Liturgia Diária 25/JUL/13

LEITURA DIÁRIA DA PALAVRA — 25/JUL/2013 (quinta-feira)

Pedido da mãe dos filhos de Zebedeu / Os chefes devem servir

Mt 20,20-28 (e podeis beber o cálice que eu beberei)

LEITURAS:

Leitura retirada do Livro da Segunda Carta de São Pauloaos Coríntios (2Cor 4, 7-15)

(Tribulações e esperanças no ministério)

Leitura da Segunda Carta de São Paulo aos Coríntios.

Irmãos, 7 trazemos esse tesouro em vasos de barro, para que todos reconheçam que este poder extraordinário vem de Deus e não de nós. 8 Somos afligidos de todos os lados, mas não vencidos pela angústia; postos entre os maiores apuros, mas sem perder a esperança; 9 perseguidos, mas não desamparados; derrubados, mas não aniquilados; 10 por toda a parte e sempre levamos em nós mesmos os sofrimentos mortais de Jesus, para que também a vida de Jesus seja manifestada em nossos corpos. 11 De fato, nós, os vivos, somos continuamente entregues à morte, por causa de Jesus, para que também a vida de Jesus seja manifestada em nossa natureza mortal. 12 Assim, a morte age em nós, enquanto a vida age em vós. 13 Mas, sustentados pelo mesmo espírito de fé, conforme o que está escrito: “Eu creio e, por isso, falei”, nós também cremos e, por isso, falamos, 14 certos de que aquele que ressuscitou o Senhor Jesus nos ressuscitará também com Jesus e nos colocará ao seu lado, juntamente convosco. 15 E tudo isso é por causa de vós, para que a abundância da graça em um número maior de pessoas faça crescer a ação de graças para a glória de Deus.

— Palavra do Senhor.

— Graças a Deus!

Salmo retirado do Livro dos Salmos (Sl 125(126), 1-2ab. 2cd-3. 4-5. 6 (R.5))

(A voltado exílio)

— 5 Os que lançam as sementes entre lágrimas, ceifarão com alegria.

5 Os que lançam as sementes entre lágrimas, ceifarão com alegria.

— 1 Quando o Senhor reconduziu nossos cativos, / parecíamos sonhar; 2a encheu-se de sorriso nossa boca, 2b nossos lábios de canções.

— 2c Entre os gentios se dizia: “Maravilhas 2d fez com eles o Senhor!” 3 Sim, maravilhas fez conosco o Senhor, exultemos de alegria!

— 4 Mudai nossa sorte, ó Senhor, / como torrentes no deserto. 5 Os que lançam as sementes entre lágrimas, / ceifarão com alegria.

— 6 Chorando de tristeza sairão, / espalhando suas sementes; / cantando de alegria voltarão, / carregando os seus feixes!

Leitura retirada do Livro do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus (Mt 20,20-28)

(20-23: Pedido da mãe dos filhos de Zebedeu / 24-28: Os chefes devem servir)

— O Senhor esteja convosco.

— Ele está no meio de nós.

— Proclamação do Evangelho de Jesus Cristo segundo Mateus.

— Glória a vós, Senhor.

20 Naquele tempo, a mãe dos filhos de Zebedeu aproximou-se de Jesus com seus filhos e ajoelhou-se com a intenção de fazer um pedido. 21 Jesus perguntou: “O que tu queres?” Ela respondeu: “Manda que estes meus dois filhos se sentem, no teu Reino, um à tua direita e outro à tua esquerda”. 22 Jesus, então, respondeu-lhes: “Não sabeis o que estais pedindo. Por acaso podeis beber o cálice que eu vou beber?” Eles responderam: “Podemos”. 23 Então Jesus lhes disse: “De fato, vós bebereis do meu cálice, mas não depende de mim conceder o lugar à minha direita ou à minha esquerda. Meu Pai é quem dará esses lugares àqueles para os quais ele os preparou”. 24 Quando os outros dez discípulos ouviram isso, ficaram irritados contra os dois irmãos. 25 Jesus, porém, chamou-os e disse: “Vós sabeis que os chefes das nações têm poder sobre elas e os grandes as oprimem. 26 Entre vós não deverá ser assim. Quem quiser tornar-se grande, torne-se vosso servidor; 27 quem quiser ser o primeiro, seja vosso servo. 28 Pois, o Filho do Homem não veio para ser servido, mas para servir e dar a sua vida como resgate em favor de muitos”.

