lobos é uma manifestação do ambiente adverso no qual Jesus, realiza seu projeto. As comunidades cristãs viveram e vivem a mesma realidade. Lobos são os que destroem a paz pela violência, atropelam a justiça, grilam a terra dos agricultores, subtraem as ovelhas dos pastores e estragam o projeto dos pescadores.

Lobos representados nas autoridades religiosas e políticas da época e presentes nas organizações e pessoas com ânsia de poder e de domínio sobre seus irmãos. A realização do mandato missionário pode terminar em perseguição, calúnias e violência. Essa foi a sorte dos apóstolos e das primeiras comunidades.

O sangue dos mártires é terra fecunda, que alimenta ainda hoje o projeto histórico de Jesus. Finalmente, é a assistência eficaz do Espírito que salva, que fala e que redime. As dificuldades e os obstáculos não podem atemorizar a ação missionária; ao contrário, essas dificuldades obrigam a praticar a criatividade, a audácia e a confiança ilimitada no Espírito do Ressuscitado. Hoje necessitamos aumentar a confiança no Espírito para sermos mais criativos, audaciosos e proféticos na missão que nos foi encomendada.

(Claretianos).

(14) – OVELHAS NO MEIO DE LOBOS…

O que pode uma ovelha contra um Lobo? Terá ela força para vencer o Lobo em um combate? Claro que não! O alerta que Jesus faz a seus discípulos é muito atual para nós cristãos da pós-modernidade pois de todos os cantos e lados, há bocarras com dentes bem afiados, que tentam engolir o cristianismo e acabar com ele. A Igreja nunca mais deverá querer exercer o poder deste mundo, pois já teve essa oportunidade quando estava atrelada ao imperialismo, e o resultado foi catastrófico pois herdamos do imperialismo certas coisas que até hoje contaminam nossas comunidades.

Jesus tinha de um lado, as autoridades dos Judeus, que o rejeitavam e sempre buscaram oportunidade para condená-lo a morte, e de outro, o Império Romano, que também se sentia incomodado com suas ideias revolucionárias e viu, naquele vergonhoso complô com o Sinédrio, uma grande oportunidade de acabar com o Nazareno. Os apóstolos e depois as primeiras comunidades das gerações próximas, sempre enfrentaram terríveis perseguições.

E nos dias de hoje essa situação continua, a Pós Modernidade declarou a sua independência de Deus, e busca uma Salvação que vem da ciência e da tecnologia, a economia do mercado, o consumismo que gera essa “Falsa riqueza” dando também uma falsa felicidade as pessoas, é a grande deusa do momento, e quem ousar falar contra ela, passará a ser mal visto e rotulado de retrógrado ou reacionário.

Esse jeito de ser feliz à moda do home, traz a religião do descompromisso, moral e ética cristã são coisas do passado, e o homem é livre para fazer de sua vida o que bem entender, sem ter nenhum drama de consciência. 

Como deve a Igreja, presente em meio a essa realidade hostilizante, se portar?

Desistir de tudo e esperar a solução do céu?

Omitir-se e fechar os olhos, entrando também na onda da Religião sem compromisso?

Claro que não…

As pessoas seduzidas por esta vida fácil, proposta pela pós-modernidade, a toda hora estarão nos julgando, pela nossa postura, por aquilo que falamos ou pensamos, o Espírito de Deus falará por nós.

Nas Famílias haverá grandes divisões e desentendimentos, quando algum membro se mantém fiel ao cristianismo autêntico. Enfim, essa maré contrária não deve ser novidade na nossa vida de cristãos. Importa sim é perseverarmos como diz o evangelho. O recado seria esse de modo bem claro: “não nos deixemos levar pela onda ateísta, é preciso manter-se firme e fiel, vivendo em nossa comunidade e dando ao mundo o testemunho do evangelho”.

(Diác. José da Cruz).

(14) – QUEM SE SENTE AFLIGIDO, PERSEGUIDO

Bom dia!

Reafirmo: Ninguém disse que seria fácil manter a fé!

