Liturgia Diária 13/02/17

Liturgia Diária 13/02/17 (Segunda) – Marcos 8, 11-13.

Bom dia. O Evangelho nos revelado hoje, realmente é pequeno na quantidade de versículos, apenas três, mas, posso ser sincero com vocês, poderia ficar o dia inteiro conversando sobre este tema, e com certeza, haveria assunto para conversarmos por mais alguns dias.

Vejamos, quem eram aqueles que sempre ficavam discutindo com Jesus por não aceitarem as coisas como Ele falava, pois, com seus ensinamentos, lhes tiravam da sua comodidade e lhes mostrava os erros que cometiam?

Os fariseus. Nisso todos concordam, não é mesmo? Mas, hoje, não somos nós que ficamos “discutindo” com Jesus por não aceitarmos os seus ensinamentos? Fugindo de nossa responsabilidade? Nos afastando de seu caminho por acharmos que não precisamos aprender mais nada? Nós não cobramos de Deus que os milagres sejam realizados em nossas vidas, mesmo quando não damos um exemplo de conversão, humildade e amor diante do seu chamado?

Para os fariseus, em raríssimas exceções, eles aceitavam o que Jesus ensinava, mas nem mesmo nos milagres realizados na vida dos outros, eles creram, e por isso, no Evangelho de hoje, os fariseus pedem que um sinal, um milagre, que fosse feito a eles para que assim, eles pudessem crer em Jesus.

No texto, não diz explicitamente, qual o “sinal”, ou qual o “milagre” que Jesus deveria realizar, mas algo que fosse visto aos olhos deles e, claro, com eles. Nós não somos assim? Só reconhecemos verdadeiramente um sinal de Deus em nossa vida se este sinal for comigo? Que de alguma forma modificou a minha vida ou de alguém muito próximo de mim?

Como dito no texto, e hoje também para nós, Jesus já realizou inúmeros milagres, então, já não é o caso Dele realizar um outro em nossa vida apenas para que possamos crer Nele, e nos satisfazer.

Como hoje diante dos fariseus, ou diante do povo em sua terra, ou diante de Herodes, Jesus não realizou nenhum milagre, pois, apesar de tudo aquilo que Ele realizava, tanto em seus ensinamentos como em seus milagres, já seria o bastante para acreditarem em Jesus e na Sua Palavra.

Como hoje diante de nós e daqueles que nos cercam, Jesus não vai realizar nenhum milagre, pois, se não acreditamos Nele diante de tudo o que já aconteceu e que acontece, porque Jesus faria diferente? Porque Ele iria realizar milagres em nossa vida se apenas queremos receber e não dar nada em troca?

Hoje Jesus, iria apenas nos responder: “a esta gente não será dado nenhum sinal”. (Mc 8,12).

Por isso, cabe a nós agora, refletirmos: O que faltou aos fariseus para que Jesus realizasse milagres em sua vida? O que falta a nós hoje, para que Jesus realize milagres em nossa vida?

O que faltava aos fariseus e a nós hoje, é boa vontade, a perseverança, o amor e a dedicação aos ensinamentos de Jesus, é sabermos reconhecer os milagres na vida dos outros e ficarmos alegres e gratos por isso ter acontecido, e não sermos como Caim, que ficou com ciúme de Abel, e o matou.

É acolhermos os ensinamentos de Jesus e termos o discernimento de todo o Seu amor por nós. Devemos nós, deixarmos que Jesus nos corrija, nos direcione, temos que ser humildes diante Dele, e aceitarmos a repreensão que Ele nos direciona.

Hoje, como naquela época, o que nos leva a não aceitar os sinais de Deus, é a nossa soberba, o nosso orgulho, o nosso complexo de superioridade, é o medo de perdermos prestígios popular, é nos apegar às lideranças religiosas em nossa comunidade, tudo isso, era para os fariseus e é para nós hoje, situações que nos impedem de aceitar Jesus.