— Palavra da Salvação.

— Glória a vós, Senhor!

LEITURA ORANTE:

… Oração Inicial… (querer)

Inicio este momento orando com todos os que estão neste ambiente virtual, a oração de Bento XVI:

Senhor, dai-nos sempre o fogo de vosso Santo Espírito, que ilumine as nossas mentes e desperte entre nós o desejo de contemplar-vos, o amor aos irmãos, especialmente aos aflitos, e o ardor por anunciar-vos no início deste século.

… Eu sou o CAMINHO… (ler…)

O que a Palavra diz?

Leio atentamente, na Bíblia, o texto de hoje: Mt 20,20-28.

No caminho para Jerusalém Jesus anuncia a sua morte como consequência de toda a sua vida. Enquanto isso, Tiago e João sonham com poder e honrarias, suscitando discórdia e competição entre os outros discípulos. O “cálice” de que fala Jesus é o da sua paixão e morte. João e Tiago dizem que podem beber deste cálice também. Tiago realmente passará pelo martírio. Em Atos 12,2 é narrado que o rei Herodes “mandou degolar Tiago, o irmão de João”. Não se concretizou porém, em João. Sabe-se que existe paixão, sofrimento sem chegar ao martírio. Jesus, ao chamar os dez discípulos para perto, fala-lhes que a única coisa importante para o discípulo é segui-lo: servir e não ser servido. Na nova sociedade que Jesus projeta, a autoridade não é exercício de poder, mas serviço que se exprime na entrega de si mesmo para o bem comum.

… a VERDADE… (refletir e meditar…)

O que a Palavra diz para mim?

O meu ser discípulo é conforme o Evangelho?

Sou aquela pessoa que serve porque segue Jesus?

Sou capaz de viver a radicalidade do Evangelho?

Os bispos, em Aparecida, lembraram o serviço de muitos que, inclusive, dão a própria vida serviço dos demais, como Jesus: “Apesar das deficiências e ambiguidades de alguns de seus membros, a Igreja tem dado testemunho de Cristo, anunciado seu Evangelho e oferecido seu serviço de caridade principalmente aos mais pobres, no esforço por promover sua dignidade e também no empenho de promoção humana nos campos da saúde, da economia solidária, da educação, do trabalho, do acesso à terra, da cultura, da habitação e assistência, entre outros. Com sua voz, unida à de outras instituições nacionais e mundiais, tem ajudado a dar orientações prudentes e a promover a justiça, os direitos humanos e a reconciliação dos povos. Isto tem permitido que a Igreja seja reconhecida socialmente em muitas ocasiões como uma instância de confiança e credibilidade. Seu empenho a favor dos mais pobres e sua luta pela dignidade de cada ser humano tem ocasionado, em muitos casos, a perseguição e, inclusive, a morte de alguns de seus membros, os quais consideramos testemunhas da fé. Queremos recordar o testemunho valente de nossos santos e santas, e aqueles que, inclusive sem haver sido canonizados, tem vivido com radicalidade o evangelho e oferecido sua vida por Cristo, pela Igreja e por seu povo.” (DAp 98).

… e a VIDA… (orar…)

O que a Palavra me leva a dizer a Deus?

Rezo (ou canto) com o Pe. Zezinho, scj: PÕE TEU CORAÇÃO NO MEU

(Clique aqui para ouvir a música)

Põe teu coração no meu / e o meu coração no teu.

Não tenhas medo / de abraçar a cruz.

Tens também meu ombro e minha força, eu sou Jesus.