A sociedade e o tempo em que Jesus manifestou essas palavras eram cercados de medos. Um tempo onde primos, sobrinhos, netos, (…) eram chamados de filhos e irmãos. Um tempo onde já se vivia em cidades, mas que nos módulos básicos de convivência ainda carregavam a ideia de clãs, tribos, próximos…

Muitos filhos não tinham respeito por seus pais ao ponto de entregá-los, roubá-los, matá-los por causa de heranças, pastos, ovelhas, por nada. Uma época onde os adeptos de Jesus eram chamados de seguidores do “caminho”, pois ainda não havia a expressão “cristãos” ou cristianismo.

“(…) Depois de ir e vos preparar um lugar, voltarei e tomar-vos-ei comigo, para que, onde eu estou, também vós estejais. E vós conheceis o caminho para ir aonde vou. Disse-lhe Tomé: Senhor, não sabemos para onde vais. Como podemos conhecer o caminho? Jesus lhe respondeu: EU SOU O CAMINHO, A VERDADE E A VIDA; ninguém vem ao Pai senão por mim. Se me conhecêsseis, também certamente conheceríeis meu Pai; desde agora já o conheceis, pois o tendes visto”. (João 14, 3-6).

Esse “caminho” que Jesus ensinava trilhar ia de encontro com os valores da época.

O “caminho” pregava que a vida não era centrada na busca do poder e sim da simplicidade; não criava reis ou seres de influência, pregava o serviço ao próximo; não pregava o uso de holofotes, cargos, promoções para si, dizia não ao orgulho, a arrogância e a prepotência e incrivelmente não dizia nada de errado aos nossos olhos, mas então por que era tão perseguido?

Será que algum de nós poderia dizer que o que pregavam era errado?

O intrigante é que ainda somos perseguidos por buscar o caminho.

Um imperador chamado Constantino I após “migrar” de deus em deus buscando conquistas e vitória se viu acuado diante de uma batalha que provavelmente não venceria. Em um sonho ele vê a imagem de uma cruz e nela escrito “IN HOC SIGNO VINCES” ou simplesmente “sob esse símbolo vencerá”. Ao despertar pediu que fosse pintado nos escudos dos seus guerreiros uma cruz.

A batalha foi vencida e o imperador passou a “tolerar” os seguidores do caminho agora chamados de cristãos. Não há consenso histórico se o imperador de fato assumiu para si o cristianismo, pois também tolerava o paganismo, mas é claro que uma era de perseguições ficava para trás, pois alguém resolveu acreditar.

Ainda hoje, muita gente que persegue o cristianismo também pinta “os escudos com a cruz”, ou seja, são cristãos, mas não conseguem se ver longe das tentações e holofotes do mundo. Duro ver partidos políticos com siglas “cristãos” mas ainda são seduzidos pelo poder e influência; duro ver pessoas que se dizem cristãos e assinar com três pontinhos; duro ver um pecado simples ser maior do que a indiferença; duro ainda ver alguém fazer como Jacó e pular a frente das bênçãos de outro (hunf)…

Quem trabalha em comunidade precisa lutar também contra a intimidação dos pseudos-cristãos que se empenham em aparecer, buscar locais de destaque, coordenações… Somos seguidores do caminho e não dos passos que dão essas pessoas que um dia espero que também sonhem e mudem de atitude como Constantino.

Se os “nossos” pararem de nos perseguir, e quando digo “nossos” digo todos que seguem o caminho (cristãos, sejam eles católicos, evangélicos, …), acredito que poderemos cumprir de fato o último desejo de Cristo antes de subir aos céus. “Ide ao mundo e pregai o evangelho a toda criatura”.

Quem se sente afligido, perseguido, acuado… pode acreditar, tudo isso “faz parte” mas saiba que “IN HOC SIGNO VINCES”.

Um imenso abraço fraterno. Bom fim de semana!

(Alexandre Soledade).

(15) – REFLEXÃO

Todo aquele que quer ser discípulo de Jesus deve estar pronto para enfrentar os problemas decorrentes do discipulado. Ser discípulo de Jesus significa não aceitar os contra valores que estão presentes no mundo e que não permitem que haja vida e vida em abundância, mas denunciar esses contra valores como causa de sofrimento e, ao mesmo tempo, anunciar os valores do Evangelho. Ser discípulos de Jesus significa ser profeta da Nova Aliança e arcar com todas as consequências do agir profético, ou seja, a perseguição, o sofrimento e até mesmo a morte. A história da Igreja está repleta de mártires, profetas da Nova Aliança que, por acreditarem nos valores do Evangelho, foram perseguidos e derramaram seu sangue como o Cristo.

