Liturgia Diária 24/JUL/13

LEITURA DIÁRIA DA PALAVRA — 24/JUL/2013 (quarta-feira)

Introdução / Parábola do semeador

Mt 13,1-9 (a parabola do semeador)

LEITURAS:

Leitura retirada do Livro do Êxodo (Ex 16,1-5.9-15)

(O maná e as codornizes)

Leitura do Livro do Êxodo.

1 Toda a Comunidade dos filhos de Israel partiu de Alim e chegou ao deserto de Sin, entre Elim e o Sinai, no dia quinze do segundo mês da saída do Egito. 2 A Comunidade dos filhos de Israel pôs-se a murmurar contra Moisés e Aarão, no deserto, dizendo: 3 “Quem dera tivéssemos morrido pela mão do Senhor no Egito, quando nos sentávamos juntos às panelas de carne e comíamos pão com fartura! Por que nos trouxeste a este deserto para matar de fome a toda essa gente?” 4 O Senhor disse a Moisés: “Eu farei chover para vós o pão do céu. O povo sairá diariamente e só recolherá a porção de cada dia a fim de que eu o ponha à prova, para ver se anda ou não na minha lei. 5 No sexto dia, quando prepararem o que tiverem trazido, terão o dobro do que recolhem diariamente”. 9 E Moisés disse a Aarão: “Dize a toda a Comunidade dos filhos de Israel: ‘Apresentai-vos diante do Senhor, pois ele ouviu a vossa murmuração’”. 10 Enquanto Aarão falava a toda a Comunidade dos filhos de Israel, voltando os olhos para o deserto, eles viram aparecer na nuvem a glória do Senhor. 11 O Senhor falou, então, a Moisés, dizendo: 12 “Eu ouvi as murmurações dos filhos de Israel. Dize-lhes, pois: ‘Ao anoitecer, comereis carne, e pela manhã vos fartareis de pão. Assim sabereis que eu sou o Senhor vosso Deus’”. 13 Com efeito, à tarde, veio um bando de codornizes e cobriu o acampamento; e, pela manhã, formou-se uma camada de orvalho ao redor do acampamento. 14 Quando se evaporou o orvalho que caíra, apareceu na superfície do deserto uma coisa miúda, em forma de grãos, fina como a geada sobre a terra. 15 Vendo aquilo, os filhos de Israel disseram entre si: “Que é isto?” Porque não sabiam o que era. Moisés respondeu-lhes: “Isto é o pão que o Senhor vos deu como alimento”.

— Palavra do Senhor.

— Graças a Deus.

Salmo retirado do Livro dos Salmos (Sl 77, 18-19. 23-24. 25-26. 27-28 (R. 24b))

(As lições da história de Israel)

— 24b O Senhor deu o pão do céu, como alimento.

24b O Senhor deu o pão do céu, como alimento.

— 18 E tentaram o Senhor nos corações, / exigindo alimento à sua gula. 19 Falavam contra Deus e assim diziam: / “Pode o Senhor servir a mesa no deserto?”

— 23 Ordenou, então, às nuvens lá dos céus, / e as comportas das alturas fez abrir; 24 fez chover-lhes o maná e alimentou-os, / e lhes deu para comer o pão do céu.

— 25 O homem se nutriu do pão dos anjos, / e mandou-lhes alimento em abundância; 26 fez soprar o vento leste pelos céus / e fez vir, por seu poder, o vento sul.

— 27 Fez chover carne para eles como o pó, / choveram aves como areia do oceano; 28 elas caíram sobre os seus acampamentos / e pousaram ao redor de suas tendas.

Leitura retirada do Livro do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus (Mt 13,1-9)

(Introdução / Parábola do semeador)

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus.

— Glória a vós, Senhor.

