Liturgia Diária 14/Abr/15

LITURGIA DIÁRIA DA PALAVRA
14/Abr/2015 terça-feira)

JESUS DIZ A NICODEMOS E NÓS, NOVAMENTE: NASCER DO ALTO

LEITURA: Atos dos Apóstolos (At) 4, 32-37: A primeira comunidade cristã
Leitura dos Atos dos Atos dos Apóstolos: 32 A multidão dos fiéis era um só coração e uma só alma. Ninguém considerava como próprias as coisas que possuía, mas tudo entre eles era posto em comum. 33 Com grandes sinais de poder, os apóstolos davam testemunho da ressurreição do Senhor Jesus. E os fiéis eram estimados por todos. 34 Entre eles ninguém passava necessidade, pois aqueles que possuíam terras ou casas, vendiam-nas, levavam o dinheiro, 35 e o colocavam aos pés dos apóstolos. Depois, era distribuído conforme a necessidade de cada um. 36 José, chamado pelos apóstolos de Barnabé, que significa filho da consolação, levita e natural de Chipre, 37 possuía um campo. Vendeu e foi depositar o dinheiro aos pés dos apóstolos. – Palavra do Senhor. – Graças a Deus.

SALMO: Salmos (Sl) 93 (92), 1ab. 1c-2. 5: O Deus majestoso
 1a Reina o Senhor, revestiu-se de esplendor.
Ou: Aleluia, Aleluia, Aleluia
— 1a Deus é Rei e se vestiu de majestade, / 1b revestiu-se de poder e de esplendor!
1c Vós firmastes o universo inabalável, / 2 † vós firmastes vosso trono desde a origem, / desde sempre, ó Senhor, vós existis!
5 Verdadeiros são os vossos testemunhos, / refulge a santidade em vossa casa, / pelos séculos dos séculos, Senhor!.

EVANGELHO: João (Jo) 3, 7-15: O encontro com Nicodemos (continuação)
— O Senhor esteja convosco.
— Ele está no meio de nós.
— PROCLAMAÇÃO do Evangelho de Jesus Cristo segundo João.
— Glória a vós, Senhor.
Naquele tempo disse Jesus a Nicodemos: 7b “Vós deveis nascer do alto. 8 O vento sopra onde quer e tu podes ouvir o seu ruído, mas não sabes de onde vem, nem para onde vai. Assim acontece a todo aquele que nasceu do Espírito”. 9 Nicodemos perguntou: “Como é que isso pode acontecer?” 10 Respondeu-lhe Jesus: “Tu és mestre em Israel, mas não sabes estas coisas? 11 Em verdade, em verdade te digo, nós falamos daquilo que sabemos e damos testemunho daquilo que temos visto, mas vós não aceitais o nosso testemunho. 12 Se não acreditais, quando vos falo das coisas da terra, como acreditareis se vos falar das coisas do céu? 13 E ninguém subiu ao céu, a não ser aquele que desceu do céu, o Filho do Homem. 14 Do mesmo modo como Moisés levantou a serpente no deserto, assim é necessário que o Filho do Homem seja levantado, 15 para que todos os que nele crerem tenham a vida eterna. — Palavra da Salvação. — Glória a vós, Senhor.

LEITURA ORANTE

Oração Inicial (Querer)
Neste novo dia, somos convidados a nascermos do alto para compreendermos o mistério de Deus e participarmos do seu reino. Deixemo-nos conduzir pelo Espírito Santo nesta Leitura Orante, rezando:
Vinde, Espírito Santo, e dai-nos o dom da sabedoria, para que possamos avaliar todas as coisas à luz da Palavra de Deus e ler nos acontecimentos da vida os projetos de amor do Pai. Amém.

“Eu sou o CAMINHO” (Ler)
É o momento de compreendermos o texto.
O que ele diz?
Leia com calma e atentamente o texto do Evangelho. Em seguida, leia novamente em voz alta e pausadamente, e procure repetir as palavras que chamaram a sua atenção.
Qual é o contexto da mensagem de Jesus?
Quais são as orientações dadas por Jesus?
Como Nicodemos acolhe essas orientações?
Faça outras perguntas ao texto bíblico.
O Evangelho de hoje continua relatando o diálogo de Jesus com Nicodemos. “É necessário para vós nascer do alto”, insiste Jesus. Conforme vimos ontem, nascer do alto é viver segundo o Espírito, é deixar-nos transformar pela sua ação. É nos dispormos para sermos conduzidos pelo Espírito Santo de tal forma que nem podemos imaginar onde ele nos levará. Por isso, Jesus diz: “O vento sopra onde quer e ouves a sua voz, mas não sabes de onde vem nem para onde vai. Assim é também todo aquele que nasceu do Espírito”.
Nicodemos então pergunta: “Como pode isso acontecer?” Para um mestre de Israel como Nicodemos, a pergunta dirigida a Jesus parece um tanto estranha. Jesus então o ajuda a compreender que ele, o Filho do Homem vindo do Pai, dá a conhecer as coisas do alto, dá a conhecer o próprio agir de Deus. Mais ainda, que o Filho do Homem é o crucificado que foi levantado, ou seja, exaltado. Os que nele creem participarão da vida eterna.

“A VERDADE” (Refletir)
O que o texto diz para mim, hoje?
Qual foi a palavra que encontrou sintonia com a realidade que estou vivendo?
O convite que Jesus faz para Nicodemos é também para mim?
Permito que o Espírito de Deus renove a minha vida com a sua graça?
Afirmar que vivemos segundo o Espírito Santo, recebido no batismo, supõe que vivamos radicalmente a nossa fé cristã. O nascer do alto ou nascer de novo, todos os dias, significa renovar o nosso batismo e a nossa adesão a Jesus Cristo, na escuta de sua Palavra, na vivência do amor, do perdão, da fraternidade, no comprometimento com nossos irmãos, impulsionados pela força do Espírito Santo.
Você pede que Deus lhe aumente a fé?
Você sabe distinguir o que é essencial e o que é secundário nas coisas da fé?
Dê um exemplo de obra que manifesta muita fé.
Mencione um bem que sua comunidade faz em favor do próximo.
Que lugar ocupa a cruz de Cristo em sua casa?