(20) – OVELHAS ENTRE LOBOS…

Ao instruir os apóstolos que saíam em sua primeira missão evangelizadora, Jesus não promete facilidades, mas alerta sobre os lobos à espera dos cordeiros. Em nenhum momento, porém, o Mestre ensina que, diante do ataque furioso das alcateias, os cordeiros devam assumir o papel de lobos. Assim sendo, a legião de mártires das Igrejas cristãs que ornam a história da humanidade não deve ser motivo de espanto nem de reclamações contra Aquele que os envia, mas apenas a certeza de que o anúncio da Boa Nova se faz ao custo da própria vida.

Santo Efrém de Nisíbia [+373] reflete sobre o tema: “Ao lado da perseguição aberta, existe uma perseguição oculta. Se a perseguição aberta não existe em todos os tempos, a perseguição oculta sempre existe, e esta trabalha em ti.

Se o ódio te persegue, mostra a caridade.

Se a inveja te persegue, mostra a doçura.

Se a concupiscência te persegue, sê perfeitamente casto.

Se a injustiça te persegue, mostra a justiça.

Se o dinheiro te persegue, confessa nosso Senhor, o Senhor de todos.

Todos estes perseguidores perseguiram os confessores em períodos de paz, e é porque eles se distinguiram, graças a estes perseguidores ocultos, que eles foram coroados abertamente.

Exercita-te contra os perseguidores que não se veem, a fim de que possas resistir àqueles que se veem.

Se os perseguidores que estão em ti levam vantagem, como pensas vencer aqueles que estão fora?”

Esta lição de Santo Efrém mostra que é impossível fazer frente aos perseguidores externos quando já nos deixamos vencer pelos perseguidores internos. O martírio apenas vem coroar uma guerra surda realizada antes no coração do homem.

Se não vencesse previamente os demônios internos do medo e do desânimo, o Arcebispo Van Thuan, de Saigon, que passou 13 anos nos cárceres comunistas do Vietname, não teria permanecido fiel à sua missão.

Já é hora de parar com reclamações e lamentos. Jesus nunca disse que seria fácil…

Orai sem cessar: “O Senhor é minha força e meu escudo!” (Sl 28,7).

(Antônio Carlos Santini).

(24) – SEREIS ODIADOS POR TODOS, POR CAUSA DO MEU NOME

Hoje, o Evangelho remarca as dificuldades e as contradições que o cristão haverá de sofrer por causa de Cristo e do seu Evangelho e como deverá resistir e perseverar até o final. Jesus nos prometeu: “Eis que estou convosco todos os dias, até o fim dos tempos” (Mt 28,20); mas não prometeu, aos seus, um caminho fácil, antes pelo contrário, lhes disse: “Sereis odiados por todos, por causa do meu nome” (Mt 10,22).

A Igreja e o mundo são duas realidades de “difícil” convivência. O mundo, que a Igreja há de converter a Jesus Cristo, não é uma realidade neutra, como se fosse uma cera virgem que só espera o selo que lhe dará forma. Isto só teria sido assim se não tivesse havido uma história de pecado entre a criação do homem e a sua redenção. O mundo, como estrutura afastada de Deus, obedece a outro senhor, que o Evangelho de São João denomina como o senhor deste mundo, o inimigo da alma, o que fez com que o cristão fizesse um juramento – no dia de seu batismo – de desobediência, de dizer não ao inimigo, para pertencer somente ao Senhor e à Mãe Igreja que ela engendrou em Jesus Cristo.

Mas o batizado continua vivendo neste mundo e não em outro, não renuncia à cidadania deste mundo nem lhe nega sua honesta contribuição para mantê-lo e melhorá-lo; os deveres de cidadania cívica são também deveres dos cristãos; pagar os impostos é um dever de justiça para o cristão. Jesus disse que nós, seus seguidores, estamos no mundo, mas não somos do mundo (cf. Jo 17,14-15). Não pertencemos ao mundo incondicionalmente, inteiramente, só pertencemos a Jesus Cristo e à sua Igreja, verdadeira pátria espiritual, que está aqui na terra e que transpassa a barreira do espaço e do tempo para desembarcar-nos na pátria definitiva que é o céu.

