Liturgia Diária 05/03/17

Liturgia Diária 05/03/17 (Domingo) – Mateus 4, 1-11.

REFLEXÃO DO PADRE VALDIR MARQUES.

“Não só de pão vive o homem, mas de toda palavra que sai da boca de Deus.”. (Mt 4, 4b).

Tentado no deserto, depois de quarenta dias e quarenta noites Jesus teve fome. Ao contrário de Adão e Eva que no paraíso não jejuavam, Jesus jejuou e sentiu fome.

O demônio não lhe apresenta um fruto proibido, como apresentara a Eva e Adão, mas lhe propõe, insidiosamente, que faça um milagre, “se for Filho de Deus” (Mt 4,3b).

Jesus se encontra diante da fome, da possibilidade de dar ouvidos ao tentador, de desobedecer à Lei de Deus, mas ao contrário de Eva e Adão, não cede à fome, não cede ao tentador e não desobedece à vontade de Deus.

Pelo contrário, usa de sua inteligência e sabedoria para dar a resposta exata ao tentador:

“Não só de pão vive o homem, mas de toda palavra que sai da boca de Deus.”. (Mt 4,4b).

O que esta resposta de Jesus nos diz?

Pensemos devagar em suas palavras:

— Não só de pão vive o homem: isto é, o alimento material não é tudo. Há uma vida a ser garantida não pelo pão material, mas pela sustentação divina que somente Deus pode garantir. Era esta a vida que Adão e Eva tinham recebido de Deus ao serem criados no paraíso. Esta vida eles jamais deveriam perder.

— Mas de toda palavra: o que é “Palavra”? Nesta frase de Jesus é o pão que alimenta, que faz a vida persistir sem perspectiva de fim. Ora, deste modo esta palavra somente pode provir de Deus: que sai da boca de Deus.”.

Quando Deus criou Adão e Eva não se contentou em dar-lhes a vida. Faltava garantir a continuidade desta vida no paraíso. E isto Deus lhes deu por meio da Bênção:

“E Deus os abençoou e lhes disse: “Sede fecundos, multiplicai-vos, enchei a terra e sujeitai-a; dominai sobre os peixes do mar, sobre as aves dos céus e sobre todo animal que rasteja pela terra”. E disse Deus ainda: “Eis que vos dou todas as ervas que dão semente e se acham na superfície de toda a terra e todas as árvores em que há fruto que dê semente. Isso será vosso alimento”.” (Gn 1, 28-29).

Jesus, tentado, com fome, mas ainda com forças para vencer a tentação, permanece vivo.

O jejum não o levou à morte. Permanecer vivo foi, para Ele, a confirmação da continuidade daquela vida que Deus prometera a Adão e Eva, por efeito da Bênção divina.

Jesus, portanto, jejuou, passou fome, não morreu, e, mais importante de tudo, permaneceu sem pecar: cumpriu a vontade de Deus mesmo em tempo de penitência e tentação. Foi em tudo diferente de Adão e Eva.

Pensemos em nosso tempo de jejum na Quaresma.

Seremos tentados a não jejuar e a não comer carne.

Seremos tentados pelas tentações cotidianas com que o inimigo nos persegue sempre.

Temos, porém diante de nós, tanto o pecado de Adão e Eva como a obediência de Jesus Cristo.

Vamos imitar Jesus Cristo. Venceremos as tentações, não faremos pecados e permaneceremos na União com Deus.

A Jesus que amamos, peçamos a conversão de vida, o perdão de Deus de todos os nossos pecados presentes e passados.

Sintamos a alegria de sermos salvos, e cantemos a Deus seus louvores [Sl 50(51),17b].

Deus abençoe você! FIQUE NA PAZ DE JESUS!

Um abraço fraterno, e que tenhamos um abençoado dia na graça do Senhor.

Humildemente, seu irmão na Fé, Flávio Eduardo.

Anúncios
Esse post foi publicado em Religião. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s