“E a VIDA” (Orar)
É preciso deixar-se mover e conduzir por Deus. Peçamos hoje a graça de sermos movidos pelo Espírito que como vento sopra onde quer.
Divino Espírito Santo, necessitamos muito de vossa ajuda para conhecer o caminho que devemos seguir. Temos necessidade de vós, para que o nosso coração, inundado pela vossa consolação, se abra e que, muito além das palavras e dos conceitos, possamos perceber a vossa presença.
Ó Espírito Santo, que viveis na Igreja e em nós, sois nosso hóspede permanente sempre a modelar em nosso ser a figura e a forma de Jesus Cristo.
Nós nos dirigimos também a vós, Maria, Mãe da Igreja, que viveste a plenitude inebriante do Espírito Santo, experimentastes a sua força em vosso ser, e o viste operando em vosso filho Jesus, abri a nossa mente e o nosso coração à sua ação divina.
Fazei com que tudo o que pensamos, fazemos ou ouvimos, todos os nossos gestos e todas as nossas palavras sejam tão-somente abertura e disponibilidade a este único santo Espírito que forma a Igreja no mundo; edifica o corpo de Cristo na história; promove o testemunho da fé; consola e conforta; plenifica de confiança e de paz o nosso coração, mesmo em meio às dificuldades e tribulações.
Dai-nos, ó Pai, o vosso Espírito Santo! Nós o pedimos, juntamente com Maria e com todos os santos, em nome de vosso filho Jesus Cristo, nosso Senhor. Amém.

Qual a MISSÃO em minha vida hoje? (Agir)
Qual apelo a Palavra de Deus despertou em meu coração?
O que me proponho a viver?
Como vou atingir este propósito?

REFLEXÕES

(1.4) – REFLEXÃO
A Vida nova, a Vida segundo o Espírito, não é algo que a pessoa humana possa conseguir por si mesma, uma vez que é algo que está muito além da sua própria natureza, portanto algo que foge às suas capacidades. A Vida nova é a vida da graça, que nos é dada pelo próprio Deus, a partir do mistério pascal de Jesus. A condição para a participação nessa Vida em Cristo é a fé; todos os que acreditam que Jesus, crucificado, morto e ressuscitado, é o Filho de Deus, a segunda Pessoa da Santíssima Trindade que se fez homem para ser o Emanuel, o Deus conosco, recebem dele o dom da Vida em plenitude, o dom da vida eterna.

(6) – É PRECISO DEIXAR-SE MOVER E CONDUZIR POR DEUS
É preciso deixar-se despertar pela fé por meio do batismo. O evangelho de hoje é a sequência do diálogo catequético-batismal entre Jesus e Nicodemos, que começamos a ver no dia de ontem. Para compreender o mistério de Deus e desfrutar do seu reinado é preciso “nascer do alto” e também, movido pelo Espírito que como o vento sopra onde quer, superar o que é estritamente carnal e não permitir que a relação do homem com Deus se reduza ao puramente terrestre ou seja definitivamente condicionado por ele. É preciso deixar-se mover e conduzir por Deus. Sem isso, é impossível compreender o mistério de Jesus Cristo e reconhecer que ele é o enviado do Pai.
As considerações de Jesus fazem Nicodemos titubear e declarar sua própria ignorância. Sua dificuldade de compreensão pode ser atribuída ao raciocínio estreito em que o homem prisioneiro do seu próprio modo de pensar se fecha para a novidade de Deus. Somente o novo nascimento, uma vida segundo o Espírito, pode permitir ao ser humano sair do hermetismo do racionalismo e de uma prática vaidosamente rigorosa da Lei e conhecer, por uma relação pessoal e íntima com o Senhor, o mistério de Deus e receber dele a luz que faz sair da escuridão e caminhar sem tropeçar.
Oração:
Para que, vivendo a nossa fé na ressurreição de Cristo, testemunhemos a verdade de Cristo com a nossa vida e nossas ações.
Padre Carlos Alberto Contieri

(7) – QUE NOSSAS ATITUDES E PALAVRAS SE VOLTEM PARA O CÉU
Que todos os nossos gestos sejam sementes de eternidade. E que todas as nossas atitudes e nossas palavras se voltem para o céu!
“Vós deveis nascer do alto. O vento sopra onde quer e tu podes ouvir o seu ruído, mas não sabes de onde vem, nem para onde vai. Assim acontece a todo aquele que nasceu do Espírito” (João 3, 7b).
Nascer do alto não é nascer da carne, não é nascer da condição humana, não é voltar para o ventre da mãe. Nascer do alto é nascer da graça do Espírito Santo e da unção de Deus, é nos deixarmos ser embalados e conduzidos por esse Espírito maravilhoso a quem nós recebemos em nosso batismo. Ele deseja, de forma poderosa, nos ungir e infundir dentro de nós a mentalidade do Reino de Deus.
Sabem, meus irmãos, muitas vezes, nossa mentalidade está muito terrena, mundana, muito voltada para as coisas deste mundo. E ainda que sejamos pessoas de Igreja e que rezemos, em tudo que vamos fazer os nossos cálculos são humanos. Nós não temos a mentalidade do alto, a mentalidade da confiança, da entrega e da certeza em Deus; não temos a mentalidade da condução, da unção e do nos deixar ser guiados por Deus.
Ninguém pode deixar de ter a prudência humana, nem deixar de ter os cuidados necessários para proceder; no entanto, nós não podemos de forma nenhuma perder a visão sobrenatural da vida.
O Espírito Santo de Deus, em nós, nos sacode por dentro e por fora e vence essa mentalidade mundana, secular e muito óbvia existente em nós. Ele nos ensina a pensar como Deus e a termos a nossa mente e o nosso coração voltados para o alto.
Nós, muitas vezes, estamos terrenos demais, porque nos preocupamos em viver somente esta vida. E tudo o que fazemos, juntamos, acumulamos, trabalhamos e realizamos parece ser em vista somente deste mundo.
Que todos os nossos gestos sejam sementes de eternidade. E que todas as nossas atitudes e nossas palavras se voltem para o céu! E que o Reino de Deus seja restaurado entre nós e vivido no meio de nós. Para isso é preciso uma mentalidade evangélica, isto é, uma mentalidade fundada no Evangelho de Jesus Cristo.
Que Deus nos dê essa graça para que, a cada dia, possamos nascer de novo, nascer do alto, nascer de Cristo, nascer para Cristo!
Deus abençoe você!
Padre Roger Araújo