Esta dupla cidadania inevitavelmente se choca com as forças do pecado e do domínio que move os mecanismos mundanos. Repassando a história da Igreja, Newman dizia que “a perseguição é a marca da Igreja e talvez a mais duradoura de todas”.

(P. Josep LAPLANA OSB Monje de Montserrat (Montserrat, Barcelona, Espanha)).

(25) – OS MISSIONÁRIOS SERÃO PERSEGUIDOS

Ao anunciar a perseguição a ser movida contra os discípulos pelo ódio de “todos por causa do seu nome”, ressoava ainda o alerta de Jesus: “Eis que vos envio como ovelhas entre lobos”. Palavras assustadoras, medrando receio e temor no coração dos Apóstolos. Jesus os compreende. Para animá-los e consolá-los, ele acrescenta a promessa da Salvação, imediatamente: “Sereis odiados por todos por causa do meu nome. Aquele, porém, que perseverar até o fim, esse será salvo”. Ou ainda: “Pela vossa constância alcançareis a vossa salvação”. A Providência divina lhes é assegurada e o Senhor lhes dá a certeza de que, em meio às provações, graças à constância, a boa semente não deixará de dar frutos. Pois, comenta S. João Crisóstomo, o fato de Jesus “enviar seus discípulos, vestidos de uma só túnica, pés nus, sem levar sequer um bastão, demonstra o seu inefável poder”.

Perseguição, promessa de presença divina e de salvação. O Senhor não os abandona, acompanha-os com carinho. Porém, uma exigência ainda é apresentada: o testemunho, dado em meio aos sofrimentos, e o anúncio do Evangelho. Recomenda-lhes Jesus: “Quando fordes presos, não vos preocupeis nem pela maneira com que haveis de falar, nem pelo que haveis de dizer: naquele momento ser-vos-á inspirado o que haveis de dizer” (v. 19). O Espírito do Pai lhes haverá de sugerir o que devem dizer em sua defesa. Não haverá o que temer. Eles permanecerão serenos e estarão prontos a afrontar o juízo com resolução, na certeza de que o testemunho dado clamará em favor deles diante do tribunal de Deus: “Todo aquele que me reconhecer diante dos homens, também o Filho do homem o reconhecerá diante dos anjos de Deus” (Lc 12,8).

Para S. Ambrósio, Jesus se dirige a todos os que o seguem, também a nós, que já participamos “da vida ditosa, da vida feliz, depois da vitória. De fato, terminado o combate, gozaremos da vida na qual a lei da carne não se opõe à lei do espírito. Vida, na qual já não é necessário lutar contra o corpo mortal, porque o mesmo corpo mortal já alcançou, desde agora, a vitória”.

Portanto, o Evangelho, agindo, sustentando e vitalizando todas as ações do missionário, constitui o cerne de sua vida. Conduzido pelo Senhor a uma paisagem nova, a um mundo riquíssimo de significados vitais e, tocado em seu coração, ele abraça as palavras de Jesus com seriedade e total dedicação. O Evangelho torna-se sua vida, jamais extrínseco a ele, mas força que o envolve e o entusiasma. Não simples objeto de suas reflexões, o Evangelho é o sujeito principal de sua pregação e de seu agir, a dimensão fundamental, anterior a todo anúncio. Ele o acolhe como referência essencial e o vive no testemunho, de tal modo que, se for perseguido por causa dele e do nome de Jesus, ele não vacilará em dar sua vida por Cristo, submetendo-se ao martírio.

(Dom Fernando).

NINGUÉM AMA O QUE NÃO CONHECE

CELEBRAÇÃO DE HOJE

14ª SEMANA DO TEMPO COMUM (VERDE – OFÍCIO DO DIA)

RITOS INICIAIS:

– Monição Ambiental ou Comentário Inicial

Jesus dá um aviso aos apóstolos: “Eis que eu vos envio como ovelhas no meio de lobos”, e, ao mesmo tempo, pede-lhes para que sejam prudentes e simples. Em um mundo marcado pelo materialismo, pela preocupação só com o agora, torna-se “frágil” o apóstolo que anuncia a verdade. Os desejos humanos nem sempre coincidem com o desejo divino. Por isso, o cuidado para com a mensagem, para que toda pessoa seja tocada por dentro de sua existência.

– Canto e Procissão de Entrada

– Antífona da entrada

Recebemos, ó Deus, a vossa misericórdia no meio do vosso templo. Vosso louvor se estenda, como o vosso nome, até os confins da terra; toda a justiça se encontra em vossas mãos (Sl 47,10s).

