Liturgia Diária 12/Mar/15

LITURGIA DIÁRIA DA PALAVRA
12/Mar/2015 (quinta-feira)

O poder de Jesus

LEITURA: Jeremias (Jr) 7, 23-28: O culto sem fidelidade
Leitura do Livro do Profeta Jeremias:
Assim fala o Senhor: 23 Dei esta ordem ao povo dizendo: Ouvi a minha voz, assim serei o vosso Deus, e vós sereis o meu povo; e segui adiante por todo o caminho que eu vos indicar para serdes felizes. 24 Mas eles não ouviram e não prestaram atenção; ao contrário, seguindo as más inclinações do coração, andaram para trás e não para a frente, 25 desde o dia em que seus pais saíram do Egito até ao dia de hoje. A todos enviei meus servos, os profetas, e enviei-os cada dia, começando bem cedo; 26 mas não ouviram e não prestaram atenção; ao contrário, obstinaram-se no erro, procedendo ainda pior que seus pais. 27 Se falares todas essas coisas, eles não te escutarão, e, se os chamares, não te darão resposta. 28 Dirás, então: “Esta é a nação que não escutou a voz do Senhor, seu Deus, e não aceitou correção. Sua fé morreu, foi arrancada de sua boca.” – Palavra do Senhor. – Graças a Deus.

SALMO: Salmos (Sl) 95 (94), 1-2. 6-7. 8-9: Invitatório
8 Oxalá ouvísseis hoje a voz do Senhor: Não fecheis os vossos corações.
1 Vinde, exultemos de alegria no Senhor, aclamemos o Rochedo que nos salva! 2 Ao seu encontro caminhemos com louvores, e com cantos de alegria o celebremos!
6 Vinde adoremos e prostremo-nos por terra, e ajoelhemos ante o Deus que nos criou! 7 Porque ele é o nosso Deus, nosso Pastor, e nós somos o seu povo e seu rebanho, as ovelhas que conduz com sua mão.
8 Oxalá ouvísseis hoje a sua voz: “Não fecheis os corações como em Meriba, 9 como em Massa, no deserto, aquele dia, em que outrora vossos pais me provocaram, apesar de terem visto as minhas obras”.

EVANGELHO: Lucas (Lc) 11, 14-23: Jesus e Belzebu
— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo segundo Lucas.
— Glória a vós, Senhor.
Naquele tempo: 14 Jesus estava expulsando um demônio que era mudo. Quando o demônio saiu, o mudo começou a falar, e as multidões ficaram admiradas. 15 Mas alguns disseram: “É por Belzebu, o príncipe dos demônios, que ele expulsa os demônios.” 16 Outros, para tentar Jesus, pediam-lhe um sinal do céu. 17 Mas, conhecendo seus pensamentos, Jesus disse-lhes: “Todo reino dividido contra si mesmo será destruído; e cairá uma casa por cima da outra. 18 Ora, se até Satanás está dividido contra si mesmo, como poderá sobreviver o seu reino? Vós dizeis que é por Belzebu que eu expulso os demônios. 19 Se é por meio de Belzebu que eu expulso demônios, vossos filhos os expulsam por meio de quem? Por isso, eles mesmos serão vossos juízes. 20 Mas, se é pelo dedo de Deus que eu expulso os demônios, então chegou para vós o Reino de Deus. 21 Quando um homem forte e bem armado guarda a própria casa, seus bens estão seguros. 22 Mas, quando chega um homem mais forte do que ele, vence-o, arranca-lhe a armadura na qual ele confiava, e reparte o que roubou. 23 Quem não está comigo, está contra mim. E quem não recolhe comigo, dispersa.” — Palavra da Salvação. — Glória a vós, Senhor.