Por isso pergunto a cada um dia de nós: Se os fariseus e os doutores da lei, naquela época, aceitassem Jesus, a história do Povo de Deus seria diferente? Se nós hoje, aceitássemos Jesus, a nossa história seria diferente?

Sinceramente, todos nós somos fracos, todos nós desejamos que os milagres realizem apenas em nossa vida. Reconheçamos. Sejamos honestos, e vamos olhar para dentro de nós. Abramos o nosso coração ao ensinamento de Jesus.

Quantos de nós, por não conseguirmos um emprego, ou por ter perdido um, nos afastamos da Eucaristia por estarmos “chateadinhos” com Deus?

Quantos de nós, por não ter conseguido uma cura diante de uma enfermidade, nos afastamos da Eucaristia por estarmos “magoadinhos” com Deus?

Quantos de nós, por termos “perdidos” um ente querido por causa de uma doença ou uma fatalidade, que nos afastamos da Eucaristia por acharmos que fomos esquecidos por Deus?

Quantos de nós, por não gostarem de uma pessoa da nossa pastoral, da nossa comunidade, ou até mesmo do padre, se esquecem que o mais importante é a comunhão com os irmãos e a presença diante do Senhor na Eucaristia?

Como os fariseus naquela época, como para muitos de nós hoje, é mais “fácil” não aceitarmos os ensinamentos de Deus e de sua casa afastarmos, pois, longe de tudo e de todos, não precisamos ser humildes, não precisamos ajudar, não precisamos trabalhar, não precisamos orar, não precisamos comungar o amor de Deus com os outros.

Como os fariseus, nós nos sentimos até mesmo, superiores a Jesus, onde que achamos que não precisamos dos Seus ensinamentos, que apenas por “orarmos” a Deus tudo está resolvido; que não precisamos obter mais conhecimento e transformar em sabedoria, pois o que sei já é o bastante; me afasto da comunidade e do meu irmão, porque não gosto de suas deficiências e me esqueço de toda a vontade que permanecem no Caminho do Senhor.

Meus irmãos e minhas irmãs, estamos sendo ou seremos piores que os fariseus, se deixarmos que o orgulho nos domine, que a prepotência nos afaste, que a autossuficiência nos direcione e não aceitemos o convite de Deus para que possamos nos converter, perdoar e nos santificar em Seu Nome. Devemos humildemente, diante do Senhor, nos apresentar a Ele e nos oferecer para permanecer em Seu caminho, mesmo que os grandes milagres não se realizem em minha vida, mas que o Espírito Santo nos faça reconhecer, que o maior milagre é podermos estar diante de Jesus, como o coração aberto e reconhecer, quem longe Dele, não teremos a possibilidade de sermos felizes.

“Quem crê em Jesus não precisa de sinais para assumir as Suas promessas como verdadeiras. Só a Sua Palavra já é motivo para que permaneçamos firmes na fé. Nós tentamos a Deus quando pedimos a Ele milagres e não percebemos os sinais deixado por Ele para nós. A Cruz e a Palavra de Deus são uma prova fiel do Seu amor por nós. São sinais de Fé!

O Espírito Santo é o grande motivador da nossa fé! O maior sinal de Deus para todos nós é Jesus Cristo que veio como enviado do Pai para nos dar vida e santidade e nos revelar a Sua face amorosa. Não precisamos de sinais, pois o amor de Deus foi derramado no nosso coração pelo Espírito que nos foi dado e é quem age em nós e nos dá sabedoria para discernirmos a nossas inquietações e os nossos desejos.”

A nossa vida espiritual será outra quando aceitarmos todos os ensinos de Jesus. É isto o que Ele sempre esperou de nós.

Deus abençoe você! FIQUE NA PAZ DE JESUS!

Um abraço fraterno, e que tenhamos um abençoado dia na graça do Senhor.

Humildemente, seu irmão na Fé, Flávio Eduardo.

slide1 slide2 slide3 slide4 slide5 slide6 slide7 slide8 slide9

Anúncios
Esse post foi publicado em Religião. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s