– Saudação ao Altar e ao Povo Reunido

– Ato Penitencial

– Senhor, Tende Piedade

– Glória a Deus nas Alturas

– Oração do Dia ou Oração da Coleta

Ó Deus, que pela humilhação do vosso Filho reerguestes o mundo decaído, enchei os vossos filhos e filhas de santa alegria e daí aos que libertastes da escravidão do pecado o gozo das alegrias eternas. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

LITURGIA DA PALAVRA:

– Monição para a(s) Leitura(s)

Quando Deus nos envia, espera que sejamos participantes de seu plano de amor. Deus, na história da salvação, quis contar com a colaboração humana e, por isso, Jesus, na força de sua Palavra, escolhera os apóstolos e os envia em missão. Escutemos.

– Silêncio

– Proclamação da 1ª Leitura

– Silêncio

– Proclamação do Salmo

– Silêncio

– Proclamação da 2ª Leitura

– Monição para o Evangelho

— Aleluia, aleluia, aleluia.

— Aleluia, aleluia, aleluia.

— Quando o Paráclito vier, o Espírito da verdade, ele vos conduzirá a toda a verdade, lembrar-vos-á de tudo o que eu tenho falado. (Jo 16,13;14,26).

– Canto de Aclamação

– Proclamação do Evangelho

– Homilia ou Pregação

– Profissão de Fé

– Oração Universal ou Oração dos Fiéis

Conforme nos orienta a IGMR, no Cap. II, LETRA B, números 69, 70 e 71, vamos deixar que cada Comunidade possa realizar a sua Oração Universal colocando nela, a sua realidade comunitária, não devendo esquecer que, normalmente serão estas as séries de intenções, além das pessoais de cada um, caso seja dada a oportunidade pelo celebrante ao povo de se expressar:

a) Intenções pelas necessidades da Igreja;

b) Intenções pelos poderes públicos e pela salvação de todo o mundo;

c) Intenções pelos que sofrem qualquer dificuldade;

d) Intenções pela comunidade local;

e) Intenções pessoais da comunidade.

LITURGIA EUCARÍSTICA / PREPARAÇÃO DAS OFERENDAS:

– Canto e Procissão das Oferendas

– Apresentação do Pão e do Vinho

– Presidente Lava as Mãos

– Orai, Irmãos!

– Oração sobre as Oferendas

Possamos, ó Deus, ser purificados pela oferenda que vos consagramos; que ela nos leve, cada vez mais, a viver a vida do vosso reino. Por Cristo, nosso Senhor.

LITURGIA EUCARÍSTICA / ORAÇÃO EUCARÍSTICA OU ANÁFORA:

– Prefácio e “Santo”

– Invocação do Espírito Santo

– Narrativa da Ceia

– Consagração do Pão e do Vinho

– “Eis o Mistério da Fé!”

– Lembra Morte e Ressurreição de Jesus

– Orações pela Igreja

– Louvor Final (Por Cristo…)

LITURGIA EUCARÍSTICA / RITO DA COMUNHÃO:

– Pai-Nosso (Oração do Senhor) e Oração seguinte

– Rito da Paz ou Saudação da Paz

– Fração do Pão

– Cordeiro de Deus

– Felizes os Convidados!

– Distribuição da Comunhão aos fiéis e Canto da Comunhão

– Silêncio Eucarístico ou Canto de Ação de Graças

– Antífona da Comunhão

Provai e vede quão suave é o Senhor! Feliz o homem que tem nele o seu refúgio! (Sl 33,9).

– Oração depois da Comunhão

Nós vos pedimos, ó Deus, que, enriquecidos por essa tão grande dádiva, possamos colher os frutos da salvação sem jamais cessar vosso louvor. Por Cristo, nosso Senhor.

RITOS FINAIS OU RITOS DE ENCERRAMENTO:

– Comunicados e Convites

– Saudação e Bênção Final

– Despedida (Ide em Paz!)

FONTES DE CONSULTAS E PESQUISAS:

Vamos expor a seguir de onde pertencem os textos que nos preenchem todos os dias, nos dando um caminho com mais sabedoria, simplicidade e amor.