(8) – SOB O SOPRO DO ESPÍRITO
Ao exortar Nicodemos sobre a necessidade de nascer de novo, Jesus apontou a ação do Espírito como dinamismo deste renascimento. É o Espírito quem leva a pessoa a superar os esquemas da vida, segundo a carne, e a assumir um projeto de vida centrado na vontade de Deus. Arranca-a das malhas do egoísmo, e a coloca no terreno firme do amor. Abre-lhe os horizontes, apresentando-lhe a carência dos pobres e sofredores como campo de serviço. Liberta-a dos interesses mesquinhos, levando-a a confrontar-se com ideais elevados, realmente capazes de trazer felicidade e realização pessoal.
O sopro incontrolável do vento serviu de comparação para revelar a liberdade de ação de quem é movido pelo Espírito. Como não se pode segurar, determinar o rumo, exercer controle sobre o vento, o mesmo se dá com a pessoa que nasce do Espírito. Sua capacidade de fazer o bem torna-se ilimitada. Nada a detém quando se trata de demonstrar, com gestos concretos, o amor ao semelhante. O amor que traz dentro de si permite-lhe expressar, de maneira criativa, sua solidariedade. Tudo, em sua vida, torna-se novo, pois o Espírito não lhe permite cair na rotina e na inatividade, características de quem perdeu a razão de viver.
A ressurreição de Jesus é um convite a nascer de novo. O Ressuscitado é quem nos concede o Espírito necessário para este renascer.
Oração:
Espírito de renovação, que o nascimento pelo Espírito faça-me superar tudo o que é velho dentro de mim, e experimentar a liberdade de servir.
Padre Jaldemir Vitório

(9) – BOA NOVA PARA CADA DIA
“[…] como Moisés levantou a serpente no deserto, assim é necessário que o Filho do Homem seja levantado, para que todos os que Nele crerem tenham a Vida Eterna” (Jo 3, 14-15).
O Evangelho de hoje nos mostra a continuação do diálogo de Jesus com Nicodemos sobre a entrada no Reino de Deus e a participação na Vida Eterna.
É desta vez que Jesus faz menção a Sua Morte quando diz: “[…] é necessário que o Filho do Homem seja levantado […]”.
No deserto Deus mandara que Moisés levantasse uma serpente de metal sobre uma haste. Todos os que tinham sido picados por cobras como punição de seus pecados, seriam salvos daquele veneno e continuariam a viver.
Esta é uma clara imagem de todos nós, salvos do pecado original cometido por Eva e Adão enganados pela serpente, o demônio. Todos nós que, tentados, cedemos ao pecado, fomos picados pela serpente.
Qual antídoto divino Deus nos dá?
É o perdão dos pecados merecido pela morte de Jesus, elevado sobre o madeiro da Cruz.
Entendemos hoje em dia o que Jesus disse a Nicodemos, porque já sabemos o que aconteceu depois daquele diálogo entre os dois. Nicodemos chegou a saber da Ressurreição de Jesus por meio das testemunhas escolhidas por Deus, os discípulos, e, possivelmente, pode ter visto Jesus ressuscitado.
Se viu Jesus ressuscitado, pôde ter uma compreensão do que seja a Vida Eterna, isto é, uma Vida que somente Deus tem, pois é eterno. Esta Vida não se qualifica apenas pela sua duração sem fim, mas pelo que é realmente: o saciar-se e consumir-se no Amor de Deus, o do Primeiro Mandamento, que, finalmente, Ele nos permite cumprir plenamente participando de Sua Glória celeste.
Como Nicodemos entendamos que somos destinados à Vida Eterna porque fomos salvos por Jesus Cristo que foi elevado na Cruz. A serpente e seu veneno não têm mais poder sobre nós.
Padre Valdir Marques