LEITURA ORANTE

Oração Inicial (Querer)
A quaresma é um caminho dinâmico e progressivo que nos tira das trevas para a luz, da escravidão para a liberdade, da morte para a vida, da tristeza para a alegria… A Palavra de Deus, lida e meditada todos os dias, nos apresenta este caminho para uma vida renovada. Com Jesus, que hoje se apresenta como Libertador, desejamos passar este dia e acolher em nossa vida seus ensinamentos.
Vinde, Espírito Santo, enchei os corações dos vossos fiéis e acendei neles o fogo do vosso amor. Enviai o vosso Espírito e tudo será criado. E renovareis a face da terra. Oremos: Deus, que instruístes os corações de vossos fiéis com a luz do Espírito Santo, fazei que apreciemos retamente todas as coisas segundo o mesmo espírito e gozemos sempre de sua consolação. Por Cristo, Senhor nosso. Amém.

Eu sou o CAMINHO (Ler)
Faça uma leitura atenta do texto. Identifique as palavras que mais chamaram a sua atenção durante a leitura. Procure compreender o que o texto diz em si.
Para o aprofundamento do texto, proponho como ponto de partida o primeiro versículo: “Jesus estava expulsando um demônio que era mudo”. É constante a luta de Jesus contra o poder dos demônios, observamos isso em diversas citações bíblicas. Demônios para nós são a personificação do mal: ganância, divisão, exploração, opressão e assim por diante. Quando possuída por um demônio, a pessoa deixa de viver com dignidade, torna-se escrava, muda, sem forças…
Jesus apresenta-se como o Libertador. Em sua misericórdia, ele liberta a vida dos pobres e excluídos do demônio da dominação e da marginalização, devolve a vida aos sem dignidade e a saúde aos doentes. E Jesus sempre conseguiu expulsá-los, pois o poder de Deus é mais forte do que o mal.

A VERDADE (Refletir)
O que este texto diz para mim, hoje?
De que forma compreendo e acolho os ensinamentos de Jesus?
Pense por alguns instantes nas diversas ações de Jesus para que as pessoas tivessem vida digna: ensinamentos, curas, milagres…
O que os gestos de Jesus dizem para mim hoje?
Quais são os demônios que nos cercam, aprisionam e impedem que vivamos com dignidade?
É desejo de Deus que seus filhos vivam com dignidade e com sentido.
É sempre difícil contentar a todos! Jesus faz milagre e muitos ficam maravilhados e acreditam nele! Outros se sentem atingidos e não querem admitir os poderes divinos de Jesus!
Ficaram assustados, com medo de perderem poderes!
Jesus compara os fortes, os poderosos deste mundo, com um homem forte que defende seus bens!
– Sou forte?
– Em que sentido?

E a VIDA (Orar)
Apresente ao Senhor a oração que brotou em seu coração. Conclua rezando:
Jesus, divino Mestre, nós vos adoramos, Filho muito amado do Pai, caminho único para chegarmos a ele. Nós vos louvamos e agradecemos, porque sois o exemplo que devemos seguir. Com simplicidade, queremos aprender de vós o modo de ver, julgar e agir. Queremos ser atraídos por vós, para que, caminhando nas vossas pegadas, possamos viver dia a dia a liberdade dos filhos de Deus. Aumentai nossa esperança, impulsionando plenamente o nosso ser e o nosso agir. Ajudai-nos a retratar e nossa vida a vossa imagem, para que assim vos possamos possuir eternamente no céu. Amém.

Qual deve ser a MISSÃO em minha VIDA hoje? (Agir)
Qual é o novo olhar que nasceu em mim, a partir da Palavra?
Apelos que recebi da Palavra e compromissos que me proponho a viver.

REFLEXÕES

(1.4) – REFLEXÃO
Estamos vivendo uma época em que as posições em relação a Satanás são contraditórias. Existem algumas pessoas que dizem que o demônio não existe, que é uma espécie de personificação das más tendências e inclinações das pessoas e que essa história de anjo decaído não passa de mitologia. Por outro lado, existem os que absolutizam a ação do demônio, de modo que tudo é o inimigo agindo, é fruto do maligno e outras coisas do gênero. A Igreja afirma a existência do demônio, mas também afirma que o poder de Deus é infinitamente superior ao dele. No Evangelho de hoje, Jesus nos mostra o seu poder sobre o maligno, poder que se manifesta na totalidade no Mistério Pascal, que é a derrota definitiva do antigo inimigo.

