Liturgia Diária 10/01/17

Liturgia Diária 10/01/17 (Terça) – Marcos 1, 21b-28.

Bom dia. Neste trecho do Evangelho de hoje, gostaria de me dirigir principalmente aos meus irmãos e irmãs do MESC, para que eu possa mostrar um dos textos que me fez ver o que eu era ou tentava ser antes, para o que eu sou e tento ser hoje. É só lembrar do nosso primeiro encontro que vocês poderão ver e entender um pouco disso.

— 21b Estando com seus discípulos em Cafarnaum, Jesus, num dia de sábado, entrou na sinagoga e começou a ensinar.

Vamos nos localizar então: onde são as nossas sinagogas nos dias de hoje? Isso mesmo, as nossas igrejas, pastorais, movimentos, etc.

E qual o dia que mais temos encontros, formações, retiros, missas em nossas “sinagogas”? Acertamos de novo, no primeiro dia da semana, domingo, dia do Senhor. O dia em que Jesus ressuscitou, em que Ele aparecia aos discípulos, em que houve a sua Ascenção. Mas isso é assunto para outro dia.

— 22 Todos ficavam admirados com o seu ensinamento, pois ensinava como quem tem autoridade, não como os mestres da Lei.

Jesus ensinava com autoridade, pois, Ele tinha o Conhecimento que vinha do Pai, Ele tinha a Sabedoria que vinha do Espírito Santo, e Ele como Filho, tinha a junção das duas coisas, pois Jesus usava das leis, do certo e errado em AÇÃO, em palavras justas, em gestos concretos, sem impor, sem julgar, sem obrigar. Jesus Cristo, se tornou e nos mostrou o que realmente devemos ser diante de Deus e dos homens: conhecer, saber e agir, tudo com amor.

Já os mestres da Lei, possuíam o conhecimento que lhes foi dado pelo próprio Deus (pelos patriarcas, reis e profetas = LEI, PRIMEIRO TESTAMENTO), mas de nada tinham de “sabedoria”, de nada tinham de “ação em amor”, pois eles usavam a “lei” em detrimento deles mesmos, para oprimirem o povo, para se manterem no poder, para serem mais importantes, para serem os detentores da “palavra de deus”.

— 23 Estava então na sinagoga um homem possuído por um espírito mau. Ele gritou: 24 “Que queres de nós, Jesus Nazareno? Vieste para nos destruir? Eu sei quem tu és: tu és o Santo de Deus.”

Onde nós mais nos encontramos? Em nossas sinagogas (igrejas, comunidades, pastorais, etc.).

E quem são os homens possuídos? Somos nós mesmos.

E o que é este espírito mau? É a nossa prepotência, a nossa injúria, a nossa fofoca, o nosso autoritarismo, a nossa preguiça, a nossa traição, a nossa arrogância, a nossa sede de poder, o nosso querer aparecer mais do que os outros, não aceitar a opinião, não saber perdoar, sempre criticar, não saber reconhecer a bondade do outro, a simplicidade, o carinho, a entrega, saber que o outro não tem tanto conhecimento, mas se entrega por amor, … Será que precisa de mais, para podermos compreender?

— 25 Jesus o intimou: “Cala-te e sai dele!” 26 Então o espírito mau sacudiu o homem com violência, deu um grande grito e saiu.

Isso acontece quando uma pessoa tem a inspiração do Espírito Santo e tenta de forma carinhosa nos colocar nos “eixos”, tem a humildade e a coragem em nos dizer que existe erro em nossa fala, em nosso agir, não existem uma coerência em tudo que tentamos demonstrar com que aquilo que gostamos de falar. É alguma atitude que conseguimos ver no mais humilde, um fato que nos faz refletir, um olhar que nos toca o coração, e quando estamos dispostos a aceitar Jesus em nossa vida, é com um “sacudir” que os nossos olhos se abrem e caímos com os nossos joelhos no chão, e percebemos quantas coisas ruins ou erradas que fizemos ou nos tornamos. Mas aceitar Jesus em nossa vida é assim.

— 27 E todos ficaram muito espantados e perguntavam uns aos outros: “O que é isto? Um ensinamento novo dado com autoridade: Ele manda até nos espíritos maus, e eles obedecem!”

Reparem que, quando conseguimos mudar ou tentamos corrigir os nossos erros, e até mesmo pedir perdão àqueles a quem nós magoamos ou prejudicamos, ou, quem sabe, temos a graça de perdoar a quem nos machucou, os mais próximos de nós se espantam, pois não conseguem compreender e entender a mudança de nossa atitude. Quando mudamos as atitudes que nos prejudicam como pessoa, como esposo, como esposa, como pai ou mãe, como amigo, parece um absurdo aos olhos dos outros, uma loucura àqueles que não possuem o carinho, o amor, a misericórdia de Deus em suas vidas. Para muitos, nossas “novas atitudes” são coisas de pessoas loucas.

Querem ver mudanças?

Vamos parar de ver e enviar mensagens violentas, mórbidas e eróticas por e-mail ou celular, e me digam o que acontece.

Vamos parar de se drogar, fumar ou beber em excesso, demonstrando a nossa mudança de atitude, e me digam o que acontece.

Vamos parar de trair nosso esposo, esposa e filhos, e me digam o que acontece.

Vamos parar de impor as nossas vontades e coloquemos a “mão na massa” junto com todos, e me digam o que acontece.

Vamos parar de xingar, criticar, humilhar, fofocar, e em vez disso, vamos tentar apaziguar, conversar, escutar, dialogar, e me digam o que acontece.

Vamos parar de achar que sabemos de mais, que não precisamos aprender mais nada, que já somos autossuficientes, e em vez disso, vamos continuar a ter e procurar o conhecimento que vem Deus e da Igreja, a Sabedoria que vem do Espírito Santo e termos a verdadeira Ação de Jesus, conhecer, ensinar e agir.

— 28 E a fama de Jesus logo se espalhou por toda a parte, em toda a região da Galiléia.

Sendo assim, pergunto a nós mesmos: por onde está se espalhando a fama de Jesus em nossas vidas?

slide1 slide2 slide3 slide4 slide5 slide6 slide7 slide8 slide9

Anúncios
Esse post foi publicado em Religião. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s