Vem comigo, vem que eu sei, / a jornada é longa e eu direi / quais os perigos de me acompanhar.

É um caminho estreito, mas é o feito pra chegar.

Segue os passos que eu darei.

Prende a tua cruz na minha.

Vai servir meu povo, / faça como eu.

Ele sofre menos quando encontra um Cireneu.

Vai ao povo como irmão, / se preciso estende a mão.

Não tenhas medo / do meu verbo amar.

Tem seus contratempos mas o tempo é de ajudar.

Teu projeto eu já tracei, / vai ao povo que eu te ensinarei / o jeito certo de me anunciar.

Basta que me peças que eu te ajudo a não errar.

Usa a fé com mais razão.

Busca mais sabedoria.

Pra chegar ao povo / sê um aprendiz.

Do que o povo fala e do que a minha Igreja diz.

Qual deve ser a MISSÃO em minha VIDA hoje? (contemplar e agir…)

Qual o meu novo olhar a partir da Palavra?

Nas relações onde devo exercer alguma autoridade vou fazer aquele exercício deserviço, como Jesus.

BÊNÇÃO:

– Deus nos abençoe e nos guarde. Amém.

– Ele nos mostre a sua face e se compadeça de nós. Amém.

– Volte para nós o seu olhar e nos dê a sua paz. Amém.

– Abençoe-nos Deus misericordioso, Pai e Filho e Espírito Santo. Amém.

REFLEXÕES:

(4) – O RESTO PERTENCE A DEUS

A intervenção da mãe dos filhos de Zebedeu se dá depois do terceiro anúncio da paixão, morte e ressurreição de Jesus (Mt 20,17-19).

Cada um dos anúncios da paixão provoca nos discípulos uma reação que revela sua incompreensão acerca do mistério de Cristo e da condição do discípulo. A mãe dos filhos de Zebedeu postula um lugar de privilégio para os seus dois filhos. Essa não deve ser a súplica do discípulo, pois o seu caminho deve se identificar com o caminho do mestre, pois “o discípulo não é mais que o Mestre; ao discípulo basta ser como o Mestre” (Mt 10,24-25). A identificação do discípulo com seu Mestre supõe participação efetiva na paixão e morte de Jesus: “Podeis beber o cálice que eu vou beber?” (v. 22). É esta decisão que importa: “Podemos”. O resto pertence a Deus. Aos discípulos compete, fundados no exemplo de Jesus, construir uma comunidade caracterizada pelo serviço generoso e gratuito.

(Carlos Alberto Contieri).

(6) – O PRIVILÉGIO DO DISCÍPULO DE CRISTO

O privilégio do discípulo de Cristo é carregar a cruz do Senhor com todo amor do seu coração.

É com muita alegria que celebramos hoje a festa do apóstolo São Tiago.

São Tiago foi um dos primeiros a seguir Jesus. De temperamento impetuoso mas, ao mesmo tempo, um discípulo fiel, São Tiago procurou sempre estar muito próximo do Senhor.

Ele era irmão do também apóstolo João, que escreveu para nós o Evangelho. Ambos eram filhos de Zebedeu.

Um dia, a sua mãe – como nos relata o Evangelho de hoje (cf. Mt 20,20-28) – foi aproximar-se de Jesus para um privilégio, algo muito particular: que os seus filhos sentassem um à Sua direita e outro à Sua esquerda quando Jesus viesse em Sua glória.

É a mãe que sabia que havia dado os seus dois filhos para a messe, havia entregado eles para o seguimento de Jesus, então ela se sentia – e seus filhos também! – no direito de ter privilégios.

Na verdade, quando a gente pede um privilégio, estamos pedindo para sermos considerados melhores do que os outros, para sermos mais bem tratados do que os outros, para termos aquilo que os outros não têm.

A resposta de Jesus é muito clara: o privilégio do discípulo de Cristo é carregar a Sua cruz de cada dia, é saber suportar as contrariedades, as dificuldades, os sofrimentos da vida em louvor e ação de graças, em reconhecimento como dom e mérito de Jesus.