(6) – JESUS É REVESTIDO DO ESPÍRITO SANTO
Estamos na parte central do evangelho segundo Lucas, denominada “subida para Jerusalém”. Em qualquer trecho do evangelho, o leitor está mais bem informado do que os personagens da cena. Sabemos, pelo relato do batismo, que Jesus é revestido do Espírito Santo; os seus opositores não o sabem. O mal que enigmaticamente está diante do ser humano e age no seu coração, com o seu consentimento, distorce a palavra e torna difícil a comunicação. Um exemplo disso é o relato da torre de Babel (Gn 11, 1-9). Efetivamente, o mal confunde, impede de falar bem e de bem falar. A palavra é dada ao homem para a sua comunicação com seu Criador e com os seus semelhantes. Somente ao ser humano Deus dirige a palavra. A palavra adquire seu pleno sentido no bem dizer. Na segunda parte de sua obra, Lucas diz que é o Espírito Santo quem faz falar as maravilhas de Deus (At 2, 1-11) e dá à palavra seu verdadeiro sentido. Considerar que é por Belzebu que Jesus expulsa os demônios é um juízo distorcido, equivocado, falta de abertura e discernimento. É confundir o Espírito Santo com Belzebu. Esse é o verdadeiro mal.
Oração:
Espírito Santo, vinde a nós e ficai conosco! Penetrai em nossos corações. Ensinai-nos o que devemos fazer, que caminho seguir, mostrai-nos como devemos agir.
Padre Carlos Alberto Contieri

(7) – O PODER DE JESUS VENCE A AÇÃO DO MALIGNO ENTRE NÓS
Somos convidados por Deus, neste tempo da graça, a rever nossas posturas e ações que causam divisão, desunião e espalham cizânia no Reino de Deus.
“Todo reino dividido contra si mesmo será destruído; e cairá uma casa por cima da outra” (Lucas 11, 17).
A ação de Jesus é para combater o mal e o maligno, autor e princípio de toda a maldade que há no mundo. Por isso Jesus não compactua com nenhuma das obras do mal e não é conivente com nada que vem do maligno. E é uma suprema maldade querer atribuir o bem que o Senhor faz e a ação d’Ele para expulsar o mal à obra do mal também. Um reino dividido não subsiste; não pode satanás atacar satanás; não pode o mal atacar o mal. Só quem pode atacar o mal é o bem, só quem pode destruir a força do mal é a força do bem!
Que confusão quando duas pessoas praticantes do mal brigam entre si para que uma seja mais maldosa do que a outra. Pense que situação complicada e difícil! Pense em como é nossa casa quando começa aquele apavoramento, aquela guerra de ânimos e um se coloca contra o outro. Nossa casa também se destrói quando nela não há a unidade; não é preciso que todas as pessoas sejam iguais, mas é preciso haver respeito pelas diferenças.
Aquele espírito sectário, que quer ver o mundo, as pessoas, a religião só do “nosso” jeito, não é de Jesus. O espírito de Jesus é o da unidade e da convergência das diferenças, que sabem conviver lado a lado, mesmo com as profundas ou pequenas visões diferentes que há no mundo e nas realidades. Saber conviver com quem não pensa como nós, com quem não quer algo como nós o queremos é um dos caminhos e chaves para semear o Reino de Deus e construí-lo no meio de nós.
Nós não precisamos combater as pessoas, mas sim a ação do maligno no meio de nós. Ele [maligno] nos quer divididos, nos quer brigando uns contra os outros, quer ver a casa de Deus separada. É triste quando o cristão não olha para o outro, quando irmãos não conversam entre si; quando as religiões mais separam do que unem as pessoas, quando, por interesses religiosos, criamos muros em vez de pontes para nos aproximarmos e nos unirmos.
Somos convidados por Deus, neste tempo da graça, a rever as nossas posturas e nossas ações que causam divisão e desunião e espalham cizânia no Reino de Deus. Esperamos a todas elas renunciar.
Queremos pedir ao Senhor a graça de saber conviver com o diferente e, desta forma, construir o Reino de Deus. O ataque uns contra os outros e divisão por divisão não são coisas de Deus, mas do mal. Renunciemos às obras das trevas!
Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo

(8) – ADMIRAÇÃO E SUSPEITA
Embora agisse com absoluta boa-fé, a ação de Jesus foi alvo de interpretações desencontradas. As multidões ficavam maravilhadas diante de seus gestos poderosos. O caso da libertação de um homem mantido escravo pelo demônio, que o impedia de falar, era um, entre tantos. O povo começava a perceber algo de extraordinário, presente na ação de Jesus. Sem dúvida, a mão de Deus estava agindo por meio dele. Esta percepção constituía o primeiro passo para a fé.
Outros, porém, viam as coisas de modo diferente, e acusavam o Mestre de estar agindo em conluio com Belzebu. Por isso, colocavam-no sob suspeita. Na visão deles, os milagres de Jesus eram só aparentes; quem acreditava neles, corria o risco de afastar-se de Deus. A beleza desses milagres era como que uma capa que impedia as pessoas de se darem conta das reais intenções do Mestre. Por trás dessa capa bonita, ocultava-se um inimigo de Deus, que só buscava fazer adeptos.
Jesus não ficava indiferente, quando seu ministério era objeto de falsas interpretações. Afinal, os que o colocavam sob suspeita, estavam questionando o núcleo de sua ação: a obediência e a submissão ao Pai. Sem elas, toda a vida de Mestre não teria mais sentido, e sua condição de Messias, Filho de Deus, não passaria de uma impostura.
Ao maravilhar-se da ação de Jesus, o discípulo reconhece Deus agindo por meio dele, e se abre para acolhê-lo na fé.
Oração:
Espírito de compreensão, coloca-me, cava vez mais, em sintonia com Jesus, para eu poder perceber o verdadeiro sentido do seu agir.
Padre Jaldemir Vitório

(9) – BOA NOVA PARA CADA DIA
“Quem não está comigo [no caso Belzebu e seus demônios] está contra mim” (Lc 11, 23a).
Depois que Jesus expulsou o demônio mudo do homem possesso, tal como ouvimos no Evangelho de hoje, as pessoas ficaram muito admiradas. E perguntaram: “como é que Jesus tem este poder? De quem, ou de onde, recebeu autoridade sobre os demônios?”.
Como solução desta questão alguém, no meio do povo, disse: “É por Belzebu, príncipe dos demônios, que Ele expulsa demônios” (Lc 11, 15).
Esta interpretação maliciosa contrastava com o grande milagre que Jesus acaba de fazer para o bem do homem que tinha sido possesso. Jesus se viu ofendido, e magoado reagiu, perguntando: se Belzebu permitia que um homem expulsasse seus demônios, que tipo de príncipe de demônios era esse? Estaria agindo contra si mesmo.
O Evangelho vai além: Jesus não somente afirma que expulsa demônios sem depender de Belzebu. Ele afirma que o venceu, que tirou sua armadura (Lc 11, 22) e o submeteu ao Seu poder.
Em Lc 11, 23 a compreensão disto fica mais clara: “Quem não está comigo [no caso Belzebu e seus demônios] está contra mim” (Lc 11, 23a).
Em outras palavras: como Jesus tem poder sobre Belzebu e seus demônios, o poder deles sobre os homens está destruído. O reino de Belzebu chegou ao fim.
Agora vigora o Reino de Deus, que se confirma nos exorcismos que Jesus faz. Mas o Reino de Deus é mais do que isto. É a cura, a purificação e a Salvação dos homens. Livres dos demônios e com acesso livre a Deus, os homens podem ser santificados e viverem em justiça sobre a terra. Isto e muito mais é o que nos garante o Reino de Deus.
Este Evangelho nos consola, porque hoje Jesus exerce seu poder sobre os demônios. Se algum caso de possessão existe, devemos considera-lo permissão de Deus para nos lembrar que o demônio existe e não se camufla nem se esconde quando pode.
Depois que o Reino de Deus foi instalado e nele vivemos, temos a segurança de que o demônio não vai nos atormentar como nos tempos antes da vinda de Cristo a este mundo.
Padre Valdir Marques