1 Naquele dia, Jesus saiu de casa e foi sentar-se às margens do mar da Galileia. 2 Uma grande multidão reuniu-se em volta dele. Por isso Jesus entrou numa barca e sentou-se, enquanto a multidão ficava de pé, na praia. 3 E disse-lhes muitas coisas em parábolas: “O semeador saiu para semear. 4 Enquanto semeava, algumas sementes caíram à beira do caminho, e os pássaros vieram e as comeram. 5 Outras sementes caíram em terreno pedregoso, onde não havia muita terra. As sementes logo brotaram, porque a terra não era profunda. 6 Mas, quando o sol apareceu, as plantas ficaram queimadas e secaram, porque não tinham raiz. 7 Outras sementes caíram no meio dos espinhos. Os espinhos cresceram e sufocaram as plantas. 8 Outras sementes, porém, caíram em terra boa, e produziram à base de cem, de sessenta e de trinta frutos por semente. 9 Quem tem ouvidos, ouça!”

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor.

LEITURA ORANTE:

… Oração Inicial… (querer)

Preparo-me para a Leitura Orante, rezando, com todos os internautas:

Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo. Amém.

Espírito Santo que procede do Pai e do Filho, tu estás em mim, falas em mim, rezas em mim, ages em mim.

Ensina-me a fazer espaço à tua Palavra, tua oração, à tua ação em mim para que eu possa conhecer o mistério da vontade do Pai.

Amém.

… Eu sou o CAMINHO… (ler…)

O que diz o texto do dia?

Leio atentamente o texto: Mt 13,36-43

Então Jesus deixou a multidão e voltou para casa. Os discípulos chegaram perto dele e perguntaram:

– Conte para nós o que quer dizer a parábola do joio.

Jesus respondeu:

– Quem semeia as sementes boas é o Filho do Homem. O terreno é o mundo. As sementes boas são as pessoas que pertencem ao Reino; e o joio, as que pertencem ao Maligno. O inimigo que semeia o joio é o próprio Diabo. A colheita é o fim dos tempos, e os que fazem a colheita são os anjos. Assim como o joio é ajuntado e jogado no fogo, assim também será no fim dos tempos. O Filho do Homem mandará os seus anjos, e eles ajuntarão e tirarão do seu Reino todos os que fazem com que os outros pequem e também todos os que praticam o mal. Depois os anjos jogarão essas pessoas na fornalha de fogo, onde vão chorar e ranger os dentes de desespero. Então o povo de Deus brilhará como o sol no Reino do seu Pai. Se vocês têm ouvidos para ouvir, então ouçam. Jesus, como bom Mestre, explica aos apóstolos a parábola do joio e do trigo. E é claro: Deus semeia boas sementes. O inimigo semeia o joio. O joio (em grego zizanion, cizânia) é uma gramínea que parecia muito com trigo até que amadurecesse. A “cizânia, capim-cevadinha, uma erva perturbadora nos trigais, parecida com trigo” acaba sendo trigo bastardo, com seus grãos são pretos.

O terreno é o mundo. Juntos são semeados: o trigo e o joio. O bem e o mal. Crescem juntos. Fala também da colheita. É nesta ocasião que o joio será queimado. Então, o Mestre diz que o joio são as pessoas que praticam o mal. Estas vão chorar e sofrer o desespero, enquanto que os bons, o povo de Deus brilharão como o sol no Reino de Deus.

… a VERDADE… (refletir e meditar…)

O que o texto diz para mim, hoje?

A vida é uma tensão contínua.

E por que o joio, essa erva perturbadora não é removida logo?

Não porque não está sugando o solo, e desafiando o trigo por nutrimento. Não porque não seja facilmente identificável, mas porque qualquer esforço para arrancar as ervas, crescidas, enraizadas e misturadas com o trigo, arranca também o trigo. É melhor esperar “até a colheita”. O final desta tensão será conforme as opções de cada um em ser trigo ou joio.

Faço parte do campo de Deus.

Onde reconheço no mundo de hoje, o trigo e a cizânia?

Quais cizânias e quais trigos convivem comigo?