FONTE PRINCIPAL DE PESQUISA E INSPIRAÇÃO

bc3adblia1

FONTE DE CONSULTA – IGMR (INSTRUÇÃO GERAL DO MISSAL ROMANO – 1ª EDIÇÃO / 2008)

IGMR

REFLITA:

O importante não é a pessoa que escreve, mas quem foi que inspirou essa pessoa a escrever.

O importante não é como se lê o que está escrito, mas como se age.

O importante não é sentar-se à direita ou a esquerda do Pai, mas sim, realizar o trabalho que Ele nos pede.

Ter conhecimento não é ter sabedoria, sabedoria é saber compartilhar o conhecimento.

(0) – Blog Liturgia Diária da Palavra de Deus (Reflexões e Comentários);

(1) – Periódico Mensal: Liturgia Diária (Editoras Paulinas e Paulus);

(2) – Periódico Mensal: Deus Conosco (Editora Santuário);

(3) – Portal Editora Santuário;

(4) – Portal Editora Paulinas;

(5) – Portal Editora Paulus;

(6) – Portal e Blog Canção Nova;

(7) – Portal Dom Total;

(8) – Portal Católica Net;

(9) – Portal Católico Orante;

(10) – Portal Edições Loyola Jesuítas;

(11) – Portal de Catequese Católica;

(12) – Portal Evangelho Quotidiano;

(13) – Blog Homilia Dominical;

(14) – Blog Liturgia Diária Comentada;

(15) – Portal CNBB (A Palavra de Deus na Vida);

(16) – Portal Catequisar: Catequese Católica;

(17) – Portal Universo Católico;

(18) – Portal Paróquia São Jorge Mártir;

(19) – Portal Catedral FM 106,7;

(20) – Portal Comunidade Católica Nova Aliança;

(21) – Portal Comunidade Resgate;

(22) – Portal Fraternidade O Caminho;

(23) – Portal Católico na Net;

(24) – Portal Evangeli.net;

(25) – Portal Padre Marcelo Rossi;

(26) – Portal Grupo de Oração Sopro de Vida;

(27) – Portal NPD Brasil.

MINHA MENSAGEM PESSOAL PARA MIM MESMO.

Mais vale o desconforto da VERDADE, do que a comodidade da MENTIRA.

E usando a essência da Oração da Serenidade, devo orar:

Ó meu Deus e Senhor, Pai de misericórdia e Salvação,

que em seu Filho Jesus perdoou os nossos pecados,

e com o seu Santo Espírito, paráclito nesse nosso mundo que caminha conosco,

apenas em Ti posso almejar a vida eterna, socorre-me e ouvi-me:

Se o ERRO está em mim, que DEUS possa me dar a HUMILDADE de aceitar que estou errado.

Que Jesus me dê a SERENIDADE, para aceitar que tem coisas que não posso mudar.

E que o Espírito Santo me dê a CORAGEM, suficiente para mudar aquelas coisas que dependem de mim, mesmo que sejam difíceis.

E para complementar os alicerces de orações da minha vida, faço como o santo Tomás de Aquino:

“Concede-me, Deus misericordioso, que deseje com ardor o que tu aprovas, que o procure com prudência, que o reconheça em verdade, que o cumpra na perfeição, para louvor e glória do teu nome.

Põe ordem na minha vida, ó meu Deus, e permite-me que conheça o que tu queres que eu faça, concede-me que o cumpra como é necessário e como é útil para a minha alma.

Concede-me, Senhor meu Deus, que não me perca no meio da prosperidade nem da adversidade; não deixes que a adversidade me deprima, nem que a prosperidade me exalte.

Que nada me alegre ou me entristeça para além do que conduz a ti.”

Viver CORRETO e falar a VERDADE hoje são tão difíceis quanto na época de Jesus, pois é muito mais fácil aceitar a MENTIRA e fazer o ERRADO.

Viver no CAMINHO, VERDADE E VIDA, que é o próprio Cristo Jesus, tem que ser uma caminhada diária.

O futuro é desejo e pensamento.

O passado é aprendizado e lembrança.

O hoje é realidade, isso quer dizer: CRISTO.

Meus amigos(as) de coração, meus irmãos(ãs) em Cristo Jesus, lembrem-se:

“Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas.”

“Não julgues para não seres julgados.”

“A quem é muito dado, muito será cobrado.”

Anúncios
Esse post foi publicado em Religião. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s