Não pense que, por estar há muito tempo na Igreja e segue Jesus, porque ocupa este ou aquele cargo, que você vai ser mais importante do que os demais. Pelo contrário: nós não fazemos muito mais do que a nossa obrigação!

Às vezes, nós até que nos colocamos à disposição para sermos os discípulos do Senhor, nós até sofremos muito mais do que os outros, até passamos por ultrajes, humilhações e vergonhas que o mundo nos impõe por sermos discípulos do Senhor. Que nós não busquemos no Reino de Deus querer “ser melhor” ou termos privilégios por sermos seguidores de Jesus.

Não se esqueça: o privilégio do discípulo de Cristo é carregar a cruz do Senhor com todo amor do seu coração.

Que Deus te conceda um dia muito abençoado.

(Pe. Roger Araújo).

(7) – TEM CERTEZA DO QUE PEDES?

Tiago e João são os filhos de Zebedeu. O Evangelho de Marcos nomeia os dois, explicitamente, nesta cena; porém, Mateus menciona a mãe deles como sendo quem faz o pedido a Jesus. Talvez Mateus queira eximir os homens de tal pedido equivocado, que reflete a ambição do poder, quando Jesus dá pleno testemunho de que veio para servir humildemente, com amor. Em resposta, ele rejeita o comum abuso de poder em vigor nas sociedades, propondo um novo relacionamento entre as pessoas. Além de Tiago, irmão de João, identificado como “Tiago Maior”, no Segundo Testamento é mencionado outro Tiago, “o irmão do Senhor”, ou “Tiago Menor”, que foi o chefe da Igreja de Jerusalém.

(Pe. Jaldemir Vitório).

(10) – BOA NOVA PARA CADA DIA

… acaso podeis beber o cálice que Eu vou beber? (Mt 20,22).

Hoje se comemora a festa de São Tiago Maior, irmão de São João Evangelista.

Neste Evangelho, podemos ver como os discípulos de Jesus não tinham entendido bem o que significava o “Reino de Deus”.

Salomé, esposa de Zebedeu, e seus filhos combinaram entre si um modo de obter de Jesus os dois postos principais do Reino de Jesus. Notemos que não dizem “Reino de Deus”. Imaginam Jesus como o messias político, que na terra, sem morrer nem ressuscitar, formaria uma corte com seus dignitários para governar o mundo.

Jesus lhes disse que a coisa não era bem assim. E que no Reino de Deus era Deus Pai quem decidia os lugares a serem ocupados ao lado do Filho no seu Reino futuro.

Os outros discípulos ficaram irritados com aquela pretensão dos dois filhos de Zebedeu. Entretanto, Jesus põe ordem na discussão dizendo aos dois: … acaso podeis beber o cálice que Eu vou beber? (Mt 20,22).

Novamente demonstrando não entender nada, os dois respondem: Podemos. Já deviam saber qual era este cálice, pois imediatamente Jesus fizera a predição de sua Paixão e Morte em Mateus 20,17-19. De algum modo, os demais apóstolos tinham razão para se irritar com os dois.

Assim que disseram “Podemos”, Jesus pacientemente faz a profecia sobre o futuro deles e da morte que teriam. O que aconteceu depois com Tiago comprovou que ele estava certo quando disse “Podemos”, mesmo sem entendê-lo naquele momento.

São Tiago bebeu do cálice de Jesus quando foi morto à espada por Herodes (At 12,2).

São João Evangelista será o único discípulo a acompanhar o julgamento, crucificação e morte de Jesus, enfrentando o risco de ser morto como Ele. Morrerá mais tarde, depois de dar testemunho de Cristo na prisão da ilha de Patmos.

Foi assim que ambos “beberam do mesmo cálice de Jesus”.

(Pe. Valdir Marques).

(12) – PODEIS BEBER O CÁLICE QUE EU VOU BEBER?