COMEMORA-SE NO DIA 12/Mar

(5) – SÃO GREGÓRIO DE NISSA
O nome de Gregório de Nissa aparece sempre associado ao de seu irmão Basílio e ao de outro Gregório, o de Nazianzo: os três são conhecidos como Padres Capadócios.
Gregório de Nissa pertencia a uma família tradicionalmente cristã, o pai era um retórico estimado e a mãe era uma mulher de muita fé e piedade. O avô de Gregório teve a honra de sofrer o martírio e sua irmã mais velha, Macrina, foi mais tarde canonizada.
A família de Gregório de Nissa buscou zelar pela formação de seus filhos, tanto que enviou o seu primogênito, São Basílio Magno, para estudar em Constantinopla e Atenas, berços culturais da época.
Com o retorno de Basílio, este recebeu a missão de formar seu irmão mais novo nas artes da cultura clássica. Gregório não foi apenas um bom discípulo; chegou a ultrapassar o seu irmão, apesar de nunca ter tido a oportunidade de estudar em um dos grandes centros culturais do período em que viveu.
Gregório de Nissa queria dedicar-se ao magistério, mas no ano 372, o imperador Valente decidiu enfraquecer o poder eclesiástico da região através da divisão da Capadócia em duas partes. Percebendo de imediato o ardil do imperador, Basílio, que nessa época já era bispo de Cesaréia e exercia grande influência em toda a região, decidiu agir rápido e nomeou novos bispos para a nova Capadócia, e entre eles estava Gregório; era a providência de Deus alterando os rumos da vida de nosso santo.
Mesmo contrariado em seus planos, Gregório assumiu com todo amor a missão que Deus lhe confiou. O povo de Nissa, cidade da região central da Capadócia, reconhecia nele o bom pastor à imagem de Jesus Cristo. Entretanto alguns hereges tramavam contra sua vida, e em 376 conseguiram que ele fosse expulso e exilado de Nissa através de falsas acusações de inexatidão na contabilidade de sua diocese.
Apenas dois anos depois, após a morte do imperador Valente, Gregório retornou a Nissa, onde foi recebido triunfalmente pelo povo.
Ficou conhecido em sua época por sua fé inabalável, uma profunda cultura teológica e vastíssima ciência, e isso capacitava-o primorosamente para empreender, mesmo após a morte do irmão, uma verdadeira cruzada contra os hereges, especialmente os arianos. Como bispo soube encontrar uma linguagem simples e direta para apresentar ao seu rebanho ensinamentos concretos, ao mesmo tempo que escrevia com profundidade teológica poucas vezes vista.
São Gregório de Nissa participou de inúmeros sínodos e concílios, entre os quais merece destaque o Concílio de Constantinopla em 381. Foi dele o discurso de abertura, e os demais bispos entusiasmaram-se com suas palavras cheias de vigor, temor a Deus e amor à Igreja de Cristo.
Em 394 assistiu pela última vez a um sínodo, pois pouco tempo depois veio a falecer.
Reflexão:
São Gregório de Nissa abraçou com todas as forças a vontade de Deus e soube vivê-la de modo exemplar, num tempo em que ser cristão era ter de enfrentar não só imensos desafios, mas, até mesmo, a própria morte, se necessário. Destacou-se não só pela prática heróica das virtudes e pelo santo exemplo de vida, mas também porque recebeu de Deus uma missão toda particular e de extrema importância para as gerações cristãs futuras: a missão de meditar, rezar e escrever acerca dos mistérios salvíficos, para a edificação de toda a Igreja de ontem e de hoje. Pensemos hoje nos homens e mulheres que dedicam-se ao estudo da teologia e peçamos a Deus que lhes cumule com muita sabedoria e temor de Deus.
Padre Evaldo César de Souza