(10) – PARA QUE TODO AQUELE QUE ACREDITA TENHA NELE A VIDA ETERNA
A imagem é uma forma de mostrar, por analogia, as coisas que esperamos.
Por exemplo, Adão é a prefiguração do Adão que havia de vir (cf 1 Cor 15, 45) e a pedra [no deserto, durante o Êxodo] prefigura Cristo; a água que jorra da pedra é a imagem do poder vivificante do Verbo (Ex 17, 6; 1 Cor 10, 4), pois Ele disse: «Se alguém tem sede, venha a Mim; e quem crê em Mim que sacie a sua sede» (Jo 7, 37); o maná é a prefiguração do «pão vivo que desceu do céu» (Jo 6, 51); e a serpente colocada num poste é a figura da Paixão, da nossa salvação consumada na cruz, uma vez que quem olhasse para ela era salvo (Nm 21, 9). Do mesmo modo, o que a Escritura diz sobre a saída dos israelitas do Egito foi narrado como prefiguração daqueles que se salvam através do batismo; pois os primogênitos dos israelitas foram salvos […] pela graça dada àqueles que tinham sido marcados com o sangue do cordeiro pascal, e esse sangue prefigurava o sangue de Cristo. […]
Nesses tempos, o mar e a nuvem (Ex 14) conduziam à fé pela admiração; mas, em relação ao futuro, prefiguravam a graça que estava para vir. «Aquele que for sábio refletirá em tudo isto e compreenderá o amor do Senhor» (Sl 107, 43). Compreenderá que o mar, prefigurando o batismo, separava os judeus do faraó, tal como o batismo nos faz escapar à tirania do diabo. Outrora, o mar afogou o inimigo; hoje, morre a inimizade que nos separava de Deus. Do mar, o povo saiu são e salvo; e nós elevamo-nos das águas, como se ressuscitássemos de entre os mortos, salvos pela graça daquele que nos chamou. Por sua vez, a nuvem era a sombra do dom do Espírito, que refresca os nossos membros, apagando a chama das paixões.
São Basílio (c. 330-379)

(11.1) – VÓS DEVEIS NASCER DO ALTO
Em Jesus está a grande novidade de Deus para a humanidade, a vida nova revelada na cruz! Jesus é a prova concreta da imensidão do amor de Deus, Nele tornou possível o ser humano conhecer a face humana do Pai!
Mas não basta crermos no Deus que em Jesus Cristo nos redimiu, é preciso saber quem é Jesus para nós, quais são as suas propostas!
Sem um comprometimento com o Cristo Ressuscitado, não vivenciamos o verdadeiro sentido da Páscoa, não ressuscitaremos com Ele!
Viver a ressurreição de Jesus no nosso cotidiano, é sermos pascais, é permitir que a Luz de Cristo ilumine o mundo através de nós!
O evangelho de hoje nos fala de um diálogo entre Jesus e Nicodemos.
Nicodemos era um judeu influente, que fazia parte do grupo dos fariseus, adversários de Jesus. Ao contrário dos fariseus, Nicodemos sentia-se atraído pelas palavras de Jesus, mas por medo, ele não assumia abertamente esta sua admiração por Ele, ficando somente nos encontros às escondidas.
Jesus fala à Nicodemos sobre a necessidade de nascer do alto, apontando para ele, a ação do Espírito Santo como o dinamismo deste renascimento. É o Espírito Santo que nos leva a assumir um projeto de vida centrado unicamente na vontade de Deus.
Nicodemos gostava de ouvir Jesus, mas estava longe de entender as suas palavras, afinal, as palavras de Jesus, não entra no coração de quem não se define, de quem não faz uma adesão radical por Ele.
O mesmo medo que aprisionou Nicodemos, que o impediu de aderir-se a vida nova revelada por Jesus, também pode nos aprisionar, quando não abrirmos à ação Espírito Santo.
Ao falar com Nicodemos, da necessidade de nascer do alto, Jesus nos faz um apelo à conversão, servindo-se do sopro incontrolável do vento, como comparação da força e da liberdade de ação de quem é movido pelo Espírito Santo. Assim como não se pode segurar e nem exercer um controle sobre o vento, também não se consegue deter, quem se deixa conduzir pelo Espírito Santo.
No texto, Jesus fala também do desfecho de sua passagem pela terra: “É preciso que o Filho do homem seja levantado” … Essas palavras de Jesus, prenunciam a sua morte de cruz. Ele seria levantado na cruz pelos seus adversários, ou seja, pelos adversários do projeto de Deus.
É impregnado no Cristo Ressuscitado, que nascemos do alto, que tornamos luz no mundo, uma luz peregrina, a tirar das trevas, àqueles que ainda não conhecem a Luz!
Em muitas situações, ser luz pode implicar em grandes riscos, porém, o maior risco é não aceitar o desafio de ser luz, o que pode nos condenar à pior de todas as trevas: estar longe de Jesus!
Não tenhamos medo de declarar a nossa adesão à Jesus! Ele deve ser o fio condutor de toda a nossa trajetória terrena!
FIQUE NA PAZ DE JESUS!
Olívia Coutinho

(11.2) – NINGUÉM SUBIU AO CÉU, A NÃO SER AQUELE QUE DESCEU DO CÉU, O FILHO DO HOMEM
Continua o diálogo de Jesus com Nicodemos, o qual exprime o impasse entre a incredulidade da sinagoga e a fé das comunidades cristãs no tempo de João. O nascer da água e do espírito é uma alusão ao batismo. Podemos ver aí traços de uma catequese batismal. É o batismo de João, na água, assumido pelo Espírito, em Jesus. O Espírito sopra onde quer e as comunidades cristãs vão surgindo livres de critérios de raça ou tradição. Nicodemos só entende a letra nas Escrituras. Não se abre à inspiração do Espírito e não aceita o testemunho de Jesus, que fala do que conhece e viu “no céu”. Com uma construção literária diferente do diálogo, o Evangelho de João passa a esclarecer o caráter celestial de Jesus. Quem olhasse a serpente de bronze levantada por Moisés não morreria das picadas das serpentes. Assim a fé no Filho do Homem exaltado na cruz leva à vida eterna.
Igreja Matriz de Dracena