Os bispos na V Conferência, afirmaram: “A nova escala mundial do fenômeno humano traz consequências em todos os campos de atividade da vida social, impactando a cultura, a economia, a política, as ciências, a educação, o esporte, as artes e também, naturalmente, a religião. Interessa-nos, como pastores da Igreja, saber como este fenômeno afeta a vida de nossos povos e o sentido religioso e ético de nossos irmãos que buscam infatigavelmente o rosto de Deus, e que, no entanto, devem fazê-lo, agora desafiados por novas linguagens do domínio técnico, que nem sempre revelam, mas que também ocultam o sentido divino da vida humana redimida em Cristo. Sem uma clara percepção do mistério do Deus, torna-se opaco também o desígnio amoroso e paternal de uma vida digna para todos os seres humanos.” (DAp 35).

… e a VIDA… (orar…)

O que o texto me leva a dizer a Deus?

Rezo, com o bem-aventurado Tiago Alberione:

Jesus, Mestre, que eu pense com a tua inteligência, com a tua sabedoria.

Que eu ame com o teu coração.

Que eu veja com os teus olhos.

Que eu fale com a tua língua.

Que eu ouça com os teus ouvidos.

Que as minhas mãos sejam as tuas.

Que os meus pés estejam sobre as tuas pegadas.

Que eu reze com as tuas orações.

Que eu celebre como tu te imolaste.

Que eu esteja em ti e tu em mim. Amém.

Qual deve ser a MISSÃO em minha VIDA hoje? (contemplar e agir…)

Qual meu novo olhar a partir da Palavra?

Meu novo olhar é para identificar e cultivar o trigo na minha vida e na dos demais. Também para detectar o joio, o mal, o que me afasta de Deus.

BÊNÇÃO:

– Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.

– Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.

– Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.

– Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

REFLEXÕES:

(4) – EM CRISTO, O MAL É VENCIDO

À parte, em casa, os discípulos pedem uma explicação da parábola do joio (vv. 24-30). Trata-se de uma aplicação posterior da parábola que anteriormente explicamos.

É bastante provável que a explicação da parábola não remonte a Jesus, mas às necessidades da pregação cristã posterior.

Jesus explicita um a um os termos da parábola (vv. 37-39). Apoiado por imagens de Sofonias 1,3 e de Daniel 12,3, Jesus compara a colheita ao juízo final (vv. 40-42). O versículo final afirma que o mal não triunfará: “Os justos brilharão como o sol no Reino de seu Pai” (v. 43).

É preciso tirar para vida cristã a conclusão e as consequências desta afirmação. Para os cristãos perseguidos e ameaçados por causa de sua fé, é preciso manter viva a esperança de que, em Cristo, o mal já foi vencido, por isso não há o que temer, por que ele mesmo nos faz participantes de sua vitória sobre o mal e a morte.

(Carlos Alberto Contieri).

(6) – TENHO CUIDADO COM A PALAVRA DE DEUS NA MINHA VIDA?

Pare um pouquinho hoje para meditar: qual é o cuidado que você está tendo com a Palavra de Deus na sua vida?

Eu quero fazer parte e convidar você a também fazer parte dessa multidão que se reúne em torno de Jesus para escutar a Sua Palavra.

A Palavra de Jesus é poderosa. Ela tem o poder de transformar a nossa vida. Agora, assim como hoje na parábola do semeador, eu preciso ver de que maneira essa Palavra – essa semente maravilhosa e poderosa que é a Palavra do Senhor – está caindo no meu coração e na minha vida.

De que maneira eu estou permitindo que essa Palavra seja frutífera dentro de mim? Porque parte da semente cai à beira do caminho, os passarinhos vêm e a comem. Quando nos deixamos distrair e não damos a atenção que a Palavra merece, os “pássaros” da vida, as distrações da vida, roubam a riqueza dessa Palavra em nosso coração.

Pode ser que o nosso coração esteja fechado como um terreno pedregoso, e se eu estou machucado pelas situações da vida, essa Palavra então também não produzirá frutos na minha vida. Mas, ao mesmo tempo, se eu deixo que essa Palavra caia num terreno profundo, mas eu não rego, não cuido, sobretudo, não deixo entrar na essência da minha vida, nas coisas mais profundas do meu ser, essa Palavra é até vigorosa em mim, mas com o tempo o “sol”, as tentações, as dificuldades, as preocupações da vida vão fazendo essa Palavra sucumbir dentro de mim.

Pare um pouquinho hoje para meditar: qual é o cuidado que você está tendo com a Palavra de Deus na sua vida?