NINGUÉM AMA O QUE NÃO CONHECE

CELEBRAÇÃO DE HOJE

III SEMANA DA QUARESMA
(ROXO – OFÍCIO DO DIA)

RITOS INICIAIS

Monição Ambiental ou Comentário Inicial
Recusando-nos a escutar a voz de Deus, acabamos não reconhecendo Jesus nem seu projeto de salvação. A liturgia nos convida a não fechar o coração, mas fazer opção por estar com Jesus.

Antífona da entrada
Eu sou a salvação do povo, diz o Senhor: quando, em qualquer aflição, clamarem por mim, eu os ouvirei e serei seu Deus para sempre.

Oração do Dia ou Oração da Coleta
À medida que se aproxima a festa da salvação, nós vos pedimos, ó Deus, que nos preparemos com maior empenho para celebrar o mistério da Páscoa. Por Nosso Senhor Jesus Cristo, Vosso Filho, na unidade do Espírito Santo.

LITURGIA DA PALAVRA

Monição para a(s) Leitura(s)
Abramos os ouvidos e o coração para acolher a Palavra que será proclamada, pois ela nos mostra os caminhos do Senhor e nos faz reconhecer o seu reino entre nós.

Monição ou Antífona do Evangelho
Jesus Cristo, sois bendito, sois o ungido de Deus Pai!
Voltai ao Senhor, vosso Deus, ele é bom, compassivo e clemente (Jl 2, 12s).

Oração Universal ou Oração dos Fiéis
AS: Senhor, atendei nossa prece.
1. Senhor, que derrotais o mal, mantende a Igreja empenhada na eliminação dos males da sociedade.
2. Vós que sois nosso guia, fazei que os ensinamentos de Jesus iluminem nossa vida e nossas orações.
3. Vós que nos indicais o caminho da felicidade, dai-nos coragem e perseverança nos momentos difíceis.
4. Vós que escutais o clamor do vosso povo, tornai-nos atentos aos apelos dos irmãos e irmãs necessitadas.
5. Vós que sois nosso conforto, ajudai-nos a suportar a saudade e a dor pela perda de pessoas queridas.

LITURGIA EUCARÍSTICA

Oração sobre as Oferendas
Ó Deus, para que a oferenda do vosso povo possa agradar-vos, purificai-nos de todo contágio do mal e não nos deixeis seduzir pelas falas alegrias, pois nos prometestes o prêmio verdadeiro. Por Cristo, nosso Senhor.

Antífona da Comunhão
Vós nos dais, Senhor, vossos preceitos para que sejam observados fielmente. Possam meus passos orientar-se no cumprimento da vossa justiça (Sl 118, 4s).

Oração depois da Comunhão
Ó Deus, que nos alimentais com os sacramentos, concedei-nos vossos auxílios para colhermos o fruto da salvação nesta celebração e em nossa vida. Por Cristo, nosso Senhor.

RITOS FINAIS OU RITOS DE ENCERRAMENTO

Ide em Paz!

FONTES DE CONSULTAS E PESQUISAS

Vamos expor a seguir de onde pertencem os textos que nos preenchem todos os dias, nos dando um caminho com mais sabedoria, simplicidade e amor.

FONTE PRINCIPAL DE PESQUISA E INSPIRAÇÃO
cfeb0-bblia_257e2

FONTE DE CONSULTA LITÚRGICA
IGMR (INSTRUÇÃO GERAL DO MISSAL ROMANO – 1ª EDIÇÃO / 2008)
IGMR

REFLITA

O importante não é a pessoa que escreve, mas quem foi que inspirou essa pessoa a escrever.
O importante não é como se lê o que está escrito, mas como se age.
O importante não é sentar-se à direita ou a esquerda do Pai, mas sim, realizar o trabalho que Ele nos pede.
Ter conhecimento não é ter sabedoria, sabedoria é ter discernimento e saber compartilhar o conhecimento.