“Cristo deu a sua vida por nós, e nós também devemos dar a nossa vida pelos nossos irmãos” (1Jo 3,16). […] Jesus disse a Pedro: “Quando eras mais novo, tu mesmo te cingias e andavas por onde querias; mas, quando fores velho, estenderás as tuas mãos e outro te cingirá e te levará para onde não queres” (Jo 21,18). É a cruz que Ele lhe havia prometido, é a Paixão. “Sobe, diz o Senhor, apascenta as minhas ovelhas, sofre pelas minhas ovelhas.” É assim que deve ser um bom bispo. Se não o for, não será bispo. […]

Ouve outro testemunho. Dois dos seus discípulos, os irmãos João e Tiago, filhos de Zebedeu, aspiravam aos primeiros lugares. […] O Senhor respondeu-lhes: “Não sabeis o que pedis.” E acrescentou: “Podeis beber o cálice que Eu vou beber?” E que cálice era esse, senão o da Paixão? […] E eles, ávidos de honras, esquecidos da sua fraqueza, imediatamente dizem: “Podemos.” Ele replicou-lhes: “Na verdade, bebereis o meu cálice; mas o sentar-se à minha direita ou à minha esquerda não Me pertence a Mim concedê-lo: é para quem meu Pai o tem reservado.” […] Deu assim prova da sua humildade; na verdade, tudo o que o Pai prepara é também preparado pelo Filho. […] Ele veio humilde: Ele, o Criador, foi criado entre nós; Ele, que nos fez, foi feito para nós. Deus antes do tempo, homem no tempo, libertou o homem do tempo. Este grande médico veio curar o nosso cancro […]; veio curar o próprio orgulho pelo seu exemplo.

É a isso que devemos estar atentos no Senhor: olhemos a sua humildade, bebamos o cálice da sua humildade, aprendamos dele, contemplemo-Lo. É fácil ter pensamentos nobres, é fácil apreciar as honras, é fácil ouvir os aduladores e os que nos elogiam. Mas ouvir insultos, suportar pacientemente as humilhações, orar por aqueles que nos ofendem (Mt 5,39-44), isso é o cálice do Senhor, isso é o banquete do Senhor.

(Santo Agostinho (354-430), bispo de Hipona (Norte de África), doutor da Igreja – Sermão para a consagração de um bispo, Guelferbytanus nº 32; PLS 2, 637).

(15) – REFLEXÃO

Estamos vivendo em uma época que é marcada pela diferença vista não pelo critério da complementariedade, mas pelo critério da oposição e da hierarquia. Esta fato faz com que vivamos em uma sociedade marcada pelo conflito e pela disputa constante de supremacia sobre os demais, de modo que o outro é sempre um concorrente, não é nunca irmão ou irmã, companheiro de caminhada na construção do Reino de Deus. O Evangelho de hoje nos mostra que esses valores que fundamentam a vida das pessoas não vêm de Deus e nem conduzem para Deus. Somente a fraternidade, a justiça e o amor vão possibilitar um mundo marcado pela convivência pacífica entre os seres humanos.

(7) – SÃO TIAGO MAIOR

Tiago nasceu doze anos antes de Cristo, viveu mais anos do que ele e passou para a eternidade junto a seu Mestre. Tiago, o Maior, nasceu na Galileia e era filho de Zebedeu e Salomé, segundo as Sagradas Escrituras. Era, portanto, irmão de João Evangelista, os “Filhos do Trovão”, como os chamara Jesus. É sempre citado como um dos três primeiros apóstolos, além de figurar entre os prediletos de Jesus, juntamente com Pedro e André. É chamado de “maior” por causa do apóstolo homônimo, Tiago, filho de Alfeu, conhecido como “menor”.

Nas várias passagens bíblicas, podemos perceber que Jesus possuía apóstolos escolhidos para testemunharem acontecimentos especiais na vida do Redentor. Um era Tiago, o Maior, que constatamos ao seu lado na cura da sogra de Pedro, na ressurreição da filha de Jairo, na transfiguração do Senhor e na sua agonia no horto das Oliveiras.