As agitações não estão roubando essa Palavra?

As preocupações exageradas, o excesso de coisas que temos de fazer aqui e ali não estão tirando a força dessa Palavra de Deus na nossa vida?

Quando eu me abro, quando levo a Palavra de Deus a sério, quando permito que essa Palavra meditada, ruminada entre dentro de mim, ela tem um poder transformador. Ela produz frutos: dez, vinte, cinquenta, cem por cento mais dentro de mim. Onde ontem eu poderia estar com raiva, magoado, mas se eu deixei essa Palavra entrar dentro de mim ela tira aquilo que é negativo: a raiva, o ressentimento, a mágoa.

Eu quero que hoje essa Palavra transformadora de Deus produza muitos frutos na minha, na sua, na nossa vida.

Que Deus abençoe você!

(Pe. Roger Araújo).

(7) – A SORTE DA SEMENTE

Dispostos a se tornarem servidores do Reino, os discípulos não deveriam pensar que só encontrariam sucesso pela frente. Era preciso ser realista e, de antemão, dar-se conta da dinâmica do Reino. O sucesso, sem dúvida, viria, porém em meio a perdas e fracassos.

O processo de semeadura serviu para ilustrar este aspecto do Reino. O semeador, segundo o costume da época, lançava a semente ao deus-dará. Umas caíam à beira do caminho, outras, em terreno pedregoso, outras, no meio de espinhos. A condição precária do terreno impedia que a semente desse frutos. Talvez chegasse a germinar e tentar crescer. Sua sorte, porém, era murchar e morrer. Só uma pequena porção de semente caía em terreno fértil e chegava a frutificar. Mesmo assim, a colheita variava na base de cem, sessenta e trinta por um.

Nem por isso o semeador deixava de semear. Embora soubesse que boa parte da semente haveria de se perder, valia a pena continuar semeando.

O discípulo do Reino, como o semeador, não pode deixar de semear a semente da Palavra de Deus, mesmo sabendo que seu trabalho não frutificará cem por cento. Ele deve contar com a perda inevitável e se contentar com o que for produzido de bom, embora seja pouco.

Oração: Senhor Jesus, ajuda-me a não desanimar na tarefa de semear tua Palavra, mesmo contando com perdas e fracassos.

(Pe. Jaldemir Vitório).

(10) – BOA NOVA PARA CADA DIA

Outras sementes caíram em terra boa… e produziram cem frutos por semente (Mt 13,8).

A partir do capítulo 13, São Mateus mostra em seu Evangelho Jesus descrevendo o Reino de Deus. Jesus usa várias parábolas para explicá-lo.

Desta vez, Jesus compara o Reino com o trabalho do semeador, da terra e das próprias sementes, em vista do resultado: a colheita.

A semente significa a palavra de Deus: é sempre de boa qualidade, fértil e pronta para germinar em qualquer solo que caia.

Neste caso, o semeador não escolhe os terrenos. Ele vai jogando as sementes em todos os tipos de solo, mesmo sobre pedras. Isto simboliza a ação de Deus sobre todos os “tipos” de pessoas: Ele se manifesta a todos, aos muito bons, aos menos bons e mesmo aos maus.

Os tipos de solos variam. Representam os tipos de pessoas. Uns são muito férteis, outros menos e outros são secos e áridos. E conforme são, reagem à ação de Deus sobre eles.

A germinação das sementes, a palavra de Deus, somente depende do tipo de solo, isto é, do tipo de pessoa e sua reação à vontade de Deus.

Assim como diferentes solos produzem frutos conforme sua fertilidade, as pessoas respondem a Deus conforme sua generosidade.

É assim que funciona o Reino de Deus:

– Deus manda sua palavra aos homens;

– os homens recebem a palavra de Deus em diferentes reações;

– dependendo destas reações, os resultados aparecem: cem, sessenta ou trinta frutos por semente.

Jesus precisaria ser mais claro?

Não precisou. Todos entenderam.

