Liturgia Diária 27/01/17

Liturgia Diária 27/01/17 (Sexta) – Marcos 4, 26-34.

Bom dia. Apesar de Jesus sempre falar por meio de parábolas para que o povo compreendesse melhor, será que hoje, nós conseguimos entender realmente o que Ele quer nos falar?

Nestas duas parábolas que Jesus nos mostra, podemos fazer a nossa reflexão até mesmo seguindo os versículos, um a um, sem precisarmos ter um estudo mais avançado da Palavra. Mas, apesar destes textos serem de “fáceis” interpretações, mesmo assim, devemos ter o cuidado de não interpretarmos erroneamente olhando apenas com os olhos humanos, mas devemos ter o nosso coração aberto ao discernimento que o Espírito Santo nos dá. Aí sim, poderemos compreender o que Jesus quer nos dizer. Sendo assim, não se apeguem a minha reflexão, mas que cada um de nós possa fazer esta reflexão de conversão, perseverança, amor e missão.

26a Naquele tempo, Jesus disse à multidão: o tempo é hoje, e a multidão somos todos nós;

26b O Reino de Deus é como quando alguém espalha a semente na terra: este “alguém” é o próprio Cristo. A “semente”, é Palavra de Deus, e com seus milagres, seus exemplos, seu amor, Jesus nos traz explícito o caminho para o Reino de Deus; a “terra”, somos todos nós que estamos dispostos a caminhar na Palavra do Senhor, e nos converter à sua Boa Nova.

27 Ele vai dormir e acorda, noite e dia, e a semente vai germinando e crescendo, mas ele não sabe como isso acontece: Jesus nos alerta que a nossa aceitação e conversão a sua Boa Nova, deve ser feita diariamente, todos os dias, independente do que realizamos ontem, mas devemos fazer hoje tudo de novo, sem desistir, sempre perseverando, onde que lentamente, iremos com a ajuda do Espírito Santo crescer cada vez mais na graça do Senhor. E é neste ponto que muitos de nós caímos em tentação, pois por acharmos que já estamos no caminho, desejamos que as coisas devam acontecer rapidamente. Quantos de nós, quando resolvemos aceitar a missão de Jesus e começamos a participar de uma pastoral, desejamos que os resultados sejam rápidos? Ou quando iniciamos uma família, diante do Sacramento do Matrimônio, desejamos que somente a felicidade exista? Só que não é assim que as coisas de Deus acontecem. Por isso, aqueles que conseguem manter-se na oração e na fé, conseguem perseverar, pois, apesar de não saberem como acontece e como também, não estão preocupados com resultados rápidos, a graça de Deus vai começar a crescer em sua vida.

28 A terra, por si mesma, produz o fruto: primeiro aparecem as folhas, depois vem a espiga e, por fim, os grãos que enchem a espiga: como podemos observar, quando existe a nossa conversão, mantendo a perseverança na oração, na fé e na missão, os frutos irão crescer e multiplicar. Quando conseguimos nos manter atentos aos sinais do Espírito Santo em nossa vida, crescendo cada vez mais no amor e na humildade, é o momento que estamos dispostos a darmos mais um passo adiante, onde que poderemos, humildemente, sermos exemplos de servos e trabalhadores da messe do Senhor.

29 Quando as espigas estão maduras, o homem mete logo a foice, porque o tempo da colheita chegou: eis, aqui, onde os frutos que desejávamos em nossas pastorais poderão ser colhidos; eis o momento em que as graças em nosso Matrimônio poderão ser alegres aos olhos do Senhor.

30 E Jesus continuou: Com que mais poderemos comparar o Reino de Deus? Que parábola usaremos para representá-lo?: Como Jesus conhecia o nosso coração humano, e mesmo após, ele ter deixado bem claro como é a dinâmica para caminharmos no rumo da Salvação, Ele ainda quis nos deixar mais claro ainda, o que seria o Reino de Deus. Será que seria necessário mesmo está outra parábola? Será que o nosso coração, mesmo após esta primeira parábola, ainda continua fechada à Boa Nova do Senhor? Sinceramente? Para muitos de nós, a Palavra de Deus ainda permanece muito distante do nosso coração.

31 O Reino de Deus é como um grão de mostarda que, ao ser semeado na terra, é a menor de todas as sementes da terra: a Palavra de Deus quando é semeada em nosso coração, ela é considerada como a menor das sementes, pois ela não deve ser aceita como obrigação, como imposição, não, a Palavra de Deus quando semeada em nosso coração, deve aceita por nós como graça, como água que refresca, como sombra que nos abriga, como o lar que nos acolhe. A Palavra de Deus é singela, pois ela não vai derrubar a porta de nossa casa, pelo contrário, ela bate mansamente e cabe a nós abrir a porta de nossa vida para que ela possa fazer morada em nosso coração.

32 Quando é semeado, cresce e se torna maior do que todas as hortaliças, e estende ramos tão grandes, que os pássaros do céu podem abrigar-se à sua sombra: quando aceitamos nos converter ao Reino de Deus, diante da Palavra semeada em nosso coração, as graças e bênçãos alcançadas, nos dão a felicidade de ver que os nossos frutos são direcionados principalmente para aqueles que mais precisam de ajuda, sendo esta ajuda material ou espiritual, pois, como os pássaros do céu que são os animais que mais são postos à prova pelo mundo, tanto pelo tempo que os castiga, como ser indefesos aos tratos humanos, nós também, temos a missão de sermos “a mostarda” crescida e acolher aos que mais necessitam, sendo em nossa comunidade e principalmente em nossa família.

33 Jesus anunciava a Palavra usando muitas parábolas como estas, conforme eles podiam compreender: como Jesus fazia como o povo naquele tempo, nós também temos a oportunidade de ouvi-lo por meios das parábolas ainda hoje, diante das nossas Santas Missas.

34 E só lhes falava por meio de parábolas, mas, quando estava sozinho com os discípulos, explicava tudo: nós também temos esta possibilidade, quando somos convidados a participar mais intensamente de uma pastoral, de um curso, de um ministério, de uma formação ou adoração.

Irmãos e irmãs, Jesus nunca deixa de nos convidar a ouvir a sua Palavra, nunca deixa de nos chamar à conversão, nunca deixa de nos acompanhar em nossa missão, pois Ele deseja, que todos nós, eu e você, façamos parte desta linda história de amor, onde que temos a missão de nos converter e levar aos outros as graças recebidas por Deus. Longe de nós queremos ser os melhores, longe de nós, queremos ser os mais importantes, mas apenas que possamos ser, dia-a-dia, perseverantes em nossas orações, caindo e levantado diante aos nossos pecados, mas com o coração repleto do Espírito Santo, possamos ser humildes servos de nosso Senhor Jesus Cristo em sua messe de amor e misericórdia.

Um abraço fraterno, e que tenhamos um abençoado dia na graça do Senhor.

Humildemente, seu irmão na Fé, Flávio Eduardo.

slide1 slide2 slide3 slide4 slide5 slide6 slide7 slide8 slide9

Anúncios
Esse post foi publicado em Religião. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s