FONTES DE ORIENTAÇÕES E PESQUISAS DAS REFLEXÕES, ORAÇÕES E COMEMORAÇÕES

(1.1) – Blog Liturgia Diária da Palavra de Deus (Reflexões e Comentários);
(1.2) – Periódico Mensal: Liturgia Diária (Editoras Paulinas e Paulus);
(1.3) – Periódico Mensal: Deus Conosco (Editora Santuário);
(1.4) – Portal CNBB (A Palavra de Deus na Vida);
(5) – Portal Editora Santuário;
(6) – Portal Editora Paulinas;
(7) – Portal e Blog Canção Nova;
(8) – Portal Dom Total;
(9) – Portal Edições Loyola Jesuítas;
(10) – Portal Evangelho Quotidiano;
(11) – Blog Liturgia Diária Comentada;
(13) – Portal Catequisar: Catequese Católica;
(14) – Portal Comunidade Católica Nova Aliança;
(15) – Portal Fraternidade O Caminho;
(16) – Portal Evangeli.net;
(17) – Portal Padre Marcelo Rossi;
(18) – Um Novo Caminho;
(19) – Portal Dom Total: Roteiro Homilético;
(20) – Portal de Catequese Católica;
(21) – Blog Homilia Dominical;
(22) – Portal NPD Brasil;
(23) – Portal Canção Nova: Música;
(24) – Portal Editora Paulus;
(25) – Portal Católica Net;
(26) – Portal Católico Orante;
(27) – Rádio Catedral FM 106,7: Liturgia Diária;
(28) – Portal Comunidade Resgate;
(29) – Portal Católico na Net.

MENSAGEM PARA VOCÊ E PARA MIM MESMO

Mais vale o desconforto da VERDADE, do que a comodidade da MENTIRA.
E usando a essência da Oração da Serenidade, devo orar:

Ó meu Deus e Senhor, Pai de misericórdia e Salvação,
que em seu Filho Jesus perdoou os nossos pecados,
e com o seu Santo Espírito, paráclito nesse nosso mundo que caminha conosco,
apenas em Ti posso almejar a vida eterna, socorre-me e ouvi-me:
Se o ERRO está em mim, que DEUS possa me dar a HUMILDADE de aceitar que estou errado.
Que Jesus me dê a SERENIDADE, para aceitar que tem coisas que não posso mudar.
E que o Espírito Santo me dê a CORAGEM, suficiente para mudar aquelas coisas que dependem de mim, mesmo que sejam difíceis.

E para complementar os alicerces de orações da minha vida, faço como o santo Tomás de Aquino:

“Concede-me, Deus misericordioso, que deseje com ardor o que tu aprovas, que o procure com prudência, que o reconheça em verdade, que o cumpra na perfeição, para louvor e glória do teu nome.
Põe ordem na minha vida, ó meu Deus, e permite-me que conheça o que tu queres que eu faça, concede-me que o cumpra como é necessário e como é útil para a minha alma.
Concede-me, Senhor meu Deus, que não me perca no meio da prosperidade nem da adversidade; não deixes que a adversidade me deprima, nem que a prosperidade me exalte.
Que nada me alegre ou me entristeça para além do que conduz a ti.”

Viver CORRETO e falar a VERDADE hoje são tão difíceis quanto na época de Jesus, pois é muito mais fácil aceitar a MENTIRA e fazer o ERRADO.
Viver no CAMINHO, VERDADE E VIDA, que é o próprio Cristo Jesus, tem que ser uma caminhada diária.
O futuro é desejo e pensamento.
O passado é aprendizado e lembrança.
O hoje é realidade, isso quer dizer: CRISTO.

Meus amigos(as) de coração, meus irmãos(ãs) na fé em Cristo Jesus, lembrem-se:
“Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas.”
“Não julgues para não seres julgados.”
“A quem é muito dado, muito será cobrado.”

Anúncios
Esse post foi publicado em Religião. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s