(11.3) – COMO CRERÃO QUANDO LHES FALE DO CÉU?
O evangelho de hoje é uma continuação de um interessante diálogo entre Jesus e Nicodemos, um chefe do grupo dos fariseus que está inquieto por saber se Jesus é o Messias. Às pessoas como Nicodemos, autênticas representantes da forma de ser e pensar de seu tempo, há que precisar que somente através da tomada de consciência é possível o encontro com Deus, porque somente essa tomada de consciência, que também se chama céu, vem a ser a presença permanente do Pai nas pessoas. A força do Espírito, como é proposta por Jesus, é necessário resgatá-la para sair da letargia e ser mais no Senhor, porque somente com ela se faz possível a vinda do reino e porque somente assim somos capazes de deixar de lado as práticas egoístas geradores de opressão e morte para nossos irmãos.
Captar a ação do Espirito Santo é, então, contar com a sensibilidade suficiente para compreender o querer de Deus e incorporá-lo em práticas de vida que encarnem os valores do Evangelho. Longe de todo intimismo ou espiritualismo, a ação do Espírito se traduz em uma vida pessoal e comunitária comprometida com as causas dos eleitos de Deus. Peçamos a Deus Pai que nos acompanhe na tarefa de compreender os sinais dos tempos e nos permita aprender como comunidades cristãs práticas concretas em favor da vida, da justiça e da paz.
Claretianos

(11.4) – OS BEATOS AINDA NÃO SÃO SANTOS
Bom dia!
Lembro de uma propaganda que passava na televisão (faz tempo, nem me atrevo a lembrar quanto tempo faz… risos) onde Caetano Veloso narrava a insistência de um homem sobre uma bancada ou degrau de uma praça onde tentava convencer as pessoas sobre as coisas que aconteciam a seu redor que deveriam ser mudadas. Ao ver que ninguém o ouvia uma pessoa o indagou o porquê não desistia de mudar as pessoas… Ele respondeu que se ele desistisse era por que as pessoas conseguiram mudá-lo.
É preciso continuar insistindo na mudança. Ser novo não só hoje, mas amanhã também. Não podemos desistir de tornar esse mundo novo, repleto de pessoas novas.
“(…) Não vos conformeis com este mundo, mas transformai-vos pela renovação do vosso espírito, para que possais discernir qual é a vontade de Deus, o que é bom, o que lhe agrada e o que é perfeito”. (Romanos 12, 2)
No entanto, de forma especial hoje, falo para lideranças, condutores, coordenadores, pregadores da palavra de Deus:
Tenho me empenhado a manter-me de pé, à frente, liderando sem desistir ou esmorecer mediante as críticas ou ao desânimo que assolam as pessoas de hoje?
É fato, só convenço daquilo que realmente acredito se vivo.
Estou convencido da minha espiritualidade?
Ela é só na igreja?
“(…) O senhor é professor do povo de Israel e não entende isso? Pois eu afirmo ao senhor que isto é verdade: nós falamos daquilo que sabemos e contamos o que temos visto, mas vocês não querem aceitar a nossa mensagem. Se vocês não creem quando falo das coisas deste mundo, como vão crer se eu falar das coisas do céu”?
Sei que por maior ou melhor que sejam os argumentos ou exemplos que possamos dar a alguém, sempre depararemos com uma parede chamada livre arbítrio. Sabemos também que o que chateia e desmotiva é a vontade que alguns tem de não ouvir e a outros de atrapalhar. O próprio Jesus deparou com os que não queriam ouvir no episódio da mulher que seria apedrejada. O silêncio e a sabedoria nas palavras ditas resolveram a situação. Somos convidados a buscar a sabedoria e ao silêncio e não a desistir.
Certa vez Jesus disse que os filhos desse mundo são tremendamente astutos. Somos convidados a ser ainda mais…
Precisamos abusar de novas metodologias de trabalho, buscar o conhecimento de áreas como filosofia, pedagogia, psicologia, sociologia, serviço social, gestão de pessoas, gestão e mediação de conflitos, mas nunca abandonar o bom e velho rosário, pois somos “professores” e precisamos cultivar o exemplo.
É preciso entender que somente métodos racionais e intelectuais não surtem efeito contra pessoas que são “escoladas”. É como convencer um ativista radical de esquerda a apoiar a opinião e visão antagônica do seu opositor de direita. Quantas pessoas conhecemos em nossa comunidade que nunca sentaram numa carteira universitária, mas a vida os fez doutores?
Ser novo também é buscar por capacitação.
Ser novo também consiste em ter vontade de aprender, ser uma esponja, não negar o conhecimento, pois quando me fecho a ouvir, me nego por tabela em aprender.
É importante frisar um segundo lado do conto do primeiro parágrafo: E SE AS PESSOAS ESTIVEREM CERTAS E NÓS ERRADOS?
De cima de um pedestal de vaidades e orgulho não conseguiremos ver a verdade enquanto não descermos ou “baixarmos nossa bola”. Esse processo de se declarar superior chama-se arrogância.
Arrogantes não convencem. Prepotentes também não!
Ser novo às vezes é ser aluno do seu aluno. É ouvir os mais velhos e respeitar o talento dos mais novos; é treinar um sucessor; é não ficar perpetuando em um cargo ou coordenação; é abolir a ideia que “sem você nada acontece”. A esse tipo de irmão(ã) costumamos chamar de beatos.
É PRECISO LEMBRAR QUE OS BEATOS AINDA NÃO SÃO SANTOS, pois ainda precisam de muito mais que palavras para assim se tornarem.
Sejamos novos… Do reboco à pintura, obra completa.
Um imenso abraço fraterno.
Alexandre Soledade