Consta que, depois da ressurreição de Cristo, Tiago rumou para a Espanha, percorrendo-a de norte a sul, fazendo sua evangelização, sendo por isso declarado seu padroeiro. Mais tarde, voltou a Jerusalém, onde converteu centenas de pessoas, até mesmo dois mágicos que causavam confusão entre o povo com suas artes diabólicas. Até que um dia lhe prepararam uma cilada, fazendo explodir um motim como se fosse ele o culpado. Assim, foi preso e acusado de causar sublevação entre o povo. A pena para esse crime era a morte.

O juiz foi o cruel rei Herodes Antipas, um terrível e incansável perseguidor dos cristãos. Ele lhe impôs logo a pena máxima, ordenando que fosse flagelado e depois decapitado. A sentença foi executada durante as festas pascais no ano 42. Assim, Tiago, o Maior, tornou-se o primeiro dos apóstolos a derramar seu sangue pela fé em Jesus Cristo.

No século VIII, quando a Palestina caiu em poder dos muçulmanos, um grupo de espanhóis trouxe o esquife onde repousavam os restos de são Tiago, o Maior, à cidade espanhola de Iria. Segundo uma antiga tradição da cidade, no século IX o bispo de lá teria visto uma grande estrela iluminando um campo, onde foi encontrado o túmulo contendo o esquife do apóstolo padroeiro. E a Espanha, que nesta ocasião lutava contra a invasão dos bárbaros muçulmanos, conseguiu vencê-los e expulsá-los com a sua ajuda invisível.

Mais tarde, naquele local, o rei Afonso II mandou construir uma igreja e um mosteiro, dedicados a são Tiago, o Maior, com isso a cidade de Iria passou a chamar-se Santiago de Compostela, ou seja, do campo da estrela. Desde aquele tempo até hoje, o santuário de Santiago de Compostela é um dos mais procurados pelos peregrinos do mundo inteiro, que fazem o trajeto a pé.

Essa rota, conhecida como “caminho de Santiago de Compostela”, foi feita também pelo papa João Paulo II em 1989. Acompanhado por milhares de jovens do mundo inteiro, foi venerar as relíquias do apóstolo são Tiago, o Maior, depositadas na magnífica catedral das seis naves, concluída em 1122.

NINGUÉM AMA O QUE NÃO CONHECE

CELEBRAÇÃO DE HOJE

SÃO TIAGO MAIOR, APÓSTOLO E EVANGELIZADOR (VERMELHO, GLÓRIA, PREFÁCIO DOS APÓSTOLOS – OFÍCIO DA FESTA)

RITOS INICIAIS:

– Monição Ambiental ouComentário Inicial

São Tiago, apóstolo, era irmão de São João, evangelista. Foi um dos primeiros chamados entre os discípulos e, solícito, seguiu o Senhor. Era de natureza impetuosa e estava sempre pronto para escutar e acompanhar Jesus. Por isso, aparece em momentos importantes da vida de Cristo, como no monte Tabor ou na cura da filha de Jairo. Queria também ocupar o primeiro lugar entre os apóstolos (Mt 20,20-28). Porém, serviu e foi fiel ao Senhor até o fim.

– Canto e Procissão de Entrada

– Antífona da entrada

Andando ao longo do mar da Galileia, Jesus viu Tiago, filho de Zebedeu, e João, seu irmão, que consertavam suas redes. E ele os chamou (Mt 4, 18.21).

– Saudação ao Altar e ao Povo Reunido

– Ato Penitencial

– Senhor, Tende Piedade

– Glória a Deus nas Alturas

– Oração do Dia ou Oração da Coleta

Deus eterno e todo-poderoso, que, pelo sangue de são Tiago, consagrastes as primícias dos trabalhos dos apóstolos, concedei que a vossa Igreja seja confirmada pelo seu testemunho e sustentada pela sua proteção. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

LITURGIA DA PALAVRA:

– Monição para a(s) Leitura(s)

Assumir o serviço do Reino e deixar para trás todo prestígio e distinção foi o que fizeram os apóstolos e todos os que seguiram fielmente o Senhor. Em tudo o que é feito com sinceridade e dedicação, a fraqueza torna-se força de vida e de testemunho. Escutemos a Palavra de Deus.