Nós também. Contudo, perguntemos qual tipo de solo somos, e quantos frutos produzimos por uma semente. Aí encontraremos a medida de nossa generosidade diante das palavras de Deus. Teremos a compreensão do que representamos para Deus e para Seu Reino neste mundo.

Devemos nos preocupar, e muito, se somos o solo pedregoso onde a palavra de Deus caiu, mas nada produziu. Neste caso, precisamos de uma reforma espiritual completa, um retorno a Deus até conseguirmos produzir cem frutos por semente.

(Pe. Valdir Marques).

(12) – CEM POR UM

Da mesma forma que todo o poder das leis e dos mandamentos que Deus deu aos homens se realiza na pureza de coração, como disseram os Padres, assim todos os modos e todas as formas pelas quais o homem reza a Deus se concretizam na oração pura. Os gemidos, as prosternações, as súplicas, as lamentações, todas as formas de que se pode revestir a oração têm na verdade como objetivo a oração pura. […] A reflexão deixa de ter algo que a sustente: nem oração, nem movimento, nem lamentação, nem poder, nem liberdade, nem súplica, nem desejo, nem prazer naquilo que espera nesta vida ou no mundo que há-de vir; depois da oração pura, já não há outra oração. […] Acima desse limite, já não é oração, é maravilhamento: a oração cessa e começa a contemplação. […]

A oração é a semente, a contemplação e a recolha dos frutos. O semeador maravilha-se ao ver o inexprimível: como é que, a partir dos pequenos grãos nus que semeou, brotam subitamente diante de si espigas florescentes? A vista da colheita tolhe-lhe os movimentos. […]

Do mesmo modo que só um homem em mil cumpre menos mal os mandamentos e as coisas da Lei e consegue atingir a pureza da alma, assim também só um em mil é digno de atingir com muita vigilância a oração pura, de atravessar o limite e de descobrir este mistério. Pois não é dado a muitos mas a poucos conhecer a oração pura.

(Isaac, o Sírio (século VII), monge perto de Mossul – Discursos ascéticos, série 1, nº 32).

(15) – REFLEXÃO

Jesus começa a ensinar por meio de parábolas. Então perguntamos: o que de fato é necessário para que possamos entender as parábolas de Jesus? Para respondermos a esta pergunta, precisamos fazer outra: Por que Jesus ensina em parábolas? Respondendo a esta pergunta entendemos o significado da ação de Jesus em ensinar em parábolas. A parábola parte de uma situação da vida para mostrar os valores do Evangelho e isso nos mostra que os valores evangélicos são para serem vividos e não simplesmente entendidos. Portanto, não é quem teoriza a fé que entende as parábolas, mas quem vive a fé. O que é necessário para entender as parábolas de Jesus? A resposta é: unir a fé à vida.

NINGUÉM AMA O QUE NÃO CONHECE

CELEBRAÇÃO DE HOJE

16ª SEMANA DO TEMPO COMUM (VERDE – OFÍCIO DO DIA)

RITOS INICIAIS:

– Monição Ambiental ou Comentário Inicial

Jesus deseja que nossa existência seja um terreno fértil, acolhedor da semente do Reino, que permite que ela cresça e produza frutos. Mas, há resistências, pois devemos nos amoldar no jeito do Reino, e às vezes estabelecemos condições. Por isso, há terrenos duros, inférteis. Porém, haverá a colheita, a vitória da verdade de Cristo sobre as ilusões, indiferenças e mentiras dos que preferem outro caminho.

– Canto e Procissão de Entrada

– Antífona da entrada

É Deus quem me ajuda, é o Senhor quem defende a minha vida. Senhor, de todo o coração hei de vos oferecer o sacrifício e dar graças ao vosso nome, porque sois bom (Sl 53, 6.8).

– Saudação ao Altar e ao Povo Reunido

– Ato Penitencial

– Senhor, Tende Piedade

– Glória a Deus nas Alturas

– Oração do Dia ou Oração da Coleta

Ó Deus, sede generoso para com os vossos filhos e filhas e multiplicai em nós os dons da vossa graça, para que, repletos de fé, esperança e caridade, guardemos fielmente os vossos mandamentos. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

LITURGIA DA PALAVRA:

– Monição para a(s) Leitura(s)

A semente existe para ser semeada. A semente do Reino não escolhe terreno, mas há terreno que a acolherá ou não. Mas, aquele que a acolhe produzirá seus frutos, conforme suas condições. Outros irão sufocá-la, mas ela insistirá em nascer. É o mistério da presença do Reino entre nós. Escutemos.