(11.5) – VÓS DEVEIS NASCER DO ALTO
Continuando a conversa de Jesus com Nicodemos, aquele homem tão sábio, aquele mestre da Lei de Deus e chefe judaico, o Senhor lhe mostra em que consiste nascer do alto. Nascer do alto significa ter uma vida conduzida pelo Espírito de Deus, deixar que este vento maravilhoso, este sopro maravilhoso, que é o vento de Deus, o sopro de Deus, conduza nossos passos, oriente nossa vida e dê direção àquilo que nós fazemos. Porque o vento é assim, ele vem, sobra de um lado, depois vai para o outro e depois desaparece e segue a sua direção.
O homem e a mulher que nasceram de Deus são conduzidos por Ele, são direcionados por Deus e iluminados pela graça que vem do alto, eles não projetam a sua vida ou não fazem sua vida somente segundo raciocínios humanos, segundo seus cálculos, seus planejamentos. Eles se deixam moldar por Deus, se deixam refazer por Deus, se deixam recomeçar a cada dia e ser remodelados a cada momento.
O homem que nasce do alto não leva em consideração as mágoas passadas, os ressentimentos acumulados, pelo contrário, ele permite que este vento maravilhoso, vindo do Alto, sopre com força na mente, no coração e no espírito dele e remova tudo aquilo que não é de Deus, tudo aquilo que está pesado, passado e ultrapassado em sua vida. Nós, muitas vezes, ficamos presos a coisas que não constroem e nem edificam a nossa vida.
Nós, muitas vezes, deixamos a nossa vida atolada em um passado medíocre, porque ficamos machucados, cicatrizados com as ofensas que recebemos e não permitimos que o bálsamo do Espírito cicatrize todas as coisas, dê uma direção nova e um sabor novo à nossa vida. Dessa firma, ficamos presos à nossa mesquinhez, à nossa forma, muitas vezes, muito mesquinha de pensar a vida e de querer ver a vida só com os nossos olhos.
Aquele que vê com os olhos de Deus, vê além até o que não consegue enxergar, porque permite que o Senhor conduza seus passos. Que hoje renasçamos da água e do Espírito para experimentarmos os prodígios de Deus em nossa vida!
Deus abençoe você!
Canção Nova

(11.6) – VÓS DEVEIS NASCER DO ALTO
Atos 4, 32-37 – “a fé implica em ação concreta”
A experiência dos primeiros cristãos poderia servir de modelo para a nossa vida aqui na terra, em família, em comunidade e no mundo. Os primeiros seguidores de Jesus, pelo poder do Espírito Santo, compreenderam que o ser humano foi feito para viver em comum união, tendo a fé, a esperança e a caridade como base para os seus relacionamentos. Com certeza o que mais chamava a atenção das outras pessoas àquela época, devia ser o despojamento que eles testemunhavam quando abdicavam dos seus próprios bens a fim de que ninguém passasse necessidade. Só o poder do Espírito Santo nos fará viver a unidade da Igreja primitiva: “um só coração e uma só alma!”
Se, tivermos a consciência de que ter fé implica em ação concreta de renúncia, de desapego e de generosidade, nós poderemos medir melhor os nossos gestos em relação às pessoas que, bem à nossa vista, passam por situação de penúria. Hoje, como antes, existem perto de nós irmãos e irmãs que carecem de coisas materiais e, espirituais e pedem a Deus socorro para os seus flagelos. Deus precisa de nós para atender as preces dos corações aflitos. Por isso, além de partilhar o pão precisamos também a compartilhar o Amor que recebemos de Deus e dividir com as outras pessoas as graças que cumulamos na nossa vida.
Por outro lado há também aqueles(as) que têm tudo materialmente, no entanto, vivem infelizes porque não conseguem enxergar e ter experiência com as coisas espirituais, por isso, não têm nada. Eles não sentem o Amor de Deus, não têm fé nem esperança, e nós, que nos dizemos privilegiados(as), porque as possuímos, nos fechamos egoisticamente no nosso mundinho amealhando em nós o amor de Deus que experimentamos e não O repartimos. O amor com que nós amamos, no entanto, gera mais amor para se amar.
Você tem usado o poder do Espírito Santo para ajudar a outras pessoas?
Você sabe repartir o que você possui com quem está necessitado(a)?
Você tem partilhado o seu tempo presente com alguém?
O que você está retendo só com você e não tem repartido com ninguém?
Você sabia que o Amor de Deus é o Espírito Santo?

Salmo 92 – “Reina o Senhor, revestiu-se de esplendor!”
Nós vivemos o reino de Deus quando O reconhecemos como Rei e acolhemos Sua Majestade e o Seu poder. O Senhor reina na nossa vida quando ansiamos viver na santidade e na verdade todos os dias da nossa vida, cultivando o desejo de habitar na Sua casa pelos séculos dos séculos. Deus é Rei e o Seu trono está no meio de nós, porém é preciso que nós testemunhemos isso com as nossas ações.

Evangelho – João 3, 7-15 – “Vós deveis nascer do alto”
Nicodemos buscava conhecer os segredos de Deus e, misteriosamente, Jesus lhe falava de coisas, aparentemente incompreensíveis: “Vós deveis nascer do alto!” “O vento sopra onde quer!” “Coisas da terra, coisas do céu!”
Apesar de ser judeu, ele procurava Jesus porque distinguia algo muito especial naquele Homem que falava com sabedoria. Jesus Cristo tentava esclarecer que viera do céu para entregar-se por nós e que seria levantado na CRUZ para que todos os que Nele cressem tivesse a vida eterna. Nicodemos não entendia muito bem do que Jesus lhe falava, mas ousava desembaraçar os enigmas colocando as suas dúvidas para que o Senhor as elucidasse.
Nós também não entendemos a metodologia de Deus e somente Jesus poderia nos falar das coisas do céu segundo a visão do Pai. Só podemos descobrir os mistérios do céu que estão escondidos em nós quando procuramos Jesus a sós, e acolhemos a Sua Palavra que decifra e interpreta o desejo do Pai para cada momento da nossa vida. Se nos aprofundarmos na Sua Palavra perceberemos que as coisas do céu se traduzem na vivência dos conselhos evangélicos, como a doação, a partilha, a entrega, a humildade, a simplicidade, a compreensão, a mansidão etc. Todas essas virtudes são desejos que estão no coração de Deus para que nós ponhamos em prática aqui na terra. Por isso, é que nós podemos estar confiantes de que nascemos do alto quando estamos entregues ao olhar de Deus e vivendo segundo os Seus pensamentos. Nascemos do alto também quando dizemos não à mentalidade do mundo e assumimos a mentalidade de Deus que se traduz em amor. Com a sabedoria do mundo nós nunca poderemos entender as “coisas do céu”. Só um espírito voltado totalmente para o alto, isto é, para Deus, pode viver as coisas simples da vida sem se questionar. Muitas pessoas são versadas nas coisas da terra e vivem somente para essa vida que é passageira, por isso, não conseguem alcançar o reino de Deus. O reino de Deus, assim como o vento que sopra, já se manifesta no meio de nós quando praticamos as ações que o Espírito Santo nos inspira. Precisamos aprender a observar os sinais das coisas de Deus enquanto ainda caminhamos na terra, para que a nossa alma já comece a viver aqui, a alegria do céu.
Você também tem procurado a Jesus para esclarecer as suas dúvidas?
O que Ele tem lhe revelado?
Você tem vivido como um autômato ou já distingue o sopro do vento do Espírito Santo?
Helena Serpa