– Silêncio

– Proclamação da 1ª Leitura

– Silêncio

– Proclamação do Salmo

– Silêncio

– Proclamação da 2ª Leitura

– Monição para o Evangelho

— Aleluia, aleluia, aleluia.

— Aleluia, aleluia, aleluia.

— Eu vos designei, para que vades e deis frutos, e o vosso fruto permaneça, assim disse o Senhor. (Jo 15,16).

– Canto de Aclamação

– Proclamação do Evangelho

– Homilia ou Pregação

– Profissão de Fé

– Oração Universal ou Oração dos Fiéis

Conforme nos orienta a IGMR, no Cap. II, LETRA B, números 69, 70 e 71, vamos deixar que cada Comunidade possa realizar a sua Oração Universal colocando nela, a sua realidade comunitária, não devendo esquecer que, normalmente serão estas as séries de intenções, além das pessoais de cada um, caso seja dada a oportunidade pelo celebrante ao povo de se expressar:

a) Intenções pelas necessidades da Igreja;

b) Intenções pelos poderes públicos e pela salvação de todo o mundo;

c) Intenções pelos que sofrem qualquer dificuldade;

d) Intenções pela comunidade local;

e) Intenções pessoais da comunidade.

LITURGIA EUCARÍSTICA / PREPARAÇÃO DAS OFERENDAS:

– Canto e Procissão das Oferendas

– Apresentação do Pão e do Vinho

– Presidente Lava as Mãos

– Orai, Irmãos!

– Oração sobre as Oferendas

Purificai-nos, ó Deus, pela participação na paixão do vosso filho, para que, na festa de são Tiago, o primeiro dos apóstolos a beber o cálice do Senhor, ofereçamos um sacrifício que vos agrade. Por Cristo, nosso Senhor.

LITURGIA EUCARÍSTICA / ORAÇÃO EUCARÍSTICA OU ANÁFORA:

– Prefácio e “Santo”

– Invocação do Espírito Santo

– Narrativa da Ceia

– Consagração do Pão e do Vinho

– “Eis o Mistério da Fé!”

– Lembra Morte e Ressurreição de Jesus

– Orações pela Igreja

– Louvor Final (Por Cristo…)

LITURGIA EUCARÍSTICA / RITO DA COMUNHÃO:

– Pai-Nosso (Oração do Senhor) e Oração seguinte

– Rito da Paz ou Saudação da Paz

– Fração do Pão

– Cordeiro de Deus

– Felizes os Convidados!

– Distribuição da Comunhão aos fiéis e Canto da Comunhão

– Silêncio Eucarístico ou Canto de Ação de Graças

– Antífona da Comunhão

Beberam do cálice do Senhor e se tornaram amigos de Deus (Mt 20,22s).

– Oração depois da Comunhão

Ajudai-nos, Senhor nosso Deus, pela intercessão do apóstolo São Tiago, em cuja festa recebemos com alegria os vossos dons sagrados. Por Cristo, nosso Senhor.

RITOS FINAIS OU RITOS DE ENCERRAMENTO:

– Comunicados e Convites

– Saudação e Bênção Final

– Despedida (Ide em Paz!)

FONTES DE CONSULTAS E PESQUISAS:

Vamos expor a seguir de onde pertencem os textos que nos preenchem todos os dias, nos dando um caminho com mais sabedoria, simplicidade e amor.

FONTE PRINCIPAL DE PESQUISA E INSPIRAÇÃO

bc3adblia1

FONTE DE CONSULTA – IGMR (INSTRUÇÃO GERAL DO MISSAL ROMANO – 1ª EDIÇÃO / 2008)

IGMR

REFLITA:

O importante não é a pessoa que escreve, mas quem foi que inspirou essa pessoa a escrever.

O importante não é como se lê o que está escrito, mas como se age.

