Liturgia Diária 14/02/17

Liturgia Diária 14/02/17 (Terça) – Marcos 8, 14-21.

Bom dia. REFLEXÃO PESSOAL E COMPARTILHADA COM A DA OLÍVIA COUTINHO

O evangelho que a liturgia de hoje nos convida a refletir, nos alerta sobre o perigo de estarmos na barca de Jesus e não nos sentirmos seguros, de nos deixarmos influenciar pela mentalidade dos opositores do projeto de Deus e com isso não compreendermos os ensinamentos de Jesus.

E olhem quantas maravilhas, Deus realiza em nossa vida, e nós nem sempre nos damos conta por estarmos voltados para o que vem do mundo.

Temos a tendência de colocar nossas expectativas, nossa segurança somente no humano sem contarmos com a providência Divina.

E mesmo vendo a generosa partilha de pães e peixes realizada por Jesus, seus discípulos são incapazes de reconhecer a divindade dele.

Para “despertá-los” da lerdeza em compreender, Jesus alertava-os sobre o perigo de se deixarem contaminar com o fermento dos fariseus e de Herodes, ou seja, a observância opressora da tradição humana e religiosa, a hipocrisia dos fariseus e com a mediocridade e o desejo de poder sem moral de Herodes. Eles, que estavam preocupados com a falta de pão, não compreenderam o que Jesus quis dizer, pois, pensaram que Ele os advertia por causa da falta de pão.

O fermento dos fariseus corresponde a suas ideias de um Messias nacionalista e político, dominador dos outros povos; o fermento de Herodes (e dos herodianos) é o poder sem moral, gerador de morte.

Os discípulos mantêm-se apegados a essa ideologia (acumular coisas para ter segurança) e têm dificuldades de dar um passo para reconhecer e acolher a novidade de Jesus (partilha e vida abundante para todos).

Veem os sinais, mas não enxergam a ação de Deus; ouvem magníficas palavras, mas não se entregam à mensagem libertadora do Mestre.

Este desencontro entre o que Jesus quis dizer e o que os discípulos entenderam, deixou transparecer a incredulidade deles, embora estando na barca de Jesus, eles não estavam em sintonia com Ele, continuavam presos à mentalidade egoística do mundo, o que contrariou Jesus.

Mesmo tendo acabado de presenciar o milagre da multiplicação dos pães, os discípulos não se deram conta de que a falta de pão, não seria um problema diante Jesus, afinal, o pouco de pão material, nas mãos do Pão da vida, se transformaria em muito!

Se tomássemos os ensinamentos de Jesus, como manual de instrução para dirigirmos a nossa vida, com certeza, não perderíamos tempo com preocupações com o alimento de amanhã, pois iríamos confiar na providência divina. Confiar na providência divina, não significa cruzar os braços e ficar esperando que as coisas caiam do céu, confiar na providência divina, é batalhar a vida, é enfrentar desafios, confiantes de que com Deus, tudo tem jeito, tudo se resolve!

Na oração do Pai Nosso, Jesus nos ensina a pedir ao Pai “o pão nosso de cada dia”, mas na prática, nós queremos o pão “meu” de hoje e de amanhã também. Queremos acumular, garantir o pão para muito tempo, sem nos preocupar com a falta de pão na mesa do irmão!

Jesus usa de várias formas para nos falar, Ele nos fala através das pessoas, da natureza, dos acontecimentos, mas quando estamos voltados para as coisas materiais, não enxergamos os seus sinais, não captamos a sua mensagem.

A cegueira e a surdez espiritual têm raízes num coração endurecido fechado à partilha. Mas nunca é tarde para quebrarmos esta muralha, basta revermos as nossas atitudes e nos propor a mudarmos. Deus não desiste de nós, Ele está sempre nos dando uma nova chance!

Precisamos ficar atentos, pois são muitas as ciladas preparadas pelo inimigo, tentando nos tirar da barca de Jesus, querendo mudar a nossa rota. A única forma de não cairmos nestas ciladas, é estarmos o tempo todo configurados em Jesus.

E estarmos configurados em Jesus, é reconhecer que o “único pão” na barca, é o próprio Cristo, por isso devemos ter Fé no seu amor por nós, por isso devemos acreditar Nele quando nos parecer que as dificuldades e os problemas são muitos. Talvez hoje seja a falta de pão, amanhã uma doença ou a falta de emprego, uma tentação ou uma discórdia, mas, se estamos verdadeiramente na barca com Jesus, não nos deixemos ser tomados pelos medos que o mundo nos atormenta.

Estarmos configurados em Jesus, é reconhecer que as dozes cestas de pães, representa que, a nossa missão é amar e levar a Boa Nova de Jesus à todas as pessoas.

Estarmos configurados em Jesus, é ter certeza que apenas se estivermos ligados ao Pai, é que poderemos caminhar rumo ao Reino que à por vir, pois apenas Jesus é perfeito, por isso, que Ele está representado nas 7 cestas de pães que sobraram.

Hoje, Deus quer nos dar um alimento eterno, portanto, abramos os nossos olhos, os nossos ouvidos, e principalmente os nossos corações, para podermos enxergar, ouvir e sentir tudo ao modo de Deus e não com a nossa mente limitada e pequena diante das graças recebidas em nossa vida.

Deus abençoe você! FIQUE NA PAZ DE JESUS!

Um abraço fraterno, e que tenhamos um abençoado dia na graça do Senhor.

Humildemente, seu irmão na Fé, Flávio Eduardo.

slide1 slide2 slide3 slide4 slide5 slide6 slide7 slide8 slide9

Anúncios
Esse post foi publicado em Religião. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s