(16) – É NECESSÁRIO PARA VÓS NASCER DO ALTO
Hoje, Jesus nos expõe a dificuldade de prevenir e conhecer a ação do Espírito Santo: de fato, «sopra onde quer» (Jo 3, 8). Isto relaciona-o com o testemunho que Ele mesmo está dando e com a necessidade de nascer do alto. «É necessário para vós nascer» (Jo 3, 7), diz o Senhor com claridade, é necessária uma nova vida para poder entrar na vida eterna. Não é suficiente com um ir puxando para chegar ao Reino dos Céus, é necessária uma vida nova regenerada pela ação do Espírito de Deus. A nossa vida profissional, familiar, esportiva, cultural, lúdica e, sobretudo, de piedade tem que ser transformada pelo sentido cristão e pela ação de Deus. Tudo, transversalmente, tem que ser impregnado pelo seu Espírito. Nada, absolutamente, nada deveria ficar fora da renovação que Deus realiza em nós com o seu Espírito.
Uma transformação que tem Jesus Cristo como catalisador. Ele, que antes tinha que ser elevado na Cruz e que também tinha que ressuscitar, é quem pode fazer com que o Espírito de Deus nos seja enviado. Ele que tem vindo do alto. Ele que tem mostrado com muitos milagres o seu poder e a sua bondade. Ele que em tudo faz a vontade do Pai. Ele que tem sofrido até derramar a última gota de sangue por nós. Graças ao Espírito que nos enviará, nós «podemos subir ao Reino dos Céus, por Ele obtemos a adoção filial, por Ele se nos dá a confiança de nomear Deus com o nome de “Pai”, a participação da graça de Cristo e o direito a participar da gloria eterna» (São Basílio Magno).
Façamos que a ação do Espírito tenha acolhimento em nós, escutemos e, apliquemos as suas inspirações para que cada um seja – no seu lugar habitual – um bom exemplo elevado que irradie a Luz de Cristo.
Rev. D. Xavier SOBREVÍA i Vidal

COMEMORA-SE NO DIA 14/Abr

(5) – SANTA LIDUÍNA (LIDVINA)
Liduína nasceu na Holanda, em 1380, numa família humilde e caridosa. Ainda criança recolhia alimentos e roupas para os pobres e doentes abandonados.
Até aos quinze anos Liduína era uma menina como todas as demais. Porém, no inverno daquele ano, sua vida mudou completamente. Com um grupo de amigos foi patinar no gelo e em plena descida da montanha, um deles se chocou violentamente contra ela. Ficou quase morta, com muitas lesões graves. Apesar dos esforços, os médicos declararam que sua enfermidade não tinha cura e que o tratamento seria inútil, só empobrecendo ainda mais a família. Ela ficaria presa na cama!
Os anos se passavam e Liduína não melhorava, nem morria. Ficou a um passo do desespero total, quando chegou em seu socorro o padre João Pot. Com conversas serenas o sacerdote lhe recordou que Deus poda a árvore para que ela produza mais frutos. E pendurou na frente da sua cama um crucifixo. Pediu que olhasse para Ele e rezasse sempre.
Liduína entendeu que do seu leito podia colaborar com a Redenção, ofertando seu martírio para a salvação das pessoas. E disse ao padre que gostaria de receber um sinal que confirmasse ser este o seu caminho. Diz a história que neste momento, Liduína ficou iluminada por uma hóstia consagrada que apareceu em sua fronte.
Liduína nunca mais pediu que Deus lhe aliviasse os sofrimentos, mas que lhe desse amor para sofrer pela conversão dos pecadores. Do seu leito de enferma ela recebeu de Deus o dom da profecia e da cura pela oração aos enfermos. Após doze anos de enfermidade também começou a ter êxtases espirituais, recebendo mensagens de Deus e da Virgem Maria.
Liduína só se alimentava da Sagrada Eucaristia e das orações. Sua enfermidade a impossibilitava de comer e de beber, e nada podia explicar tal prodígio. Nos últimos sete meses de vida seu sofrimento foi terrível. No dia 14 de abril de 1433, após a Páscoa, Liduína morreu serena e em paz. Ao padre e ao médico que a assistiam pediu que fizessem de sua casa um hospital para os pobres com doenças incuráveis. E assim foi feito.
Os devotos a consideram padroeira dos doentes incuráveis. Também é padroeira dos patinadores.
Reflexão:
Sofrer é uma experiência humana que nos coloca no limite de nossas forças. O desespero diante da dor costuma ser atitude comum entre nós. Mas existem também aqueles que, diante do sofrimento, deixam-se banhar pelo mistério da vida e entregam suas dores nas mãos do Criador. Estes são os santos! Sabem que a vida é limitada e finita, mas nem por isso deixam de amá-la. E em tudo que fazem, colocam antes a pessoa de Jesus e a experiência da cruz. Assim foi santa Liduína, que presa a uma cama por 39 anos, soube fazer-se missionária pela oração e paciência. Peçamos a Deus que nos conceda serenidade na solidão, nas enfermidades e no sofrimento.
Padre Evaldo César de Souza