O importante não é sentar-se à direita ou à esquerda do Pai, mas sim, realizar o trabalho que Ele nos pede.

Ter conhecimento não é ter sabedoria, sabedoria é saber compartilhar o conhecimento.

(0) – Blog Liturgia Diária da Palavra de Deus (Reflexões e Comentários);

(1) – Periódico Mensal: Liturgia Diária (Editoras Paulinas e Paulus);

(2) – Periódico Mensal: Deus Conosco (Editora Santuário);

(3) – Portal Editora Santuário;

(4) – Portal Editora Paulinas;

(5) – Portal Editora Paulus;

(6) – Portal e Blog Canção Nova;

(7) – Portal Dom Total;

(8) – Portal Católica Net;

(9) – Portal Católico Orante;

(10) – Portal Edições Loyola Jesuítas;

(11) – Portal de Catequese Católica;

(12) – Portal Evangelho Quotidiano;

(13) – Blog Homilia Dominical;

(14) – Blog Liturgia Diária Comentada;

(15) – Portal CNBB (A Palavra de Deus na Vida);

(16) – Portal Catequisar: Catequese Católica;

(17) – Portal Universo Católico;

(18) – Portal Paróquia São Jorge Mártir;

(19) – Portal Catedral FM 106,7;

(20) – Portal Comunidade Católica Nova Aliança;

(21) – Portal Comunidade Resgate;

(22) – Portal Fraternidade O Caminho;

(23) – Portal Católico na Net;

(24) – Portal Evangeli.net;

(25) – Portal Padre Marcelo Rossi;

(26) – Portal Grupo de Oração Sopro de Vida;

(27) – Portal NPD Brasil.

(28) – Um Novo Caminho

MINHA MENSAGEM PESSOAL PARA MIM MESMO.

Mais vale o desconforto da VERDADE, do que a comodidade da MENTIRA.

E usando a essência da Oração da Serenidade, devo orar:

Ó meu Deus e Senhor, Pai de misericórdia e Salvação,

que em seu Filho Jesus perdoou os nossos pecados,

e com o seu Santo Espírito, paráclito nesse nosso mundo que caminha conosco,

apenas em Ti posso almejar a vida eterna, socorre-me e ouvi-me:

Se o ERRO está em mim, que DEUS possa me dar a HUMILDADE de aceitar que estou errado.

Que Jesus me dê a SERENIDADE, para aceitar que tem coisas que não posso mudar.

E que o Espírito Santo me dê a CORAGEM, suficiente para mudar aquelas coisas que dependem de mim, mesmo que sejam difíceis.

E para complementar os alicerces de orações da minha vida, faço como o santo Tomás de Aquino:

“Concede-me, Deus misericordioso, que deseje com ardor o que tu aprovas, que o procure com prudência, que o reconheça em verdade, que o cumpra na perfeição, para louvor e glória do teu nome.

Põe ordem na minha vida, ó meu Deus, e permite-me que conheça o que tu queres que eu faça, concede-me que o cumpra como é necessário e como é útil para a minha alma.

Concede-me, Senhor meu Deus, que não me perca no meio da prosperidade nem da adversidade; não deixes que a adversidade me deprima, nem que a prosperidade me exalte.

Que nada me alegre ou me entristeça para além do que conduz a ti.”

Viver CORRETO e falar a VERDADE hoje são tão difíceis quanto na época de Jesus, pois é muito mais fácil aceitar a MENTIRA e fazer o ERRADO.

Viver no CAMINHO, VERDADE E VIDA, que é o próprio Cristo Jesus, tem que ser uma caminhada diária.

O futuro é desejo e pensamento.

O passado é aprendizado e lembrança.

O hoje é realidade, isso quer dizer: CRISTO.

Meus amigos(as) de coração, meus irmãos(ãs) em Cristo Jesus, lembrem-se:

“Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas.”

“Não julgues para não seres julgados.”

“A quem é muito dado, muito será cobrado.”

Anúncios
Esse post foi publicado em Religião. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s