– Silêncio

– Proclamação da 1ª Leitura

– Silêncio

– Proclamação do Salmo

– Silêncio

– Proclamação da 2ª Leitura

– Monição para o Evangelho

— Aleluia, aleluia, aleluia.

— Aleluia, aleluia, aleluia.

— A semente é de Deus a palavra, o Cristo é o semeador, todo aquele que o encontra, vida eterna encontrou.

– Canto de Aclamação

– Proclamação do Evangelho

– Homilia ou Pregação

– Profissão de Fé

– Oração Universal ou Oração dos Fiéis

Conforme nos orienta a IGMR, no Cap. II, LETRA B, números 69, 70 e 71, vamos deixar que cada Comunidade possa realizar a sua Oração Universal colocando nela, a sua realidade comunitária, não devendo esquecer que, normalmente serão estas as séries de intenções, além das pessoais de cada um, caso seja dada a oportunidade pelo celebrante ao povo de se expressar:

a) Intenções pelas necessidades da Igreja;

b) Intenções pelos poderes públicos e pela salvação de todo o mundo;

c) Intenções pelos que sofrem qualquer dificuldade;

d) Intenções pela comunidade local;

e) Intenções pessoais da comunidade.

LITURGIA EUCARÍSTICA / PREPARAÇÃO DAS OFERENDAS:

– Canto e Procissão das Oferendas

– Apresentação do Pão e do Vinho

– Presidente Lava as Mãos

– Orai, Irmãos!

– Oração sobre as Oferendas

Ó Deus, que no sacrifício da cruz, único e perfeito, levastes a plenitude os sacrifícios da antiga aliança, santificai, como o de Abel, o nosso sacrifício, para que os dons que cada um trouxe em vossa honra possam servir para a salvação de todos. Por Cristo, nosso Senhor.

LITURGIA EUCARÍSTICA / ORAÇÃO EUCARÍSTICA OU ANÁFORA:

– Prefácio e “Santo”

– Invocação do Espírito Santo

– Narrativa da Ceia

– Consagração do Pão e do Vinho

– “Eis o Mistério da Fé!”

– Lembra Morte e Ressurreição de Jesus

– Orações pela Igreja

– Louvor Final (Por Cristo…)

LITURGIA EUCARÍSTICA / RITO DA COMUNHÃO:

– Pai-Nosso (Oração do Senhor) e Oração seguinte

– Rito da Paz ou Saudação da Paz

– Fração do Pão

– Cordeiro de Deus

– Felizes os Convidados!

– Distribuição da Comunhão aos fiéis e Canto da Comunhão

– Silêncio Eucarístico ou Canto de Ação de Graças

– Antífona da Comunhão

O Senhor bom e clemente nos deixou a lembrança de suas grandes maravilhas. Ele dá o alimento aos que o temem (Sl 110,4s).

– Oração depois da Comunhão

Ó Deus, permanecei junto ao povo que iniciastes nos sacramentos do vosso reino, para que, despojando-nos do velho homem, passemos a uma vida nova. Por Cristo, nosso Senhor.

RITOS FINAIS OU RITOS DE ENCERRAMENTO:

– Comunicados e Convites

– Saudação e Bênção Final

– Despedida (Ide em Paz!)

FONTES DE CONSULTAS E PESQUISAS:

Vamos expor a seguir de onde pertencem os textos que nos preenchem todos os dias, nos dando um caminho com mais sabedoria, simplicidade e amor.

FONTE PRINCIPAL DE PESQUISA E INSPIRAÇÃO

bc3adblia1

FONTE DE CONSULTA – IGMR (INSTRUÇÃO GERAL DO MISSAL ROMANO – 1ª EDIÇÃO / 2008)

IGMR

REFLITA:

O importante não é a pessoa que escreve, mas quem foi que inspirou essa pessoa a escrever.