NINGUÉM AMA O QUE NÃO CONHECE

CELEBRAÇÃO DE HOJE

II SEMANA DA PÁSCOA
(BRANCO – OFÍCIO DO DIA)

RITOS INICIAIS

Monição ambiental ou Comentário Inicial
_

Antífona de Entrada
_

Oração do Dia ou Oração da Coleta
_

LITURGIA DA PALAVRA

Monição para a(s) leitura(s)
_

Monição ou Antífona do Evangelho
_

Oração Universal ou Oração dos Fiéis
PR:
_
AS: _
1. _
2. _
3. _
4. _
5. _

LITURGIA EUCARÍSTICA

Oração sobre as Oferendas
_

Antífona da Comunhão
_

Oração depois da Comunhão
_

RITOS FINAIS OU RITOS DE ENCERRAMENTO

Ide em Paz!

FONTES DE CONSULTAS E PESQUISAS

Vamos expor a seguir de onde pertencem os textos que nos preenchem todos os dias, nos dando um caminho com mais sabedoria, simplicidade e amor.

FONTE PRINCIPAL DE PESQUISA E INSPIRAÇÃO
bc3adblia1

FONTE DE CONSULTA LITÚRGICA 
† IGMR (INSTRUÇÃO GERAL DO MISSAL ROMANO – 1ª EDIÇÃO / 2008)
 

IGMR

REFLITA!

O importante não é a pessoa que escreve, mas quem foi que inspirou essa pessoa a escrever. O importante não é como se lê o que está escrito, mas como se age. O importante não é sentar-se à direita ou a esquerda do Pai, mas sim, realizar o trabalho que Ele nos pede. Ter conhecimento não é ter sabedoria, sabedoria é ter discernimento e saber compartilhar o conhecimento.

FONTES DE ORIENTAÇÕES E PESQUISAS

(1.1) – Blog Liturgia Diária da Palavra de Deus (Reflexões e Comentários);
(1.2) – Periódico Mensal: Liturgia Diária (Editoras Paulinas e Paulus);
(1.3) – Periódico Mensal: Deus Conosco (Editora Santuário);
(1.4) – Portal CNBB (A Palavra de Deus na Vida);
(5) – Portal Editora Santuário;
(6) – Portal Editora Paulinas;
(7) – Portal e Blog Canção Nova;
(8) – Portal Dom Total;
(9) – Portal Edições Loyola Jesuítas;
(10) – Portal Evangelho Quotidiano;
(11) – Blog Liturgia Diária Comentada;
(13) – Portal Catequisar: Catequese Católica;
(14) – Portal Comunidade Católica Nova Aliança;
(15) – Portal Fraternidade O Caminho;
(16) – Portal Evangeli.net;
(17) – Portal Padre Marcelo Rossi;
(18) – Um Novo Caminho;
(19) – Portal Dom Total: Roteiro Homilético;
(20) – Portal de Catequese Católica;
(21) – Blog Homilia Dominical;
(22) – Portal NPD Brasil;
(23) – Portal Canção Nova: Música;
(24) – Portal Editora Paulus;
(25) – Portal Católica Net;
(26) – Portal Católico Orante;
(27) – Rádio Catedral FM 106,7: Liturgia Diária;
(28) – Portal Comunidade Resgate;
(29) – Portal Católico na Net.

MENSAGEM PARA VOCÊ E PARA MIM MESMO

Mais vale o desconforto da VERDADE, do que a comodidade da MENTIRA. E usando a essência da Oração da Serenidade, devo orar:

Ó meu Deus e Senhor, Pai de misericórdia e Salvação, que em seu Filho Jesus perdoou os nossos pecados, e com o seu Santo Espírito, paráclito nesse nosso mundo que caminha conosco, apenas em Ti posso almejar a vida eterna, socorre-me e ouvi-me: Se o ERRO está em mim, que DEUS possa me dar a HUMILDADE de aceitar que estou errado. Que Jesus me dê a SERENIDADE, para aceitar que tem coisas que não posso mudar. E que o Espírito Santo me dê a CORAGEM, suficiente para mudar aquelas coisas que dependem de mim, mesmo que sejam difíceis.

E para complementar os alicerces de orações da minha vida, faço como o santo Tomás de Aquino:

Concede-me, Deus misericordioso, que deseje com ardor o que tu aprovas, que o procure com prudência, que o reconheça em verdade, que o cumpra na perfeição, para louvor e glória do teu nome. Põe ordem na minha vida, ó meu Deus, e permite-me que conheça o que tu queres que eu faça, concede-me que o cumpra como é necessário e como é útil para a minha alma. Concede-me, Senhor meu Deus, que não me perca no meio da prosperidade nem da adversidade; não deixes que a adversidade me deprima, nem que a prosperidade me exalte. Que nada me alegre ou me entristeça para além do que conduz a ti.”

Viver CORRETO e falar a VERDADE hoje são tão difíceis quanto na época de Jesus, pois é muito mais fácil aceitar a MENTIRA e fazer o ERRADO. Viver no CAMINHO, VERDADE E VIDA, que é o próprio Cristo Jesus, tem que ser uma caminhada diária. O futuro é desejo e pensamento. O passado é aprendizado e lembrança. O hoje é realidade, isso quer dizer: CRISTO.

Meus amigos(as) de coração, meus irmãos(ãs) em Cristo Jesus, lembrem-se: “Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas.” “Não julgues para não seres julgados.” “A quem é muito dado, muito será cobrado.”

Anúncios
Esse post foi publicado em Religião. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s