O importante não é como se lê o que está escrito, mas como se age.

O importante não é sentar-se à direita ou à esquerda do Pai, mas sim, realizar o trabalho que Ele nos pede.

Ter conhecimento não é ter sabedoria, sabedoria é saber compartilhar o conhecimento.

(0) – Blog Liturgia Diária da Palavra de Deus (Reflexões e Comentários);

(1) – Periódico Mensal: Liturgia Diária (Editoras Paulinas e Paulus);

(2) – Periódico Mensal: Deus Conosco (Editora Santuário);

(3) – Portal Editora Santuário;

(4) – Portal Editora Paulinas;

(5) – Portal Editora Paulus;

(6) – Portal e Blog Canção Nova;

(7) – Portal Dom Total;

(8) – Portal Católica Net;

(9) – Portal Católico Orante;

(10) – Portal Edições Loyola Jesuítas;

(11) – Portal de Catequese Católica;

(12) – Portal Evangelho Quotidiano;

(13) – Blog Homilia Dominical;

(14) – Blog Liturgia Diária Comentada;

(15) – Portal CNBB (A Palavra de Deus na Vida);

(16) – Portal Catequisar: Catequese Católica;

(17) – Portal Universo Católico;

(18) – Portal Paróquia São Jorge Mártir;

(19) – Portal Catedral FM 106,7;

(20) – Portal Comunidade Católica Nova Aliança;

(21) – Portal Comunidade Resgate;

(22) – Portal Fraternidade O Caminho;

(23) – Portal Católico na Net;

(24) – Portal Evangeli.net;

(25) – Portal Padre Marcelo Rossi;

(26) – Portal Grupo de Oração Sopro de Vida;

(27) – Portal NPD Brasil.

(28) – Um Novo Caminho

MINHA MENSAGEM PESSOAL PARA MIM MESMO.

Mais vale o desconforto da VERDADE, do que a comodidade da MENTIRA.

E usando a essência da Oração da Serenidade, devo orar:

Ó meu Deus e Senhor, Pai de misericórdia e Salvação,

que em seu Filho Jesus perdoou os nossos pecados,

e com o seu Santo Espírito, paráclito nesse nosso mundo que caminha conosco,

apenas em Ti posso almejar a vida eterna, socorre-me e ouvi-me:

Se o ERRO está em mim, que DEUS possa me dar a HUMILDADE de aceitar que estou errado.

Que Jesus me dê a SERENIDADE, para aceitar que tem coisas que não posso mudar.

E que o Espírito Santo me dê a CORAGEM, suficiente para mudar aquelas coisas que dependem de mim, mesmo que sejam difíceis.

E para complementar os alicerces de orações da minha vida, faço como o santo Tomás de Aquino:

“Concede-me, Deus misericordioso, que deseje com ardor o que tu aprovas, que o procure com prudência, que o reconheça em verdade, que o cumpra na perfeição, para louvor e glória do teu nome.

Põe ordem na minha vida, ó meu Deus, e permite-me que conheça o que tu queres que eu faça, concede-me que o cumpra como é necessário e como é útil para a minha alma.

Concede-me, Senhor meu Deus, que não me perca no meio da prosperidade nem da adversidade; não deixes que a adversidade me deprima, nem que a prosperidade me exalte.

Que nada me alegre ou me entristeça para além do que conduz a ti.”

Viver CORRETO e falar a VERDADE hoje são tão difíceis quanto na época de Jesus, pois é muito mais fácil aceitar a MENTIRA e fazer o ERRADO.

Viver no CAMINHO, VERDADE E VIDA, que é o próprio Cristo Jesus, tem que ser uma caminhada diária.

O futuro é desejo e pensamento.

O passado é aprendizado e lembrança.

O hoje é realidade, isso quer dizer: CRISTO.

Meus amigos(as) de coração, meus irmãos(ãs) em Cristo Jesus, lembrem-se:

“Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas.”

“Não julgues para não seres julgados.”

“A quem é muito dado, muito será cobrado.”

Anúncios
Esse post foi publicado em Religião. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s